Extrema-esquerda desapontada: Cesare Battisti cancela participação em palestra a pedido do governo federal

15
39

13309217

Fonte: Folha de S. Paulo

Alvo de críticas por ser patrocinada com verbas federais, uma palestra na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) com Cesare Battisti, condenado na Itália por terrorismo e asilado no Brasil, foi cancelada no início da tarde desta terça-feira (5).

O comitê organizador do evento informou que Battisti comunicou que não participaria do evento em e-mail e em mensagem de texto enviada na madrugada desta terça. Os organizadores informaram que uma “decisão do governo federal tomada na noite de 4 de novembro impossibilitou a vinda do escritor Cesare Battisti à UFSC”. Ainda segundo a organização, Battisti receberia R$ 900 por hospedagem e transporte, e bancaria a própria alimentação.

O italiano Battisti seria o principal palestrante do evento “Quem Tem Direito ao Dizer”, em Florianópolis, uma promoção do PET Letras, programa nacional gerenciado pelo Ministério da Educação. A palestra estava agendada para esta quarta-feira (5). Segundo o professor Fábio Lopes da Silva, tutor local do programa, o objetivo do encontro é “dar voz aos malditos, aos proscritos e aos excluídos”.

No comunicado, ao qual a Folha teve acesso, o italiano pede desculpas pela “comunicação tardia” e declara que foi orientado a declinar do convite pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e pelo assessor de assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, para não violar “obrigações com as leis deste país”.

Suplicy informou que telefonou para Battisti na noite desta segunda-feira (4), depois de conversar com Marco Aurélio Garcia e ouvir dele que o evento “estava ganhando conotação política e poderia prejudicar Battisti”.

“Ele [Battisti] não tinha intenção de fazer observações políticas ou comentar a relação entre Brasil e Itália. Queria falar dos seus livros. Mas eu ponderei a ele para não ir”, disse o senador. A assessoria de Marco Aurélio Garcia informou inicialmente que iria comentar o episódio, mas recuou e disse que ele não se manifestará. A Presidência da República também informou, via secretaria de imprensa, que não comentará.

“Repliquei com todos os detalhes que a palestra seria feita na faculdade de letras, que o objetivo era exclusivamente o meu percurso enquanto escritor. Apesar disso me foi fortemente recomendado de não ir a Florianópolis porque as consequências para mim poderiam ser graves”, escreveu Battisti.

A nota diz ainda que “reações organizadas à presença do palestrante, que incluíram promessas de censura e mesmo de violência física, poderiam colocar em risco a integridade do convidado e o patrimônio da universidade”.

O evento foi mantido e o biógrafo de Battisti, Carlos Lungarzo, foi convidado a assumir a palestra do italiano.

PROTESTOS

Condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, Battisti nega o suposto envolvimento nos assassinatos e diz ser vítima de perseguição política.

O professor Fábio Lopes da Silva, que organizou o evento, classificou Battisti como “maldito por excelência”, o que combinaria com a temática do evento. “Ele é uma figura tatuada com o emblema da exclusão”, disse ele à reportagem na manhã desta terça (5), quando ainda desconhecia o e-mail de Battisti.

A participação do italiano em um evento pago com verba federal motivou protesto de um pequeno grupo de professores da UFSC. Sérgio Colle, docente de engenharia mecânica e consultor do Ministério da Ciência e Tecnologia, fez críticas públicas à universidade por considerar a palestra do italiano “uma afronta à Justiça”.

“O evento é um despropósito, sobretudo uma afronta à instituição universitária brasileira”, declarou.

HISTÓRICO

Battisti entrou ilegalmente no Brasil em 2004, e foi preso pela Polícia Federal no Rio de Janeiro três anos depois —atualmente mora em São Paulo.

Em 2009 recebeu do governo brasileiro o status de refugiado político, o que abriu uma crise diplomática com a Itália. O italiano foi mantido preso até 2011, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) validou a decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de mantê-lo no país.

No Brasil, Battisti foi condenado a dois anos de prisão por uso de passaporte falso. Mas a pena foi revertida em prestação de serviços à comunidade e pagamento de dez salários mínimos a entidades de assistência social.

Meus comentários

Mais uma notícia que endossa a minha tese de que a esquerda não só (ainda) não venceu no Brasil como tende a não vencer. A razão para isso é a criação de uma consciência política de direita, ainda que diminuta, que em vicejado nas redes sociais.Mas ainda estamos apenas no começo, obviamente.

A partir do momento em que um governo é obrigado a recuar e pedir para que seu amigo do peito Cesare Battisti deixe de participar de um evento público por causa de pressão externa, é sinal de que a extrema-esquerda não está tão totalitária quanto gostaria.

Anúncios

15 COMMENTS

    • A sociedade sueca é civilizada, educada, respeita as leis e tudo mais, mas em termos humanos é profundamente doente.

      É a prova do marxismo cultural e seus resultados grotescos.

      • Bota doente nisso.

        Li essa notícia e fiquei pasmo. Pelo critério feminista (melhor, feminazi), simplesmente não passaria quase nenhum filme de guerra!.

        Em tempo: rapaz, mas até as feministas suecas são feias. Cruzes!

  1. Não acho que seja hora pra comemorar nada.

    Nós barramos Battisti. Eles barraram D. Bertrand, Pondé, Magnóli (que nem conservador direito é), e um monte de outros.

    Vitória mesmo seria se conseguíssemos a extradição do terrorista.

    • Comemorar um gol não é a mesma coisa que comemorar a vitória no jogo (que não acabou ainda), mas deve-se comemorar o gol, sim! E esse do Batistti ainda foi de placa. ;¬)

      Os gols da esquerda geralmente são de mão, de barrigada ou de W.O. Não tem mérito nisso. É comparar Zico com Brocador.

  2. Detalhe referente ao artigo: foi uma múmia que orientou e fez o assassino italiano condenado à perpétua declinar? Uma MÚMIA?! É isso?!

    Pelo visto esses esquerdistas não andam lá muito bem das pernas (e das ideias). O Olavo fala sempre que a tal rev. cultural tem o seu ‘tendão de aquiles’, que é o fato de NO PROCESSO acabarem tb respirando o ar venenoso desse marxismo atmosférico criado por eles mesmos, tornando-se tb intelectualmente e moralmente fracos, abjetos.

    Eles levam o país pro esgoto do emburrecimento geral e cedo ou tarde acabam indo junto!

    O “bombeiro” deles é um Suplicy da vida, vejam só que coisa.

    Imagina chamar esse socorrista aí (e eu até que tenho lá minha simpatia por essa ‘figura folclórica’ do esquerdismo) prum debate com QUALQUER aspirante a bombeiro desse lado do espectro político anti-petista?

    Vira cinza em dois segundos. ‘Puf!’

    -Que isso, Leônidas? Que brincadeira é essa? Trouxe apenas esse punhado de soldados pra lutar?? Cade o seu exército?? Como derrotaremos Xerxes dessa forma?? Tá maluco, neguinho?!!

    -Vejo que seu contingente tem muitos, alguns milhares. Vc aí… Qual a sua profissão?

    -Sou paisagista, artista plástico e coreógrafo do programa da Xuxa, senhor!

    -E vc? O que faz?

    -Sou professor de teatro e História, tenho uma banda emo e escrevo poesia, senhor!

    -E vc? Como se vira?

    -Camelô, senhor!

    -E vc?

    -Planto milho orgânico e cato coquinho na praia, senhor!

    -Vc?

    -Pacifista black block, senhor!

    -E vc?

    -Tenho o bolsa família. Serve, senhor?

    -Spartanos… Qual a sua profissão?

    -RRRRRR!!!!!!!BAM!BAM! RRRRRRR!!!!BAM!BAM! RRRR!!!!!!

    -Entende agora?… O meu exército é maior que o seu.

    http://www.youtube.com/watch?v=NiA33awXJ7o

    Lembremos o filósofo: a inteligência está nos bagos!

    Uma coisa é certa…

    Mesmo que exista a possibilidade dessa batalha ser perdida, eu vou deixar marcas profundas no corpo e no ego dessa mentalidade revolucionária que nunca mais irão cicatrizar, e as sementes que eu conseguir plantar para o futuro da minha sobrinha irão crescer nas frestas dessas feridas inflamadas.

    ——–

    ‘O que estamos dispostos a perder?’

  3. Luciano, fora do tópico do post, mas de acordo com seu comentário sobre ele, a caminho do trabalho, ouvi hoje pela rádio CBN que Bernardinho (do vôlei) seria candidato a governador do Rio de Janeiro pelo PSDB. A se concretizar tal candidatura, me parece que a extrema-esquerda terá grandes chances de perder poder no Rio. Que te parece?

  4. Seguem vídeos do pessoal protestando contra a vinda do Battisti:

    http://www.youtube.com/watch?v=tw62KhlPZmc

    http://www.youtube.com/watch?v=i1V0o_BqMBs

    http://www.youtube.com/watch?v=zU-z-wQGvGw

    http://www.youtube.com/watch?v=vLkIXXaGieU

    E como falamos em universidade, estamos em vias de uma reintegração de posse na reitoria da USP e já há alguma forma de resistência, após eles terem dito que queriam conversar (aqui, naquela base de com marreta na mão serem bicho feroz e com reintegração de posse andarem rebolando e até mudarem de voz), e isso porque a USP chegou a se reunir com os vândalos sem chegar a acordo (ao que suspeitaremos que os alunos acampados propositadamente não quiseram chegar a acordo com o fim de prolongar a invasão e quem sabe conseguirem um mártir, notícia que também saiu no Estadão. A polícia terá de fazer outra estratégia, pois há gente que fará vigília de madrugada para avisar os que estão dentro do prédio. E, se o número de alunos acampados for mesmo maior do que os 72 daquela vez, a polícia terá de ir com efetivo muito maior.

Deixe uma resposta