O movimento LGBT não vai gostar, mas Comissão de Feliciano aprova projeto que autoriza as igrejas a viver sob os parâmetros de uma sociedade civil

33
138

marcofelicianocdh

Fonte: Globo

Em sessão presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), a Comissão de Direitos Humanos da Câmara aprovou nesta quarta-feira (16) projeto de lei que livra templos e igrejas de serem enquadrados no crime de discriminação se vetarem a presença de “cidadãos que violem seus valores, doutrinas, crenças e liturgias”.

O texto segue para a Comissão de Constituição e Justiça, antes de ir a plenário e ao Senado.

De acordo com o autor da proposta, deputado Washington Reis (PMDB-RJ), a norma visa evitar que igrejas sejam responsabilizadas criminalmente se recusarem a participação e presença de homossexuais.

O projeto pretente alterar o artigo 20 da lei 7.716, de 1986, que prevê pena de 1 a 3 anos de prisão para quem “induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.”

Segundo Washington Reis, essa norma tem sido usada em ações judiciais de homossexuais que se sentem discriminados por entidades religiosas.

“Deve-se a devida atenção ao fato da prática homossexual ser descrita em muitas doutrinas religiosas como uma conduta em desacordo com suas crenças. Em razão disso, deve-se assistir a tais organizações religiosas o direito de liberdade de manifestação”, afirma o deputado na justificativa da proposta.

O relator do projeto na Comissão de Direitos Humanos, deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), defendeu que igrejas possam rejeitar pessoas que não seguem os valores da religião.

“As organizações religiosas têm reconhecido direito de definir regras próprias de funcionamento e inclusive elencar condutas morais e sociais que devem ser seguidas por seus membros. A filiação a uma instituição religiosa constitui opção individual que implica respeito às regras próprias de cada entidade”, argumentou.

Meus comentários

Muito provavelmente o movimento LGBT vai se enfurecer, e se fizerem isso estará provado (como se isso ainda fosse necessário) que eles não entendem conceitos básicos da sociedade civil, como a liberdade de consciência e a propriedade privada.

Se a igreja possui proprietários, e estes definem as regras a serem seguidas lá, esse tipo de projeto não precisaria nem sequer existir. Todavia, ameaçados pela intolerância absolutista do movimento LGBT, os religiosos tradicionais precisam se resguardar.

Se em um bar drag queen, os proprietários resolverem proibir a presença de um sujeito que não se vista a caráter, podem fazê-lo. Se na torcida do Corinthians proibirem a presença de torcedores do Palmeiras, ok. Se na Fundação Richard Dawkins bloquearem a participação de teístas, sem problemas. Mas se estes direitos forem tolhidos, então significa que perdemos a noção de liberdade. E isso é intolerável.

Porém, nenhuma dessas organizações são ameaçadas como “discriminatórias”. E nem faria sentido que fossem. Pelo mesmo princípio, as igrejas não precisam aceitar em seus recintos pessoas que não se coadunem com suas crenças e valores.

Anúncios

33 COMMENTS

  1. Que se exploda esse gayzistas de merda. Se o cara joga futebol sabe que são 11 vs 11, e não pode usar a mão para jogar…entra no jogo quem quer mas uma vez que entrou, as regras devem ser seguidas. Mesma coisa, ninguém força ninguém à ser católico ou evangélico, entra na Igreja por livre vontade. Mas esses gayzistas não são seres corentes ou tolerantes, queriam inclusive promover beijo gays em cultos e Igrejas… vão pra PQP! Eles que criam sua própria religião que promova gays nos seus cultos ou sei lá, agora vim desrespeitar e contaminar a religião dos outros é o fim da picada!

  2. Infelizmente temos que defender o óbvio. Como foi dito, se os valores e princípios fossem respeitados, “esse tipo de projeto nem precisaria existir”. Essa “ditadura” gay e essa forma tendenciosa da Folha de expressar a informação dá nó no estomago.

  3. Eu não sei como esse projeto é descrito textualmente, mas é preciso ter cautela nesse tipo de análise, justamente para não ser alvo de uma parte da sociedade que não concorda com essa linha, como foi o caso do projeto apelidado pela mídia de ‘cura gay’ (que em minha opinião, foi mal redigido mesmo); na verdade, creio seriamente que o problema não está na presença de homossexuais nas igrejas (pois pelo que me consta, do ponto de vista cristão, um homossexual é tão pecador quanto um marido adúltero que frequente a mesma igreja, por exemplo, e há sim homossexuais que frequentam igrejas sem criar constrangimentos, seja no comportamento, seja no vestuário); a questão está no COMPORTAMENTO que se possa ter em um espaço (garantido por lei) para práticas especificas de uma também específica doutrina religiosa. Na verdade, e sendo um pouco mais pragmático, em rodeios, todos sabemos que um beijo entre pessoas do mesmo sexo dentro de uma igreja católica (ou evangélica, ou em qualquer outra denominação que não possua esse ato como uma postura aceitável), possui claramente uma tentativa de afronta aos valores já determinados por esta instituição; nesse caso seria sim passível de discussão uma norma específica que amparasse essas instituições religiosas desses grupos (que muitas vezes nem representam boa parte dos gays; eu mesmo conheço uns que se sentem ultrajados com esse comportamento ativista radical, pois não os representam, enquanto outros – que também conheço – nem se importam que essa militância, pois insistem na opinião de que têm coisas mais importantes para fazer – são na verdade menos ideológicos e mais utilitaristas); portanto, melhor do que PROIBIR a PRESENÇA de homossexuais nas igrejas acima descritas (creio que isso seria até anticristão, na verdade), seria PUNIR aqueles que, atentando contra princípios legais (inclusive já garantidos em lei) dessas instituições religiosas, insistissem em impor sua ideologia sobre aqueles que não concordam com suas convicções. Mas é como eu disse, é preciso ver isso aí primeiro. Se der margem para dupla interpretação, a mídia cai de pau, como já tem feito desde que o Feliciano assumiu esse cargo.

    • Claudio,

      Tudo depende de escolha dos frames adequados.

      O projeto deve ser definido como propostas pela LIBERDADE DE ESCOLHA em ambientes particulares, e, ou privados, mesmo que estejam disponíveis ao grande público.

      Aí, devido ao constrangimento causado por GRUPOS TERRORISTAS envolvidos com o movimento LGBT, de, em DESRESPEITO À SOCIEDADE CIVIL, invadirem ambientes de público para se beijarem e constrangerem os fieis, é preciso RESPEITAR O DIREITO dos cristãos em definirem os comportamentos que consideram adequados em seus ambientes, tanto quanto JÁ OCORRE COM QUALQUER OUTRO GRUPO. Em suma, RELIGIOSOS NÃO PODEM SER VÍTIMAS DE DISCRIMINAÇÃO.

      Mas você me deu uma boa dica: farei um texto só com frames sobre essa questão, com base no projeto de lei.

      Att.

      LH

  4. Deus escreve certo com linhas tortas,diz o ditado. O certo é que o pastor e deputado Marco Feliciano que até foi aliado e simpatizante de Dilma e Lula e militou nas eleições por eles. Foi super-bobo e ridículo naqueles vídeos sobre mamonas assassinas e John Lennon. Depois foi super criticado,humilhado,rebaixado , desprezado e perseguido como Presidente da CDH da Câmara. Não é que o homem ficou muitíssimo mais sábio,inteligente,com maior entendimento, discernimento e carácter depois da tormenta que enfrentou. E hoje está cada vez fazendo um trabalho melhor. O que falta a muitos lideres religiosos e crentes mesmo é passar por um “inferno na terra”. Para enxergarem as ameaças e perigos contra a igreja cristã.

  5. Concordo com Ele, chega dessa militancia Gayzista, eles nao respeitam o direito da maioria em nao querer ser gay, querer ver e ler coisas gays, entao que sejam cerciados tambem, pois nós maioria hetero, nao queremos imposiçoes gays sobre nos, somos livres para expressarmos nossa fé, nossos valores e principios tradiconais sobre familia na sociedade, se querem ser gays ,ok, sejam, mas nao podem desrespeitar quem nao é e nao concorda com eles,

  6. Bom movimento político, apesar de que as Igrejas deveriam sim aceitar homossexuais (desde que estejam dispostos a abandonar essa prática). O mesmo vale pra qualquer tipo de pecador, que tenha intenção de abandonar seu pecado. O problema mesmo é que alguns homossexuais querem entrar na Igreja e continuar com seu pecado, e se são repreendidos por isso gritam “homofobia”.

  7. Achei a análise bastante pertinente, Luciano.

    Vi muitas pessoas dizendo que esse projeto “fere o estado laico”, mas isso não faz sentido, porque ele se refere a igrejas, e não obriga outras instituições a seguir essa conduta.

    Além disso, o projeto não trata apenas de homossexuais, mas está sendo “vendido” pela mídia como tal.

  8. Eu acho negativo essa coisa de proibir o gay de ir à igreja x.. acho antipático mas diante de um ambiente de intolerancia de ambas as partes e onde algumas igrejas insistem em misturar religião com política esse tipo de projeto acaba surgindo como retaliação à outra retaliação! kkkkkk Ou um bate o outro responde!

  9. Se chegamos a esse ponto lá na comissão de Direitos Humanos, então eles (o mov. gay) venceram mais uma batalha. A gaystapo conseguiu induzir e conduzir os evangélicos para aquilo que eles mesmos estão lutando pra coibir: direitos exclusivos.

    O negócio agora seria focar nisso e ver o que se pode colher de positivo. Quekicê pode fazer à respeito, caro Luciano?

    Isso ainda vai render juros. Preparem os telhados pra tempestade gayzista; já ouço a trovoada no horizonte.

  10. Os movimentos LGTB, não tem que gostar é aceitar, foram eles que provocou e criou esta guerra, as famílias cristã só estão se protegendo da sandice deste grupos sem limites, hoje se bate em uma porta tem um GAY outra não, mas este grupos é que estão destorcendo os fatos de uma civilização moderna, temos sim que proteger as famílias deste deste grupos.

  11. Li o comentário, quase todas as igrejas são organizadas em associações com estatuto que doutrina seus membros, com regas de direitos e deveres, uma vez aceito cumprir as regras, este membro é aceito no seu quadro, não tem porque estes grupos querer confrontar as famílias que busca uma fé cristã.

  12. Não concordo. Exemplos muito mal dados. Pensem. Num bar drag queen o quesito se vestir a caráter é uma escolha da pessoa, se ela QUISER entrar ela coloca a roupa e entra, certo ? Em nenhuma torcida é proibida a presença de ninguém determinado, quantas pessoas de torcidas diferentes entram em torcidas diferentes pelos mais diversos motivos, mas pessoas com BEM SENSO não entrariam com uma camisa do palmeiras no meio da torcida do corinthians, não precisa nem proibir. Agora a sexualidade das pessoas ao meu ver não é uma OPÇÃO, não tem como eles deixarem de ser homossexuais na porta da igreja e entrar e pegar na saída, que ridícula essa ideia minha nossa, preconceito puro. Não é porque a pessoa tem outra opção sexual que ela não pode mais frequentar a igreja, isso é absurdo. Tenho amigos e parentes homossexuais que são pessoas completamente decentes, estudadas, trabalhadoras com vidas dignas e eles se consideram homossexuais desde que nasceram. Quem não consegue entender o mínimo DISSO tem MUITA coisa pra evoluir nessa vida ainda. Se não conseguem absorver a ideia de pessoas homossexuais conviverem como pessoas normais na SOCIEDADE humana que vivemos tem muito mesmo o que evoluir.
    Não sou exemplo de NADA, mas tenho com MUITO orgulho RESPEITO por TODOS os tipos de pessoas, comigo não tem tempo ruim. Preconceito eu superei fez tempo desde criança quando meus pais me ensinaram a ter caráter, dignidade, honestidade e RESPEITAR as pessoas SEMPRE. Minha educação veio de casa
    E uma coisa que sempre digo pra todos… Muita PAZ !!!

    • Guilherme, todos exemplos ilustram uma única situação: em qualquer ambiente privado, ou mesmo reuniões particulares em ambientes públicos, os seres humanos tem DIREITO DE ESCOLHA em definir quem participa deles, seja por alinhamento ideológico, político, intelectual ou comportamental. Não é um critério de FORA que deve definir os que são aceitos no grupo, mas sim os critérios INTERNOS do grupo. Quando a coisa envolve propriedade privada, isso já devia ser evidente. É por isso que em nossa casa escolhemos quem entra.

      Todos os meus textos são baseados no conceito de sociedade civil, onde existem o DIREITO A PROPRIEDADE, LIBERDADE DE CONSCIêNCIA, LIBERDADE DE EXPRESSÃO E RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL.

      Todas as suas “defesas” são válidas para países que não entendem esses conceitos, e portanto perderam suas características civilizatórias.

      Pensem. Num bar drag queen o quesito se vestir a caráter é uma escolha da pessoa, se ela QUISER entrar ela coloca a roupa e entra, certo ?

      Obviamente, mas a questão é uma só: o direito de escolha dos donos do RECINTO em definir os que de lá participam.

      Em nenhuma torcida é proibida a presença de ninguém determinado, quantas pessoas de torcidas diferentes entram em torcidas diferentes pelos mais diversos motivos, mas pessoas com BEM SENSO não entrariam com uma camisa do palmeiras no meio da torcida do corinthians, não precisa nem proibir. Agora a sexualidade das pessoas ao meu ver não é uma OPÇÃO, não tem como eles deixarem de ser homossexuais na porta da igreja e entrar e pegar na saída, que ridícula essa ideia minha nossa, preconceito puro.

      Você não entendeu meu argumento. Eu digo que se vocÊs abrirem uma igreja LGBT, TAMBÉM TEM O DIREITO de não permitir a entrada de evangélicos tradicionais. Este é o DIREITO DE PROPRIEDADE e não tem nada a ver com preconceito.

      Não é porque a pessoa tem outra opção sexual que ela não pode mais frequentar a igreja, isso é absurdo.

      Quem define os critérios de aceitação É A IGREJA E NÃO VOCÊ. Você está pagando as contas do local? É sócio? Então participe das reuniões internas para dizer que é absurdo. Senão, não entre lá se eles disserem que não te querem lá. Entender isso é entender o que é uma sociedade civilizada.

      Tenho amigos e parentes homossexuais que são pessoas completamente decentes, estudadas, trabalhadoras com vidas dignas e eles se consideram homossexuais desde que nasceram. Quem não consegue entender o mínimo DISSO tem MUITA coisa pra evoluir nessa vida ainda.

      Eu também acho que devem ser decentes, estudadas, trabalhadoras e com vidas dignas TANTO QUANTO os heterossexuais. Em que parte do meu texto eu digo o contrário? Nota-se que você não entendeu nada do que eu escrevi. Meu texto NÃO CRITICA homossexuais…

      Se não conseguem absorver a ideia de pessoas homossexuais conviverem como pessoas normais na SOCIEDADE humana que vivemos tem muito mesmo o que evoluir.

      Você é que precisa evoluir. Estamos em 2013, e precisamos entender que grupos tem direito de selecionar os que querem em seus grupos, e direitos de propriedade devem ser respeitados. Senão, voltamos à era tribal.

      Não sou exemplo de NADA, mas tenho com MUITO orgulho RESPEITO por TODOS os tipos de pessoas, comigo não tem tempo ruim.

      E é por isso que você deveria ENDOSSAR o meu texto, que RESPEITA o seu direito.

      Preconceito eu superei fez tempo desde criança quando meus pais me ensinaram a ter caráter, dignidade, honestidade e RESPEITAR as pessoas SEMPRE. Minha educação veio de casa. E uma coisa que sempre digo pra todos… Muita PAZ !!!

      Como é que você pode falar em PAZ se pede o DESRESPEITO AO DIREITO DE ESCOLHA EM PROPRIEDADES PRIVADAS? hehehehe

      É fácil achar as contradições em seu discurso.

  13. Uma sugestão seria os cristãos começarem a carregar suas filmadoras para os cultos e filmar qualquer manifestação que vise interromper o culto. Contra fatos não ha argumentos.

  14. Pra mim, os gays são duplamente perdedores. Por não se posicionarem contra as estrepolias do LGBT, não só levam a fama de mimados com atitude ditatorial, como conseguiram a proeza de serem barrados num lugar que dá guarida a praticamente qualquer um.

    • Eles não serão barrados, isso é o que a mídia manipuladora está divulgando, como se por si só, o projeto aprovado discriminasse, mas não. Ele só resguarda as igrejas de terem que aceitar situações como: um casal homossexual se pegando dentro de seus templos e não poderem falar nada com risco de responderem à justiça por homofobia.
      Numa igreja, os homossexuais são sempre muito bem recebidos, aliás, essa é uma questão interessante, eles são pessoas como todo mundo, ao entrar em uma igreja como vão saber que a pessoa é ou não homossexual?? Provavelmente só se a pessoa estiver com um comportamento/vestimenta que revele isto: homem usando maquiagem ou com trejeitos exagerados..mulher vestida com roupas masculinas..coisas desse tipo.
      Do contrário, não há como saber.

  15. Um barzinho que eu frequentava já era. Foi tomado pela militância gay teen. Resultado: A cerveja subiu de preço, o serviço piorou, a comida também ficou mais cara. E tem sempre um(a) frequentador(a) explorando com a língua o esôfago do parceiro do mesmo sexo para tentar “chocar” os valentes heteros que ainda teimam em frequentar o lugar.
    Um monte de gente já migrou para outros botecos. Foi o que fiz.
    Quando fechar a casa noturna nerd que se instalou defronte do tal boteco, o dono do mesmo vai implorar para a antiga freguesia (que consumia bem mais) voltar.

  16. Luciano, você não vai falar nada dos malucos que invadiram um laboratório e soltaram os cachorros (literalmente)? Afinal, podemos considerar a primeira grande ação zooterrorista da história do Brasil. O Reinaldo já falou disso aqui e aqui, bem como temos notícias do UOL (aqui, aqui e aqui), fora em outros lugares.
    Pelo que li do assunto, alguns lembraram da hipocrisia dos tais defensores, que de repente foram para São Roque vindos de suas casas e passaram por um monte de vira-latas, que não possuem valor comercial como os beagles possuem. Logo, poderíamos acusá-los de racismo ou mesmo mestiçofobia contra os cães de rua. Também alguns alertam que aqueles cães vivem a vida toda dentro de laboratório e, portanto, não possuem a imunidade que cães normais possuiriam, isso sem falar que patógenos originalmente dentro de um laboratório podem estar sendo espalhados para o ambiente exterior. Além disso, se estavam para descobrir a cura do câncer naqueles beagles, ela foi perdida para todo o sempre.
    Além disso, se virmos esta notícia do G1 e formos procurar o álbum de fotos do ocorrido, além de pessoas com olhar de que não batem bem das catracas, veremos esta foto com uma bandeira do Animal Liberation Front, o que significa que tem gente por trás dando grana e aplicação de postulados marxistas-humanistas-neoateístas a bichos e cientistas que usam bichos para que as pessoas possam continuar odiando pessoas e tenham mais tempo de vida para protestar teoricamente em prol dos bichos.

Deixe uma resposta