Empadinhas são esfareladas pelos “coxinhas”: Brasileiros aprovam protestos, mas 93% rejeitam “black blocs”, diz pesquisa

18
98

empadinhas

Fonte: UOL

A onda de protestos realizada pelo país tem o apoio de 81,7% da população, segundo pesquisa de opinião divulgada nesta quinta-feira (7) pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes) em parceria com o instituto MDA.

No entanto, a grande maioria condena a ação dos chamados “black blocs”, grupos de mascarados que realizam depredações durante os protestos: 93,4% não concordam com as ações deles durante as últimas manifestações de rua no Rio de Janeiro e em São Paulo.

No entendimento de 91,5% dos entrevistados, a maneira de se manifestarem não é legítima. Apenas 6,7% concordam que são válidas.

Pesquisa Datafolha realizada em outubro apenas na cidade de São Paulo mostrava que menos do que 95% dos paulistanos desaprovam a atuação desse grupo.

Na pesquisa CNT/MDA, de caráter nacional, foram ouvidas 2.005 pessoas em 135 municípios de 21 unidades da federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A pesquisa foi feita entre os dias 31 de outubro e 4 de novembro.

Meus comentários

O que é um empadinha? É aquele que diz ser “da massa” ou representar a massa. Mas, assim como o salgadinho, é envolvido por massa podre.

Todo empadinha é aquele que adora regimes de extrema-esquerda e só fará ações para dar poder a totalitários. É por isso que sabemos que sempre que ele diz representar a massa, sabemos que ele está mentindo.

Os empadinhas de segunda classe são adeptos de esquerdismo moderado. Os empadinhas mais recheados já adoram mesmo um regime de extrema-esquerda. Esses últimos amam Hugo Chavez, Cristina Kirchner, Josef Stalin e qualquer um que lute ou tenha lutado por poder totalitário.

E, ao que parece, os empadinhas não caíram no gosto popular: 93% da população rejeita os empadinhas mais legítimos do mercado.

Anúncios

18 COMMENTS

  1. Pois é, 95% da população aqui desaprova os black bostas, mas a polícia e as autoridades preferem ficar com o c* na mão na hora de lidar com eles, achando que “a sociedade” não vai gostar.

    Se passarem uma lei para PRENDER esses fdps, você acha que os paulistas/paulistanos, conservadores por natureza que somos, vamos nos incomodar? Pfft.

    Falta BOLAS em certos políticos por aí, isso sim. Aí quando o PT arrisca e vence, começa a choradeira.

    • Pegou na veia.

      Faltam bolas principalmente naquele partido de picolés de xuxu, o PSDB

      Dizem a boca pequena por ai, que o PSDB não pode disputar mais eleições, pois seu candidato se acharia em fogo cruzado. De um lado o fogo inimigo do oponente, e de outro, mas o pior deles, o fogo amigo dos correligionários.

      Parece que estamos no mato sem cachorro, o gato fugiu, e perdemos a bússola.

    • Da maneira que eu vejo, “a sociedade” iria gostar sim.
      Só que a parcela mais barulhenta e destrutiva iria odiar E reagir violentamente a isso (como já ocorreu), e é disso que autoridades e os comandantes têm medo.
      Afinal, de que adianta ser maioria se sua voz não é abafada pelo barulho de meia dúzia?

  2. “O que é um empadinha? É aquele que diz ser “da massa” ou representar a massa. Mas, assim como o salgadinho, é envolvido por massa podre.’

    Não, Luciano. No caso de esquerdistas ser empadianha é:
    – Ser Inchado, ter a cabeça achatada (pela ausência de cerébro) e ter uma azeitona enfiada em seu TRASEIRO, o que os obriga pela dor, a proferir tolices.

  3. Luciano, imagino eu que você tenha notado que essa pesquisa praticamente sepulta a retórica de máfia que os black blocs apresentavam para pressionar por sua inclusão nas manifestações de pessoas pacíficas. Aliás, joga ainda mais para baixo os tais encapuzados, principalmente se virmos que as últimas manifestações de junho acabaram tendendo a ser pacíficas (o que fez surgir o tal apelido de “coxinhas” para desmerecer o comum do povo que foi às ruas protestar da forma que sabe fazer, que é em paz). Depois disso acabamos por ver o crescimento dos black blocs e a suspeita de eles, apesar de se dizerem anarquistas, estarem sob comando de políticos marxistas-humanistas-neoateístas ou mesmo em conluio com crime organizado (vide pichação de CV em agência bancária depredada por mascarados e, em São Paulo, a interceptação de conversas do PCC falando de infiltrar gente nas manifestações).
    Isso tudo comprovou também que o lance de colar “coxinha” como pejorativo nos brasileiros pacíficos era tentativa de querer mesmo desqualificar o povo como um todo, mas nem de longe colou, até porque em São Paulo o termo é mais usado como sinônimo de soldado da PM. E tal tentativa, como vimos, acabou indo por água abaixo e inclusive gerou coisas constrangedoras como esta em que inclusive se tenta passar a definição que os MHNs querem que as pessoas pensem que é a de “coxinha”, quando sabemos bem que nunca foi usada antes de os MHNs quererem espalhar sua tentativa de ressignificar planejadamente uma palavra (algo com um quê de Derrida).

    Também parece haver um arrefecimento nas manifestações dos encapuzados, sendo que inclusive já se estuda em nível federal formas de punir o vandalismo que elas espalham (aqui podendo ser considerada uma forma de descartar inocentes úteis). Observe-se que não estamos mais vendo aquele monte de manifestações no Rio e a mais recente em São Paulo só teve confusão porque um dos de preto soltou um rojão no meio da avenida Paulista. É possível que o grupo em questão comece a perder fôlego com o passar das semanas e ainda mais após a divulgação dessa pesquisa.
    Em tempos, ao menos nesse aspecto as coisas começam a voltar ao normal, com as pessoas querendo protestar, mas sem violência ou vandalismo, e sem os black blocs por perto. Quem sabe seja uma revanche da manifestação pacífica e uma derrocada da ideia marxista de que só se faz mudança pela violência. Ainda assim, ficaremos preocupados com o destino de black blocs que demonstram ter treinamento e boa capacidade logística, pois nada impede que eles enverguem outra bandeira qualquer (uma vez que no marxismo-humanismo-neoateísmo bandeiras são só bandeiras mesmo, e não a metáfora de algo que você defende de fato) e façam das suas em breve.

  4. São Paulo com 6,7% de esquerdistas… Pensei que esse percentual fosse maior. Graças a Deus a população ainda é conservadora. Infelizmente não se pode dizer isso do Nordeste, onde ser de esquerda é quase como respirar o ar que nos rodeia.

  5. Pô Luciano! Dessa vez você pegou pesado… Chamar os caras de “empadinha”… Eles vão ficar P da vida com você. De minha parte, ri bastante. Parabéns pela ironia do post.

  6. Com todo esse índice de rejeição, aposto que os blac bosts vão dar uma sumida. Afinal, nihguém me tira da cabeça que estão a mando do PT, PSOL, PSTU, etc. Lá de cima já deve ter saído a ordem para eles pararem. Do mesmo lugar que partiu a ordem para matar Celso Daniel.

  7. “São Paulo com 6,7% de esquerdistas… Pensei que esse percentual fosse maior. Graças a Deus a população ainda é conservadora. Infelizmente não se pode dizer isso do Nordeste, onde ser de esquerda é quase como respirar o ar que nos rodeia.”Sou do Norte e moro no Nordeste . Há uma diferença entre poder na sociedade e força eleitoral . Se for de poder na Sociedade a esquerda está no Sul-Sudeste boa parte dos intelectuais e militantes de esquerda são do sul-sudeste , a esquerda chegou no Brasil , no Sudeste com os italianos.Sem contar que são os empresários do Sul-sudeste que financiam a esquerda e bem mais a classe média do Sudeste é que tem o discurso Politicamente Correto .
    Já força eleitoral é mesmo o Nordeste com o Bolsa-Esmola e o discurso de apelo ao pobre com o PT . Mas o povo em costumes é mais Conservador é no NE. Tanto que houve aqui na minha cidade ” Liberdade na Estrada” promovido pelo Ordem Livre , e quando um anarcomiguxo defendeu a legalização das drogas, causou um tremendo mal -estar ,

Deixe uma resposta