Eis a democracia cubana: Assessor do Ministério da Saúde interrompe entrevista de médica cubana na qual esta explica sua condição de escrava

12
91

f_202934

Fonte: Band

Uma confusão entre um assessor do Ministério da Saúde e uma jornalista marcou a chegada de médicos cubanos no Tocantins, neste sábado. Na tarde de hoje, 18 profissionais desembarcaram no aeroporto Lysias Rodrigues, em Palmas, capital do estado.

Após a aterrissagem da aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira), por volta das 14h, uma coletiva de imprensa foi montada para os jornalistas conversarem com uma médica cubana. Durante a entrevista, Jaziel Pereira Perez, de 32 anos, afirmou que o salário vindo do programa “Mais Médicos” irá direto para Cuba, e que veio para o país apenas para ajudar o povo brasileiro.

Quando uma jornalista perguntou à cubana sobre o conhecimento dela a respeito da realidade do Tocantins, o assessor de imprensa do ministério José Carlos, conhecido como Zeca, interrompeu a entrevista abruptamente. A jornalista Celia Bretas, correspondente do jornal “O Estado de São Paulo”, queria mais tempo e reclamou da interrupção, começando, então, uma discussão com o funcionário do governo federal.

Depois da confusão no aeroporto, os médicos foram direto para o palácio do governo do Tocantins.

Atraso

O grupo tinha previsão de chegada para as 11h, mas, devido a uma desorganização do ministério, o voo que chegou, na verdade, era uma escala técnica de outro voo da FAB,  que também levava 53 médicos cubanos, mas para Belém, no Pará.  Os profissionais do Tocantins chegaram com três horas de atraso.

Os 18 médicos irão atender cidades distantes, do interior, que sofrem com a falta de médicos e, principalmente, de infraestrutura hospitalar no estado.

Veja o vídeo abaixo:

Meus comentários

Quem atua em aliança com a ditadura cubana, naturalmente aprende a cercear a liberdade de expressão com a turma de Fidel. A postura do tal “Zeca” lembra muito a da polícia castrista.

Ora, se a médica Jaziel Pereira Perez estava falando algo especificamente de seu relacionamento com o governo cubano (que a trata como escrava), por que Zeca teve que intervir? Alguns poderiam dizer que o vôo estava atrasado, mas ainda assim haviam várias outras pessoas andando morosamente em direção ao avião. Nada justifica a interrupção da entrevista de forma abrupta.

É abominável ver que em pleno 2013 seres humanos são tratados como mercadoria, sendo vigiados por cães de guarda monitorando toda e qualquer declaração que façam. O mais grotesco é ver tudo isso ocorrendo em solo brasileiro. Se ocorresse na ilha de Cuba, ninguém ficaria surpreso…

Pior ainda é ver que se é isso que fazem em público, com as câmeras ligadas, imaginem o que ocorre nos alojamentos desses coitados obrigados a dar declarações como “estamos aqui por amor a saúde”, enquanto seus familiares estão em Cuba. Obviamente, o discurso “positivo” deles é embebido em medo.

Mesmo dominados pelo medo, Jaziel falou algo que não deveria. É importante monitorar o que vai acontecer com ela quando voltar para a ilha de Cuba. O governo castrista não vai tolerar esta indisciplina.

Enfim, quem ainda tinha dúvidas da monstruosidade moral relacionada à importação de médicos cubanos via escravidão, só pode optar por crer na “bondade do governo petista” por ingenuidade.

Anúncios

12 COMMENTS

  1. Por um lado, são escravos, pois segundo essa mulher ela está trabalhando sem receber nada.
    Por outro lado, algumas entrevistas dizem que cubanos quase se matam pra ir nessas missões de Cuba, uma vez que a prisão que eles vivem nos países de fora é um paraíso perto do que vivem em Cuba.

  2. Luciano, Venho humildemente reconhecer o meu erro, e externar que errei ao apoiar a vinda dos escravos cubanos para nosso país, o país precisa sim de médicos, mas não da forma como tá sendo feita, não trazendo pessoas que trabalham e o suor do seu rosto vai pra outrem, para um governo, sei que os médicos brasileiros são um monte de playboys, egoístas, preguiçosos, arrogantes e soberbos, não respeitam ninguém (demais profissões da saúde) e nem trabalham em equipe a não ser entre eles mesmos, Mas nada disso justifica, eu compactuar que outro ser humano seja explorado, expropriado!! no começo divergi de você, mas não ficaria em paz com minha consciência sabendo que pra “quebrar” os “deuses” do estetoscópio é necessário que outro ser humano seja escravo em pleno seculo 21!! Se eles fossem livres, o programa teria meu apoio total, é revoltante o médico cubano ficar com 700 reais e os demais 11 mil e 300 ir pra cuba!!

      • Agora, alguém precisa criar uma página no Facebook intitulada “O Meu Professor de Biologia Mentiu Pra Mim”, a fim de tentar curar você dessa doença intelectual chamada “darwinismo” 😀

        P.S.: Sim, eu fui embora, mas decidi voltar. Acho que você não é o único que tem o direito de “prometer e não cumprir” 😛

  3. Moça linda, bem arrumada, maquiada, da cor do pecado, e ainda, médica! Cadê os esquerdistas falando que ela é da classe média reacionária opressora burguesa, só por causa de sua aparência? Hipócritas!

  4. No livro de Humberto Fontova “Fidel O Tirano Mais Amado do Mundo” é mencionado que algumas pessoas em Cuba se infectavam propositalmente com o virus da AIDS, pois assim elas seriam isoladas pelo governo abandonadas a própria sorte sozinhas, e ficarem sozinhas sem os comunas enchendo o saco era tanta liberdade que valia apena uma morte lenta e dolorosa, porém em paz.

    Eu gostaria de estar mentindo, mas acredito que seja verdade mesmo, eu também prefiro dar um tiro na minha própria cabeça a virar escravo.

Deixe uma resposta