A nítida evolução política de Marco Feliciano

38
196

O-Deputado-Federal-Pastor-Marco-Feliciano-PSC-SPGLOBO

Eu não preciso concordar com os dogmas de Marco Feliciano para aplaudir a entrevista no fim deste post. Com respostas claras, diretas e assertivas, ele conseguiu mostrar o quão torpes tem sido os militantes da extrema-esquerda atuando contra ele.

A melhor parte vem ao final, quando ele cita a amoralidade patológica dos petistas, e termina citando Voltaire.

Pois é, quando John Gray disse que os atuais crentes atualmente são mais livres-pensadores que os religiosos políticos, ele não estava exagerando. Segundo Gray, os religiosos tradicionais tem sido tão atacados nos últimos séculos que adquiriram a capacidade de auto-crítica. Mas os religiosos políticos, por outro lado, como tem sido pouco criticados (o que tem mudado ultimamente, ufa) nos últimos séculos, perderam a capacidade de auto-crítica. Vivem na espiral do delírio.

O resultado é que um dos maiores líderes religiosos do brasil é um defensor da liberdade de expressão, enquanto seus maiores opositores são censores natos.

O que importa é que cada vez mais pessoas da direita e centro, religiosos ou ateus, consigam expressar isso de forma clara para o público. Nesse sentido, Feliciano realmente se saiu muito bem nesse vídeo, onde demonstra uma nítida evolução.

Antes ele era apenas um pastor. Depois, tornou-se deputado. Agora, finalmente é um deputado (e pastor) com consciência política.

Anúncios

38 COMMENTS

  1. Acabara de assistir ao vídeo e estava comentando sobre a mudança que o Feliciano estava tendo no seu posicionamento e sua evolução quando … chega um e-mail avisando desse post.

    Parece que aos poucos a direita está aprendendo a jogar o jogo político. Nesse ponto o teu blog é essencial por difundir o ceticismo político e assim formar novos críticos e militantes.

    Parabéns pelo ótimo trabalho.

  2. A esquerda no Brasil chegou a um nível tão aberto de intolerância que Marco Feliciano se tornou sinônimo de tolerância…

    Um pastor-político num país desenvolvido é mais um elemento de algum partido cristão-democrata na Europa – que pega seus acentos, discute e vota leis – normalmente.

    No Brasil é uma campanha de hostilidade…é a religião política falando mais alto.

  3. Sucintamente prefeitas- quer dizer, perfeitas- as colocações do pastor pentecostal. Aqui no Rio ele já tem o meu voto.

    Refutar o Voltaire é até fácil, já que boa parte do seus discursos eram erísticos e acabaram por fomentar a barbárie na França Iluminista. (*Adendo: uma vez cheguei a fechar um trabalho de escola- quando tinha 14 anos- com essa famosa frase, e lembro de todos ficarem bem comovidos em sala)

    Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizes (*até porque eu as desprezo de antemão mesmo), mas defenderei até a morte o direito de vc dizê-las (*desde que estas se limitem à privacidade dos seus aposentos e não tenham a chance de alcançar o microfone da praça central).
    Sei…
    Esse morreu velho e doente, com remorso da vida, blasfemando os amigos, Deus e o mundo. Não podia ser diferente. Boa parte desse neo-ateísmo militante acabará assim tb.
    Quem avisa amigo é. |¬)

  4. O que não dá pra negar é que o discurso de Feliciano deu uma boa melhorada depois que ele leu Olavo de Carvalho. Que outros políticos saiam da toca, percam o medo da patrulha e defendam o que é certo. A verdade é que esse povinho de esquerda é mais barulhento que numeroso, aparelharam quase toda a imprensa e parecem oráculos quando repetem bobagens que são retumbantes fracassos desde 1917. Mas a maioria das pessoas que CARREGAM ESTE PAÍS NAS COSTAS tem um viés ideológico muito mais próximo do que diz um Feliciano do que um ex-terrorista (e louco para voltar a sê-lo) como Zé Dirceu. Esse pessoal que adora falar em nome da abstração chamada “povo” que só anda de carrão, avião, e tem tudo do bom e do melhor que só o capitalismo pode oferecer.

    • Excelente comentário, caro Bruno. Conheço pessoalmente vários professores universitários da UFGD – Universidade Federal da Grande Dourados que defendem com unhas e dentes as ideologias marxistas mas que o banheiro da casa deles é maior que a minha casa inteira e que tem um carro zero que custou 20 vezes mais que a minha moto 2004 usada. Um dia desses eu estava em um jantar e um desses professores começou suas bravatas marxistas, atacando o imperialismo norte americano enquanto tomava sozinho uma garrafa de 2 litros de Coca-Cola. Paradoxal isso, não?

    • Olá Hannoy, eu sou Cristão convicto e achei muito digna sua atitude de não julgar influenciado pelo posicionamento religioso do Marco Feliciano mas sim pelas razões corretas, isso demonstra sua inteligência. É isto mesmo, temos que nos unir contra os esquerdistas se quisermos ter pelo menos uma chance de reverter este processo, deixando de lado diferenças, pois uma das maiores estratégias que os socialistas têm usado é “dividir para conquistar” e isto têm funcionado. Parabéns pela honestidade intelectual.

  5. Quem dera que até as eleições de 2014 boa parte dos políticos de oposição , fossem ainda mais assertivos que o Marco .Esse sonho é bem plausível.

    • Opaa, aí era o evento do ano hein! É de situações assim que a Direita precisa pra impôr um discurso e conseguir penetração.. Gente mostrando a cara e falando com todas as letras quem é quem neste debate.

      O Danilo Gentilli por exemplo, foi uma grata surpresa. Tá na hora de mais gente se assumir conservadora. Só assim pra garantir uma expressão perante o público.

      • Várias alternativas: feudalismo japonês ^__^, o Império das Máquinas 😀 , a sociedade 100-por-cento lésbica :-P, und so weiter.
        Quando eu afirmei que eu sou um “ponto fora do espaço”, eu não estava brincando 😉
        Lembra que um dia eu te falei das “idéias que, mesmo sendo viáveis, não interessam a ninguém”?
        Pois é, …..

      • Estou entre o ancap e a monarquia. Apostei por um tempo no federalismo. Não decidi.

        Na verdade não queria nenhum governo cagando regra sobre mim, principalmente tributárias, e não vejo possibilidade de mudança nisso pelo voto (já fui candidato a vereador) enquanto qualquer um puder votar.

        Assim, sigo em busca de mais estudo a respeito, mas falam de democracia como se fosse o Ó, isso enche. O mesmo vale para quem deseja a monarquia acima de tudo, como os da TFP – que querem o reino aqui – literalmente.

        Se você puder indicar livros sobre o assunto, agradeço muito.

        E acabei de ler Missa Negra, do J. Gray. Pena eu ter dificuldade em guardar tudo.

      • retificando:

        incluindo as tributárias.

        Como estava pareço “libertário”. Eu não foco no dinheiro, a guerra é outra.

  6. Tirando o mantra da democracia, mandou muito bem.

    Ainda não entendo no que há de justiça em tirar de alguém o fruto do trabalho dela à força?

    Alguém poderia me conversar dessa justiça?

  7. Oque as pessoas não entenderam ainda é que oque o Dep. E Pr. Marco Feliciano não professa algo que ele inventou,ou ache correto,ele só professa aquilo que está na bíblia, e quem contesta ele ,está contestando Deus,pois quem inspirou a bíblia não foi o homem mais Deus,e Deus não mudou,um dia ele destruiu duas cidades (Sodoma e Gomorra) devido o povo ter se prostituído, e a bíblia condena os homossexuais, e se quiser saber mais meu email é corynfa@ig.com.br
    Shalon

  8. E até os terreiros estão do lado de Feliciano:

    http://www.youtube.com/watch?v=4oRxw0asqXk

    Aqui, fica algo interessante: notar o quanto que o matiz mais africanizado do país, a exemplo do matiz mais caucasianizado ou orientalizado, valoriza a família intacta e forte. Logo, fica mais patente ainda a prova de que família em ordem não é uma imposição da sociedade ocidental judaico-cristã, mas sim um ponto em comum que une todos os povos e sem o qual não se tem sociedade em ordem.
    Logo, a imposição ocidental (e nada judaico-cristã) que está sendo feita no mundo é a do marxismo-humanismo-neoateísmo, que por excelência é ocidental até o último fio de cabelo. O mais interessante disso tudo é que os 600 terreiros que agora tocam atabaques por Feliciano são expressão do que de mais ocidental pode haver, uma vez que a umbanda é um sincretismo de elementos do candomblé, elementos indígenas e kardecismo e nasceu em um ocidentalíssimo Brasil do século XX, no Rio.

    Obviamente que aqui falamos de pontos de contato e o próprio Feliciano deve ter pensado na história toda entre o dia do ocorrido e a ocasião em que ele declarou para os fiéis. Toda grande religião valoriza a família (podemos ver aí pelo cristianismo, o islamismo, o judaísmo, o budismo, o hinduísmo e outras), uma vez que ela é o centro de propagação da cultura que toda religião gera a seu redor. Logo, não seria diferente em relação às religiões de matiz africano, ainda mais que essas dependem ainda mais da cultura e da tradição (principalmente o candomblé, que não tem livro revelado).
    Em tese, devido às influências de Kardec (contemporâneo a Marx e Engels e que bebeu da mesma fonte em que eles beberam, a ponto de se poder ver semelhanças conceituais), era para que os umbandistas acabassem tendo mais pontos de contato com o MHN do que teria a Igreja Católica (porém, o que vimos é a Teologia da Libertação ter mais força dentro da Igreja Católica brasileira do que tem o MHN em relação às religiões de matiz afro). Nunca esqueçamos que sempre tentam usar as religiões de matiz africano como inocentes úteis dos marxistas-humanistas-neoateístas, mas agora fica a impressão de que essas religiões estão notando que em alguma ocasião o N de MHN iria se manifestar contra elas também. O que eles devem ter notado é que MHNs perseguem mais as religiões de matiz africano do que perseguiriam os não-MHNs, sendo mais negócio mesmo apoiar quem esteja mais a favor da preservação do ambiente que permite às religiões florescerem e prosperarem.

    Assim sendo, sequer podem agora acusar o combate ao MHN de algo vindo de cristãos, pois não só tem ateus (ainda que aqui sejam ateus majoritariamente de pano de fundo cultural cristão) mas agora também as religiões que normalmente os MHNs acusam os cristãos de perseguir e querer erradicar. 600 terreiros é uma marca muito importante, ainda mais quando pensamos que mesmo na umbanda há terreiros que não estão filiados a uma entidade e isso torna a contagem ainda mais difícil de ser feita (o mesmo valendo para o candomblé).

  9. Bem…nós somos cidadões dos céus,nossa pátria ñ é aqui,sendo q isso ñ nos impede de entender de política(mas particularmente, eu prefiro entender de bíblia),mas quanto ao Feliciano, acredito piamente q o foco e objetivo dele,ñ é mais o evangelho.Mas relacionado a política e leis,até as leis de Deus que pertenciam ao velho testamento, Deus as considera carnal e esterco, e coisas vãos, então porq um cristão tem q se envolver c política p tentar melhorar um mundo que jaz no maligno e corrompido e q Deus ñ tem a mínima intenção de reconstrui ló??,pois todas as potestades foram estabelecidas por Deus, e se tem corruptos, Deus sabe e está permitindo tudo isso!! é a palavra dele se cumprindo!!

Deixe uma resposta