O que a direita tem a aprender com o marqueteiro do PT João Santana?

17
93

802_joao1

Em uma matéria de Fernando Rodrigues, ele destaca alguns blocos de uma entrevista dada por João Santana, marqueteiro de Dilma (e de Lula), que nos revela um dos motivos pelo qual o PT tem nadado de braçada na política nacional, enquanto seus opositores ainda não se aperceberam do que está acontecendo.

Veja:

“[Dilma vai ganhar no primeiro turno] Porque ocorrerá uma antropofagia de anões. Eles vão se comer, lá embaixo, e ela, sobranceira, vai planar no Olimpo”.

“O que menos crescerá, ao contrário do que ele próprio pensa, é justamente Eduardo Campos”.

“As mudanças sóciodemográficas alteram algumas demandas, mas as questões centrais permanecem: melhorar a vida, mais oportunidade, mais serviços públicos de qualidade, emprego e segurança. Dilma está muito atenta a isso. [Em 2014], o PT também poderá dizer que está no poder há 12 anos e tudo o que está bom é por causa de sua administração. E vai dizer, ainda, o que pode melhorar. E como há um desejo de continuidade forte, e nenhum sinal de fadiga de material, o PT sai vencedor nesse debate”.

Só que nas redes sociais, principalmente na Blogosfera Estatal, muitos petralhas não compartilham de toda essa confiança de Santana. Sendo assim, por que ele é tão confiante na “certeza da vitória”?

Duvido que Santana tenha em seu íntimo essa confiança toda, mas ao mesmo tempo ele é um dos maiores estrategistas de guerra política do Brasil.

Veja abaixo a lista de leitura indicada por Santana:

  • SERGUEI TCHAKHOTINE – ” A Mistificação da Massa pela Propaganda Política”
  • WALTER LIPMANN – “Public Opinion”, “The Cold War” e “The Public Philosophy”
  • EDWARD BERNAYS – “Propaganda”
  • GUSTAVE LE BON – “A Psicologia das multidões”, “A Psicologia do Socialismo”
  • MURRAY EDELMAN – “The Symbolic Uses of Politics”, “Politics as Symbolic Action: Mass Arousal and Quiescence”, “From Art to Politics: How Artistic Creations Shape Political Conceptions”
  • DENNIS C. MUELLER – “Public Choice”
  • REGYS DEBRAY – “Vida e Morte da Imagem”
  • GEORGE LAKOFF – “Don’t Think an Elephant! Know your values and frame the debate”
  • DREW WESTERN – “The Political Brain”
  • WILLIAM MEYERS – “The Image Makers”
  • GREG MITCHELL – “The Campaign of the century – Upton Sinclair’s race for government of California and the birth of media politics”
  • THEODORE WHITE – “The making of the president”
  • KATHLEEN HALL JAMIESON – “Eloquence in an electronic Age”

Agora, a pergunta: quais figuras do debate público (de direita) conhecem um quarto dos livros acima? Eu conheço apenas metade, e já estou atrás dos que não conheço. (Grato às dicas de Santana)

Pois bem. Quem conhece o essencial das obras acima, sabe que Santana está usando o método da exposição pública de confiança, junto com a técnica da inevitabilidade. Aliás o jogo marxista Caminhando na marcha da história é apenas a aplicação deste método. A técnica de propaganda definida como Inevitabilidade vai pelo mesmo caminho. Neste caso, a sua proposta é apresentada como a “que vai vencer, e não há o que se possa fazer para impedir”.

O discurso de Santana, portanto, é estrategicamente planejado para funcionar, e tem maior efeito sobre os indecisos. O discurso atende a três objetivos: (1) Aumentar o nível de confiança daqueles que estão de seu lado, (2) Arrebanhar o máximo possível dos indecisos, (3) Obter o máximo possível de respostas de desânimo dentre seus opositores.

Em outras palavras, temos um jogo, sendo jogado muito bem pelo PT.

Em outro âmbito, longe da disputa presidencial, vejo (algumas) pessoas da direita dizendo coisas como “O jeito é fugir do país”, “A culpa é do eleitor que não sabe votar” ou “Não tem jeito, está tudo acabado”.

Esse é o grande paradoxo do debate político atual. A extrema-esquerda hoje faz o discurso político que funciona, e conquista seus objetivos por causa disso. Ao mesmo tempo, a direita, que se opõe à esquerda, se furta em usar os mesmos recursos (legítimos, diga-se) para obter resultado. Mesmo assim, essa parte da direita continua reclamando do excesso de resultados conquistados pela esquerda.

Uma hora temos a atuação política que pode receber nota zero em termos de estratégia, mas no momento seguinte temos a reclamação pelo fato do oponente obter resultados, por jogar bem o jogo político.

Este é o maior desafio para quem é da direita: resolver o paradoxo onde se encontram ao reclamar da vitória do oponente por jogar bem um jogo, mas ao mesmo tempo nem sequer perceber (ou se recusar a perceber) que está dentro de um jogo.

Minha sugestão: façam uma reflexão e pensem no que ambicionam para as ideias de direita. Neste caso, se realmente for compreendido como é o jogo e se decidirem jogá-lo, aí recomendo a leitura da maioria dos livros citados por Santana, assim como a obra de Saul Alinsky, Antonio Gramsci. Dos autores da direita, recomendo David Horowitz, Ann Coulter, Tammy Bruce e Olavo de Carvalho, dentre outros.

Claro que nem todos vão ler, mas ao menos uma parte dos adeptos da direita deve fazer este papel, especialmente os que quiserem atuar como formadores de opinião.

Ou é isso, ou então é preciso, após a reflexão, concluir que o atual fracasso da direita é de responsabilidade de boa parte dos direitistas atuais.

Anúncios

17 COMMENTS

  1. Como sou ignorante, acho que a oposição não pode jogar limpo com um adversário que joga sujo. Tem que jogar um pouco sujo também. A propaganda petista funciona, mas propaganda não faz milagres e um dia as pessoas simplesmente percebem que o produto que está sendo vendido é ruim e param de comprar. Na economia o governo vem fazendo uma lambança atrás da outra torcendo para que o castelo de cartas se segure até outubro de 2014. E aí, mesmo ganhando, Dilma, lula, seja lá quem for, terá uma mega crise econômica para administrar.
    Vide Venezuela.

  2. O problema é que no Brasil não existe uma direita coesa. A luta de quem se opõe ao PT é uma que exige muito dinheiro, dinheiro (nosso) que apenas o Governo possui. As eleições de 2014 estão se caracterizando como uma disputa entre as esquerdas. A direita inexiste no cenário político do futuro próximo. A grande batalha de 2014, me parece, continuará sendo travada entre o vingativo e sanguinário PT e seu desafeto/pesadelo e principal aliado, o inepto, covarde e cúmplice social-democrata PSDB, o qual, sem dúvida alguma, será mais uma vez, vergonhosamente derrotado, mais vergonhosamente, ainda, se a múmia do Serra continuar insistindo em ser o candidato do partido.

    Política nunca foi de meu interesse pessoal, mas em busca de respostas a questões que não via serem tratadas na mídia tradicional acabei sendo obrigado a me familiarizar com o assunto. É muito difícil, no espaço de alguns anos conseguir formar toda a base de conhecimento necessária para combater o inimigo, inimigo esse que há décadas doutrina e prepara sociedade para ser estuprada por ele.

    Veja só a lista de livros recomendados apenas nesta matéria. Quanto tempo – além dos recursos financeiros – será necessário para nos familiarizar com seu conteúdo, montar uma estratégia e sair em campo combatendo o câncer lulo/petista?

    Este blog faz muito pelo esclarecimento das pessoas e pela capacitação dos que se importam em entender o atual cenário político nacional e eu, particularmente, sou imensamente grato a seu proprietário por gastar seu tempo para disponibilizar tanto material, mas quanto mais nos aproximamos de 2014, mais o gigantismo do trabalho necessário para mudar o cenário e agir de maneira eficaz contra o PT me parece assustador e de difícil consecução.

    Isto não significa que vou desistir. Não! Nunca! Mas estou me preparando para morrer lutando se preciso for.

  3. vc tirou a idéia de controle de frame por causa de alguns destes livros? Por que eu notei que vc ensina técnicas de argumentaçã masn ão diz da onde tirou, seria interessante saber quais livros seria bom de ler para debates em triângulo

  4. Luciano, você se lembra do Lobão falando que esquerdista é campeão de punheta de pau mole? Pois bem, eis que um cara quis confirmar isso no protesto do Rio:

    http://www.youtube.com/watch?v=KmML6_hC5V

    Nos comentários, há um tal de Rodrigo Silva que diz o seguinte:

    vocês são muito idiotas, e manipuladores! tem esse mesmo vídeo de outro ângulo!

    bando de porcos fardados!

    Claro que o problema de um alegação raivosa e clichezenta é a resposta que usa um pouco de raciocínio que seja, que veio de um cara chamado Steven Daigo:

    Não magina, nada de masturbação, é só mal de Parkinson…

    Enquanto aguardamos o vídeo de outro ângulo (afinal, pode ser que ele estivesse enriquecendo a Sherwin-Williams ao adquirir uma latinha de Colorgin que tenha posto embaixo da bermuda que vestia), vamos dando umas boas risadas.

  5. Sem comentários…. posso simplesmente frisar… não temos direita!!!! Pura realidade, quem você considera de direita???? Bolsonaro??? Desculpe, mais é de direita, porém coloque Bolsonaro em um debate… e … acabou!!! Sejamos francos, não temos um intelectual sobrevivente de direita em partido algum!!!!! Resta para nós, coitados como Bolsonaro, ou idiotas como Ronaldo Caiado.

    • A direita que existe hoje no Brasil é um movimento intelectual que tem boas figuras na Internet, como Olavo de Carvalho, Rodrigo Constantino, Reinaldo Azevedo e outros. Tirando o Olavo, os outros precisam aprender estratégia política. Em relação a “políticos de direita”, isso é coisa que não importa no momento.

      • Discordo Luciano,
        Não tendo políticos bons e de direita, ficaremos somente nesta situação, reclamando e debatendo, o que não levará a nada. Olavo de Carvalho é espetacular, um gênio, porém ultimamente está um pouco “perdido”, e sem muita noção de como mudarmos. Só palavras e debates não adiantam, precisamos de mudança! Caso você não tenha reparado, Dilma já ganhou a próxima eleição. E, mostrará para o mundo, a Copa (fracasso por ser capitalista) e as Olimpíadas (sucesso do socialismo brasileiro). Já está tudo armado, estamos totalmente perdidos, sem direção e nas mãos de Dirceu, Marilena Chauí, Suplicy e Palocci, portanto, Luciano, dizer que político e partido de direita não interessa….. discordo totalmente desta sua opinião, mas, espero que você esteja correto!!!!

      • Everaldo,

        Não adianta ter partido de direita agora quando ainda nem temos uma CONSCIÊNCIA de direita definida, uma estratégia, etc…

        Melhor deixar essa ideia de partido para lá por uns 10 anos no minimo, e pressionar os partidos que já existem.

        Abs,

        LH

      • Luciano, por favor: me explique qual é a estratégia então, em termos práticos? Por exemplo: o que eu posso fazer? Quero militar pela direita, mas fazer isso somente pelas redes sociais, por exemplo, não adiante de nada. Já me cansei disso. É até constrangedor às vezes, pq aparece um monte de esquerdolóides com aquele discursinho velho e chato, e como eles são a maioria, eles acabam “vencendo o debate”, se é que me entende. Então, me diga o que fazer. Estou desesperado.

      • A militância nas redes sociais é importantíssima. Várias pessoas que acessam este blog já deram seus testemunhos mostrando o quanto se tornou fácil para eles refutarem esquerdistas nas redes sociais. Esse é um caminho interessante, pois as redes sociais estão próximas dos estudantes e atores da mídia. Abs, LH

  6. Luciano, segue um apanhadão de coisas que vi hoje:

    1) Imagino eu que você tenha visto o protesto que deu errado hoje na região do Morumbi, em que moradores (que alguns perguntam se estavam mesmo fazendo manifestação espontânea pelo auxílio-aluguel ou se estavam sendo insuflados por alguém com algum interesse) tombaram um carro em uma barricada, mas não notaram que o mesmo era movido a GNV:

    http://www.youtube.com/watch?v=-ZnTZSUIA1c

    http://www.youtube.com/watch?v=GTFJF1m6P-4

    Temos três feridos, entre eles uma criança cuja mãe havia pedido para quen ão fosse ao protesto. Porém, é importante notar uma coisa: o transbordo de alegações típicas de black blocs no tal protesto. Note quando eles dizem que “vandalismo é o que o governo faz com a gente. Cadê o auxílio-aluguel?”. Isso muito se assemelha com o que dizem os encapuzados e muito se assemelha com os transbordos de alegações típicas de cientistas sociais que bandidos comuns começam a usar de maneira padronizada sempre que são pegos. Outra coisa a se notar é o tipo de tática de barricada, que está muito organizada para um protesto espontâneo. Viraram caçambas de lixo, queimaram o conteúdo que estava dentro delas e depois tombaram o carro que explodiu (e que não haviam visto que estava cheio de GNV). Isso está muito estranho, mas note-se aqui que é feitiço virando contra feiticeiro, pois o protesto é contra o governo municipal de São Paulo, que é de um PT que vem se beneficiando de protestos normalmente contra Geraldo Alckmin;

    2) Também seria uma boa falar sobre os protestos no Rio contra o plano de carreira dos professores do município do Rio que, entre outros vandalismos, teve a queima do Clube Militar após atirarem um coquetel molotov, em óbvia suspeita do rancor eterno dos marxistas-humanistas-neoateístas contra aqueles que lhes sejam obstáculo, receberam apoio vindo de São Paulo e em ambos os casos estão tendo grande presença de black blocs;

    3) E já que temos protestos deflagrados, que atualizemos em relação à USP, tivemos protestos de estudantes da USP na Paulista, sendo que foram mantidas as deliberações tomadas pelo conselho universitário para a próxima eleição de reitor. Logo, os MHNs malocados na reitoria terão de revelar seus reais motivos, caso eles não sejam os de diretas para reitor;

    4) Ainda que os protestos do Passe Livre tenham dado mais pretextos para ações do governo de Fernando Haddad, como o aumento de IPTU, os tucanos também estão aproveitando a ocasião para anunciar um plano de demissão voluntária de funcionários do Metrô para manter a tarifa em R$ 3. Graças aos protestos, além de as pessoas pagarem bem mais do que um acréscimo mensal de R$ 8,80 nas tarifas dos transportes sobre trilhos e pneus, agora também muita gente competente irá para as ruas (afinal, não me parece que irão tirar eventuais comissionados para economizar em salários);

    5) Segue também um toma-lá-dá-cá para tentar aprovar o Mais Médicos, que por ora só existe como Medida Provisória, em que permitiriam uma minirreforma eleitoral que tolheria parte do poder da Justiça Eleitoral;

    6) Caso vá a Santa Catarina e passe mal, torça para que Ideli Salvatti não esteja usando o helicóptero do SAMU.

Deixe uma resposta