A interminável coleção de fraudes intelectuais do CQC na defesa da importação de escravos cubanos

51
250

marcelo-tas-na-coletiva-de-imprensa-do-cqc-8310-1269289683952_560x400

Depois que um de seus “repórteres” tomou alguns pedalas de manifestantes do MPL, o CQC resolveu radicalizar no fascismo e aderiu de corpo e alma à campanha de ódio e difamação contra os médicos brasileiros, tudo em prol do grande negócio fechado entre o governo brasileiro e o governo cubano para… importação de escravos.

E a regra é simples: tudo que começa a partir de uma mentira, precisa de novas mentiras para conseguir prosperar. O resultado é que o ato discursivo do esquerdista petralha parece uma manifestação de loucura e nada mais. Nenhum traço de lógica, nem o menor lapso de racionalidade. Entretanto, não falamos de pessoas loucas, mas desonestas.

Como diria o Barão de Itararé, de onde menos se espera, daí mesmo é que não sai nada. E tudo começa com mais do mesmo, quando Marcelo Tas finge que os médicos brasileiros e o restante daqueles que se opõem à escravidão de cubanos são “racistas” e “xenófobos”. Para ele, são todas pessoas más que não estão se preocupando com a saúde das pessoas desamparadas. Todo o discurso do CQC na questão será o embaralhar e dar de novo em cima de rotinas deste tipo.

A parte mais engraçada é quando Tas diz que vai mostrar a questão “de um jeito CQC”. Pelo que se percebe, o “jeito CQC” se baseia em mentir de forma compulsiva.

Para termos uma idéia da desonestidade do programa, Tas diz, em direção à câmera: “Tire suas conclusões a respeito do assunto”. Mas tudo o que o programa faz é dar conclusões prontas, fazendo propaganda contra aqueles que se opõem a importação de cubanos.

No início da matéria, o jornalista picareta Ronald Rios diz que 700 municípios não tem um médico sequer. E, portanto, a importação de escravos cubanos é a solução do governo. A heurística é basicamente assim: a partir do momento em que existe uma justificativa utilitária, tudo é permitido, inclusive adquirir escravos.

É sintomático quando o apresentador da matéria diz que se existe rejeição aos médicos cubanos, é por algum motivo especial. Obviamente, ele esconde os dois motivos principais: (1) eles não passarem pelo Revalida, (2) eles são mão de obra escrava.

Um exemplo da baixeza da campanha do PT vem aos 3 minutos, quando uma entrevistada diz: “se os nossos [médicos] não querem trabalhar, então vamos trazer os de fora”. Nota-se que o truque neste momento é simular de forma incisiva o seguinte frame: (1) Médicos do Brasil não querem as vagas e, (2) ao mesmo tempo não querem que ninguém de fora os atenda. Quem pôde notar a manipulação, já percebeu que eles trocaram “médicos escravos cubanos” por “qualquer médico de fora”. É, eu falei que o nível do discurso petralha era o da psicopatia…

A mendacidade atinge níveis estratosféricos quando, para demonstrar a “motivação dos médicos cubanos”, o entrevistador fala com uma mexicana e uma portuguesa. E depois esquerdistas reclamam que quando eu avalio conteúdos produzidos por esta gente, sempre uso a expressão “truque”.

Lá pelas tantas, vem a tradicional avaliação “impressionante” do currículo dos médicos cubanos, o que não serve para validar moralmente a contratação de escravos. É como o personagem de Leonardo DiCaprio no filme “Django Livre”, citando as habilidades de seus escravos lutadores. Eles podem ser competentes o quanto forem que isso ainda não torna a escravidão algo moral. Outro detalhe é: se são tão capazes, por que não passam pelo programa Revalida?

Em uma nova interação com uma médica portuguesa, Katia Abrantes Miranda, lá no final, ela diz: “Acho isso uma falta de respeito. Independente de serem médicos estrangeiros ou não, você respeita o ser humano”. Fica claro que o entrevistador deve ter dito algo assim a ela: “O que você acha dos médicos brasileiros que estão vaiando todos os médicos estrangeiros?, Em seguida, é só enfiar a resposta dela (mas sem a pergunta, é claro) em uma matéria sobre as críticas à importação de médicos escravos de Cuba. Nem Goebbels seria tão canalha a esse ponto…

É risível quando a matéria diz que “esses médicos que foram chamados de escravos estão aqui voluntariamente”. Bem, que eu saiba escravos podem executar algumas ações voluntárias, mas isso não significa ainda que o dono desses escravos possa ficar livre da acusação de praticar escravidão.

Como não poderia deixar de ser a matéria diz que os médicos “farão isso e aquilo”, onde “isso e aquilo” pode significar as ações de quaisquer médicos. Mas o fato de alguém fazer qualquer ação elogiável não implica ainda a proibição da crítica ao ato de escravizar essas pessoas. Nota-se que a deformação moral dos petralhas é ilimitada.

As encenações de Marcelo Tas surgem novamente ao final, onde ele diz que se alguém criticar a medicina de Cuba ou da China “demonstrará ignorância”. Claro que para isso ele ainda teria que explicar o motivo pelo qual os médicos cubanos não passarão pelo Revalida. Ora, se eles são tão bons a ponto de não poderem ser criticados quanto à sua capacidade e formação, possuem motivos adicional para passar pelo Revalida (eles poderiam ter um gostinho especial, inclusive), e não fugir dele.

Mas no fim, o melhor argumento dele para que os cubanos não passem pelo Revalida é que… bem, ele não apresenta um argumento para isso. Apenas diz que “é preconceito” e ponto final. Ele até que poderia tentar uma rotina que surge no meio da matéria onde um sujeito diz um argumento que pode ser traduzido mais ou menos assim: “Se exigem o Revalida dos cubanos, isso apenas ocorre por que eles são cubanos, e então vocês não exigiriam o mesmo de médicos dos outros países. Logo, médicos cubanos não precisam passar pelo Revalida”.

É com este nível de argumentação, ilógica, imoral e irracional, que o petralha entra em campo para debater a questão. A pergunta que não quer calar: isso é de fato um debate? É claro que não passa de propaganda  incrivelmente desonesta, para evitar que o debate de fato ocorra.

E o CQC nunca me enganou, a bem da verdade.

Ver o vídeo abaixo:


@

Anúncios

51 COMMENTS

  1. Serviço de primeira pro Partidão. Ademais, não sei porque esse programa continua no ar, o público já cansou completamente. Mas acho que só falta algo similar ao fechamento da RCTV pra que todos acordem e percebem pra onde vai o Brasil.

  2. O programa era bom no início quando expunha os políticos ao ridículo com boas sacadas.
    Agora deixou de fazer isso pra beber leitinho de esquerda.
    Os melhores funcionários do programa (Rafinha Bastos e Danilo Gentili) saíram, apesar de nenhum dos 2 ser um gênio político, desde a saída do Rafinha o programa decaiu incrivelmente.
    Enfim, fazem anos que não assisto CQC e não sinto falta de forma alguma.
    O SBT é uma das poucas emissoras que tem permitido pessoas não-doutrinadas pela esquerda desmascarar publicamente as ações de esquerda (Paulo Martins e a Rachel sei-lá-o-que).

  3. Luciano, você é um cara que sempre leio seus textos e curto suas divulgações no Facebook,ou seja gosto da sua percepção, a forma de pensar, a visão de mundo, mas, neste caso dos médicos estrangeiros a gente se diverge total!! Já reparou como a direita não tem nenhum outro argumento e se apega somente no fator “escravos”? Esse texto do começo ao fim só se bate na tecla “escravos”. Sei que não é fácil defender o indefensável, mas nesse caso o pessoal podia pensar em algo novo além do embuste “escravos”. Fica a Dica!!

    • José Lucas, mas são apenas duas objeções mesmo: (1) escravidão, (2) médicos não validados pelo Revalida. Agora existem mais duas: (3) campanha de difamação contra os médicos brasileiros, (4) envio de nosso dinheiro para Cuba.

      • “Já reparou como a direita não tem nenhum outro argumento e se apega somente no fator “escravos”?”

        Como se fosse pouca coisa… Além dos argumentos extras do Luciano, existe o argumento de que o dinheiro poderia ser usado para melhorar a infraestrutura e aí sim resolver o problema, de que esses “médicos” tem uma formação pífia e de que eles serviriam para fazer propaganda do socialismo no interior.

        São tantos escândalos nessa história que em um país sério serviria para um impeachment.

      • Quanto ao envio do dinheiro pra Cuba eu também acho um absurdo!!! Se eles trabalham o dinheiro é deles !! Considerando por esse lado, aí sim é trabalho escravo!!! se eu trabalho, o dinheiro é meu!! Parabéns mais uma vez pelo seu ótimo site!!

      • E mais, Luciano: Não podem mudar o fato de que os médicos são objetos do contrato (acordo/tratado) e não sujeitos autônomos dele. Além de toda a carga que limita direitos que deveriam vigorar plenamente em nosso regime constitucional (podem casar com brasileiros?).

      • (1) Justifique com dados relevantes do porquê do termo escravidão, por favor. É a base do seu texto e em nenhum momento vc justificou isso. (2) médicos com experiência em missões internacionais perdem a competência por causa de um Revalida? O Revalida é para o médico exercer plenamente a medicina no Brasil. Os médicos do Mais Médicos (que não são apenas cubanos) não vão estar exercendo plenamente a medicina no Brasil. Eles vão estar exercendo a medicina na unidade básica de saúde que ele está inserido. (3) os únicos que difamam os médicos brasileiros são os próprios, em uma campanha vergonhosa que prioriza (principalmente em Fortaleza) um pensamento elitista de classe prosáica em detrimento da saúde do povo do país onde exercem sua profissão (4) pela reação dos médicos neste país, enviaria o dobro do nosso dinheiro pra Cuba a continuar dependendo dessa classe profissional brasileira elitista e racista para ter saúde.

      • Enoc
        (1) Justifique com dados relevantes do porquê do termo escravidão, por favor. É a base do seu texto e em nenhum momento vc justificou isso.
        Mas é exatamente isso que fiz neste texto. http://lucianoayan.com/2013/08/24/a-escravidao-dos-medicos-cubanos-e-o-colapso-de-contradicoes-petralhas/
        Dica: quando for investigar um autor, não foque apenas em um texto…
        (2) médicos com experiência em missões internacionais perdem a competência por causa de um Revalida? O Revalida é para o médico exercer plenamente a medicina no Brasil. Os médicos do Mais Médicos (que não são apenas cubanos) não vão estar exercendo plenamente a medicina no Brasil. Eles vão estar exercendo a medicina na unidade básica de saúde que ele está inserido.
        É exatamente o oposto. Se os médicos são tão bons (com as tais “missões internacionais”), então mais um motivo para passarem pelo Revalida…
        E se eles vão exercer medicina na “unidade básica de saúde que ele está inserido”, então estão exercendo plenamente a medicina no Brasil.
        Tanto isso é verdade que os médicos não-cubanos TEM QUE PASSAR PELO REVALIDA…
        Ih… foi mal sua desculpinha.
        (3) os únicos que difamam os médicos brasileiros são os próprios, em uma campanha vergonhosa que prioriza (principalmente em Fortaleza) um pensamento elitista de classe prosáica em detrimento da saúde do povo do país onde exercem sua profissão
        Eu não sou médico…
        Você não acerta uma 😛
        (4) pela reação dos médicos neste país, enviaria o dobro do nosso dinheiro pra Cuba a continuar dependendo dessa classe profissional brasileira elitista e racista para ter saúde.
        Mesmo que os médicos brasileiros fossem “elitistas” e “racistas” (o que não passa de xingamento banal de histéricos pró-PT), nada justificaria enviar dinheiro PÚBLICO para uma ditadura.
        Você simplesmente expôs ao público o quão moralmente corruptos são os petralhas.
        Vocês não aprendem mesmo, né?

    • Indefensável, hahaha!
      A falha dos médicos brasileiros é ter levado um bando de branquelas pra vaiar um grupo de médicos cubanos negros, dando margem pra esquerda reduzir todo o discurso dos médicos em “racismo” e “xenofobia”, o que parece que funcionou com você.

    • José Lucas

      Faz o seguinte…vem trabalhar aqui pra mim, limpando minha casa, a do vizinho e do bairro todo (pois você deve ser muito competente nisso) E EU PAGO O LUCIANO, ao zé da esquina ou qualquer outra pessoa…e se ela decidir te repassar algo é problema de vocês.
      Você aceita? — A vassoura está te esperando aqui.

      Antes que eu me esqueça…Você chama o argumento de escravos de EMBUSTE????? desculpa minha indignação e faça me o favor. … de tomar no meio do seu cú.

    • Concordo plenamente, José Lucas…
      Eu sou a favor do REVALIDA, claro. Deveria ser a causa de toda a confusão.
      O discurso contra a escravidão perde sua força quando a parceria entre o Brasil e a China se estreita mais a cada ano. Todos sabemos como funciona o trabalho na República Comunista Chinesa, mas nem por isso nunca vi ninguém lutar pelos direitos dos trabalhadores chineses. Então pra mim isso é um discurso ideológico, uma oposição burra e tardia.
      Os partidos de oposição estão mais perdidos do que cego em tiroteio e focam na escravidão, quando deveriam exigir o REVALIDA…

      • Junior Moreira,

        A rotina que você tenta é “comprar produtos da China é igual importar escravos de Cuba” é fraudulenta até dizer chega. Na verdade, na China é verdade que se usa trabalho escravo, mas NEM TODO trabalho na China é escravo. Já todos os médicos que vem via contratação direta com Cuba são escravos. E não estamos apenas importando produtos deles, mas sim trazendo ESCRAVOS.

        Sua falsa analogia não cola.

        O fato é que deve-se exigir o Revalida e também exigir que todos os cubanos que venham tenham asilo no Brasil automático, caso queiram, para se livrar da escravidão.

        E que nem um centavo de nossos impostos seja enviado à Cuba…

        Abs,

        LH

      • “O discurso contra a escravidão perde sua força quando a parceria entre o Brasil e a China se estreita mais a cada ano.”

        Perde a força para as pessoas sem moral nenhuma, que já se acostumaram a levar no furico pela ideologia de esquerda. Denúncia é o que não falta.

        “Todos sabemos como funciona o trabalho na República Comunista Chinesa, mas nem por isso nunca vi ninguém lutar pelos direitos dos trabalhadores chineses. ”

        Esse blog é a prove irrefutável que estão fazendo algo…..esse outro aqui também:
        http://pesadelochines.blogspot.com.br/

        A únicas pessoas que não fazem nada, são idiotas fracos como você, que além de não fazer, querem contra argumentar (sem sucesso) contra quem faz. Vocês não tem um pigo de vergonha nessas suas caras.

        “Então pra mim isso é um discurso ideológico, uma oposição burra e tardia.”
        Burra é a sua mãe que criou a placenta em vez da criança. (viu o que eu disse pra você agora? — chama-se “baixaria total” – uma técnica de esquerda para desmoralizar o adversário. Só que eu nem precisei muito não é mesmo??? Você já entrou aqui apoiando outro idiota sem moral como você, então o que sobra é ridicularização e esculhambação pro seu lado.

        Quando você diz…”os partidos de oposição” ocorrem duas coisas….

        1º você se posiciona como o esquerdista que é.
        2º Você pretende empurrar a empulhação falaciosa (saudosa redundância) que os partidos de esquerda moderada (que você chama de oposição) são de direita.

        Tendo em vista isso, eu te pergunto, você sempre foi burro assim mesmo?

        Já que você se posiciona a favor da escravidão, que tal limpar minhas botas????
        COM A LÍNGUA!.

      • Exato, Luciano. O problema não é os médicos serem de fora. Qualquer protecionismo é prejudicial à economia. O problema é o tratamento privilegiado que estes cubanos recebem do governo brasileiro ( recebem regalias que os outros médicos não ) e o fato de serem escravos, literalmente, do governo cubano. Se a medida do governo fosse apenas diminuir as dificuldades para que estrangeiros viessem trabalhar aqui, a iniciativa seria digna de elogios. Veja bem, falei em diminuir as dificuldades, não em fazer uma parcela da população pagar por um serviço que alguns burocratas acham que outras pessoas necessitam ( subsídios, incentivos ).

  4. Luciano parabéns pela sensatez, de fato o CQC não tem o mínimo de decência para pautar uma matéria de importância suprema no Brasil, A SAÚDE DOS MENOS FAVORECIDOS. É incrível como esse programa (+ Médicos) foi empurrado goela abaixo de todos nós, segundo alguns juristas ele é totalmente inconstitucional, pois contraria alguns tratados estabelecidos entre os países que firmarão. Outra, deveria passar pelo congresso certo. Esses desgoverno está dilapidando nosso país.

  5. Pior que eu conhecia o Ronald Rios pessoalmente, o cara não gostava de esquerdinha não, ficava zoando aqueles playboy de faculdade comunistas, dizia que o capitalismo é que era a realidade, etc. Até achava ele maneiro. Entrou pro CQC e o cara se transformou em um esquerdista tosco. É nojento ler o twitter dele na época das manifestações. Apologia a maconha então nem se fala.
    Voltando ao CQC, como é triste ver, a polícia de pensamento do partido em ação. Agora, apenas por criticarmos os médicos cubanos, somos Racistas. (Cubano virou raça?) E outra, com os Milhões do Padilha, dava pra consertar um monte de leito aonde tá morrendo gente, mas, o que podemos fazer? O objetivo principal é ele ganhar a eleição de governador de SP ano que vem… então que morra gente, afinal, essa é a mente doentia de um governista. Aposto tudo que, na época dele não vai ter faixinha escrito “Fora Padilha”, só pode “Fora Alckmin”, mas eu me pergunto, isso é constitucional? Pode despejar um governador apenas com uma faixa pintada? Bando de retardados…

  6. Não gosto e nem assisto o CQC.

    Mas em relação a situação retratada pelo texto, um dos motivos citados pelo texto para ser contra a vinda de médicos cubanos é por causa da escravidão. Só que muitos demonstraram ser contra antes mesmo de saber como seria a forma de pagamento!

    E por favor qual a definição de trabalho escravo? Pois o verdadeiro trabalho escravo não tem relação com o que está ocorrendo com os médicos cubanos

      • Já sabiam? Engraçado que não lembro de em nenhum momento isso ter trazido a tona, os argumentos eram outros mas não sobre eles serem escravos. Isso começou após o CFM ver que não teria jeito, os cubanos viriam de qualquer forma, eles lançaram essa tática de escravidão para ficarem um pouco mais humanos na argumentação e o MPT decidiu investigar.

        Perguntei a definição de trabalho escravo que você estava utilizando, me enviou o link fui dar uma lida, lá você diz que é por receber menos que os outros médicos do programa e isso é degradante.
        Então receber menos que outro que exerça a mesma função é trabalho escravo? É ilegal no regime CLT mas longe de ser escravo.
        As outras definições do Art. 149 do código penal também não incluiriam os médicos cubanos em regime de escravidão já que não há jornada exaustiva, trabalho forçado e nem servidão por dívida.

        Importante lembrar que: 1º) eles NÃO estão vindo em regime de CLT, o contrato tem mais relação com uma bolsa acadêmica 2º) Eles são servidores de Cuba, não são desempregados por isso o repasse para Cuba 3º) Por mais que não concorde com o regime de Cuba temos que ver a situação sobre o contexto de como quem vive nele e não no regime capitalista que vivemos, e lá a distribuição de renda é diferente do que ocorre aqui.

        Penso que realmente o deva investigar para não ocorrer nenhuma irregularidade em relação ao desrespeito aos Direitos Humanos mas usar como argumento de trabalho escravo já é demais.

      • Quem foi que falou que o único argumento a favor do fato de que eles são escravos é “receber menos”? Que falácia do espantalho infeliz a tua…

        Eles são escravos pois:

        1 – Trabalham em situação humilhante a outros de condição semelhante (exemplo: um portuguÊs é contratado diretamente, mas o cubano vem a mando de um “dono”)
        2 – Não há liberdade de quebra de contrato, isto é, o médico cubano não pode simplesmente dizer “Ei, turma do Fidel, vou encerrar meu contrato em data X”
        3 – O vínculo deles com Cuba é permanente, o que é um absurdo para qualquer relação de trabalho
        4 – Eles não tem liberdades iguais a dos demais profissionais dos outros países

        Importante lembrar que: 1º) eles NÃO estão vindo em regime de CLT, o contrato tem mais relação com uma bolsa acadêmica

        Não, pois uma bolsa acadêmica é uma opção da pessoa, e não um acordo com outra entidade…

        2º) Eles são servidores de Cuba, não são desempregados por isso o repasse para Cuba

        Se não fosse trabalho escravo, eles poderiam optar por não serem mais servidores em Cuba, e virem diretamente…

        3º) Por mais que não concorde com o regime de Cuba temos que ver a situação sobre o contexto de como quem vive nele e não no regime capitalista que vivemos, e lá a distribuição de renda é diferente do que ocorre aqui.

        Quer dizer que no capitalismo há liberdade de escolha, e no socialismo não? Mas é exatamente esse tipo de argumento que mostra que são escravos…

        Penso que realmente o deva investigar para não ocorrer nenhuma irregularidade em relação ao desrespeito aos Direitos Humanos mas usar como argumento de trabalho escravo já é demais.

        Pelo que se nota, a sua única argumentação contra o fato de ser trabalho escravo é ouvir VÁRIOS ARGUMENTOS DO OUTRO LADO, que em conjunto demonstram trabalho escravo, FINGIR QUE VIU APENAS UM, e depois dizer que “não é trabalho escravo se for só por este motivo”.

        Mas para cima de mim vc quer tentar um truque assim? rs.

        Abs,

        LH

  7. Parabéns Luciano, eu ficaria por anos em filas de hospitais, desde que mudassem tudo desde o começo, o sistema e podre, desde a educação básica que não proporciona oportunidade a todos chegarem ao ensino superior com as mesmas condições. As leis são falhas em todos os âmbitos. Daqui uns dias eles os políticos já estarão todos aposentados, afinal são somente oito anos, e privatizarão o Brasil.

  8. lucianohenrique
    4 de setembro de 2013 – 9:30 am
    “José Lucas, mas são apenas duas objeções mesmo: (1) escravidão,

    (2) médicos não validados pelo Revalida. Agora existem mais duas:

    (3) campanha de difamação contra os médicos brasileiros, (4)

    envio de nosso dinheiro para Cuba.”

    acrescento: (5) sucateamento da saúde pública (6) calote dos

    prefeitos

    luciano, já ouvi um argumento sobre o descumprimento do Revalida,

    e gostaria que vc o comentasse:

    ‘não fizeram o Revalida para que não tivessem a prerrogativa de

    abrir consultórios particulares’.

    o que dizer dessa mendacidade?!!

    • Bem lembrado, Amorim

      Quem usa a rotina “não fizeram o Revalida para que não tivessem a prerrogativa de abrir consultórios particulares” está dizendo que só quem vai em consultórios particulares merece ter médicos validados? hehehehe…

      Essa rotina pode se voltar fortemente contra eles. 😉

      Abs,

      LH

  9. eu diria:

    1) o PT passou arbitrariamente por cima das recomendações e dos procedimentos legais do CFM – como o partido de ideologia totalitária que é..

    2) nota-se que o ‘Mais Médicos’ é um sistema fajuto e obscuro, que nem organizar os participantes em torno do propósito de servir no SUS é capaz!!

    3) a falácia dos ‘médicos da boa vontade’:

    quer dizer que contrataram médicos sob o regime de semi-escravidão – médicos estes que se submetem a este regime por puro sentimento humanitário de ‘trabalhar por amor’, mas desconfiam de que eles possam debandar do programa para trabalhar por conta própria em busca de lucro?!!

    estes petralhas e esquerdalóides precisam chupar aqui pra ver se sai leite!!!

  10. CQC dá nojo. Nunca gostei

    Comecei a prestar atenção nas artimanhas deles desde aquele episódio que eles armaram pra tentar queimar o Bolsonaro

    Os caras estão sempre com armações pra cima das pessoas que eles não gostam

    Não sei como a Band continua com esse lixo. Esse Marcelo Tas é um picareta da pior espécie, o cara é desonesto mesmo

  11. Nem dá pra dizer que eles são originais. Esse negócio de pegar nos pés dos políticos o Pânico já fazia, antes do Pânico os caras do Casseta etc

    Enfim, não existe motivo pra existir essa porcaria desse programa

  12. Esses médicos são militantes robóticos de Fidel, Alguns podem até serem médicos, mas a qualidade do serviço prestado será mediocre, já que a medicina de Cuba anda ruim das pernas, porém, medicos brazileiros tb são umas M..r..das. Acho que medicos de fora são bem vindos, mas não de Cuba

  13. Parabens pelo texto!! vi a reportagem segunda… e me indignei pel maneira como foi feita!!! único que tentava defender a clsse méidca brasileira… era cruelmente cortado sem poder contra-argumentar…..
    É muito fácil desta forma dizer estão vendo eu sou o certo…. CQC me enojou……. Duas-caras….vendidos….

    • A questão não é de problema meu, e sim de FALÁCIAS E FRAUDES COMETIDAS NO PROGRAMA e refutadas.

      Não adianta você fazer retribuição (refutação de uma refutação) dizendo “se vc não gostou, eu gostei”.

      Vamos melhorar o nível do debate…

  14. Revalidação de diploma

    A regularização de diploma de graduação de cursos feitos por brasileiros no exterior é regulamentada pelo Ministério da Educação. Para revalidar o diploma, primeiro, é necessário autenticar os documentos relativos ao curso na embaixada ou consulado brasileiro do país em que o aluno tiver cursado.

    Os interessados devem apresentar cópia do diploma a ser revalidado, documentos referentes à instituição estrangeira, histórico escolar e conteúdo programático das disciplinas.

    A regularização é analisada e concedida por universidades públicas brasileiras que tenham cursos de graduação na mesma área de conhecimento ou em área semelhante. Elas instituições definem o calendário para o processo, com prazos para inscrição dos candidatos, recepção de documentos, análise de equivalência e registro do diploma revalidado.

    O aluno poderá pagar taxa referente às despesas administrativas, que será definida pelas próprias universidades.

    A equivalência dos cursos será analisada por uma comissão especial, composta por professores que tenham qualificação compatível com a área do conhecimento e com o nível do título a ser revalidado. Se houver dúvida, a comissão poderá determinar que o aluno preste provas. Se na comparação de títulos e exames não forem preenchidas as condições mínimas, o estudante poderá realizar estudos complementares.

    As universidades têm até seis meses para decidir sobre a revalidação, a contar da data de entrada dos documentos. Caso não seja autorizada a regularização, o interessado poderá entrar com recurso na própria universidade, em prazo e condições estabelecidas pela própria instituição.

    A próxima e última instância para questionamentos é a Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), subordinado ao Ministério da Educação.

    Fontes:
    Ministério da Educação
    Ministério de Relações Exteriores

  15. Existe um fato que ninguém cita: há 9 anos está tramitando um plano de carreira para os medicos do SUS. Teria sido tão mais fácil pedir urgência nessa votação do que criar essa polêmica toda. Mas, sem polemica, como fariam para colocar o Ministor Padilha (futuro candidato ao governo de SP) todo o santo dia na TV? Se aprovado o plano de carreira, o médico iniciaria sua vida profissional no interior que fosse designado, assim como acontece com os juízes. E vale dizer que o salário reivindicado é menor que os 10.000 da bolsa que estão oferecendo. Parabéns pelos textos excelentes.

Deixe uma resposta