Escravos Cubanos: o pesadelo petista continua

16
107

cubans

O mar não anda pra peixe para o PT na questão dos médicos cubanos. Em pânico, o Brasil247 faz uso de um texto que parece conteúdo da revista Caras, apelando para vasculhar a vida pessoal da médica cubana Ramona, que pediu asilo:

A médica cubana desistente do “Mais Médicos” e o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) já conseguiram montar um roteiro digno de novela latina. Ramona Matos alegou estar recebendo apenas 400 dólares do programa do governo federal e deixou a cidade de Pacajá, no Pará, para buscar refúgio em Brasília, nos braços do parlamentar goiano. A realidade, porém, é que o objetivo de Ramona é encontrar-se com o namorado, outro cubano refugiado em Miami.

Parece que a coisa é ainda pior: se já temos uma refugiada, agora vemos que já existia outro refugiado. Ou seja, se Cuba prejudicou Ramona, também o fez com o namorado dela que está em Miami. Parece que o show de horrores cubano não tem fim.

Em tempo: ela apenas “alegou” que recebe apenas 400 dólares do programa do governo federal? Se não passa de uma “alegação”, será que o PT tem evidências do contrário? Ao que parece, não tem…

Ramona usou Caiado, que usou Ramona, adicionando contornos dramáticos à “fuga” da médica cubana dos rincões da Amazônia, no Pará. Disse que ela estava sendo vigiada pela polícia local e que só agora teria conseguido burlar esta segurança.

Como sempre, a mídia governista mente. Ninguém “usou” ninguém, pois, como vemos, tanto Caiado como Ramona saíram beneficiados desta história. Caiado pôde enfim demonstrar com provas cabais a imoralidade absoluta da contratação de escravos pelo governo brasileiro. E Ramona enfim está prestes a ser uma mulher livre.

O deputado é opositor do governo Dilma e abraçou Ramona e sua causa. Ele, que já havia comparado no ano passado o programa à escravidão, levou a cubana ao Congresso e fez seu proselitismo político.

Coisa feia, coisa muito feia este parágrafo acima. Basicamente, ele tenta associar a causa de Ramona à oposição do governo, o que, no fim das coisas, explica muita coisa. Se opor ao PT, é se opor à escravidão.

Ramona é tratada pelo DEM como uma refugiada e está abrigada na liderança do partido no Congresso. Come, dorme e toma banho lá.

E isso com certeza está incomodando muito ao PT. Como já havia dito, o gabinete do DEM virou o novo Palmares.

Mas agora surgiu um novo componente neste folhetim político. A cubana tem um companheiro que mora em Miami e quer ir para as terras norte-americanas. Antes de desembarcar nos braços de Caiado, a médica foi à Embaixada dos EUA em Brasília pedir asilo. Tomou um não como resposta.

Preste bem atenção no trecho acima. Ele vai nos ser útil daqui a pouco.

O DEM afirma que vai pedir asilo político ao governo brasileiro para Ramona. Enquanto isso, ela vive na Liderança do partido e Caiado pode ter uma hóspede por muito tempo. Não se sabe se ou quando a Embaixada norte-americana autorizará o visto para que Ramona desembarque em Miami.

Aha. No parágrafo anterior, o blog Brasil247 disse que Ramona havia tomado um “não” da embaixada dos EUA. Agora dizem que “não se sabe se ou quando a Embaixada norte-americana autorizará o visto para que Ramona desembarque em Miami”. Ué, mas eles não haviam dito que ela já havia recebido o “não”? Eles realmente não revisam seus textos. Estão blogando com pressa e no desespero, com certeza.

Enquanto isso Caiado segue como tutor de Ramona, hospedando a médica e criticando o governo federal. É a nova novela do Congresso.

Mas quando investigamos a situação dos cubanos, a coisa vira mesmo é um filme de terror.

Falando em terror, outra possibilidade tem aterrorizado os petistas: a possibilidade de Ramona trabalhar na AMB, conforme vemos na matéria “Cubana vai trabalhar na AMB que desqualificou cubanos”, também do Brasil247.

Leia:

Forte crítica do programa Mais Médicos, a AMB se destacou na época do anúncio do programa por desqualificar os médicos cubanos. Uma nota em especial emitida pelo presidente da associação, Carlos Michaelis Jr., chama a atenção. Segundo ele, a iniciativa do governo federal criaria duas medicinas no País.

“A primeira terá os que poderão exercer a profissão livremente em todo o território nacional. A segunda é composta pelos médicos intercambistas, que terão seu exercício profissional limitado, com qualidade duvidosa para atender a população”, escreveu Michaelis Jr.

A médica cubana protocolou na tarde desta quarta-feira 5 pedido de refúgio no Conare (Comitê Nacional para os Refugiados) e aguarda agora alegando condições precárias de trabalho no município de Pacajá, no Pará, onde atuava pelo programa Mais Médicos.

Ela anunciou nesta quinta-feira 6 que irá recorrer na Justiça para receber a diferença de salário pago pelo governo brasileiro a Cuba. O governo brasileiro paga R$ 10 mil para cada médico do programa, mas no caso dos cubanos, que são contratados por meio de convênio com a Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), o dinheiro é repassado ao governo cubano, que paga R$ 400 para cada médico da ilha no Brasil.

Há uma fraude intelectual nesta matéria quando o Brasil247 diz que a AMB desqualificou os médicos cubanos. Nada mais falso. A AMB apenas questionou a presença de médicos não revalidados. Mas questionar alguém não é desqualificar, muito pelo contrário. Questionados são aqueles que poderão ser avaliados e, enfim, demonstrar sua competência. Na ótica petista, alguém “pendente de aprovação” é igual a alguém “reprovado”.

No fim do texto acima, vemos que Ramona está prestes a recorrer na Justiça para receber a diferença de salário pago pelo governo brasileiro à Cuba. Ainda dentro desse assunto, a notícia abaixo, do Globo, tem tudo para deixar os petistas ainda mais destemperados:

O procurador Sebastião Caixeta, do Ministério Público do Trabalho (MPT), afirmou ao GLOBO nesta quinta-feira que a médica cubana Ramona Rodríguez tem razão nas suas reivindicações e que ela, e os mais de cinco mil cubanos do programa Mais Médicos, deveriam receber integralmente os R$ 10 mil, e não parte disso. Caixeta disse que, com a revelação do contrato de Ramona, fica claro que está estabelecida uma relação de trabalho dos médicos do programa – de todas as nacionalidades – com o governo brasileiro. O procurador afirmou ainda que o contrato trouxe à tona que não se trata de uma bolsa para um curso de pós-graduação e especialização, mas sim de um vínculo laboral, de trabalho mesmo.

Para Sebastião Caixeta o documento apresentado por Ramona esclarece muitas informações que o MPT não conseguiu, até agora, extrair do governo, que alegou cláusulas confidenciais para não apresentar os contratos com a Organização Panamericana da Saúde (Opas). O Ministério Público irá concluir um inquérito nos próximos dias e apontará que, além da relação entre os médicos do programa e o governo ser de trabalho – com todos os direitos que advêm desse tipo de relação – que os cubanos têm que receber integralmente seu salário, inclusive os retroativos. O procurador é quem cuida desse tema desde o ano passado.

– Estamos concluindo que há, de fato, problemas no programa Mais Médicos. Há um desvirtuamento na relação de trabalho dos profissionais. Todos foram recrutados para o que seria um curso de pós-graduação e especialização nas modalidades ensino, pesquisa e extensão. E não é isso que nós vimos. Há uma relação de trabalho e o que eles recebem é salário e não uma bolsa – disse Caixeta.

Sobre os cubanos, o procurador afirmou que já era sabido que os cubanos receberiam menos, mas que os valores estavam em outros patamares e variava entre 25% a 40%.

– Era o que o governo nos informou, mas tentamos obter documentos que disciplinassem isso, mas sem sucesso – disse.

O procurador falou que o caso de Ramona esclareceu toda a situação.

– Mesmo recebendo entre 25% a 40% já seria uma distorção, uma discriminação que não é aceita pelo ordenamento jurídico nacional. E nem pela Constituição e tratados internacionais. O contrato que veio à tona com a Ramona expôs a situação com mais clareza. Efetivamente o tratamento que os cubanos estão recebendo viola o Código de Práticas para Recrutamento Internacional de Profissionais de Saúde, que é da OMS (Organização Mundial da Saúde). Um documento que o governo invocou quando lhe interessou. O tratamento igualitário deixou de ser aplicado.

O procurador afirmou que, antes de ingressar com uma ação contra a União, o MPT cobrará do governo brasileiro que altere esses dois pontos, que trate a relação como de trabalho, com todos os médicos do programa – incluídos os brasileiros – e que paguem integralmente os salários aos cubanos.

– O que a Ramona trouxe à tona corrobora com a conclusão que apontávamos. No contrato que ela apresentou fica claro que se trata de relação de trabalho e não de uma bolsa de pesquisa. Evidente que o propósito do programa é muito salutar, de levar saúde à toda população. Mas é preciso respeitar as regras e normas constitucionais.

Caixeta se reúne com Ramona na próxima segunda-feira.

Diante disso tudo, o deputado Zé Geraldo (PT-BA), partiu para a baixaria:

Incomodado com a atitude da médica Ramona Rodriguez em abandonar o programa Mais Médicos, o deputado Zé Geraldo (PT-PA) reagiu atacando a vida pessoal da cubana. Em discurso no plenário na tarde desta quinta-feira, o parlamentar citou uma nota assinada pelo presidente do Conselho Municipal de Saúde de Pacajá, Valdir Pereira da Silva, na qual Ramona é apontada como uma pessoa que ingere bebida alcoólica.

Mais outro ponto constrangedor para o PT. Supondo que a acusação seja verdadeira (há dúvidas quanto a isso), temos um detalhe: se ela é alcoólatra e isso é um problema, por que só foi revelado após ela ter pedido asilo? Essa é a ética do PT: não há problemas para quem está do lado deles em seus conluios.

A nota diz que ela tentou levar um homem para seu quarto na casa onde morava na cidade paraense, mas foi impedida por suas colegas de moradia. O texto diz também que Ramona se indispôs com enfermeiros e funcionários do hospital onde trabalhava.

Pergunta: qual o problema dela levar um homem para seu quarto? Se ela é uma pessoa livre, pode levar homens para seu quarto.  Notaram como é fácil achar “gaps” no discurso petralha?

– Quero dizer que essa médica foi é tarde – disse Zé Geraldo em seu discurso.

Isso tem um nome: discurso de derrota. É igual ao famoso “nem queria, nem queria” dos tempos do jardim da infância.

Na carta, o presidente do conselho municipal de saúde faz acusações contra a médica: “Ao chegar em Pacajá a Drª Ramona fez amizade com um comerciante local passando a frequentar a casa do mesmo, e por várias vezes ingeriu grande quantidade de bebida alcoólica ficando visivelmente embriagada. Recentemente ao retornar à noite para casa onde se hospeda, trouxe consigo um homem estranho, no intuito de levá-lo aos seus aposentos e foi impedida pelas colegas que não concordaram com a presença do estranho por ser essa uma conduta proibida pelas regras de convivência da casa. Tal fato arruinou de vez a convivência da Drª Ramona com suas colegas de trabalho chegado a se indispor com enfermeiros e demais funcionários do hospital onde trabalhava”, afirma.

Já isso se chama assassinato de reputações. Mas a história contém muitos dados estranhos.

Como pode o fato de uma mulher tentar levar um homem para sua casa “arruinar de vez” a convivência dela com os colegas de trabalho? Será que entre os médicos cubanos existe um surto de puritanismo em pleno século 21? Ademais, o banzo pode explicar o fato dela tomar um goró uma vez ou outra.

A argumentação da mídia petista é praticamente um OANI (Objeto Argumentativo Não Identificado). Quais os motivos para condenar moralmente a desertora Ramona? Ela toma uns tragos de vez em quando e tentou levar um homem para o seu aposento. É mole?

Anúncios

16 COMMENTS

  1. Os petistas só sabem encontrar ad hominem onde não há essa falácia. Falar que Ramona levava 1, 2, 50 homens, ou ficava bêbada ou usa crack é ad hominem, nada tem a ver com os fatos.

  2. Para os esquerdistas escravos não podem pedir demissão do emprego para irem viver com o namorado, nem levar homens para seus quartos.
    Claro, porque ela não é uma funcionária que trabalha por livre e espontânea vontade, é uma escrava.

    Mais uma confissão deles de que os médicos cubanos são todos escravos.
    Continuem assim!

  3. Falou em PT tem que falar em IMPEACHMENT, temos que utilizar a “áurea” dessa palavra contra o PT, da mesma forma como eles sempre fizeram quando eram oposição. Se alguém encontrasse um vereador do psdb roubando no interior do Acre, já vinha um monte de petralha pedindo impeachment de FHC. E por quê, se eles sabiam que não conseguiriam impeachment nenhum? Ora, eles queriam apenas criar um clima ruim para o governo. Temos que fazer a mesma coisa, usar essa mesma estratégia, os motivos não faltam (corrupção, incentivo a escravidão cubana, denúncias do Tuma Jr etc). Precisamos criar esse clima de impeachment contra o PT, mesmo sabendo que não vamos conseguir impeachment nenhum.

    Criar esse clima contra o PT já é ponto positivo para nós, e não irá nos custar nada além de simplesmente fala no assunto (IMPEACHMENT).

  4. Tua tese da Espiral do Delírio se mostra a cada dia mais acertada. Raramente se viu um nível tão alto de demência e histeria coletiva quanto nesses últimos tempos.
    Segue aqui o que o tal do Stanley Burburinho (um dos mais notórios blogueiros sujos) escreveu sobre o caso:

    “Nada me tira da cabeça que tem a digital da nova embaixadora dos EUA no Brasil nesse caso da médica “cubana”. Essa nova embaixadora dos EUA no Brasil, foi nomeada por Obama em junho de 2013, mês de início das “manifestações”. Ela era a embaixadora dos EUA no Paraguai quando o golpe jurídico-midiático, o que estão tentando aqui, derrubou Lugo e a direita assumiu a presidência do Paraguai. Agora, várias bases militares dos EUA estão sendo implantadas no Paraguai. O Mossad, serviço secreto de Israel envia para o Paraguai milhares de membros para fazer treinamento”

    O.O

    • O Paraguai ainda é uma democracia. Lá, o golpista Lugo sofreu legítimo ‘impeachment’ como Collor sofreu quando aqui ainda era uma democracia. Como Lula deveria ter sofrido em 2005, se ainda tivéssemos o Estado de Direito no Brasil. O resultado ´é que o Paraguai hoje é feliz e livre, com presidente eleito sem uso da máquina que proporcionou crescimento econômico recorde na América: 14,1%, enquanto o regime castro-petista nos proporciona crescimento só de analfabetismo, criminalidade, desemprego real (vide recorde de seguro-desemprego e bolsas), impunidade e desvios de bilhões prá Cuba, que hoje manda mais no Brasil do que os EUA jamais mandaram em quqlquer república das bananas do hemisfério.

      • Se fosse a Venezuela ou a Argentina que tivessem tido crescimento de 14,1% seria manchete no Brasil!
        Mas é um governo que não é esquerdista então eles escondem o sucesso.

        Apesar disso não tenho certeza de que todo esse crescimento é sustentável, pois se foi feito via inflação poderá ter um retrocesso depois, pelo teoria Austríaca dos ciclos econômicos. Mas isso não invalida a minha observação. Até porque se esquerdistas fossem criticar o Paraguai usando esse argumento eles estariam admitindo que a escola de economia Austríaca é que está correto e de quebra teriam que assumir que para ter crescimento sustentável é preciso reduzir o tamanho do governo. Algo impossível para esquerdosos.

  5. Sinceramente, quando eu li essa apenas pensei: “Eles não deram essa mina de ouro”

    A propósito, mais um comportamento pra você analisar: “Os EUA oferecem incentivos pros cubanos desertores, então viver em Cuba é uma maravilha!”

  6. Luciano, o pesadelo deixa de ser só petista e passa também a ser pedetista também: veja esta do Brizola Neto e pergunte-se quando é que ele vai conseguir explicar que Ronaldo Caiado está sendo agente cubano por simplesmente ter chamado para si a responsabilidade com a médica cubana que está sob sua proteção. O neto do velho caudilho gaúcho “amado” pelos cariocas está tão confuso que está até difícil entender o que ele quer dizer.

Deixe uma resposta