Uma foto da turma da revista Carta Capital para ajudar a demolir uma das fortalezas da esquerda

37
274

turma-superbacana-da-carta-capital-facebook

Quando nos defrontamos com nossos adversários, é imperativo saber aonde está o “poder” deles. Esse tipo de conscientização é o mínimo que se espera de quem tenha lido Sun Tzu. Quando falo em “poder”, falo dos pontos nos quais eles são “fortes”. Em uma análise SWOT (Fortalezas, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças), estas seriam definidas como “fortalezas”.

Se há um ponto no qual os esquerdistas se especializaram e que, até hoje é uma verdadeira fortaleza para eles, é a capacidade de acusar os oponentes pelos males do mundo. Basicamente, eles se colocam como salvadores da sociedade e protetores da minorias. A partir disso, apontarão seus dedos na direção dos culpados. Ou seja, nós. Eles, então, tem o poder da acusação. Eles não precisam lançar mais um argumento sequer. Só acusar, sem o menor traço de racionalidade ou lógica. 

Um homossexual morreu apedrejado na periferia? A culpa é sua, por ter rido de piada de gays. Uma mulher foi estuprada? A culpa é sua, por fazer parte da cultura do estupro. Os negros não são vistos em grande quantidade nas empresas, proporcionalmente à divisão deles na população? A culpa é sua, por implementar uma cultura que não habilitou uma política de cotas para eles.

Assim fica fácil discutir as questões políticas, não? Sair culpando os oponentes, mesmo que estes não tenham culpa alguma no cartório, e depois se fingirem de bons moços perante os “oprimidos”.

Bem, pelo menos quanto à questão dos negros, a coisa complicou para o lado da revista Carta Capital. Em uma recente foto de uma celebração da equipe da revista, em que todos estão tomando champanhe, não se viu nenhum negro. Eis a pergunta: por que não há negros na redação da revista Carta Capital?

Aliás, não precisaríamos nem sequer desta foto para constrange-los, pois quem lê a revista (e eu, por acidente, leio, pois gosto de entender o oponente) também não vê nenhum colunista negro na revista.E assim caminha a humanidade de esquerda, sempre buscando achar nos outros as culpas que eles próprios possuem.

Nota-se que boa parte do jogo de acusação que eles fazem pode ser facilmente neutralizado, como neste caso, quando podemos facilmente apontar o dedo na direção deles e chamá-los de hipócritas.

Anúncios

37 COMMENTS

  1. Luciano,
    comecei a ler o livro do mestre Sun Tzu essa semana (dentro de uma de suas recomendações).
    Esse artigo veio a calhar, me abriu mais os olhos a respeito de conhecer seu oponente, do contrário é perder sempre. Muito bom!

    Por acaso, tem mais alguma indicação de leitura nesse sentido (além do David Horowitz, o qual já comentaste)?

    Abraço e obrigado!

  2. Nossa, que coisa mais burguesa beber espumante! Quanta desigualdade nesse país onde os brancos se deliciam com espumante e os negros passando fome nesse Natal. Triste! Tinha que ser o povo coxinha da Veja, não pera…

  3. Este assunto é mais profundo que possamos imaginar, eles criaram muito mais que “politicas públicas”, há secretárias nacionais voltadas apenas ao interesse de manter o PT, criaram raízes profundas. As universidades existe um concluo somente p/ beneficiar quem é do PT,vejam o caso de SC, onde estudantes de direita passaram a ser processados.Temos o caso das demarcações de terra p/ “indígena”do Paraguai, onde milhares de pequenos agricultores, nem vou falar do ruralista, estão sendo colocados na rua por conta de um a divida que temos com eles do tempo do descobrimento do Brasil, que na verdade tem é outra verdade por trás de tudo isso e gostaríamos que vc também comentasse esse assunto, um verdadeiro absurdo!!!
    A carata capital assinei o blog e leio quase todas, mas é de uma hipocrisia que deixa qualquer um revoltado,mas vc diz, precisamos saber o que o inimigo pensa, no minimo.
    Teríamos que passar do pensamento e palavras p a ação, estamos perdendo terreno a essa classe de vigarista, socialistas de araques e a guerra nem começou, esperem começar a campanha p/ valer!!!!
    Abs, desde SC, e parabéns pelo trabalho,

    Genesis Duarte.

  4. Read about fellows.

    http://www.infowars.com/albert-einstein-a-foolish-faith-in-authority-is-the-worst-enemy-of-the-truth/

    Albert Einstein: “A Foolish Faith In Authority Is The Worst Enemy Of The Truth”

    Washington’s Blog
    December 26, 2013

    Albert Einstein said:

    A foolish faith in authority is the worst enemy of the truth.

    Indeed, scientists have shown that people will go to absurd lengths – and engage in mental gymnastics – in order to cling to their belief in what those in authority have said.

    Part of the reason so many are so vulnerable to naive belief in authority is that we evolved in small tribes … and we assume that the super-elites are just like us.

    In reality, there are millions of psychopaths in the world … and they are largely running D.C. and on Wall Street.

    These people have no hesitation in lying to promote their goals.

    The Assistant Secretary of Defense for Public Affairs told Morley Safer of 60 Minutes and CBS News:

    Look, if you think any American official is going to tell you the truth, then you’re stupid. Did you hear that? — stupid.

    And studies show that the super-rich lie, cheat and steal more than the rest of us.

    Who’s to Blame … Big Government or Big Business?

    Conservatives tend to believe that the captains of industry are virtuous and that the government can’t be trusted.

    Liberals tend to believe that government servants are virtuous and that corporations can’t be trusted.

    But the truth is that psychopaths are psychopaths … whether they’re in the private sector or government.

    And there is no such thing as representative government or free market capitalism anymore. Big corporate money has coopted the government; and ill-guided politicians have destroyed the free market.

    Corrupt government agencies and officials and corrupt corporations and executives have become intertwined in a malignant, symbiotic relationship.

    And they’re trying to grab more and more power and wealth every day.

    Big Business Has Turned Into a Criminal Syndicate

    Big banks and giant oil companies have more or less become criminal enterprises.

    And conservatives are not amused.

    Government Has Gone Rogue

    If the government were accountable, then government corruption, deceit and wrongdoing would be held to a modest level.

    But the government is not accountable.

    When bad government policy leads to bad results, the government manipulates the data … instead of changing policy.

    Government pumps out massive amounts of propaganda through the mainstream and “gatekeeper” alternative media, movies, video games, and other venues.

    The government has launched a war on journalism, and censors and manipulates social media. And see this.

    The massive NSA is spying on all of us – including government officials, reporters, and everyone else – as a way to crush dissent.

    And people who criticize government policy or government officials may literally be labeled terrorists.

    No wonder the American public has lost faith in the 2 party system. And see this.

    People of faith shouldn’t be fooled into blindly deferring to government authority.

    This article was posted: Thursday, December 26, 2013 at 5:29 am

    Tags: government corruption, police state

    That’s all folks

      • Ok Anderson, você tem razão (You are just right man).

        Esse post é do site infowars.com do Alex Jones. Vai ai a tradução e abraços.

        Albert Einstein : ” A Fé Tola Em Autoridade é o pior inimigo da verdade”

        Blog de ​​Washington
        26 de dezembro de 2013

        Albert Einstein disse :

        “A fé tola em posição de autoridade é o pior inimigo da verdade.”

        Na verdade, os cientistas mostraram que as pessoas vão aos extremos absurdos – e se envolvem em ginásticas mentais – a fim de se apegarem às suas crenças criadas pelo que os detentores da autoridade têm dito.

        Parte da razão para que muitos sejam tão vulneráveis ​​a crença ingênua na autoridade é que nós evoluímos em pequenas tribos … e nós assumimos que as super-elites são como nós.

        Na realidade, há milhões de psicopatas no mundo … e eles estão, em grande parte, atuando em Washington D.C. e em Wall Street.

        Essas pessoas não hesitam em mentir para promover seus objetivos (agendas).

        O secretário-assistente de Defesa para Assuntos Públicos disse a Morley Safer do programa jornalístico 60 minutos e na CBS News :

        “Olha, se você acha que qualquer funcionário americano vai lhe dizer a verdade, então você é estúpido. Ouviu isso? – Estúpido.”

        E estudos mostram que os super-ricos (mega capitalistas) mentem, enganam e roubam mais do que o resto de nós.

        Quem é o culpado … governo (estado) grande ou grandes corporações?

        Os conservadores tendem a acreditar que os capitães da indústria são virtuosos e que o governo não pode ser confiável.

        Os liberais tendem a acreditar que os funcionários do governo são virtuosos e que as empresas não podem ser confiáveis.

        Mas a verdade é que os psicopatas são psicopatas … estejam eles no setor privado ou no governo.

        E não há mais tal coisa como um governo representativo ou capitalismo de mercado livre. O capital das grandes corporações (mega capitalistas) tem cooptado o governo, e os políticos mal conduzidos (guiados pelo mal) destruíram o mercado livre.

        Agências governamentais corruptas e funcionários e corporações corruptas e executivos tornaram-se entrelaçados em uma relação simbiótica maligna.

        E eles estão tentando pegar mais e mais poder e riqueza a cada dia.

        As grandes corporações (Big Business – Mega Capitalistas) tornaram-se um sindicato do crime.

        Os grandes bancos (mega bancos) e companhias de petróleo gigantes tornaram-se mais ou menos (em maior ou menor escala) empresas criminosas.

        E os conservadores não estão se divertindo.

        O governo foi desonesto.

        Se o governo fosse auditável (por auditoria pública independente), então a corrupção do governo, o embuste governamental e a injustiça seriam mantidas em um nível modesto.

        Mas o governo não é auditável.

        Quando a má política do governo ruim leva a maus resultados, o governo manipula os dados … em vez de mudar a política.

        O governo bombeia uma quantidade enorme de propaganda através da mídia principal (mainstream media) e é “porteiro” (ou “afunilador”) da mídia alternativa, filmes, jogos de vídeo, e outras vias.

        O governo lançou uma guerra contra o jornalismo e censura e manipula a mídia social. E veja isso.

        O enorme NSA está espiando todos nós – incluindo funcionários do governo, jornalistas, e todas as outras pessoas – como uma maneira de esmagar a dissidência.

        E as pessoas que criticam o policiamento governamental ou funcionários (oficiais) do governo podem ser literalmente rotuladas de terroristas.

        Não admira que o público norte americano perdeu a fé no sistema de 2 partidos. E veja isso.

        As pessoas de fé não deveriam ser tolas entregando-se cegamente à autoridade do governo.

        Este artigo foi publicado: Quinta-feira, 26 dezembro, 2013 às 05:29.

      • Anderson e Luciano.

        Me parece que esse artigo do infowars.com tem muito a ver com os estudos do Luciano a respeito de crenças e religião política e outras cositas mas…

        Abraços.

  5. Seria didaticamente perfeita a explanação, caro Luciano, e digna de louvor, exceto por uma questão: na vida real, a guerra ideológica é tão dura quanto as guerras travadas com canhões e fuzis, embora para muitos assim não pareça. A luta histórica entre esquerda e direita é notoriamente tão sangrenta que uma pessoa razoavelmente avisada deveria se aperceber que, caso um dia o país venha a se tornar realmente uma ditadura comunista tradicional, você, e todos os demais inimigos declarados, terão o destino que é de se esperar que tenham todos os inimigos do comunismo: a morte. Então, nesta luta, não se trata de ensinar, mas de lutar de fato. O correto não seria uma denúncia didática, mas um ataque fulminante, furtivo, inesperado, mortal. Mas, como isso não ocorreu, você não terá outra oportunidade de usar o argumento acima no futuro, porque eles se precaverão, e não mais postarão fotos tão ingênuas quanto esta que você está usando para atacá-los. Não tenha dúvida, esta foto desaparecerá em breve, e a fraqueza do inimigo não será explorada como poderia ter sido. Com o inimigo não se dialoga, nem se usa mãos de pelica. Usa-se a mão de ferro napoleônica, e apenas a luva de pelica por cima. Além do mais, não se confabula com aliados em aberto, para que o inimigo veja e se precavenha. Crie um grupo secreto, e ainda assim eles se infiltrarão. Então, você acha mesmo que esta guerra ideológica é apenas um ensaio ou é real? Essa é a pergunta de sua vida. Se for real, aprimore seus métodos.

    • RSS… hmm… essa não foi bem. Vejamos…

      Seria didaticamente perfeita a explanação, caro Luciano, e digna de louvor, exceto por uma questão: na vida real, a guerra ideológica é tão dura quanto as guerras travadas com canhões e fuzis, embora para muitos assim não pareça. A luta histórica entre esquerda e direita é notoriamente tão sangrenta que uma pessoa razoavelmente avisada deveria se aperceber que, caso um dia o país venha a se tornar realmente uma ditadura comunista tradicional, você, e todos os demais inimigos declarados, terão o destino que é de se esperar que tenham todos os inimigos do comunismo: a morte. Então, nesta luta, não se trata de ensinar, mas de lutar de fato.

      Não se pensa guerra política (que é feita por militância) como se pensa a guerra tradicional. Isso é o básico de guerra política. Qualquer instância de guerra assimétrica onde não se divulga publicamente métodos de ataque NÃO É guerra assimétrica.

      O correto não seria uma denúncia didática, mas um ataque fulminante, furtivo, inesperado, mortal. Mas, como isso não ocorreu, você não terá outra oportunidade de usar o argumento acima no futuro, porque eles se precaverão, e não mais postarão fotos tão ingênuas quanto esta que você está usando para atacá-los.

      Há um erro em seu argumento. Primeiro que a foto está lá. Ficou ETERNIZADA como mais um exemplo da esquerda caviar. Não só eles não conseguirão se “precaver”, como podemos pegar toda a lista de ministros da Dilma e achar apenas uma pessoa negra em quase quarenta ministros. De novo… NÃO HÁ COMO eles conseguirem se precaver disso. 😉

      Não tenha dúvida, esta foto desaparecerá em breve, e a fraqueza do inimigo não será explorada como poderia ter sido.

      Claro que vai ser explorada. Eis que no dia seguinte o filósofo da extrema-esquerda dá duas bolas fora em sequencia… http://lucianoayan.com/2013/12/27/paulo-ghiraldelli-falando-o-que-pensa-filosofo-da-extrema-esquerda-pede-estupro-de-rachel-sheherazade/

      Com o inimigo não se dialoga, nem se usa mãos de pelica. Usa-se a mão de ferro napoleônica, e apenas a luva de pelica por cima. Além do mais, não se confabula com aliados em aberto, para que o inimigo veja e se precavenha.

      Bobagem. Estamos divulgando conhecimentos sobre guerra política relacionado ao PADRÃO DE COMPORTAMENTO DO QUAL O ESQUERDISTA NÃO PODE FUGIR. É a mesma coisa que quando um neo-ateu conclama seus amigos a ridicularizarem religiosos por respeitarem a hóstia. Quem respeita a hóstia, NÃO VAI DEIXAR de respeitar. Por isso, a organização em aberto de ataques à esse costume de religiosos não irá fazer os religiosos “se precaverem” de fazer aquilo que não conseguem deixar de fazer. Vale o mesmo para a esquerda.

      Crie um grupo secreto, e ainda assim eles se infiltrarão. Então, você acha mesmo que esta guerra ideológica é apenas um ensaio ou é real? Essa é a pergunta de sua vida. Se for real, aprimore seus métodos.

      Que os grupos de divulgação de métodos contra a esquerda fossem SECRETOS é o grande desejo da esquerda, pois a divulgação de métodos deles contra a direita é ABERTA.

      Na boa, sua tese é muito, mas muito frágil. Torço até para que sejas mal intencionado. 😉

      Abs,

      LH

      • Antes de tudo, fico grato por ter se dado ao trabalho de ler e responder meus comentários. Evidentemente, não esperava que concordasse com todos, ou com parte deles. Ainda assim, permita-me detalhar minhas percepções a respeito de seu método de combate à esquerda por meio de denúncias escritas, tal como o percebo em seu trabalho neste blog.

        É um excelente trabalho, o seu, e não discordo da maioria dos seus argumentos e de sua habilidade em tecer seus raciocínios. Mas, não é da qualidade de sua excelente argumentação que tenho algumas considerações a fazer.

        Inicialmente, eu diria que tenho a impressão de que se nosso governo fosse totalmente de esquerda, e um dia eles tomassem o poder de maneira totalitária tal como geralmente se registra na história do comunismo, eles não pensariam duas vezes antes de eliminar definitivamente seus inimigos. Acho que lidar com a luta pelo poder não é uma questão de mero debate político. A esquerda historicamente nunca se limitou à política, mesmo aqui no Brasil. Você sabe disso. Então, pense em meus comentários anteriores como um alerta real.

        Não acho que o embate entre esquerda e seus oponentes seja uma mera questão de convencimento. É uma questão de vida e de morte, e você sabe muito bem desta realidade. Você já se horrorizou lendo sobre as atrocidades de Stalin, Mao, Pol Pot e companhia, eu tenho a mais absoluta certeza. O que eu não tenho certeza é se você tem senso de perigo ou não. Nós, humanos, muitas vezes temos aquela sensação de invulnerabilidade e eternidade do tipo que nos faz ver coisas ruins acontecerem e pensar: “isso nunca vai acontecer comigo”.

        Temo que alguma espécie de pensamento mágico perpassa a mente do brasileiro de maneira tal que o faz pensar coisas do tipo: aqui no nosso querido Brasil nunca ocorrerá terremotos; aqui jamais teremos tsunamis; nós nunca seremos invadidos e conquistados por uma potência estrangeira, como o Iraque; nós nunca nos envolveremos em uma guerra civil sangrenta, como na Síria; nós jamais veremos nosso imenso país se esfacelar em dúzias de estados em conflito, como nos Balcãs; e nós nunca sofreremos sob as botas de uma ditadura comunista que controlará tudo, como na Coreia do Norte, com um governo que errará absurdamente e nos fará morrer de fome aos milhões, como fez Mao na longínqua e irreal China dos anos 50 e 60. Não, isso jamais poderá acontecer no nosso alegre, imenso e festivo Brasil.

        Mas isso é pensamento mágico, e esse tipo de pensamento é perigoso.

        Eu já pensei assim. Hoje, não penso mais. Eu acredito que coisas ruins podem acontecer com pessoas boas. Às vezes, acho que as pessoas deveriam visitar antes Aushwitz, e depois a Disneyworld, para então terem noção daquilo que é realmente a vida.

        Claro, hoje você se sente seguro de que a esquerda não usará de violência maior do que a que vem usando, limitando-se a denegrir seus opositores chamando-os de coxinhas, reaças, etc., nas inofensivas postagens do Facebook. Mas então, amanhã, surpreendentemente, você recebe uma ameaça de morte. E depois, você percebe que as ameaças são sérias, e são muitas, e você está vulnerável, porque o sistema que deveria te proteger não funciona (tal como no processo kafkiano), e se você der moleza, alguém tira você de circulação sem maiores problemas. Em um país onde apenas 10% dos homicídios são solucionados, é curioso não ter ninguém denunciando que a esquerda já comete assassinatos para eliminar seus inimigos. Isto pode estar acontecendo, mas como saber, se os crimes não são solucionados?

        Mas, voltando aos métodos de denúncia, você acha que denunciar o PCC na internet fará seus membros se sentirem humilhados intelectualmente e abandonarem o crime? Você arriscaria uma cruzada de denúncias contra o traficante mais próximo de sua rua? Não creio que faria isso, mas o faz contra a esquerda porque na verdade você não vê seus membros como uma ameaça real à sua vida. E essa falta de medo eu temo que não seja fruto necessariamente de coragem, mas de falta de percepção do risco que corre.

        Eu não sou mal intencionado, e não estou escrevendo para desafiá-lo intelectualmente. Nem quero que tome minhas palavras como qualquer tipo de ameaça. Pense em alguém que o toma pelo braço em uma rua escura e lhe diz baixinho: cuidado onde pisa, que esta área é barra pesada.

        Você se lembra de Steve Erwin? Ele morreu enquanto brincava com uma arraia. Aprendemos com ele, e da pior maneira possível, que com arraias não se brinca, nem se argumenta. Você sabe quantos Pol Pot se escondem em cada sala de aula das universidades públicas em cada canto do país? O pensamento de esquerda não é um modismo inofensivo. Nunca foi. Nunca será. Depois de Gramsci, a bota de Orwell nos aguarda. Então, a denúncia é um método, mas não creio que o mais adequado diante de um adversário conhecido por não ser vencido pela argumentação, mas pela força e pela astúcia.

        Ah, se chegou até aqui, fico grato por ter tido a paciência de ler. Não se preocupe em responder, mas se o fizer, faça com o ânimo de quem responde a um admirador de seus textos, e não a um adversário. Afinal, deles já estamos cheios.

        De qualquer maneira, com adversários ou não, feliz 2014 a nós todos!

      • Bom, eu tinha entendido parte do texto anterior como se fosse uma estratégia diversionista, mas posso estar enganado.

        Inicialmente, eu diria que tenho a impressão de que se nosso governo fosse totalmente de esquerda, e um dia eles tomassem o poder de maneira totalitária tal como geralmente se registra na história do comunismo, eles não pensariam duas vezes antes de eliminar definitivamente seus inimigos.

        Concordo. E este é um dos motivos principais para a minha argumentação. A esquerda é essencialmente totalitária, e tem sede de sangue.

        Acho que lidar com a luta pelo poder não é uma questão de mero debate político. A esquerda historicamente nunca se limitou à política, mesmo aqui no Brasil. Você sabe disso. Então, pense em meus comentários anteriores como um alerta real.

        Mas eu não proponho um debate político com a esquerda, mas um desmascaramento das fraudes que eles cometem. É nesse terreno, onde eles tem conquistado a maioria dos territórios que conquistaram.

        Não acho que o embate entre esquerda e seus oponentes seja uma mera questão de convencimento. É uma questão de vida e de morte, e você sabe muito bem desta realidade. Você já se horrorizou lendo sobre as atrocidades de Stalin, Mao, Pol Pot e companhia, eu tenho a mais absoluta certeza. O que eu não tenho certeza é se você tem senso de perigo ou não. Nós, humanos, muitas vezes temos aquela sensação de invulnerabilidade e eternidade do tipo que nos faz ver coisas ruins acontecerem e pensar: “isso nunca vai acontecer comigo”.

        Sim, mas esse é exatamente o tom em meus textos. Não imagino onde eu tenha deixado a impressão de não concordar com o que você postou acima. Pode me mostrar?

        Temo que alguma espécie de pensamento mágico perpassa a mente do brasileiro de maneira tal que o faz pensar coisas do tipo: aqui no nosso querido Brasil nunca ocorrerá terremotos; aqui jamais teremos tsunamis; nós nunca seremos invadidos e conquistados por uma potência estrangeira, como o Iraque; nós nunca nos envolveremos em uma guerra civil sangrenta, como na Síria; nós jamais veremos nosso imenso país se esfacelar em dúzias de estados em conflito, como nos Balcãs; e nós nunca sofreremos sob as botas de uma ditadura comunista que controlará tudo, como na Coreia do Norte, com um governo que errará absurdamente e nos fará morrer de fome aos milhões, como fez Mao na longínqua e irreal China dos anos 50 e 60. Não, isso jamais poderá acontecer no nosso alegre, imenso e festivo Brasil.

        Aliás, os meus textos focam em alertar aos leitores sobre este tipo de risco… Eu não entendi, novamente, qual texto que eu tenha escrito onde eu discorde do que você postou acima.

        Claro, hoje você se sente seguro de que a esquerda não usará de violência maior do que a que vem usando, limitando-se a denegrir seus opositores chamando-os de coxinhas, reaças, etc., nas inofensivas postagens do Facebook.

        Pelo contrário, meus textos tem tratado recentemente da moral psicopática, onde digo que os esquerdistas tem SEDE DE SANGUE, e o farão na primeira oportunidade que conseguirem.

        Mas, voltando aos métodos de denúncia, você acha que denunciar o PCC na internet fará seus membros se sentirem humilhados intelectualmente e abandonarem o crime? Você arriscaria uma cruzada de denúncias contra o traficante mais próximo de sua rua? Não creio que faria isso, mas o faz contra a esquerda porque na verdade você não vê seus membros como uma ameaça real à sua vida. E essa falta de medo eu temo que não seja fruto necessariamente de coragem, mas de falta de percepção do risco que corre.

        Não entendi o que você escreveu. Não devemos desmascarar um fraudador intelectual por medo deste fraudador nos matar? Mas não é nosso silencio em relação às fraudes que eles cometem que é exatamente do que eles precisam? Qual é o “golpe certeiro” então?

        Nem quero que tome minhas palavras como qualquer tipo de ameaça. Pense em alguém que o toma pelo braço em uma rua escura e lhe diz baixinho: cuidado onde pisa, que esta área é barra pesada.

        Já que está disposto a me aconselhar sobre o assunto, me diga mais sobre “barra pesada da esquerda” que eu não saiba e não tenha denunciado aqui neste blog. 😉

        Você se lembra de Steve Erwin? Ele morreu enquanto brincava com uma arraia. Aprendemos com ele, e da pior maneira possível, que com arraias não se brinca, nem se argumenta. Você sabe quantos Pol Pot se escondem em cada sala de aula das universidades públicas em cada canto do país?

        Eu não dependo de professor de universidade pública… 😉

        Acho que não preciso ter medo deles agora.

        O pensamento de esquerda não é um modismo inofensivo. Nunca foi. Nunca será. Depois de Gramsci, a bota de Orwell nos aguarda. Então, a denúncia é um método, mas não creio que o mais adequado diante de um adversário conhecido por não ser vencido pela argumentação, mas pela força e pela astúcia.

        Então dê a descrição de elementos de “força e astúcia” que possam ser usados. Evitemos a vagueza, para que o leitor possa apreender algo a mais.

        Abs,

        LH

      • Luciano e RSS

        Parabéns aos dois pela dialética clássica aplicada, e me refiro à dialética socrático-platônica-aristotélica como clássica em contraposição à dialética hegeliana destrutiva).

        Porem senhores e como leitor devo enfatizar a solicitação do Luciano:
        “Então dê a descrição de elementos de “força e astúcia” que possam ser usados. Evitemos a vagueza, para que o leitor possa apreender algo a mais.”

        Eu como leitor prefiro conceitos objetivos e concretos à conceitos subjetivos e abstratos, pois assim, sim!, poderei enriquecer-me com vossa análise dialética, prezados cavalheiros.

        Braços e queijos a ambos.

  6. Percebi que tem alguns gordinhos ali. Será que eles tem cotas para os gordos?

    Aliás, não é gente desse tipo que prega a tal “vida saudável”? Pelo visto alguns ali não seguem isso.

    • Renato.

      What fuck are you speaking about fat guys, man ?

      Estaria você, por mero acaso aleatório caótico, fazendo uma proclamação da ditadura imperialista dos esqueléticos raquíticos hipo-vitaminados e catabolinianos desconstrutivistas proteicos, que visam implantar no planeta Terra a norma estética fundamentalista e alienígena da magreza universalizada como padrão de relativismo na saúde ?

      Hey Man!
      Don’t do that fucking bull shit man!
      No way man!
      Please!

      • Neste ano notei algo interessante: marxistas-humanistas-neoateístas tentaram com certa força emplacar que a sociedade seria “gordófoba”, mas rapidamente eles abandonaram essa história por verem que não estava sendo bem recepcionada, além de um “oprimido” passar a ser “opressor” caso perca os quilos que geram a condição coitadística, além de um “oprimido” normalmente não querer manter o peso mínimo para que fosse marxistizado-humanistizado-neoateizado. Talvez eles comecem a jogar em cima das pessoas feias em geral (podendo aí incluir gente magra), mas aí cairiam na situação desconfortável de, se dizem que a beleza seria subjetiva e um construto social, eles próprios estariam definindo alguém como feio caso elegessem essa pessoa para ser MHNizada, o que significa que o ser humano tem parâmetros objetivos do que é bonito ou feio e que os mesmos estão entranhados em nossa mente. Outra coisa que teriam de levar em conta é que fica muito difícil dizer que gente bonita oprime gente feia, uma vez que há rascunhos do inferno que são bem-sucedidos na vida sem precisarem jogar futebol ou tocar música-chiclete, mas estudado tanto quanto as pessoas bonitas.

      • Para não dizer que os marxistas-humanistas-neoateístas não pararam por completo com a promoção da “gordofobia”, no último dia do ano que passou tivemos esta postagem do Geledés falando do que seria ser uma mulher gorda na França (país com baixo número de obesos, assim como o é a Coreia do Sul, só para ficarmos em dois exemplos bem marcantes). Conta a história de que gordas estariam propensas a ser menos empregáveis naquele país, mas sem querer fala de uma gorda que é dona do próprio negócio (logo, está dada a dica para as francesas que registram marcas maiores na balança).
        A coisa continua com a história de que supostamente uma mulher com propensão a engordar seria mais livre seguindo a propensão que a carga genética lhe atribuiu e nos perguntaremos que liberdade haveria em, por exemplo, uma mulher engordar até o ponto de não conseguir andar livremente por aí ou, mesmo conseguindo andar, ficar exposta a uma série de doenças que irão reduzir um belo tanto a sua liberdade.

        Como MHNs querem porque querem que seus alvos se encaixem nem que à força naquela premissa que eles elaboraram, começam eles a falar de uma suposta “indústria do emagrecimento” naquele país, como se coisas parecidas não existissem em outros lugares. Sequer se fala com números a venda de remédios para emagrecer (fala-se que as farmácias estão cheias deles, mas aqui poderia estar dentro da oferta normal de diversos princípios ativos que qualquer farmácia teria e serem vendidos apenas com receita médica), bem como se fala de muitas revistas femininas com conselhos para emagrecer (como se não soubéssemos que toda revista feminina em qualquer parte do mundo usa dos mesmos conselhos).
        E já que é para achar engraçado isso tudo, que vejam a parte em que tentam igualar a França a outros países ocidentais pelo simples fato de as mães quererem que suas filhas comam bem. Ora, então a primeira parte, que fala de coisas que vemos em outros lugares do Ocidente, seria pior na França, enquanto a segunda é basicamente o mesmo que outros lugares diriam? Aí é muito para minha cabeça.

        Leiam também a história de as famílias parisienses de classe média comerem frugalmente como se isso fosse algo paranoico e como se passassem fome (não me consta que a França tenha uma epidemia de anorexia ou bulimia). Porém, esquecem-se que o normal da culinária francesa são as pequenas porções bem decoradas e que esses hábitos frugais são uma das causas de ser um país com baixos índices de mortes por problemas cardíacos, mesmo que tenha a alta penalidade de um enorme número de seus habitantes fumarem como chaminés.
        Estão falando também de uma suposta “tirania da silhueta”, esquecendo-se do simples fato de que o biotipo normal de uma francesa é o de uma mulher mais esguia do que curvilínea, o que por si só significa uma distribuição de gordura corpórea diferente, mesmo que estejamos falando de duas mulheres com mesma altura e peso. Somando-se a isso os hábitos alimentares contidos, é de se imaginar que haja mesmo poucas mulheres obesas na França e que, se é difícil achar roupas de tamanhos maiores por lá, é porque justamente se está em um país em que não há um grande número de pessoas com maior circunferência. Provavelmente é mais fácil achar roupas maiores nos Estados Unidos, por razões mais do que óbvias, mas não porque aquele país seria um lugar que glorifica a obesidade, mas sim porque está com tanta gente acima do peso que existe um mercado bem consistente para vestimentas específicas. Logo, uma loja online que vendesse roupas para tamanhos maiores para toda a França e todas elas segundo os cortes típicos da moda daquele país é praticamente o filão de ouro inexplorado. Ou então perguntar-se para o agora russo Gerard Depardieu se o lugar onde ele compra roupas também trabalha com cortes femininos. E a vida segue.

        PS ao Luciano: uma rotina que você podia mapear é a da “libertação”, que na prática é prender alguém ao marxismo-humanismo-neoateísmo, mas que tem suas nuances que passam despercebidas. Falo isso após ver uma das notícias relacionadas a essa que comentei acima. É algo que vai um pouco além da invenção de oprimidos e opressores, justamente por ter essa conversa com calma e que, se bem mapeada, pode impedir que muita gente seja marxistizada-humanistizada-neoateizada ou mesmo se torne propagadora inconsciente de gramscismo. Vamos pensar aqui em algo como aquele lance de evitar que a pessoa aceite a dose inicial gratuita que o traficante dá afirmando que a droga fornecida vai abrir as portas da percepção e que você tem porque tem de usá-la.

      • Em relação à postagem do Geledés sobre a França, se usarmos a lógica marxista-humanista-neoateísta e pensarmos na inserção gramscista de estratégias, poderíamos ter franceses acusando seus vizinhos e rivais históricos de tentativas camufladas de genocídio cultural e de fato, bem como imperialismo no qual os gordos é que oprimem os magros e incentivam a obesidade em um país historicamente em forma como maneira de onerá-lo mais com despesas de saúde e conter seu crescimento econômico em uma Europa falida. Por que digo isso? Se levarmos em conta isto aqui, veremos que há mais obesos na França (12,9%) do que na Itália (11,4%), mas menos que na Alemanha (14,7%), Espanha (16%) e Reino Unido (26,1%). Logo, poderiam querer acusar até mesmo a tal francesa satisfeita com seus quilos a mais de agente pago pelos rivais históricos para incentivar uma cultura da obesidade em um país que sempre teve como valor culinário (e, portanto, cultural) comer porções pequenas e bem decoradas, gerando assim as tais maiores despesas com saúde devido a má alimentação, que acabariam por somar em vez de contrabalançar os males causados pelo consumo de álcool (12 litros anuais) e altos sedentarismo e tabagismo.
        E assim vamos criando mais brigas e brigas, ainda que aqui sejam brigas que marxistas-humanistas-neoateístas não iriam gostar de fomentar, por interessar uma Europa altamente gramscianizada.

  7. Paradoxalmente os brancos ricos e letrados são os maiores patrocinadores do marxismo cultural, ou seja, do multiculturalismo e do politicamente correto. São eles, mais do que as minorias insufladas, os grandes responsáveis pela decadência da Civilização Ocidental.

  8. Quantos textos já foram postados na Carta Capital falando sobre a mulher ter menor liberdade de vestuário e de mostrar o corpo que o homem?

    Percebemos que, dentre os que aparecem com seu vestuário mais nítido nessa foto, existem 100% de pares de cotovelos femininos à mostra contra 80% masculinos, 40% de ombros femininos contra 0% de ombros masculinos, 55% de bustos femininos contra 0% masculinos e 62% de joelhos femininos contra 0% de joelhos masculinos.

    Alguém precisa avisar à Carta Capital que homens também sentem calor :/

    • Sobre essa história de suposta menor liberdade de vestuário da mulher, poderíamos até mesmo falar sobre a opção de Laerte em se tornar crossdresser. Pelo que ele próprio fala, o vestuário feminino é bem mais amplo que o masculino, o que não deixa de ser verdade se pensarmos na variedade de cortes e cores que uma mulher possui em comparação àquilo que é disponibilizado aos homens.
      Não podemos deixar de lado que o vestuário masculino orienta-se por um cunho prático maior, significando que as roupas precisam estar mais funcionais e não sendo por acaso o sucesso de, por exemplo, bermudas e calças com bolsos extras na altura dos joelhos ou a alternativa mais elegante que acrescenta bolsos extras na área clássica e usa de recursos de discrição.

      Se uma mulher pode entrar em um escritório mostrando os ombros e parte dos seios, que tente um homem usar algo mais ou menos equivalente (como uma regata que tenha uma gola ampla) e tente entrar nesse mesmo escritório. Provavelmente será até mesmo barrado pelo segurança. O mesmo se aplica a roupas que descubram grande parte das pernas. Uma mulher entra sem problemas em um escritório vestindo minissaia, enquanto são pouquíssimos os lugares que permitem que um homem vá de bermuda (notadamente são mais as empresas de setores mais descolados e moderninhos, e só).
      E nessa, os marxistas-humanistas-neoateístas acabam por se contradizer novamente, pois bermuda provavelmente só é considerada roupa social… nas Bermudas(?), enquanto uma OAB da vida precisa entrar com representação no Judiciário para que seus integrantes fiquem dispensados de usar gravata ou paletó quando o calor aumenta não porque estejam pensando no homem, mas pelo fato de indumentária de inglês em contexto térmico brasileiro gerar casos de desmaios e desidratação nos tribunais.

      • Concordo contigo (e com o Homenismo), meu caro… Eu mesmo sou um defensor intransigente da extinção do terno e da gravata no verão (dizem que o diabo veste terno prada… Faz sentido)…

        Esse assunto ‘moda’ não parece, é algo mais sério do que se imagina (sem carinha irônica)…

        Mas, Cidadão, essa realidade não acaba servindo pros empadinhas raivosos criarem mais paradigmas de “minorias oprimidas” (-tá vendo, a mulher, de qualquer forma, mesmo com tantas opções de vestuário, acaba submetida a exposição do seu corpo para fins obscenos e deleite da cobiça machista patriarcal!! Onde o homem só busca sobriedade nas suas vestes como forma de apenas impor seu poder cultural milenar sobre a mulher!!…)??

        Mas cá entre nós, e essas blusas ‘machochô’ de gola decotada ampla tipo Salsicha do Scooby-Doo (algumas indo quase até o umbigo) com variações “mamãe-sou-forte”, “mamãe-saí-do-armário” e “mamãe-tô-sem-noção”?

        Putz! É uma mão-na-roda nesse calor infernal aqui do Rio!

        Eu admito que fico um tanto constrangido de usar (apesar do meu peitoral invejado pois anabolizado com o melhor lúpulo e cevada do mercado |¬D). Só tenho duas dessas…

        Bate um ventinho gostoso, reconfortante no meu ‘colo hetero’ (ainda mais estando em baixo de um ar condicionado central).
        Ai, ai… Dilícia. (¬]

        É perceptível também- em contraste com essa “militarização” no guarda-roupa profissional masculino- uma VIADAGEM nas roupas masculinas e uma galopante SUBVERSÃO NOS CORTES E METRAGENS PRA DEFORMAR OS CONTORNOS FEMININOS, tipo essas calças saruel (outro RASCUNHO DO INFERNO? Rssss), blusões que SOMEM com os movimentos da mulher e essas BRO’x’ANTES “cuecas-lingerie” (dentre outras bizarrices). Isso não tem a ver com a boiolagem militante reinante no mundo da moda? Me parece evidente.

        Mas acho que isso não tá colando no mercado. Ainda bem. Assim espero. Pro bem da nação (e dos homens e mulheres de boa vontade e de bom gosto)…

        A vestimenta masculina sempre carregou símbolos de força, honradez, racionalidade, território, status e poder (elementos externos, que necessariamente precisam ser antes CONQUISTADOS); nas mulheres, a vestimenta é um valor INTRÍNSECO (NATURAL) relacionado a infância (a pureza), leveza, sensibilidade (a emoção), sensualidade, erotismo, beleza, maternidade e mistério.
        Acho que é por aí.

        PS 1:

        E mandando um feliz natal atrasado e um antecipado ano novo INIMAGINÁVEL (no melhor sentido) e PRÓ$$$PERO a todos do espaço.

        E um abração especial (com “empadinha” e Sidra por conta da casa) ao anfitrião do Blog pelo ano de conhecimento, bom humor e inteligência que pude colher por aqui. Valeu!

        http://www.youtube.com/watch?v=NWSMToYMxOw

        Percamos o osso da canela (e o título dos médios) mas nunca a vergonha, a esperança e a capacidade para se surpreender consigo mesmo.

        Para o alto, e AVANTE!

        PS 2:

        Deixando aqui registrado minhas considerações e apreço ao meu “clone-impostor” que continuará me servindo de inspiração apesar do acontecido (já que fui atleta de artes marciais e pretendo brevemente retornar e reconquistar minha faixa-preta o título master-senior de karatê) |¬)

        ***********

        “Para cada mil homens dedicados a cortar as folhas do mal, há apenas um atacando as raizes.”

        Henry David Thoreau

        ************

        “Quem acende uma luz é o primeiro a beneficiar-se da claridade.”

        “Há grandes homens que fazem com que todos se sintam pequenos. Mas o verdadeiro grande homem é aquele que faz com que todos se sintam grandes.”

        Gilbert K Chesterton

        …Obrigado, Luciano por ser mais um a apontar para a raiz, acender a luz e tirar a gente da ilha de Lilliput. ;¬)
        (*isso serve tb pra alguns colegas do espaço de comentários que eu não vou dizer o nome pra não alimentar ciúmes e brigas de parquinho)
        |¬D

        *************

        ““O sentimento segue aquilo que amamos. Se amamos o que é verdadeiro, bom e belo, ele nos conduzirá para lá. O problema, portanto, não é sentir, mas amar as coisas certas. Do mesmo modo, o pensamento não é guia de si próprio, mas se deixa levar pelos amores que temos. Sentir ou conhecer, nenhum dos dois é um guia confiável. Antes de poder seguir qualquer um dos dois, é preciso aprender a escolher os objetos de amor – e o critério dessa escolha é:
        Quais são as coisas que, se dependessem de mim, deveriam durar para sempre?
        Há coisas que são boas por alguns instantes, outras por algum tempo. Só algumas são para sempre.”

        “Há na cultura mundial de hoje toda uma mitologia, toda uma idealização das revoluções, como se não fossem acontecimentos separados, mas sim etapas de uma caminhada em direção à liberdade crescente. Pode-se discernir, de fato, um sentido geral e unitário na sucessão de revoluções — mas ele não aponta na direção da liberdade crescente e sim no do crescimento do poder, no do aumento da distância entre o poderoso e o homem comum.”

        “A meu ver, o ideal comunista – a construção deliberada de uma “sociedade mais justa” – é intrinsecamente mau. Não existe justiça nenhuma em planejar de antemão a vida das gerações futuras, obrigando-as a arcar com o peso de milhares de decisões que não tomaram e com as quais talvez não venham a concordar. É monstruoso decidir hoje, de maneira irrevogável, a vida dos homens de amanhã.”

        “[No Brasil,] O ambiente visual urbano é caótico e disforme, a divulgação cultural parece calculada para tornar o essencial indiscernível do irrelevante, o que surgiu ontem para desaparecer amanhã assume o peso das realidades milenares, os programas educacionais oferecem como verdade definitiva opiniões que vieram com a moda e desaparecerão com ela. Tudo é uma agitação superficial infinitamente confusa onde o efêmero parece eterno e o irrelevante ocupa o centro do mundo. Nenhum ser humano, mesmo genial, pode atravessar essa ‘selva selvaggia’ e sair intelectualmente ileso do outro lado. Largado no meio de um caos de valores e contravalores indiscerníveis, ele se perde numa densa malha de dúvidas ociosas e equívocos elementares, forçado a reinventar a roda e a redescobrir a pólvora mil vezes antes de poder passar ao item seguinte, que não chega nunca.”

        “Burrice e maldade jamais foram termos antagônicos.”

        “Sem inteligência, até as virtudes mais excelsas se tornam apenas caricaturas de si mesmas.”

        “Ser reacionário é reagir da maneira mais intransigente e hostil à ambição diabólica de mandar no mundo.”

        “MODERAÇÃO NA DEFESA DA VERDADE É SERVIÇO PRESTADO À MENTIRA”

        Olavo de Carvalho

        *************

        “O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele.” (EU: deixem os “aborrecimentos” do sucesso serem contemplados pelos vossos inimigos ;¬))

        “Não importa quão limitado possa parecer o começo: aquilo que é feito uma vez está feito para sempre.”

        “Não basta ser ocupado. A pergunta é: estamos ocupados com o quê?”

        “Somos uma raça de acanhados homens-pássaros e em nossos vôos intelectuais, elevamo-nos pouco mais alto do que as colunas dos jornais diários.” (EU: que tal pararmos de ter medo de altura!?)

        “Se você já construiu castelos no ar, não tenha vergonha deles. Estão onde devem estar. Agora, dê-lhes alicerces.”

        “Nossa vida mais real acontece quando vivemos nossos sonhos acordados.”

        Henry David Thoreau

        *************

        “Aquele que não sabe, e pensa que sabe. Ele é tolo.
        Evite-o.
        Aquele que sabe e não sabe o que sabe. Ele está adormecido.
        Desperte-o.
        Aquele que sabe e não admite o que sabe. Ele é humilde.
        Guie-o.
        Aquele que sabe e sabe o que sabe. Ele é sabio.
        Siga-o.”

        “Entesouro a memória dos infortúnios passados. Eles acrescentam muito à minha fortaleza interior.”

        “Saber não é o bastante; precisamos aplicar. Querer não é o bastante, precisamos fazer.”

        “Se você acreditar que uma coisa é impossível, você a tornará impossível.”

        “Esvazie sua xícara primeiro, só então você poderá provar meu chá. Afinal de contas a utilidade da xícara está em poder esvaziar-se. Abra sua mente para receber novas idéias.”

        “Empenhar-se ativamente para alcançar determinado objetivo dá à vida significado e substância. Quem quiser vencer deve aprender a lutar, perseverar e sofrer.”

        “Conhecimento dá poder, mas só o caráter grangeia respeito.”

        Bruce Lee

  9. Parafraseando o Luciano!
    Após algumas visitas a este Blog, estou convicto de que o nível da minha ingenuidade diminuiu bastante.
    Excelentes as indicações literárias, ótimo o nível de debates, importantes os temas apresentados e dissecados.
    Doravante estarei sempre presente.
    Obrigado!

  10. Vejo varias minorias nesta foto: cegos, surdos, retardados mentais, desonestos intelectuais, homossexuais e pessoas com paralisia facial (parecem que riem o tempo todo)

Deixe uma resposta