Como nos livrarmos do direitismo depressivo e enfim começarmos a ajudar o pensamento de direita?

85
278

dest_linhaproduto

Imagine que você é diretor de marketing de uma empresa que vende um produto de limpeza chamado Limpomax, que concorre com o produto S-Limpeza. Ambos os produtos disputam as prateleiras, enquanto a equipe de marketing do S-Limpeza decide lançar uma campanha, que diz: “S-Limpeza, o produto que estará na casa de todas as famílias”.

Qual seria sua reação diante desta campanha do S-Limpeza? Suponha agora que seus consultores de vendas surjam com esse slogan para a campanha do Limpomax: “Não tem jeito. Realmente o S-Limpeza estará na casa de todas as famílias. Danou-se para o Limpomax!”.

Muito provavelmente você riria na cara destes consultores. Provavelmente os mandaria catar coquinho na descida. Mas não ria ainda, pois muitos esquerdistas morrem de dar risada da mesma forma, só que da postura de alguns direitistas.

Basta relembrarmos o lema máximo do marxismo: “Não tem como evitar, pois é a marcha da história. Com certeza o socialismo vencerá!”. E já vi vários direitistas surgindo com mensagens assim: “É, danou-se, principalmente aqui no Brasil. O esquerdismo já venceu! Tá tudo dominado por eles!”.

Em outras palavras, enquanto a esquerda faz o marketing acertadíssimo em prol do esquerdismo, alguns direitistas fazem o mesmo marketing. Só que de graça e ainda em prol do adversário. Não é um exagero dizer que temos esquerdistas e alguns direitistas lutando pela mesma causa do esquerdismo, assim como poderíamos dizer que os consultores de vendas do Limpomax estavam lutando pelo S-Limpeza.

Alguns destes marqueteiros do adversário ainda poderiam reclamar: “Mas é verdade que a esquerda venceu ou vai vencer! Não tem jeito! Tá tudo dominado mesmo!”. Mas já refutei essa hipótese no texto Por que a direita necessariamente vai vencer a guerra política. É simples: em ambientes abertos, com muitas variáveis ambientais, dar a vitória antecipada ao oponente não passa do fenômeno da profecia auto-realizável.

Este raciocínio submisso aos interesses esquerdistas é visto em algumas pessoas da direita. A esse comportamento dou o nome de direitismo depressivo.

O rótulo é inspirado em uma época onde estávamos implementando novos processos em uma organização. Foi quando notamos um dos líderes usando palavras para derrubar toda e qualquer melhoria organizacional, chegando a dizer coisas para o seu time que levaram vários deles a pedir demissão, por puro desânimo. Não demorou para transformarmos seu comportamento em motivo de piada: “Esse sujeito parece que está em depressão. Essa é a primeira liderança depressiva que vi! É a verdadeira anti-liderança!”.

No direitismo depressivo ocorre a mesma coisa: basta um destes abrir a boca, que a esquerda começa a computar pontos a seu favor. Basicamente tudo que o esquerdista quer é aquilo que este direitista começará a fazer.

Mas de onde vem o direitismo depressivo? Primeiramente, vem de uma absoluta falta de consciência política. Muitos não percebem a consequência política de seus discursos, principalmente quando fazem discursos em público, ou em locais onde podem ser multiplicados (ex. Internet). Segundo, vem de uma sensação de natural desânimo causada pelas contínuas vitórias da esquerda. O mais irônico de tudo é que este tipo de direitista depressivo não percebe que a sua postura está ajudando a esquerda a ganhar pontos. Pode-se dizer que ele, sem querer, é um grande colaborador da esquerda.

O direitismo depressivo pode aparecer em outros contextos, como por exemplo, quando o esquerdista diz “Nós queremos uma nova lei de mídia, pois isso é lutar pela democracia”. Daí o direitista depressivo diz: “Quero o exército de volta, para tirar os socialistas do poder”. Mas é exatamente isso que o esquerdista queria que o direitista dissesse. Basicamente, ele quer dizer ao povo que “democracia é nossa (da esquerda)”, e o direitista depressivo diz: “democracia é deles (da esquerda), pois eu quero a ditadura”.

Um outro exemplo é quando o esquerdista diz que “a voz do povo é soberana”. Daí o direitista depressivo rebate: “o povo não sabe o que diz”, que é o mesmo que dizer que “a voz do povo não é soberana”. Mas se o povo quer ouvir alguém que está do lado deles, então automaticamente o direitista depressivo diz que “não está do lado do povo”. Depois disso, o esquerdista chega a coçar os olhos por não acreditar em como está sendo fácil vencer o direitista na conquista de mentes.

Nesses outros dois exemplos, podemos ver também outra característica do direitista depressivo: falar o que sente, pura e simplesmente, com uma candura de causar inveja a uma criança de 10 anos. É por isso que digo que muitos aparentemente estão em uma fase de infância política. Nesse caso, uma larga dose de consciência política pode levar pessoas que tem, por exemplo, 40 anos de idade, mas 7 anos de idade política, a 40 anos de idade política em questão de meses.

Creio que alguns leitores podem ter se indignado ao perceberem em si próprios algumas características do direitismo depressivo. Entendo essa sensação. Mas, para compensar sua ira (se este for o seu caso), lembro que na fase inicial deste blog já cheguei a escrever conteúdos que podem ser associados ao direitismo depressivo.

No meu caso encontrei a solução estudando coisas como a arte da guerra política, de David Horowitz, ou as regras para radicais, de Saul Alinsky (tanto o livro de Horowitz como uma análise da obra de Alinsky podem ser vistas aqui), ou mesmo a arte do controle de frame. Com o tempo pude notar que falar aquilo que sentimos enquanto estamos desanimados, ou falar coisas que só servem para ajudar o adversário, são ações injustificadas, das quais devemos ter vergonha.

No caso de falta de estímulo adicional, podemos olhar no espelho e perguntar para nós próprios: não estou ganhando absolutamente nada para dizer algo que só ajudará os esquerdistas. Sendo assim, por que eu farei isso?

É o momento onde podemos nos conscientizar que devemos parar de ajudar os esquerdistas a colaborar para vitórias deles. Na verdade, nossa luta é a oposta: devemos lutar pelos ideais da direita. E isso implica em deixar de ser garoto propaganda involuntário da esquerda.

Anúncios

85 COMMENTS

  1. É necessário continuar a luta. A depressão não vai diminuir os esforços dos esquerdistas e seus funcionais.
    Eu vejo a direita assim: temos o pessoal da estratégia a mil, temos o povo lá embaixo esperando a ordem e tá faltando só os malucos manda-chuva pra iniciar o movimento. Sem o manda chuva o povo fica meio sem destino, e aí é fácil a esquerda bater. Temos alguns representantes como o Bolsonaro e o Marco Feliciano, que graças aos textos teus e de vários outros autores, como Olavo de Carvalho, Júlio Severo, Reinaldo Azevedo, Constantino, os caras lá do youtube também que me falha a memória o nome, estão recebendo um apoio crescente, dificultando a vida das esquerdas.

  2. Ótimas palavras!

    Escreva mais sobre o direitismo depressivo.

    Tem umas páginas no facebook, que carregam nome assim “Golpe Militar 2014” e outros nomes de mesmo sentido. Posso dizer que ao curtir e divulgar uma página dessas, sou e ajudo mais pessoas a serem direitistas depressivos?

  3. Eu particularmente penso que, aquele que como eu, acordou do coma político
    se viu como um direitista, tem a obrigação de tentar trazer todos de seu círculo para o seu lado.Os esquerdistas só têm a militância, digo só porque uns malucos desses aí são solitários por natureza. Família não faz parte de suas vidas ou seja: O negócio é não tentar abraçar o mundo mas sim agregar todos os parentes,amigos e conhecidos mais próximos, pois a esperança está nos neutros.

      • Eu já não tive tanta sorte…
        Quando acordei do coma politico, passei a gritar e tentar alertar meus amigos imediatamente!. O que eu consegui com isso foi uma fama não muito boa, bloqueios e exclusões! (risos)
        Agora eu entendo o por que!
        Acho que eu não ne enquadro 100% no direitista depressivo, mas certamente não fui um direitista pró ativo!

    • Exatamente isso Fabio! Se os esquerdistas são contra a família tradicional, já estão em desvantagem! Temos filhos, parentes e amigos verdadeiros para alertar, e então seremos muitos. Já tenho feito isso,em relação ao ‘coma político’ dos meus próximos, e os resultados foram surpreendentes.

  4. Eu estou nesse estágio depressivo desde que li A Revolta de Atlas e (estou lendo) o último livro do Olavo. Parece que eles dominaram tudo e o único remédio é fugir para o “Vale de Galt”, deixar o sistema se auto-destruir.

    O Olavo mesmo se enquadra nesse rótulo em algumas situações, como quando disse que para a direita voltar a ser uma força política no Brasil, primeiro teria que começar a desinfectar as mentes, as universidades e escolas, a mídia…isso leva uns 50 anos. Até lá temos que torcer para não estarmos sob uma ditadura socialista, porque aí não tem mais como ganhar apenas pacificamente. E será que teremos todo esse tempo?

    Então, entendo a questão de manter o moral da tropa, mas precisamos saber se a guerra política ainda pode ser vencida pelos debates/discussões, ou o jeito é começar o combate. Na estratégia militar é dado como sinal de prudência saber a hora de recuar para contra-atacar de forma inesperada, ou até mesmo de render parte das tropas para preservar o grosso da divisão. Me parece muito a luta de Rommel no deserto líbio depois de El-Alamein…ou a resistência britânica em 1941.

    Pelo menos pra mim, o que me aflige é não saber uma forma de ser realmente eficaz contra a dominação esquerdista. Ter uma estratégia e tática bem definida pro momento atual e táticas de contingência para cenários futuros. Por exemplo: é efetivo fazer posts apontando as falhas da esquerda no facebook? Isso pode converter alguem (dominar o frame)? Outro caso: sabendo que a vitória do PT em 2014 é praticamente certa, e que consequentemente o laço estatal vai apertar sobre nós, como podemos agir para impedir a evangelização esquerdista?

    • Neste post, responderei vários dos comentários, como o seu, pois é interessante tratar as objeções.
      Eu estou nesse estágio depressivo desde que li A Revolta de Atlas e (estou lendo) o último livro do Olavo. Parece que eles dominaram tudo e o único remédio é fugir para o “Vale de Galt”, deixar o sistema se auto-destruir.
      A questão se resolve na perspectiva com a qual estamos olhando a guerra política.
      Imagine que você é gerente de futebol do clube Y-Bolinha, que está indo para a divisão amadora, mas estava na terceira. Com o tempo, você descobre que todos os gerentes anteriores contratavam jogadores de basquete e nadadores, mas nenhum especialista em futebol. Também descobre que existia piscinas e quadras de basquete no centro de treinamento. Com o tempo, você descobre uma situação tão absurda, que começa a achar que estar perto do amadorismo é ATÉ UMA QUESTÃO DE SORTE, pois a quantidade de erros estratégicos e táticos das gestões anteriores é absurda.
      É assim que vejo a posição da direita atual. Nós, que podemos atuar na formação de opinião, temos que olhar para a atuação da direita antes de nós como uma coleção de ERROS TÁTICOS E ESTRATÉGICOS. Isso abre um verdadeiro mar de oportunidades.
      Acho que o gerente de futebol do Y-Bolinha deveria olhar para essas oportunidades ao invés de se deprimir, pois, finalmente, ele descobriu que seus antecessores erraram demais, e ele pode finalmente acertar onde eles erraram…
      Se a esquerda está na situação em que está, é mais por demérito da direita do que por mérito da esquerda.
      O Olavo mesmo se enquadra nesse rótulo em algumas situações, como quando disse que para a direita voltar a ser uma força política no Brasil, primeiro teria que começar a desinfectar as mentes, as universidades e escolas, a mídia…isso leva uns 50 anos.
      Eu discordo dele, pois o cenário mudou com a era digital. Por exemplo, crianças e adolescentes acessam a Internet. Ou seja, elas recebem informações tanto do universo virtual como de seus professores. Isso não existia quando Gramsci criou sua estratégia gramsciana.
      Eu digo que, com a estratégia correta e a força necessária, é possível reverter o cenário em questão de uns 4-5 anos. Sendo conservador, uns 10 anos.
      Quer um exemplo deste fenômeno: o neo-ateísmo. O movimento começou em 2004, e hoje, menos de 10 anos depois, criou-se tamanha rejeição à religião (como nunca havia existido) sem precisar passar uma geração.
      Eis a “mágica”: usar memes, linguagem fácil, jogar TODA a guerra política, polarizar, usar propaganda em nível radical, entender que todo participante do grupo está em uma guerra, definir esta guerra política como um VALOR, ou seja, “é tudo ou nada”. E daí por diante…
      A tese dos 50 anos, do Olavo, não se sustenta mais…
      Até lá temos que torcer para não estarmos sob uma ditadura socialista, porque aí não tem mais como ganhar apenas pacificamente. E será que teremos todo esse tempo?
      Como eu já disse, a tese dos 50 anos, do Olavo, não se sustentar.
      E eu discordo. Não temos que “torcer”, apenas. Temos que agir.
      Exemplo: quanto tempo você passa na Internet por dia? A “média” hoje do mercado é 2-3 horas. Dá para usar no mínimo metade desse tempo em ação nas redes humilhando esquerdistas, divulgando memes, etc.
      Isso não é torcer, mas agir, e, é claro, torcer para que suas AÇÕES deem resultado. E, continuamente, revisar suas ações…
      Então, entendo a questão de manter o moral da tropa, mas precisamos saber se a guerra política ainda pode ser vencida pelos debates/discussões, ou o jeito é começar o combate.
      É aí que digo que devemos olhar de forma reversa. Você disse: “a guerra política ainda pode ser vencida…”.
      Sorry, mas a guerra política EXISTE, mas SÓ A ESQUERDA JOGA. É uma guerra desigual por que a esquerda entendeu o jogo, mas a direita AINDA NÃO PERCEBEU as regras do jogo.
      Acho melhor jogarmos a guerra política um tempinho antes de pensarmos se “está tudo acabado” ou não.
      A questão de “combate armado” é muito delicada. E tocar neste assunto de forma equivocada pode mais ajudar a esquerda do que atrapalhá-la.
      Pelo menos pra mim, o que me aflige é não saber uma forma de ser realmente eficaz contra a dominação esquerdista. Ter uma estratégia e tática bem definida pro momento atual e táticas de contingência para cenários futuros. Por exemplo: é efetivo fazer posts apontando as falhas da esquerda no facebook? Isso pode converter alguem (dominar o frame)? Outro caso: sabendo que a vitória do PT em 2014 é praticamente certa, e que consequentemente o laço estatal vai apertar sobre nós, como podemos agir para impedir a evangelização esquerdista?
      Então vamos à uma dica de discurso, lembrando que o ataque não pode ser só ao PT, mas à extrema-esquerda.
      O PT é a extrema-esquerda legítima, que chegou ao poder.
      Logo, o PT é ruim por que é de extrema-esquerda. O problema, portanto, está na esquerda, e o extremo-esquerdismo apenas leva os problemas da esquerda ao máximo.
      Uma vitória do PT em 2014 é um problema, mas não significa uma “vitória final da esquerda”. Pode significar principalmente a quebra do pais POR CAUSA do esquerdismo.
      Deve-se explicar que o esquerdismo tem prazo de validade. A questão é: vamos nos livrar da doença extremo-esquerdista logo, tirando o PT do poder, ou esperar eles quebrarem o país como na Venezuela?
      E daí por diante…

      • Sem querer ser intrometido, caro Luciano:

        “O PT é a extrema-esquerda legítima, que chegou ao poder.”

        Acho que ficaria melhor assim:

        O PT é a extrema-esquerda que chegou ao poder legitimado pelas urnas mas que usou esse meio legítimo das democracias modernas pra trair a nação, dando um golpe de esquerda no Brasil assim que assumiu esse poder.

        “Logo, o PT é ruim porque é de extrema-esquerda.”

        Aqui acho que mora um problema, já que praticamente todas as ideias, CRENÇAS e políticas que estão em vigor por aí são DE ESQUERDA e foram assimiladas pela população como sendo essencialmente “boas” e “puras”, “progressistas” e “imaculadas”, “visionárias” e “benéficas”, que “defende minorias” e “luta contra opressões e tiranias” (ah! se não deram certo foi porque foram ‘corrompidas’, ‘desvirtuadas’ dos seus princípios- sempre limpinhos com cheirinho de lavanda- por indivíduos que nunca foram de esquerda realmente ou que “traíram” o futuro melhor).

        Necessário aqui é desfazer esses falsos mitos esquerdistas mostrando que as ideias, crenças e políticas de direita não só defende AS MESMAS COISAS que a esquerda promete e prega nas campanhas, como consegue REALIZAR EFETIVAMENTE essas coisas todas e faz disso seu estilo de vida próprio, pessoal, natural. E, claro, DEMONSTRAR com exemplos concretos que, na direita (ou nos adversários do PT nas urnas), existe MUITO MAIS honestidade intelectual, honra, dignidade em seu quadro político (listar os nomes e puxar o histórico pessoal de cada um e comparar com o currículo dos “ex-terroristas” e dos amantes de genocídio e ditaduras de verdade).

        “O problema, portanto, está na esquerda, e o extremo-esquerdismo apenas leva os problemas da esquerda ao máximo.”

        Mas como falar isso se a maioria da população ainda acredita na pureza do socialismo? As pessoas vêem esses “problemas” como sendo apenas desvios da essência boa das esquerdas.

        Fora que muitos tb acreditam nesse papo de “SUPERAÇÃO DIALÉTICA”, de que não existe mais esse negócio de esquerda x direita, só interesses financeiros, o “ENVENENAMENTO MORAL PRODUZIDO PELO MALDITO CAPITALISMO”, que não deixa de ser um puta frame consolidado pelas esquerdas.

        “Deve-se explicar que o esquerdismo tem prazo de validade.”

        Explicar que existe antes opção contra qualquer esquerda. O perigo de todo mov. de esquerda (seja extremo ou não) é que eles tem uma NATUREZA MÓRFICA, conseguem se restabelecer de seus fracassos colossais e assimilar novas formas como aquela criatura do filme ‘Enigma do Outro Mundo’.

        Aí eu tô com o Olavo: tolerância zero com a esquerda (até porque não se vê mais nada que seja considerado algo SAUDÁVEL ali, eles mesmos se auto-fossilizaram); tem que fechar o duto PRA SEMPRE com fogo e chumbo de qualquer ideia revolucionária. Nem um mísero pedacinho disso pode passar incólume porque na medida que essas ideias de ‘mudar radicalmente toda a realidade pra se criar um futuro mundo melhor sem prazo pra ser realizado’ entrarem novamente no cérebro de algum ‘iluminado’, a “COISA” tenderá a ficar preta novamente pro mundo inteiro.

        Os 101 beagles “resgatados” daquele instituto de pesquisa concordam comigo. E as milhares de pessoas que poderiam ser beneficiadas com o uso desses fofuchos cãezinhos, também.

        Valeu aí, Luciano. Seu trabalho, pra mim, tá mexendo no leme do navio. ;¬)

      • Concordo com todo o seu post, faço apenas alguns complementos.
        Aqui acho que mora um problema, já que praticamente todas as ideias, CRENÇAS e políticas que estão em vigor por aí são DE ESQUERDA e foram assimiladas pela população como sendo essencialmente “boas” e “puras”, “progressistas” e “imaculadas”, “visionárias” e “benéficas”, que “defende minorias” e “luta contra opressões e tiranias” (ah! se não deram certo foi porque foram ‘corrompidas’, ‘desvirtuadas’ dos seus princípios- sempre limpinhos com cheirinho de lavanda- por indivíduos que nunca foram de esquerda realmente ou que “traíram” o futuro melhor).
        Aí é que podemos fazer a pergunta: nunca tivemos implementação do pensamento de direita no Brasil, e estamos nessa merda. E agora, como fica o esquerdismo?
        Necessário aqui é desfazer esses falsos mitos esquerdistas mostrando que as ideias, crenças e políticas de direita não só defende AS MESMAS COISAS que a esquerda promete e prega nas campanhas, como consegue REALIZAR EFETIVAMENTE essas coisas todas e faz disso seu estilo de vida próprio, pessoal, natural. E, claro, DEMONSTRAR com exemplos concretos que, na direita (ou nos adversários do PT nas urnas), existe MUITO MAIS honestidade intelectual, honra, dignidade em seu quadro político (listar os nomes e puxar o histórico pessoal de cada um e comparar com o currículo dos “ex-terroristas” e dos amantes de genocídio e ditaduras de verdade).
        Concordo plenamente. Friedman, Mises e Hayek dão ótimas dicas, mas é importante vencê-los no controle de frame, traduzindo isso em linguagem fácil.
        Mas como falar isso se a maioria da população ainda acredita na pureza do socialismo? As pessoas vêem esses “problemas” como sendo apenas desvios da essência boa das esquerdas.
        É por isso que digo que uso o neo-ateísmo reaplicado.
        Devemos ser claros ao expor que:
        1 – A esquerda só serve para dar poder aos que cuidam do estado inchado.
        2 – O homem que toma conta do estado não é um “homem bom”, mas um ser humano comum. É o amigo imaginário do povão. Basta mostrar vários exemplos, como agora, no caso dos mensaleiros que recebem visitas todos os dias na prisão, privilégio que não é dado aos que não são presos do PT.
        3 – Deve-se RIDICULARIZAR a crença no homem, e a consequente crença no estado. (Tipo: “Você já passou da idade disso… “)
        4 – Mostrar que todos os grandes genocídios são consequência do poder de estados inchados.
        Mas escreverei mais em detalhes sobre isso..
        Fora que muitos tb acreditam nesse papo de “SUPERAÇÃO DIALÉTICA”, de que não existe mais esse negócio de esquerda x direita, só interesses financeiros, o “ENVENENAMENTO MORAL PRODUZIDO PELO MALDITO CAPITALISMO”, que não deixa de ser um puta frame consolidado pelas esquerdas.
        Neste caso:
        1 – Dizer que não existe mais esquerda x direita, significa dizer que não existe diferença entre estuprar e não estuprar, matar e não matar. Basta dizer que isso é ilógico e irracional. Ou alguém é a favor da coerção estatal injustificada ou não é.
        2 – O capitalismo é apenas um processo inevitável. Ele não é ideologia. Ou existe capitalismo de livre-mercado ou capitalismo de estado. E este último é capitalismo da mesma forma, só que feito com base no poder dado ao estado por idiotas úteis que NÃO GANHAM NADA DO QUINHÃO…

      • “[…]tem que fechar o duto PRA SEMPRE com fogo e chumbo de qualquer ideia revolucionária. Nem um mísero pedacinho disso pode passar incólume[…]”

        Claro que quando eu digo isso, devemos pensar que algo deve preencher esse “vazio” deixado pelas esquerdas, e esse algo é o RESGATE da cultura liberal e conservadora (incluso a religiosa), que possui um leque mil vezes maior de plataformas políticas, ideias, propostas sócio-administrativas, crenças, valores, enfim, um manancial de riquezas e diversidades culturais que a maioria do povão nem siquer cogita, mas, inconscientemente, a deseja de todo o coração.

      • Só um ponto que merece correção: Esse lance dos 50 anos NÃO É para a direita obter força política ou poder. É para se livrar da merda Esquerdista e da mentalidade dela – seja dominante ou não.

        Mas mesmo que não fosse, não acho que internet seja um meio mais eficiente que universidades inteiras, canais, mídia e etc. Não por hora. Ela não é um argumento forte o bastante para descartar os outros pontos. De qualquer modo, essa teoria esta bem distorcida na discussão acima.

      • Leonardo,

        Eu não disse que a Internet é o meio mais eficiente que universidades inteiras, canais e mídia.

        Mas é o mais rápido e onde os resultados são mais rápidos.

        Essa é uma dica organizacional. Escolher batalhas para vencer.

        Esse ponto aqui, por exemplo: “Esse lance dos 50 anos NÃO É para a direita obter força política ou poder. É para se livrar da merda Esquerdista e da mentalidade dela – seja dominante ou não”.

        Eu não recomendaria focar nisso com tanta ênfase se fôssemos fazer, por exemplo, melhorias organizacionais. Aí teríamos a noção de que o ótimo é inimigo do bom.

        Temos que balancear as coisas. As metas de longo prazo (extirpar o esquerdismo do poder) não podem nos desanimar das metas de curto prazo (afetar o discurso esquerdista entre os intelectuais orgânicos, que multiplam discursos).

        Eu estou focado nas metas de curto prazo.

        Até por que daqui a 50 anos nem sequer sabemos se a estrutura universitária vai existir ou se vai ser substituída por cursos e-learning. Nem sabemos se os canais tradicionais de TV existirão. E daí por diante…

        É por isso que os alcólicos anônimos dizem: “um dia por vez”.

        http://www.encyclo.co.uk/define/Quick%20wins

        Quick wins
        A term used in the regeneration sector to refer to relatively cheap and easy initiatives that can be quickly implemented in an attempt to secure community support for a regeneration scheme. Quick wins are also designed to head off community frustration at delays to more substantial improvements that…
        Found op http://society.guardian.co.uk/glossary/page/0,,646470,00.html

      • Wow! Isso que é resposta 🙂

        Entendi que uma das táticas pregadas pelo blog é “traduzir” as refutações das ideias esquerdistas para o povo entendê-las e principalmente internalizá-las. Agora tenho que pensar em modos melhores de fazer isso e de DIVULGAR os memes/tirinhas/posts “traduzidos”. Matéria-prima temos em abundância: há uma imensidão de livros e sites refutando CADA aspecto das mentiras esquerdistas. Mãos a obra!

        Luciano, uma reação que observei quando desmonto a ilusão petista das pessoas é o seguinte:
        “Tudo bem. O PT é um partido esquerdista e faz tudo isso aí. Mas que opção eu tenho? Os outros partidos são iguais ou piores. Todos são políticos corruptos que querem comprar votos do eleitorado. Nenhum deles quer fazer isso que você falou: reduzir impostos, desburocratizar, etc, etc. Trocar seis por meia dúzia eu fico com quem já vi governar.”

        Mal posso esperar para tentar fazer uma pergunta pro olavão, no TO. Alguém sabe o horário e dia do próximo?

        Obrigado pelas respostas, pessoal. Seria uma honra conhecê-los pessoalmente, um dia.

      • João Marcos,

        Alguns dizem:

        “Tudo bem. O PT é um partido esquerdista e faz tudo isso aí. Mas que opção eu tenho? Os outros partidos são iguais ou piores. Todos são políticos corruptos que querem comprar votos do eleitorado. Nenhum deles quer fazer isso que você falou: reduzir impostos, desburocratizar, etc, etc. Trocar seis por meia dúzia eu fico com quem já vi governar.””

        Eis uma resposta: “O PT é um partido de extrema-esquerda, que defende idéias genocidas, e assume uma moral trotskista. Contrata escravos de Cuba e apóia as piores ditaduras do mundo. Basta notar a reação de petralhas em relação aos condenados do Mensalão. Outros partidos expulsariam os criminosos. O PT os endeusa. Todos os principais partidos do Brasil são de esquerda, mas o PT age assim por ser de extrema-esquerda. Moralmente, o PT se encontra em uma escala muito inferior. Não saber diferenciar isso é sinal de falha de caráter de alguém que não entende a diferença entre apoiar ou não um genocídio, ou apoiar ou não atos criminosos. Se você não consegue fazer essa diferenciação, é bom que fiquemos longe de você. ;)”

        (Isso, claro, depende do nível de amizade com a pessoa. Eu não recomendo tal assertividade com familiares e amigos. Ou superiores, no trabalho.)

        Abs,

        LH

      • Luciano, eu entendi e concordo com você. Mas não era minha intenção dizer “no que focar”. E sim, dar luz a discussão que estava ocorrendo. E colocar nos moldes certos o que Olavo queria dizer com 50 anos.
        E sobre os meios de ação, eles são mutáveis mesmo, com certeza.

    • Oneide,

      Tirando uma ou outra observação que eu faria, há bastante pragmatismo no texto citado.

      Vale a pena prestar atenção neste texto. Se não for para seguir tudo a risca, ao menos para entender a essência da mensagem.

      Att.

      LH

    • Li esse texto, e sinceramente achei fraco. O autor desconhece os pensadores políticos fundamentais como Horowitz e Alinsky, e ainda alimenta a ilusão de que é possível vencer eleições sem antes dominar os meios de informação e formação de opinião. Fora a parte risível de achar que o PSDB é oposição de verdade.

      Tem bons pontos, mas a maioria deles só seria útil em um ambiente onde as forças opostas partilhassem mais ou menos igualitariamente o espaço da sociedade. O que, no Brasil, evidentemente não é o caso.

      Enfim, é só um tucano de fé inabalável, mas de mente fechada.

      • Bruno,

        Eu vejo que o texto tem seus problemas, e é escrito de uma perspectiva onde a esquerda moderada disputa com a esquerda extrema.

        Mas a reclamação da autora, a meu ver, é com quando alguns que estão do lado dela começam a atacar a própria campanha do PSDB, dando a vitória ao PT.

        Entendo que uma prioridade é tirar o PT do poder. Se olharmos por essa perspectiva, o texto é interessante.

        Mas concordo que várias objeções podem ser feitas ao texto.

        Abs,

        LH

      • Luciano, é engraçado o autor reclamar da crítica à campanha dessa oposição poderosíssima que é o PSDB (risos), sendo que o último item é uma crítica aos direitistas verdadeiros e sérios – que ele jocosamente chama de “direitinhas xiitas”, “petistas de sinal invertido”. O parágrafo INTEIRO é uma crítica a essas pessoas, que curiosamente são, até onde eu vejo, as que REALMENTE entendem de política, enquanto ele se prende a eleições e toda essa farsa que é a democracia brasileira. Deve ser a caricata “Daniela Schwery” a autora deste blog, só pode. A coisa beira o infantil:

        “Para eles, o candidato de oposição ao PT nunca está suficientemente à direita.” – O candidato de “”oposição”” não está sequer à direita. Quanto mais “suficientemente”. FHC dando as mãozinhas ao Lula querendo desarmar a população em 2005 que o diga. Aécio difere bem pouco. Isso, claro, falando do PSDB. Ignoremos a “oposição” de Marina Silva et caterva.

        “É uma gente que, a despeito da arrogância, desconhece o papel da conjuntura num cenário político, a influência de uma década de governo de esquerda na bagagem cultural do eleitor brasileiro e, principalmente, um elemento básico da política: a negociação.” – Em primeiro lugar quem parece desconhecer a conjuntura é ele: já está provado estatisticamente que o eleitor brasileiro, em sua maioria, é conservador. A maioria da população é contra o aborto, a maioria é contra a legalização das drogas, a maioria é contra o desarmamento… E cadê o todo poderoso PSDB para levantar essas bandeiras? Em segundo lugar, o engraçado é que ele excluiu o governo FHC do conjunto “governo de esquerda”, mesmo FHC sendo assumidamente pró-drogas e pró-desarmamento. O que parece diferenciar as coisas na mente dele é a política econômica apenas, já que enquanto FHC seque a social-democracia no molde escandinavo, o PT segue a linha soviética mesmo, permitindo o capitalismo em doses homeopáticas só para o sistema não falir, mas tomando o controle de absolutamente tudo o que pode. Tem vários artigos sobre isso. Enfim, errou aí: estamos há quase 20 anos sob governos de esquerda.

        “É fácil identificá-los: tão agressivos quanto os petistas, eles xingam e ridicularizam membros da oposição que ousam, vejam só!, apoiar o candidato da oposição.” – Isso é mentira. Quase todos os direitistas que eu conheço OBVIAMENTE preferem Aécio a Dilma, só dizem que Aécio (e o PSDB) não representam o ideário conservador. Como diz o Rodrigo Constantino, “a gente toma um Engov e vota 45, pra não votar 13.” Parece que o que ele ou ela quer é que o PSDB seja aclamado como o vingador que vai tirar o PT do poder.

        “Dedicam parte do tempo a xingar o PT de um jeito que nenhuma pessoa decente pode levar à sério.” – Fora o que eu falei anteriormente, esse trecho mostra como a oposicinha foi castrada pelo PT, e pelos seus pitbulls midiáticos (a Blosta). Mensalão está aí, economia em frangalhos está aí, e o Aécio e sua turma estão pedindo “Federalismo Verdadeiro” (coisa que foi ridicularizada pelo Reinaldo Azevedo até mesmo no vídeo que você colocou aqui em seu último post). Se nós xingamos o PT “de um jeito que nenhuma pessoa decente pode levar a sério” (veja as “críticas” da tucana Daniela Schwery e veja o que é algo que não se pode levar a sério), eles, por sua vez, sequer o fazem, pelo medo de sofrerem represálias. A satanização que o PT fez do PSDB mostra seus resultados. “Cachorro picado por cobra tem medo de linguiça”.

        “E o pior: também plantam constantemente, a ideia de que “não há oposição no Brasil” e de que “PT e PSDB são exatamente a mesma coisa – uma teoria da conspiração típica de certo filósofo autoexilado que este grupelho idolatra.” – De novo o que eu falei acima, reclama das críticas à oposição, mas critica os que levam a palavra “oposição” a sério. E sobre “não há oposição no Brasil” e “PT e PSDB são exatamente a mesma coisa”, é fantástico perceber o grau de alienação dessa turma, ao pensar o contrário: http://imguol.com/2012/05/28/28mai2012—hugo-chavez-se-encontra-com-o-ex-presidente-fernando-henrique-cardoso-e-o-ex-presidente-de-cuba-fidel-castro-no-rio-de-janeiro-durante-a-cupula-do-mercosul-caribe-e-uniao-europeia-em-junho-1338230560417_956x500.jpg , http://imguol.com/2012/05/28/28mai2012—hugo-chavez-se-encontra-com-o-ex-presidente-fernando-henrique-cardoso-e-o-ex-presidente-de-cuba-fidel-castro-no-rio-de-janeiro-durante-a-cupula-do-mercosul-caribe-e-uniao-europeia-em-junho-1338230560417_956x500.jpg

        Entre PT e PSDB a discussão se resume se devemos fuzilar os “reacionários”, ou só mandá-los a campos de trabalho forçado, respectivamente. Se devemos fazer tramóias econômicas fraudulentas no mercado, ou só uma pseudo-privatização mesmo. Não que esses últimos tenham sido de todo o ruim, mas de novo, não representa o ideário que eu e boa parte dos conservadores acreditamos.

        “Nocivos, eles passam dias inteiros na internet desarticulando e desmobilizando a oposição possível enquanto se autoproclamam a “única oposição verdadeira”.” – Mentira, como eu já disse. Mas, convenhamos, qual a chance do PSDB se eleger? Vejamos ano que vem. E vejamos a desculpa do autor quando o óbvio acontecer.

        “Se é verdade que o PT tem ativistas infiltrados na oposição, todos os indícios apontam na direção desta gente. ” – Sim, os ativistas são os que criticam ferozmente o PT e pensam de forma ABSOLUTAMENTE CONTRÁRIA a Lula e sua turma, já os cachorros mansos, educadinhos e medrosos como o autor é que são a oposição que o Brasil precisa.

        Sinceramente, não tenho outra opção além de parafrasear o Olavo: “O que impede o PT de tomar o poder definitivamente é a resistência natural das coisas, e só.” Se é isso aí que se denomina a “alternativa” ao PT, então é só a Misericórdia Divina que impede que estejamos num gulag neste exato momento.

      • Bruno, nariz gelado é da “corrente” do coturno noturno, ele agora é pró Aécio antes serrista não por amor ao PSDB, mas por ser anti petista acima de tudo.
        Se o PSDB e a unica chance atual de tirar o PT farei campanha para o PSDB tanto que parei de criticar e comecei a defender o PSDB.
        E bom começar a usar o termo “corrente”, no PT e a segunda pergunta que te fazem nas cordialidades de apresentação.

  5. Sou depressivo, mesmo, nessa questão política, porque todo o meu circulo de amizade se desfez à medida em que aos poucos fui acordando do, como disse muito bem outro comentarista, coma político.

    Sua mensagem foi um bom alerta e o primeiro efeito que teve foi eu excluir uma mensagem negativa que registrei num página que mantenho.

    Valeu! 🙂

    • Paulo,

      Vou te dar uma dica. Depois da dinâmica social, que eu uso para estudar a guerra política, meu círculo de amizades MELHOROU.

      Aliás, a interação com dois marxistas AMPLIOU minha base de conhecimentos.

      Detalhe: foi através da interação com uma amiga que obtive informações fundamentais sobre os programas de regulação de internet do governo, pois ela participava de uma ONG.

      A questão é um ponto que vou tratar nos posts futuros: devemos escolher as batalhas que queremos vencer. Se entramos em batalhas, é para vencer.

      Isso quer dizer que se escolhermos nossos amigos e familiares como instrumentos de debates fortes, isso pode nos levar a isolamento. Podemos tratar as conversas com eles como batalhas de que não queremos participar…

      Abs,

      LH

      • Luciano,

        “meu círculo de amizades MELHOROU.”

        Como otimizar isso?

        Comigo isso não tem acontecido não… Por que com aqueles que mais amamos (e que estão inevitavelmente dentro de nossas famílias e círculo de amigos) isso não melhora?

        Tenho percebido uma melhora no contexto social, no dia-adia das ruas, entre ESTRANHOS que ocasionalmente se esbarram por aí. Uma vez recentemente, num super-mercado, quase se formou uma roda de ‘seguidores entusiasmados’ em volta de mim quando começei a falar umas obviedades sobre política, trabalho e economia (teve uma senhorinha que quase ajoelhou e clamou aos céus “Ó Senhor! Obrigado por nos mandar o sinal da tua misericórdia!”). Isso tem acontecido com relativa frequência. Mas dentro de casa…

        Tenho uma irmã. Praticamente uma militante gayzista e pró-feminista, defensora da pedagogia construtivista-oprimidista… Idem para seu esposo que está convicto sobre os benefícios do ‘legalize já’ (e olha que ele nem é maconheiro) e sobre transformar o país pela ‘cultura da periferia’ (com projetos sociais bancados com dinheiro público e agradáveis ao status-quo(cÔ) e que só vão cauterizar e SEPARAR pra sempre a própria cultura da própria periferia.

        Dia desses numa festa meu tio- milico aposentado- me começa a demonizar o capitalismo por todos os males ocorridos no Brasil nos últimos 20 anos… Putz!

        As ladainhas anticristãs vindas de familiares espíritas…

        As ladainhas anticatólicas vindas dos parentes evangélicos…

        O “acanalhamento depressivo” de amigos e vizinhos que só conseguem manter a esperança na liberação de camisinhas pelo governo e na prestação das Casas Bahia…

        “Aliás, a interação com dois marxistas AMPLIOU minha base de conhecimentos.”

        Apesar do perigo que se provou o Marxismo (e tutti quantti), nesse ponto tenho que concordar contigo. Tô começando a entender essa dinâmica de jogo. E essa é a GRANDE VANTAGEM que a direita possui sobre a esquerda atualmente:

        Eu acho que os esquerdistas de hoje tendem a desprezar o conhecimento produzido na direita; só se apegam na dinâmica social pra ‘secar’ o que essa sociedade tem de mais precioso, se chafurdando na auto-defesa corporativista e no auto-engano; quando muito, usurpam algumas partes desse conhecimento (tirados do liberalismo, CASO DO PLANO REAL), deformam os conteúdos e o contexto (que por isso mesmo perderão toda sua força terapêutica e validade na sociedade) e aplicam nessa mesma sociedade como se criação deles fosse (se der merda, suas consciências já sabem a quem culpar).

        Pelo menos na direita podemos ver ‘muitas exceções’ a essa regra de ignorar o inimigo. E podemos- e devemos- ampliá-las o quanto for possível e viável.

      • Em relação aos amigos e familiares, eu não toco no assunto política, a não ser para questões em que eu sei que não terei resistência. É isso que chamo de escolher as batalhas certas.
        Entendo que diálogos com esquerdistas são batalhas, mas algumas batalhas podem não ser jogadas, como no caso dos familiares.
        Essa é uma outra dica dos neo-ateus: eles entram na Internet e fazem chacotas com os religiosos que chegam a dar dó dos religiosos. Mas muitos deles deixam sua família, se for religiosa, em paz.
        Dia desses numa festa meu tio- milico aposentado- me começa a demonizar o capitalismo por todos os males ocorridos no Brasil nos últimos 20 anos… Putz!
        Se eu ouvisse isso, mesmo de alguém da família, no máximo faria perguntas incômodas…

      • Luciano,

        “Se eu ouvisse isso, mesmo de alguém da família, no máximo faria perguntas incômodas…”

        Isso ocorreu depois de mais de dois anos que não o via (um tio muito querido), encontrei-o logo no banheiro (foi até engraçado, eu ainda não tinha lavado a mão e ele ali com a mão na massa ainda e a gente querendo se confraternizar… |¬D

        …Confrontá-lo ali ou depois num salão barulhento onde a ordem era se divertir com a família tava fora de cogitação. |¬)

  6. Luciano, concordo, achar que vai perder pode ser uma profecia auto realizável, MAS, também pode ser uma conclusão fria e racional construída sobre os fatos.
    Olhando para a história, todo império desaba depois do pão e circo.
    A melhor coisa que a direita pode fazer é ir embora deste país de merda.

    • Crowley,

      Olhemos de fora como se fosse um fenômeno estudado cientificamente, ok? Já que você propõe uma análise fria e racional.

      Este discurso de “temos que sair do país” é parte do fenômeno que estamos estudando, e ele é um COMPORTAMENTO na análise. Hoje temos muito mais vozes de direita do que antes. E mesmo com a direita executando profecias auto-realizáveis (ou seja, ajudando sem querer a esquerda), o PT não conseguiu ainda tomar o controle do país de forma ditatorial. E pesquisas mostram que a amaior parte da população é de direita…

      NESTE ambiente de teste, o COMPORTAMENTO de dizer “está tudo dominado pela esquerda”, por alguém de direita, é previsível de acordo com a tese dita no meu texto.

      Ademais, “a vitória da esquerda no final” não é um fato, mas uma aposta. Quando a direita aposta nisso, transforma isso em proferia auto-realizável.

      Ou seja, a tese do direitismo depressivo PREVÊ a determinação de um RESULTADO FINAL que não é certo, mas é dito como certo, por agentes que podem ajudar a determinar o resultado final.

      Sobre toda a história do Brasil, este não pode ser um elemento para determinar o resultado final. Por exemplo, toda a história do Brasil era de carroças, mas com a quebra da reserva de mercado, hoje temos carros de bons nível por aqui (mesmo que a preço caro).

      Ou seja, a história passada não determina o resultado futuro de forma inexorável.

      Grato pelas objeções, pois elas permitem que eu as trate, já que a tese do direitismo depressivo será um dos tópicos de um trabalho que estou fazendo.

      Abs,

      LH

    • E, enquanto isso, lá nos Estados Unidos temos a mania do knockout game…

      http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2013/11/moda-entre-jovens-dos-eua-jogo-do-nocaute-ja-provocou-mortes-no-pais.html

      Que, aliás, a mídia de esquerda está dizendo que é “coisa de jovens”, quando na verdade é um caso de racismo reverso.

      Esse uso de eventos isolados como motivo para sair do país é injustificado. Aliás, para cada brasileiro que sair, vem estrangeiros no lugar…

      Abs,

      LH

      • Luciano, o motivo não é um evento isolado. O motivo é o ponto médio do povo, e esse vídeo é só um exemplo disso.
        Você quer outro exemplo? Leia os comentários. É ESSE o povo que a gente tem que convencer? Sem chance!

      • Esse povo não é o que tem que ser convencido, mas ser INFLUENCIADO a votar em ideias que você defende e posicionar-se a favor de questões que você defende.

        Eu não vejo como um “povo diferente”. É apenas um povo, que, como sempre, não tem o mesmo nível cultural que os formadores de opinião.

        Por isso, existem os formadores e opinião e o povo.

        É assim que vejo.

      • Luciano, e quanto a esse jogo a culpa é 100% dos americanos BRANCOS que perderam as bolas, como eles mesmos falam.Se essas ‘vítimas’ fossem fazer isso na Rússia aí sim ia ser legal e eles iam ver uma coisa

      • Há um caso de vítima desse jogo que reagiu e fez de seus agressores vítimas:

        http://www.youtube.com/watch?v=gzptOuQ0M9U

        Tomou dois pipocos de .40 e está em um reformatório com seu rosto sendo mostrado para todos (enquanto o da vítima da porrada foi preservado, ao contrário do que ocorreria no Brasil). Como podem observar se virem o vídeo inteiro, é que o vídeo é de um cara negro fazendo crítica ao que os próprios adolescentes de sua cor estão fazendo. Veja este outro vídeo de crítica vindo de um negro que inclusive fala da inação dos líderes negros americanos e do vitimismo espalhado entre os negros americanos:

        http://www.youtube.com/watch?v=4MxjoF6QTVk

        Achei também este vídeo de um redneck fazendo inclusive crítica a um ambiente em que podem haver coisas análogas ao tal jogo de porrada sendo feitas por grupinhos de pessoas que fazem comentários de alguém e ficam rindo de uma determinada pessoa, mais ou menos como os adolescente que riem do cara que foi derrubado e congratulam o cara que praticou o ato:

        http://www.youtube.com/watch?v=fmm_0-N9kJQ

        Observe-se inclusive o cara falando sobre ser honrado e não ficar sendo piolho de ir pela cabeça de ditos amigos. Finalizando esta minha intervenção, fiquei aqui pensando se não há algum componente da dinâmica dos marxistas-humanistas-neoateístas ser análogo ao “knockout game” ou dos comentários maldosos que não são imediatamente rechaçados e geram risadas maliciosas que surgem praticamente por inércia dos tais que vão pela cabeça dos outros. Afinal, marxismo-humanismo-neoateísmo só se prolifera se tiver uma plateia que o endosse, recolhendo-se quando não nota clima para tal, como se pode ver nestes vídeos de um episódio de quebra de piquete na Letras da USP:

        http://www.youtube.com/watch?v=p7VSkHcV4jQ

        http://www.youtube.com/watch?v=PCYveztAXic

        Observe-se que as pessoas já estavam protestando contra o pessoal do DCE, bem como não encampavam aquilo que a moça no microfone dizia (vide o tanto de vezes que ela foi interrompida em seu discurso pelos alunos que gritavam “aula, aula”), enquanto os alunos na passarela superior estavam derrubando o piquete feito na entrada do prédio. Logo, como se pode observar, não havia a multidão para rir do “nocauteado” ou do alvo de comentários maldosos, o que significa que o perpetrador do ato não ganhou moral por aquilo que praticava e ficou falando para as paredes.
        Poderíamos pensar aqui também em outros momentos em que MHNs foram deixados no vácuo, como nos protestos de junho em que os partidos foram expulsos, mesmo que tenham sido eles os deflagradores da onda que varreu as ruas brasileiras. Claro que depois disso eles começaram a fazer seu “knockout game” (vide chamar os manifestantes de “coxinhas” por eles não subscreverem o MHN e mandar black blocs em massa). Porém, como as próprias pesquisas mostraram, o brasileiro passou a carraspana nos MHNs e ao menos por ora estamos sem encapuzados nas ruas, bem como subitamente “coxinha” perdeu a força e voltou a ser a maneira paulistana de se apelidar os PMs. Isso significa que os MHNs não conseguiram o picadeiro que queriam para suas ações e, por ora, transferiram o “knockout game” para o Mais Médicos (ainda que já estejamos vendo erros primários acontecendo, o que poderá corresponder à reprovação dos integrantes da sociedade a um ato condenável, em vez de ficar rindo com o ato e rindo da vítima do ato).

    • Crowley321,

      Isso aí é o resultado extremo, não vigente (ADENDO: lembro agora de uma situação que passei com amigos numa praia a uns 10 anos atrás, quando o namorado de uma amiga que se exibia para o grupo com elogios para sua filha de 8, 10 anos, disse com a maior cara lavada: -Minha filhota não é linda!? Futuramente vai ser capa da playboy, né filhota!?). É duro ter que aguentar isso do seu lado.

      Acredito que isso AINDA pode ser revertido- observo, pelo depoimento de muita gente nas ruas, que o FUNK, por exemplo, vem perdendo público no subúrbio carioca, tem causado desconforto, vergonha alheia… Essa patifaria sonora NÃO SE SUSTENTA por muito tempo (é só ver Anita e Naldo, que vão pra uma linha dance-pop que dá pro gasto).

      Tb soube dessa nova moda assassina nos EUA, que AINDA não estreou aqui no Brasil, mas JÁ-JÁ irá estrear, e com toda a força, caso desistamos do GIGANTE agora (!).

      Esse vídeos racistas e criminosos desse tal ‘knockout game’ são aterradores (assim como os atos de violência gratuita nos arredores públicos franceses contra mulheres brancas, ou os que acometem famílias brancas inteiras na África do Sul: http://retrogradolusofono.blogspot.com.br/2013/09/monstros-sul-africanos-chacinam-familia.html ).

      E a opinião pública sequestrada pela Grande Mídia continua aplaudindo as cotas raciais e vitimando os negros na sociedade brasileira. Se bem que amanhã a Record, no Domingo Espetacular, vai exibir uma pauta sobre essa nova modalidade de violência extrema (não sei se pra “dar ideia” aos criminosos daqui).

      Se esse tipo de coisa vier pra cá mesmo- e o tal “Dia da Consciência Negra” PROVA que isso já é VIÁVEL [o solo já está fértil e lavrado com as sementinhas do exu-caveira]- a desolação e o desespero nesse país não terá precedentes. Eu realmente nem queria cogitar isso. Já não chega a BARBÁRIE DIÁRIA que nós temos de engolir calados todo santo dia?!

      • Anderson, pode parecer contraditório mas não acho que esse knockout game vai pegar por aqui. Pelo menos a impressão que eu tenho é que essas coisas que a bandidagem americana inventa são coisas de um nível que o pior traficante brasileiro não se rebaixa.Mas no brasil do ‘nunca antes’ tudo é possível, vamos ver
        Na áfrica existe o genocídio de fazendeiros brancos há muito tempo, ninguém da grande mídia dá um piu. Na copa que teve por lá teve gente fazendo protestos pra divulgar essas coisas, eles mostraram? Nada.

      • “Anderson, pode parecer contraditório mas não acho que esse knockout game vai pegar por aqui. Pelo menos a impressão que eu tenho é que essas coisas que a bandidagem americana inventa são coisas de um nível que o pior traficante brasileiro não se rebaixa.”

        Deus lhe ouça, meu caro Crowley321… Deus lhe ouça.

        “Mas no brasil do ‘nunca antes’ tudo é possível, vamos ver”

        Eu não quero pagar pra ver isso chegar aqui.

        Isso realmente tem me incomodado bastante desde que vi alguns vídeos, porque até então a maioria dos crimes, pelo menos aqui no Brasil, possuem algum nível de motivação (desejo) material ou passional, e planejamento.

        A única explicação que me vem á cabeça é o ódio racial reverso ou o ressurgimento de um barbarismo pior, pois juvenil, recalcado, hipnótico, condescendente, sem nenhum propósito e extremamente covarde. Uma nova forma de “gratuidade do mal” que simplesmente não preserva mais ninguém pois age À LUZ DO DIA com surpresa, emboscada. E isso não começou ontem; sabemos que é um processo lento, gradual que sempre teve como meta a destruição do núcleo familiar (que é o começo e a manutenção de toda a civilização que se pretende sã e livre).

  7. Luciano, acho que você o Olavo estão fazendo contas diferentes. Olha só: quando você estima em dez anos um período para que a visão “direitista” ganhe a hegemonia dos corações e mentes da maioria dos brasileiros eu concordo com você. Esse processo está rolando sim, com as boas vendas de livros direitistas, o aparecimento de artistas populares direitistas como o Lobão, Roger, Danilo Gentili etc. Mas entendo que a superioridade numérica de direitistas entre a população e a superioridade intelectual não resolvem o problema. Temos sempre que lembrar que, mesmo sem a superioridade intelectual, a esquerda conta com a posse dos meios de ação política: funcionalismo público, burocracia estatal, meios acadêmicos e universitários, sindicatos, ONGs, movimentos “sociais” etc. Para retomá-los para o lado dos direitistas, vão aí pelo menos uns trinta anos e talvez seja esse tempo que o Olavo esteja calculando. O que você acha? Abração e parabéns por dividir com a gente seus estudos sobre ceticismo político.

    • Aí que está…

      Temos sempre que lembrar que, mesmo sem a superioridade intelectual, a esquerda conta com a posse dos meios de ação política: funcionalismo público, burocracia estatal, meios acadêmicos e universitários, sindicatos, ONGs, movimentos “sociais” etc. Para retomá-los para o lado dos direitistas, vão aí pelo menos uns trinta anos e talvez seja esse tempo que o Olavo esteja calculando. O que você acha?

      Aí é que está: queremos mesmo essas institutuições ou podemos desmoralizá-las.

      Eu uso muito do framework neo-ateísta (reconstruído para o que defino como neo-iluminismo).

      O neo-ateu não se interessa em tomar as igrejas para si, mas desmoralizá-las.

      Eu acho que não precisamos conquistar esses espaços todos para revertermos a doutrinação gramsciana.

      Exemplo:

      1. Em relação a sindicatos aparelhados, podemos aos poucos assistir (e divulgar) a queda deles com a terceirização. E ainda podemos questionar em público as contradições deles. Exemplo: ficaram do lado do PT na questão dos médicos cubanos, atacando a classe médica do Brasil, que tem seus sindicatos.
      2. Em relação a universidades, basta “abrir” o território universitário para a Internet (e todo aluno de universidade acessa a Internet) e submeter ao ridículo as pessoas que estão em uma sala de aula. Nesse caso, o aluno esquerdista poderá ser ridicularizado em Internet por causa de seus discursos esquerdistas em salas de aula. Assim, devemos tirar a reputação das universidades, e desnudar o que se faz lá.
      3. Em relação as ONG’s, devemos denunciar o uso do dinheiro público, assim como no caso da Lei Rouanet. Somos de direita, portanto querer as ONG’s aparelhadas pelo governo é o mesmo que se um neo-ateu quisesse tomar a igreja dos cristãos. É o contrário: ele quer desmoralizar as igrejas, e não quer frequentá-las. Então, não queremos as ONG’s, mas temos que desmoralizar o dinheiro estatal dado a elas.
      4. Em relação a burocracia estatal, precisamos desmoralizar isso e demonstrar para a população que é isso que tem destruído o Brasil. Exemplo: só tivemos ideias de esquerda no Brasil, ao invés de nos Estados Unidos e Europa, onde misturou-se governos de direita e de esquerda. Pois bem. É a esquerda a culpada pelo nosso desenvolvimento inferior. Temos que explicar para eles o problema.

      Claro que devemos lutar por mais espaço de mídia, mas isso tende a acontecer se criarmos um senso de urgência para a demonstração do quão nocivo é o esquerdismo.

      A tática aprendida com os neo-ateus é mais rápida e não prevê que se ocupe os mesmos espaços que o adversário. Ao contrário, alguns dos espaços ocupados pelo adversário devem ser desmoralizados.

      Por isso, entendo que as ações devem ser mais rápidas, e cada vez mais focadas onde dêem resultados.

      Abs,

      LH

      • “Claro que devemos lutar por mais espaço de mídia, […]
        A tática aprendida com os neo-ateus é mais rápida e não prevê que se ocupe os mesmos espaços que o adversário[…]”

        Seria tipo criar novos espaços midiáticos que com o tempo ganhem repercussão nacional (como por exemplo o Porta dos Fundos que ganhou recentemente o mainstream e se manteve- ATÉ AGORA- fiel a sua “agenda” humorística; ou o próprio Danilo no Agora é Tarde, que aos poucos foi INSERINDO temáticas antipetistas e politicamente INcorretas), obrigando os grandes veículos a “abrirem uma cota” (a contragosto) na sua grade de programação?

        Os movimentos evangélicos já não estão fazendo isso com enorme sucesso? Até a Globo já tá armando a isca pra atrair esse tipo de público pra sua audiência (que já não anda lá bem das pernas).

        O Olavo sempre tá dizendo que o principal problema na direita é desunião e o fator GRANA. Ou se junta as duas coisas, isto é, se INVESTE no time pra vencer o campeonato ou então… Sei lá, vai ficar muito difícil.

        Quantos milhões por mês a esquerda arrecada só da sua militância e simpatizantes? E quanta disposição pra botar a mão no próprio bolso existe na direita? Cadê o liberalismo nessa hora?

        Abs

      • Anderson,

        As pequenas e médias empresas tem muito dinheiro para investir. Elas são as mais interessadas no livre mercado.

        Algumas das grandes empresas recebem benefícios de sua aliança com o governo, e querem que a coisa continue como está.

        Assim, temos que achar os empresários que estão do nosso lado, e saber os que estão do lado da esquerda.

        Abs,

        LH

      • Eu vou dar a minha opinião para talvez começar a acabar com os impostos. Não sei se vocês irão concordar comigo: a minha ideia teria que também partir dos próprios empresários e empreendedores.

        E se começar a aparecer empresários (esses empreendedores teriam que ser em grande número) pedindo para deixar de pagar impostos pois querem financiar ou abrir escolas e hospitais para atender pessoas pobres por conta própria?

        Os empresários não seriam obrigados a fazer isso, mas em um país onde a hipocrisia esquerdista conseguiu convencer grande parte da população de que os empresários são exploradores e gananciosos, talvez não seja uma ideia ruim começar a desmascarar a mentira esquerdista diante deles.

        Imaginem como esses empresários em programas de TV, em entrevistas para jornais ou revistas dizendo que não confia em deixar o seu dinheiro nas mãos dos políticos (classe que não é bem-vista no nosso país. O que para mim é um bom sinal) e que esse mesmo empreendedor quer financiar por si mesmo a abertura ou criação de escolas, cursos profissionalizantes ou até mesmo hospitais sem a participação de políticos.

  8. Se eu for exrercer meu legítimo direito à opinião vou perder boa parte dos meus amigos. Na internet posto coisas anti-esquerdistas e geralmente o resultado é NENHUM comentário, nenhuma curtida, nada. Os caras não gostam de debater, gostam só de BATER. A propósito, horripilante o tal “knock out game” postado aqui. Não tive estômago para ver o vídeo e vejo com muita tristeza e apreensão o rumo que a garotada está tomando, não só no Brasil, mas em todo o mundo.
    Por mim, só teria direito a voto quem tivesse mais de 35 anos.

    • Bruno,

      Alguns pontos:

      Se eu for exrercer meu legítimo direito à opinião vou perder boa parte dos meus amigos. Na internet posto coisas anti-esquerdistas e geralmente o resultado é NENHUM comentário, nenhuma curtida, nada.

      Acho que você está escolhendo ambientes errados para propagar suas ideias. Geralmente, a apresentação da opinião dissidente tende a gerar frutos e polemica.

      Por mim, só teria direito a voto quem tivesse mais de 35 anos.

      Aí é que está.

      Este é um ponto que eu critico. Eu vejo o público eleitor como “o povo”, a ser conquistado pelo nosso discurso. Ao invés disso, atacamos o povo.

      Acho que devemos fugir deste tipo de ideia, pois isso é fazer a campanha que o esquerdista quer.

      Exemplo: o esquerdista poderá dizer: “Enquanto nós achamos a voz do povo soberana, o Bruno diz que só quer que pessoas acima de 35 anos votem. Isso mostra que estamos do seu lado, eleitor, e ele, por ser de direita, está contra”.

      É isso que eu falo de ajudar a esquerda na hora de emitirmos algumas opiniões que só os ajudam.

      Devemos prestar atenção nesses mínimos detalhes.

      Recomendo este post: http://lucianoayan.com/2013/09/07/silvio-medeiros-e-a-arte-da-guerra-politica-de-david-horowitz/

      Tem um vídeo de 100 minutos, mas que é indispensável para assimilar melhor a noção do que expus neste post.

      Abs,

      LH

      • ‘Este é um ponto que eu critico. Eu vejo o público eleitor como “o povo”, a ser conquistado pelo nosso discurso. Ao invés disso, atacamos o povo.’

        Luciano, mas isso não é ataque, é a verdade. Chamar um sujeito de ignorante se ele for ignorante mesmo não é a verdade? Ou de burro? Se o cara se incomoda com a verdade problema dele, isso é uma coisa que eu afirmo sem emoção nenhuma, do mesmo jeito que falo que 2+2=4.

      • Crowley

        Se o cara se incomoda com a verdade problema dele

        Aqueles que falam “todas as verdades” são iguais ao personagem Jim Carrey no filme “Liar”.

        Por exemplo, você como consultor de vendas toma o princípio de que os clientes são burros?

        Abs,

        LH

    • “Na internet posto coisas anti-esquerdistas e geralmente o resultado é NENHUM comentário, nenhuma curtida, nada”

      Relaxa…eles lêem…..vc pensa que não, mas eles lêem.
      Acontece comigo também….um dia…dei uma de joão sem braço, cheguei em um amigo e perguntei — “hey, você viu o post no meu face?” — e ele respondeu….

      “Cara, eu leio a maioria dos seus posts sobre esquerdismo, mas não comento porque tenho muito amigo esquerdista”.

      Desse simples comentário podemos tirar algumas conclusões.
      Logo de cara esse meu amigo não se identifica como esquerdista.
      Ele identifica que outros amigos dele (provavelmente pelas idéias) são esquerdistas.
      Ele lê a maioria, portanto possue o hábito de ler sobre isso de modo que pode identificar os esquerdistas a partir do que está lendo.

      Há uma grande diferença entre corcordar com idéias de direita , conhecer esquerdismo, e enfrentar o esquerdismo.
      A maioria das pessoas tem receio de criticar o esquerdismo, por causa da estratégia que esquerdistas usam de se colocar como “representantes do povo”, “representantes da causa social”, e quem está no debate deve ter o minimo de ceticismo para questionar a falsa representação e controlar o frame para apontá-la com eficácia de modo a humilhar o esquerdista — Em resumo, a maioria das pessoas está na ESPIRAL DO SILÊNCIO — é por isso que ninguém curte ou comenta.
      Mas eles lêem.

      É por isso que já propus ao luciano, que faça pequenos compêndios (‘livros de bolso”) de refutação.
      O gramcismo se baseia em pura e simples propaganda. O conteúdo direitista deve ser condensado em material de fácil assimilação e propagação. Mantendo-se uma base como este blog que entra um pouco mais profundamente sobre o assunto, ao mesmo tempo que temos material de rápida assimilação circulando por fora.

      • Luciano
        Vi sim.
        O material é bom como sempre. Falta apenas condensar isso (na falta de melhor termo) em Propaganda – leia-se: comunicação de massa — uilizando outros recursos que apenas texto.
        Entre o final de dezembro até o meio de janeiro vou lhe liberar um material pra você ter uma idéia.

        Mas vou dar um adianto:
        O conteúdo que devemos gerar deve estar entre o Meme, o artigo escrito e o vídeo.
        Você manda muito bem em geração de conteúdo escrito. Percebo também as relações que faz entre os eventos, e o que você leu e estudou. Percebo também outras relações que faz com o meio em que você trabalha. — Mas serão necessários outras habilidades que ainda não percebi em você. E mesmo que você as possua, não espero que você faça TUDO.
        Estou procurando pessoas com tais habilidades.

        Em breve — em torno de 3 meses, retorno com algum resultado…ou não. Mas estou positivo.
        Mas continue, pois o seu material será de extrema necessidade, nesses moldes como o do link que postou.

  9. LH,

    Você parece ter o pensamento ( do qual comungo ) que há prioridades para determos o avanço da esquerda. Como tirar o PT do poder, por exemplo. Mesmo não tendo uma representação ideal para substituí-lo. Corrija-me se estou enganado.

    Eu hoje vejo que o que atrapalha os verdadeiros opositores do governo a concretizar uma ação mais efetiva são as discordâncias “internas”. Libertários, conservadores, liberais, monarquistas, etc, muitas vezes brigam entre si. Tratam-se com foco maior nas diferenças do que nas afinidades.

    Daí que hoje temos muitas pessoas que compartilham ideais da direita ( seja de qualquer vertente ), com vontade de agir, com visibilidade, porém dispersos. Temos dezenas de partidos em fase embrionária. No ritmo atual será bem demorado o processo de consolidação dos mesmos.

    No cenário atual ( que pra mim é o mais propício para ações efetivas e organizadas de nossa parte ) perder tempo com trivialidades é favorecer o inimigo comum. Se houvesse um foco nas questões em que todos estamos de acordo ( redução do poder estatal, redução da carga tributária, preservação das liberdades, etc ), conseguiríamos uma mobilização efetiva de todos os setores da Direita.

    Gostaria da sua opinião a respeito. Acha que essa união é possível ? O que podemos fazer para concretizá-la ?

    ATT

    Johny Lima

    • Johny,

      Em relação à prioridade, você está certo.

      Em relação às discordâncias internas, elas são intransponíveis, mas isso não nos impede de criar uma frente que tenha mais voz que as demais.

      Você pode, por exemplo, mesmo atacando alguém ao seu lado, atacar o oponente. Por exemplo, dizer que concorda com os libertários em vários pontos, mas ridicularizá-los nos pontos em que eles parecem esquerdistas.

      Richard Dawkins fez isso atacando os agnósticos em seu livro “Deus, um Delírio”.

      Isto é. Podemos transformar o ataque a algum grupo aliado em um ataque ao grupo oponente.

      A esquerda também briga entre ela a rodo. Vou mostrar daqui a pouco no caso da briga de PHA e Brasil247.

      Se houvesse um foco nas questões em que todos estamos de acordo ( redução do poder estatal, redução da carga tributária, preservação das liberdades, etc ), conseguiríamos uma mobilização efetiva de todos os setores da Direita. Gostaria da sua opinião a respeito. Acha que essa união é possível ? O que podemos fazer para concretizá-la ?

      Podemos manter esse foco, mesmo com as pequenas briguinhas internas.

      Farei um post sobre isso em breve.

      Abs,

      LH

  10. Luciano , adorei a ideia de simplesmente desmoralizar os orgãos aparelhados pela esquerda e ter levado em conta a Internet. Realmente o jovem passa muito tempo na Internet e aprende mais em 3 horas nela do que em um mes na escola.
    Por isso que tenho tanta fé em voce. Voce é o Tim Ferriss politico , que eu tanto ansiava.

  11. Direitista depressivo é uma desgraça só serve para dar munição para esquerdistas e o pior tipo é o que fica clamando por golpe militar, além de dar a chance do esquerdista ficar repetindo a mentira de que a direita é contra a democracia, é um retardado político que defende uma variação esquerdista pois os militares brasileiros historicamente sempre foram positivistas.

    • Rafael, qual o problema de ser contra a democracia?
      Democracia é o sistema onde se a maioria de antas decide que você tem uma ‘dívida histórica’, pronto, você tem.
      A riqueza de um país não depende de democracia, um exemplo disso é Listenstaine, na europa, um país riquíssimo que pouca gente ouve falar, e é uma monarquia. E democracia também não garante liberdade nem os valores da direita, basta ver a venezuela, o brasil ou até mesmo os EUA.

      Eu venho pensando até, que é exatamente por essas razões que a democracia é tão endeusada pela mídia, falar algo contra ela virou tipo uma heresia…

      • Eu gostaria de ver bons argumentos para a monarquia. Por exemplo, qual a vantagem em ter monarcas que transferem seus poderes de forma hereditária?

        Outro ponto: imaginemos a dinâmica social da democracia.

        Você tem uma organização e diz:

        (1) Todos os participantes terão direito a serem ouvidos, e participarem das decisões
        (2) As decisões virão de cima e estes participantes não interferirão nas decisões

        Automaticamente, quem disser (1) mais enfaticamente, ganhará a audiência.

        Em suma, como Fukuyama diz (e nisso ele está certo), não há opção melhor e mais válida do que a democracia liberal.

        Democracia é o sistema onde se a maioria de antas decide que você tem uma ‘dívida histórica’, pronto, você tem.

        Eu vejo de outra maneira. Democracia é o sistema onde, se um grupo político (esquerda) vende melhor a idéia de que há “dívida histórica”, então isso vai ocorrer. Mas nesse sistema o grupo político adversário (direita) pode vender melhor a idéia oposta.

        Note que a democracia permite o LIVRE MERCADO de ideias. Basta você saber vender melhor sua ideia.

        E democracia também não garante liberdade nem os valores da direita, basta ver a venezuela, o brasil ou até mesmo os EUA.

        Mas a democracia dá espaço para que a direita venda suas ideias, assim como a esquerda faz.

        Eu venho pensando até, que é exatamente por essas razões que a democracia é tão endeusada pela mídia, falar algo contra ela virou tipo uma heresia…

        A verdade é: quem se posiciona com mais ênfase a favor da democracia, aumenta suas chances de vencer.

      • Vou tentar achar esse.

        Mas, pelo que li em uma introdução, a tese central se baseia no seguinte: “No jogo democrático, nosso lado não tem ganhado, portanto, não é um bom jogo”.

        Mas posso estar errado.

        Vou procurar ler em detalhes.

        Abs,

        LH

      • “Listenstaine, na europa”

        Não tinha ouvido falar desse lugar, crowley321…

        Depois que ouvi isso aqui dia desses comecei a olhar o sistema Monárquico de outra forma:

        http://www.youtube.com/watch?v=MbIujgG8rHs

        Ainda não tenho opinião formada à respeito disso, mas, sei lá…

        Se pararmos pra pensar, a Monarquia não “acabou” em boa parte do mundo porque entrou numa “decadência natural” e “ficou ultrapassada”. Ela simplesmente foi ARRANCADA de lá aos pontapés e a tiros pelos “iluminados” revolucionários de outrora.

        Libertê, Fraternitê, Igualitê, né!? Viva lá France!

        Cabeças rolaram e a brincadeira não parou mais em todo o mundo moderno e pós-moderno.

        Desde então tem me parecido que esse mundo passou a se comportar de forma alucinada por mudanças, avanços e progressos sem fim, sem medidas viáveis e sem mais se preocupar com o ócio criativo, a contemplação, a segurança e a estabilidade duradoura. (*ADENDO: Acho até que o AUMENTO das depressões e das outras doenças mentais tem a ver com isso; vivemos numa “nostalgia perpétua” que não se cura mais com nenhuma “novidade” . Não conseguimos mais saborear as coisas, as pessoas, a vida… Tudo fica obsoleto muito rápido. Tenho ainda a “saudade” do barulho da agulha da vitrola dando aquela ranhura na introdução do disco… )

        O estado do mundo passou a ser o ‘febril’, brindando a Europa com o Napoleão, criando o Karl Marx, desaguando no Fabianismo, no Comunismo, em duas guerras mundiais e no Foro de São Paulo. Êêêê!

        Houve coisas boas, claro, não se pode negar, a Rev. Industrial sendo uma delas, que deflagrou o empreendedorismo capitalista, a criatividade inovadora, a Ciência, as maravilhas tecnológicas… mas tb e daí ter todas essas benesses com o espírito vazio sem as perspectivas eternas que orientavam o homem nesse mundo? Enfim…

        Repúblicas tem criado problemas insolúveis na sociedade, um desses problemas sendo a corrupção por todo o sistema de governo e essa maldita troca de poder de 4 ou 8 anos que acaba facilitando os SABOTADORES DO SISTEMA, empacando coisas que estavam encaminhadas e dando certo na sociedade e trocando pelo INEDITISMO que obriga todo o sistema a ficar fazendo reloads sucessivos e desnecessários.

        Já dizia o sábio:

        “DEMOCRACIA NÃO É O CONTRÁRIO DE UMA DITADURA; É A SUA CAUSA”

        Esse assunto ‘Monarquia’, que praticamente não causa empatia em lugar nenhum desse país, dá muito pano pra manga.

        PS: por que dentro desse ‘livre-mercado de ideias’ a direita não conseguiu jogar o jogo político pelo menos nos últimos 100 anos?

        Eu desconfio que seja porque houve pela primeira vez na História o casamento dos psicopatas com os psicóticos histéricos entrando de mãos dadas nos corredores do poder.

        Um outro problema que o prof. Olavo define é que a dita direita NÃO QUER CONQUISTAR O PODER. Conquistar não, não deseja mais o próprio poder. Não há mais essa disposição pra assumir esse tipo de responsabilidade. É a tal crise de testosterona, a falta de bolas lá em baixo. Soube que aparelho celular, TV, dieta vegana e até o flúor entra nessa equação desmotivadora.
        |¬)

        Se pegarmos o século XX esse poder praticamente só esteve nas mãos das esquerdas. De vez em quando acontecia um “milagre” como um W.Churchill, um Reagan, uma Thatcher…

        E hoje? O que a gente tem perto disso?

      • Acho que devíamos pensar:

        Mas o que tem de tão bom nessa democracia que faz a esquerda sacrificar até a sua reputação moral e arriscar até a própria vida?

        Se a democracia serve para a implantação de uma ditadura socialista, tb poderia servir pra mais alguma outra coisa?

        Eu creio que sim. Os EUA, Israel, Japão e Austrália não seriam os exemplos viáveis?

      • ‘Mas o que tem de tão bom nessa democracia que faz a esquerda sacrificar até a sua reputação moral e arriscar até a própria vida?’

        Parasitas do welfare state, entre outras coisas. É por isso que o Obama faz o que pode pra atrair o máximo de imigrantes ilegais que puder, esses vão ser eleitores da esquerda pra sempre.

  12. Luciano,acredito que quando o Olavo de Carvalho falou que para revertermos essa situação dominada pelo os esquerdista em todas as áreas e principalmente na educação,levaríamos em torno de 40 a 50 anos,ele quis dizer que já foi dada a largada há 20 anos atrás com ele e o Bruno Tolentino batendo de frente e denunciando o marxismo cultural, além das denúncias sobre o Foro de São Paulo.Então já se passaram 20 anos,agora e ver quantos anos vão passar para consertar o estrago.Será que vamos chegar aos 40 ou 50 anos?

  13. Acho interessante que alguns tenham tocado no tema democracia, pois muitas pessoas da direita não tocam nesse tema.

    Os poucos tocam acham a mesma coisa que a esquerda: algo perfeito. Alguns acham que o fato da esquerda fazer mal uso da democracia, não significa que ela seja ruim e outros já analisam profundamente o que é isso.

    Me da nojo quando vejo esquerdistas e a mídia em geral falando em “democracia” nos países islâmicos e comunistas em que as perseguições e mortes rolam a solta.

    Nesse blog, há algumas frases (em espanhol) interessantes, sobre o que é a democracia… algumas podem ser falsas mas outras tem um fundo de verdade: http://confrariadesaojoaobatista.blogspot.com.br/2013/05/aforismos-sobre-democracia.html

    Alexis de Tocqueville também já falava sobre riscos da democracia: http://cdcc.sc.usp.br/ciencia/artigos/art_24/conceitodemo.html

    Aqui também há dois artigos interessantes lá do Mr. X sobre democracia:

    O risco eterno de uma democracia sem lembranças

    Democracia não é suficiente

    Pode uma democracia durar para sempre?

    Sobre monarquia, vejo muitas pessoas dando argumentos bons, como no site Matutando em um artigo sobre as mentiras da república do Brasil.

    Posso até concordar com um ou outro argumento, como o gasto de dinheiro público que é bem menor do que na república, mas não se iludam tanto com monarquia, afinal, se fosse as mil maravilhas, então por que as monarquias restantes européias não estão fazendo nada frente a crescente islamização e esquerdismos crescentes em seus países?

    Sempre me pergunto isso.

    De qualquer maneira, dissecarmos mais sobre o que é realmente a democracia e não se iludir tanto com monarquia.

    Abraços.

    • Adalberto,

      “[…]afinal, se fosse as mil maravilhas, então por que as monarquias restantes européias não estão fazendo nada frente a crescente islamização e esquerdismos crescentes em seus países?”

      Não sei se todas não estão fazendo nada… Acho que isso pode ter a ver a mudança do próprio contexto geo-político planetário que mudou muito no último século; tz esses governos ainda estejam enxergando as coisas de acordo com a visão da Grande Mídia…

      Mas sabe-se que a família real inglesa tem duas ocupações simultâneas: empinar o popozão pra meca e discursar patriotismo e valores cristãos ex cathedra pro povo inglês. ;¬)

  14. “Eu vejo de outra maneira. Democracia é o sistema onde, se um grupo político (esquerda) vende melhor a idéia de que há “dívida histórica”, então isso vai ocorrer. Mas nesse sistema o grupo político adversário (direita) pode vender melhor a idéia oposta. ”

    Mas o ponto dos anti-democratas não é exatamente esse Luciano, a simples capacidade do eleito da esquerda por em prática suas ideias?

    • Basicamente, o que se diz é isso.

      Há um mercado de ideias.
      Eu sei que minhas ideias são melhores.
      Mas meu concorrente vende as ideias dele de forma melhor.
      Logo, o livre mercado de ideias não é uma boa ideia.

      Seria este o argumento daqueles da direita que são contra a democracia?

      • Luciano, o problema não é ser o melhor em vender as idéias, mas entender o comprador, ter uma visão geral que mostra porque aquelas idéias não vão ser vendidas nunca! Por melhor que o vendedor seja.
        Sério, como é que se convence alguém que é beneficiado pelo roubo estatal, a NÃO querer este roubo? Como se convence um parasita do bolsa esmola a largar aquilo? Eu acho que não tem como.
        As coisas que o Olavo fala, ele mesmo já disse, é na esperança de que daqui há uns 500 anos alguém leia o que ele escreve hoje e diga: ‘ah, pelo menos esse aí entendia o que estava acontecendo ‘. Mudar que é bom, ele duvida que mude.
        Não estou trolando, mas ainda acho que o que você chama de pessimista eu chamo de realista.
        E também acho que a única esperança da direita no mundo é o seasteading.

      • Luciano, o problema não é ser o melhor em vender as idéias, mas entender o comprador, ter uma visão geral que mostra porque aquelas idéias não vão ser vendidas nunca! Por melhor que o vendedor seja.

        Bom, mas primeiro temos que TESTAR a venda né? Pois com os frames utilizados, até agora grande parte da direita é garoto propaganda da esquerda…

        Sério, como é que se convence alguém que é beneficiado pelo roubo estatal, a NÃO querer este roubo? Como se convence um parasita do bolsa esmola a largar aquilo? Eu acho que não tem como.

        Mas é uma minoria que é beneficiada pelo roubo estatal. E ele não precisa ser atacado de frente, pode ser quebrado a partir de dentro…

        Ainda falarei mais disso.

        As coisas que o Olavo fala, ele mesmo já disse, é na esperança de que daqui há uns 500 anos alguém leia o que ele escreve hoje e diga: ‘ah, pelo menos esse aí entendia o que estava acontecendo ‘. Mudar que é bom, ele duvida que mude.

        Ou seja, agir como garoto propaganda da esquerda dando a eles um poder que eles não tem para que eles CONQUISTEM ESSE PODER.

        Quem leu Alisnky, sabe que isso é cair em uma “camisa de força mental” criada pelo adversário…

        Não estou trolando, mas ainda acho que o que você chama de pessimista eu chamo de realista.

        Eu não diria pessimista, mas DEPRESSIVA e AUTO-DESTRUTIVA.

      • ‘Mas é uma minoria que é beneficiada pelo roubo estatal. ‘

        Luciano, porque vc acha que é uma minoria? Eu pessoalmente não conheço ninguém que não tenha um concurseiro na família, por ex

  15. Concordo inteiramente com a tese do direitista derrotado… Acho que sou a materialização desse personagem…Tenho agido dessa forma porque nos quase 12 anos de governo petista não vi um amigo ou familiar mudar de opinião, mesmo diante de prisões e evidências desastrosas que afrontam a lógica. Também vejo um quadro político onde só existe partido de esquerda… Como alimentar esperança se nenhum candidato é de direita? Como fazer surgir um direitista onde todos têm medo de mostrar essa opção? Portanto, como rato que é o primeiro a fugir do barco ao menor sinal de perigo, considero a opção de sair do País enquanto é tempo. Quem, além de meia dúzia de figuras públicas de muitos méritos, ainda se anima a combater a democracia bolivariana? É um quadro parecido com o da Alemanha de Hitler, onde o Governo destrói opositores e instituições, sem reação significativa… Ou seja: a vaca já foi pro brejo. O próprio Ministro Joaquim Barbosa está sob ameaça, conforme discurso petista na Tribuna do Senado informando que o Ministro da Justiça está processando aquele magistrado por ter levado à prisão os mensaleiros… Crimes de lesa-Patria são cometidos sem que ninguém se manifeste em favor dos que ainda resistem. Ainda há esperança? Que vitória se pode esperar se não aparece o herói público para liderar os descontentes? Existe algum ´´direitista´´ candidato? Parece-me que estão querendo virar um navio assoprando.

    • Antônio Gouveia

      Tenho agido dessa forma porque nos quase 12 anos de governo petista não vi um amigo ou familiar mudar de opinião, mesmo diante de prisões e evidências desastrosas que afrontam a lógica.
      Mas a idéia não é fazer amigos e familiares mudarem de opinião. Mas sim DESMORALIZAR a opinião deles perante os não-convertidos…
      Também vejo um quadro político onde só existe partido de esquerda… Como alimentar esperança se nenhum candidato é de direita?
      Eu diria que isso é colocar o carro na frente dos bois.
      Como fazer surgir um direitista onde todos têm medo de mostrar essa opção?
      É exatamente por isso que quanto mais direitistas mostrarem sua opção, melhor.
      Portanto, como rato que é o primeiro a fugir do barco ao menor sinal de perigo, considero a opção de sair do País enquanto é tempo.
      Aí vc vai para onde? Com esse tipo de mentalidade, vai ajudar os esquerdistas em outro país. O importante é você entender que NÃO HÁ ALTERNATIVA mais para quem é de direita, em QUALQUER LUGAR DO MUNDO…
      Quem, além de meia dúzia de figuras públicas de muitos méritos, ainda se anima a combater a democracia bolivariana?
      Fora da Venezuela, é uma moleza bater no bolivarismo. Até os petistas se constrangem ao serem chamados de chavistas. O bolivarismo é um ÓTIMA OPORTUNIDADE de ataque…
      É um quadro parecido com o da Alemanha de Hitler, onde o Governo destrói opositores e instituições, sem reação significativa… Ou seja: a vaca já foi pro brejo.
      Mas esse é um problema dos venezuelanos. Para nós, eles só dão exemplos de como a extrema-esquerda é danosa. Não entendi o que a vitória do bolivarismo na Venezuela implica em ausência de ação aqui…
      O próprio Ministro Joaquim Barbosa está sob ameaça, conforme discurso petista na Tribuna do Senado informando que o Ministro da Justiça está processando aquele magistrado por ter levado à prisão os mensaleiros…
      Esse é o problema do direitismo depressivo. Dica: estude os neo-ateus.
      Imaginem se eles veem um ministro de STR coagido por tirar crucificos de uma repartição por exemplo. Eles VÃO PARA O ATAQUE!
      O que você faz: recua na MERA AMEAÇA do PT.
      Dica do Alinsky: “poder não é o que você tem, mas o que o seu adversário pensa que você tem”.
      Sem querer, você se torna um garoto propaganda do esquerdismo, dando a eles um poder que eles não tem.
      Aliás os programas de austeridade na Europa estão mandando tchauzinho para a esquerdalha esperançosa. Vai acontecer o mesmo com os EUA em breve 😉
      Esquerdismo é isso aí: uma hora a casa cai.
      Crimes de lesa-Patria são cometidos sem que ninguém se manifeste em favor dos que ainda resistem. Ainda há esperança? Que vitória se pode esperar se não aparece o herói público para liderar os descontentes? Existe algum ´´direitista´´ candidato? Parece-me que estão querendo virar um navio assoprando.
      Vamos olhar para os fatos: nós tivemos várias décadas de direitistas JOGANDO PARA A ESQUERDA. Eu sei disso, você sabe disso. Sempre caindo nos frames da esquerda, e sendo vítimas fáceis do jogo.
      Pois de uns anos para cá, a coisa tem melhorado, e AGORA temos um pouco de jogo da direita. Ainda engatinhando, mas estamos em um caminho interessante.
      E daí… vc diz que está tudo perdido.
      Realize a situação: você (e eu também, no passado) TRABALHOU A VIDA INTEIRA AJUDANDO O ESQUERDISTA, CAINDO NOS JOGOS DELES, e, quando tem a chance de sair do jogo, daí diz que o jogo está vencido.
      Como pode estar vencido pelo adversário se você NUNCA JOGOU O JOGO?
      Devemos olhar para dentro de nós mesmos e reconhecer nossas responsabilidades.

  16. Caro Luciano,

    É tanta informação, tanto conteúdo produzido aqui por ti (eu mesmo nem tô conseguindo acompanhar direito tamanha é a velocidade em que saem os artigos), que eu acabei esquecendo de fazer uma pergunta que já me acompanhava faz algum tempo:

    Vc já levou suas observações e estudos ao Olavo?

  17. “Basicamente, o que se diz é isso.

    Há um mercado de ideias.
    Eu sei que minhas ideias são melhores.
    Mas meu concorrente vende as ideias dele de forma melhor.
    Logo, o livre mercado de ideias não é uma boa ideia.

    Seria este o argumento daqueles da direita que são contra a democracia?”

    Não, não exatamente Luciano. Creio que o problema maior esteja na extensão disso que você chama de “mercado de ideias”, o poder que o representante democraticamente eleito tem em relação a vida dos opositores (coerção). É uma crítica muito mais forte nas correntes libertárias/anarcocapitalistas do que nas mais liberais/conservadoras.

  18. MUITO PAPO ,MAIS ALGUEM JA MONTOU UMA MILITANCIA DIREITISTA PELO MENOS NO FACEBOOK
    PARA COMBATER E COMENTAR CONTRARIO AO COMENTARIO DESSES ESQUERDISTAS NO FACEBOOK, YOU TUBE

  19. Texto interessante, mas acho que o autor peca por ignorar uma idiossincrasia direitista por excelência: o pessimismo antropológico. Essa tendência “depressiva” criticada no texto pode se originar em grande parte da antiga, sobérrima e bastante consolidada consciência direitista da natural propensão humana ao mal e à decrepitude, tanto individual como coletivamente. Não que esta visão seja consenso absoluto na direita, mas sem dúvidas influencia no pensamento e nas perspectivas do todo.

    PS: O Vinicius levantou outra questão importante, nomeadamente sobre a coerção na democracia.

Deixe uma resposta