Acredite se quiser: professor socialista diz que há doutrinação tanto de esquerda como de direita nas universidades

22
202

roberto

O blog de extrema-esquerda Caixa Zero (de Roberto Galindo), do Gazeta do Povo, tenta nos enganar chamando um professor socialista para declarar que “há mais doutrinação de direita que de esquerda nas universidades”.

É exatamente isso que você leu!

O truque já começa logo no início do artigo, quando o blogueiro diz o seguinte sobre o professor Roberto Romano, que ensina Ética e Ciência Política na Unicamp: “A orientação política dele? O blog até perguntou, mas deixa sem contar a resposta. Fica mais divertido assim, e evita-se também uma caça às bruxas ainda maior.”

Pena que a diversão não durou muito tempo, pois os posts de Romano no Facebook nos mostram que ele é de esquerda.

Mas nem sequer seria preciso investigar o Facebook dele, pois em seu discurso para o blog Caixa Zero, ele já declara suas intenções:

E existe, sim, direita e esquerda. A primeira exige a ordem que preserva os seus lugares de mando e de garantia social. A segunda exige mudanças na estrutura da sociedade e do Estado.

Wait a minute…

Temos aqui a famosa rotina dizendo que “direita quer manter do jeito que está, e esquerda quer mudança”. O problema para esta tese é que quando a direita pede redução de impostos, pede uma mudança…

Mas o dialeto da extrema-esquerda vai sempre no mesmo padrão: mudança só é mudança se for da esquerda. Romano mostra não apenas seu esquerdismo patológico como também uma cara de pau surpreendente.

Eis então a prova que ele apresenta para nos provar que a direita é tão representada quanto a esquerda nas universidades:

É possível, sim, reconhecer nos campi brasileiros os descendentes de Rousseau e de Robespierre, de Marx e de Sartre. Mas também são identificáveis os herdeiros de Burke, Bonald, De Maistre, Donoso Cortés. E são hegemônicos os que integram a segunda lista.

Pois é. Mentira tem perna curta. Ao tentar apresentar a tese bizarra de “esquerda e direita representadas igualmente” ele cita Rousseau e Marx, que são dois ícones da esquerda atual, e Burke, do lado da direita, que não está nem próximo dos maiores representantes da direita, como, por exemplo, Russel Kirk, Friedrich Hayek e Ludwig von Mises. Por que ele omitiu esses? Por que, é claro, ele nem sequer sabe quais são os pensadores mais relevantes da direita. Não sabe por que foi doutrinado a não conhecer esses autores. Simples assim.

No fim das contas vemos que Romano não consegue provar uma alegação que faça, pois, em defesa de sua tese, ele teria que mostrar evidências de doutrinação de direita nas universidades. O que ele não conseguiu mostrar. Enquanto isso, achar evidências de doutrinação de esquerda é uma moleza.

Ou quem sabe ele não prova que existem teses sobre Ayn Rand e Ludwig von Mises na mesma quantidade em que teses sobre Antonio Gramsci e Karl Marx?

Mas é melhor deixar pra lá, pois evidência não é uma palavra presente no dialeto marxista.

Anúncios

22 COMMENTS

    • Aliás, eu acho que ele SABE que está defecando horrores pela boca, mas ele faz isso justamente para manter aquela mentira coletiva que os esquerdistas acreditam, e provocar reações de fúria nos conservadores.

      O conservador possui um mínimo de honestidade intelectual que ele precisa para participar do debate, sabendo disso, os esquerdistas só debatem abaixo desse nível. E eles não têm vergonha alguma disso, vide esse episódio tragicômico do Romano.

  1. Nem é tão difícil calar as mentiras desse sujeito, só comparar a quantidade de trabalhos produzidos sobre autores de esquerda e de direita (e de direita o máximo que se vai encontrar é algo do Burke aqui ou do Tocqueville ali).

    ____________________________________________________________________________

    “E existe, sim, direita e esquerda. A primeira exige a ordem”

    Ou seja: O respeito à ordem é classificada como direita, mas sabemos que a esquerda democrática tem um espaço imenso no país, essa é a direita dele, qualquer um que respeite a ordem, esquerda são só os revolucionários prontos a incendiar o país e matar os burgueses.

    • Caro Daniel, apenas uma retificação, com a sua licença: o esquerdopata imbecil (olha aí mais um pleonasmo, André) não identifica a “direita” com simples respeito à ordem, mas

      “A ORDEM QUE PRESERVA OS SEUS LUGARES DE MANDO E DE GARANTIA SOCIAL” (caixa alta é minha)

      Traduzindo: é a velha definição PILANTRA do que é direita, por esquerdistas, segundo a qual esse lado político se resume na intenção de manter posses e privilégios a qualquer custo, sem a menor preocupação social ou com mudanças que possam melhorar a vida das pessoas.

      • Considerei o que ele colocou depois do “que” como mera explicação propagandística do porque a terrível direita preserva a ordem.

  2. Foi por causa de pérolas como essa que cancelei minha assinatura com a Gazeta do Povo (eles até me cobraram uma justificativa e ainda fizeram chantagem emocional)

    • Marco, só penso que isso é meio que fazer o jogo da esquerda.

      É próprio do esquerdismo a unicidade de pensamento, de opinião, de manifestação pública. Devemos ir, pois, no sentido contrário: admitindo a livre expressão até de imbecilidades esquerdistas como essa em destaque. juntamente, é claro, pelo seu contraponto de direita, a qual sempre poderá esfacelar aquela.

  3. Reagan que estava certo em fazer piadas sobre esses merdas…qualquer crença se ofende com uma piada.

    Uma crença comprovadamente errada então, é a que mais se ofende!

  4. Um amiga minha da esquerda me falou que os intelectuais brasileiros em sua maioria são de esquerda por que estudaram muito, não por que existe uma “suposta” doutrinação marxista! Tenho até raiva desse povo que se faz de doido. Nós nunca estudamos as soluções de Mises em geografia para os “problemas” que os esquerdistas apintam no capitalismo. Estamos numa situação crítica.

  5. Quanto mais eu vivo, mais me convenço de que todo esquerdista não passa de um IDIOTA Que, ou é também um CANALHA, ou então mente para si mesmo e para os outros. Quando vira professor, é um perigo. E há MILHARES deles, nas escolas e universidades, doutrinando, doutrinando… uns mais veladamente, outros de maneira totalmente descarada.

  6. Não havia lido isso: “E são hegemônicos os que integram a segunda lista.”, é muita mentira para apenas uma pessoa, autores hegemônicos que mal são traduzidos? O cara é um mentiroso patológico.

  7. Olá Luciano,

    Eu postei esta matéria no grupo da Unicamp no Facebook. A reação foi engraçada. Serviu para demonstrar por A + B que os esquerdistas são maioria. Não apareceu um direitista sequer, em meio a quase 200 comentários. Fui xingado, ridicularizado, e a barulheira e a macaquice foi grande. Tudo dentro do esperado, obviamente.

Deixe uma resposta