Pergunta do leitor: Por que não usar o termo “comunista” ao invés de “esquerdista”?

32
363

BLACK BLOC TO TRASH DOWNTOWN TAMPA

Um leitor me fez este seguinte questionamento no Facebook, e já passou da hora de eu respondê-lo. Eis o momento.

A crítica dele se baseava no fato de que eu sempre usei o termo “esquerdista”, para me referir a pessoas esquerdistas, propostas esquerdistas e implementações esquerdistas. Me foi questionado: “Por que não usar o termo ‘comunista’ de uma vez por todas e mostrar o que há por trás das ações do PT no Brasil?”.

Faço isso de propósito. O fato é que os esquerdistas do PT são de fato orientados pelos paradigmas marxistas, e, portanto, tanto adeptos do comunismo (de fato) como do socialismo, o que, no fim das contas, dá no mesmo. Mesmo assim, eu raramente me refiro a eles como “comunistas”. Socialistas, talvez.

É momento de um questionamento oportuno: socialistas não são esquerdistas? Sim, são, mas nem todos esquerdistas são socialistas. Quer dizer, socialistas declarados, evidentemente.

Então para que usar o termo esquerdista ao invés de “comunista” ou “socialista”? Pois bem, vamos retornar ao estudo dos frames. Um frame ativa imagens mentais e sensações na população, e, de acordo com os frames adequados, a percepção do público perante sua mensagem é positiva ou negativa.

Hoje em dia o frame “comunista” está associado a ditaduras com campos de concentração e tanques de guerra na rua. É claro que o comunismo não é apenas isso, e existem formas mais dissimuladas e brandas de comunismo. O que importa é que esse frame “pegou” na mente da patuléia. É assim que o comunismo será reconhecido.

A partir do momento em que alguém de direita denuncia o comunismo dos petistas, o frame será ativado na mente do público, mas não pense que isso funcionará de forma positiva para o direitista. A verdade incômoda é que a esquerda foi mais ágil e ao invés de renegar o frame (lançado contra eles), potencializou-o, para ridicularizar o oponente.

Veja como funciona um debate entre X, de direita, e Y, de esquerda:

  • X: Estou aqui mostrando evidências de que o PT faz parte do Foro de São Paulo, que visa implementar o comunismo na América do Sul.
  • Y: Comunismo? O muro de Berlim já acabou! Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá!
  • X: O comunismo vai muito além do que se viu na Rússia e na Amanha Oriental!
  • Y: Onde será que estão os tanques de guerra na praça? Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá!
  • X: Lamentável esse comportamento…
  • Y: Cuidado que vamos te levar para um gulag! Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá Quá!

Sim, eu sei que o comportamento esquerdista geralmente vai ser desse baixo nível mesmo, mas no fundo ele está beneficiando-se da imagem mental que o rótulo “comunista” causa. Ele faz uso estratégico da sensação presente na opinião pública a respeito do comunismo. Mas quando ele consegue demonstrar que a realidade não é exatamente igual a esta imagem presente no senso comum, então ficará o tempo todo ridicularizando o oponente. Já tratei disso aqui.

Infelizmente, quando isso acontece o direitista começa a gastar a maior parte de seu tempo se explicando, e, de acordo com David Horowitz, “enquanto você está se explicando, você está perdendo”. A partir do momento em que é preciso dar zilhões de explicações para dissipar a névoa de ridículo que o esquerdista terá lançado sobre você, seu potencial de ataque político está severamente reduzido.

É exatamente por esse motivo que eu uso o rótulo genérico: “esquerdista”. Sim, um comunista é um esquerdista, mas um socialista fabiano também o é. Leitores de Hitler, Marx e Mussolini fazem parte todos do mesmo grupo. Uns são comunistas, outros apenas socialistas fabianos, ou fascistas, ou mesmo nazistas. Simplesmente não me importa. Todos são esquerdistas, e é lógico encaixá-los neste grupo maior.

A generalização “esquerdista” é tão útil como aquela que encaixa cristãos, islâmicos e judeus como… religiosos. Eu não preciso entrar em detalhes específicos da crença de alguém para defini-lo ou religioso ou não. Talvez tudo fique mais difícil se eu quiser rotular alguém como calvinista, protestante ou católico. Mas religioso? Eu realmente preciso dar bem menos detalhes para estipular este rótulo.

Como o frame “esquerdista” se abre para imagens tão amplas como o frame “religioso”, ele é menos “atacável” por um oponente do que o frame “comunista”.

Relembremos o método de ataque a partir do exagero de um rótulo lançado por um oponente contra você:

  1. Ressignifique a prática pela qual alguém é acusado (que pode ser qualquer coisa: pedofilia, racismo, etc.), criando versões mais extremadas dessa prática
  2. A partir do aceite, pela opinião pública, de que a prática representa apenas as formas mais extremadas dela, inocente o acusado de qualquer instância da prática, pela satirização da acusação

Enquanto é muito fácil que um esquerdista de perfil comunista execute o método acima contra um oponente que resolva chamá-lo de comunista, não é possível que ele faça o mesmo (ao menos com qualquer tipo de resultado) contra um oponente que chamá-lo de esquerdista.

Vamos testar?

Primeiro vejamos o que ocorre quando alguém chama um esquerdista comunista de… comunista:

  1. Os frames ativados na opinião pública trazem imagens de gulags, tanques na rua e racionamento de alimentos.
  2. Os frames serão potencializados pelo esquerdista.
  3. Em seguida, ele ridicularizará o oponente mostrando que se não há nenhum dos itens mencionados em (1), então, a acusação de “comunismo” é ridícula.
  4. O oponente de direita se torna vítima fácil de ridicularização.

Agora vejamos o que ocorre quando alguém chama um esquerdista… simplesmente de esquerdista:

  1. Os frames ativados na opinião pública trazem imagens de apologia ao crime, hipocrisia de intelectuais desonestos (Rodrigo Constantino, obrigado), inchaço estatal, retirada de liberdade individuais e coisas do tipo. O comunismo de países como Rússia, China e Cambodja é apenas o esquerdismo que alcançou sucesso absoluto, mas não é a única forma de esquerdismo. (Note que esses frames hoje tem sido reforçados pela direita, ao menos na Internet, no que fazem muito bem)
  2. Os frames serão negados pelo esquerdista.
  3. Ele sabe que precisa negar os frames, pois todos os itens mencionados em (1) são a exata realidade de tudo que o esquerdista propõe, e é muito fácil para o direitista pinçar exemplos.
  4. O oponente de direita pode se aproveitar dos itens relacionados em (1) e explorá-los à vontade para mostrar o que o esquerdista realmente é. Não há como o esquerdista fugir do que o esquerdismo realmente é.

Em outras palavras, quando você chamar um esquerdista de “comunista” ele conseguirá com muita facilidade usar um método para ridicularizá-lo – mas, se você habilmente conseguiu contra-atacar com eficiência mesmo assim, entre em contato. Mas, quando chamá-lo apenas de “esquerdista”, você o fará recuar, pois não há como ele usar o mesmo método. Até por que ele não é tão trouxa assim, já que todos os atributos do esquerdismo genérico descrevem com perfeição o que tanto ele como os demais esquerdistas tem feito até hoje.

Logo, não esperem de mim uma denunciação contra o “comunismo”, mas contra o esquerdismo. Assim como não me  esperem ver na defensiva contra esquerdistas, pois eu não dou esse gostinho a eles. Eu não escolherei frames que tornem a vida política dele uma moleza, mas um pesadelo.

Recado aos idiotas úteis: “E aí, esquerdistinha (*), cadê o “quá quá quá” agora?”

(*) Tudo fica muito melhor quando ele é um esquerdista funcional, ao invés de beneficiário, é claro.

Anúncios

32 COMMENTS

  1. Então seria produtivo ridicularizá-los do mesmo modo quando nos chamarem de fascistas? Sabemos que o Fascismo é uma das vertentes do esquerdismo, mas pro povão é carimbado como coisa de Direita. Portanto, seria o caso de perguntarmos “Quá, quá, quá, cadê as minhas câmaras de gás?” e deixar eles perderem tempo tentando explicar? Ou haveria uma estratégia melhor para quando nos acusarem?

    • Olha… neste caso não.

      Eu digo o motivo (mas esta é minha opinião, não sou dono da verdade).

      Nós não somos especializados nesse mesmo tipo de manipulação psicopática que os esquerdistas. Fingir uma realidade inexistente para negar outra realidade, por exemplo.

      Essa jogada esquerdista que denuncio aqui é coisa de psicopata.

      Acho que não conseguiríamos fazer a mesma coisa.

      Abs,

      LH

      • Sim! É isso ai Luciano.

        existe um ditado antigo e sábio que diz:

        “Sejas autêntico e serás poderoso, pois somente a águia pode pousar em segurança na beira do penhasco.”

      • Você diz que não finge uma realidade inexistente. Cuidado ao declarar Hitler como esquerdista, quando a REALIDADE (fato histórico e documentado, já que o objetivo do seu texto é não passar ridículo, usar essa comparação vai dar munição aos caviares de plantão) é que o movimento nazista foi um movimento de ULTRA DIREITA nascido do movimento anti-comunista alemão. Meu medo nessa discussão toda é ver que há muita gente defendendo intervenção militar ou acusando fraude nas urnas. Temos que ganhar democraticamente, e não na força, ou invalidamos todas as conquistas feitas no Brasil nas últimas 2, 3 décadas. Avançamos tanto.

        Fora isso, o texto é excelente. Usarei a técnica!!!

      • Aqui é o erro de sempre: “é que o movimento nazista foi um movimento de ULTRA DIREITA nascido do movimento anti-comunista alemão”.

        Não ser comunista é não ser esquerdista, o que é o mesmo que dizer que não ser flamenguista é não torcer para futebol.

        O fato é que o nazismo é uma forma de esquerdismo que rivalizou com o comunismo. Simples assim.

  2. Luciano, eu estou assistindo o Jair Bolsonaro no SuperPop, seria de um valor tremendo se você assistisse esse programa e dissecasse todas as rotinas esquerdistas e distorções de estatísticas que os esquerdistas fizeram. Uma das que eu percebi mais nitidamente é aquela que o Olavo de Carvalho chama de espanto, você se mostra muito perplexo com uma coisa e usa sua perplexidade e espanto para não ter que argumentar. Exemplo: “Eu sou contra dois machos se beijando na rua e se apalpando” – nossa que homofóbico você, é impressionante como em pleno século 21 ainda existem pessoas retrógradas como você, que absurdo. E depois para complementar: você com essas atitudes está apoiando e fazendo apologia ao assassinato e à discriminação dos homossexuais no Brasil.

    Veja:
    1- Não argumentam porque dois machos se pegando em espaços públicos é certo (apelam inteiramente para a emoção
    2- Ainda usa isso para depois jogar em cima que o cara apoia o assassinato de gays e o Bolsonaro é obrigado à se explicar- e como você diz “enquanto você está se explicando, você está perdendo”.
    3- Se aqueles esquerdistas no SuperPop fossem um pouco mais caras de pau e mau caráter, poderiam ter finalizado dizendo : por isso que nós precisamos de iniciativas nas escolas públicas para combater o ‘preconceito’ como o Kit Gay que foi vergonhosamente apelidado por você assim quando nada mais é uma tentativa de combater os preconceitos ainda existentes na nossa sociedade.

    Fatality, esquerdista wins… sem argumentar porra nenhuma.

    Sou fã do Bolsonaro pelo trabalho que ele faz defendendo a democracia, as FFAA e a família… mas hoje, no SuperPop ele perdeu. Apesar de estar encurralado contra uns 6 esquerdopatas que constantemente falaram mais alto e interromperem ele, ele poderia ter se saído melhor. Dê um toque pro cara Luciano 🙂

    Um abraço de um grande fã seu, e continue desmascarando esses vigaristas!

    • no SuperPop ele perdeu. Apesar de estar encurralado contra uns 6 esquerdopatas que constantemente falaram mais alto e interromperem ele, ele poderia ter se saído melhor

      Mas aí que está Macuw. Não adianta você denunciar um movimento de engenharia social à uma mídia propagandista de uma agendas políticas que beneceficiam este movimento, e ainda pagar de debatedor NA CASA DELES, jogando com as regras deles e EM MENOR NÚMERO. Será sempre um massacre, principalmente quando o cara é despreparado intelectualmente – fato gritante em Bolsonaro.

      É de uma BURRICE tremenda, o bolsonaro e outros, acharem que conseguirão manter qualquer tipo de frame, frente a uma platéria idiota, e um bando de militantes cheios de joguetes emocionais, e ainda mais burrice participar desse tipo de CIRCO enquanto político (pois isso ainda denigre a imagem dele enquanto tal).

      Como assisti o programa, vou apresentar rapidamente uns frames que vi por lá, e algumas impressões de observações comportamentais:

      Percebi uma melhora nas expressões faciais do bolsonaro, que se esforça em se apresentar mais simpático. No entando ele aida continua rebatendo argumentos com a sua própria opinião sobre as coisas, em vez de procurar as falhas lógicas na premissa, conclusões e resultados do argumento adversário. Ou seja, enquanto o adversário aplica a fraude ou faz uma mera atuação emotiva, o bolsonaro acha que pode rebater isso apenas repetindo a opinião dele que todo mundo conhece.

      É só prestar atenção no programa, pra você ver como os militantes jogam para o público, muita vezes ao usarem o argumento genérico-emotivo, eles NEM OLHAM para o bolsonaro, e OLHAM diretamente para o público. Eles também se utilizam da expressão física e provovações de parquinho para ridicularizá-lo.

      Resumidamente, não há argumentação alguma ali, e isto já era de se esperar pelo nível de inteligência de todos os presentes (incluindo bolsonaro — sim não o acho muito inteligente, e daí?)

      A tal da morango (que desperdício) em certa ocasião pergunta porque o bolsonaro vai ao programa de televisão falar sobre esse assunto, e não sobre a fome, a corrupção etc.

      A melhor resposta do bolsonaro seria: Eu compareço à televisão para falar sobre assunto, porque os demais assuntos — fome, corrupção etc — eu trato no planalto, em campo político. Eu compareço a televisão para falar sobre este assunto, porque eles me convidam a falar desse assunto, e não o contrário. (nisso o bolsonaro devolve a bola para a apresentadora, e para a própria adversária, porque ela está ali para tratar DO MESMO ASSUNTO que ele).

      E um momento anterior a mesma motango entro com os dois pés em uma argumentação de que ela “nasceu” homossexual. Nesse momento bolsonaro poderia simplesmente jogar a questão da “construção social” tanto defendida pelas feminista. Se toda forma de comportamento é uma “construção” social sem interferência biológica, é indiferente ela ter nascido homossexual ou hétero. Mas se ela nasce homossexual, e seu comportamento posterior é congruente com esta afirmação, então a “construção social” de uma sexualidade é um engodo monstro.

      Bolsonaro poderia ter explorado mais, o claro conservadorismo da sociedade brasileira, demonstrado EM VÍDEO E ESTATÍSTICA, que foi ignorado por seus adversários.

      Quanto à investidas de um jornalista (de programa de fofoca) homossexual (e militante), em forma de “brincadeira e teatrinho”, bolsonaro deveria ter usado a analogia de que se ele fizesse as mesmas investidas com a Morango, o que ocorreria com ele? – pergunta que deveria ser feita ao público.

      Isso me fez lembrar de um vídeo que assiti recentemente, meio bobo, mas revelador sobre uma verdade cotidiana:
      http://www.youtube.com/watch?v=E6ZM0ocNl2Q

      Este mesmo jornalista, em um momento do programa, quando bolsonaro afirma: “Eu sou um deputado”, afirma “e eu sou um homossexual”. Nesse momento bolsonaro poderia perguntar — Eu como deputado fui votado por um número X de pessoas para representá-las, e você como homossexual recebeu quantos votos para dizer que os representa????” e acabava ali. Afinal não há equivalência alguma entre ser homossexual e deputado — não normalmente — essa esquivalência existe apenas na mente do militante — pois sabe sua ação é política.

      Bolsonaro, também perdeu o frame, na questão homossexualismo x homossexualidade.

      Perdeu o frame na questão do machismo — onde foi acusado de “maltratar mulheres”, aqui se fosse comigo, mandava o sujeitinho apresentar evidências, sob a responsabilidade de responder juridicamente, e nada mais.

      Também perdeu o frame na questão da palmada, onde a apresentadora afirmava “o programa é meu…o programa é meu…. portantoo façam de acordo com o que eu penso”. Ali a denúncia de que ela usa o programa para propagar SUA ideologia pessoal, iria acabar com a reputação do programa — que convenhamos já é uma porcaria.

      É digno de nota o timing do programa. Geralmente fazem a pergunta questionadora, joguam pra platéia, e aí dão uma longa pausa — entre comerciais e merchadising — para a resposta do bolsonaro. Se isso não é proposital na tv nada mais o é. Exatamente porque isto ‘esfria’ tanto a questão, quanto a força de rebate do adversário (bolsonaro), ou seja quando ele vai responder, ele já perdeu pois o público já adotou o questionamento anterior como ‘legítimo’ e enquantosão distraídos pelas propagandsa e pausas, já assimilou isto em seu cérebro dando menos importância para a resposta em função do tempo.

      Foi um verdadeiro massacre, que me fez perder o pouco de respeito que tinha pelo Bolsonaro. O lugar dele de falar e atuar não é ali, a não ser que esteja preparado para debate ideológico.

      • Sim, eu admiro o cara mas concordo plenamente contigo. O cara precisa se aligeirar. Por exemplo, se eles fossem debater contra-golpe de 64, tortura etc o Bolsonaro dava uma lavada neles porque ele conhece bem esse assunto (tanto é que eles não falaram sobre isso). Agora, ele se mostrou despreparado intelectualmente, o cara para ir num debate desses precisava ler mais à respeito dessa agenda gayzista e sobre estatísticas. Inclusive tem um vídeo da pizzaria Brasil sobre homicídios motivados pela ‘homofobia’ onde o autor mostra que se você é gay você tem 247 vezes (acho que é esse o número) menos chances de ser morto. Ele poderia ter também atacado a idéia de que se existem direitos humanos, garantir direitos especiais aos LGBT é um disfarce para lhes garantir privilégios. Enfim, o cara pecou em dois sentidos, deixou a conversa estagnada na questão homossexual ao invés de criticar o governo e veio completamente despreparado!

      • Ótimos pitacos, Pecador. Valeu! Esquadrinhou bem a situação lá do Bolsa. Mas ele não toma jeito.

        Só uma observação:

        “E um momento anterior a mesma motango entra com os dois pés em uma argumentação de que ela “nasceu” homossexual.”

        Huuummm, motango…
        Eu adóógo motango.

        Desculpe, Pecador, não resisti. |¬D

        Ai, ai… Eu não presto mesmo. :¬)

  3. “em outras palavras, quando você chamar um esquerdista de “comunista” ele conseguirá com muita facilidade usar um método para ridicularizá-lo – mas, se você habilmente conseguiu contra-atacar com eficiência mesmo assim, entre em contato.”

    Tem gente que está te lendo e aplicando o mesmo paradigma de ceticismo político.

    https://www.facebook.com/IsabellaTrevisani01/posts/723001767724267?

    Esse post acima, demonstra a sua observação em prática (sobre o uso do termo comunistas se apresentar como uma desvantagem), ENTRETANTO também demonstra uma inversão (contra ataque eficiente), baseado apenas em falhas lógicas dos esquerdistas.

    No post acima temos 1 esquerdista do tipo “deixa disso” e 3 ridicularizadores:
    Wellington , Marcus, Rafael, Aline, respectivamente.

    Todos entraram em contexto de ridicularizar capitalizando em cima da “teoria da conspiração comunista”. Até conseguiram um pouco, mas no final não deu muito certo pra eles, acho que pegaram um dos alunos do Olavo.

  4. Hahahahaha, excelente.
    Luciano, fala uma coisa: você, convenhamos, já se tornou (muito merecidamente) uma referência dessa nova direita que a Internet e o Facebook fizeram vir à tona. Uma curiosidade: como tem sido a reação dos esquerdistas aos seus escritos? Chegam a você mensagens, prints de xingamentos, algo assim?
    Aquela série “Como este blog levou uma legião…” é hilária e já mostrava que os neoateus ficavam extremamente putos. Pois bem, agora que você estendeu seu paradigma à religião política em geral, como os esquerdopatas têm reagido? Fico imaginando a irritação enlouquecida que eles devem sentir quando leem seus escritos (e sabemos que eles leem).

    Mais uma vez, parabéns pelo excelente trabalho.

    • Julio,

      Sempre eu jogo para a lata do lixo posts desaforados e enlouquecidos de esquerdistas. Eles são comuns.

      Mas entendo que eu sou um alvo difícil para o esquerdista. Se eu fosse esquerdista, escolheria outro direitista para atacar que não eu.

      Assim, eu acho que sou atacado em menor quantidade que o tradicional.

      Abs,

      LH

      • KKK! Que ótimo. Será que os esquerdistas-kamikaze já estão sendo alertados pelos mais prudentes? |¬D

        -Ei, aconteça o que acontecer NÃO entre naquele blog, vc entendeu!? Vc ENTENDEU!!??

        -Hã!? Entendi, entendi… Mas, por que?

        -Ali é a moradia do famoso Bicho-papão!

        -Ahhh…

        E a curiosidade matou o gato.

  5. *PERDOE A INSISTÊNCIA, Luciano…

    Desculpemem si estô interrompenu a viagem dus senhoris… Eu poderia está robano, matano, mas estou aqui pedino encarecidamenti…

    Luciano (ou alguém aí) pode me ajudar!? Tô pra responder a um colega virtual duma outra página que me lançou ontem algumas perguntas e afirmações (um tanto mau humoradas, mas que não deixa de ser um belo treinamento de ceticismo político) sobre a realidade dicotômica DIREITA x ESQUERDA mas estou impossibilitado- pela falta de tempo, pelo calor vulcânico e pela sedação do relaxante muscular- para desenvolver um raciocínio mais focado, didático, amplo e certeiro.

    Desde já, agradeço a colaboração e caridade dos nobres coregas. |¬)

    Vejamos então:

    *Onde a direita estava quando o governo torturava pessoas?

    R:

    *Onde a direita estava quando nos anos 80 os salários dos educadores públicos foram achatados, ano após ano?

    R:

    *Onde a direita estava quando nossa dívida externa se tornou estratosférica?

    R:

    *Onde a direita estava quando o país se fechou à tecnologia estrangeira?

    R:

    *Onde a direita estava quando a distância entre os ricos e os pobres cresceu?

    R:

    *Onde a direita estava quando o sistema público de saúde se tornou precário?

    R:

    …Aí continua o comentário (um tanto longo, que na minha mão vai levar só por 20 CENTÁRRO):

    *A direita estava no poder. Agora, no poder, a esquerda não faz muito diferente, com a exceção que a Esquerda está a ser mais inteligente e sabendo muito melhor do que a Direita a se utilizar da massa de manobra que são as classes mais pobres, ignorantes, avidas por um pouco de atenção do Estado.
    E quem criou essas classes mais pobres, ignorantes?
    A Direita quando estava no poder.

    R:

    *É por isso que esse jogo de “culpar” a Esquerda pelo que está ocorrendo é de uma hipocrisia abissal.

    R:

    *A classe média só está a reclamar, a se ofender com a corrupção petistas, que não é nem maior nem menor do que a corrupção direitista – vide o rombo que o PSDB deixou e o roubo que realizaou em Minas Gerais – por um único motivo: a classe média está sendo achatada, e o poder econômico das classes inferiores está aumentando, o que torna a classe média menos “especial”.

    R:

    *A classe média sempre se espelhou na Elite. E a elite sempre alimentou esse jogo. E para ser uma sub-elite, a classe média sempre precisou de pobres, ignorantes, para alimentar a ilusão de que era elite de alguém.

    R:

    *É por esse egoísmo e falta de compaixão que a classe média sempre ficou em silêncio quando a Direita estava no poder.

    R:

    *Agora, com total hipocrisia, vemos essa classe média vir com discursos cheios de probidade, que ela nunca teve, ou não teria se silenciado e apoiado por tantos anos a Direita e o terreno que a mesma preparou para o PT.

    R:

    *Então, é contraproducente, é errado, é feio, é estúpido, é discurso de ressentidos essa jogatina de idéias a que os opositores ao PT fazem. Querem só que as coisas voltem a ser como eram antes.

    R:

    *Claro que há os, como o Acid, que se decepcionaram com o PT. Mas mesmo assim não aprendeu, pois acreditou que um negro na presidência dos EUA poderia ser uma coisa boa.

    R:

    *Governos hoje só são teatro de fachada dos desejos de corporações e do sistema bancário. Prova disso é o PT. A Esquerda no poder, e ninguém ficou mais feliz do que o sistema bancário nos últimos anos.

    R:

    *Mas se decepcionar com a Esquerda e se voltar a discursos reacionários de Direita, discursos que estão na base do que o capitalismo fez no planeta, sim, o comunismo fodeu alguns países, mas o capitalismo, bom, este fudeu com um planeta inteiro em nome de sua maior idéia ilusória, o Eterno Progresso, e sua associação a produção de inutilidades que as pessoas inventam discursos para justificar necessitarem delas.

    R:

    *Se vocês realmente se preocupassem não com seus “direitos” de classe média, mas com o todo do grupo que denominam de “nação”, estariam há tempos focando no que é o único e real problema do Brasil: EDUCAÇÃO.

    R:

    *Sem educação de base para o povão, aquele que os papais e mamães de classe média sempre ficaram felizes por não terem acesso à educação privada, sem educação de base, o povão não sabe escolher representantes políticos, não sabe como reinvindicar seus direitos, não sabe como cuidar melhor de sua saúde.

    R:

    *Educação, é a única coisa que quem se preocupa com como esse país estará daqui 20 anos deveria se preocupar.

    R:

    *Claro, que como todos hipnotizados pelo lado capitalista do sistema planetário de trabalho, isso é esperar muito. Quem vive na ilusão de “eterno progresso”, quer tudo para agora. E nasa estimula mais as emoções atávicas na mente do que demonizar a Esquerda no poder, e esquecer que a Direita, quando no poder, fez igual e em alguns momentos até pior.

    R:

    *Por isso que é extremamente divertido ver pessoas como o Ike (**Ike sou eu, o Anderson Silva) demonizando os que discordam do ponto de vista que ele emprestou do Olavo de Carvalho. Separando, dividindo, cumprindo seu papel como agente da matrix.

    R:

    *E não só ele, todos, de Esquerda ou de Direita, que se negam um no outro.

    R:

    *Do mesmo modo que a classe média no passado cegou-se propositalmente aos erros da Direita com o sistema de educação pública, hoje a classe média Esquerdopata faz o mesmo com a perfumaria educacional que o PT realiza, sim, o PT faz de conta que melhora a educação, quando é a última coisa que o PT irá melhorar, pois povo melhor educado, com certeza o povão irá começar a pensar melhor e não será burro como a classe média, que é de direita por nunca ter sentido na pele a falta de dignidade com que o sistema social trata os menos desfavorecidos;

    R:

    *e exatamente por sofrer com as injustiças que as elites e classe médica causam a eles, que os mais pobres simpatizam com o discurso dos Esquerdopatas hoje, mas se tivesse mais educação, perceberiam o engodo que tudo isto é.

    R:

    *Educação de base pública com melhor qualidade que a educação de base privada é a única coisa que vale a pena lutar para que se torne real, se quisermos um país melhor para nossos filhos, netos e bisnetos.

    R:

    *Qualquer outra coisa é recalque de quem está tendo sua parte do bolo extirpada.

    R:

    Acabou.

    Obrigada pela atenção dispensada e tenham todos uma boa viagem. Valeu motorista!

      • Como diz o Jorge Perlingeiro… Só si fô agora! :¬)

        Tô de molho hoje por causa da dona ciática, e acabo de ligar na TV BRASIL (antiga TVE aqui no Rio) e pra minha surpresa tá passando no Sem Censura da Leda Nagle uma reprise especial de maio de 2103 sobre a Ditadura militar, é mole!?

        E, pra variar, o “debate” foi todo feito apenas com expoentes da esquerda. Ninguém do outro lado do campo.

        Meu Deus… É um FESTIVAL de mitomania, recalques, auto-enganação, desconveras e inversões que me deixam um tanto constrangido e indignado de não poder estar lá.

        Identifico ao longe o Cabralzão, pai do falecido Pasquim e do cabralzinho…

        Um dos representantes da “liberdade” e da “verdade histórica” chama-se Arthur Poerner (não o conheço).

        Putz! O programa acabou de acabar e ao som de Chico Buarque nos Festivais. Uma maravilha. Acho que vou me emocionar.

    • Anderson.

      Que vergonha hein? Jogando a toalha e pedindo socorro pro amigo fazer o seu serviço?

      Ta bom! Então faz assim: diz pro cara lá fazer a transformação relativistica de coordenadas do sistema referencial inercial S para o sistema referencial inercial S’ (S linha):

      x’ = x – vt / sqrt ( 1 – v^2 / c^2 )

      t’ = t – (v / c^2)x / sqrt ( 1 – v^2 / c^2)

      E quando ele desistir informe-o que o sistema S’ (S linha) difere do sistema H’ (H linha), assim como do sistema PiK’ (Pi K linha) ok ?

      Adote a estratégia malufista: Se não puder esclarece-lo nem convencê-lo, então cionfunda-o ainda mais.

      Braços e queijos.

      • Jogando a toalha não; recuo estratégico. ;¬)

        Fora o calor demoníaco e a sedação cerebral que impedem a passagem do sistema referencial inercial S para o sistema referencial inercial S’. |¬)

        Por acaso é crime recorrer ao resto da tropa, Capitão? Acho que isso deveria acontecer mais vezes pela internê conservadora-liberal, já que o exército esquerdista recorre sempre- E MUITO- a isso. Acho super válido como estratégia nessa guerra cultural.

        Braços, queijos (prato) e rum (que eu sei que o sr. gosta)

      • Pô, quer saber, caro Jack? Pára de chiste e vai começando logo a responder as questões do ENEM aí em cima para a mÍÍÍÍnha alegrÍÍÍAAA!!

        Prometo de dedinho que coloco seu nome nos créditos finais. |¬)

      • Anderson.

        “Por acaso é crime recorrer ao resto da tropa, Capitão? Acho que isso deveria acontecer mais vezes pela internê conservadora-liberal, já que o exército esquerdista recorre sempre- E MUITO- a isso. Acho super válido como estratégia nessa guerra cultural.”

        Claro! Claro que concordo com você. É isso mesmo que devemos fazer: união contra o inimigo.

        A toalha foi só uma brincadeirinha de lutador para lutador, de “paulissssta” para carioca.Hehehe!

        Grato pelo RUN, apreciei muito, e forte abraço.

  6. Prezado Luciano,

    Embora entenda seu ponto de vista, mesmo sem ter a experiência que você tem ao lidar com frames, para mim, que vivi o período que antecedeu 1964 (tinha 15 anos na época), inclusive acompanhei pelo noticiário da época, quando a imprensa não estava tão aparelhada como hoje, as matanças de Fidel em Cuba, o rótulo “comunista” tem uma imagem malévola muito maior do que “esquerdista”. Comunismo nunca me traz à lembrança tanques nas ruas, ou gulags. Me lembra pessoas sendo mortas por discordarem, sendo roubadas de seus bens, sendo separadas de suas família. Forças do lado mais que negro da Força. Forças tão destrutivas para o povo comum quanto o fascismo foi.

    O fato de hoje não estarmos vendo essas coisas não significa que não as estaremos vendo em alguns meses ou, na melhor das hipóteses, anos caso as pretensões dessa gente não sejam bloqueadas.

    • Eu concordo que a imagem trazida pelo comunismo é MALÉVOLA, mas ela é muito mais específica do que o esquerdismo em si. E também é um esquerdismo.

      O que eu quis dizer é que a facilidade com que os esquerdistas ridicularizam alguém que os chame de comunistas, eles não encontram quando alguém os chama apenas de esquerdistas.

      Abs,

      LH

  7. AH! Essas refutações, Luciano, são muito importantes pra mim já que a minha reputação perante o ‘Musas Olavettes’ está em jogo, segundo um dos participantes lá do outro blog. |¬D

  8. Luciano, lá vai calhamaço dos bons:

    1) Sabe o punho cerrado do vice-presidente da Câmara no início dos trabalhos deste ano? Diz o PSDB que irá pedir apuração sobre quebra de decoro.
    Enquanto isso, tal gesto comunista começa a ser tão ridicularizado quanto foi e é a saudação nazista, sendo isso excelente. Além das ridicularizações anteriores feitas com Dirceu e Genoino, agora temos
    Roger Moreira, do Ultraje a Rigor, tirando onda com isso. Há também uma zoeira bolsonariana com um quê de Dragon Ball Z;

    2) Continuo falando para que você dê uma analisada na situação ucraniana, pois pode ser o primeiro confronto na história entre o gramscismo (União Europeia) e o eurasianismo (Rússia). Lembra da estátua de Lenin derrubada? Pois bem, veja o que puseram no lugar dela;

    3) Lembra daquele lance alinskyano de fazer o oponente jogar pelo próprio livro de regras? Tudo bem que o que vou lhe passar nada tem a ver com política, mas é mostra de que dá para fazer isso mesmo no serviço público. Durante a pequena confusão, o zelador disse que não ia fazer nada em relação a isso, senão poderiam acusá-lo de homofobia (sendo que o rapaz em questão é hétero), bem como o coronel da PM que toma conta da segurança do prédio em questão avisou que o cara estava rigorosamente dentro do regulamento. Se passarmos para a política, dá para imaginar que haja um tanto de outros livros de regras criados pelos próprios marxistas-humanistas-neoateístas que podem ser usados tranquilamente para combater os próprios MHNs;

    4) Seria bom falar sobre o pedido de prisão de João Paulo Cunha. Ele acabou de se entregar e vamos ver o que vai dar (e tome punho cerrado para cima);

    5) Sabe as arrecadações recorde que surgem rapidinho para pagar as multas dos mensaleiros? Gilmar Mendes defende investigação a esse respeito, enquanto o PT vem com aquela justificativa de frouxo de dizer que não se pode precipitar a esse respeito;

    6) Esta é para dar nó na cabeça de militante gay: três russos foram condenados na província de Kamchatka por terem matado um homossexual em função de sua orientação;

    7) Falei de punho cerrado na alínea 1, lembra-se? Pois bem, eis que estão querendo politizar festa popular e Chávez será um dos bonecos gigantes de Olinda, com direito a punho cerrado;

    8) Imagino eu que você tenha visto o lance do rapaz que foi preso a um poste pelo pescoço pelos denominados “justiceiros do Flamengo”, que decidiram agir no aterro em questão (segue também notícia do UOL sobre o assunto). Descobriu-se que os tais vigilantes, agora detidos, usaram a Web para convocar a milícia em questão. E aqui não está muito diferente do que faz o Black Bloc ou mesmo bandidos comuns que fizeram arrastões recentemente. Já há inquérito correndo a respeito do adolescente em questão.
    Pois bem, como se pode ver, são todos os pretextos de que precisavam os MHNs para dar uma sapateada básica em cima, até porque o adolescente em questão também é negro e, quando flagrado, estava desnudo. Não tardou para que comparassem um adolescente negro preso pelo pescoço em um poste à escravidão. Quem escreveu algo equilibrado a respeito foi Rodrigo Constantino, que lembrou do quanto que a situação de coisas atual estimula o surgimento de um vigilantismo que não existiria se o Estado funcionasse direito e punisse quem faz coisa errada. Essa coluna do Constantino, se você vir os comentários dela, está sendo considerada como um upper no que Sakamoto escreveu hoje (e que tem mais anti-MHNs “amarildando” a ausência de pedido de desculpas à polícia).

    O fuzuê começou após a artista plástica Yvonne Bezerra de Mello, que publicou esta e esta outra foto em seu perfil do Facebook. E é aqui que a coisa começa a virar, pois em que pese ela ter sido responsável por salvar o tal adolescente, não dá para dizer que sua ação é 100% desinteressada e cristã, pois a mesma é diretora da ONG Uerê e se você ler os comentários das notícias do Extra, já tem gente lembrando que ela apareceu do nada após a chacina da Candelária e o ônibus 174. Estaria lá mais para aparecer e dar uma alinskada básica (pensando em como são as ONGs no contexto do Saul em questão). Em sua própria página ela já vem sendo refutada, quando podemos ver na lista de comentários. Obviamente que contou contra ela a foto em que aparece ao lado do cara em questão.
    E pode ser que o marxismo-humanismo-neoateísmo não consiga aproveitar muito a onda, pois o tal adolescente tem três passagens por roubo e furto.

  9. Luciano, você deveria fazer um post mais esclarecedor sobre as várias vertentes da esquerda porque isso dá muito pano para manga ou esquerdistas tradicionais insistem em se confundir com liberais que se consideram esquerda, os famosos left-lib, que são normalmente orientados pelas idéias de Rothbard (se não me engano) e por idéias libertárias anarquistas como a do David Fridman (que é um pouco diferente do pai famoso). Nos EUA também a confusão é tanta que o termo “liberals” se refere a esquerda e não aos liberais, que são chamados de “libertarians” (na qual me incluo).

Deixe uma resposta