Um vídeo para passarmos o dia com um sorriso no rosto: Estudantes militontos da UFRRJ escracham o professor militonto Paulo GhiraldelliI

40
247

filosofo_paulo_ghiraldelli

O mais engraçado do marxismo cultural é que, muitas vezes, seus líderes perdem o controle da situação, e são vitimados pela situação que ajudaram a criar.

Imagine o caso de um traficante de drogas, que escarnece da população diante de sua impunidade, mas vê seu filho sofrer uma overdose de cocaína. Ao mesmo tempo em que temos alguma sensação de comiseração, e somente pelo filho (não pelo pai), não podemos deixar de notar a ironia da coisa.

Algo semelhante ocorre com Paulo Ghiraldelli no vídeo abaixo.

Reconheço que não entendi absolutamente nada do que os militantes manifestavam, e isso não faz diferença alguma: o que importa é que eles usaram sua forma de “dialética”, que envolve gritar mais alto que o oponente, fazendo uso de pressão psicológica e intimidação, tentando silenciá-lo.

Lá pelas tantas, Ghiraldelli se revolta gritando “é mentira, é mentira”, e chega até a arrancar o folheto das mãos de um militante. Até me surpreendi com sua atitude, meio corajosa, se bem que no fundo ele mostra que militantes de extrema-esquerda são geralmente covardes (já que só atuam em bando), pois havia risco dele tomar um tabefe naquele momento. Isso não ocorreu, por sorte de Ghiraldelli.

No fim das contas, o auto-intitulado filósofo foi obrigado a encerrar sua palestra e saiu, constrangido. Ainda declarou algo como: “Eu escrevi um livro apoiando os militantes, portanto isso é um absurdo”.

Ora, se ele apoiou os militantes e esse estilo de dialética (em estilo rortyano, onde a verdade jamais é importante, muito menos o diálogo), então como ele pode reclamar? Na lógica defendida por Ghiraldelli, a verdade é definida por quem grita mais. Aliás, não existe sequer verdade. Ou será que a verdade não existe mas pode ser chamada de verdade por quem grita mais ou usa o marketing mais adequado? Mas se a verdade não existe, conforme o próprio defende, como ele pode dizer que os militantes estavam falando “mentira”?

Nada disso importa.

O que importa é que ele não tem moral alguma para reclamar do que aconteceu com ele, pois sempre estimulou esse tipo de comportamento irracional, mas que ao mesmo tempo gera benefícios para quem o realiza. Seria a prática da estupidez astuta. Pessoas de fora, como nós, podemos rir de toda a situação, expondo-o como uma vítima daquilo que ele sempre criou.

Por exemplo, se Ghiraldelli visse um conservador ter sua palestra invadida, perdendo o direito de arena por pura pressão oponente (mas nenhuma razão de fato, nem mesmo a mais básica prática civilizacional), vibraria. Ele ajudou a criar esse tipo de cultura. Por isso mesmo, o que vemos no vídeo abaixo é apenas alguém envenenado pelo veneno que ele próprio ajudou a produzir em escala industrial.

Ganhei o dia!

Anúncios

40 COMMENTS

  1. Hahahahahahahahahahahahahha!!!

    Marxistas e militontos que se entendam!
    Isso é o que acontece quando os discípulos (do Marxismo) superam o mestre, eles se voltam CONTRA o mestre!!! Bem feito!!!

    Analisando esse trecho da descrição do vídeo no youtube:
    “intervenção foi decisiva, incidimos contra o discurso opressor, homofóbico, racista, machista e misógeno do professor, que se naturaliza e se reproduz cotidianamente tanto em suas aulas como em sua produção acadêmica.”
    Pode-se concluir que os grandes defeitos do Ghiraldelli, do ponto de vista dos militontos são:
    – Ele é heterossexual, pois tem a palavra “homofóbico” na crítica.
    – Ele é branco, pois tem a palavra “racista” na crítica.
    – Ele é homem, pois tem a palavra “misógeno” (SIC) na crítica.
    – Ele é triplamente opressor, por causa das palavras anteriores.

    O Ghiraldelli ficou criticando aquilo que ele próprio é, “heterossexual”, “branco”, “homem”, e os seus discípulos aprenderam! Uma fagulha no cérebro deles fez eles perceberem que o mestre era aquilo tudo que ele próprio os ensinou à odiar.
    Foi só uma fagulha no cérebro deles, pois se tivessem inteligência REAL, não seguiriam tal mestre.

    Ora bolas, se o Ghiraldelli fosse qualquer dessas coisas que eles criticam bastaria filmar algo que ele falou em aula e postar no youtube, e/ou postar em algum site da internet algum trabalho acadêmico onde fique claro que ele seja culpado disso.
    Mas provavelmente ele não fez nada disso, o que ocorreu foi que ele ensinou aos alunos que:
    – todo heterossexual é “homofóbico”.
    – todo branco é “racista”.
    – todo homem é “misógeno”.
    – todo aquele que é uma ou mais das coisas citadas acima é “opressor”, logo ele é triplamente opressor.
    Daí, uma fagulha no cérebro dos alunos fez eles terem um pensamento do tipo:
    “Puxa, então o nosso professor é, é, é… dãããããããããããããããããããã, isso tudo!!!”

    Claro que normalmente, os alunos de Marxismo, suspendem o seu julgamento psicótico ao próprio mestre.
    Mas esses alunos são “fora de série”, e por isso aplicaram o julgamento psicótico ao próprio mestre!

    Hahahahahahahahahahahahahha!!!

    ================================================================================

    Na direita isso não ocorre, se os discípulos superam o mestre eles continuam sendo gratos ao mestre, por este ter lhes ajudado à chegar num patamar mais elevado de consciência e conhecimento.

    • Perfeito, André. Eu ia me pronunciar mas vc já resumiu bem.

      Mais uma diferença entre esquerda e direita:

      -Na direita os discípulos quando superam o mestre são gratos;

      -Na esquerda os discípulos quando superam o mestre tentam devorá-lo num ritual coletivo patético, deprimente (a ironia em seu estado de êxtase);

      • Alguém mais aqui é fã de Star Wars e já reparou como as práticas da direita se assemelham as dos Jedi e as da esquerda com as dos Sith? A questão de “devorar os mestres”, a tendência dos Sith se organizarem em impérios gigantescos e totalitários, cujo próprio código de conduta é escrito em novilíngua e duplipensar (“Peace is a lie, there is only passion. Through passion, I gain strength. Through strength, I gain power. Through power, I gain victory. Through victory, my chains are broken. The Force shall free me.”)? Enquanto isso os Jedi preferem o caminho da cooperação voluntária, tem um código moral estrito… Enfim, tenho vontade de escrever um artigo inteiro sobre isso…

      • Oi Arthur,

        Agora que vc disse isso, eu reparei sim…

        Tem um blog que eu frequento (Saindo da Matrix) onde já fui até apelidado de ‘padawanderson’ devido a minha postura de ‘Luke no Império Contra Ataca’, de defender a minha fé da “pluralidade espiritualista de Nova Era” (que, curiosamente- mas nem tanto-, só não dá passe-livre pro Cristianismo católico e evangélico) de maneira ainda um tanto “ingênua” e precipitada, e de ser praticamente o único ali a falar do assunto ESQUERDISMO no espaço de comentários (alguém precisava “arranhar” essa matrix da mentalidade revolucionária)… Quis mexer um pouco nesse vespeiro, no “equilíbrio da força”, e pra minha surpresa, tenho me dado muito bem por ali desde então; só me falta agora tomar vergonha na cara, silenciar e seguir adiante no “treinamento” pra estrear o “Retorno de Jedi” brevemente nos cinemas monopolizados pela turba de Siths dessa nação imensa & mansa.

        O sabre-de-luz vai cantar na casa-de-noca!

      • Arthur, nem tanto
        Acho que isso é como um roscharch, você está vendo o que você quer ver.George Lucas é um esquerdista de carteirinha, entre outras coisas Star Wars faz apologia de multiculturalismo (todos os ets convivendo juntos como uma grande família que meigo), democracia (a república que foi destruída pelo palpatine), do mito do bom selvagem(ewoks) e os jedis, se você prestar atenção o que eles dizem é: seja passivo, dócil, não se vingue, seja um idiota submisso. Isso fica bem claro quando o Anakin vira ‘do mal’. Tudo que ele faz é pra salvar a Padme, mas pros jedis aquilo tudo é errado, ou então como consequência de uma raiva perfeitamente legítima (quando o povo de merda mata a mãe dele, qualquer ser humano normal que ainda tem suas bolas teria aquela reação)
        Resumindo, o bonito é ser meigo, tolerante com a diversidade, e quando ela pisar na sua cabeça, você tem que ser bonzinho e perdoar.

  2. “Sorriso no rosto”?

    Pô, Ayan, deixe esses pleonasmos viciosos pros nossos “intelectuais de esquerda” (ê, oximoro…).

    Eles também gostam de dizer que “assistiram O espetáculo” “HÁ dois anos ATRÁS”, embora ninguém consiga superar Emir Sader, aquela que “pousa” para fotos e aprecia GETULHO Vargas.

    😀

  3. Luciano, por tua causa eu tive de ler o imbecilíssimo comentário de um certo “CoveiroKhain”:

    «Mas a mãe amar o filho É UMA IMPOSIÇÃO SOCIAL CONSTRUÍDA NO SÉCULO XX»

    Agora é tarde, vou te processar por “violência psicológica dolosa” 😛

  4. De fato, tem que sorrir mesmo…………………!!!!! Muito bem apontado essa estratégia que ele mesmo ajudou a difundir. É a serpente provando do próprio veneno.
    O desespero é claro e evidente. E mais, essa construção da verdade, de quem grita mais, foi a lá Ghiraldelli.

  5. Maravilha! Escrotao sifuuuuuuuuu…
    Foi demitido do IG(nobil) e disse que alegaram que ele trabalha demais hahaha, mentira pura. O ùltimo texto dele por là era sobre a importancia do tamanho do penis, depois de varias denuncias, por propor uma coisa e oferecer outra, tipico de xarlatoes, ou seja, é fiofò-losofo, mas oferece pornografia infantil, o IG analisou suas ùltimas publicaçoes e passou a faca. (okokok o IG nao é sinonimo nem de media cultura, mas nao podia permitir o obvio dos obvios)

    A pàgina do facebook do sociopata foi banida, pelo mesmo motivo, denuncias feitas sobre imagem de pornografia dizendo ser filosofia hahahaha era o puteiro do bundarelli que soh fala merda, muito burro!

    Agora essa maravilha de chicotada na orelha de burro dos proprios filhotes, merecido!

    • Eu achava que ter tomado navalhada do IG já se configurava o fundo do poço para a carreira de um inteléqui-léqui-léqui-tual, mas estava redondamente enganado. |¬D

  6. Briga no USPício. Rachei o bico. Ghiraldelli perdendo o controle sobre seus macacos de laboratório. O ponto alto é verem a macacada o chamar de machista e homofóbico. É como dizem:sempre vai ter alguém mais comunista que você pra te chamar de fascista.

  7. O incidente sofrido pelo professor Ghirardelli, de fato lava a alma.

    Embora não me agrade ver alguém ser impedido de se defender . . bem . . . sou humano e não sou perfeito! Ver um professor-doutrinador comunista provar do remédio que ele ensina seus alunos a ministrar aos que são contrários o que eles pensam, não tem preço!

    Entretanto, me lembrei de matéria recente publicada pelo Olavo de Carvalho no DIário do Comércio, “Sem futuro no paraíso” (http://www.midiasemmascara.org/artigos/movimento-revolucionario/14685-sem-futuro-no-paraiso.html), onde ele, ao comentar o trabalho do professor Sérgio Lessa, o folheto “Abaixo a família monogâmica”, relata a história de Karl Radek, pensador bolchevique que pregou a liberar o sexo entre os jovens soviéticos e que acabou assassinado pelos próprios jovens cuja conduta sexual ele ajudou a “liberar”.

    A burrice desses autoproclamados “intelequituais” universitários está gravada na própria história dos citados, como mostra o vídeo. Se acreditam que serão poupados quando o comunismo tomar conta de nosso país, que se mirem nos exemplos de Karl Radek e do professor Ghirardelli.

    • “[…]onde ele, ao comentar o trabalho do professor Sérgio Lessa, o folheto “Abaixo a família monogâmica”, relata a história de Karl Radek, pensador bolchevique que pregou a liberar o sexo entre os jovens soviéticos e que acabou assassinado pelos próprios jovens cuja conduta sexual ele ajudou a “liberar”.”

      Li esse artigo tb e lembrei logo dele quando assisti esse vídeo do Guiralda. Impressionante constatar com nossos próprios olhos um exemplo real, atual e acabado de algo que parece surreal, inverossímel, absurdo pra quem ainda tem alguma dúvida sobre os efeitos que se seguem a teoria.

      Pelos frutos…

  8. Ele criou um mostro, alimentou e cuidou. Agora que o monstro cresceu e sabe se virar sozinho foi e comeu o rabo dele.. KKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Pelo que vi, aparentemente o GhiraldelliI humilhou e descriminalizou um aluno. Agora para o preço pela sua idiotice.

  9. “Fui para a delegacia e fiz o B.O. Não há o que fazer senão, como funcionário público agredido, botar a polícia para lidar com esses bandidinhos.”… Mas que puta reacinha esse filósofo da Galeria Pajé, não? hahahahahah

    Ganhei o dia, também.

    • Depois do sucesso de “Mas o que é isso?”, vem aí “É uma mentira!”, o mais novo mantra esquerdopático.

      Em breve, na faculdade de extrema-humanas mais próxima de você.

  10. Luciano, está escrito no vídeo.

    “Quem não se movimenta não sente as correntes que o prendem” (Rosa Luxemburgo)

    “No dia 18 de novembro de 2013, enquanto ocorreu a abertura da I Semana Acadêmica de Filosofia, grupos organizados e estudantes da UFRRJ, escracharam o Professor Paulo Ghiraldelli. A intervenção foi decisiva, incidimos contra o discurso opressor, homofóbico, racista, machista e misógeno do professor, que se naturaliza e se reproduz cotidianamente tanto em suas aulas como em sua produção acadêmica. A reação negativa ao ato por parte de alguns estudantes é a expressão disso, mesmo o ato sendo legitimo, uma vez que os recursos institucionais tem se mostrado insuficientes.
    Processos administrativos contra o professor se acumulam nas gavetas silenciosas da administração superior. Aceitar esse silencio é acertar a morte, a morte de um projeto de uma universidade critica e popular. Por isso, nos manifestamos, gritamos, batemos latas e acusamos as atitudes do professor. Exigimos da administração superior, uma atitude justa ao discurso de ódio alimentado pelo referido professor. O corporativismo que sustenta ele imune aos processos tem que cair, nós o acusamos!
    Por fim, a “grande mentira”, como foi revelada; é o professor, vulgo filósofo, Paulo Ghiraldelli.”

    É pra morrer de rir mesmo desse professorzinho Paulo Ghiraldelli.

  11. Eu gostei do comentário do vídeo:
    Pensamentos de Mohamed -David MarcondesHá 23 minutos

    É tão engraçado ver esse tipo de professor marxista tomando do próprio veneno que coloca na juventude.
    Chegou a tal ponto que um professor completamente a favor da libertinagem sexual e que fala super mal do conservadorismo ser chamado de conservador

  12. Pelo que vi nos comentários dos alunos do Ghiraldelli (no You Tube mesmo), as meninas estão acusando ele de assédio sexual. Uma delas mostra um link de um texto enorme (e nojento) do “filósofo” em que este trata as mulheres como objeto de prazer.

  13. Quem escracha a democracia sempre que pode, com truculência, sem argumentos, na marra, pode acabar tendo que engolir o próprio veneno. Que horas que esses caras “estudam”?
    Bando de vagabundos!

  14. hahahahah

    Ele ainda faz questão de dizer que é militante, que apoia movimentos sociais!

    Eles que se destruam.

    O fato é, se o não tiver uma guerra nuclear nem nada do tipo os comunas mesmos vão acabar se destruindo…o problema é o estrago que eles causam enquanto isso.

    • “Ele ainda faz questão de dizer que é militante, que apoia movimentos sociais!”

      Esse é o ponto alto da palhaçada autodestrutiva. |¬D

      -Ei! Eu sou como vocês!

      -O que!? Ele disse que só vai comer a gente!

      -É mentira!! MEN-TI-RAAA!!!

      -Vejam! Ele nega! Isso é mais uma prova de que estamos com a razão!

      -Hein!?

      -Pau nele, cú-pã-nhEROS!!

      -Ih, cumplicô! :¬|

  15. KKKKKKKKKKKKKKK! Muito bom! Não sou defensor do Marco Feliciano, mas fica o exemplo para o povo ver a diferença de postura entre um dito “fundamentalista, reacionário, retrógrado, conservador, fascista religioso“ de um confesso militante que diz apoiar os movimentos sociais, mas que na verdade não ajuda ninguém, só incita terror e baderna generalizada. Como é bom ver os discípulos superando o mestre e demonstrando que aprenderam bem com ele, kkkkkkkkkkkkkkkk!

  16. Luciano, você viu a pesquisa do Ipea falando que homicídio é a principal causa de redução de expectativa de vida de “negros” (aqui entenda-se a fraude estatística de marxistas-humanistas-neoateístas de somar as categorias do IBGE chamadas “pretos” e “pardos”, essa última significando mestiços e podendo abranger quem não tem ancestralidade africana) e acidentes, a principal de não-negros (aqui a soma de brancos, índios e orientais). Porém, aqui, como há a tal fraude de somar as categorias “preto” e “pardo”, pode ocorrer de dois não-negros darem origem a um “negro” (leia-se aí pardo, que é o termo do IBGE para mestiço). Logo, se alguém for filho de branco e índio, índio e oriental ou oriental e branco, terá seus pais com mais possibilidade de serem atropelados ou fazer seus pais chorarem no cemitério por ter sido assassinado.
    E, claro, mais uma vez lembramos dos Mapas da Violência que vêm passando adiante a fraude de “negros” e os comparando a brancos, com o agravante de dizer que a região Norte é aquela onde mais se assassina “negros” no país (quando na realidade é aquela onde mais se mata mestiços, até por ser mestiça a maioria da população), bem como o mesmo mapa mostra uma redução discreta de homicídios vitimando a categoria “pretos” e um aumento muito pronunciado no assassinato de indígenas. Logo, é mais uma pesquisa que acaba se contradizendo de muitas maneiras e que seria muito mais rica se não caísse na fraude marxista-humanista-neoateísta de tornar uma nação mestiça um lugar onde as pessoas se odeiem por causa de sua cor de pele ou origem étnica.

    • Eu queria ver uma pesquisa desta onde se levanta dados estatísticos de brancos que são vítimas de negros, brancos que são vítimas de brancos e negros que são vítimas de negros.
      Olhando assim até dá a impressão de que existe uma perseguição aos negros promovida pelos brancos.

      • Segundo dados da UNESCO o país tem uma população carcerária de cerca de 7,3 milhões de detentos, com a proporção de um branco para cada 11 negros.

      • Maxwell, o principal da coisa para transcender isso é não subscrevermos a história de “pretos + pardos = negros”, pois aí caímos naquela fraude marxista-humanista-neoateísta de desconsiderar a existência do mestiço enquanto tal e enquanto pessoa oriunda de junções de grupos étnicos, mas grupo diferente por não ser de etnia definida.
        Quando olhamos as estatísticas com a distorção MHN de “negros”, acabamos por aceitar absurdos como a história de a região Norte ser a região onde mais se mata “negros” no país, quando na realidade é a região onde mais se mata mestiços e, mais ainda, mais se mata mestiços de branco e índio, uma vez que é região com forte presença do elemento indígena tanto na mistura étnica quanto na cultura local, que não tem tantas influências africanas quanto possui o Brasil da Bahia para baixo. E é muito provável que esses mestiços que morrem sejam mortos por outros mestiços, até porque a maioria da população de lá é mestiça.

        Só com essa história de não se subscrever a criação de “negros” pela apropriação de mestiços (e, mais ainda, de mestiços sem ancestralidade africana, como aqueles oriundos da junção de alguém que só tenha ancestrais europeus e alguém que só tenha ancestralidade indígena ou oriental) já dá para mostrar que não há uma política deliberada de se genocidar pessoas de origem africana. Também dá para mostrar que essa tentativa de criar “negros” pela junção das categorias “preto” e “pardo” é algo mais ou menos análogo ao que os nazistas fizeram ao considerar os mischlinge como judeus caso não subscrevessem ao ideal nazista, mas esquecer isso caso subscrevessem ao tal regime (vide o livro Os Soldados Judeus de Hitler). Observem que eles ficam olhando feio para o mestiço que não aceite ser enquadrado como negro, bem como querem transformar uma parte de sua ancestralidade no todo daquela pessoa (tal qual os nazistas faziam com os mischlinge caso fossem contrários ao regime hitlerista).
        Também poderíamos falar o óbvio: se segurança pública decente beneficia a todos independente da cor, por que raios devemos ficar prestando atenção a apenas um único grupo da sociedade em vez de tratar cada homicídio como a perda de uma pessoa, independente de quem seja? Outra coisa a ser jogada no caldo é perguntar sobre se brancos pobres e moradores de áreas perigosas não estariam expostos ao mesmo risco de assassinato que sofreriam os “negros” que vivessem na mesma área. Por fim, poderíamos perguntar, nos parcos dados em que separam as categorias “preto” e “pardo”, o porquê de ter havido diminuição de assassinatos de pessoas que se enquadrem na categoria “preto” e aumento na categoria “pardo” e o porquê de terem esquecido a disparada de homicídios de índios. Não esqueçamos que Marx e Engels eram racistas e isso permeia a obra que fizeram, por mais que MHNs nos digam que não.

  17. Luciano,

    Quanto ao fato de Paulo Ghiraldelli ser uma piada, concordamos em gênero e número, mas eu gostaria muito de saber um ponto de vista seu sobre outro fator desse episódio: Considerando que os esquerdistas mais fanáticos estão agora se voltando contra os menos fanáticos, é hora de nos preocuparmos por um possível golpe comunista estar mais próximo ou de nos aliviarmos por eles perderem, finalmente, as estribeiras e começarem a se revelar mais explicitamente?

    • Isso depende de nossa estratégia política.

      Acho que há boas esperanças.

      Se tivermos estrategistas políticos nota 5 na direita (nota mínima), usamos estes comportamentos como evidência de que o esquerdismo é um câncer social, e conseguimos capitalizar em cima de quase todos os comportamentos que eles fizerem em público.

      Abs,

      LH

Deixe uma resposta