As mentiras que a extrema-esquerda hollywoodiana conta: “Elysium” e “O Ataque”

35
308

inews_elysium

Demorou para que eu assistisse dois filmes de extrema-esquerda lançados em 2013. Mas já que o fiz, é hora de comentá-los: “Elysium” e “O Ataque”. E como são filmes políticos, é melhor que eu trate do aspecto político inerente a eles, sem deixar de falar sobre a qualidade dos filmes em si.

“Elysium” foi dirigido por Neil Bloomkamp, o mesmo diretor de “Distrito 9”, que também era uma peça de propaganda de extrema-esquerda. Mas, assim como naquele filme, há muita qualidade no visual e na forma visceral como as cenas de ação são filmadas. Como ação, “Elysium” é exemplar. Matt Damon é um bom ator, mas Wagner Moura faz uma interpretação exagerada e até caricatural (de forma involuntária). Mas, como já disse, a ação compensa.

No quesito político, o filme é tratado como uma propaganda do Obamacare. Veja o plot: no futuro, existe uma estação espacial chamada Elysium, onde vivem os ricos, que tem acesso a vários luxos, inclusive câmaras caseiras de tratamento médico onde basta alguém entrar nelas que já sai curado. Não é uma beleza? Só que, segundo o filme, essas câmaras só existem em Elysium. É por isso que quando o personagem de Matt Damon fica doente, tenta ir para a estação espacial obter cura.

Está aí a grande mentira do filme. Pois em uma sociedade com base em livre mercado, se existissem tais câmaras, elas muito provavelmente seriam fruto da iniciativa privada. Enquanto pessoas ricas poderiam comprar essas câmaras para suas casas, ainda assim teríamos o cenário de que a cura de qualquer doença é feita em questão de segundos. Logo, obviamente teríamos produtores dessas câmaras vendendo-as para hospitais, que, em contrapartida, cobrariam um preço módico pelo seu uso.

Veja as vantagens: com as câmaras, não é preciso mais gastar com médicos nem infraestrutura de saúde. Assim, vender saúde seria baratíssimo. Em um cenário de livre mercado, a não ser que aqueles empresários produzindo as câmaras fossem burros ao nível do retardo (o que é improvável, já que assim nem sequer produziriam as câmaras), seria melhor para eles que seu produto fosse vendido em larga escala, transcendendo o comércio feito em Elysium. No máximo, teríamos a diferença de que em Elysium, como se fosse um condomínio dos mais ricos, as famílias teriam as câmaras em sua casa, para uso exclusivo. Na Terra, teríamos hospitais onde 1 pessoa seria curada a cada 15 minutos. Seria a venda de um serviço.

Por outro lado, em uma sociedade socialista, o cenário previsto em Elysium é mais provável, pois teríamos pessoas privilegiadas vivendo em uma espécie de Politburo, por causa da ausência de livre-mercado. Esses privilegiados não se importam em melhorar a vida da população. No socialismo, existe a disseminação da pobreza para todos, eliminando as esperanças de todo mundo, mas os poucos donos do poder se tornam os verdadeiros privilegiados. Por isso, a assistência médica disponível somente aos cidadãos de Elysium é mais coerente com uma nação socialista. Quem estuda as ditaduras da Rússia, China, Coréia do Norte e Cuba sabe que em determinados lugares o cidadão comum é proibido de entrar, assim como existem hospitais onde somente os membros do governo podem ser tratados. Isto é, o mundo visto em Elysium é incoerente com uma sociedade baseada em livre mercado, enquanto é totalmente coerente com uma sociedade com base em capitalismo de estado (ou seja, o socialismo).

Elysium, então, é tanto um ótimo filme de ação, como também uma mentira deslavada da extrema-esquerda, usando a máxima “Acuse-os do que fazemos”.

Se “Elysium” é um ótimo filme de ação, o mesmo não pode ser dito de “O Ataque”, dirigido por Roland Emmerich. Os melhores filmes de Emmerich são “Independence Day” e “Godzilla”, até por que não tem história alguma, apenas ação. Quando o diretor tenta adicionar algo mais, o resultado é sempre pífio, como em “2012” e “O Dia Depois do Amanhã”, dois filmes de desastre que só tem algum atrativo nas poucas cenas de destruição.

“O Ataque” também tem muita ação, mas se perde em imbecilidades, como dar o papel central à filha adolescente do salvador da pátria, o agente vivido por Channing Tatum. Todas as cenas com a filha dele (que só falta beijar os pés do presidente, e, depois, desafia os terroristas) são hilárias pelo ridículo. Outro filme sobre ataques à Casa Branca, “Invasão à Casa Branca”, é muito melhor, até por que tem um diretor muito superior (Antoine Fuqua, que dirigiu “Dia de Treinamento”) e se preocupa mais com ação e menos com política:

Voltando a “O Ataque”, o plot é simples. Jamie Foxx é o presidente americano. Durante uma visita à Casa Branca, o agente Channing Tatum (que leva sua filha a tiracolo) presencia um ataque terrorista. Agora, Tatum precisa salvar o presidente dos terroristas, que são norte-americanos.

Vamos ao aspecto político do filme. O presidente Jamie Foxx tem uma proposta de acabar com as ameaças de guerra com o Oriente Médio acabando com a fome por lá. Este é “o sonho” de Foxx. Os terroristas que invadem a Casa Branca estão a mando de empresas da indústria bélica, que têm medo de perder o seu nicho de mercado. Um dos terroristas, inclusive, possui tatuagens nazistas, e é mencionado por um canal de TV como “um maluco de direita”.

Este é o nível de baixaria que Emmerich alcança. Na propaganda dele, ser de esquerda é lutar pela paz mundial (e buscar acordos que nos levem à ela), mas ser de direita é promover as guerras (pois elas são causadas por interesse das indústrias bélicas). Está feita a dicotomia, que, no entanto, é mais falsa que orgasmo de prostituta.

Quem assume esta premissa do filme, provavelmente deve achar que as várias guerras causadas por países socialistas (incluindo Rússia, Vietnã, Coréia do Norte e China) simplesmente não existiram. Talvez tenham ocorrido apenas em sonhos. As únicas guerras que existem são causadas por países de livre mercado. Não há como dourar a pílula e esta tese é defendida no filme.

Outro problema para a tese de esquerda: o capitalismo é uma coisa nova, mas as guerras acompanham a espécie humana desde a era tribal. Ué, mas na tese da esquerda as guerras não são causadas principalmente por uma “indústria bélica”? E como fazer para resolver os problemas teóricos causados pelo fato de que a violência de guerra era muito maior nas eras tribais?

Como se isso não fosse o suficiente, ainda temos visto as guerras sendo cada vez mais raras, e isso é causado pelo potencial bélico que as nações tem adquirido. Ou seja, a indústria bélica ajuda a evitar guerras. Vejamos um exemplo. Suponha que existam dois países querendo guerrear, e um deles não tenha nenhum caça, nem sequer mísseis de longo e pequeno alcance. Suponha agora que o outro país tenha tudo isso. A fraqueza de um país perante o outro estimulará o conflito, causando a morte não só de soldados, como também de muitos inocentes. Agora revise o cenário e veja que os dois países tem potencial bélico similar. Isso reduzirá as chances de um país querer entrar em conflito com outro.

Essa tese explica de maneira muito simples por que o aumento de potencial bélico dos países (ou seja, aquisição de produtos da indústria bélica) não é um propulsor para a guerra. Ao contrário, é um estímulo para a paz.

Um exemplo são os recentes ataques com drones feitos pelo governo americano. Mas estes ataques são feitos usando produtos da indústria bélica. Logo, na ótica de Emmerich, a indústria bélica causou os ataques com drones, que inclusive levaram a morte de vários civis? Mas se o país atacado também tiver drones, isso não desestimulará o ataque feito pelos Estados Unidos?

Quando lançamos questionamentos como esses, tanto para dilemas lançados por “Elysium” como para aqueles vistos em “O Ataque”, vemos que o esquerdista precisará mentir a tal ponto para maquiar a realidade que podemos claramente definir este tipo de moral (que coloca a mentira como uma virtude) como um problema social.

Em suma, o esquerdismo é nocivo para a nossa sociedade por que eles tem um sistema moral baseado em mentir o máximo que conseguirem, não se importando com o dano que causam com essas mentiras.

Quer tirar as dúvidas? Assista “Elysium” e “O Ataque” e veja que a capacidade que os esquerdistas têm de mentir não tem limites.

A indústria do entretenimento é, para eles, uma forma de lançar campanhas de ódio contra seus adversários a partir do uso de uma quantidade abissal de embustes e logros.

Anúncios

35 COMMENTS

  1. Não assisti Elysium ainda, mas assisti O Ataque, o nível de dissimulação é estrondoso. Agora o outro filme semelhante ao O Ataque, só que no caso são os norte-coreanos atacando a White House é bem melhor sem dúvidas

  2. Eu achei Elysium um lixo. Tem algumas cenas de ação interessantes, mas pra gostar você precisa fingir que não viu essas pontas soltas do enredo. Essa que você citou é a mais óbvia: seria muito mais produtivo mandar máquinas pra curar o povo na Terra que fazer um mega esquema de proteção contra as naves vindas da Terra. Não faz o menor sentido…

    • O que grita no filme é o fato de que a partir de uma “injustiça” mal estruturada e mentida (como Luciano bem colocou)….TUDO É JUSTIFICÁVEL. O filme todo é uma porcaria sem limites. Uma das piores atuações de Matt Damon. Já Wagner Moura pode interpretar aquilo que ele deseja ser no seu mais profundo íntimo: uma caricatura patética de um patético Che Guevara.

      Mas considerando o enredo proposto no filme (e desconsiderando a amostragem de total desconhecimento do livre mercado) Na pior das hipóteses, se todos os ricos deixaram a terra, não deveriam os socialistas estarem felizes???? A burguesia foi pro espaço!!!!

      Mas não….nota-se que o socialismo que ficou na terra, deixou todo mundo IGUALMENTE na mais pura miséria, e incapaz intelectualmente de achar uma solução para seu estado catastrófico a não ser tomar o que é dos outros – o que é de praxe para socialistas.

      • “se todos os ricos deixaram a terra, não deveriam os socialistas estarem felizes?”

        Brilhante!

        É como em Cuba: os EUA eram o problema, mas a partir do momento em que eles decretaram o embargo econômico, os cubanos deveriam ficar contentes, certo? Afinal, era essa a reclamação. Mas não! Agora a situação de Cuba por causa do embargo dos EUA.

        Ah, vão se lascar! Essa esquizofrenia proposital é ridícula…

      • “‘Agora a situação de Cuba *é ruim* por causa do embargo dos EUA.’”

        zcla, não caia nessa “máxima” do antiamericanismo doentio dos esquerdistas.

        Certamente, podemos supor que a economia cubana seria muitíssimo melhor se as empresas americanas pudessem negociar livremente na ilha. Mas o inverso não é verdadeiro: não se pode afirmar em absoluto que a situação de Cuba é ruim por causa do embargo. Antes – muito antes – de se inferir a parcela de “culpa” dessa medida restritiva é preciso creditar, corretamente, a situação péssima da ilha ao socialismo da ditadura dos Castro.

    • Oblivion é um filme com excelente recursos visuais (fotografia, efeitos, etc). Mas é o relato máximo de como as “elites” da NWO enchergam o futuro, em termos de CONTROLE.
      As referências ao “all-seeing eye” estão em todo lugar do filme, principalmente no final onde se encontra em um triângulo invertido.

    • Eu gostei de Oblivion, não sei onde você vio ateísmo e eugenia nele. O cara não foi clonado pra criar uma raça superior, foi clonado apenas pra servir de técnico.E ateísmo? Aí viajou total.

  3. Luciano.

    Você esqueceu de mencionar o satanismo explícito em “Elysium”.

    Observe que a estação espacial Elysium é uma estrutura em pentagrama invertido.

    O satanismo é cultuado por uma grande cambada de “agentes” socialistas da “Nova Ordem Mundial”, que é muito influenciada pelos conceitos e doutrinas da sociedade teosófica ocultista secreta “The Golden Down”, ou “O amanhecer Dourado”, a qual, dizem, foi fundada por aquele pústula demente do Aleister Crowley, que se auto intitulava: “A Besta”.

    Acho importante mencionar isso porque essa escória de satanistas utiliza a pedofilia, como um mecanismo ou ferramenta, para obter um grande fornecimento de crianças indefesas, usando-as em suas loucuras delirantes e seus rituais (missas) satânicos de sacrifício humano. Usando-as, as crianças, como eles mesmos dizem: “para o abate”.

    Muitos policiais honestos e íntegros na Europa, e principalmente na França, sumiram do mapa ou foram assassinados obviamente, quando suas investigações os conduziram aos altos escalões das elites socialistas satânicas do poder.

    Quem quiser fazer uma pesquisa sobre esse assunto (na internet) irá encontrar coisas espantosamente terríveis sobre as elites socialistas controladoras do planeta. E aqueles que fizerem a pesquisa redefinirão, para pior, seus conceitos sobre a “Nova Ordem Mundial”.

    PS,: Não será necessário realizar essa pesquisa na “Rede Thor”, que é uma rede extranet conectada com características técnicas especiais à internet, e conhecida pelos leigos como “Deep Web”. A internet padrão a nossa velha e boa “World Wide Web” já será suficiente para fornecer um farto material para essa pesquisa.

    PS.: Eu pessoalmente não recomendo o uso da tal “Rede Thor” ou “Deep Web” porque é lá que o pessoal vigarista da computação realiza os testes de vírus e toda sorte de malwares, antes de lançá-los efetivamente na internet. Ao entrar nessa rede o cidadão desavisado e tecnicamente despreparado estará se expondo a toda sorte de softwares maliciosamente poderosos. Caution Fellows: O seguro morreu de velho.

    Abraços a todos.

    • O satanismo é cultuado por uma grande cambada de “agentes” socialistas da “Nova Ordem Mundial”, que é muito influenciada pelos conceitos e doutrinas da sociedade teosófica ocultista secreta “The Golden Down”, ou “O amanhecer Dourado”, a qual, dizem, foi fundada por aquele pústula demente do Aleister Crowley, que se auto intitulava: “A Besta”.

      Todo esse ocultimo é satanismo puro. Não importa como se auto intitule…seja teosofia, maçonaria, ocultismo, bahaísmo, satanismo (sendo vendido como ideologia), bruxaria, evocação de espíritos, religiões de NOVA ERA, Bohemian Grove, OTTO, Illuminati…..São todo oriundos da mesma linhagem histórica, cultuam os mesmos personagens e se definem no mesmo objetivo:

      – (ínico) ÉDEN
      – (desenvolve-se na época de) ENOQUE
      – (tem como undador do ideal) NINRODE
      – (tem como precursor do misticismo) SALOMÃO
      – (na igreja do primeiro século) o adultério espiritual e sincretismo em ROMA.
      – (propagação e desenvolvimento da “grande obra) no Iluminismo e Revolução Francesa.
      – Establishment do poder em 13 FAMÍLIAS.

      A elites não não são socialistas. São METAcapitalistas. O socialismo é uma ferramenta geradora de crises. O socialismo é a ideologia usada para dominar os funcionais do metacapitalismo (que na esquerda são chamados beneficiários).

      Teoria da conspiração????? Me diz aí o nome das famílias que sustentam as políticas de desarmamento, aborto, gayzismo, feminismo, multiculturalismo, ambientalismo, racialismo e redução do número de pessoas no globo. Depois trace uma linha histórica entre as pessoas (de maior poder influência no mundo) que defendiam essas mesmas idéias. E verá que isso é muito anterior a qualquer ideologia nascida após o séc 19.

  4. Luciano, talvez valesse um comentário a vitória de Michelle Bachelet no Chile. Ela é socialista, mas está em um país onde há oposição consistente ao marxismo-humanismo-neoateísmo e que nem de longe aceita se bolivarianizar ou kirchnerizar, isso sem falar dos muitos acordos de livre comércio que possui. No Opera Mundi quiseram insinuar preconceito contra os pobres devido à votação ter se tornado facultativa como causa da alta abstenção que houve no pleito, mas a própria matéria se trai quando fala que o que há é má distribuição geográfica de zonas eleitorais, isso sem falar que o lugar onde o eleitor vota é dado randomicamente em vez de priorizar a proximidade ao domicílio, isso sem falar que os mais ricos tiveram a menor abstenção (podendo isso ter beneficiado a vencedora da eleição, caso se pense em um viés caviaresco). Outros parecem achar surpresa que os índios mapuches sejam opositores da reconduzida ao cargo máximo, mas esquecem-se que ela usou de força contra eles. Aliás,uma deputada comunista local quer que as pessoas voltem a ser obrigadas a votar, coisa essa que todo marxista-humanista-neoateísta apoia em bloco, afinal eles sabem o que é melhor para as pessoas mais do que as próprias pessoas saberiam.

    Enfim, dá para se fazer uma análise das boas.

  5. Depois que a gente perde a inocência política-ideológica fica realmente impossível de assistir um filme da mesma forma que antes. Hollywood virou o MELHOR veículo de manipulação sócio-cultural que se tem notícia (e a muito pra se descobrir sobre essa indústria do entretenimento).

    Eu, quando comecei a fazer (por contraste) uma lista de filmes ‘não-esquerdistas’, me deparei com uma ‘evidência escandalosa’ para os manda-chuvas do politburo Hollywoodiano: as maiores bilheterias do cinema (de todos os tempos) se concentram nos filmes com temática (PEGADA) conservadora, reacionária, direitista, liberal.

    Fico pensando aqui se seria possível BOICOTAR essas peças publicitárias milionárias (como se faz com uma propaganda de sabão em pó, cerveja), fazendo passeatas públicas, piquetes nas redes sociais, usando as leis comerciais do país (sacando do bolso o código de defesa do consumidor, por exemplo)… Fazer os defensores das causas socialistas experimentarem do veneno da sua incoerência de usar o LIVRE-MERCADO pra propagar mentiras ideológicas que vão destruir o próprio livre-mercado que os sustentam.

    *PS NERD:

    -Elysium é beeeem inferior ao seu antecessor ‘Distrito 9’ que possuía o frescor do, vá lá, “ineditismo do forma” (apesar da mesma lógica, temática, dinâmica, cenário…).

    -Tirando o vilão do filme (o irreconhecível ator protagonista do Distrito 9, que fez algo que me surpreendeu, saiu do óbvio), a fotografia e os efeitos especiais padrão ‘realista-sujo-borrado-pastel-reluzente-treme-treme OK’, o RESTO pode soltar na reentrada atmosférica que vira poeira cósmica (a Sandra Bullock, por exemplo, diferentemente da Jodie Foster, foi pro espaço mas voltou “íntegra”).

    -Tive a impressão que o Wagner Moura não superou o nervosismo de estar entre estrelas internacionais (numa produção gringa de alto nível).

    -Um filme mais “pobrinho”, sem estrelas do primeiro escalão… Mas MUITO MAIS SOMBRIO E LEGAL (legal porque é mais sombrio Rsss) que aborda a temática da ‘dinâmica social’ sob uma distopia futurista decadente e injusta chama-se ‘Dredd’ http://www.youtube.com/watch?v=9CFx8gT8iOU. É diversão garantida (ou seu ‘direito’ de volta)!

  6. E à propósito, Luciano, seus argumentos foram arrasadores. Aumentou a minha munição contra os ataques de raios dicotômicos dos zumbis satisfeitos dessa ‘Nova Era’.

    Bem que vc podia lançar tb um filme.

    O título!?

    Que tal ‘Godzilla 3D na Ilha dos LilliPuTs revolucionários’? |¬)

    —————

    Pecador,

    “Mas considerando o enredo proposto no filme (e desconsiderando a amostragem de total desconhecimento do livre mercado) Na pior das hipóteses, se todos os ricos deixaram a terra, não deveriam os socialistas estarem felizes???? A burguesia foi pro espaço!!!!
    Mas não….nota-se que o socialismo que ficou na terra, deixou todo mundo IGUALMENTE na mais pura miséria, e incapaz intelectualmente de achar uma solução para seu estado catastrófico a não ser tomar o que é dos outros – o que é de praxe para socialistas.”

    Impecável! Aqui tu fatiou a lógica esquerdista em cubinhos, jogou no processador e passou com o trator em cima! Mandou bem pacas! Depois dessa o espaço de comentários ficou até mais ‘estrelado’.
    |¬)

    —————–

    Jack Sparrow,

    “Observe que a estação espacial Elysium é uma estrutura em pentagrama invertido.”

    Não tinha me dado conta disso.

    Esse pessoal da NOM tá tudo metido, infiltrado nisso, concordo contigo. Não tenho evidências mas tudo me leva a crer que a nossa SOCIEDADE DO ESPETÁCULO que nós estamos a viver “matrixialmente”, tá sob o controle dessa turma desde o advento da realidade ÁUDIO-VISUAL.

    Fora que eles adoram um ritual macumbístico, uma superstição, são bastante IMPRESSIONÁVEIS (e DEDICADOS) com o oculto, com a “matéria sensível”, os fenômenos paranormais, a “quintessência” da equação antivida do Darkseid (é o comichão da serpente no Éden que reverbera até hoje nas almas mais, digamos, abusadas e livres… “Sereis como Deus”… A liberdade- junto ao livre-arbítrio- é realmente um paradoxo… Qual o ponto certo da decantação de nossa experiência humana pra tirar dessa experiência remédio em vez de veneno?).

    E se todas essas pessoas, toda essa descendência satânica se baseia em crenças que CONFRONTAM tão somente determinadas tradições culturais & religiosas que sobreviveram ao tempo e representam o legado do que chamamos de Civilização Ocidental, é certo afirmarmos que essa “NÊMESIS JUDAICA-CRISTÔ tem algo de intrinsecamente bom guardado dentro dela somente pelo fato de observarmos o rastro de destruição, desolação, sangue e desesperança deixado por esses movimentos revolucionários assumidamente luciferianos (dizem até que Lúcifer foi o primeiro esquerdista. Faz sentido). E é nesse ponto que bato de frente com o ATEÍSMO (que pra mim só é aceitável no sentido de ‘neutralidade’ ou ‘investigação filosófica’ [aberta, inconclusiva]; fora isso é proselitismo secular que se confunde com pensamento livre que só endossa a PIOR dinâmica social para qualquer sociedade que se pretenda justa, sã e livre).

    O mundo ocidental- nesses tempos relativistas de AUTO-CENSURA e emulações psicóticas com cortejos e celebrações à qualquer formato de cultura e nação provadamente obsoletas, sem engenho, pré-civilizadas, pré-históricas, bárbaras- está com dois dilemas na mão: voltar a ter ORGULHO e apreço de si mesmo, renovando e AMPLIANDO o sentido da sua existência nesse mundo sombreado do atraso e da banalidade do mal, ou deixar que o inferno na terra prevaleça sorridente, sem obstáculos.

    ——————

    PS NERD 2:

    -Não vejo problema com fundos temáticos esquerdistas no horizonte cinematográfico, não mesmo (‘Distrito 9’ e ‘Blade Runner’ são exemplos de filmes esquerdistas com substância, qualidade). O que pega é essa VISÃO INFLACIONADA nesse mercado do entretenimento que só priori$$$a as produções que estão previamente coadunadas com determinadas visões de mundo. A tal ‘crise de ideias’ me parece que vem daí. Não é à toa o sucesso dos filmes de HQs. Não tem coisa mais reacionária, cristã e anti-esquerdista do que super-heróis que se sacrificam pelos outros e salvam o dia de vilões megalomaníacos e mitômanos fissurados em destruir o mundo com o pretexto de consertá-lo pra deixá-lo bem melhor). |¬)

      • Não percebeu a luta de classes entre os agentes orgânicos armados do estado opressor do sistema capitalista vs a rebelião heróica das minorias sintéticas?

        A teoria esquerdista malthusiana da super população gerando uma desigualdade social caótica como nunca se viu antes, onde os ricos vivem lá no topo daquelas pirâmides estratosféricas e os pobres são boicotados e espremidos lá em baixo tendo que respirar esgoto e comer pé de galinha cozida, cobra ensopada e ainda tomando tapa na cara de androide pelo caminho?

        A chuva-ácida confirmando as teses alarmistas aquecimentistas antropogênicas do Al Gore?

        O Harrison Ford comendo caviar escondido numa daquelas barracas chinesas…

        |¬)

        Mas tirando isso… Quer saber, vou ter que ver de novo esse filmaço pra me ater só na parte filosófica e ver se acho mais alguma coisa.

    • ‘Mas considerando o enredo proposto no filme (e desconsiderando a amostragem de total desconhecimento do livre mercado) Na pior das hipóteses, se todos os ricos deixaram a terra, não deveriam os socialistas estarem felizes???? A burguesia foi pro espaço!!!!’

      Pois é, seria isso mesmo se eles fossem coerentes com o que falam, mais uma prova de que socialista/esquerdista/comunista sempre tem duas caras.O que eles querem de verdade não é se livrar da ‘tirania’ dos ricos, ele quer que o rico seja o escravo dele.

  7. Perfeito! Só mesmo num mundo socialista para a as tais máquinas “Sírio LIbanês” automáticas serem usadas apenas pela nomenklatura. E um comentário também muito bom! P%$#rra, esses caras nunca estão felizes? A “burguesia” vai pro espaço literalmente, eles não deveriam ficar contentes?

    Se der corrija a frase “é mais falta que orgasmo de prostituta.” Acho que o correto é falsa. Abs.

  8. ja faz um tempo desde que comecei a estudar esses temas politicos, que percebi influencia esquerdista nos filmes , na tv e nas novelas, sem contar com a desinformação dos jornais…que eu me lembro agora de filmes,…. o titanic por exemplo, os pobres que morriam afogado, e os ricos que saiam melhor.,,.. matrix, o sujeito que se sentia estranho no “sistema”, que tinha um emprego monotono, se sentia vitima do sistema…
    avatar, a empresa que explorava o povo oprimido, com seu capitalismo selvagem….. até mesmo percebo esse discurso na novela carrosel, o Cirilo pobre excluido inocente vitima, o riquinho arrogante, e a filhinha de papai nojenta da Maria Joaquina, curiosos até ser filha de médico… (coincidencia com a campanha de difamação aos médicos?)……e por ai vai , discursinho de esquerda espalhado por tudo…..

    • Hollywood é famosa por ser um antro de esquerdistas.Pior ainda quando eles fazem filmes históricos mostrando sempre o lado looser do negócio.Tem um sobre Edgard Hoover, eu não ví mas parece que botaram o cara como tendo mania de se vestir de mulher, um negócio assim.Esse povo nunca está satisfeito enquanto não rebaixa todo mundo ao nível deles

    • quanto ao Titanic, não penso que possa se forçar esquerdismo no filme, pois, além do romance do Jack e da Rose, trata-se de um evento histórico.
      Quanto à Matrix, os Wachowski são irritantemente esquerdistas, ou não, pois V de Vingança é esquerdistas, mas Speed Racer é essencialmente direitista, apoiando-se em valores como família, heterossexualidade, iniciativa privada e meritocracia. Mas veja bem: parece que matrix saiu pela culatra: suponha que as máquinas sejam a “direita” e os humanos a “esquerda”. Qual foi a solução, cantada no Reloaded e confirmada no Revolution? PAZ! Isso mesmo. Paz. O “esquerdista” Neo levanta a bandeira da paz para as máquinas e promete destruir Smith, se as máquinas pararem de atacar os humanos. Isso para um esquerdista é uma aberração: onde já se viu fazer alianças com a direita e a direita CUMPRIR sua parte da aliança, com o Arquiteto justificando para a Oráculo porque ele vai manter a sua palavra: “E eu lá sou humano para mentir?”, adaptando para esse texto: “E eu lá sou esquerdista para mentir?”
      Eu ainda acho que as metáforas encontradas em Matrix são bem úteis para explicar como qualquer totalitarismo tenta assumir o controle pois, se vc ver bem, o que estamos vendo são os esquerdistas usarem os métodos matrixianos para manter a população sobre controle.

      • Independente dos irmãos Wachowski serem ou não serem esquerdistas, e considerando-se que o artista raramente tem plena consciência do significado total de suas obras, estou entre os que afirmam que os 4 filmes da série MATRIX vão bem além de um suposto confronto entre direita e esquerda. A série basicamente aponta para uma visão-de-mundo gnóstica (aqui eu mantenho o significado original do termo gnose, nada a ver com os delírios interpretativos de certos direitistas 😉 ). As máquinas são o falso deus que mantém a humanidade aprisionada no mundo da ilusão. E visto que o mundo ilusório da Matrix é uma cópia do atual momento histórico, precisa ser muito maluco (ou desonesto) para acreditar que Zion representa o corajoso e bem-intencionado 😛 ateísmo materialista lutando contra as malvadas lideranças religiosas 😀 O personagem Arquiteto aliás, é uma clara referência à Maçonaria, a qual inventou e patenteou a *ferramenta política* denominada «ateísmo moderno» 😉 A coisa toda se complica ainda mais, quando se leva em conta a perspectiva hinduísta de que a humanidade está submetida a ciclos de destruição e renovação. Para um religioso comum ou mediano, os deuses “fazem o que é melhor para os humanos”; a gnose porém não acredita na alegada boa-intenção dos deuses. No filme, então, a crença gnóstica é retratada como “subversiva”, embora na vida real, o caminho da libertação gnóstica sempre tenha sido individual: a intenção nunca foi “derrubar O Sistema”, o objetivo era apenas e tão-somente escapar de sua esfera de influência, a qual impossibilita o contato com a verdadeira (e impessoal) Divindade.
        Assim, o papel dos Avataras (sendo Neo o mais recente deles) seria o de manter a humanidade aprisionada espiritualmente. Nos filmes, existe uma “explicação” para a necessidade periódica da intervenção dos Avataras; na vida real porém, a verdadeira explicação permanece desconhecida. E até mesmo a origem da Matrix, conforme mostrada no segundo filme (“Animatrix”), pode não passar de apenas outra mentira (ou meia-verdade) inventada pelo Mundo das Máquinas.

      • “[…] o que estamos vendo são os esquerdistas usarem os métodos matrixianos para manter a população sobre controle.”

        A maior prova disso foi quando me deparei com o blog SAINDODAMATRIX (do qual passei a gostar- e aprender- bastante) e não encontrei NADA falando de socialismo, comunismo, movimentos revolucionários, KGB, revolução cultural no Ocidente, A. Gramsci, Olavo de Carvalho, anticristianismo… Eu que praticamente sozinho comecei a “arranhar” essa realidade. Muitas pedras desde então foram arremessadas na minha direção (já que pra sair dessa matrix socialista a que se passar por uma CATARSE bem dolorosa); mas acho que tem valido a pena, já que o espaço não é de esquerda e nem de direita (muitos são bastante receptivos por lá, apesar da influência hegemônica esquerdista, o tal MARXISMO ATMOSFÉRICO).

    • é incrivel a capacidade que esses esquerdistas tem de pegar um tema sem qualquer conexão com politica e caracteriza-lo dentro de um discurso marxista……

  9. Procurem e assistam a versão com atores de “Josie e as Gatinhas”. Sério. A indústria do entretenimento mostrando sua cara, cheia de maquiagem e tiaras estranhas – claro!

  10. Só uma coisa, ser contra as guerras não te torna ninguém de esquerda
    Tanto que nos EUA é o partido republicano que TINHA a tradição de acabar com as guerras que os democratas inventavam
    Liberdade prosperidade e PAZ.

    • “Só uma coisa, ser contra as guerras não te torna ninguém de esquerda”

      Elementar minha cara Slaine… Se são os esquerdistas os criadores de CRISES SOCIAIS por excelência, são eles também os responsáveis diretos (e indiretos) por todos os conflitos armados gerados dessas crises (*ADENDO: quando a maioria do povo brasileiro fizer a PONTE LÓGICA CAUSAL entre os mais de 70 mil homicídios ano [pra mim já passam de 100 mil] atuais com o crescimento da influência dos movimentos de esquerda desde os anos 70, a Papuda vai ficar pequena pra resguardar a integridade física de tanta gente que está acima de qualquer suspeita).

      Eles NUNCA assumem isso porque é de um VEXAME indescritível, eles sabem disso (seus cérebros já se programaram pra NEGAR as consequências naturais e inevitáveis das próprias ideias & ações que não correspondem NUNCA aos fatos).

      Por isso a importância da tática da ridicularização sistemática em cima dessa turma revolucionária. A mente dessa gente suporta tudo, menos o vexame público.

      Fora que algumas guerras SÃO SIM NECESSÁRIAS (LEGÍTIMAS) quando o que está em jogo é a sobrevivência de uma nação, de uma civilização, de uma cultura, do futuro dos nossos filhos e netos, pra SOCORRER uma nação incapaz de se AUTO DEFENDER de um inimigo muito mais forte…

  11. Luciano, adoraria que sua próxima crítica fosse a respeito da saga Jogos Vorazes! Quem ouve falar deve pensar que não passa de uma nova moda entre adolescentes mas por trás disso existe um enredo totalmente político e alusivo ao que é debatido em seu site. Eu recomendo muito que você conheça e faça uma análise. São 3 livros e 2 filmes lançados até o momento.

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/12948-sobre-o-filme-jogos-vorazes.html

    http://www.epochtimes.com.br/jogos-vorazes-provocam-reacao-e-questionamentos-na-china-2/#.UrEVxPRDuSo

  12. O que há de similar em praticamente todos os filmes distópicos é o discurso esquerda que no fim das contas cai por água abaixo.
    Elysium é bem a cara disso. Sendo os “burgueses” donos de tais máquinas, não seria mais correto o personagem do Matt roubar a máquina/tecnologia e ofecer ela para todo mundo na Terra? Mas não, o que acontece é que ele pensou apenas nele mesmo. O individualismo tão acusado pelo discurso esquerdista se fez presente, e mostra que no fim das contas, a própria ideologia esquerda subjuga os seus “Iguais” e exalta o mais esperto.

    Creio que a maioria não vê isso nos filmes: Jogos Vorazes (sociedade totalitária comunista comandada por um grupo específico de priveligiados,até que é derrubada e torna-se em uma democracia) Divergente (discurso comunista, porém, que o próprio sistema se torna falho, ao descriminar os sem-facção, pois eles representavam ameaça ao sistema de lavagem cerebral). Admirável Mundo Novo (sociedade condicionada mentalmente a aceitar a sua própria situação [lembra muito os programas do governo, não?]), O Preço do Amanhã (priveligiados vivem às custas da sociedade, com condições precárias de saúde e educação, sendo assim, limitados a não agir contra o sistema protegido militarmente [Cuba alguém disse?])

    Há vários e vários outros, mas em geral, todos mostram que o sonho marxista e afins no fim das contas é insustentável.

Deixe uma resposta