A festa começou para líderes esquerdistas da Argentina e Venezuela. Enfim, o sucesso esquerdista em sua plenitude.

7
42

kirchnermaduro

O The Economist lançou um texto chamado “A festa acabou para Argentina e Venezuela”, mas, em termos de ceticismo político e dinâmica social, podemos avaliar a coisa de forma diametralmente oposta. Antes, veja o texto:

BUENOS AIRES e CARACAS- Em um artigo crítico, a revista britânica “The Economist” afirma, na edição desta semana, que “a festa acabou” para as economias mais frágeis da América Latina — Argentina e Venezuela. Sem fundamentos sólidos, ambos esbanjaram durante o ciclo de valorização das commodities — soja (Argentina) e petróleo (Venezuela) — e, hoje, culpam o setor privado por suas mazelas enquanto enfrentam inflação alta e depreciação cambial com controles administrativos e intervenções, diz a publicação, acrescentando que os dois disputam o título de “alternativo”.

A revista destaca que a inflação na Argentina, na faixa de 28% (índice extra-oficial), é pressionada por políticas monetária e fiscal frouxas e que a taxa de câmbio oficial é sobrevalorizada. E diz que o país deu um passo na direção da normalidade ao liberar parcialmente controles sobre as divisas.

A Venezuela, por sua vez, vive uma época de escassez de dólares e dificuldades para pagar suas contas. “Embora os pagamentos aos credores da dívida, de cerca de US$ 5 bilhões neste ano, não pareçam estar em risco, os atrasos em débitos não-financeiros equivalem a dez vezes esta cifra”, aponta a revista. “Isto inclui mais de US$ 3 bilhões devidos a companhias aéreas internacionais por bilhetes vendidos em bolívares, e aproximadamente US$ 9 bilhões em importações do setor privado que não foram pagas por falta de dólares”, lista a publicação.

“Os efeitos já são aparentes. As empresas aéreas impuseram restrições à venda de passagens; algumas suspenderam completamente. Muitos remédios e peças para reposição de equipamentos médicos estão em falta. Autopeças, inclusive baterias, são crescentemente difíceis de encontrar; jornais estão fechando por falta de papel. A maior companhia privada do país, a Empresas Polar, que processa alimentos básicos, luta para manter a produção”, informa a “Economist”.

A revista frisa que, se o governo mudasse a postura em relação ao capital privado, o setor de petróleo poderia levar dinheiro ao país e dar força à produção, que está estagnada. Sem isso, o desabastecimento já percebido no país deve piorar. Assim, se a Argentina ficar como título de “alternativo”, a Venezuela precisará de uma categoria nova para se enquadrar, ironiza a revista.

O texto contém um típico erro de percepção ao achar que as nações possuem interesses, quando na verdade seres humanos possuem interesses. Erros e acertos devem ser avaliados no quesito de pessoas, não de abstrações como raças, etnias, religiões e nações. Puro erro cognitivo.

É por isso que na análise acima, o The Economist acha que Venezuela e Argentina fracassaram, quando, na verdade, pela ótica dos líderes desses países, são um sucesso absoluto em termos esquerdistas.

Veja só: o estado está ulta-inchado, a mídia está controlada, a economia está em colapso, mas os líderes estão nadando de braçada. Em resumo, o esquerdismo caminhou de vento em popa em ambos os países.

Ali, para os líderes esquerdistas, a festa só começou…

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Aonde estão ???

    Cade ???

    Não vi, em seu texto, análises e referências aos meta capitalistas socialistas fabianos, à Guiorgi Shwarts (Jorge Soros) e ao Foro de São Paulo.

    O Foro de São Paulo é o comando estratégico do movimento revolucionário na América Latina, é o ninho da serpente, e eu não vejo você Sr. Luciano Henrique Ayan tratar seriamente desse assunto.

    Porque você Sr. Luciano Henrique Ayan insiste em concentrar o foco de seus textos, e chamar as atenções sobre eventos menores e estrategicamente irrelevantes ???

    Isso é intencional ??? Ou seria, talvez, uma, como direi?, mera deficiência visionária ???

    Cade ???

    Aonde estão ???

    • Jack,

      Eu já citei tudo isso em meus texto, entretanto, meu maior foco é na guerra política, e no fenômeno comportamental esquerdista. É óbvio que estes grupos nadam de braçada, POR CAUSA do fenômeno comportamental que denuncio aqui.

      Abs,

      LH

      • OK.

        Sendo o seu intuito verdadeiramente didático, e isso é nobre!, sem dúvidas!, lembre-se, então, de associar e referenciar os seus exemplos e ensinamentos às causas realmente perigosas e ocultas nesses tempos de quase CISÃO do nosso estimado Estado de Direito e Democrático.

        Muitos jovens inteligentes entenderão seus ensinamentos, e nisso o Brasil é seu devedor e eu sou seu admirador. Mas lembre-se que outra parcela enorme de jovens necessita urgentemente entender, apesar de não possuir (essa parcela) uma desenvoltura cognitiva favorável ao completo entendimento.

        Eu apenas quis chamar sua atenção para a necessidade de pegar mais pesado com esses patifes. E eu sei que você tem essa capacidade e a necessária habilidade para fazê-lo.

        Forte abraço e BOM COMBATE.

  2. Por que ? Por que será ?

    Existem pesquisas realizadas por homens sérios e honestos (não vinculados a verbas espúrias) demonstrando que as corporações capitalistas (e o meio corporativo em geral) são ambientes ideais ao acolhimento, proliferação e sustentação de psicopatas, pois que os psicopatas são vistos como indivíduos ideais e úteis para venderem a mãe pelo melhor preço, garantindo assim os “bons” negócios das corporações, mesmo que ao custo de assassinarem reputações alheias para promoverem-se sobre as carniças.

    Em todas as multinacionais nas quais trabelhei e para as quais prestei meus serviços, invariavelmente observei a atuação interna de figuras “misteriosas” e “produtivas”, que recebiam títulos supostamente pomposos e sempre fundamentados em anglicismos estúpidos e inúteis (exemplo coach = treinador).

    Eu imaginei no início desse modismo do uso de títulos idiotas que, talvez, se tratasse de alguma nova iniciativa esportiva corporativa. Hehehe! Ledo engano!

    A verdade é que esses “profissionais” “produtivos” de títulos pomposos são meros agentes ativistas (na maioria das vezes inconscientes) dos psicopatas executivos corporativos, cuja função precípua é disseminar uma cultura histérica na corporação, amestrando (sim! o verbo é esse mesmo: “amestrar”) as ovelhinhas recém saídas das facultetas, ooopsss, quero dizer, faculdades, para assumirem o comportamento corporativo politicamente correto de ovelhas amestradas, pois assim seriam facilmente manipuladas (até mesmo contra seus próprios colegas) para os melhores interesses dos psicopatas executivos corporativos.

    Como eu vivenciei, e portanto observei, essas atividades, digamos… “profissionais” e “produtivas”, em minhas atividades profissionais autônomas interagindo nessas corporações (observando as vítimas desses “profissionais” “produtivos”), então, agora, eu fico deveras impressionado quando vejo esses caras “enunciando” ao mundo a sua “magnânima” “sabedoria”. É estupefaciente notar que a maioria deles realmente acredita em seus supostos “dons” e “talentos” de líderes natos. Não imaginam sequer por poucos segundos a possibilidade de serem ou terem sido apenas e tão somente meras FERRAMENTAS CORPORATIVAS usadas para o DELEITE dos PSICOPATAS CORPORATIVOS.

    E assim caminha o nosso Brasil Varonil, cheio e lotado de caciques, mas com carência de índios.

    Livra-me Deus dos meus amigos, que dos meus inimigos me livro eu.

    ———- Powered by Jack Sparrow (Non ducor, duco!).

  3. Apolitica do quanto pior melhor so dura ate a hora em que fica realmente MUITO RUIM! Este momento esta chegando para a Argentina e Veneyuela e, pelo andar da carruagem, deve acontecer no Brasil tambëm, ë so questao de tempo.

  4. Luciano, veja só o trabalho da mídia para minar a imagem do Joaquim Barbosa – Associar a imagem dele a de uma pessoa na qual ele tirou uma simples foto junto:

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/02/03/foto-de-joaquim-barbosa-em-miami-com-empresario-condenado-vira-polemica/

    http://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2014/02/02/foto-polemica-de-joaquim-barbosa-em-miami-vira-alvo-de-mensaleiros/

    http://www.cenariomt.com.br/noticia/340547/joaquim-barbosa-tira-foto-em-miami-com-empresario-foragido.html

    http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-02-03/foto-de-joaquim-barbosa-com-empresario-condenado-gera-polemica.html

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,petistas-atacam-barbosa-por-foto-com-foragido,1126015,0.htm

    A “forçação” deste pessoal além de criminosa é hipócrita; Visto que os líderes que eles amam tanto, tiram fotos ao lado dos piores tipos de seres humanos (cujo os crimes, são infinitamente mais grave do que dever R$ 144 milhões para banqueiros). É interessante notar que estas notícias mostram o viés ideológico de cada meio de comunicação.

    Roubando um termo adotado pelo Romeu Tuma Jr., Joaquim Barbosa esta sendo nova vítima do “Assassinato de Reputação”. Já fica uma previsão de antemão: Daqui pra frente, esse sujeito vai ser o novo Emmanuel Goldstein.

Deixe uma resposta