O discurso psicopático de Alexandre Padilha (enquanto defende a escravidão de médicos cubanos) como exemplo do jogo político petista

8
54

alexandre-padilha

Fonte: Brasil247

O ministro Alexandre Padilha afirmou, nesta terça-feira, 17, o programa Mais Médicos, que contratou médicos estrangeiros para atuar no país, enfrenta “um verdadeiro corredor polonês da xenofobia”. Ele avisou que não admitirá tentativas de entidades médicas brasileiras de atrapalhar a chegada desses profissionais aos municípios.

Padilha e o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, se reuniram na manhã desta terça com líderes da base governista na Câmara para discutir o relatório final da Medida Provisória que trata do programa, que será apresentado nesta quarta, 18, na Comissão Especial Mista. Os ministros saíram da reunião com a base aliada ressaltando o apoio da maioria da população revelado pelas pesquisas.

O ministro da Saúde reclamou das tentativas de boicote na fase de inscrição dos médicos brasileiros, das ações judiciais, da desistência dos profissionais brasileiros ao assumir as vagas e das ameaças contra tutores e supervisores do programa, mas enfatizou que está disposto a confrontar todas as contestações contra o programa que não tenham base técnica e jurídica. “Acho uma tremenda insensibilidade com o sofrimento do povo brasileiro que está precisando de médico”, comentou Padilha.

O ministro da Saúde disse confiar na aprovação do relatório final da MP, que nesta quarta será submetido ao crivo do Ministério da Saúde antes de ir à votação. “Estou muito otimista. Acho que tem uma sensibilidade dos deputados e senadores de que o programa é o primeiro passo para mudar a realidade de saúde do País”, frisou.

Padilha negou que o programa tenha cunho eleitoreiro, como afirma a oposição. Para rechaçar a crítica, ele citou o Estado do Pará, que mesmo sendo governado pelo PSDB, recebeu o maior contingente de médicos cubanos. “É a demonstração de que este programa não tem nenhuma motivação eleitoral”, respondeu.

Meus comentários

Aquele que tentar debater dialeticamente com um petralha, no mínimo pode ser catalogado como ingênuo. Quem é leitor deste blog há algum tempo já não cai mais no jogo de gente como Padilha.

Vou mostrar aqui todos os discursos de Padilha nesta notícia: “(1) Os médicos cubanos enfrentam um verdadeiro corredor polonês da xenofobia […] (2) Acho uma tremenda insensibilidade com o sofrimento do povo brasileiro que está precisando de médico […] (3) Estou muito otimista. Acho que tem uma sensibilidade dos deputados e senadores de que o programa é o primeiro passo para mudar a realidade de saúde do País […] (4) É a demonstração de que este programa não tem nenhuma motivação eleitoral”.

Vamos ao significado dos frames embutidos no discurso dele?

Em (1) Padilha posiciona seus opositores como xenófobos. Ele sabe que está mentindo, pois ser contra a importação de médicos cubanos não é xenofobia, pois nada jamais foi feito anteriormente com médicos cubanos que vieram ao Brasil trabalhar pelo regime normal de trabalho.

Em (2) ele posiciona todos seus adversários como “insensíveis”, ou seja, implementando a técnica de propaganda de demonização. E, obviamente, ele joga o jogo Se não for do meu jeito é contra os pobres.

Em (3) ele posiciona seus aliados como sensíveis ao sofrimento do povo, sendo apenas uma confirmação do frame acima. Lembrando: ele e seus amigos “são sensíveis ao sofrimento do povo, e querem amenizar este sofrimento”, enquanto os seus opositores são “insensíveis à dor do povo, e querem vê-los sofrendo cada vez mais”.

Por fim, em (4) ele pratica a simulação de falso apartidarismo, querendo ser percebido pela patuléia como alguém realmente preocupado com o povo, sem interesses partidários.

Com esse tipo de discurso em ritmo bate-estaca, Padilha obtém sua paga inserindo na mentalidade da militância discursos mais virulentos como esse, de um leitor do Brasil247:

Dr. Padilha, mande prender estes presidentes de CRM e CRM. São todos bandidos, vagabundos, racistas, xenófobos. O único lugar que eles devem ficar é na prisão. Bandidos desalmados, sanguessugas da sociedade brasileira. Estes pretensos médicos, carniceiros e assassinos não podem mais sugar o sangue do povo pobre deste país. Roubam do governo, pois os que são funcionários do SUS nunca cumprem a jornada de trabalho e quando vão ao serviço atendem com má vontade e em um minuto. São todos uns desgraçados. Deviam apanhar na rua, serem apedrejados feito Judas. Não merecem o respeito do povo brasileiro.

Agora, uma pergunta: com uma postura discursiva como a de Padilha, feitas para gerar discurso de ódio, demonização e desumanização como este acima, ainda existe alguém acreditando que resta um debate com esquerdistas radicais no Brasil?

Enquanto alguém mais ingênuo debate com essas pessoas, recebe de volta discurso de ódio, todo calcado em propaganda desonesta. Se Padilha falar durante uma hora, espere no mínimo 100 propagandas difamatórias embutidas em seu discurso.

O discurso do PT não é apropriado para debates racionais, nem para a discussão de questões públicas, exatamente pelo fato deles usarem recursos para bloquear o debate. Este bloqueio de debate é exatamente o que Padilha faz em todo seu ato discursivo.

E eu fiz questão de colar todos os blocos de discurso dele na notícia do Brasil247 para evitar que petralhas tenham alguma moral para dizer que eu exagerei…

Enfim, qual a melhor forma de desmascarar o discurso petista? Basta citar tudo que eles dizem, e explicar para o público não só as fraudes intelectuais que eles cometem, como também a amoralidade destas fraudes, assim como a inconveniência da postura discursiva deles para uma democracia.

Em um mundo civilizado e democrático, uma sociedade civil requer que as pessoas estejam aptas a debater suas posições. Pessoas que bloqueiam o debate com truques sujos e campanhas difamatórias, sem jamais tocar nos assuntos em discussão, são inimigas da sociedade civil.

Anúncios

8 COMMENTS

  1. “Padilha negou que o programa tenha cunho eleitoreiro, como afirma a oposição. Para rechaçar a crítica, ele citou o Estado do Pará, que mesmo sendo governado pelo PSDB, recebeu o maior contingente de médicos cubanos. “É a demonstração de que este programa não tem nenhuma motivação eleitoral”, respondeu.”

    Ora, ora, então o plano é exatamente ganhar os votos do Pará nas próximas eleições!
    Óbvio!

  2. Luciano, não vais falar nada sobre o voto de Celso de Mello que reabriu o julgamento do Mensalão? Tudo bem que nós, enquanto brasileiros e esperando o pior do poder público sempre, presumíamos que haveria pizza, mas agora estamos em uma situação muito pior do que a média das pizzas que ocorreram anteriormente. Deixo abaixo o Bob Fernandes amaciando para o lado do STF:

  3. De que adianta criticar Padilha nessa altura dos acontecimentos? Porque ninguem fez criticas ao verdadeiro responsavel por tudo isso que esta acontecendo ja que tudo comecou em 2003 com a desativacao dos cursos de medicina para que essa corja de bandidos tivessem motivos para trazer os escravos cubanos? Nao vi ninguem se posicionar contra Lula quando assinou essa infamia. Entao agora nao sei porque reclamar pela vinda desses militantes (escravos) para o pais. Ja esta feita a m*&%@. Adianta reclamar agora? Nao sei!

  4. Luciano, você viu que agora uma socióloga americana vem dizer que os médicos brasileiros rechaçam os cubanos não porque estes estão vindo sem Revalida e em condições duvidosas, mas porque estariam com medo de concorrência? Tudo bem que este é um argumento bem clássico e normalmente usado por libertários-anarcocapitalistas dos mais delirantes para quererem justificar seus devaneios, mas aqui está sendo usado em um contexto totalmente marxista-humanista-neoateísta.
    Aliás, seria bom ver esse lance de uso de argumentos LAncaps para querer justificar marxismo-humanismo-neoateísmo. Tudo bem que ambas as ideologias dão de ombros aos fatos e querem obrigar nem que a marretadas a realidade a se encaixar em suas teorias, mas já que o MHN é mais disfarçável que o libertarismo-anarcocapitalismo, normalmente este pegaria mais empréstimos do fascismo (vide modelo de organização da economia típico de regimes gramscistas). Porém, surpreende-me ela querer usar o argumento da concorrência para querer impor médicos cubanos por aqui.

    E a pergunta segue: por que cubanos não poderiam fazer o mesmo Revalida que outros estrangeiros têm de fazer? E que garantias temos de que eles são mesmo médicos e não usam o estetoscópio para disfarçar eventuais funções de ingerência na soberania brasileira via formação de militantes ou guerrilheiros?

    • Isso não é um argumento libertário.
      Isso é um argumento esquerdista, com fraude, como sempre.

      Pois os médicos cubanos não estão vindo livremente, e nem estão sendo contratados por pessoas comuns, já que estão sendo contratados pelo governo, que é, na visão libertária, a gangue mais poderosa de um país.
      Ou seja, é apenas um bando de criminosos, alugando escravos para outro bando de criminosos.

      Na visão libertária todos os médicos do mundo podem vir pro Brasil à vontade para oferecerem seus serviços pelo preços que quiserem, não importa o quão baixo sejam esses preços. Desde que eles venham livremente e sejam contratados por pessoas livres, e não por criminosos que vão pagar eles com dinheiro roubado.
      Na visão libertária o governo NUNCA irá oferecer saúde de qualidade, nem qualquer outro serviço.

      Já os esquerdistas é que ficam falando que existe “concorrência”, entre médicos livres e médicos escravos. Como se os médicos livres quisessem concorrer para serem escravos também.
      Esquerdista fingem que não ouvem os argumentos sobre o regime escravo dos médicos Cubanos, e ficam acusando os médicos de serem contra os Cubanos, quando na verdade eles são contra o regime escravo e contra a não aplicação do revalida.

Deixe uma resposta