Kaíque não foi vítima de homofobia… e mais uma vez Maria do Rosário e Jean Wyllys vão para o nível da sarjeta em suas militâncias hipócritas

35
205

kaique

A notícia não é nova: 10 dias atrás, em 11 de janeiro, o jovem Kaíque Augusto dos Santos, de 17 anos, foi encontrado morto em 11 de janeiro sob o Viaduto Nove de Julho. Até aí temos mais um caso de suicídio, dentre tantos outros que ocorrem todas as semanas na Grande São Paulo. Mas aqui temos uma diferença: Kaíque era gay. Foi quando o movimento LGBT resolveu capitalizar em cima da notícia, fingindo que Kaíque foi vítima de assassinato, ao invés de ter cometido suicídio.

Ontem (21/01), a própria família do jovem aceitou a hipótese de suicídio, que era a conclusão inicial da polícia. Veja abaixo, de acordo com notícia do G1:

A família do adolescente gay Kaique Augusto dos Santos, de 17 anos, encontrado morto em 11 de janeiro sob o Viaduto Nove de Julho, no Centro de São Paulo, disse nesta terça-feira (21) estar convencida de que ele se matou. Os parentes contestavam a versão da polícia, que registrou o caso como suicídio, e cobravam a investigação da morte.

O advogado Ademar Gomes, que representa a mãe do jovem, disse que a família não irá mais contestar a versão oficial. Inicialmente, os parentes suspeitavam de um crime de homofobia porque o corpo estava sem os dentes e tinha marcas que pareciam de espancamento. “A polícia agiu corretamente por registrar o caso como suicídio, pois não tinha indícios de que era um homicídio. Registrou como suicídio e continuou investigando”, afirmou Gomes em entrevista nesta terça-feira.

A cabeleireira Isabel Cristina Batista, mãe de Kaique, afirmou que não suspeitava da depressão do filho, mas chegou à conclusão de que o adolescente se suicidou. “Nunca rejeitei meu filho”, disse. “Se tivesse conhecimento, tentaria solucionar.”

O diário de Kaique é o principal indício de que a causa da morte foi um suicídio, mas, segundo o advogado Ademar Gomes, conversas com testemunhas e a investigação policial também indicam que Kaique não foi assassinado. “Ele demonstra [em seu diário] uma tendência ao suicídio”, afirmou.

Queda de viaduto

A Polícia Civil afirmou, na semana passada, que sinais aparentes de tortura podem ser resultado da queda do viaduto. A perfuração na perna teria sido causada por uma fratura exposta. Os dentes e os dedos quebrados, além do traumatismo craniano, podem ter ocorrido na queda. A análise preliminar aponta que ele caiu em pé e bateu no meio-fio.

O diário do adolescente, que estava na casa da família com quem ele estava morando na região do Carandiru, na Zona Norte de São Paulo, tinha textos de despedida, segundo a polícia. Em alguns, Kaique demonstra animação; em outros, mostra-se decepcionado com algumas pessoas. Em muitos trechos, a letra de Kaique é ilegível.

Em um texto recente, Kaique escreve que tomaria “uma atitude, uma decisão” até segunda-feira (13). A seguir, é possível ler a frase: “Adeus às pessoas que amo.” Depois deste texto, ele escreveu pelo menos outros três no diário, sem fazer referência a uma despedida, segundo a polícia.

Kaique foi a uma festa gay em uma boate na região central de São Paulo há 10 dias. Os amigos contam que ele saiu da boate para procurar os documentos que estariam perdidos e sumiu. Na madrugada de 11 de janeiro, a polícia recolheu o corpo embaixo do viaduto, perto da boate. O boletim de ocorrência foi feito com base no relato do policial que encontrou o corpo. O delegado que assinou o boletim de ocorrência o registrou como suicídio.

O estado do corpo do jovem, porém, levou sua família a acreditar que ele havia sido assassinado. “Arrancaram todos os dentes e espancaram muito a cabeça dele. Ele foi vítima de homofobia. Nós acreditamos nisso. Não tem prova, mas a gente acredita que foi isso”, disse Tainá Uzor, irmã do jovem. Hoje, a família acredita que as lesões que o corpo apresentava foram causadas pela queda.

Os parentes da vítima ficaram dois dias procurando o rapaz em hospitais e no Instituto Médico-Legal (IML). Por estar sem documentos, o corpo ficou até terça-feira (14) no IML como indigente.

Só que três dias atrás a ministra Maria do Rosário emitiu uma nota dizendo que Kaíque tinha sido “vítima de homofobia”. Veja abaixo, conforme matéria de Reinaldo Azevedo:

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) vem a público manifestar solidariedade à família de Kaique Augusto Batista dos Santos, assassinado brutalmente no último sábado (11/01). Seu corpo foi encontrado pela Polícia Militar de São Paulo próximo a um viaduto na região da Bela Vista, na Avenida 9 de Julho.

As circunstâncias do episódio e as condições do corpo da vítima, segundo relatos dos familiares, indicam que se trata de mais um crime de ódio e intolerância motivado por homofobia.

De acordo com dados do Relatório de Violência Homofóbica, produzido pela Secretaria de Direitos Humanos, em 2012, houve um aumento de 11% dos assassinatos motivados por homofobia no Brasil em comparação a 2011. Diante desse grave cenário, assim como faz em outros casos que nos são denunciados, a SDH/PR está acompanhando o caso junto às autoridades estaduais, no intuito de garantir a apuração rigorosa do caso e evitar a impunidade.

A ministra da SDH/PR, Maria do Rosário, designou o coordenador-geral de Promoção dos Direitos de LGBT e presidente do Conselho Nacional de Combate a Discriminação LGBT, Gustavo Bernardes, para acompanhar o caso pessoalmente. O servidor da SDH/PR desembarcou no início na tarde desta sexta-feira (17) na capital paulista, onde deverá conversar com a família e acompanhar o processo investigativo em curso.

Informamos ainda que a Secretaria de Direitos Humanos está investindo recursos para a ampliação dos serviços do Centro de Combate à Homofobia da Prefeitura Municipal de São Paulo, fortalecendo a rede de enfrentamento à homofobia.

Diante desse quadro, reiteramos a necessidade de que o Congresso Nacional aprove legislação que explicitamente puna os crimes de ódio e intolerância motivados por homofobia no Brasil, para um efetivo enfrentamento dessas violações de Direitos Humanos.

O Governo Federal reitera seu compromisso com o enfrentamento aos crimes de ódio e com a promoção dos direitos das minorias, em especial, com a população LGBT.

Não concordo com Reinaldo quando ele acusa Maria do Rosário de “irresponsável”. A meu ver ela é responsável até demais, só que com as causas erradas. O objetivo dela é ajudar a capitalização de um movimento social pautado em desonestidades intelectuais intermináveis. É bom que se diga, sempre, que criticar o movimento LGBT não tem nada a ver com criticar gays e nem com criticar movimentos que lutam contra a discriminação em âmbito geral.

Eu não consigo acreditar que Maria do Rosário não tenha escrito suas sandices de caso pensado. Ela tem certeza de sua impunidade na completa falta de decoro no uso de sua função de ministra. Ela simplesmente promove campanha de ódio e incita o vitimismo injustificado.

Aliás, que idéia é essa de “promoção dos direitos das minorias” seguido de um “em especial”? Quem usa um “em especial” (para favorecer um grupo) em um discurso onde finge luta por “igualdade de direitos” já entra em campo para cavar falta.

Só que Maria do Rosário empalidece diante da baixaria de Jean Wyllys, com um discurso que faz o Tiririca parecer um lorde inglês. Verdade seja dita: ultimamente, qualquer discurso proferido por Wyllys tem ficado pelo nível da Boca do Lixo, mas naquele onde ele culpou os evangélicos por terem “assassinado” Kaíque, se superou. Leia:

“Arrancaram todos os dentes. Ele não tinha nenhum dente na boca. Espancaram muito a cabeça dele. Ele foi vítima de homofobia. Nós acreditamos nisso. Não tem prova, mas a gente acredita que foi isso”, disse Tainá Uzor, irmã de Kaique. Ainda segundo os familiares, o adolescente havia saído na sexta-feira, 10 de janeiro, para uma balada gay no Largo do Arouche, no centro de São Paulo. Os amigos do rapaz disseram que ele saiu no meio da madrugada para procurar seus documentos, que estariam perdidos, e nunca mais voltou.

Jean Wyllys publicou em sua página no Facebook um artigo em que critica a forma como um crime semelhante a esse é tratado no Brasil: “Em outros países, seria manchete de capa de todos os jornais. A Presidenta falaria em cadeia nacional. O país inteiro reclamaria justiça. Os poderes públicos reagiriam de imediato”, escreveu o ativista gay.

Wyllys afirmou ainda que “o governo Dilma, aliado do fundamentalismo religioso e das máfias que pregam o ódio contra todos aqueles que amam diferente, a morte desses meninos não é um fato importante, que mereça a atenção do Estado”.

Sobre os evangélicos, Wyllys não mediu palavras para responsabilizar as lideranças cristãs pela morte do adolescente homossexual, citando indiretamente o deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP).

“Como eu já escrevi tempo atrás, em ocasião de outros assassinatos como este, em cada caso aparece, como pano de fundo, o discurso de ódio alimentado por igrejas caça-níquel e pela bancada fundamentalista no Congresso federal, que em 2013 ganhou de cínico presente, com o apoio da bancada governista, a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. É claro que a violência é praticada por pessoas violentas e os agressores são responsáveis por seus atos, mas não é por acaso que as vítimas dessas agressões sejam, repetidamente, jovens homossexuais, e que muitas vezes as pancadas venham acompanhadas por citações bíblicas. A culpa não é da Bíblia, mas dos charlatães que, em nome de uma fé que não têm, distorcem seu texto e seu contexto para usá-la contra a população LGBT, pregando o ódio e convocando a violência. Eles fazem isso por dinheiro e poder — ou você acha que realmente acreditam em alguma coisa? — e o resultado é um país que já se acostumou a assistir no Jornal Nacional à morte de mais um jovem gay, mais uma jovem lésbica, mais uma travesti ou uma pessoa transexual, vítimas do ódio irracional que os fundamentalistas promovem”, acusou o deputado.

Em seu complemento, Wyllys tratou ainda de questões ligadas ao “sepultamento” do PLC 122 e acusou o pastor Silas Malafaia de liderar um movimento de ódio aos homossexuais.

“A decisão do Senado de enterrar o PLC-122 não foi motivada por uma discussão séria sobre qual é a melhor política contra a homo/lesbo/transfobia, mas pela decisão da maioria dos senadores de que não haja nenhuma política contra ela. Não é por acaso que o pastor Silas Malafaia, um dos líderes do Ku Klux Klan antigay brasileiro, parabenizou os senadores e, em especial, o senador Lindberg Farias, um dos líderes da causa homofóbica no governista Partido dos Trabalhadores […] Em meio a tudo isso, Kaique foi morto. Mais um. E mais outros virão”, afirmou Jean Wyllys.

Já passou da hora de sermos assertivos no tratamento a pessoas que fazem um discurso como este acima.

Enquanto ele acusa injustamente os religiosos de “pregarem o ódio e convocarem a violência” (ele não consegue provar que façam isso), não faz nada além disso em seu discurso contra os religiosos.

Realizemos: incitar diretamente à morte de alguém é realmente um crime. Mas no caso em questão não temos um crime. E também não há evidência alguma de incitação ao crime feita por religiosos – a não ser que ele diga que discordar de um comportamento é uma incitação ao crime, assim, se um ateu discordar da leitura da Bíblia, estaria incitando ao crime contra religiosos, e se um teísta discordar de um ateu por não ir à missa, estaria incitando ao crime contra ateus; quer dizer, a acusação não faz o menor sentido. Mesmo assim, Wyllys, criminosamente, acusa Silas Malafaia e outros líderes religiosos de praticarem este crime. Esta mera acusação injustificada (e gravíssima) já é suficiente para que Wyllys receba um sonoro processo no meio da cara.

Para piorar, ao fingir que um suicídio foi um “assassinato motivado por homofobia”, Wyllys prejudica até mesmo os homossexuais, banalizando mais uma vez o termo homofobia. É por isso que os gays deviam se juntar e dizer-lhe, em alto e bom tom: “Não brinque com o termo homofobia. Homofobia é um problema sério, e não foi definido para fazer seu jogo sujo para jogar os heterossexuais contra os gays, e vice-versa”.

Em suma, tanto Maria do Rosario quanto Jean Wyllys passaram dos limites. Há vítimas de suas campanhas de ódio que precisam responder a altura. Nunca antes políticos de extrema-esquerda desceram tão baixo em acusações falsas feitas para incitar raiva contra grupos (religiosos, no caso) perante a opinião pública diante de manipulações tão descaradas de notícias públicas.

Mas o limite só será colocado neles pelos grupos atingidos por suas campanhas de ódio. Pois limites ambos já nos mostraram que não possuem mesmo.

Anúncios

35 COMMENTS

  1. Será realmente que foi suicídio? A família aceitar tal hipótese não deixa claro que possa ter sido esse o verdadeiro ocorrido.
    Porém, o que pode ter ocorrido (e não foi nem de longe levantado pela polícia e os militantes LGBT ignoram) foi mais um crime de homicídio apenas pela vítima estar no lugar errado e na hora errada, como tem ocorrido todos os dias. Ou até mesmo um latrocínio aliás, não vi nada a respeito se estava faltando algum bem (carteira, dinheiro, telefone) quando o corpo foi encontrado.

  2. Eu li isso mesmo? … “e que muitas vezes as pancadas venham acompanhadas por citações bíblicas.” Aaafff, cadê as provas? Nossa, quanta baixaria, ao tentar mostrar o suposto crime de homofobia acabou por deixar transparecer o ódio que esse sujeito tem pelo cristianismo. Pelo visto ele não viu os videos bloqueados do youtube onde mulçumanos slamitas, pobres minorias vitimas do preconceito ocidental, decapitam os ateus e homossexuais (ou suspeitos de homossexualismo) aos berros de “Alahu Akbar”, “Alahu Akbar”, “Alahu Akbar”, “Alahu Akbarrrrrrr …”

  3. Luciano, não vamos esquecer da desmoralização tamanho monstro que o Sakamoto sofreu em seu próprio blog após dizer que cada morte de homossexual deveria ser jogada na conta da bancada evangélica. Como disse lá, a jogada no chão foi tamanha que vou achar razoável que o UOL em algum momento fale a ele que não precisa mais de seus serviços. Vale a pena ler cada um daqueles comentários, bem como outros que virão, isso sem falar na monitoração para ver se ele finalmente irá se desculpar por ter dado veredito sem ler os atos.

    • Trás pra cá a TEMPESTADE-MONSTRO em cima do molho sakamoto, Cidadão. Sua compilação e intervenção ficaram ótimas.

      Gente, isso NÃO pode ficar barato! Esses FDP tão usando cadáveres de cidadãos inocentes como bandeiras políticas, cobaias ideológicas.

      Isso precisa ser denunciado SISTEMATICAMENTE num espaço midiático MAIS AMPLO, precisa ser GRITADO em todos os lugares que cada um de nós frequenta.

      Aqui no Rio fizeram isso no caso do ‘Amarildo’… Meses depois uma garotinha foi brutalmente estuprada e assassinada lá dentro da Rocinha do Amarildo E NINGUÉM dessa turma dos “Direitos Humanos” se manifestou da mesma forma como no caso do tal Amarildo (Amarildo não é mais nome de gente, é nome de uma VIELA IDEOLÓGICA, de uma ‘CAUSA’).

      Isso é PODRE DEMAIS!

      O Reinaldo Azevedo já cantou a pedra sobre a Maria do Rosário (& Cia). Cadeia nessa raça!!!

    • E, só para constar, a postagem de hoje fugiu totalmente do assunto predominante por lá e fica parecendo que ele quer se fazer de boi sonso. Porém, o pessoal continua perguntando para ele quando que irá se desculpar perante a polícia ao dizer que haveria homofobia quando um gay se suicida.
      Enquanto isso, segue gente querendo insinuar que a coisa não foi bem investigada, mesmo havendo imagem de câmera mostrando que Kaique estava sozinho e não corria de ninguém, mas há também críticas à ministra Maria do Rosário e a notícia do R7 que soa um pouco como “crítica de amigo”:

      http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/01/1401037-ministra-fez-proselitismo-apos-morte-de-jovem-gay-diz-secretaria.shtml

      http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2014/01/22/quem-assassinou-kaique-foi-o-pt/

      http://dimitri-sales.ig.com.br/index.php/2014/01/22/nao-foi-suicidio/

    • Mais um dia de 2014 e mais uma vez o Sakamoto foge do dever de pedir desculpas à polícia, à bancada evangélica e a outros a quem quis imputar a morte de Kaique por suicídio. Como ficar alegando que Kaique foi morto por homofobia não cola mais, agora ele apela para o preconceito predileto dos marxistas-humanistas-neoateístas brasileiros: o preconceito contra São Paulo, usando da proximidade do aniversário da capital do estado para exercê-lo. Porém, as pessoas seguem cobrando sobre quando ele irá se retratar, mas também há outras frases muito boas que não necessariamente dizem respeito ao caso do adolescente em questão (algumas delas sendo passadas com as réplicas e tréplicas junto):

      Antonio M 9 horas atrás

      Me incomoda os contra-tudo se acharem donos da verdade. Ah, e desculpas pelo preconceito demonstrado no trato com a morte do jovem homossexual, de fato não é a mesma coisa que “avisar que o seu avô está com a barba suja de sopa de feijão …”

      SasciFufu 9 horas atrás

      Preconceito de blogueiro contra brancos de classe média, não periferia não conta? Preconceito contra polícia (agentes da opressão da zelite) também não?

      Ferpaolopes 9 horas atrás

      Nós , paulistas e paulistanos de bem é que lhe perguntamos: por que você odeia tão veementemente esta cidade e este Estado ? Sugiro que se prepare mais e estude mais ,Sakamoto. Seus textos são ruins , mal redigidos , fracos de conteúdo e absolutamente preconceituosos. Ou não é preconceituoso acusar a polícia por coisas que ela não fez e nem se desculpar por isto ? Ou não é preconceito chamar os paulistanos de ” assassinos de maranhenses ” sem critério e de forma imatura e banal e não se reposicionar por isto ?

      Ncarlos Carlindo 1 hora atrás

      Caro ferpaolopes . Sou nascido na cidade e sou cidadão de bem como você fala mas não podemos dizer que o fariamos , por exemplo , armados numa situação limite com gente diferenciada. E é isso !

      SasciFufu 9 horas atrás

      Só é errado quando não foi escrito por ele… você não entendeu a mentalidade ainda…

      Antonio M 8 horas atrás

      Tem também o preconceito de listar uma série de frases preconceituosas e atribui-las como que de uso exclusivo de uma cidade ou população apenas.

      Vronsk 8 horas atrás

      Puxa! Essa coleção de frases é própria do paulistano? Ah tá! Nós devemos ser os piores seres humanos do planeta, mesmo……

      Galo Candango 7 horas atrás

      Há duas frases preconceituosas que incomodam ainda mais que essas. 1) Todos os males do mundo são por culpa do homem branco heterossexual cristão; 2) Todo homem é inimigo da mulher até prova em contrário. Essas duas são as mais preconceituosas que eu já ouvi.

      Rorschach1974 3 horas atrás

      Não; frases de autoria do Sakamoto.

      Rd-39 4 horas atrás

      Frases de sua autoria, é bom que fique claro.

      Edmundo animal 5 horas atrás

      APOIADO!!!

      Antenor Boas-Vindas 7 horas atrás

      Paulistano é tão preconceituoso que a esmagadora maioria, incluindo a parcela mais pobre, é contra o rolezinho e não considera haver uma política de discriminação, por parte dos shoppings, seja por classe social ou por cor de pele. Não é horrível quando o “povo” não pensa o mesmo que seus auto-intitulados porta-vozes?

      Jorge P. 6 horas atrás

      Um indivíduo negro, pobre, honesto e trabalhador não é obrigado a se sentir representado por um outro indivíduo negro, pobre e baderneiro. Nesse caso, ser negro, branco, pobre, rico etc é o que menos importa. O que importa é a pessoa ser educada, honesta e inteligente o suficiente para lutar por seus direitos de forma civilizada.

      Wilhelm H 7 horas atrás

      Perfeito… Mas quando existem números e dados que vão contra as empoeiradas teorias de lutas de classes raças etc, e mostra que a esmagadora maioria, negros , brancos, pobres , ricos, classe média, gays, héteros, ateus cristãos quer apenas a ordem e paz , para se trabalhar e viver, ai não merece ser comentada porque não da ibope. Alias nem a retratação no caso do menino que se suicidou vai ocorrer, pois trabalhar com a realidade não é o forte dessa gente. O certo na visão deles(vista confortavelmente de seus apartamentos de classe média) são teorias de todos contra todos.

      Darx 7 horas atrás

      Sakamoto, quando é que você vai se retratar pelo texto ridículo da morte do rapaz suicida? Afinal, jornalismo — se é que é isso que você diz fazer — implica responsabilidades.

      Rodrigo Sccp F Cabral 1 hora atrás

      Tal conclusão foi da família ao ler o diário do rapaz… Concluíram que as autoridades estavam certas e a mãe até se desculpou (o que não precisaria, considerando o sofrimento da mesma)… Aqui neste blog nunca teremos uma retratação… Também não precisamos…

      Antonio M 3 horas atrás

      Isso Yakolev, aliás, é a mesma polícia que investigou o caso de Celso Daniel e Toninho do PT e seus companheiros de partido aceitaram toda a conclusão sem levantar nenhuma dúvida.

      Yakolev 5 horas atrás

      Tipo aquele caso q ficou “confirmado” q um menino teria morto toda a família (incluindo os pais policiais) e depois suicidado?…

      Coxinha de Sushi 6 horas atrás

      Vamos iniciar a campanha para que o grande líder Saka comande o movimento brasileiro para eliminação de SP do território nacional! O que poderia ser melhor para este maravilhoso país do que se livrar desta cidade e desse estado tão deteriorado moralmente? Fora SP!!!

      maisvalia 6 horas atrás

      Qual preconceito ouvido nas ruas mais te incomoda? O seu contra os heterossexuais. Quando será a retratação?

      E.Silva 2 horas atrás

      Apoiado!

      Vronsk 3 horas atrás

      “Quem mandou sair por aí ostentando iPhone? Tem que dar ‘graças a Deus’ que o bandido só roubou e não matou!”

      Duarte2013 2 horas atrás

      Que tal incluir nessas frases algo do tipo “Mais um gay assassinado graças ao preconceito!!!”…….quando na verdade foi suicidio……….aposto que essa frase ganharia disparado, não é Sakamoto!?

      Mecão das Gerais 1 hora atrás

      Gente… Sério? Sakamoto até hoje não se desculpou por ter quebrado a cara no caso do jovem Kaíque?

      Gilsao Love 1 hora atrás

      São tantas emoções…mas a frase mais preconceituosa foi disparada pela ministra/secretária da Igualdade Racial, no caso dos “rolezinhos”: “Isso é coisa de gente branca”. Prende a ministra/secretária! Não dá para aguentar!!!

      Eis que um sakamotete quis defender o dono do blog e novamente quer jogar a culpa do suicídio nessa amorfa entidade chamada “sociedade”:

      Raimundo Gouveia 1 hora atrás

      No caso Kaique, assassinato ou suicídio dá no mesmo. Ambos podem ser motivados pelo preconceito. O número de suicídio entre jovens gays é enorme.

      Porém, como pode observar, a coisa está ficando cada vez mais feia para ele e o mesmo está perdendo o controle em seu próprio blog, mesmo com as queixas de censura que os anti-MHNs relatam. E segue a cereja do bolo:

      FernandoN 29 minutos atrás

      Não está entre as opções: me incomoda muito quando alguma pessoa não assume um erro, mesmo se for descarado. Vai desde acidente de trânsito até fazer julgamento precipitado, quando não se tem todas as informações (caso Kaíque, por exemplo)……

      Como observa, a busca por uma retratação sobre o caso Kaique virou o Amarildo de quem combate o marxismo-humanismo-neoateísmo no Blog do Sakamoto.

      • Em relação aos 460 anos de São Paulo, esta é uma oportunidade que os marxistas-humanistas-neoateístas brasileiros não iriam deixar para trás, ainda mais que eles odeiam São Paulo (tanto o estado quanto sua capital) mais do que tudo neste mundo (uma vez que comprovam justamente o oposto daquilo que os MHNs querem que achemos ser verdade). Após aquele problema na Cracolândia que estão querendo vender como culpa exclusiva da Polícia Civil (ainda que possa sim ter algumas coisas que façam suspeitar da instituição em questão), eis que surge esta coluna do Lino Bocchini, da Carta Capital, dizendo que nada há para se comemorar. Como observarão pelo texto, parece feito totalmente por encomenda dos petistas e volta a querer pôr em pauta derrotas da gestão Haddad (como a questão do IPTU e a antipatia que as faixas de ônibus receberam em comparação aos corredores com desembarque em canteiro central, esses últimos bem recebidos e aprovados pela população).
        E Lino não poderia deixar de querer culpar os conservadores por isso, como se pode comprovar pelos dois últimos parágrafos do texto:

        A quem interessa isso tudo?

        Vejamos a raiz da palavra Conservador, que aparece mais de uma vez neste texto. Informa o dicionário Houaiss que conservador é aquele que “preserva de alteração”; é aquele que “defende ideias, valores e costumes ultrapassados e/ou que é contrário a qualquer alteração da situação que se atravessa, do que é tradicional ou da ordem estabelecida.”

        A quem interessa barrar uma ação de justiça tributária, prejudicar o transporte coletivo ou melar o atendimento humanitário a dependentes químicos da mais terrível das drogas? A quem interessa um conservadorismo assim tão radical? A quem interessa manter a cidade “preservada de alteração”? A quem interessa conservar essa “ordem estabelecida”? Em seu aniversário de 460 anos, São Paulo não tem o que comemorar.

        Por que São Paulo não tem o que comemorar? Será que só podemos comemorar algo se o PT estiver feliz com esse algo? Valeria a pena a galera conferir os comentários que foram feitos. Tem um monte de rajadas contrárias aos MHNs.

    • Mais um dia no Blog do Sakamoto e nada de falar “discurpa, puliça”. O blogueiro em questão parece querer soterrar a postagem sobre o caso Kaique, como poderão ver das seguintes formas:

      1) Mais uma postagem com o mascote da vergonha alheia do Brasil, já aqui citado em outra ocasião, mas desta vez dizendo que a malvada classe média agora seria a favor de se descer a borracha em viciados em crack. Porém, como já disse o Reinaldo em uma série de postagens sobre o assunto, os traficantes ainda estão bem atuantes na região e quando a polícia foi lá prendê-los, acabou sendo agredida pelos próprios viciados e precisou mandar reforços. E nessa, o PT acabou obtendo aquilo que queria do governo estadual, ainda que a coisa não esteja assim tão aproveitável. E já que a animação do Coxeco é tão feita nas coxas que fica sem sentido, novamente tivemos aquela sequência idiota de champanhe, camarote, manifestações que supostamente refletiriam as demandas de quem não é marxista-humanista-neoateísta, água no mendigo e vidro subindo, com uma suposta lição de moral no fim. Vou anexar alguns vídeos da ação e sugerir que o Luciano comente, pois é substrato dos bons:

      http://www.youtube.com/watch?v=WgtRYNDNoOs

      http://www.youtube.com/watch?v=8gyWhACtrHQ

      http://www.youtube.com/watch?v=KDz9KqKd3YQ

      http://www.youtube.com/watch?v=2n0F_4dWYyk

      Porém, como já dito, o mais interessante é sempre irmos aos comentários, dos quais selecionarei os melhores e alguns deles com as réplicas, sejam de anti-MHNs ou de sakamotetes:

      Red 19 horas atrás

      Nossaaaaaaa, como você é engraçado. Super legal a sua ironia. Mostra que você é suuuuuuper inteligente.

      Fernando Reis 15 horas atrás

      “Dar trabalho e moradia”? E os milhares de “coxecos” que, muitas vezes saindo se situações limite mesmo, de infra-estrutura residencial, sub-alimentados, com goteira sobre a cama (instalado em um dormitório (que pode ser a sala de casa) dividido com mais dois irmãos ou mais) e encara o trem do metrô com 7 pessoas por metro quadrado. E o emprego de boy ou operador de máquina de moer coisas não foi dado só por misericórdia e sentimento de colaboração às causas sociais, não.

      Rd-39 8 horas atrás

      Eu diria que esse não é bem o perfil dos ‘coxecos’

      Rorschach1974 13 horas atrás

      Caviarzinho (o mascote da esquerda caviar) acusa todo mundo por um crime que nem mesmo aconteceu e, depois, foge do assunto, demonstrando não passar de uma fraude intelectual…

      Rorschach1974 7 horas atrás

      Carapuça-bumerangue…

      Ana Carezzato 8 horas atrás

      O que é mais interessante, é ver como os coxinhas vestem a carapuça de coxinha e se incomodam com a pecha, enquanto o tal do caviar que querem atribuir à esquerda, parece nāo incomodar ninguém… eu nem sei de quem eles estāo falando. Caviar nāo me representa, hahahahaha.

      13582196 10 horas atrás

      em uma pesquisa de 2013 realizado pela Fundaçao Getulio Vargas, 70% das pessoas afirmaram não confiar nas polícias do país.

      Antonio M 13 horas atrás

      Lamentável mas estamos em ano de eleição e antes que os paladinos que sempre assumem apenas o lado do bem, é bom informar que o tal programa tem parceria do estado mas, a demagogia corre solta. A tal parceria já incomoda o próprio pessoal do PT pois querem o uso político do programa que no começo sempre vai funciona, a mídia comparece mas tende a cair no descaso principalmente depois das eleições e das dificuldades inerentes. Por exemplo, Luisa Erundina se elegeu prometendo um cadastramento de mendigos, sem-teto e foi a primeira coisa de que desistiu depois de eleita, alegando ser impossível realizar tal cadastro, e isso em 1989. A cracolândia não é um problema fácil de se resolver e não será se for partidário como sempre é visando a eleição mais próxima. O próprio PT na reportagem do UOL já pede afastamento em relação ao governo do estado, logo no primeiro problema pois digo novamente, o que importa é a eleição e os drogados são na verdade mera massa de manobra. Vide o número de viciados cadastrados, mais de 2/3 nem compareceram ao trabalho, muitos do que foram já se drogam no próprio local e assim vai. Poucos conseguirão se livrar mas será muito mais por vontade própria mesmo, e serão largamente explorados elas ONGs e políticos como uma vitória total.

      Vem logo meteoro 12 horas atrás

      Caro blogueiro, seria interessante ver quais são as SUAS soluções para o problema. Visto que em nenhum lugar do mundo existe um programa que una eficiência no tratamento e satisfação da população de modo geral. Quem sabe você não é “o cara” que vai resolver essa equação. Mas é muito mais fácil criticar ações e ideias dos outros do que expor as suas e receber criticas por possíveis absurdos…

      Vem logo meteoro 7 horas atrás

      Sr TheRedFox, também gosto de debater com quem tem opinião diferente da minha, mas acho nesse caso nossas opiniões não são tão diferentes assim. Veja, não sou contra iniciativa do prefeito. Acho válido. A minha crítica, ou desabafo, é em relação ao post em si. O blogueiro sempre critica, mas nunca apresenta soluções ou alternativas. E quase sou capaz de apostar um doce que ele tem medo que as ideias dele sejam refutadas com respostas coerentes. Tem gente que apóia porrada em drogado? tem. Mas nesse caso em especifico o que eu pude constatar (através de videos pela net, afinal eu não estava lá) é que a polícia prendeu um traficante. Dai em diante desencadeou a violência. Ou seja, a polícia não foi lá dar porrada em drogado. A polícia usa de violência, é sabido por todos, mas os dependentes também não são inofensivos nem inocentes. Não tenho a solução, até porque ninguém tem. Países desenvolvidos oferecem uma condição de vida melhor aos usuários de drogas através de vários programas que incluem locais para usar as drogas, material para o uso e até mesmo a droga. Melhora a condição de vida do usuário, mas não o tira do vicio. E em nada me agrada saber que o estado sustenta o vicio de alguém, seja lícito ou ílicito. A cracolândia tem dois problemas, envolvendo dois assuntos distintos. O usuário é assunto de saúde pública, e a ação da prefeitura tenta lidar com isso. O traficante presente na cracolândia é assunto de segurança, a e polícia tem que se envolver nisso. A partir dessa premissa existem milhares de caminhos e abordagens, mas não sou a pessoa mais qualificada para sugerir. O que não pode é o linchamento “moral” de uma parte que está tentando fazer seu papel, sem discutir se está agindo corretamente ou erroneamente, isso é um outro assunto. Abraços

      TheRedFox 8 horas atrás

      Sr Meteoro…Respondendo ao seu 2o. comentário (ou a resposta dada ao Aomame): Na realidade, seu posicionamento nem pode ser considerado um argumento, trata-se apenas de um desabafo diante da argumentação do blogueiro, nada contra, afinal você pode muito bem colocar sua insatisfação e pedir soluções para os problemas que ele aponta. Agora, argumentando de verdade e colocando uma possível solução para a crítica do blogueiro (respondendo seu 1o. comentário), digo que a própria iniciativa do atual prefeito é uma tentativa de solucionar o problema. As ideias que você disse serem “criticadas” pelo autor do texto (e entendo que seja a ação truculenta da polícia, embora não explicitada) já estão mais do que provadas que não são efetivas. Se assim fossem, esta área já teria sido revitalizada há tempos, já diz o ditado que fazer a mesma coisa esperando resultados diferentes é, minimamente, insano. E as borrachadas acontecem por lá desde 1995,é tempo de saber que “não, não dá certo”. Agora estão tentando fazer algo diferente para ver se o resultado será diferente, espero sinceramente que dê certo, o que poder ter caído por terra nessa intervenção desastrosa de nossa polícia, talvez toda a iniciativa venha a ser completamente destruída por conta dessa ação desmedida. Só para deixar claro: 1. não tenho a intenção de mudar a opinião de ninguém, muito menos a sua; 2. gosto de debater e que me apresentem contra pontos em cima do meu argumento, eu cresço, eu melhoro meus argumentos e construo uma visão cada vez menos distorcida da realidade. Só espero que você coloque também uma solução para este no qual o blogueiro levantou, seria interessante saber realmente qual solução você daria para o caso.

      Vem logo meteoro 9 horas atrás

      Aomame, que bom, vamos dialogar. Quem desmerece algo é o blogueiro, não eu. Apenas questionei porque ele não apresenta as soluções, ao invés de criticar as soluções apresentadas pelas autoridades atuais. É consenso (acho que é né) que não existem soluções fáceis (existe, a ideia do meteoro, mas você não concorda), então, ao invés de apenas criticar, o blogueiro deveria indicar alternativas. Coisa que eu NUNCA vi ele fazer em mais de 1 ano e meio acompanhando o blog (embora tivesse preguiça de comentar). Quanto a percepção da realidade, realmente, cada um tem uma percepção. Se é meu erro achar que os outros estão errados, não é agradável ouvir esses outros dizendo que a minha concepção está errada, como o blogueiro diz. Enfim, um erro não justifica o outro, mas é um argumento. Abraços

      Fred Jose 12 horas atrás

      Coxeco é o mascote dos coxinhas? Quanta criatividade rs. Permita-me nomear o da da esquerda caviar: O Carlinhos Caviar. O Carlinhos Caviar tem um elevado padrão de vida, é “engajadinho” nas causas sociais, afinal de contas, ser “engajadinho” é nobre, bonito e a mulherada acha legal. O Carlinho é contra esteriótipos, mas ele adora falar que a classe média é burra, conservadora e o que tem de pior na sociedade. O Carlinhos Caviar acha que as comunidades pobres têm um charme especial, mas mora na Hadock Lobo. Ele defende ensino público de qualidade e as ideias de Antonio Gramsc, mas paga R$ 2.000,00 de mensalidade na PUC. Você, Sakamotinho – não pude resistir ao trocadilho da tirinha clássica -, argumenta que a solução para o Crack não é porrada, mas sim emprego e moradia para os usuários, correto? Qual esforço você faz para que um usuário tenha um lar? Você alguma vez ajudou algum a pagar o aluguel de um viciado? Ou mais fácil, alguma vez você deu emprego a um viciado? Nem que seja um trabalho informal e simples, como pintar a sua garagem na manhã de um sábado? Nem porrada, nem empreguinho que irá ser abandonado em pouco tempo: O crack é um problema de saúde pública, conscientização e obviamente, cadeia para quem comercializa este mal

      Aomame 10 horas atrás

      ah sim, você mesmo falou: “O crack é um problema de saúde pública” – ou seja, não é problema de polícia! “Cadeia para quem comercializa este mal” pq o mundo está bem separadinho em caixinhas, por que a situação do traficante, do jovem, dos dependentes de diversas drogas, nada disso está relacionado. Depois vem falar sobre preconceito? Repito, o problema é o ódio, a violência e o desrespeito com que olham os outros. É disso mesmo que o mundo precisa? Soluções simples, rápidas e fáceis. Vamos cortar o mal pela raiz, sem dó, sem piedade. Nem que tenhamos que levar a árvore toda junto. O importante é fazer alguma coisa. Esse discurso do “Não te conheço, mas tenho certeza que você não faz nada, então não merece ter opinião.” não cola. Democracia se faz com respeito à opinião alheia. Demonstro meu respeito à sua opinião ao dar valor à ela e respondendo. Que tal parar de desmerecer a opinião alheia e começar a prestar atenção no diálogo?

      Fernando Nunez 10 horas atrás

      Belo texto, Almeidinha… rs

      Aomame 11 horas atrás

      Quanto ódio… é disso mesmo que o mundo precisa…

      Antenor Boas-Vindas 11 horas atrás

      E o caviarzinho apóia a transmutação de suicídios em brutais assassinatos homofóbicos.

      Victor Hugo A. Barbosa 11 horas atrás

      A julgar pelo nível dos comentários, você pisou no calo dos coxinhas… de novo, Sakamoto. Continue assim!

      Felipe Peters Berchielli 7 horas atrás

      “Chamar alguém de “coxinha” não é preconceito?” Só se chamar alguém de esquerdopata,direitista,facista,idiota,bobo e afins também for. Voce pode não gostar de ser chamado de coxinha e o uso do “ad hominem” embora divertido não seja de fato o melhor tipo de argumentação mas preconceito é outra coisa,é o mesmo que chamar alguém de nazista e este se defender clamando que está sendo preconceituoso com nazistas.

      Liguria 9 horas atrás

      Chamar alguém de “coxinha” não é preconceito?

      Vem logo meteoro 10 horas atrás

      Continuar sendo assim como? Afirmando que quem não pensa como ele está errado? Ou fazendo acusações que são desmentidas e não se retratar? Ou talvez você se refira ao fato do blogueiro criticar a classe média, a família e a igreja e trabalhar na PUC. Ahh, você quer que ele continue sendo incoerente, dizendo que quem ostenta deveria ser preso. Mas quando um estrangeiro esta “ostentando” seu smartphone e é assaltado enquanto estava falando ao celular no metrô, o problema é os seguranças que não quiseram fazer um B.O. Realmente, continue sendo assim…

      dnsplmrr 11 horas atrás

      Primeiro, gostaria de deixar claro que sou a favor da legalização TOTAL das drogas. Essa é uma batalha perdida e acho que temos que achar novas maneiras de combater esse mal. Mas, enquanto a venda e consumo não forem liberados através de uma lei, o papel da polícia, é de repressão ao tráfico. Pelo que eu entendi a confusão se deu depois que policiais a paisana prenderam um traficante. Dependentes e os outros traficantes não gostaram e atacaram os policiais (3 ficaram feridos). Foi chamado reforço e deu no que deu. Quer dizer que a polícia está agora proibida de combater o tráfico na cracolândia? A venda e consumo de drogas foram liberados sem que eu saiba? A demonização asquerosa da polícia, feita no calor do momento, sem a investigação séria dos fatos, leva o pessoal da esquerda a cometer as piores injustiças (lembra do Caique?). E é claro que retratação nem pensar. Porrada em traficante não pode, mas em policiais pode. Essa violência, a esquerda sempre aplaude.

      Pelego esquerdopata 10 horas atrás

      Convido o nobre blogueiro a se mudar para o bairro e conviver com aquele show de horror, como fazem muitas pessoas que são impedidas de sair de casa, dos prédios e andar pelo bairro onde moram. Proteger drogado e desocupado considerando estes coitadinhos pode; morador que paga imposto, é assaltado, não pode sair de casa é o que? elite branca? Baita hipócrita você!

      SasciFufu 9 horas atrás

      Ao invés da frase: “ta com pena leve pra casa” apoio a nova: Tá com pena vá morar lá!

      Coxinha de Sushi 10 horas atrás

      Deve ser a mesma sensação que o blogueiro tem quando vê arrastão de “excluídos” contra a zelite; O mesmo quando lê notícias de assalto à mão armada na USP, e ele querendo tirar muros… A sensação de chamar suicídio de homofobia… De dar boneca pra meninos e considerar órgão genital um simples detalhe na formação sexual de pessoas…

      Aomame 7 horas atrás

      Antonio M, já parou para pensar que vocês interpretaram mal aquele texto? Não se trata de querer adivinhar a causa da morte do jovem. Trata-se de uma leitura mais ampla sobre o papel do Estado na propagação ou contenção da violência, no respeito ou não dos direitos humanos. O cara não é o Datena, nem o Nostra Damus.

      Antonio M 8 horas atrás

      Se há diversionismo é por causa do relativismo do signatário e militantes….Por exemplo, no caso do assunto foi a morte do jovem homossexual não foi mudado o foco e nem assim o signatário teve uma reação mais digna, pois está à espera de alguma virada no caso como desculpa.

      Aomame 8 horas atrás

      RD-39, obrigada, tentarei não cair na armadilha 😉

      renato1234 10 horas atrás

      Sakamoto, a reação dos coxinhas nesta seção de comentários só comprova o quanto vc está certo. Parabéns pelo blog!

      Antonio M 9 horas atrás

      O signatário rasga o próprio código ética, desinforma e ainda está certo………É assim que funciona o jogo ideológico mesmo …

      E eis que vejo agora um sakamotete reclamando de que supostamente estaria havendo troca de ofensa, sendo que quem começou a chamar os outros de “coxinha” e fazer animação vergonha alheia, bem como culpar São Paulo pelos males do Brasil, não foi quem refuta o blogueiro em questão. Segue com réplicas:

      Aomame 10 horas atrás

      Respondendo aos comentários carregados de ódio contra o blogueiro e pessoas com opiniões diferentes, percebo o sucesso deste blog, e aos poucos começo a entender a dinâmica dos comentários. O Sakamoto está de parabéns por conseguir fazer com que as pessoas leiam e até tentem entender sua opinião, tão diferente da delas. Num mundo em que a internet vem sendo desenhada para que sejamos cercados por pessoas similares, opiniões congruentes e interesses parecidos, ver esse pessoal aqui, tentando dialogar, é uma grande vitória. Quem sabe este espaço promova, um dia, discussões sem essa troca de ofensas generalizada… ainda estou aprendendo as regras do jogo, adimito que cometi meus erros, mas é um prazer dialogar com todos aqui.

      Felipe Martins 2 horas atrás

      Estou sendo censurado Aomame…

      WelingtonGaethoEscola 4 horas atrás

      Car@ Aoname, eu deixei um comentário, acima, para você. Abraços!

      Aomame 7 horas atrás

      caramba, Antonio M, seu comentário foi muito confuso. Você é quem se confundiu, ou você é quem está tentando desviar o assunto, distorcer o diálogo? Eu estou tentando dialogar… se alguém aqui está se usando de estratégias no discurso, esse alguém não sou eu.

      E continua a saraivada:

      SasciFufu 9 horas atrás

      Tá com pena? Vá morar lá perto! Vá passear com o Imac Pro lá…

      Galo Candango 9 horas atrás

      É bem legal ver a lógica doutrinária deste blog, já que ela é exatamente a mesma lógica dos fanáticos religiosos: o catequizador lança a tese e, a partir daí, qualquer um que discorde da tese lançada será um herege que comprovará sua heregia com o simples fato de discordar. Ou seja, não há saída. Ou concorde com o que defende o doutrinador, ou queime na fogueira dos incréus mau-intencionados. Caramba, essa tática já faliu há alguns séculos, mas ainda há quem a use e encontre seguidores. E como descobrir quem caiu no conto? É simples, basta procurar por comentários que digam que o blogueiro está certo porque há quem discorde deles, e, obviamente, quem discorda são os tais “coxinhas” e que digam que o blogueiro está certo porque há quem concorde com eles, e quem concorda são os tais da minoria progressista iluminada que consegue enxergar a verdade onde a maioria só vê caos. Continuarei a ser coxinha, quando isso significar me posicionar contra as drogas e a favor da repressão contra drogados. Mas que a turma da extrema direita não se iluda, pois odeio a exploração dos capitalistas sonegadores de impostos e direitos trabalhistas e que praticam-na (a sonegação de impostos e direitos trabalhistas) sob o eufemismo da “eficiência empresarial”.

      Galo Candango 8 horas atrás

      Concordo, Antonio M. Cuba é uma coisa inexplicável, um fato lamentável e sem desculpa. Coreia do Norte, idem. Assim como sem desculpa são as autoridades que permitem que grandes conglomerados soneguem livremente, em especial uma certa rede de tv, aquela rede, e empresas “privatizadas” (na verdade, privatariadas).

      Antonio M 8 horas atrás

      correção – Heloisa Helena

      Antonio M 9 horas atrás

      Exploração, sonegação é para qualquer lado dos extremos, não exclusividade da direita. Em Cuba, Coréia do Norte há sonegações equivalente. O fundamentalismo, extremismo é a obediência aos dogmas cegamente e a aplicação e defesa deles pela força é uso de fanáticos. E por favor, esquerdopatas de plantão, não é a mesma coisa que ação/reação de forçaa políciais como vistas no episódio da cracolândia. Logo no começo do governo LuLLa, José Dirceu como chefe da casa civil usou a tropa de choque da PF para expulsar sem-tetos e Luisa Helena ainda senadora pelo PT de uma repartição pública, e nunca li uma linha de indignaão de vocês.

      Rorschach1974 7 horas atrás

      “O santo bate carteira com a maior facilidade: está, para si próprio, acima de qualquer suspeita.” – Millôr Fernandes.

      dougenglish 7 horas atrás

      acho super interessante o Sakamoto, tem posições que eu concordo e outras nem tanto, assim como tem que ser mesmo …..agora uma coisa é verdade, vai ser difícil algum tipo de contrato social nesse País pq as pessoas são por demais intolerantes com as que não concordam com suas opiniões…..e isso vale tanto para os “progressistas” quanto para os “coxinhas”,,,,,,,

      13582196 6 horas atrás

      o termo é “Caviarzinhos” X “Coxinhas”, e realmente tá difícil..

      Ricardo Piazera 5 horas atrás

      Sakamoto, e o homossexual que cometeu homicídio nele mesmo, já tens novas informações?

      LayonM 4 horas atrás

      E o Kaique? Ele não foi brutalmente assassinado pelo viaduto homofóbico. Você precisa falar desse viaduto para puní-lo.

      WelingtonGaethoEscola 4 horas atrás

      Caro (ou seria Cara?) Aoname, tudo bem! Para além das muitas contradições do sr. Sakamoto, nós podemos encontrar, também, alguns méritos. E, dentre eles, destaco o caráter DEMOCRÁTICO do seu Blog. Aqui, você escreve o que bem entender. Nunca tive um comentário sequer censurado neste Blog. E “olha” que já discordei do blogueiro, até com certa veemência, ironias não contam (risos), e todas as mensagens foram publicadas. Essa LIBERDADE, na internet, é uma raridade, ou seja, o que prevalece, de modo geral, é a censura mais descarada. Para se extrair algo de produtivo, do espaço destinado a comentários, há que se fazer uma triagem , isto é, “deletar” ofensas pessoais (ad hominem), trollagens e coisas do tipo. (Creio que essas pessoas empregariam melhor o seu tempo assistindo a mais uma “lavagem cerebral” da Rede Globo, chamada: “Amor à Vida”). Contudo, como pode alguém escrever um post contra frases preconceituosas, e logo depois “dizer” com alegria que criou um personagem estereotipado que chama de: Coxeco? Quem seriam os “coxinhas”? Ora, são todos aqueles que pensam diferente de um certo segmento da “esquerda brasileira”. Basta o sujeito ser contra as Cotas Raciais para ser alcunhado de “coxinha”. Mesmo se ele explicar: “Eu acredito que devemos investir mais no ensino público de qualidade para superarmos as desigualdades raciais no Brasil”. Eu, particularmente, sou favorável às cotas raciais como ingresso na Universidade Pública, mas seria descabido acusar alguém de racista por não concordar comigo. Por isso, não me surpreende em que se transformaram os regimes comunistas mundo afora… E aí entra o papel fundamental da internet, e de seus blogs, que ajudaram a descontruir o mito do socialismo como sendo a panaceia para todos os males do capitalismo. O capitalismo é um sistema econômico cheio de vícios? Sim, eu não tenho nenhuma dúvida disso, mas entre à minha LIBERDADE e o “mundo melhor” deles… Eu prefiro a LIBERDADE DE TODOS NÓS. Sem mais, abraços!!

      Aomame 13 minutos atrás

      Felipe Martins, você reparou se não foi o caso de tempo de acesso expirado? Aconteceu comigo uma vez ou outra… tive que logar de novo.

      Aomame 3 horas atrás

      Caro WellingtonGaethoEscola, belo comentário. Tem razão quanto a colocar as ofensas pessoais no nível da trollagem, mandou bem. Quanto à parte do mascote, concordo que preconceitos e generalizações andam lado a lado, apesar de não serem a mesma coisa. Generalizações incomodam, e no caso do coxeco, foi feito para incomodar um determinado grupo, e o interessante está no fato de ver que tem gente incomodada com um boneco de mal gosto com forma de coxinha. Não seria essa a grande piada? Não acho que uma pessoa que é contra as cotas raciais seja um “coxinha”, e racismo então é uma acusação ainda mais grave. Acontece que gosto de pensar da seguinte maneira: o racismo – assim como o machismo, o patriarcado, a transfobia e a homofobia – infelizmente é um legado cultural. Acredito que devemos partir do pressuposto de que fomos criados em mundo assim, de que e é um dado cultural que nos é passado disfarçadamente, acabamos impregnados sem percebermos. E a luta a favor do respeito pelas diferenças tem que ser ativa. Ou seja, não faz sentido apontar o dedo na cara de uma pessoa e chamá-la de coxinha ou de racista por causa de uma discussão sobre cotas! ( chamar de comunista então, nem se fala, totalmente anacrônico). E por isso, criticar o preconceito contra grupos que sofrem discriminação é diferente de questionar uma generalização contra aqueles que discordam da opinião do blogueiro. De novo, não gosto do mascote, mas ele não deslegitima a luta contra o preconceito, que é muito maior e mais importante que esse espaço em que estamos discutindo.

      Felipe Martins 3 horas atrás

      Ele acabou de censurar o meu, sequer imagino se essa resposta será liberada.

      Rapa 4 horas atrás

      Falacioso Sakamoto, quem te lê aqui, acha que a polícia agrediu alguns dependentes químicos pobrezinhos, inocentes a troco de nada, você não fala, em momento algum, que a prisão de um traficante desencadeou a reação dos consumidores de drogas pra cima da polícia, que ao contrário de você, não foi treinada para colocar no colo um-por-um e explicar que aquilo era feio etc… da próxima vez sugiro que você vá a frente e dialogue com os traficantes e os viciados, sempre chamado eufemisticamente por você como “dependentes químicos”….

      Felipe Martins 3 horas atrás

      Por essa eu não esperava… Não sei quem lida com a moderação dos comentários, mas o que aconteceu comigo, ou seja a censura do meu comentário, me leva a crer que o Blog em questão apenas aceita os comentários mais ofensivos (pra dar uma de “progressista”) ou os comentários elogiosos. Desta forma, aparenta que aqueles que discordam do artigo são apenas “coxinhas”, reacionários e prontos a baixar o nível. Fiz uma critica construtiva e fui censurado. Uma pena. Empenharei-me em demonstrar a falácia que é este Blog.

      Antonio M 2 horas atrás

      E ainda vem cometarista falar em erro na interpretação de texto em relação à morte do jovem !!! Só pode ser piada! !! Vamos a uma parte do tal texto: “…E a Secretaria de Segurança Pública não vai comentar a tortura porque o laudo da morte seria sigiloso e haveria uma investigação em andamento. Gente… Sério? Registrar como suicídio? O Estado não aprendeu que não se “suicida” alguém diante de elementos que apontam o contrário? …” Onde cabe interpretação se o texto é uma afirmação ?! Uma mistura de alhos com bugalhos que simplesmente afirma um fato concreto. Foi a mesma coisa com a fatalidade do Itaquerão. E tem gente com pretensão de querer ensinar os outros a ler? Se gosta do Signatário tudo bem, o amor é cego afinal, até o maníaco do parque tem admiradoras mas, também chega a ser mórbido a torcida pelo o que aconteceu ao rapaz seja pela versão que acredita o signatário e seus defensores que inclusive tem uma visão muito “particular” do que seja humano, democracia, tolerância. O signatário acredita que nada mudou em relação a morte? Oras, pergunte então porquê dona Maria do Rosário não volta com toda sua veemência e resolve o caso, aliás, veemência nem um pouco vista quanto ao assassinato da menina no MA.

      Como podem observar, ele acabou abrindo mais uma brecha após homicidar homofobicamente o rapaz suicida, brecha essa que pode também ser usada quando se descobrir o que ocorreu de fato na Cracolândia;

      2) Agora ele diz não ser petista, mas sim de esquerda. Bom, nunca esqueçamos que uma das marcas dos movimentos revolucionários é a capacidade de transmutar-se. Logo, alguém que hoje é petista poderá dizer-se pessolista, bem como um comunista clássico pode dizer que virou progressista (gramscista) ou eurasianista. Logo, em se denunciando essa natureza mutante da coisa, já se reduz muito a possibilidade de um MHN tentar se transmutar.

    • No dia do aniversário de São Paulo, o blogueiro em questão vem divulgar que “bandido bom é bandido morto” foi a opção líder de votação naquilo que ele enquadrou como preconceito típico de paulistano (esse natural de cidade que os marxistas-humanistas-neoateístas tanto odeiam). E, como já disse antes, o suicídio transformado em assassinato por motivação homofóbica virou o “Amarildo” de quem combate o marxismo-humanismo-neoateísmo, como poderão ver pelo comentário abaixo:

      Rorschach1974 33 minutos atrás

      Aproveita e comenta o caso do suicídio do homossexual negro, também…

      • E eis que descubro via Felipe Moura Brasil que o Sakamoto realmente não vai responder nada a respeito do suicídio de Kaique, como se pode ver na postagem que gerou a imagem:

        Bia La Greca publicou em Leonardo Sakamoto
        21 de janeiro às 20:54 próximo a Rio de Janeiro ·

        O Kaique se matou. Rasgue seu diploma!

        Como verá no link em questão, as postagens estão bagunçadas e fica difícil as vermos pela ordem cronológica de maneira direta, sendo que temos caçá-las. A autora da postagem não notou que deixou muito penduricalho e raiva no texto, raiva essa que seria operacionalizada pelo blogueiro, como se vê pela resposta abaixo:

        Leonardo Sakamoto

        Ahã, claro. E me dê um abraço!
        22 de janeiro às 00:52

        Ela deveria ter perguntado quando é que ela iria se desculpar em relação a dizer que Kaique teria sido assassinado sem ver os laudos. Porém, a resposta original dela falando de rasgar o diploma gerou este comentário que é o estopim:

        Mikael Aragão

        Eles lamentam não poderem lamentar que a morte do rapaz fora decorrente de homofobia. Agora porão o rabo entre as pernas, momentaneamente. Jajá surge um novo fato e a algazarra recomeça.

        22 de janeiro às 01:44

        Que foi respondido de maneira patética pelo blogueiro:

        Leonardo Sakamoto

        Isso, Mikael. Isso mesmo…

        22 de janeiro às 02:15

        E recebeu as tréplicas abaixo:

        Bia La Greca

        Isso , isso…e toma processo como o Ghiradelli he he he

        22 de janeiro às 14:05

        Jordane Gomes

        E aí? Não vai pedir desculpas por ter se precipitado de maneira irresponsável no caso Kaíque não?

        22 de janeiro às 15:35

        Jordane Gomes

        Mikael Aragão, quem está visivelmente lamentando é o Leonardo Sakamoto…

        22 de janeiro às 15:37

        Jordane Gomes

        Sakamoto está caladinho, caladinho…

        22 de janeiro às 15:38

        Bia La Greca

        Pobre Golfinho…cunho racista , segundo o Leonardo Sakamoto Pelo Sakamoto, os racistas mataram esse pobre Golfinho também ….http://www.dailymail.co.uk/…/Mother-prized-albino…
        Home | Mail Online
        http://www.dailymail.co.uk
        MailOnline – all the latest news, sport, showbiz, science and health stories from around the world from the Daily Mail and Mail on Sunday newspapers

        22 de janeiro às 16:32

        A confusão na ordenação dos comentários, pelo visto, já estava desde a hora em que as primeiras réplicas surgiram, pois podemos ver por este comentário que passo abaixo, ainda que ele tenha algo aproveitável para que conheçamos a dinâmica marxista-humanista-neoateísta:

        Luiz Arthur Carvalho

        Quando eles não tem o que falar… não falam nada!

        “Isso, Mikael. Isso mesmo…”

        “Ahã, claro. E me dê um abraço!”

        HAhahahahaha que cara babaca!

        22 de janeiro às 03:41

        Como poderá ver no link, a ordem das postagens está muito bagunçada e por isso, seguem duas autorréplicas da autora do comentário original, que acabou parando lá no pé da página:

        Bia La Greca

        O JK e o Getúlio foram mortos também?Tomara que tirem sua pseudo voz.Você tá criando uma geração de raivosos.Crie algo positivo no mundo:vá construir escolas,dar aula…tomara que a família do garoto te bote um processo.

        22 de janeiro às 08:59

        Bia La Greca

        Fala mal da Globo e escreve onde? Na Globo. Novo caso ‘ Escola Base’ promulgado pelo Sakamoto. Parabéns. Tá honrando o seu diploma!

        22 de janeiro às 09:19

        E após essas intervenções, vamos a mais um pingo daquela chuva que vimos no blog dele repete-se no Face com outros comentários à postagem original:

        Marina Leite Do Canto

        É assim msm, quem não tem competência, vai pela maledicência. Seja Homem, se retrate! Ou se pendure nos militantes cabrestos e se sinta o herói de ninguém.

        22 de janeiro às 09:24

        Sendo seguido por mais uma autorréplica da autora do comentário original:

        Bia La Greca

        Pelo Sakamoto, os racistas mataram esse pobre Golfinho também ….http://www.dailymail.co.uk/…/Mother-prized-albino…
        Did mother of prized albino dolphin commit suicide?
        http://www.dailymail.co.uk
        Anti-whaling group Sea Shepherd said the distressed dolphin went under and failed to resurface with the rest of the pod after its calf was taken.

        22 de janeiro às 09:33

        Outro comentário emperiquitado que acabou gerando os penduricalhos de que precisava o blogueiro para continuar não respondendo nada:

        Felipe Bresciani Abutres gayzistas esperando o próximo cadáver a ser consumido…. E a família do rapaz, agora um “mero suicida”, que se foda….

        22 de janeiro às 09:01

        Segue a resposta:

        Leonardo Sakamoto

        Abutres gayzistas? Virgem nossa senhora…
        22 de janeiro às 15:14

        Caso o cara tivesse falado algo como “esquerdistas”, encurralaria o blogueiro, pois o mesmo não poderia se aferrar a esse único termo, pois é o termo que ele é, mais ou menos dentro daquele lance de um comunista não se incomodar de assim o ser chamado. Porém, ele se deixou consumir pela raiva e soltou o tal “abutres gayzistas” a que o Sakamoto se aferrou. E mais comentários dando a certeza de que ele sequer irá se desculpar mesmo:

        Jonathan Bento

        Não adianta Bia, o ego dele é muito forte, falta humildade para esse homem.

        22 de janeiro às 14:01

        E mais uma autorréplica da Bia em questão:

        Bia La Greca

        Ele é o novo Ghiradelli he he he

        22 de janeiro às 14:02

        Finalizando a avalanche, temos este aqui:

        Jordane Gomes

        E aí? Não vai pedir desculpas por ter se precipitado de maneira irresponsável no caso Kaíque não?
        22 de janeiro às 15:35

        Que recebeu esta autorréplica da Bia mostrando que não pega muito bem ficar falando de democracia quando se faz isso (em que pese a abordagem dela falando de rasgar o diploma dar alguma chance de que se possa alegar de que se estaria falando como um “troll”:

        Bia La Greca

        Claro que não vai…ele até me bloqueou! Hahahahaha

        22 de janeiro às 15:35

        O blogueiro usou de tal mecânica de responder a isso não respondendo também aqui e aqui. E isso, como pode ver, pode tranquilamente ser exposto para a plateia, em que pese estar bem evidente que o Sakamoto pode estar naquela situação que você descreveu daquele que já teve seus postulados tão desmontados e refutados que não tem mais nada a perder e continua repetindo as mesmas coisas que outrora foram desmontadas e refutadas já sabendo que o foram.

      • Luciano, a bola está na área e pingando. Se quiser fazer gol de bate-pronto e comparar a postura do Sakamoto quando lhe pedem para se desculpar em relação ao caso Kaique, seja na base do silêncio ou das respostas patéticas no Facebook, com o que ele disse a respeito do beijo entre Félix (Mateus Solano) e Niko (Tiago Fragoso) no último capítulo de Amor à Vida, a hora é agora e o momento é este. Acabou ficando muito patente que aos gramscistas o homossexual só existe se puder ser usado para avanço da agenda, sendo instantaneamente desprezado quando se descobre que ele não serve para tal propósito (vide o silêncio no blog combinado com respostas patéticas no site do Mark Zuckerberg quando se constatou que Kaique de fato se suicidou e até a família do rapaz concordou com isso).

      • Luciano, eis que vejo no Face dele a mais recente mostra de qual é a de Sakamoto quando confrontado com uma “barriga” que ele solta, no caso a do suicídio do jovem Kaique transformado em assassinato de motivação homofóbica. Vamos ao começo da história:

        Diogo Kalil

        E ai Sakamoto, ainda tô esperando suas atualizações sobre o caso do Kaique, cadê suas provas de crime de homofobia ??

        Ontem às 15:47

        Resposta do blogueiro:

        Leonardo Sakamoto

        Não foi suicídio, meu amor. E as provas apresentadas pela polícia não conseguiram comprovar isso por enquanto. Continuo acreditando em minhas fontes. Um beijo.

        Ontem às 19:18

        Tréplica de Diogo, que indagou sobre onde estão as provas de que não foi suicídio:

        Diogo Kalil

        e cadê as provas de homicidio ?? Acreditar, basta ter fé! Você é realmente um grande jornalista, só que ao contrário.

        Ontem às 19:24

        Estando cada vez mais provável que o dono do blog não tenha nenhuma prova que corrobore sua tese, ele se sai com esta:

        Leonardo Sakamoto

        Hehehe. Tão bobinho

        Ontem às 19:29

        Entre uma e outra resposta, surge este comentário:

        Aurelio Laborda Neto

        jornalistas ou ficcionistas mal ajambrado???

        Ontem às 19:29

        Ao ficar na base do “que bobinho”, que me faz crer que o Diogo em questão não notou que fazer-se de joão-sem-braço é o procedimento padrão quando o blogueiro tem de se deparar com os fatos não correspondendo à teoria que queria fazer colar, surgem as duas tréplicas abaixo:

        Diogo Kalil

        Sakamoto, sua forma de responder é tão infantil quanto a de uma criança de 5 anos, fala de fontes mas não apresenta 1 prova, se comporta apenas como um garoto mimado que não consegue admitir um erro.

        Ontem às 19:32

        Diogo Kalil

        E tenta chamar o outro de bobinho, meu amor, achando que com isso diminuirá o adversário no debate, faltam-lhe argumentos, por isso não consegue debater.

        Ontem às 19:34

        Isso gera mais um comentário do blogueiro, que acaba sendo revelador em relação à forma como ele faz jornalismo e tem de se deparar com um “erramos”:

        Leonardo Sakamoto

        Ô, amor. Não fica bravo. Vou te contar uma segredo: eu não estou levando essa conversa a sério

        Ontem às 20:02

        Sim, exatamente isso que você leu: ele não está levando a sério a conversa e podemos suspeitar que não estivesse levando a sério a história do Kaique, desde que desse para encaixar a razão padronizada de “homofobia” e “assassinato” na morte de um homossexual. Como não deu, ele fica agora de risadinha. O Diogo em questão, que ainda não notou que a ironiazinha e o aparente comportamento chamado de infantilizado é uma estratégia de desestabilização do oponente, ficou ainda mais furioso e soltou umas que basicamente entrarão por um olho e sairão pelo outro, uma vez que escritas:

        Diogo Kalil

        Não é não levar a sério, é não ser profissional mesmo, e eu não estou bravo, ainda que seja esse o seu objetivo com amores, beijos, etc…

        Acho que a única coisa clara aqui é a sua infantilidade e falta de profissionalismo como jornalista.

        Ontem às 20:04

        Diogo Kalil

        Mas isso não é bem uma novidade pra ninguém que não sofra de cegueira ideológica.

        Ontem às 20:05

        E isso porque o cara poderia ter usado o Sakamoto contra o próprio Sakamoto, pois o mesmo já fez postagens pedindo que as pessoas verificassem a veracidade das fontes e, se não pudessem fazer isso, que só mandassem memes de gatinhos.
        Pouco abaixo, também surgiu outro comentário a respeito da atitude do jornalista em relação a reconhecer que errou no caso Kaique:

        Peter Hawkins

        “Continuo acreditando nas minhas fontes”
        KkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkPATÉTICOkkkkkkkkkk

        há 18 horas

        Que teve tréplica do Diogo de outrora:

        Diogo Kalil

        É tudo uma questão de FÉ. Se o garoto voltasse do além pra falar pra ele que foi suicídio ele faria como li em algum comentário “ele não se suicidou, foi a sociedade preconceituosa que o matou.”

        há 12 horas

        E uma última outra réplica de outro cara:

        Aurelio Laborda Neto

        Lamentável, e se fosse o contrário…

        Ontem às 20:05

        Para o blogueiro que não pediu desculpas à polícia ainda, o problema está sendo o acúmulo de desmentidos em relação ao que ele diz. Depois do Kaique já tivemos outras provas mostrando que ele estava errado e apenas o que vimos foi silêncio no próprio blog, tentativa de soterrar o assunto jogando uma série de postagens em um mesmo dia e, no Face, o tal comportamento que venho lhe mostrando e que o Felipe Moura Brasil também já mostrou. Tudo isso, obviamente, conta muito contra ele e estranharemos o porquê de o mesmo continuar fazendo o que faz. Estou crendo que ele está naquela situação que você disse sobre alguém que nada mais tem a perder e que é por isso que continua a fazer isso que faz. Obviamente que pelo padrão das frases você também pode deduzir que ele tem um grau de beneficiariedade mais alto que aquele que supúnhamos e que pode ser uma situação em que o ser funcional é ao mesmo tempo ser beneficiário, sendo suposto que continue agindo assim para seguir no beneficiarismo.

  4. Esse cara de pau que por acaso – por acaso mesmo – é deputado, é um inútil. Nunca fez nada de concreto por aqueles que diz representar. Mais: é um OPORTUNISTA descarado, mais preocupado com o barulho da notícia que com o bem estar dos familiares do rapaz. Espero que ele leve uma surra… nas urnas, claro.

  5. Aqui em São Vicente mataram friamente um comerciante tradicional da cidade, com 71 anos de idade. Mês passado dois vermes “di menor” mataram um médico para lhe roubarem o carro, com um tiro dado por uma arma de uso restrito – e nenhum destes dois pulhas vieram a público manifestar solidariedade ou o raio que seja.

    • Como vc falou bem dois pulhas, a ministra dos direitos humanos quer se promover, vai sair candidata a senadora pelo RGS e o Jean, esperar o que de um BBB????só Jesus p/ nos salvar dessa raça ruim!!!

  6. Mais de 50 mil homicídios no brasil e o governo dar atenção especial a um caso como esse é exatamente o que o Reinaldo Azevedo já definiu: Quando os mortos têm pedigree, a militância cai em cima, faz “manifestação”, quebra, pixa, mata…
    Já quando a pessoa não tem pedigree…que reste esquecida.
    E esse pedigree, definido pelo Reinaldo, é simplesmente você pertencer a uma classe militante, invariavelmente de esquerda. É esse o tipo de governo do PT: Protege os amigos, ignora os indiferentes e pune os adversários (inimigos).

  7. Pulei a parte desse boiola travestido de deputado, nem vale a pena ler… Esse sujeito tá DESMORALIZANDO e ENVERGONHANDO a própria “classe social” (e de simpatizantes) da qual faz parte e se propôs a defender e proteger. Pulha!

    A que ponto a coisa chega. Isso já não é mais tática, é DESESPERO, Luciano. A casa tá caindo pra eles! E eles sabem disso.

    “Não concordo com Reinaldo quando ele acusa Maria do Rosário de “irresponsável”. A meu ver ela é responsável até demais, só que com as causas erradas.”

    Acho que aqui ele quis dizer “irresponsável” no sentido ‘revolucionário-gramsciano’ do termo, não no sentido normativo [e prático], pra usar somente como recurso de texto pra definir um ato APARENTEMENTE negligente e fora das normas da ética democrática que não se espera de quem assume um cargo público, confere!?
    Porque logo a seguir no fim do § ele afirma: “Vindo de quem vem, não me surpreende.”… E logo abaixo confirma: “Trata-se de um comportamento asqueroso, oportunista”.

    O caráter meramente “irresponsável” do discurso de Dna. Maria (a Louca) aqui foi pras cucúias, acho eu. E tio Rei me pareceu não ter ignorado isso. ;¬)

    Abs

  8. Luciano, mais um facepalm instantâneo vindo de marxista-humanista-neoateísta. Segundo o que diz Márcia Tiburi, se uma mulher estiver comendo carne, está colaborando com o patriarcado, o machismo e a heteronormatividade. Logo, uma mulher tem de só comer plantas se quiser ser feminista. Depois ficam com raiva de Rush Limbaugh:

    http://www.youtube.com/watch?v=eCjQ3SLh374

    A diferença é que agora querem impor essa doideira no Brasil. Prevejo uma multidão de anêmicas por aí.

  9. Eis a justificativa para a aversão ao Deputado Marco Feliciano: R$ 11.000.000,00 (onze milhões de reais) foram destinados ao movimento dos invertidos, quando o Deputado Chico Alencar, do PSOL do RJ, era presidente da Comissão hoje presidida pelo Pastor. Lembrem-se de que Chico Alencar é professor e se elegeu com os votos das famílias cristãs.

    O vídeo que o desmascara: http://www.youtube.com/watch?v=GeN-fx0DbmI

    Grato pela oportunidade.
    Marcos Braga

  10. Neste imbróglio, é preciso levar em conta algo relacionadas ao movimento gay: homossexuais não se matam e o único problema possível em suas vidas SEMPRE decorre da homofobia.

    Eu sei que esta tecla já foi batida mas eu vou adicionar algo que aprendi em alguns “debates” com militantes dos movimentos GLBT. A crença de que TODOS os problemas, sejam sociais, sejam econômicos, sejam comportamentais, sejam morais, sejam psicológicos (…) na vida de um homossexual são incidências da homofobia, isto é, do comportamento do outro, é uma regra para estes grupos. Não é possível que um homossexual cometa suicídio, por exemplo, devido a ter cometido um erro grave ou atentado contra outra pessoa e sido tomado pela culpa. Não é possível, ainda, que ele estivesse em conflito com a própria sexualidade, devido a uma rejeição PARTICULAR ao que ele sentia. Nada disso é possível.

    Para os movimentos GLBT (e para todos os movimentos de minoria), homossexuais não são “gente como a gente”. Eles são homossexuais e não homo sapiens sapiens . A forma como eles enxergam e interagem com o mundo é diferente da forma como heterossexuais fazem. Portanto, sentimentos comuns como inveja, ódio, cobiça e tristeza não afetam homossexuais. Eu não sei se isto é uma tentativa de imprimir uma cara de superioridade ao homossexualismo. Eu vejo como uma desumanização total do homossexual para tentar diferenciá-lo radicalmente do suposto inimigo: o hétero. Luta de classes versão sexual, claro.

    Então, um homossexual é sempre feliz (reforçando o estereótipo ultra ofensivo da palavra “gay”) desde que não seja afetado pela homofobia de terceiros. Ele não sofre por outros motivos até porque sentimentos como os que descrevi acima são coisas de seres humanos, não de “homossexuais”. Por isso, é impossível para um militante a ideia do menino ter se matado. É impossível que o diário não acusasse ninguém que o tenha oprimido diretamente a se matar. Ele deveria ser “gay” o tempo todo. “Gay people” não se mata. Seres humanos homossexuais sim.

    • Isso que vc disse, Matheus, é real e mostra tb o quanto movimentos ditos políticos que agem nessa ‘vibe vitimista’ SÃO FRÁGEIS.

      Eles VENDEM uma imagem de ‘força’, ‘destemor’, ‘combate’, pra “honrar” a “causa”… Mas o que colhem PRA SI MESMOS é fraqueza de caráter, a auto-idiotização e o fingimento locupletado.

      O problema é que acabam espalhando esses comportamentos histéricos, psicóticos, eugenistas (supremacistas) pela sociedade, influenciando as novas gerações. E isso tem que parar.

    • Exatamente isso: ideias coletivistas simplesmente eliminam toda e qualquer humanidade da pessoa. Ela é tão somente mais um integrante dum todo e os aspectos de sua personalidade e sentimentos se restringem a apenas uma coisa: ser gay ou hétero, branco ou negro etc. Deve ser por isso que as mortes em regimes comunistas atingiram o nível de milhares, já que reduziram indivíduos a meras peças que podem ser substituídas por outras.

  11. Penso que esta mais que na hora do povo que trabalha p/ sustentar essa camarilha de vagabundos se organizar como país e dar um ponto final aos desmando desse desgoverno, chega de jogar nosso dinheiro no lixo, em CUBA, VENEZUELA, AFRICA, e por aqui, faltando saúde, segurança, educação, temos que tomar uma atitude a nosso favor, FORA PT!!!

  12. Luciano, vêm ganhando popularidade nas redes sociais os textos em português do jornal espanhol el País. E eis que vejo que eles estão sendo bastante multiplicadores de marxismo-humanismo-neoateísmo e tentando obrigar os fatos no Brasil a se encaixar em uma teoria nem que eles queiram assim. Um exemplo é este, em que entrevistam o Laerte e o mesmo vem querer falar de um “fundamentalismo cristão” que nada mais é do que um espantalho criado pelos militantes gays. Observe que o tratam como mulher (sendo que ele é crossdresser) e inclusive usam os artigos no feminino. E, claro, quem for na onda dele vai achar que no Brasil se está assassinando mais do que os 200 a 300 homossexuais por ano e que aqui seria muito pior que o Irã, por exemplo.

Deixe uma resposta