Censura sobre o site Escola Sem Partido é parcialmente derrubada

6
62

vestibular-fatec-barueri

Conforme mostrei aqui em 12 de dezembro, o site Escola Sem Partido foi censurado ao denunciar a doutrinação escolar na FATEC. O dono do site, Miguel Nagib, me contactou para trazer a notícia de que a censura foi derrubada parcialmente. Veja mais, a partir de matéria do próprio site:

O Desembargador Mauro Conti Machado, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, suspendeu hoje, parcialmente, a censura imposta ao coordenador do ESP, Miguel Nagib, pela Juíza da 2ª Vara Cível da Comarca de Barueri-SP, Daniela Nudeliman Guiguet Leal, a pedido da Prof.ª Cléo Tibiriçá, da FATEC de Barueri.
Dizendo-se ofendida em sua honra e em sua imagem pelo artigo “Doutrinação ideológica na FATEC – 1ª parte” — no qual o coordenador do ESP divulgou o plano de ensino do curso de Comunicação e Expressão por ela ministrado na FATEC, acusando-a, com base no material adotado, de fazer doutrinação política e ideológica em sala de aula –, a Prof.ª Cléo Tibiriçá ajuizou contra Nagib uma ação de reparação de danos morais, pedindo, em caráter liminar, que o referido artigo fosse retirado do ESP e que Nagib fosse proibido de publicar qualquer artigo mencionando o seu nome ou o curso por ela ministrado, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00. Os pedidos foram deferidos pela juíza Daniela Leal (para ler a decisão, clique aqui).
Agora, acolhendo parcialmente recurso interposto por Nagib, o Desembargador Mauro Conti Machado suspendeu a ordem para que ele se abstivesse de publicar qualquer artigo mencionando o nome ou o curso ministrado pela Prof.ª Cléo, mas manteve a censura ao artigo “Doutrinação ideológica na FATEC – 1ª parte”.
Para ler a decisão do Desembargador Mauro Conti Machado, clique aqui.
O recurso de Nagib contra a decisão da juíza Daniela Leal ainda será julgado pela 9ª Câmara de Direito Privado do TJSP.
Com a suspensão parcial dos efeitos da liminar deferida pela juíza Daniela Leal, o ESP volta a publicar a série de artigos sobre as aulas da Prof.ª Cléo Tibiriçá na FATEC de Barueri.

No site, você poderá ler o texto “Doutrinação ideológica na FATEC de Barueri – 2ª parte”. Deste texto, aliás, tiro o comentário da professora doutrinadora Cléo Tibiriçá (enviado aos seus alunos por e-mail), que pode ser visto abaixo:

Quanto ao autor Rossiter e sua obra “Liberal Mind”, que não conhecia, além de fazer uma pesquisa nos sites acadêmicos, conversei com renomados professores das areas de economia, sociologia e política economica para obter referências. Descobri que o autor Rossiter não tem nenhuma credibilidade acadêmica. Ele é muito lido pela perigosa minoria de extrema direita americana; no Brasil, teve alguma repercussão em pequenos círculos de conservadores radicais; mas, para fins de estudos academico-científicos ele não é levado a sério, nem pelos conservadores, nem pelos progressistas. Segundo alguns pesquisadores que se deram ao trabalho de ler os textos do Sr. Rossiter, ele basearia todas as suas conclusões apenas em suas convicções quase que religiosas, paranóicas e sem nenhum embasamento científico.
Acho que como há tanta coisa boa e inteligente para ler, e nosso tempo é tão pouco, devemos evitar as charlatanices.

Está claro que Cleonildi não quer que seus alunos leiam o livro de Rossiter para tirarem suas conclusões. Ela simplesmente fez de novo a censura do que seus alunos podem ou não podem ler, agora por meio da intimidação. Nagib responde:

E fim de papo! Em aula de Cleonildi Tibiriçá conservadores não têm vez. Quem quiser saber o que eles pensam deve ler os artigos de Matheus Pichonelli (para saber do que estamos falando, clique aqui e aqui).
Chamo a atenção para o expediente utilizado pela professora para justificar o seu veto. Primeiro, a tentativa de silenciar os alunos, apelando para a autoridade da Academia: “conversei com renomados professores… Descobri que o autor Rossiter não tem nenhuma credibilidade acadêmica.” Depois, a de assustá-los, afirmando que quem se interessa pelo que ele escreve é a “perigosa minoria de extrema direita americana”; e, no Brasil, os “conservadores radicais”.
Ou seja, mesmo sem conhecer a obra sugerida, a Prof.ª Cléo não hesitou em desqualificar e estigmatizar o seu autor perante os alunos, deixando subentendido que eles próprios poderiam ser tachados de extremistas e radicais de direita se insistissem na leitura do livro.
Quem lesse o último parágrafo dessa mensagem sem conhecer o plano de ensino da professora poderia pensar que ela está se referindo à filosofia de Aristóteles, à poesia de Dante, à moral de São Tomás… Nada disso! “Coisa boa e inteligente”, para a Prof.ª Cléo, são os textos de Leonardo Sakamoto, Ramatis Jacino e Matheus Pichonelli…
A propósito, qual a “credibilidade acadêmica” desses indivíduos? Em que parte do universo a sua produção intelectual é levada a sério para fins de estudos acadêmico-científicos? Mas, sobretudo, que relevância pode ter o requisito da “credibilidade acadêmica” — aplicado, como visto, somente ao Dr. Rossiter — numa disciplina (Comunicação e Expressão) cujos objetivos deveriam estar centrados na forma da mensagem, e não no seu conteúdo? Ao recusar a obra do Dr. Rossiter por suposta falta de credibilidade acadêmica, a Prof.ª Cléo deixou ainda mais claro que o critério que orienta a escolha dos textos na sua disciplina não é a forma (beleza, correção, clareza, estilo, etc.), mas o conteúdo — ou melhor, o viés ideológico desse conteúdo.
Assim, a disciplina “Comunicação e Expressão” se transforma, nas mãos da professora militante, no instrumento ideal para o proselitismo ideológico mais escancarado. Como se vê do seu plano de ensino — e restará ainda mais evidenciado no curso desta análise –, a Prof.ª Cléo Tibiriçá utiliza suas aulas na Fatec com o fim inequívoco (ainda que não exclusivo) de “fazer a cabeça” dos alunos. Para saber se ela tem esse direito, clique aqui.

Em tempo, para deixar Cleonildi ainda mais irritada, segue aqui o texto O psiquiatra Lyle Rossiter nos comprova que o esquerdismo é uma doença mental, que é o quinto post mais visualizado da história deste blog.

Como vimos, aliás, o texto “Doutrinação ideológica na FATEC de Barueri – 1ª parte” ainda se encontra censurado. Em relação a isso, parece que as lendas nos dizem que o texto está disponível na DeepWeb ou em meios alternativos. Será que é possível que Cleonildi consiga fazer este texto desaparecer para sempre? Mas não será este texto um símbolo da censura tentada por uma professora de extrema-esquerda? E se alguém conseguir ler esse texto e ver que a censura dele é praticamente um crime moral? Pensem nisso.

Em tempo: senti falta de denunciação assertiva, por parte da direita, a esse absurdo que foi a censura contra Miguel Nagib. Não é uma crítica a blogueiros e jornalistas em específico, mas tive uma percepção de que o assunto não foi denunciado com assertividade e quantidade necessária em relação à urgência do tema. Nivaldo Cordeiro, por sua vez, deu atenção suficiente ao caso em um ótimo vídeo, que deve ser assistido por todos amantes da liberdade:

Anúncios

6 COMMENTS

  1. A deixar o controle nas mãos dos patifes gramscianos em salas de aula, teremos, logo, logo, o seguinte lema afixado nos quadros negros das salas se aula:


    Ditadura da bota comunista já!
    Ditadura militar é meia boca!
    Ditadura da bota comunista é da boa!
    Bota comunista com grau 100% de pureza!
    Ditadura da bota comunista já!

    Se a sociedade brasileira não tomar uma séria providência sobre isso, então deveremos admitir, infelizmente, que a sociedade brasileira é estúpida e meritória da bota comunista.

  2. “senti falta de denunciação assertiva, por parte da direita, a esse absurdo que foi a censura contra Miguel Nagib”

    Também tive a mesma percepção, tanto em relação a esse episódio de truculência contra o Escola Sem Partido, como ante esse caso, embora mais local, atingindo o pessoal do Juventude Conservadora da UFSC:

    http://ufscon.wordpress.com/2013/11/30/caca-as-bruxas-reitoria-da-ufsc-ameaca-processar-jovem-conservador/

    Aliás, no blog acima, como também no do jornalista Aluizio Amorim pode-se divisar o rol de absurdos advindos da doutrinação esquerdista obstinada que está acontecendo naquela universidade catarinense.

    • Slaine,

      Aqui estão:

      – Como cobrar o preço dos marxistas culturais pelo desrespeito praticado no evento da JMJ – 142.807
      – Movimento gay oficializa genocídio cultural contra cristãos no Brasil através da promoção do beijo gay em cultos evangélicos – 92.640
      – Que tal visualizar o que é um país dominado pelo gayzismo? Na Europa, homem é preso por usar uma camiseta com o símbolo da família feliz – 88.422
      – 2013 decididamente não termina bem para a extrema-esquerda: Danilo Gentili assina com o SBT e vai ganhar quatro vezes mais – 55.659
      – O psiquiatra Lyle Rossiter nos comprova que o esquerdismo é uma doença mental – 52.160

      Abs,

      LH

Deixe uma resposta