Executando uma dinâmica já manjada (e prevista), o Globo entra de sola na campanha de genocídio cultural contra os cristãos

43
146

human

Em 17 de setembro (logo a 0:01 da manhã), eu publiquei o texto Duas lésbicas se beijam em culto evangélico e são expulsas: Como prever (sem medo de errar) os próximos passos da esquerda na guerra política contra Marco Feliciano, onde previ os próximos passos na guerra política dos esquerdistas (especialmente os gayzistas) contra os cristãos.

No dia seguinte, 18 de setembro (novamente a 0:01 da manhã – não sei se vocês perceberam o padrão – risos), publiquei um texto mais detalhado sobre como todas as ações esquerdistas estão convergindo para aquilo que chamamos de genocídio cultural, com base na técnica de propaganda Desumanização. Eis o texto: Movimento gay oficializa genocídio cultural contra cristãos no Brasil através da promoção do beijo gay em cultos evangélicos.

Pois bem, em 17 de setembro (as 12:03), o Globo publicou a grotesca obra de propaganda intitulada Especialistas afirmam que não há crime em beijo gay em culto. O mais curioso é que no meu primeiro texto, 12 horas antes do texto do Globo ser publicado, eu previ exatamente o conteúdo que trariam, e até as fraudes intelectuais que eles iriam embutir lá.

Eu previ que os gayzistas fariam campanha de desumanização, assim como considerariam o crime contra os cristãos como “um ato legal e justo”. Em seguida, usariam a agressão para se fingirem de vítimas, e ainda iriam colocar a culpa nos cristãos, especialmente Marco Feliciano. Dito e feito.

Não disse que a jornalista Marcelle Ribeiro leu meu texto e agiu conforme eu disse que ela agiria. Acho que se ela lesse meu texto tentaria disfarçar um pouco mais na prática de seu jogo político sujíssimo. Mas, supondo que ela não leu, como minha previsão sobre o comportamento da esquerda militante se mostrou tão acertado? O fato é que existe uma dinâmica por trás de todo comportamento esquerdista, e o texto do Globo é apenas o exercício desta dinâmica.

O texto de Marcelle começa tentando comprovar a tese de que o beijo de duas lésbicas em um culto evangélico não é um crime. Para isso eles usam uma técnica que os esquerdistas americanos dominam: o uso de “pundits”. Esses são os especialistas em algum assunto, mesmo que na verdade estejam apenas exercendo sua posição partidária. A mídia de esquerda tende a esconder o partidarismo destas pessoas e aponta-las como especialistas.

Observem como começa o texto: “Professores de Direito ouvidos pelo jornal O Globo afirmam que as jovens que foram parar na delegacia após se beijarem em evento evangélico em que estava presente do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) não devem ser enquadradas no crime de perturbação a culto religioso”.

Mais a frente mostrarei evidências de que os tais “professores de Direito” nada mais são que (apenas dois) esquerdistas ultra-radicais que dão aula para a PUC, mas essa é a técnica do uso de “pundits”. Usar seus militantes que tenham alguma credencial para apresenta-los como “os especialistas” de um assunto. Obviamente só farão propaganda e implementarão fraudes, mas como a patuleia tende a acreditar nos “pundits”, neste jogo a esquerda sempre consegue pontuar…

Antes destas evidências, comecemos a estudar as fraudes de Fernando Castelo Branco.

Ele diz:

(O que elas fizeram) É diferente de eu começar a satirizar a imagem de Jesus Cristo, por exemplo. Isso é vilipêndio ao culto. O fato de ter acontecido em local público é fortalecimento de que não houve crime. Se elas tivessem entrado em um templo, subido em púlpito, aí é diferente. Se fosse um homem e uma mulher poderia ter acontecido o beijo? A classificação delas nesse crime é discriminatória.

Aqui ele usou o estratagema da distinção de emergência ao fingir que para existir vilipêndio ao culto precisaria haver ocorrido algo extremo como “satirizar a imagem de Jesus Cristo dentro de um culto”. O fato é que Fernando mente até dizer chega, pois vilipêndio ao culto implica em qualquer ato de achincalhe, menosprezo e ofensa aos praticantes do culto, no ambito do culto. Assim, se existisse uma religião gay que fizesse um culto, seria também um ato de escarnecimento um casal heterossexual ir lá e se beijar.

Quando ele diz que “se o beijo entre homem e mulher é permitido no culto, então obrigatoriamente o beijo entre duas mulheres ou dois homens também deve ser permitido, senão é discriminação”, Fernando está querendo convencer o público de que a definição das regras de um culto é dada pelo oponente do culto, não pelos seus participantes. Algo como chegar em uma mesquita onde se critica a crença em Jesus e pedir um direito de resposta cristão com direito de crítica a Maomé lá dentro. Obviamente é absurdo e inconcebível, pois a regra da religião islãmica é dos muçulmanos, não dos cristãos.

Dizer que “o beijo gay deve ser tão permitido quanto o beijo heterossexual (ao que parece nem este é) em cultos evangélicos” é tão ridículo e sem sentido quanto dizer que “dentro de uma mesquita, a crítica a Maomé deve ser tão permitida quanto a crítica a Jesus”.

Nota-se que Fernando não tem limites para a sua hipocrisia e falsificação da realidade.

Como qualquer investigador de fraudes aprende, deve-se investigar, e fiz questão de vasculhar a página do Facebook de Fernando, onde encontrei coisas interessantes, como o post abaixo:

evidencia1

Aha, PSTU? O cara vai além do PT. Para ele, o negócio é seguir o PSTU. O esquerdismo dele é dos mais extremos e psicóticos.

Abaixo, algo ainda mais interessante:

evidencia2

Como é que é? A justiça protege o dono de uma propriedade (contra seus invasores) e segundo Fernando isso é uma “decisão que acirra os conflitos sociais”? Agora eu entendi como ele teve a cara de pau de fraudar tanto a lógica para tentar convencer a plateia de que o beijo das duas lésbicas em um culto “não é crime”. A coisa é tão abjeta que o sujeito ainda tem a pachorra de dizer que vai usar a defesa do roubo de terras “em sala como exemplo”. O indivíduo nada mais nada menos confessou que doutrina seus alunos em marxismo…

Carlos Kauffmann é outro que também dá aula na PUC-SP (que parece ser um recanto dos esquerdistas mais fundamentalistas – e depois eles ainda reclamam que os alunos entram na justiça para barrar uma reitora), conhecido por ser conselheiro da OAB-SP e até participante de uma comissão da OAB a favor da PEC37. Será que o pessoal que achou esses “especialistas” para o Globo esperava que eu não fosse investigar o histórico dessa dupla?

Enfim, se Kauffman é um esquerdista radical, é óbvio que podemos esperar dele um caminhão de fraudes intelectuais, e ele não decepciona ao dizer que “Duas meninas se beijarem não é proibido, elas estavam dentro das normas. Não há proibição legal nisso.”

Mas ninguém reclamou de “duas mulheres se beijarem” (ele usou o frame “meninas” ao invés de “mulheres” provavelmente para impressionar o público), mas sim de “duas mulheres se beijarem em um culto evangélico, que é contra esse tipo de comportamento”. Ademais, ele cria uma regra de lógica tão ridícula que a coisa deve descambar para a piada.

Observe: “O beijo entre mulheres não é proibido em ambientes públicos e neutros. Logo, elas estão livres para se beijar em um culto evangélico”. Mas, segundo essa regra de Kauffmann, aquilo que não é proibido em ambientes neutros passa a ser livre de proibição em qualquer ambiente restrito. Algo como “fumar não é proibido, logo é proibido proibir alguém de fumar em um ambiente reservado a um grupo de não-fumantes”. É esse nível de professor, com esse tipo de paralaxe cognitiva, que está recebendo emprego na PUC e ainda é chamado de “especialista” por uma jornalista muito mal intencionada.

Como vergonha na cara não parece ser coisa que Kauffmann aprecie, e óbvio que ele precisa tirar da cartola mais uma fraude. Segue:

É discutível [a questão de considerar crime o beijo gay em um culto evangélico até mesmo se fosse um culto em ambiente privado evangélico] porque tudo indica que a intenção delas não era atingir a religião dele, mas o deputado federal. O artigo visa a proteção do sentimento religioso. A intenção não era atingir o culto religioso, mas a pessoa. Elas não estavam escarnecendo a crença, mas a conduta dele como deputado federal.

Na nova distinção de emergência de Kauffmann, basta alguém conseguir arrumar uma desculpa para dizer que, de forma subjetiva, a vítima não era um grupo, mas uma pessoa, que todos os atos ofensivos ao grupo estão liberados. É, eu falei que o nível dessa dupla era baixo.

Aliás, Feliciano deu mais detalhes de como o discurso de Kauffman é mais falso que menstruação de travesti:

É impossível protestar contra mim sem protestar contra a minha religião, porque eu defendo o que a minha religião defende. Ali não estava o deputado, estava o pastor pregando.

Correto. Se Feliciano acredita nas mesmas coisas que seus fiéis acreditam em relação ao beijo gay em um ambiente de culto, então é evidente que a ofensa foi em relação a todos os que compartilham a crença de Feliciano. Não há como alguém fugir desta constatação lógica. Enfim, mintam o quanto quiserem, mas trazer dois “pundits” de extrema-esquerda para maquiar a realidade tentando fingir que não existiu crime de ultraje a culto significa demonstrar uma falta de caráter inigualável.

Em um nível ainda mais baixo que os dois professores marxistas da PUC, Carlos Magno, presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), seguiu à risca o padrão que eu havia previsto. Os gayzistas passam então a acusar Feliciano por causa da prisão das garotas:

Isso é um absurdo. Manifestação de afeto não é crime no país. Isso só demonstra a forma fascista como esse deputado tem se posicionado frente à nossa comunidade. A Guarda agiu errado, pois não havia nada que pudesse ser motivo de detenção.

Em outro jogo sujo, mais um líder gayzista, Fernando Quaresma, presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo, resolve atacar Feliciano transformando-o em vilão da história:

Marco Feliciano já mostrou que é uma pessoa desinformada, de puro preconceito. Mas o que assustou mais foi o fato de a Guarda, que tem que ficar a serviço do povo, que é paga pelo povo, acatar e prender pelo simples afeto público. Os casais heterossexuais também vão ser presos porque se beijam? Se o beijo público for um crime, nós não vamos ter mais local suficiente para prender as pessoas.

Previsivelmente, todos os líderes gayzistas, junto com seus demais aliados da esquerda, fingirão que evangélicos estão “contra as demonstrações de afeto”, usando os mesmos truques dois “pundits” do início. Não falta nem sequer o truque de dizer “que a rua é pública”, quando na verdade ali ainda existia um culto evangélico, protegido pela lei. Não há como fugir da realidade a não ser com muita encenação.

Agora, para finalizar, não é que eu queira me “gambar” (sic), mas preciso de novo citar a mim mesmo, lembrando novamente que disse isso em um texto escrito 12 horas antes da matéria do Globo ser publicada: “se alguém invadir um culto e ofender as regras daqueles que estão em um ambiente particular e privado, a culpa será atribuída aos evangélicos, mas jamais aos ofensores”.

Agora veja o discurso do presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira:

Quem tem que ser preso é o Feliciano, porque ele tem sido uma espécie de mentor intelectual durante anos. Ele tem que ser responsabilizado por crimes que que estão sendo realizados contra a comunidade LGBT. Vivemos em um estado laico e as pessoas têm o direito de ir e vir.

Aqui tem de tudo. Demonização de Feliciano por que ele seria na ótica de Cerqueira culpado de crimes contra gays (mesmo que ele jamais apresente evidências para provar isso contra Feliciano), criminalização do ato do pastor ao emitir opiniões (note que Cerqueira pede a prisão de Feliciano por ser “mentor intelectual”), e por fim o truque de fingir que o desrespeito de qualquer lei que protege os direitos básicos dos religiosos “significa estado laico”.

De todos os esquerdistas executando a dinâmica de desumanização contra os cristãos, Cerqueira é o mais cara de pau de todos eles. Mas sejamos justos: todos eles são jogadores sem o menor escrúpulo.

Os cristãos infelizmente encontram-se em uma situação difícil. Precisam aprender urgentemente a arte da guerra política, enquanto do outro lado estão especialistas no jogo. E, para piorar, esses especialistas no jogo político são desonrados, amorais, incapazes de conviver em uma sociedade civil e estão com sede de sangue.

Anúncios

43 COMMENTS

  1. Ótimo texto. Uma investigação de primeira.
    Um amigo meio desinformado está furioso com Feliciano por causa disso, eu o provoquei quanto a esse tema, esta tua investigação vai ajudar demais na argumentação. Um dos amigos dele é esquerdista até a medula, jogar este texto na cara dele vai ser ótimo.

    • nao sei se vai adiantar jogar na cara dele, a nao ser que ele tenha um minimo de honestidade. mas se sua capacidade de pensar logicamente ja tiver sido destruida e/ou ele nao for honesto consigo mesmo, vai apenas xingar, NAO vai argumentar, e vai continuar enfiado na m**** ate a medula…

      • pô Luciano, quando o assunto é gayzismo boa parte dos liberais decepcionam, vi gente no blog do Constantino reclamando dele ter sido contra o ato dessas duas criminosas, muitos liberais caíram no truque da esquerda e acham que atacar a militância maluca é atacar os homossexuais, a expressão “mente aberta” é um truque ótimo para cegar as pessoas diante do óbvio.

    • Em primeiro lugar com o Marcos Feliciano metendo um belo de um processo contra esta jornalista, Marcelle Ribeiro, e o jornal o Globo por publicarem uma peça de propaganda que calúnia e difama como se esta peça de propaganda fosse uma matéria jornalística. Em segundo lugar os cristãos começarem a pressionar o Globo para que corte a cabeça (antes que algum esquerdista apareça, estou falando em um sentido metafórico) desta jornalista da redação. Em terceiro lugar os cristãos que se sentiram ofendidos com a matéria ingressarem na justiça pedindo danos morais para o jornal. (Este pessoal, malandramente, utilizam o Feliciano como se fosse o bode expiatório, mas ao mesmo tempo falam que o odeiam por ele ser uma representação daquilo que é o cristianismo).

      • Maxwell, sua última frase lembrou um ponto importante e que acho que os cristãos devem explorar: “utilizam o Feliciano como se fosse o bode expiatório, mas ao mesmo tempo falam que o odeiam por ele ser uma representação daquilo que é o cristianismo”. A razão dos ataques é puramente o ódio ao cristianismo e eles atribuem ao Feliciano uma representação deste cristianismo.

  2. Picaretas e ativistas que pensam que o “direito de ir e vir” dão margem para praticarem qualquer ato sem qualquer tipo de penalidade. Sinto uma bandeira tremulando com os seguintes dizeres: “Tudo posso e não há nada que subjugue minhas vontades”.

  3. Bom, sendo a PUC uma Universidade Católica, ela deveria demitir esse professor IMEDIATAMENTE, já que ele está excomungado AUTOMATICAMENTE por ajudar o comunismo!

    • Xará,
      Em relação à PUC e à estrutura humana da Igreja nos dias de hoje, não espere muita coisa. Denuncie (sempre mostrando que o estado atual das coisas é resultado de uma infiltração, uma quinta coluna, para que os católicos mais simples não pensem que a Igreja apostatou e percam a fé; e mesmo para que os descrentes não-revolucionários também não acreditem que a Igreja é a mentora da revolução – na verdade é a vítima), reze, mas não espere muita coisa boa desse povo nos dias atuais.

  4. Temos que orientar as atitudes em todos os lugares de prática religiosa cristã contra essa desumanização. Mas para isso temos que unir todos os católicos, evangélicos, protestantes e etc contra o gayzismo. Primeiro teríamos que fazer o processo de eliminação dessa desumanização logo após reversão de pensamento em mídia! Usar também a mídia contra eles mesmos! Por exemplo: incentivar encontros heterossexuais com decência, valorizar a heterossexualidade e a família organizada. Imaginamos da seguinte forma: em uma igreja, o líder espiritual arranja um baile de dança onde somente casais heteros participem, mas o gays irão dizer que é discriminação mas quando forem lá serão convidados a dançarem, e obviamente com um par de outro sexo e tudo isso sendo gravado para futuras refererências, para mostrar que a atitude deles é de péssimo exemplo e que são eles que ferem as pessoas de bem.Posso estar errado mas estou tentando mostrar uma atitude que possa trazer a solução do problema. Estou opinando para uma solução e não somente sobre o problema, pois já sabemos o problema de cor e salteado agora é de como agirmos de fato. Podemos colocar banners onde casais heterossexuais felizes por verem sua descendência e com isso começar a reverter o processo de desumanização. Se falarem alguma coisa podemos falar que quem ataca está sendo contra a sua própria existência e com isso contra a vida e transformar eles em assassinos da humanidade.

  5. Quem é que não sabe que a PUC é infestada de esquerdistas?

    Pô Luciano, você parece que está brincando quando escreve sobre a PUC: “parece ser um recanto dos esquerdistas mais fundamentalistas – e depois eles ainda reclamam que os alunos entram na justiça para barrar uma reitora”.

  6. Nas rodinhas de gente chique, culta, DIPLOMADA (meu Deus!) e mui elegante ouvi-se que o espaço onde foi feito o culto evangélico é público e as “meninas” teriam legitimidade pois só estariam exercendo sua cidadania e blábláblá… No que eu disse que, sim, o espaço é público MAS o seu USO no momento do culto era de cunho privado e NINGUÉM que não compactuasse com aquilo tinha a ver com isso.

    Olhos surpresos se arregalam na minha direção… Insinua-se aquele já manjado e blasé sorrisinho de canto de boca babado de ódio enrustido pela realidade seguido daquele olhar ofendido de defloração virginal . Nessa hora mudar de assunto é a única opção pra essa gente fina de mentalidade truculenta.

    E parabéns, Luciano por esse trabalho todo de desconstrução da vigarice intelectual esquerdista (pleonasmo no * dos outros é refresco). Grato sempre.

    Cristãos & simpatizantes! Mãos à obra!! Tá fácil demais!! Falta é deixar a VAIDADE e o ORGULHO de lado, juntar forças, ESTUDAR os autores que considero “asquerosos” e ter CORAGEM!

  7. Um pitaco meio off-toppic, meio peperone:

    Esse negócio de desmoralizar, desconsiderar, desprezar uma DETERMINADA religião alheia me parece que é um dos cacoetes mentais do grupo humorístico chamado ‘Porta dos Fundos’.

    Dia desses, vendo esse comercial vinculado por aí do guaraná antártica, percebi a ABSURDIDADE do esquete que serviu pra vender refrigerante. Absurdo pelo fato da família retratada ali NÃO EXISTIR como exemplo factual pra se definir um grupo social, no caso, de uma família católica dos dias de hoje.

    -E aí minha (meu) filha(o)… Onde vc conheceu esse rapaz (moça)?
    -Numa micareta na Bahia.

    Eu pergunto: alguém por aí conhece uma família católica que NÃO aceitasse de maneira alguma essa resposta; antes, só admitissem (e esperassem) que seus filhinhos tamanho família só pudessem conhecer suas namoradas e namorados dentro duma missa???

    Não faz sentido nenhum! Tz fizesse no século 19. Não sei aonde foi parar o senso de humor dos humoristas e dos publicitários; o das proporções eu sei, deve tá no interior da China.

    *Corrigindo: o anúncio é do guaraná Kuat. A marca não foi inserida com sucesso no meu HD. Bela propaganda.

    |¬)

  8. Meus parabéns pelo texto. E eu ainda fico impressionada com a boçalidade de muita gente que ainda acredita ver o Feliciano como o vilão de toda essa história.

  9. Luciano Ayan, como sempre, aterrorizando os criminosos e terroristas esquerdopatas, marxistas e comunalhas. Seu blog é obrigatório a toda pessoa que quer ser bem informada. Recomendo muito.

  10. Excelente texto! Conheci teu blog há pouco tempo e adorei! ótima investigação, perfeita para entendermos com o que estamos lidando hoje em dia.
    Ah, eu li um comentário, em uma outra página na internet que comentava esta notícia do Globo e uma das coisas que as pessoas mais citaram era: “Viu? e são da PUC, universidade tradicional católica”kkkkkkk é pra rir mesmo.
    A verdade é que essa galera têm se infiltrado, exatamente para causar esse tipo de reação. Meus pais são evangélicos, há um Seminário Teológico aqui no Rio de janeiro, que eles estavam comentando aqui em casa, está lotado de gays. Para quê??? Acho muito difícil serem cristãos de verdade, ou pessoas que estão querendo aprender um pouco mais sobre bíblia. Estão lá como afronta. É isso que eles estão fazendo em todos os ambientes cristãos.

      • Queria até divulgar no meu facebook, mas fico com medo de represálias, sinceramente. Olha em que mundo que estamos vivendo, já postei várias coisas no meu facebook sobre o assunto e muita gente veio discutir comigo, tu arranja inimigos fazendo isso. Claro, mantenho minha opinião e pedi que se não gostaram que me excluíssem..mas olha a que ponto chegamos…

  11. Essa galera gayzista não quer o debate. Ela quer apenas uma verdade conveniente às suas práticas. Não adianta ficar tentando convencer eles daquilo que jamais se convencerão. É preciso, sim, desmascarar suas manobras políticas.

    • Uma vez tive o desprazer de ir até este site pra ler uma matéria que um “amigo” do facebook tinha postado e nunca vi tanta asneira em um só lugar. Decadência total, totalmente parcial e gayzista este site. Lembro que na época vi matérias defendendo tudo que era porcaria.

      Deu nojo. Nem vou ler a matéria.

  12. LH,

    Quanto tempo! Ando completamente assoberdado de trabalho e sem tempo para comentar aqui. Seu blog está cada vez melhor, e olha que, da última vez em que fiz algum elogia, eu já estava no “excelente”. Parabéns!

    Por causa de filtros às url’s, não consigo abrir seus posts que têm os termos “gay” no título, então só os leio em casa. Por isso, mando este off-topic por aqui.

    Veja esta notícia do site do STF:

    http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=248739

    À margem, e totalmente na condição de leigo (Direito Penal Militar é uma quimera para mim tanto quanto Física Nuclear), vejo que o tipo penal criminalizou “pederastia” OU “outro ato de libidinagem”. Considerando os significados dicionarizados do verbete, me parece bem curiosa a linha argumentativa da PGR… Dá-se a entender que o CPM veda atos concretos de sensualidade, lascívia, promiscuidade ou libertinagem UNICAMENTE quando tais atos são praticados por ou com homossexuais, e não em todo e qualquer caso, INCLUSIVE por ou com homossexuais.

    A militância gay não pugna, formalmente ao menos, por igualdade? Eis aí: o CPM institui o recato e o decoro na caserna a todos, indistintamente e independentemente de preferência sexual. Qual é a inconstitucionalidade mesmo?

    Pode anotar essa ADPF: mais uma vez o direito e a argumentação (pseudo)jurídica serão instrumentalizados pelo proselitismo político-ideológico e postos a serviço do gayzismo, ainda mais tendo-se LRB como relator. Dá uma checada no artigo “Diferentes, mas iguais” dele (disponível na internet)…

    Abraço!

  13. Luciano, está a ocorrer uma difusão em larca escala dos teus posts, prepare-se porque logo logo a trupe ideologica vem aí para tentar calar-te. Isto é, se já não estão a fazê-lo.

  14. E as “meninas” que intruduziram um crucifixo na vagina ou no ânus (não dava pra ver na foto, ainda bem!) durante o Encontro da Juventude, em plena avenida atlântica à luz do dia, sem que ninguém fosse enquadrado por atentado violoento ao pudor, os guardas só olhando sem fazer nada. Isso também pode? “Não consitui delito)”
    Ora, vão se catar! Ou melhor, façam o que quiserem com seus orifícios e mucosas, mas existe lugar para isso. É muira cara de pau! Aliás, pau não, isso é quase palavrão!

  15. Luciano me diga por favor, qual é a sua opinião perante as questões que envolveram feliciano no caso da “CURA GAY”, só lembrando que eu não estou dizendo que o projeto dele é com esse NOME, apenas usei o termo, por causa da generalização do termo feito sei lá por quem. E também gostaria que você me esclareça, a respeito desta seguinte questão; vou dar um EXEMPLO: Se você (LUCIANO) é contra ou a favor de um grupo EVANGÉLICO (REPRESENTADO NA FIGURA DO FELICIANO) elaborar projetos em direções a outros grupos (GAY) mesmo que o resultado deste seja ligado (in)diretamente aquele, E/OU ao invés de fazer isso, (O GRUPO EVANGÉLICO)tentar levantar um projeto específico e direcionado ao seu público(DA IGREJA) e QUAL É SUA OPINIÃO sobre o mesmo??? (Só lembrando, tudo que coloquei foram exemplos apesar da semelhança – ATÉ POR QUE DESCONHEÇO SE O PROJETO DO FELICIANO É ISSO MESMO QUE OUÇO) Um abraço e até logo.

    • Luciano me diga por favor, qual é a sua opinião perante as questões que envolveram feliciano no caso da “CURA GAY”, só lembrando que eu não estou dizendo que o projeto dele é com esse NOME, apenas usei o termo, por causa da generalização do termo feito sei lá por quem.

      Completamente a favor dessa proposta dos deputados que propuseram isso, e Feliciano apoiou. A proposta é baseada no direito de um homossexual buscar ajuda psicológica se quiser mudar sua orientação.

      E também gostaria que você me esclareça, a respeito desta seguinte questão; vou dar um EXEMPLO: Se você (LUCIANO) é contra ou a favor de um grupo EVANGÉLICO (REPRESENTADO NA FIGURA DO FELICIANO) elaborar projetos em direções a outros grupos (GAY) mesmo que o resultado deste seja ligado (in)diretamente aquele, E/OU ao invés de fazer isso, (O GRUPO EVANGÉLICO)tentar levantar um projeto específico e direcionado ao seu público(DA IGREJA) e QUAL É SUA OPINIÃO sobre o mesmo???

      Qualquer um pode elaborar a proposta que quiser. A pergunta é se a proposta é válida em termos lógicos ou não.

      (Só lembrando, tudo que coloquei foram exemplos apesar da semelhança – ATÉ POR QUE DESCONHEÇO SE O PROJETO DO FELICIANO É ISSO MESMO QUE OUÇO) Um abraço e até logo.

      O que você ouviu a respeito do projeto do Feliciano?

      Abs,

      LH

Deixe uma resposta