Breno Altman já começa 2014 nos garantindo boas risadas: leiam a mensagem de ano novo que ele lançou aos mensaleiros

7
153

brenofragil

Breno Altman, de fato, é um dos mais medíocres militantes do PT. E, para quem investiga fraudes da esquerda, ele se torna particularmente divertido por não ter o menor senso de ridículo. Além de tudo, ele é afobado e comete atos falhos grotescos.

Vamos avaliar as partes mais bizarras de seu texto “Carta de Ano Novo a Três Camaradas”, publicado no Brasil247.

Comecemos:

Nasci em uma família na qual a palavra camarada sempre representou o valor supremo das relações humanas. Seu significado vai além de qualquer trato protocolar ou laço de sangue. Camarada é irmão de trincheira, parceiro de sonho, companheiro por quem se põe incondicionalmente a mão no fogo.

Cada um tem a família que pode. A família de Altman, com certeza, não conseguiu dar-lhe bons ensinamentos morais. Além do mais, que raio de família é essa que não o ensinou a suspeitar das amizades? Altman é textual ao dizer que companheiro é alguém por quem “se põe incondicionalmente a mão no fogo”. Qualquer pai ou mãe que se preze iria puxar orelha de qualquer filho que afirmasse tamanha besteira. Não podemos “colocar incondicionalmente a mão no fogo” por ninguém. Essa é a base da racionalidade. As pessoas devem fazer por merecer, continuamente, nossa confiança.

Por outro lado, o discurso de Altman encerra uma confissão. Se ele “põe incondicionalmente a mão no fogo” por seus camaradas, então não tem condições de julgá-los, pois o significado da expressão lançada por ele quer dizer exatamente isso: independentemente do que o camarada fizer, está certo. Logo, ele se torna incapaz de julgar os mensaleiros. Santo ato falho, Altman!

Tenho orgulho, como milhares de outros brasileiros, em podê-los chamar de meus camaradas.

Cada um é cada um. Pessoas normais teriam vergonha de ter amizade com pessoas condenadas por um crime tão abjeto como o Mensalão. Mas é aquilo: esse deve ser o sistema moral que a família de Altman lhe ensinou. Pelo menos ele é coerente.

Nestas últimas horas do ano que se encerra, apropriadas para se pensar nas batalhas travadas e nas que ainda virão, esse sentimento de fraternidade e solidariedade é uma resposta ao partido do ódio e da covardia.

Ou o sentimento de fraternidade e solidariedade a corruptos pode também ser evidência de que Breno Altman apoia um partido sem nenhuma base moral.

Vocês pagam o preço mais alto pela reação da oligarquia contra os que lutam pela emancipação de nosso povo.

Que beleza a oligarquia que ficou contra o PT, não? Só faltou avisar aos grandes banqueiros, aliados ao governo, e a gente como Eike Batista e Abílio Diniz. Aliás, essa história dos 10 bilhões que Eike recebeu do BNDES até agora não está bem explicada. De novo, Altman maquia a realidade para esconder os fatos: a tal oligarquia (seja lá que diabos ele queira dizer com isso) está do lado deles.

Derrotadas nas urnas desde a ascensão do presidente Lula, as forças conservadoras buscam incessantemente um atalho para deslegitimar a esquerda e recuperar o terreno perdido. Não é outra a razão de seu empenho para forjar a Ação Penal 470.

Ah, sim, agora, na lógica marxista típica de Altman o Mensalão foi “forjado”. Guarde bem isso que ele afirmou, pois veremos a contradição a seguir…

A partir de erros reais cometidos pelo Partido dos Trabalhadores, originários de um sistema político-eleitoral financiado pelo capital privado, fabricou-se uma das maiores farsas jurídicas da história de nosso país.

Espere, existiram “erros reais” ou foi tudo forjado pela conspiração conservadora? Note que não demora um parágrafo para ele próprio se enrolar.

Aliás, a culpa agora não é do PT, mas do “sistema político-eleitoral financiado pelo capital privado”. A moral é bem essa: a culpa não é do assaltante, mas de quem deixa o dinheiro lá para ser roubado, ou, ainda, a culpa não é do estuprador, mas da  mulher que o deixa excitado. Altman com certeza se finge de maluco. Mas duvido que ele rasgue dinheiro.

Os setores mais retrógados da velha mídia e da corte suprema, de forma arbitrária e contra provas, deram curso a um processo de exceção.

Ele reclama pelo fato da “velha mídia” não ser tão camarada, mas somente ter dado apoio moderado ao PT na questão do Mensalão, conforme provei em um post tempos atrás. Se Altman tivesse contado que viu um lobisomem no quintal, seria mais factível do que ele afirmar existir uma “mídia contra o governo”. Na verdade, a mídia apenas é moderada no apoio ao governo por medo de perder audiência.

Em relação ao STF, basta lembrar que vários deles foram colocados lá por Lula, inclusive Joaquim Barbosa. Mas a baixaria do Mensalão era tão grande que não deu para segurar. Em suma, não deu para o STF ser tão “camarada” com os mensaleiros como Altman gostaria que fossem…

O chamado “mensalão”, afinal, não foi capaz de contaminar a vontade popular, apesar de ter golpeado duramente o PT.

Faltou só ele explicar para 87% dos eleitores do PT, que acham justa a condenação dos mensaleiros. É, os tais “camaradas” não estão sendo tão camaradas quanto ele gostaria…

Não tenho dúvidas que, mais cedo ou mais tarde, esta farsa terá o mesmo destino que outras fantasias reacionárias do mesmo naipe, como o Caso Dreyfus ou o Incêndio do Reichstag.

No estágio em que a alucinação de Breno se encontra, ele agora compara eventos de um governo ditatorial com um julgamento ocorrido em um país democrático. Aliás, o Mensalão é “fantasia reacionária” ou é composto de “erros reais”? Ih, agora nem o próprio Altman está sendo tão “camarada” com ele.

Melhor ele apagar o que escreveu. Mas não vai adiantar, pois continuará registrado aqui.;)

O espírito de vingança e perseguição, que nutre o comportamento dos principais autores da AP 470, talvez seja um sinal que não está tão longe o dia no qual esta fraude estará definitivamente desmascarada.

Raiva? Onde? Não somos nós que fomos pegos em atos de corrupção e fomos para a Papuda. Agora é a realidade que não está sendo “camarada” de Altman…

Esta gente gostaria de tê-los dobrados e cabisbaixos, apequenados como quem aceita a culpa e renega a identidade.

Para que?! Todos nós sabemos que bandidos que vão para a prisão se declaram inocentes. Alguns, mais sem noção, dão risada na frente das câmeras. É esperado. Enfim, eu nunca alimentei qualquer expectativa em relação ao trio de “camaradas” do Altman.

Os punhos erguidos diante da Polícia Federal foram o símbolo maior de que a estatura histórica e moral dos camaradas presos é infinitamente superior a de seus algozes.

Nem de longe! Os punhos erguidos diante da PF foram um símbolo de que PT não tem senso de ridículo e não consegue sequer se envergonhar quando seus líderes cometem um crime. É isso, ao contrário, que mostra a base moral dos petistas como infinitamente inferior a de qualquer cidadão decente.

Quando um cidadão comete um crime e vai preso, se lhe sobrar um pouco de dignidade, ele ficará envergonhado. Mas quem comete um crime, vai preso e não tem sequer um traço de dignidade, realmente é capaz de fazer aquele circo ridículo.

Aliás, quem estuda o trotskismo sabe que adeptos da extrema-esquerda não se envergonham nem diante de genocídios. Por que se envergonhariam diante de atos de corrupção?

Aquela cena será a mais cálida lembrança do ano para inúmeros homens e mulheres que formam nas fileiras progressistas. O gesto de quem responde à dor e ao sacrifício com vontade inquebrável de resistir. De quem jamais se entrega.

Com certeza essa cena dificilmente será esquecida. Ela será motivo de troça eternamente, e servirá como um exemplo de como a extrema-esquerda não tem nenhum sistema moral. A imagem dos mensaleiros de punhos erguidos dão uma demonstração clara do motivo pelo qual essas pessoas se orgulham dos crimes de gente como Fidel Castro e Che Guevara.

Enfim, Altman entregou o ouro. Ele resolveu começar 2014 mostrando que promete um ano cheio de inversões da realidade, tramóias, discursos emocionais e falácias diversas. É com certeza um dos mascotes da extrema-esquerda atual.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Luciano, pelo visto deve ser ataque coordenado ao Joaquim Barbosa. Por que digo isso? Porque vou ao Diário do Centro do Mundo e leio isto aqui, em que falam do Pelé, mas também incluem o Joaquim Barbosa usando a racista história do negro que sobe de vida e supostamente desprezaria negras para pegar brancas (e dane-se o direito de escolha desse negro que age de maneira contrária à desejada pelo gramscismo). Observe-se que se fala bem pouco do Pelé e muito mais do Joaquim odiado pelos marxistas-humanistas-neoateístas (mesmo que este tenha votado favorável a outras coisas de agrado deles, como as cotas raciais).
    Observe-se que Paulo Nogueira faz uma comparação do Rei e do ministro do STF com Muhammad Ali, falando de o ex-boxeador sempre ter se casado com negras porque se casasse com brancas, ele estaria sendo contraditório dentro de sua história de ser exemplo para negros. Obviamente que era problema dele essa história toda e, culturalmente falando, temos de lembrar que Ali viveu os Estados Unidos em um tempo que lembravam um bocado a África do Sul no que tange a segregar as pessoas por sua cor de pele, isso sem falar da história de que se você tivesse 15 antepassados brancos e um negro, você automaticamente era considerado negro, enquanto aqui no Brasil você sempre iria se orgulhar dessa ancestralidade miscigenada e falar dela com alegria, isso sem falar que você iria se considerar mestiço mesmo que sua aparência fosse a de um loiro platinado de olhos azuis

    Também fala de Malcolm X, convenientemente esquecendo-se que esse ativista queria criar uma nação negra separada dos Estados Unidos e era segregacionista até não poder mais, até o dia em que se arrependeu disso quando foi à peregrinação em Meca e viu muçulmanos de todas as cores se tratando de maneira igualitária. E foi justamente esse arrependimento o estopim para o assassinato de Malcolm X por seus ex-companheiros. E, vamos lembrar novamente, nos Estados Unidos daqueles tempos não havia aquilo que aqui no Brasil não causa qualquer comoção: você ter amizades de diversas cores e casos amorosos de diversas etnias, isso sem falar de casos amorosos totalmente interétnicos a ponto de sequer você poder dizer pela aparência da pessoa se ela parece mais com esta ou aquela etnia.
    Ele vem querer insinuar que negros no Brasil casam-se com brancas quando ficam ricos porque isso seria prova de ascensão social. Vamos invalidar essa história com o caso de Lázaro Ramos, casado com Taís Araújo. E aí o Nogueira em questão pergunta o que faria Pelé e Joaquim andarem com mulheres de cor diferente da deles: “Falta de consciência? Alienação? Deslumbramento? Compensação? Alpinismo social? A resposta a esse fenômeno é, provavelmente, uma mistura de todos estes fatores”. Se usássemos essas razões para perguntar por que um branco casa com uma negra, seríamos acusados de nazistas. E se usássemos essa mesma lógica para as mulheres mais claras que estão com eles e perguntarmos por que estão com eles, seríamos acusados de machistas e defensores do apartheid (afinal, como sabemos, no regime sul-africano era crime até mesmo a relação sexual entre pessoas de diferentes etnias, assim como foi nos EUA das leis Jim Crow).

    A exemplo de outras páginas MHNs da internet, a melhor parte é ver os comentários, justamente porque eles são uma desmontagem em tempo praticamente real dos postulados em questão. Há os funcionais dizendo amém, mas há os discordantes e é a esses que devemos prestar atenção.Vamos a alguns:

    Yo Mutha • 7 horas atrás

    Sempre o mesmo assunto. Sempre pegam um negro que tem status e tentam com argumentações que não condiz com a realidade do povo brasileiro tirar o direito dele de se relacionar com quem quiser. Tudo bem o negro é bonito tem que ter estima mas mesmo assim não é obrigado a se casar com negros só para afirmar esse fato. Esse tipo de texto é totalmente de senhor de semzala. É como os brancos querem que os negros pensem. É uma forma “limpa” de dizer: não fique com nossas mulheres brancas, elas são nossas!!!!!

    Que recebeu a seguinte resposta de funcional:

    Flávia Yo Mutha • 5 horas atrás

    Não é mesmo, discordo totalmente do seu argumento e o Paulo foi extremamente corajoso em escrever sobre um assunto tão polêmico. Você fala como se por trás das escolhas do Pelé e do Joaquim Barbosa não tivesse a construção social do que é tido como padrão pela sociedade e isso reflete em tudo, por exemplo, o Joaquim busca se aproximar desses símbolos e como o Paulo escreveu isso passa por apartamento em Miami, roupas de grife e as escolhas afetivas. Portanto não é uma perseguição mas uma constatação de que esse conjunto de valores refletem sobre o caráter e que eles nunca seriam como Malcom X e de Muhammad Ali que fizeram ações afimativas em relação aos negros.

    Comentário esse que recebeu a seguinte tréplica:

    sayuri Flávia • 3 horas atrás

    Dificil separar nos comentarios, racismo de complexo de inferioridade e de patrulhamento ideologico sobre os mandamentos em voga do politicamente correto.

    O mesmo Yo Mutha recebeu a seguinte resposta do próprio Paulo Nogueira:

    Paulo Nogueira Mod Yo Mutha • 7 horas atrás

    Não, não é.

    Se não é uma maneira de dizer que negros deveriam ficar longe de brancas, o que seria então? O mesmo Yo Mutha recebeu a seguinte resposta de um funcional:

    Gilson Garcia Yo Mutha • 2 horas atrás

    Ataque coordenado da trollagem. Vocês são a chaga deste país. Gente com as piores intenções. Por mais que tentem sabotar, não conseguirão seus objetivos.

    Sim, isso mesmo que estão lendo: você é a chaga deste país se não vê qualquer problema em pessoas de etnias diferentes se casarem e tem as piores intenções. E já que ele falou de ataque coordenado de trollagem, quem seria a “MAV” não petista por trás do Yo Mutha?
    Imediatamente abaixo desse comentário, temos outro que inclusive lembra o quão hipócritas são os MHNs de achar ruim que negro se case com branca. O evocado no caso é José Genoino, há décadas casado com Rioco Kayano. Seria prova de falta de consciência, alienação, deslumbramento, compensação e alpinismo social um cearense de Quixeramobim não ter se casado com uma nordestina, mas sim com uma nikkey? Eu acho que não e quando vemos que ele e Rioco estão juntos desde 1969, sabe-se que é relacionamento sólido e que já enfrentou muitos acontecimentos. Aliás, deve ter enfrentado mais resistência do lado da família dela do que dele, algo que era mais ou menos comum entre os nipo-brasileiros do passado.

    E quando vemos esta resposta do Nogueira, a coisa fica ainda pior, pois dá a entender que se você tem ancestralidade africana, teria de obrigatoriamente ajudar uma causa à qual foi afiliado sem seu consentimento, mesmo que goste da ancestralidade africana que possui e não veja qualquer problema em se relacionar amorosamente com gente de outras etnias.
    Destaco o comentário de outro Nogueira que não Paulo feito ao Paulo em questão, e isso porque o que contesta o Paulo é também MHN:

    Evaldo Wickerhauser Nogueira • 8 horas atrás

    Paulo
    Tema muito perigoso ficar se intrometendo na vida pessoal dos outros: FHC ter filho fora do casamento (ou não), Lula ter amante, Joaquim Barbosa ter namorada jovem e branca!!!! Como diziam na Galileia : atire a primeira pedra quem não tiver telhado de vidro….
    Exatamente em que o fato de Joaquim Barbosa e Pelé terem namoradas brancas prejudicou a causa negra (seja lá o que isso queira dizer)?
    Não sou especialista em Literatura Brasileira, mas não me recordo de uma crítica séria ao fato de Machado de Assis ter se casado com uma branca.
    Não vamos esquecer que o Presidente Obama é casado com uma negra e os EUA continuam sendo o pais imperialista e injusto que sempre foi.

    Que recebeu a seguinte resposta do Paulo de mesmo sobrenome:

    Paulo Nogueira Mod Evaldo Wickerhauser Nogueira • 8 horas atrás

    Ora, o Machado é mto criticado por ativistas negros por se comportar como branco.

    E quem disse que Machado de Assis tinha de se comportar de um determinado jeito por ter uma determinada ancestralidade? O mesmo era filho de dois pobres moradores do Rio: um mulato pintor de paredes (e, portanto, mestiço de branco e negro, provavelmente tendo absorvido tanto valores de origem europeia quanto os de origem africana) e uma açoriana. Sim, meus caros, mais um pouco vão querer acusar o pai de Machado de Assis de alienação, deslumbramento, compensação e ascensão social por ter se casado com uma branca do arquipélago português que era igualmente tão ou mais pobre.
    E o que viria a ser o “comportar-se como branco”? E o “comportar-se como negro”? E por que Machado de Assis deveria ter desprezado a ancestralidade açoriana que corria em suas veias? Isso, é claro, porque Machado de Assis não está entre nós para poder responder às críticas recebidas por esses ativistas negros. E por que você é obrigado a se comportar de um determinado jeito conforme a cor de sua pele e sua ancestralidade? Não seria isso um racismo?

    E já que contra o Joaquim vale até epítetos pouco elogiosos e acusadores de suposta traição, que vejam o comentário que passo abaixo:

    sayuri • 10 horas atrás

    Mulher corajosa, o capitao do mato parece um monstro pre historico. Prefereria nao ver esta cara aqui estampada, provoca-me nauseas.

    Que recebeu a devida lapada abaixo:

    André Pessoa sayuri • 5 horas atrás

    Joaquim Barbosa é um coroa muito bonito. Mas para você ele é um “monstro”. Será que ele fosse branco você diria o mesmo? Acho que não…

    Como podem observar, estão até agora com o Joaquim atravessado na garganta e irão usar de todos os meios para que os mensaleiros sejam libertos, mesmo que arrastem o Brasil para uma situação de ódio étnico dos fortes (volto a recomendar para que leiam o Nação Mestiça, pois pode ser que em Humaitá estejamos diante do primeiro conflito étnico de fato em nossa história). Fico com medo de vermos casais multiétnicos e suas proles sendo hostilizados, bem como se faça objeções a quem se aproxima de alguém de outra etnia com legítimos interesses amorosos e outras coisas. Meus caros, a coisa está ficando pesada e nós, enquanto brasileiros, temos de mostrar o quão orgulhosos somos da mestiçagem e reforçar o orgulho que o brasileiro mestiço tem ao dizer que vem das diversas etnias que formaram este país. Podemos usar contra esses MHNs outro MHN que sempre se orgulhou da mestiçagem deste país: Darcy Ribeiro, que falava de aqui ser um lugar onde as pessoas têm vergonha de ser racistas, bem como uma nova Roma, mas melhor porque lavada em sangue negro e índio.

  2. sinceramente, o q mais causa revolta é vc ler todo o artigo e ir ler os comentários. Alguns iluminados até que contradizem o articulista, mas os que defendem fazem num linguajar que, sinceramente, causa náuseas. Tem um tal de Cleber e outro tal de Messias por lá que não devem ter 2 neurônios sequer, pois escreve tanta bobagem, que é inacreditável se acharem seres sapientes. É, o público combina com o articulista.

    • Ismar,

      É por isso que digo que devemos transformar a interação com esquerdistas em um JOGO. A demonstração de ULTRA-CONFIANÇA é parte do jogo. Quando se explica ao público acompanhando a interação que isso é só truque de propaganda, o efeito é reduzido.

      Abs,

      LH

  3. Ola Pessoal.

    Vejam artigo muito sério e temerário publicado pelo Prof. Nivaldo Cordeiro no site http://midiasemmascara.org

    Não ouso desejar feliz ano novo, pois estamos em tempos de grandes perigos.

    Vai ai o link e a íntegra da matéria.

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/governo-do-pt/14813-o-impasse-institucional.html

    O impasse institucional

    Escrito por Nivaldo Cordeiro | 01 Janeiro 2014
    Artigos – Governo do PT

    [ O que foi o Mensalão que não a confissão de impotência do PT de construir no Congresso Nacional uma maioria orgânica para governar? ]

    O senador Delcídio Amaral, do PT do Mato Grosso do Sul, declarou: “Se 2013 foi o ano que não começou, não se espere que o Congresso vote algo importante em 2014: vamos apenas fritar bolinhos.” O que pensar dessa declaração?

    Eu vejo a impotência do Senado por dois ângulos. De um lado, temos que os chamados “avanços” da agenda revolucionária do PT encontraram seu limite dentro da ordem democrática institucionalizada. O PT não tem como construir uma hegemonia dentro do Congresso Nacional para todos os temas. Seu grande aliado, o PMDB, só apoia as proposituras até certo ponto, repudiando a agenda mais radical.

    Do outro lado, temos que o STF tem assumido crescentemente a função de legislador, ao prolatar decisões com força de lei. Ele o tem feito nos temas que são repudiados pela opinião pública e que são o núcleo da agenda revolucionária, como aborto, casamento gay e outros equivalentes. Dessa forma, o Congresso Nacional se tornou irrelevante diante da coalização de juízes do STF, francamente alinhados com a agenda revolucionária.

    O lamento do senador Delcídio Amaral seria algo a se comemorar se não houvesse essa atuação exorbitante do STF. Este tomou nas mãos a licença para realizar o que não podem conseguir pela via congressual.

    Esse impasse revelado mostra que a estratégia de ocultação e “avanço” sub-reptício da esquerda chegou ao seu limite. As ações esdrúxulas do STF correm o risco de aumentar o divórcio entre a população, tradicionalmente conservadora, e os dirigentes revolucionários. Essa contradição é insuperável e está prenhe de violência.

    As eleições de 2014 poderão ser afetadas por esse impasse. Quanto mais claro fica ao eleitorado as más intenções dos petistas e seus aliados revolucionários, menos o PT tem condições de se impor pela via legislativa. O que foi o Mensalão que não a confissão de impotência do PT de construir no Congresso Nacional uma maioria orgânica para governar? O fato é que a esquerda, amojada de revolução, pode não querer esperar mais.

    Tempos de grandes perigos.

    http://nivaldocordeiro.net


    Abraços a todos.

  4. O problema do, BRASIL, é fácil de resolver, uma pessoa só é capaz de colocar o trem nos trilhos, porém terá que ter uma força para impedir os incautos de tentarem impedir a solução, pois é incrível como as pessoas são capazes de julgar o que não sabem, e dar opinião em coisas que desconhecem e achando que são a solução, eu digo, são parte do problema.
    se não fora assim o lula não se vangloriaria de que é preciso conhecer o povo para se chegar ao poder, e isto de fato é o que acontece, lula se te chamam de ladrão e tu conheces bem este povo o que eles são???
    este povo gosta de circo e depois de participar ficam satisfeitos achando que são parte da solução, ainda que vejam que nada mudou.
    não reconhecem nem quem vos adverte e sinalizam para o caminho por onde devem andar.

Deixe uma resposta