A entrevista bombástica de Romeu Tuma Jr. ao Roda Viva… e não é que o padrão previsto por mim deu certo?

22
85

tuma-roda-viva

Nesta segunda, 03/02, Romeu Tuma Jr. foi ao programa Roda Viva falar sobre seu livro Assassinato de Reputações, que lança acusações explosivas em relação à máquina estatal do PT, que criou atualmente um verdadeiro estado policial.

Tuminha, que foi Secretário Nacional de Segurança do governo Lula, deu respostas devastadoras a, dentre outros, um trio de jornalistas chapa branca desaforados: Mário Cesar Carvalho, Fernando Gallo e Cristine Prestes, que não conseguiam disfarçar sua irritação ao ver o governo petista desmascarado.

Tuma comenta que, ao recusar-se a elaborar dossiês para o governo, teve sua reputação assassinada, a partir de uma investigação de exceção que jamais conseguiu provar qualquer coisa contra ele. Todas as iniciativas usadas pela polícia aparelhada para demolir a reputação de Tuma se basearam em uma suposta amizade dele com o contrabandista Paulo Li. O detalhe é que, como o próprio Tuma lembrou, Li também tirou fotos ao lado de Lula…

Tuma também falou sobre a confissão de Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República, de que este levava dinheiro oriundo do Caixa 2 da Prefeitura de Santo André para os líderes do PT, incluindo o mensaleiro José Dirceu. Tudo na época em que Celso Daniel quis parar com esse desvio de verbas e foi assassinado. Caso investigado por Tuma, diga-se, de passagem.

Mário César Carvalho era um dos “jornalistas” mais obstinados em atacar Tuma. Certo momento, ele disse ter encontrado um agente que deu uma declaração que, segundo ele, desmentiria todo trecho do livro de Tuma sobre grampos no Supremo. É quando Tuma retira de sua maleta um e-mail (que não é parte do livro) comprovando que o agente mentiu para o jornalista. Detalhe: o agente havia dito que iria despistar com informações falsas qualquer um que levantasse a questão do grampo. O problema é que Tuma tinha essa evidência em mãos…

Sobre o fato de que Lula era um alcaguete do regime militar, Tuma lembrou uma famosa foto que mostra o ex-presidente, em 1980, fumando no banco de trás do carro da polícia. Sim, Lula era um amigão dos policiais do regime militar.

Em outro momento sensacional, outro jornalista militante, Fernando Gallo, tentou satirizar a ideia de que há uma fábrica de dossiês. Gallo citou um dossiê contra o governador Marconi Perillo, um contra o ex-senador Tasso Jereissati, um contra a ex-primeira-dama dona Ruth Cardoso, e o famoso dossiê dos aloprados. Ele disse: “Em três anos, a fábrica de dossiês do governo federal produziu três, quatro dossiês?”

Eis a resposta de Tuma:

Você acha pouco!? Eu saber desses? E tomar providência? Se fosse mais e eu estivesse assistindo, eu devia ser preso! O secretário nacional de Justiça soube de três e denunciou, você quer mais!? Se eu estivesse assistindo, eu seria um fabricante também. Aí você já está de brincadeira!… Você quer mais do que isso? UM é muito! UM é muito! Eu cito os casos que eu conheço.

Gallo tentou de novo constranger Tuma, falando da relação dele com Paulo Li. O jornalista lembrou que Li se tornou réu por formação de quadrilha. Tuma lançou sobre uma ele uma bela invertida: “Ele virou réu. Você coloca muito bem. Aliás, foi bom você colocar isso: sabe quem virou réu e que trabalhava comigo? Um monte de gente que está na Papuda. O que é que eu vou fazer? Eu tenho alguma culpa nisso?”.

O que realmente deve nos assustar em tudo isso é como uma boa parte se esforça para jogar a m… para debaixo do tapete. Por muito menos do que Tuma relatou, Nixon foi cassado. Se existisse uma verdadeira oposição no Brasil, as declarações (e evidências) trazidas por Tuma deveriam fazer a república tremer. 

Mas nada é melhor do que a resposta da mídia petralha em relação às denúncias de Tuma. No texto “Tuma Jr. só não assassina reputação por que não tem credibilidade”, publicado no Diário do Centro do Mundo, Paulo Nogueira tenta os seguintes frames:

  • “Roda Viva é um programa reacionário”
  • “Só vai no programa quem fala mal do PT”
  • “Romeu Tuma Jr. estava gordo”
  • “O livro é um peso morto que ninguém lê” (mesmo que tenha vendido 60.000 cópias)
  • “A evidência de que Lula não foi informante do DOPS é que FHC acreditava que Lula não era informante” (a famosa falácia da incredulidade pessoal)
  • “Se a Veja não falasse do livro, ninguém teria comprado” (só faltou ele explicar por que a Veja fala de tantos livros que não vendem)
  • “A denúncia de Tuma Jr. não deu em nada por que a justiça funciona no Brasil”
  • “Tuma Jr. só não foi punido por que a justiça não funciona no Brasil”

Enfim, tudo que Nogueira disse faz parte de um padrãoque eu já havia previsto no dia 22 de janeiro (clique aqui para relembrar). Confesso que me diverti às pampas com o texto de Nogueira. E para deixar este último ainda mais irritado, o programa de 03/02 foi o de maior audiência do Roda Viva em quase 14 anos.

Se você não viu, veja. E se já viu, vale a pena ver de novo:

Anúncios

22 COMMENTS

  1. Foi um verdadeiro “chute no saco” do PT, se não a perda de suas bolas, me perdoe a expressão, esse ano a esquerda levou e levará vários golpes, acredito que o Brasil ainda há um jeito…

  2. Uma médica cubana pediu asilo ao Brasil, ela disse que o governo cubano paga $ 400 há todos os cubanos dos mais médicos, e disse que não sabia que os outros médicos ganhariam 10 mil.

    • Na pior das hipóteses “serve de mau exemplo”…cometi o cúmulo do absurdo hoje…fui na página desse infeliz Paulo Nogueira e li tanta m…naqueles comentários, aliás pude reparar que são somente os mesmos que comentam todas as “asneiras” possivel

  3. Boa!

    Ayan, uma dica de post: “Como lidar com os fakes petistas”. Está extremamente irritante ter que aturar eles em todas as notícias contra o governo contestando-as atacando e passando desinformações. Inclusive tem um no Implicante que está passando do limite do aceitável.

  4. Paulo Nogueira já fugiu de debater com o Olavo (e até com alunos do Olavo) várias vezes. É um dos sujeitos mais baixos e covardes do jornalismo brasileiro.

  5. Legal é ver os bloguezinhos chapa-branca não tem nada o que falar apelarem para ofensas pessoais, apenas isso e ainda julgam um livro sem nunca ter lido, dizem que ninguém vai ler, mesmo com 60.000 cópias vendidas, fora que já tem gente que conseguiu o epub do livro na internet.

  6. Li o livro duas vezes. Assistir o roda viva duas vezes para acreditar na PETRALHAGEM e afirmar minha convicção de INDIGNACÃO deste estado de coisas em que nos encontramos.

  7. Luciano.

    Esse tipo de “jornalistas” safados e arteiros, citados por você (Mário Cesar Carvalho, Fernando Gallo e Cristine Prestes), já há muito cruzaram a linha divisória da cidadania para entrarem no mundo do crime. São verdadeiros intelectualóides estelionatários travestidos de brasileiros civilizados.

    Obs.: Do grego OIDES = FORMA.

    Portanto intelectualóide significa aquele que tem apenas forma de intelectual, mas nenhum conteúdo.

    Forte abraço.

  8. NÃO ENTENDI PORQUE O GILBERTO CARVALHO NÃO FOI ARROLADO NO PROCESSO DOS MENSALEIROS, SE ELE QUE LEVAVA A GRANA DO CAIXA 2 DA PREFEITURA DE SANTO ANDRÉ P/ OS PETISTAS, ALGUÉM SABE O PORQUE SAIU ILESO???

  9. E vendeu só 60.000 exemplares porque o Brasil é coalhado de analfabeto funcional (e moral) que não entende nem um bilhete. Senão, já teria passado de 200.000.

Deixe uma resposta