Caetano Veloso é contra a “violência simbólica” (restringir uso de máscaras em manifestações) para facilitar a vida de manifestantes de esquerda que tencionam praticar violência física

16
77

caetano-black-bloc

Fonte: G1

Caetano Veloso visitou a sede do coletivo de jornalismo Mídia Ninja no Rio na noite desta quinta-feira (5). Durante o encontro, ele cobriu o rosto com uma camiseta preta, a exemplo de integrantes do Black Bloc. A informação foi publicada no perfil do Facebook do próprio Mídia Ninja, cuja sigla significa Narrativas Independentes, Jornalismo e Ação.

“Caetano Veloso está agora na sede do NINJA no RJ conversando com nossa equipe sobre manifestações, redes e ruas! Uma honra recebê-lo!”, diz o primeiro post. O Mídia Ninja ficou conhecido nacionalmente por fotografar, filmar e transmitir pela internet, em tempo real, as manifestações ocorridas nas ruas do país nos últimos meses.

É na mensagem seguinte que Caetano aparece “encapuzado”. Na legenda, está uma declaração atribuída ao músico: “É uma violência simbólica proibir o uso de mascaras. Dia 07 de setembro todos deveriam ir as ruas mascarados!”.

No texto mais recente de seu blog oficial – em que reproduz sua coluna deste domingo (dia 1º) no jornal “O Globo” –, o cantor já havia abordado o tema. “É um momento muito embolado no cenário brasileiro. O 7 de Setembro vem com uma ameaça de risco de criação de instabilidade séria”, escreveu. “Imagino como será em Brasília. Não que a decisão de não cassar o mandato de Donadon ajude. Mesmo assim, devemos manter a ideia de sair às ruas pela paz..”

Meus comentários

A cabeça de Caetano Veloso é um verdadeiro território improdutivo. Tirando um arrependimento aqui e outro acolá (são os raros momentos de sanidade discursiva de Caetano), na maioria das vezes vemos argumentações desconexas e até ingênuas.

Segundo Caetano, proibir o uso de máscaras é “uma violência simbólica”. Não, infeliz, a violência não-simbólica ocorre com muito mais frequência quando permitimos que pessoas usem máscaras dignas de assaltantes e terroristas.

Quando alguém usa máscaras para esconder seu rosto em ambientes de confronto com a lei, é claro que estamos diante de pessoas com segundas intenções. E é exatamente por isso que assaltantes muitas vezes aparecem mascarados.  São pessoas que não querem ser reconhecidas pelos crimes que cometem.

Por qual outro motivo a polícia de SP proibiu que torcedores do time do São Paulo usassem máscaras de Jason? Motivo simples: por que não queriam que marginais usassem o direito de não serem identificados para cometer crimes com mais facilidade.

O tenente-coronel Almir Ribeiro havia dito o seguinte:

 Sabemos que é uma alusão time, ao momento do time. Mas o torcedor pode entrar com o intuito de fazer só uma simbologia, mas na hora da saída ele pode arrumar um problema e ai não conseguiremos identificá-lo por estar com a máscara.

E, mesmo com um histórico de vandalismo, as torcidas de futebol sempre foram muito mais pacíficas que os manifestantes do Black Bloc.

Se nem torcida de futebol pode ir ao estádio com máscaras que facilitem seus crimes, é claro que devíamos ter ainda mais cuidado diante de militantes de extrema-esquerda com um histórico de quebra-quebra em suas costas.

Anúncios

16 COMMENTS

  1. Luciano, cá novamente repasso o noticiário de hoje: a cobertura do G1 falando de tudo o que ocorreu no Brasil hoje e notas do Reinaldo, como esta falando do conflito no Rio e esta outra falando do quanto que os black blocs espantaram o manifestante comum das ruas. Em São Paulo, pelo que vi, a manutenção convocada pelo Movimento Contra a Corrupção acabou tendo a água jogada no chope pelos black blocs e segue o rebu na Paulista. Logo, o Badernaço, como vimos, acabou se cumprindo.

  2. “Grupo dos Excluídos expulsa manifestante que distribuía placas contra a corrupção em Porto Alegre: afirmando que se tratava de uma pauta da oposição, inserida por ‘infiltrados’ e ‘coxinhas’, representantes de sindicatos como a CUT rechaçaram o estudante”:
    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2013/09/grupo-dos-excluidos-expulsa-manifestante-que-distribuia-placas-contra-a-corrupcao-em-porto-alegre-4261718.html
    Quanta tolerância, hein?

    • É sempre um grupo querendo o poder legítimo de se manifestar, porque acha que sua pauta é a correta e a do outro é errada. É uma bagunça sem fim.

  3. É triste observar o rumo que as manifestações estão tomando. Particularmente, sou à favor dos protestos desde que tenham uma causa justa e um elevado grau de organização para promover mudanças sociais. Mas isso é exatamente o que não se vê nessas manifestações. O que vemos são apenas partidos nanicos incitando a baderna e espantando os verdadeiros manifestantes.

    Será que incendiar ônibus e invadir hospitais é o nosso mais elevado grau de organização política? Creio que não. Isso é coisa de badernista. E eu não quero que os brasileiros sejam considerados badernistas. É preciso acalmar os ânimos e rever os papéis em toda essa história. Os “revolucionários” podem até gritar palavras contra o “sistema corrupto” ou dizer que a rede Globo é um lixo – como de fato é -, mas penso que tão corrupto quanto o político desonesto é o camarada que fura a fila no banco ou estaciona no lugar errado, e tão idiota quanto a programação da televisão aberta são os otários que garantem os pontos de audiência para os programas de má qualidade. São dois pesos e duas medidas. Mas é muito mais fácil apontar os erros alheios do que os próprios.

    Só voltarei a participar das manifestações quando extirparem todos os partidos – sejam eles de direita ou esquerda – e eliminarem de suas fileiras qualquer vândalo idiota que queira quebrar algo que foi conquistado com muito suor por outra pessoa. Salvo exceções, esses protestos continuarão sendo, ao meu ver, apenas mais um dos muitos movimentos contaminados por militantes partidários.

    Um abraço!

  4. Caetano… Cê é burro, cara, que loucura. Como você é burro! Que coisa absurda. Isso aí que você disse é tudo burrice. Burrice. Eu não… não… não consigo gravar muito bem o que você falou porque você fala de uma maneira burra.

  5. Coluna do Caetano Veloso no Globo, do dia 08 de setembro: http://oglobo.globo.com/cultura/um-dia-aventuroso-9874195

    “os ninjas me pediram para gravar uma fala sobre a proibição do uso de máscaras. Eu sou apenas um velho baiano mas moro aqui há muitos anos e acho que proibir máscaras numa cidade como o Rio é violência simbólica. E sugeri que no dia 7 todos saíssem com máscaras, respondendo com beleza e sem violência. Daí eles me pediram para posar com uma camiseta preta atada ao rosto para eles mostrarem a Emma, que, segundo eles, gostou do meu texto sobre ela. Agora vejo aqui que eles puseram a foto na rede e logo alguém tuitou que sou oportunista e incito a violência. Não. Entendo que Black Bloc faz parte. Mas nem anticapitalista convicto eu sou. E quero paz.”

  6. anonimato é liberdade individual, somos inocentes até prova contrária e não precisamos nos identificar em nenhum momento (a não ser que exista um mandato ou estejamos em flagrante delito)

    Não gostou? Vai para Cuba ser totó do leviatã!

Deixe uma resposta