Histeria feminazi: Cerimônia do Miss Brasil 2013 é alvo de protesto feminista em BH

24
102

miss_1

Fonte: Terra

Longe do glamour habitual dos concursos de beleza, a chegada dos convidados do Miss Brasil 2013, que acontece neste sábado no Minascentro, em Belo Horizonte, foi marcada por muita confusão e um protesto organizado pela Marcha Mundial das Mulheres, criticando o concurso por tratar as modelos como “mercadoria”. O grupo, com cerca de 20 ou 30 pessoas, defendia a descriminalização do aborto e hostilizou os convidados da cerimônia.

Os principais confrontos aconteceram na fila de convidados. Rannier Lira, coordenador do Miss Rio Grande do Norte, foi hostilizado pelos manifestantes ao tentar acalmar os ânimos. “Não queria confusão. Queria que respeitassem. Ali tinha muita família e crianças”, disse.

As manifestantes partiram para cima de Lira e seguiram hostilizando os convidados que chegavam para a cerimônia exibindo cartazes e trocando xingamentos.

Meus comentários

O quão baixo o ser humano pode descer? Será que há limite para auto-humilhação? Mais uma vez, a extrema-esquerda nos dá novos parâmetros para a falta de honra e dignidade.

Imagine que alguém tente mostrar a elas o que é a vida em sociedade civil, dizendo coisas como: “Ninguém está te obrigando a participar do concurso. Ninguém está obrigando as participantes a participarem. Ninguém aqui está sofrendo coerção para fazer o que faz”. A resposta será um caminhão de xingamentos e ataques histéricos.

Por que será que eles não entendem a liberdade individual? Um dos motivos para isso pode ser o coletivismo exacerbado, nos quais eles não se veem como individuos, mas como seres pertencentes a uma classe incapaz de poder de decisão individual.

São incapazes de perceber que hoje a sociedade dá o direito a uma mulher de mostrar o seu corpo em público, assim como a um homem de fazer a mesma coisa. E dá o direito de alguém não fazê-lo, seja homem ou mulher.

Quem entender essa concepção básica sobre a sociedade civil, sabe que não faz o menor sentido esse tipo de manifestação, que não passa de uma manifestação contra a liberdade individual.

Anúncios

24 COMMENTS

  1. É o pensamento em bloco. Na cabeça delas a mulher COMO INDIVÍDUO é incapaz de fazer decisões por conta própria, é incapaz de ter opinião própria, é incapaz de perceber SOZINHA situações que a incomodam. Apenas a “classe das mulheres” consegue fazer essas coisas, e as feministas são as “porta vozes” de todas as mulheres, e mesmo que não o digam explicitamente, elas AGEM dessa forma e é isso que importa. Elas agem como se não percebessem – e não percebem – que a “opressão” só é opressão na VISÃO DELAS, mas pode não ser na visão de outras mulheres. Quando defrontadas com isso, reagem com histeria, xingamentos e agressões diversas. Especialmente quando é uma mulher que apresenta discordância, haja visto o que aconteceu com a Bruna Luiza Becker do “Garotas Direitas”: http://garotasdireitas.blogspot.com.br/2013/09/a-nova-violencia-contra-mulher.html

  2. As mineiras são bonitas, morenas, cheia de curvas etc. Mas estou curioso para ver o que se passa por aí, todas que conheci são umas feministas loucas ou comunistas…. lol

  3. O engraçado é se você tentar o impedir o direito de ir e vir dessas pessoas ou xingá-las em seus eventos,logo é chamado de fascista.Agora,eles podem fazer isso a la vonté.
    O conceito de direitos desse pessoal é amoral.Não tem parâmetros.Baseia-se num jogo em que eles decidem quais são as regras válidas.

  4. Essas mesmas que falam do padrão de beleza imposto são as que ficam com o primeiro cara bonitão-sarado que aparecer e rejeitam os feios.

    Me lembra até essas moças que ficam postando frases idiotas de auto-ajuda no facebook (que o que conta é o interior, para não julgar pela embalagem, blá blá blá) e depois postam fotos de homens sarados, escrito “MULTIPLICA SENHOR!”, coisa que acontece direto.

    Há vários exemplos nessa página: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=524431977632796&set=a.372247679517894.87022.372247096184619&type=1&theater

  5. No feminismo a mulher pode “tudo”…

    …só não pode ser bonita.
    .
    .
    .
    ah, também não pode Não ser feminista…
    .
    .
    .
    Também não pode gostar de homens sinceramente….visto ser todos uns potenciais estupradores
    .
    .
    .

    A marcha das RECALCADAS, deram a autoridade moral para seus críticos usarem das mesmas armas para contrapor-se ao movimento:

    “As manifestantes partiram para cima de Lira e seguiram hostilizando os convidados que chegavam para a cerimônia exibindo cartazes e trocando xingamentos.”

    Agora xingamento, hostilização, partir pra cima e chute no cú…..PODE!!!!!!! 🙂

    PS: De acordo com marx, a “mulher coletivizada”, ou seja as recalcadas podem, “tudo”….

    só não podem ser um indíviduo.

    Marx espertinho…..já tava colocando o selo friboi (de uso público) nas mulheres a muito tempo.

    “O FROUXO UNIDO, JAMAIS SERÁ UM INDIVÍDUO”.

  6. muito bom. Assim, elas queimam seus filmes ainda mais.
    A mídia escrota tem as manhas de esconder oque essas desgraçadas fazem com os cristãos, mas acaba deixando passar “amenidades” desse tipo. Na pior das hipóteses, o público geral passa a perder simpatia por essa causa, diminuindo, ainda que um pouco, seu poder político. Na melhor das hipóteses, os membros da sociedade vão pesquisar mais das ações dessas vacas e chegar exatamente no que a mídia quer ocultar: seu terrorismo.
    Eu acho que podemos aproveitar essas gafes delas usando frames como: “Dessa vez até que elas foram comportadas. Pior foi o que fizeram na JMJ” e aproveitar para descrever o que aconteceu pra quem não sabe, aproveitando a indignação que elas causaram nesse evento e associando essa mesma indignação com outro evento que está cada vez mais sendo esquecido pela memória fraca do brasileiro.
    O que vc acha, Luciano?

    • Exatamente. Miss gay e Miss transsexual também pode. Só não pode se for mulher, bonita e dentro do “padrão horrível machista opressor ” (afinal elas participam do concurso obrigadas sabe?)
      Tudo recalque e inveja das misses lindas. =)

    • Sim, faz parte. Pelo que diz esta notícia, o objetivo do concurso era chamar a atenção para a regulamentação da prostituição, coisa essa que interessa aos marxistas-humanistas-neoateístas, que também poderão extrair mais impostos de um setor da população que conseguiu passar mais ou menos ao largo da sanha arrecadatória (pense que uma prostituta que não seja de luxo consegue arrecadar mais do que alguém que tenha a mesma média de estudo dela). Além disso, não vamos esquecer dos prejuízos mentais que causa a uma mulher a alta rotatividade de parceiros (vide os altos índices de suicídio entre os trabalhadores da indústria do sexo), fora que tal regulamentação na prática poderia ser usada por traficantes de escravos sexuais para tornar seus negócios mais lucrativos (pense aí em algo parecido com a liberação das drogas muito beneficiar as Farc por essas já terem canais de logística e negócios bem desenvolvidos).
      Além disso, não me parece que a regulamentação da profissão vá tirar o preconceito, uma vez que agora poderia estar registrado em carteira de trabalho e tornar a vida mais difícil para quem quiser sair dessa vida. Porém, aqui obviamente que seria transformar mulheres que se malandrearam pela dureza da vida noturna em inocentes úteis que não notam que tem gente mais malandra que elas. Não notaram que o Miss Prostituta foi feito exatamente na mesma data do Miss Brasil e na mesma cidade, separado por apenas 1 km, com o propósito de fazer escárnio ao concurso mais tradicional, muito menos notaram que ao se revelarem inclusive com seus nomes reais, acabaram atraindo para si próprias um estigma que com certeza não será colado aos MHNs que mexem as cordinhas. Fora isso, que se observe que nenhuma das concorrentes parece ser de luxo nem me parece que naquela ocasião a rua belo-horizontina de nome Guaicurus tenha perdido muitas funcionárias. Caímos aqui em algo parecido com os integrantes da UNE, que se conclamam legítimos representantes do todo dos estudantes brasileiros, mas foram eleitos por um número bem pequeno de pessoas que sobreviveram às tentativas de manipulação que há nas faculdades.

      Porém, já que estamos falando de algo com cunho MHN, não deixa de ser interessante notar que elegeram como Miss Prostituta uma garota de 18 anos e tempo de “pista” pouco o suficiente para que não exiba em seu rosto as marcas da vida dura. Já que MHNs sempre falam que homens oprimem mulheres e que impõem um padrão de beleza em que só mulheres jovens são consideradas e as velhas são descartadas, fica meio estranho terem elegido alguém tão jovem para segurar o bastião das que rodam bolsinha.

  7. Tsk. A revolta das medíocres sem talento. Essa gente ganha espaço porque, como Ben Shapiro bem disse, não tratamos eles como o que eles realmente são: inimigos domésticos. O dia que eles forem não somente considerados como terroristas (que é o que eles são), mas também tratados como tal, rapidinho essa palhaçada acaba.

  8. Essas manifestantes deveriam fazer algo mais produtivo, como cozinhar um sopão e distribuí-lo para moradores de rua. Isso, sim, seria uma ação efetiva em prol da humanidade.

  9. Luciano, pelo visto o lance ocorrido em BH é mesmo apenas um capítulo de alguma ofensiva em estilo “marcha dentro das instituições” e “revolução permanente”. Eis que surgiu uma pesquisa do Instituto Patrícia Galvão (apoiado pela Fundação Ford, como se vê claramente no PDF) que prontamente foi sakamoteada. Obviamente que poderemos objetar a metodologia e perguntar pelo grau de isenção da mesma, pois aqui podemos estar vendo números sendo torturados para exibir aquilo que marxistas-humanistas-neoateístas e seus financiadores querem.
    O mais interessante é que na postagem do blog ocultaram o fato de que a maioria das pessoas entrevistadas (43%) discordam de as propagandas mostrarem a mulher como burra e quem olhar a pesquisa verá para esse quesito o distorcido título de “Para 35% a mulher nunca é apresentada como uma pessoa inteligente em propagandas na TV; 43% discordam”. Logo, se a maioria discorda de que as mulheres sejam apresentadas como burras, o postulado foi derrubado e realmente não teriam como usar isso para fazer capitalização política. Também tiveram de meter o rabo entre as pernas quando 67% dos pesquisados concordam que a mulher que aparece nas propagandas é a ativa e independente, ainda que tenham tentado puxar mais a brasa para os 58% de objeto sexual. 51% concordaram que a mulher que aparece nas propagandas é a profissional bem-sucedida, que superou os 46% de mulheres cujo corpo bonito demonstrariam que elas seriam mais inteligentes. Na rabeira, 20% acham que a mulher retratada nas propagandas é a dona de casa e 16%, a mãe e esposa carinhosa. Logo, podemos considerar que a maior parte das pessoas vê na propaganda uma mulher que reflete boa parte do que está nas ruas, uma vez que a maioria delas hoje trabalha e poucas são donas de casa.

    Na mesma pesquisa, temos que “70% defendem punição aos responsáveis por propagandas que mostram a mulher de modo ofensivo”. Que tipo de punição seria? A da censura à comunicação? Quantos por cento defenderiam punição às propagandas que mostram de modo ofensivo o homem, seja como criminoso em potencial, seja como inepto e idiota, seja como objeto sexual (considerando aqui eventuais propagandas para mulheres em que aparece um cara com o torso nu)? Eu gostaria de saber. Mais guinada para o marxismo-humanismo-neoateísmo podemos ver quando eles usam do expediente de chamar de “negro” todo mundo que se enquadre nas categorias “preto” e “pardo” do IBGE (sempre lembrando que “pardo” pode incluir um grande contingente de mestiços sem ancestralidade africana ou mesmo pessoas de aparência europeia que se recusam a se ver como brancos e se orgulham de todos os seus antepassados). Também perguntaremos que critério usaram para que se considerasse uma mulher como “gorda”, pois também vemos uma dialética nesse critério, não existindo para fins estatísticos aquelas que estejam com IMC entre 20 e 25, que não são gordas mas também não são magras. Outra coisa interessante é ver que a imensa maioria quer mulheres com curvas, mesmo que a maioria das entrevistadas se considere sem curvas, bem como a maioria quer mulheres de seios e bunda grandes. Claro que perguntaremos quem são essas 1.501 pessoas da amostragem, pois poderiam perfeitamente ser 1.501 MHNs arregimentados por aí.
    Também perguntaremos se caso a propaganda brasileira exibisse as tais “mulheres da vida real”, as vendas aumentariam mesmo ou veríamos algo como o ocorrido com a revista alemã Brigitte.

  10. Luciano, mais uma que nos fará suspeitar de blitzkrieg feminista neste mês de setembro: você viu esta carta de feministas em geral querendo “paridade na política” (leia-se desprezar a vontade do povo para meter 50% de mulheres no Legislativo nem que a marretadas)? Obviamente que na cabeça dessas pessoas o Congresso e as assembleias estaduais e municipais deveriam ter porcentagens exatas dos segmentos da população, senão não haveria o respeito à vontade popular, mesmo que esta prefira votar em outro tipo de gente.
    Se apenas 10% do Congresso é feminino, é de se perguntar se a maioria do eleitorado, que é de mulheres, não está se sentindo representado por essas mesmas mulheres e acaba preferindo votar em homens.

  11. Luciano, mais uma para botarmos na conta da suspeita de blitzkrieg daquele movimento representado por um símbolo do feminino na cor roxa com um punho levantado no centro da parte circular: já que foi no Rio de Janeiro que a Marcha das Vadias desmoralizou-se de maneira suprema durante a Jornada Mundial da Juventude, o movimento em questão resolveu atravessar a ponte e realizou sua primeira demonstração do tipo em Niterói. Pelas fotos apresentadas, imagina-se que a organização tenha notado que mulheres desnudas estão contando contra o já desmoralizado movimento, a ponto de não se ver muitas sem a parte de cima das roupas íntimas. E também parece que a outrora sesmaria do cacique Arariboia viu mesmo uma meia dúzia de gatos pingados, pois a maioria absoluta das fotos é em plano próximo, sendo que esta foto aqui não parece ter mais gente do que teria um ensaio da Viradouro em época não muito lotada.
    O mais interessante de tudo é que desta vez não vi os grandes da internet noticiando esta edição niteroiense da Marcha das Vadias, o que significa que eles notaram que a blasfêmia na capital fluminense pegou muito mal também para o noticiário normal em que basicamente noticiavam a coisa como uma daquelas excentricidades de celebridades.

    E já que o Rio anda em polvorosa com diversos movimentos que comem nas mãos de marxistas-humanistas-neoateístas que querem porque querem que Lindbergh Farias seja governador daquele estado, segue o que as vadias marchantes de Niterói reinvidicavam:

    Chega de violência contra a mulher!

    Contra o machismo, racismo, homofobia e transfobia!

    Chega de assédio sexual no transporte! Transporte público de qualidade já!

    Rodrigo Neves, lugar de mulher também é no orçamento! Exigimos verba específica!

    Chega de ruas escuras! Iluminação pública eficiente!

    Chega de violência nas escolas! Por uma educação não sexista!

    Educação é um direito! Creches públicas para todos os filhos dos trabalhadores!

    Mais verbas contra a saúde!

    Contra o fechamento da Maternidade Alzira Reis!

    Não ao Bolsa Estupro/Estatuto do Nascituro! Veta Dilma!

    Contra a repressão! Queremos proteção! Mais DEAMs para Niterói e SG!

    FORA CABRAL!

    Dando um desconto para todos os protestos contra substantivos abstratos e impossíveis de serem eliminados, o mais importante aqui o próprio movimento já destacou com Caps Lock ligado. Todo o resto de que eles falam só serve mesmo para disfarçar o real motivo de um movimento tão desmoralizado quanto a Marcha das Vadias ter saído novamente às ruas.

  12. Luciano,

    Por falar nessas feministas que ficam fazendo campanha contra o “padrão de beleza imposto”, você podia fazer um post sobre isso.

    O padrão de beleza não é imposto, é simplesmente instintivo, ainda mais por parte das mulheres e isso acontece com animais e as mulheres buscam muito mais beleza bonitos e acredito que você tenha muitas referências sobre isso.

    Uma das coisas mais estúpidas nas campanhas em respeito disso são mulheres vindo com esse papo furado para aceitarem gordinhas, que o que conta é a beleza interior, etc., mas ao mesmo tempo ficarem postando fotos de homens sarados, pedindo para multiplicar e nas fotos das campanhas sempre terem um cara magro ou musculoso, nunca um gordo ou feito.

    Você podia fazer um post sobre isso qualquer hora.

    Há um canal chamado “Hipocrisia feminista” no facebook, que também aborda isso e há uma imagem bacana lá da hipocrisia: “Faz campanhas pros homens aceitarem as gordinhas… tem nojo de gordo”.
    outra imagem também com uma daquelas imagens das campanhas das gordas, que pergunta por que elas querem um padrão de beleza masculina com um cara musculoso.

    O já mencionado canal “Garoto Politicamente Incorreto” nem se fala, pois há vários exemplos disso. Esse canal também tem uma página com um conteúdo riquíssimo de mulheres gordas enviando hostilidades a homens feios, mulheres que compartilham aquelas frases idiotas de autoajuda e depois bloqueiam feios, mulheres que sofrem bullying e depois xingam os feios, exigências insanas de mulheres gordas e fora dos padrões de beleza e muito mais.

  13. Luciano, com quase um mês de atraso vejo esta notícia sobre feministas indo protestar contra o rapper Emicida por causa desta canção em dueto com Wilson das Neves:

    http://www.youtube.com/watch?v=ShnL-2LeCj4

    Acabou suscitando de uma aparecilda ter se deitado com folhas de espada-de-são-jorge bem na frente do SESC Pinheiros, onde ele fez show com diversos duetos (como as cantoras Pitty. Juçara Marçal e Tulipa Ruiz, entre outros convidados). Aqui o mais importante é notar esta foto, em que há a aparecilda deitada com papeizinhos escritos “Emicida machista”, “machismo mata” e “Emicida não representa”, mas também há uma mulher com cabelos vermelhos com um cartaz manuscrito contendo “Fora Alckmin, fora Femicida”, em que dá para ver que pode haver comando do PT por trás para tentar enfraquecer o atual governador para a eleição de 2014, uma vez que interessa a Lula pôr um “poste” no estado mais rico da Federação e ter controle do maior orçamento individual do Brasil. Obviamente que podem ter aproveitado o show do Emicida para embrulhar isso com acusação de que o cara seria homicida de mulheres (afinal, o chamaram de “femicida” e, em feministês, isso significa cara que mata mulher e que a morte de mulheres deveria ser punida com mais rigor que a de homens, mesmo que estejamos perdendo uma pessoa a cada assassinato, independente de seu sexo). Observe-se que pela camisa roxa de uma delas, era ação da Marcha Mundial das Mulheres, que fez aquele auê em BH.
    Porém, esqueceram-se do porquê de o nome artístico de Leandro Roque de Oliveira ser Emicida. O motivo? O cara ganhou um monte de rinhas de MCs, em que é preciso raciocínio rápido e fala certeira. Tantos foram os MCs derrotados antes de subir para a fama que ele achou interessante sintetizar isso em como seria conhecido, acabando por se assumir como Emicida. E eis o que ele fez com as feministas:

    http://www.youtube.com/watch?v=JsMKAvOE2x4

    Sim, ele devolveu para o colo das feministas o seguinte: todos são livres para pensar da maneira que quiserem, inclusive as mulheres que as feministas dizem representar. O fim do clipe de Trepadeira tem um poema em que se glorifica a miscigenação do Brasil e não se cai naquele marxismo-humanismo-neoateísmo de somar as categorias “preto” e “pardo” do IBGE para inventar “negros” que só existem mesmo para propósitos de avançar agenda derivada dos jacobinos. Pode ser que de repente Emicida caia naquela categoria de propagador inconsciente de gramscismo, mas aqui dá para ver que ele sozinho derrubou feministas que sequer afinação para cantar no chuveiro têm.
    E quem vir o grande número de menções a flores em Trepadeira notará que a canção meio que continua a ideia vinda de Crisântemo, cujo cunho é bem triste e fala de um menino que perdeu o pai assassinado e uma mulher que ficou viúva (crisântemos, como sabemos, são flores que costumam estar em coroas de flores):

    http://www.youtube.com/watch?v=iJHEQkL9lww

    Porém, desta vez ele quis usar as mesmas flores em contexto humorístico, mas acabou aprendendo que marxistas-humanistas-neoateístas não têm qualquer senso de humor e que quando ele falou de uma mulher fictícia e promíscua para a qual deu tratamento que daria a uma “mina de fé”, acabou suscitando o “mexeu com uma, mexeu com todas” das feministas, mesmo que não haja nomes e a canção claramente fale de uma mulher em especial, não de todas. Porém, as feministas esqueceram-se de que ele tem essa habilidade de raciocínio rápido e fala certeira desenvolvida nas rinhas de MCs acabou por ser útil em diversas ocasiões, como esta.
    Agora é aguardar o show de Lobão e Emicida e ver os MHNs de diversos matizes fazerem de graça a propaganda dos artistas.

Deixe uma resposta