Quando esquerdistas agem feito lorpas e pascácios diante deste blog: mais um pouco sobre o caso do bandidinho amarrado ao poste

36
203

doolittle

O excelente texto escrito por Bruno Krasnoyev é uma ótima introdução para o tratamento que farei a um bando de esquerdistas que se revoltou contra o texto que trouxe ontem:

Cansei. Realmente cansei dos meus colegas, inclusive alguns aqui no próprio R7, que ficam defendendo o direito desses bandidos. O Sindicato dos Jornalistas repudia a fala de Rachel. Acho isso cansativo demais. O que Rachel fez demais? Ela, simplesmente, disse o que todos nós gostaríamos de dizer: chega de proteger criminosos. Quem já foi assaltado ou já teve uma arma na sua cara sabe bem o que estou falando.

A polícia, qualquer polícia, não pode nem dar uma “pegada” mais forte num sem vergonha “de menor” que, imediatamente, surge um bando de jornalistas e defensores dos direitos humanos metendo o pau nos policiais. Querem o quê? Querem que esses marginais sejam tratados a pão de ló?

O grupo que prendeu o “marginalzinho” no Rio de Janeiro agiu porque não confia mais na polícia. Não confia mais nesse bando de políticos, que só sabem se proteger e fazer leis para eles mesmo se beneficiarem. O que aconteceu no Rio é apenas o começo. Se a violência continuar do jeito que está outros grupos surgirão. A sociedade brasileira não suporta mais tanta violência. Se você sair por aí perguntando aleatoriamente a cada brasileiro o que ele acha disso tudo, tenho certeza absoluta que a imensa maioria vai concordar com Rachel Sheherazade.

Volto a repetir: ela só verbalizou o que está entalado na garganta de todos nós. Bandido precisa ser tratado como bandido. E os meus colegas jornalistas precisam olhar com mais atenção às vítimas. Para essas, sim, é que os defensores dos direitos humanos devem olhar.

Mas, no Brasil, só assassino tem a companhia dessa turma de direitos humanos, que recebem toda atenção da mídia brasileira. Chega. Cansei. Cansei desse pessoal e dos jornalistas que não conseguem enxergar o desastre da nossa segurança e que só escrevem e falam para defender os direitos desses marginais.

Tá lendo por quê? Se você não gostou, adote um bandido você também.

É isso aí. A declaração de Rachel deveria ser tratada com esta simplicidade acima, ao invés do patrulhamento ideológico abjeto que a esquerda tentou lançar contra ela.

Aliás, a simplicidade com que Rachel divulga seus pontos de vista tem sido um diferencial a favor dela. Talvez isso explique a revolta da extrema-esquerda. Com a mesma assertividade, ela se defendeu na última edição do SBT:

Como se nota, não há motivo algum para patrulhamento ideológico contra ela. Mas esperar algum tipo de honestidade intelectual vinda da extrema-esquerda é viver em ilusão.

Hoje em dia, por exemplo, assistimos vários jornalistas de esquerda encontrando atenuantes para crimes cometidos por marginais profissionais. Quando uma pessoa de direita menciona um atenuante para crimes cometidos por pessoas não envolvidas com o mundo do crime (e, por enquanto, não sabemos se os agressores do marginalzinho tem ficha criminal) contra um criminoso confesso, a esquerda começa um dramalhão. Quem quer que não perceba que a esquerda sofre de uma inversão de valores doentia tem seríssimos problemas de julgamento ou é deliberadamente desonesto.

Como evidência deste misto de desonestidade e histeria, vi mais de 20 posts (nenhum deles aceito, obviamente) com uma série de ameaças e ofensas contra mim, mas nenhuma argumentação legítima de fato.

Mas resolvi vasculhar a lixeira do meu WordPress para trazer os melhores frames fraudulentos que foram tentados contra este blog, todos eles devidamente refutados.

Comecemos:

  • “O Luciano compara um homem a um animal, mas o primeiro é racional e o segundo não”

Falso. Eu disse que ao protegermos animais humanos de outros animais (humanos ou não) perigosos, não estamos dando vazão à “sede de vingança”. O argumento é bem simples e lógico, denunciando a fraude tradicional dizendo que aqueles que pedem punição a criminosos querem “vingança”. O animal (irracional) que escreveu o frame acima disse que “um cachorro é um animal irracional, incapaz de aprender as coisas, e que deve ser controlado quando oferece riscos”.

Difícil imaginar argumentação mais delirante que essa. Qualquer coisa que oferece riscos injustificados deve ser “controlada”. Aliás, cachorros também “aprendem coisas”. Só militante de esquerda como este que não…

  • O Luciano disse que “o sujeito não sofreu nada, pois não teve pedaço arrancado”. Mas ele foi amarrado em um poste e foi despido, o que é humilhante. Então sofreu alguma coisa.

Mais outro discurso baseado em histeria, que não tem nada a ver com o que eu escrevi. Eu disse que, mesmo que o bandidinho tenha sofrido uma baita humilhação, ainda é praticamente nada, pois o sujeito está ileso, perto do que sofrem várias vítimas de criminosos violentos.

  • O Luciano parece tratar todos os que cometem crimes como uma coisa só

Aqui eu até entendo o chilique dele, já que ele provavelmente leu apenas o texto de ontem, e não outros que já escrevi sobre o tema, como a série que está em “Rotinas Esquerdistas”.

Na verdade, eu trato todos os criminosos violentos como uma coisa só, claro que em diferente graus de periculosidade. E o bandidinho já havia cometido furto e roubo. No primeiro caso, podemos até pensar em não transformá-lo, imediatamente, em uma besta perigosa aos demais animais humanos. Mas no segundo caso não há perdão: quem pratica roubo usa armas de fogo contra outras pessoas, e já é um crime hediondo, ao menos em termos morais.

Esses dias um taxista me comentou que foi vítima de roubo. O coitado estava traumatizado, e com medo até de parar em uma loja de conveniências . Quem comete roubo usa de violência e ameaça, e não deixa suas vítimas traumatizadas. Ou seja, o bandidinho preso ao poste não é nenhum santo.

  • Ninguém usa mais o termo “vítima da sociedade”

Até parece que o sujeito não leu os textos de Sakamoto, que chegou a dizer que as vítimas são culpadas por sofrerem roubo. Motivo: praticam crime de ostentação. Aliás, temos este verbete sobre “vítimas da sociedade” na Wikipedia.

  • Quem tem menos oportunidades, deve ser menos punido se cometer crimes violentos

Mais um discurso que não faz sentido, pois quem tem menos oportunidades, tem maior probabilidade de ser vítima de crimes violentos. Quanto mais posses alguém tem, menos precisa usar transporte público, frequentar lugares perigosos e podem se proteger mais. Esse discurso tentado pelo esquerdista é apenas uma forma de incentivar o crime.

Melhor seria dizer: “Independentemente das oportunidades que alguém tenha tido, a lei é a mesma para todos”.

  • O criminoso merece ser reeducado, e não punido

dei uma ideia (que irritou muitos esquerdistas) mostrando que é um falso dilema dizer que devemos optar pela reeducação ou punição do criminoso. Podemos optar pela reeducação do criminoso por optarmos por sua punição.

  • As pessoas que bateram no bandido tiveram oportunidade, portanto não merecem atenuantes

Mais um para a série de discursos infelizes esquerdistas. Como já disse antes, qualquer tentativa de criar leis diferentes para as pessoas é imoral por si só, além de um vergonhoso desrespeito com todos os cidadãos pobres que não são criminosos.

  • Os sociólogos de esquerda estão preocupados tanto com o criminoso amarrado ao poste quanto com as vítimas dele

Isso não é nem de longe verdade. Podemos demonstrar isso empiricamente: qual o nível de esforço gasto por esses “sociólogos” para protestar contra os crimes feitos contra civis, em comparação com os protestos feitos por civis que dão cascudos em criminosos violentos? É evidente que temos uma desproporção de esforço (em preferência dos marginais, obviamente) mostrando que realmente a esquerda se preocupa muito mais com criminosos violentos do que com suas vítimas.

O nível de argumentação da esquerda é sempre assim, histérico e chiliquento, mas sem jamais sequer prestar atenção na argumentação oponente.

Vamos rever então, em nível de silogismo, qual é a argumentação base de meu texto anterior:

  • (1) Criminosos violentos tendem a atingir pessoas sem passado relacionado ao crime
  • (2) Vigilantes ocasionais tendem a atingir pessoas com passado relacionado ao crime
  • (3) Pessoas sem passado criminal, ao serem vitimadas, conferem um maior problema moral do que se o mesmo ocorrer com pessoas com passado criminal (no caso de crimes violentos, para este argumento)
  • (c) Logo, ao menos na média, quem está enquadrado em (1) não pode ser comparado a quem está enquadrado em (2)

Outro argumento:

  • (1) É típico de esquerdistas atenuarem crimes cometidos por marginais profissionais contra civis
  • (2) A direita, por outro lado, pode, em contrapartida, atenuar crimes cometidos por civis contra marginais profissionais
  • (3) Esquerdistas dizem que (2) é ato de incitação ao crime, que deve causar censura a jornalistas que proferem discursos apoiando (2)
  • (4) Entretanto, esses esquerdistas praticam (1), e não reconhecem que (1) é incitação ao crime, portanto, é um discurso liberado – e é mesmo, não devendo ser passível de censura, mas sim de rejeição social.
  • (5) Ao professarem (4), esquerdistas neutralizam (3)
  • (c) Logo, não é lícito que esquerdistas peçam punição por incitação ao crime para Rachel Sheherazade

Aos esquerdistas raivosos que (tentaram) postar por aqui: entenderam agora? Não há motivo para polêmica e nem chiliques injustificados.

Aos militantes que disseram que meu texto “promove violência” ou “defende opressão”, só posso dizer que o que está postados nos silogismos acima é consequência da mera aplicação da lógica, pois em nenhum momento meu texto incentiva qualquer prática de crime, apenas compara eventos e comportamentos, e elabora graduações morais com base em lógica, além de estudar atenuantes para a situação em que a vítima de uma agressão é um criminoso confesso (com um passado de crimes violentos, incluindo roubo) e seus ofensores são pessoas cansadas de serem vítimas de crime, ao que parece.

Meu texto fala apenas disso e da imoralidade residente no patrulhamento ideológico lançado contra Rachel Sheherazade. Mas, assim como reagiram contra ela, se tornaram bestas humanas quando desafiadas pela razão diante de meu texto.

Sendo assim, aos esquerdistas raivosinhos que não entenderam absolutamente nada do que escrevi, digo: são lorpas e pascácios que continuarão confinados à lixeira da caixa de comentários deste blog. Diante desse tipo de gente, me sinto como o personagem Doolittle, ao dialogar com quadrúpedes.

Anúncios

36 COMMENTS

  1. Luciano, ainda Rio, ainda violência, mas mudando de foco para os black blocs: cinegrafista da Band é atingido por bomba e perde parte da orelha. O cinegrafista, que não teve o nome revelado a pedido da Band e de sua família está internado em estado grave, já tendo feito cirurgia para diminuir a pressão intracraniana causada por uma hemorragia cerebral e estando internado em estado grave no CTI do Souza Aguiar.
    Em relação ao caso, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) já publicou nota de repúdio ao ataque sofrido pelo cinegrafista, bem como há esta outra notícia d’O Globo. Pelo que diz o Reinaldo, o tipo de bomba jogado no cinegrafista não é compatível com bombas de gás lacrimogênio ou de efeito moral.

  2. Eu comecei a ler as respostas que enviaram para você, mas eu nem consegui chegar ao final. Não é possível que existam pessoas tão burras assim. Você está de sacanagem com a gente e criou estas respostas.

  3. (HISTÓRIA DO BRASIL Censura: O regime militar e a liberdade de expressão por Antonio Carlos Olivieri da Página 3 Pedagogia & Comunicação)

    “Por censura, basicamente, entende-se o exame a que são submetidos trabalhos artísticos ou informativos, com base em critérios morais ou políticos, para decidir sobre a conveniência de serem ou não liberados para apresentação ao público em geral. A censura foi uma das armas de que o regime militar se valeu para calar seus opositores e impedir que qualquer tipo de mensagem contrária a seus interesses fosse amplamente divulgada.”

    “… eu vejo o presente repetir o passado…”

  4. Caro Luciano.

    Por favor, veja e avalie o texto abaixo, escrito pelo General de Brigada Paulo Chagas.
    Não é minha intenção fazer uma provocação intelectual.
    Eu não conheço esse General e talvez você tenha mais informações, que seriam muito úteis a todos nós.

    Antecipadamente grato.

    http://www.militar.com.br/blog27408-%C3%89-bom-se-preparar-%E2%80%93-o-tranco-vai-ser-Forte–Gen-Paulo-Chagas#.UvCgyPldUmH

    É bom se preparar – o tranco vai ser Forte!

    Líderes Invisíveis – General Paulo Chagas

    Quem não está na linha de frente, não tem o direito de abrir a boca para cobrar resultados, principalmente se for estrangeiro. Quem não faz parte do processo deve controlar seus ímpetos e ser prudente ao emitir opiniões emocionais. Não é preciso lembrar nem cobrar das nossas FFAA que tenham a coragem, a dignidade, a honra e o patriotismo de salvar nosso país. Não se deve confundir a eventual “omissão” de três comandantes militares burocratas das Três Forças com os LÍDERES MILITARES DA ATIVA, totalmente invisíveis à mídia e à população. A Sociedade não os conhece. São anônimos. Vivem confinados em suas Bases Militares, comandando suas tropas, treinando seus efetivos, administrando seus poucos recursos e sofrendo tanto ou mais do que cada um de nós, que ama o Brasil. Os Militares vivem conosco este momento de incerteza nacional e sofrem tanto ou mais do que nós. Para os que não se lembram, Militar tem esposa civil. Tem filhos civis. Têm parentes e amigos civis. Os nossos Militares ganham pouco. Conhecem a realidade nacional com muito mais precisão do que nós, graças ao Serviço de Inteligência do Exército Brasileiro, que infiltra seus tentáculos em todo e qualquer movimento social. Temos uma das (poucas) melhores Forças Armadas do Planeta. Somos internacionalmente reconhecidos. Todos os anos, 4 cadetes da Academia West Point – N. Y., USA fazem estágio nas Agulhas Negras, e, 4 cadetes da AMAN, fazem estágio na West Point. Nossos generais combatentes (O General Enzo é engenheiro e não combatente) são reconhecidos como sendo detentores de notória formação militar pelas FFAA dos USA e Rússia, por exemplos. Nossas Academias (Escola Naval, AFA e AMAN são consideradas ilhas de excelência em ensino militar no Mundo. Além disso, as FFAA, enquanto instituições, são perenes e transcendem às eventuais ideias contrárias de seus membros não alinhados com o Dever Constitucional. Portanto, não é necessário ofender, gritar, espernear, xingar, tampouco ficar lembrando aos LÍDERES MILITARES (INVISÍVEIS AO OLHO COMUM), suas atribuições, deveres e obrigações. Em primeiro lugar, militar não suporta ouvir choro. Em segundo lugar, não há mais o que se preparar. A Força sempre está preparada! Tudo é uma questão de tempo e melhor oportunidade. Entretanto, a questão é por demais complexa. Não estamos falando de se “fechar a boca de fumo da esquina”, estamos falando de uma situação de extrema gravidade que demanda responsabilidade. Uma Guerra Civil pode demorar décadas para ser definida (se o for) e pode destruir uma Nação. Isto não é brincadeira de vídeo-game. Há dezenas de milhões de vidas humanas em risco. Mesmo assim, o dever constitucional jamais deixará de ser cumprido. Jamais! O “timing” dos civis” não é igual ao “timing” dos nossos LÍDERES MILITARES INVISÍVEIS DA ATIVA. É bom se prepararem, Amigos, pois o tranco vai ser forte! Quem não acreditar, que comece a orar! Ninguém perderá coisa alguma por esperar…
    – General de brigada Paulo Chagas

    “O ser humano não inventa, não cria e nem inova, ele apenas aperfeiçoa.”
    – Cláudio Eugênio

    Quem venham! Por aqui não passarão!

    BRAÇO FORTE!
    ARMAS ENSARILHADAS ENFERRUJAM E EMPERRAM A LIBERDADE!

    É GRAÇAS AOS SOLDADOS E NÃO AOS POLÍTICOS QUE A DEMOCRACIA SE ETERNIZA!

    S E L V A !

    VISITE MEU BLOG

    http://www.militar.com.br/blog-de-Castelo_Branco-6523

    R E P A S S E M !

    Forte abraço.

    • Caríssimo Jack,

      Uau!! O_º

      Esse depoimento até me alivia o coração! Palavras que me causaram uma ótima impressão, ditas com muita destreza, segurança e seriedade.

      Seja lá quem for que assinou o texto… que assim seja, AMÉM!

      É disso que eu tô falando…

      Luciano, que que cê achou disso? Esse texto mandado pelo Cap. Sparrow não é um PUTA FRAME que à imagem e semelhança de W.Churchill, exorta os jogadores a entrar em campo PRA VENCER, mesmo com o placar totalmente desfavorável ? Mais assertivo e estimulador que isso eu não conheço.

      Jack, já pensou em mandar esse texto lá pro prof. Olavo (pra ver se ele refaz o sentimento de desprezo e tristeza em relação às FFAA?

      Bração pra ti.

  5. Luciano,

    Os comentários que pegou foram de um blog chapa branca, mas veja este publicado no jornal de papel da folha:

    Tem razão Erivan A. Santana (Painel do Leitor, ontem) ao associar a barbaridade contra um jovem no Rio e a prática do pelourinho durante a escravidão. O jovem negro foi acusado de roubo, não de violência contra pessoas, fato importante para se dimensionar a que ponto chegamos em preconceitos e colocamos bens materiais acima da dignidade humana.
    Dagmar Zibas (São Paulo, SP)

    Consegue mensurar o nível de burrice, estupidez ou vigarice? O “jovem negro” foi acusado apenas de roubo! Mas não de violência… primeiro ela não viu que o “jovem negro” em questão foi já preso por furto e roubo, e o que diferencia um do outro é? Violência! O roubo é cometido mediante violência! Ameaça à vida! É mais que violência, é violência para roubar, ameaçar a vida para tomar os bens materiais, caso contrário seria apenas furto, que também está na ficha corrida do “jovem negro”.

    Consegue acreditar no nível de incoerência? Coitadinho, tudo que fez foi roubar, e imagino de forma polida “Excelentíssima senhora, gostaria de lhe interpelar por conta deste belo colar, note que possuo este três oitão que pode te encher de furos e tirar sua vida, ou caso tenha preferência por algo mais silencioso esta faca faz a mesma coisa, ou ainda posso faze-lo apenas com minhas mãos, mas aviso, fará grande sujeira, mas entenda que não gosto de violência, estou aqui pedindo com toda educação e humanidade.”

  6. Olha que nojento, publicado na folha de hoje, colocam Sheherazade na defensiva por coisas que ela não disse, e nem ela está na defensiva, está sim desmintido a falsidade,com o óbvio, com a lei! Mas note que recortaram suas falas e arrumaram para dar o significado que queriam, este é o nosso jornalismo, não fica vermelho(já é) pego em manipulação tão óbvia.

    Sindicato de jornalistas faz críticas a âncora do SBT

    Sheherazade defendeu ação contra suspeito
    DE SÃO PAULO

    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro emitiu nota de repúdio à jornalista Rachel Sheherazade, âncora do “SBT Brasil”, que na terça posicionou-se a favor dos jovens que detiveram um suposto assaltante, o agrediram e o deixaram nu e preso com uma trava de bicicleta a um poste. O caso ocorreu na sexta, no Rio.

    A nota do sindicato afirma que Sheherazade “violou os direitos humanos, o Estatuto da Criança e do Adolescente e fez apologia à violência” em seu comentário no telejornal.

    Ontem, a dupla de apresentadores do “SBT Brasil”, Joseval Peixoto e Sheherazade, comentou a nota do sindicato e a repercussão do caso nas redes sociais.

    A âncora negou ter defendido a violência e disse ser uma “pessoa do bem”. “O que eu defendi foi o direito da população de se defender quando o Estado é omisso (…). Isso está na lei. Todo cidadão tem o direito de prender um meliante flagrado em delito.”

    Peixoto disse também que o posicionamento de Sheherazade não refletiu a opinião do SBT, emitida, segundo ele, por meio de editoriais. “Um princípio geral para todos nós é que é absoluta a liberdade de expressão”, disse. “E nós não abrimos mão desse direito”, completou Sheherazade.

  7. Luciano mete o CACETE nesses esquerdopatas doentios, não arrega. O que tem de MAV,s infiltrados nos vários grupos de discussão no Facebook e em vários outros ambientes virtuais não é brincadeira. O raça de frustados, de petralhas preguiçosos, de gente que não se esforça nem para dar um peido alis pode até dá mais irão querer se beneficiar disso.

  8. Tell it all fellows!

    CAMPANHA NACIONAL Pró-Brasil e anti-PT

    Rumo a 2014. Precisamos impedir a destruição de valores fundamentais como família, honestidade e honra.

    Aliste-se nesse exército – Divulgue isso no facebook e twitter.

    Precisamos deixar o PT sem uma base parlamentar, pelo menos por enquanto ninguém consegue governar sem maioria no CONGRESSO, e isso já seria um ótimo começo. As eleiçoes de 2014 são importantíssimas e a partir desse mês já há necessidade de um foco especial nos candidatos que poderão formar uma bancada forte e incorruptível no Legislativo.

    SE AS CATEGORIAS SE UNIREM EM UMA CAMPANHA NACIONAL JÁ PENSANDO NO ANO QUE VEM, PODEREMOS JUNTOS LIVRAR O BRASIL DESSA “ONDA VERMELHA” QUE AMEAÇA O FUTURO DE NOSSA NAÇÃO. Agora é a hora, estamos em um momento de mobilização. A comunicação entre os membros da sociedade esclarecida e ativa aumentou muito, as idéias e projetos de futuro tem fluido rápido.

    MILITARES em CAMPANHA NACIONAL ANTI-PT e Pró-Brasil.

    Rumo a 2014. Precisamos impedir a destruição de valores fundamentais como família, honestidade e honra.

    Militares participantes da passeata pelo reajuste de salários da forças armadas, manifestaram enorme decepção com a administração do país, marcada por escândalos seguidos, como Mensalão, cachoeira e outros. “Pensávamos que seria um governo de um homem do povo para o povo, mas tudo indica que se transformou no governo dos escândalos e favorecimentos ilícitos”, disse um dos militares.

    “No Brasil a família esta ruindo, no Rio a criminalidade só está sendo transferida para a Baixada e Niterói e a política de pão e circo só aumenta a cada dia… nos próximos anos vai ser só festa, e a roubalheira contínua”. Diz outro militar, reformado.

    Os militares das Forças Armadas somam mais de 600.000, entre os que estão em atividade e os da reserva. Somados com seus dependentes e círculos de influência esse quantitativo pode passar de 5 milhões de pessoas. Um número bem significativo, e que definitivamente pode mudar os rumos de qualquer eleição.

    Ainda que alguns pensem em criar um novo partido, para as próximas eleições a maioria parece estar se articulando para se candidatar dentro de legendas ja existentes, quase todos optam por partidos de direita.

    Os militares estaduais também estão muito insatisfeitos com o governo federal, que até hoje não facilitou para que as negociações sobre a PEC 300 prosseguissem. Na passeata em Copacabana também verificou-se a presença de lideranças dos policiais e bombeiros do Rio de Janeiro, e isso acena para uma possível união de militares federais e estaduais.

    Militares das Forças Armadas e auxiliares, comumente, são homens de conduta ilibada e bem relacionados, freqüente assumirem cargos populares, como síndicos em seus edifícios, diáconos em igrejas católicas e evangélicas, pastores e líderes comunitários. Mencionamos ainda os milhares de militares reformados que atuam como professores em escolas particulares e cursos pré-concursos. Homens acostumados a liderar e aptos para discursar diante de pequenos e médios grupos, eles representam realmente um perigo em potencial para o partido da situação, principalmente se, unidos, resolverem usar sua influência para um objetivo comum. A sociedade brasileira aos poucos, com a ajuda da internet, tem se esclarecido sobre as verdadeiras intenções dos partidos de esquerda, e por isso ha grande possibilidade de uam adesão em massa à candidaturas de direita. Outro ponto a favor são as pesquisas de opinião, que demonstram que as Forças Armadas são as instituições com maior credibilidade no Brasil, o que confirma que os militares brasileiros gozam de boa reputação junto à sociedade.

    Nos últimos meses há freqüente divergência entre militares das Forças Armadas e o governo. Manifesto Interclubes, abaixo-assinado dos oficias e marcha virtual, são exemplos de grandes questões surgidas redentemente, sem contar o reajuste de salários que não cobriu sequer a inflação.

    Essa queda de braço com os militares pode causar bastante prejuízo político, já a curtíssimo prazo. A conquista de mais de 300 mil adesões em um abaixo assinado no Senado mostra que os militares de hoje já aprenderam a se mobilizar politicamente, e podem utilizar seu status moral para conquistar a população, em sites e revistas militares abundam as solicitações para que as forças armadas assumam uma postura diante do mar de corrupção que assola o país.

    Temos certeza que nas proximas eleições, junto com os Militares federais e estaduais, os cidadãos honestos e conscientes expressarão sua insatisfação com a falta de perspectivas e a corrupção generalizada que assola o Brasil. A esmagadora maioria não acredita que qualquer tipo de autoritarismo seja a solução para o Brasil, mas se parcela significativa da sociedade tem falado nisso, é um indício de que ha muitos cidadãos insatisfeitos com a forma que tem sido conduzido o nosso país, e pode haver uma guinada à direita por parte do eleitorado, portanto, uma grande oportunidade para oferecer a opção de mudança. O momento é bastante oportuno.

    Abraços a todos.

    • Esse texto é seu ou do general? |¬)

      Discurso bacana, porém, quando confronto as palavras do tal general postado mais acima e de um desses milicos que disse:

      “Pensávamos que seria um governo de um homem do povo para o povo, mas tudo indica que se transformou no governo dos escândalos e favorecimentos ilícitos”, disse um dos militares.”

      …Eu fico um tanto confuso sobre “não haver mais o que se preparar, pois A Força sempre está preparada!”

      Mas general, porque A Força NÃO se preparou para o PT e ACREDITOU estar diante de um “homem do povo para o povo”??

      “Os militares das Forças Armadas somam mais de 600.000, entre os que estão em atividade e os da reserva. Somados com seus dependentes e círculos de influência esse quantitativo pode passar de 5 milhões de pessoas. Um número bem significativo, e que definitivamente pode mudar os rumos de qualquer eleição.”

      E ainda se somarmos a massa de evangélicos que se decepcionaram com o PT “do povo” + os católicos que estão COMEÇANDO a tomar coragem e a perder a vergonha em público + os ESQUERDISTAS ANTI-PETISTAS + liberais & libertários & ateístas & agnósticos & gnósticos & religiosos não cristãos que se libertaram do canto-da-sereia-revolucionária (parando de CONTRIBUIR INCONSCIENTEMENTE para o crescimento da extrema-esquerda), a coisa só tende a COMPLICAR para o PT & Cia limitada.

      “Ainda que alguns pensem em criar um novo partido, para as próximas eleições a maioria parece estar se articulando para se candidatar dentro de legendas ja existentes, quase todos optam por partidos de direita.”

      Partidos de direita? Onde, quando?

      Só acho que os milicos deveriam FORMULAR uma estratégia para ONTEM que possa desarticular o APARELHAMENTO DE TODO O ESTADO que tá nas mãos do PT (e sindicatos diversos). Acho realmente que fazendo isso, o Foro de São Paulo (o coração do bicho) será automaticamente atingido, como aquele rojão black-block direcionado pra cabeça do profissional da BAND.

  9. Vc, Luciano, já tinha nos brindado com aquele ‘porrete anti-marxista’ e agora a gente ganha um escudo de brinde. Valeu! :¬)

    -Pitacos poderosos:

    “Quando os arruaceiros metem fogo num ônibus e queimam viva uma menina inocente, é uma explosão justa da cólera popular. Quando alguém dá um soco no nariz de um bandido, é a violência fascista assassina.”

    “Se dizer que um crime é compreensível como efeito de problemas sociais é por sua vez um crime, então há provas maciças de que os acusadores da Rachel praticaram por anos a fio, em doses maiores e de maneira muito mais inequívoca, o crime que imputam a ela. Isso mostra que o processo que ameaçam mover contra ela é pura DENUNCIAÇÃO CALUNIOSA. Merecem em dose cêntupla a pena que querem impor a ela.”

    “Os líderes de esquerda não têm NENHUM direito de falar contra quem faça justiça com as próprias mãos, pois quase todos eles já fizeram isso.”

    Olavo de carvalho

    -E não custa nada relembrar:

    http://www.olavodecarvalho.org/livros/bandlet.htm

    -Luciano, resumo do porquê a direita não reage à altura com a assertividade e contundência devidas:

    “Um búfalo é muito mais forte e temível do que um leão. A diferença é que o leão quer comer um bife de búfalo e o búfalo não quer comer um bife de leão. Resultado: o leão acaba vencendo.” (Olavo de Carvalho)

    Belo epígrafo… Pegando carona num comentário lá do face do Olavo:

    Não adianta; pro búfalo virar esse jogo ele tem que ter a noção da PERDA. Perda dos bens, família, honra e vida.

  10. Luciano, veja bem este discurso de um comentarista no vídeo da Rachel:

    “meu filho, as reformas sociais no Brasil só foram feitas após uma história de reivindicações socialistas. A própria Igreja Católica a partir do Papa Leão XIII e a encíclica Rerum Novarum começa a falar sobe a necessidade de mediação entre trabalho e capital, a fim de evitar os conflitos provocados pela exploração exacerbadas do trabalho, como era de praxe no século XIX e início do XX. A lei de oito horas no Brasil é anterior ao Getúlio Vargas. E foi promulgadas após várias greves de movimentos anarquistas e socialistas. A pós a revolução russa, o operário brasileiro foi para o comunismo. Nesse meio tempo, aquilo que chamavam de questão social, qual seja, a crescene tensão urbana entre as classes trabalhadoras e as patronais já conhecia ao menos três mdelos: o solidarismo cristão, o fascismo corporativista e o modelo comunista. Toda ação porém de mediação entre capital e trabalho surgiu a partir das demandas e dos pensadores socialistas do século XIX. A questão é que enquanto o solidarismo cristão e o fascismo procuraram diminuir as lutas trabalhistas por uma concepção unitária e coopoerativa do trabalho e do capital, de participação mútua, de resignação e de políticas de apaziguamento de conflito. Seja como for. quem inventou mediação social entre capital e trabalho não foram os capitalistas, muito menos os autores clássico de direita,com oJoseph de Maistre, Edmund Burke e mesmo o famoso Adam Smith, que é do século XVIII então é difícil chamar de direita, nomenclatura posterior à Revolução Francesa. De qualquer forma, a direita identificada tradicionalmente como os defensores do liberalismo clássico, defendiam era a carga horário de 12 ou 15 horas, nenhum direito de previdência, assistência social e afins. São os socialistas que reivindicam isso, gente como Saint-Simon Fourier etc. A origem está aí. É importante dizer que modelos como o Varguista, às vezes chamados de “populistas” são hoje em dia expressões de difícil enquadramento. Por seu catolicismo, corporativismo, é tido como de direita por uns, par aoutros é de esquerda, justamente pelas políticas sociais. Não há consenso sobe isso. COmo ele porém foi um exímio caçador de comunistas e fez tudo para frear a luta do operariado, não titubeio a enquadrá-lo na direita fascista. De qualquer forma, um liberal clássico, ou seja, um direitoso de estirpe, jamais defenderia nenhum dos direitos assegurados ao trabalhador pela nossa constituição.”

    Este comentário foi dado em resposta a uma crítica do comportamento da esquerda.

    O principal argumento é: todas as conquistas trabalhistas foram fruto do trabalho de socialistas. Sem eles, não teríamos nenhum direito trabalhista.

    Que tal um post sobre isso?

  11. Aí, Comichão de Direitos Humanos! Corre ali que tem mais povo fazendo justiça com as próprias mãos!

    http://noticias.r7.com/cidade-alerta/videos/apos-cometer-abuso-maniaco-e-cacado-por-parentes-e-vizinhos-da-vitima-07022014

    Ligo a TV agora- 18:11- na Record e o frame da reportagem é ‘EXCLUSIVO, REVOLTA E CAÇADA A MANÍACOS.

    Chama a dona Maria do Rosário! Chama o Sakamoto! O Francisco Bosco!

  12. O problema é que ela teve que se explicar, acho isso um absurdo. Ela estava certa e foi bem clara, só não entendeu quem não quis, acho que ela deveria é contra atacar de forma mais dura essa gente.
    Força Rachel.

  13. Sr. Luciano Ayan, eu assisti o comentário do Pirulla a respeito dessa polêmica envolvendo a Rachel Sheherazade e encontrei nele alguns argumentos calcados em cima de algumas falácias. Não sei se as identifiquei corretamente. Ele já começa o vídeo dizendo que detesta a Sheherazade e discorda dela 100%, logo isso lembra a falácia do “apelo à emoção” calcado no sentimento do orgulho. Depois, mais adiante no vídeo, ele começa indiretamente condenando a vingança contra o marginalzinho e depois se contradiz que é a favor da vingança se alguém fizer algo à família dele. Ora, bolas, se pessoas que se sentiram amedrontadas pelo vagabundo não podem se vingar, numa situação em que o Estado é omisso, mas ele sim? Nesse caso, ele evoca a Justiça e a democracia para defender o meliante, mas o cidadão de bem não. Ele baseia o restante do vídeo na falácia da “pergunta carregada” para forçar o espectador do vídeo a concordar com ele com um monte de proposições espalhadas para validar seus argumentos.
    Desculpe isso ter ficado um pouco longo. Obrigado.

Deixe uma resposta