O que matou o cinegrafista Santiago?

17
54

124109_ext_arquivo

O cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, de 49 anos, atingido por um rojão lançado por Black Blocs durante um protesto em 6 de fevereiro, faleceu na manhã desta segunda-feira, 10. Veja notícia do Tribuna Hoje. Depois retorno:

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio acaba de informar a morte cerebral do cinegrafista da TV Bandeirantes atingido por um rojão em um protesto no dia 6 de fevereiro. Santiago Ilídio Andrade, de 49 anos, faleceu na manhã desta segunda-feira, 10. Ele estava internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Souza Aguiar, no centro, com afundamento de crânio.

Andrade estava em coma induzido desde que foi atingido por um rojão de vara na cabeça. No mesmo dia, Andrade passou por uma neurocirurgia para estancar o sangramento e estabilizar a pressão intracraniana. Além do afundamento de crânio ele perdeu parte da orelha esquerda.

Ele faleceu nesta manhã e estava em coma induzido. Santiago estava de costas para o artefato no momento da explosão. A impressa nacional está de luto.

A mulher do cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Ilídio Andrade, Arlita Andrade, fez um desabafo no domingo (9), em entrevista exclusiva à TV Globo, e disse que “falta amor” nas pessoas responsáveis por ferir gravemente seu marido, atingido por um rojão na cabeça quando registrava, na quinta-feira (6), uma manifestação contra o aumento da passagem de ônibus no Centro do Rio de Janeiro.

Andrade ajudou a criar os três filhos de Arlita e juntos tiveram uma filha. Ela contou que o carinho que recebe da família tem ajudado a enfrentar os momentos de aflição. As declarações foram dadas poucas horas depois de ela ter visitado o marido no CTI do Hospital Souza Aguiar.

“Hoje [domingo], quando entrei, senti que ele não estava nem mais lá. Ele não estava lá. Eu fiquei pensando, eu tenho que botar para fora, tenho que mostrar que ele não pode estar indo embora em vão.”

A mulher do cinegrafista contou como soube que Santiago havia sido ferido.

“Deu 20h45 [de quinta-feira], eu liguei e não foi ele que atendeu. Eu falei: Santiago? Disseram: não, aqui é… falaram o nome do cinegrafista. Falei: onde está o meu marido? Ele falou: está no Souza Aguiar, ele levou uma bomba na cabeça e está em estado muito grave. Levei um susto e achei que não tinha entendido. Eu falei: ele foi fazer alguma matéria sobre alguém que levou uma bomba? A pessoa falou: não, foi ele mesmo”, disse a mulher de Santiago.

Arlita viu as imagens que mostram o marido sendo atingido por um rojão e disse que tem recebido informações sobre a investigação policial. “Meu marido está indo embora, eles destruíram uma familia. Uma família que era unida”, disse ela.

“Acho que esses rapazes que fizeram isso, eles não tiveram, talvez, mães que não deram os ensinamentos que dei para os meus filhos. Como é que a gente vai ter paz no mundo se a gente não ensina para os filhos da gente? Então, isso é uma coisa que me deixou muito triste porque ele não merecia, é uma pessoa muito boa. Ele procurava sempre ajudar todos”, disse.

Arlita disse ter visto a entrevista de Fábio Raposo, preso no domingo (9) após confirmar em depoimento à polícia que passou o rojão para outro homem responsável por acender o artefato em meio à manifestação.

“Eu vi ele pedindo desculpa, mas acho que o que falta neles é o amor, o amor pelas pessoas, porque a gente não faz isso. Ele disse que foi sem intenção. Que seja, mas meu marido estava trabalhando, estava mostrando uma manifestação. Manifestação pode fazer, mas não precisa dessa violência. Perdoar? Meu marido está indo embora, eles destruíram uma familia. Uma família que era unida, muito unida mesmo. Os médicos disseram que o estado dele é grave, disseram de manhã que teriam desligado os aparelhos porque estavam somente aguardando ou milagre ou a morte cerebral”, lamentou Arlita Andrade.

De acordo com Arlita, Santiago fazia planos para a aposentadoria. “Ele tem 49 anos, então tinha muita coisa pela frente. Ele falou: quando me aposentar, você não vai mais trabalhar em creche, não. Você vai ficar comigo para a gente aproveitar a vida. O que mais me deixou triste é que ele estava fazendo trabalho para mostar para o mundo, ele não estava fazendo um trabalho para ele, ele estava fazendo trabalhando para mostar para o mundo e ele mesmo não vai ver”, disse.

A mulher do cinegrafista fez um apelo para que, nas próximas manifestações, as pessoas que participam dos atos pensem mais nas famílias.

“Eu peço que essas pessoas não sejam violentas, que não façam isso. Isso não vai levar a nada. O nosso Brasil só vai ser mal visto, ninguém vai querer olhar depois para a nossa terra. Eu espero que esses rapazes pensem na mãe, pensem na família, que a família é tão importante. Meu marido está indo embora, podem ser outros, pode ter outra família que pode ser destruída com isso. Que eles façam uma coisa [manifestação] pacífica, porque só sendo pacífica a gente consegue as coisas. Não adianta essa violência toda. Meu marido é mais uma pessoa, mas não quero que o nome dele fique esquecido, porque ele fez muito mostrando tudo, mostrando as misérias, mostrando tudo que aconteceu no mundo, no Rio, nas tragédias, nos morros, nas manifestações. Ele fazia tudo com maior carinho, tanto que mesmo caindo a gente nota [nas imagens] que ele foi segurando a câmera. Meu marido está indo embora e não tem preço para isso. Eu queria o meu marido, junto com a minha família. Era uma família muito feliz”, finalizou Arlita Andrade.

Sempre que alguém é assassinado, temos que buscar as causas do crime, assim como as motivações dos criminosos. É momento de estudarmos as causas para esta tragédia.

Que tal o absurdo ódio à imprensa livre que tem sido divulgado todos os dias por partidos e grupos sociais de extrema-esquerda, como PT, PSOL e PSTU?

Ou mesmo o discurso tradicional dizendo que “sem violência não se faz revolução”, que ignora deliberadamente os 198 métodos de revolução não-violenta explorados por Gene Sharp em From Dictatorship to Democracy? (Exemplos de ações não-violentas incluem boicotes, campanhas de ridicularização, processos e até enterros simbólicos, ou seja, quando alguém diz que “só se faz revolução com violência”, age de má fé)

E que tal a argumentação afirmando que Black Blocs são sempre inocentes de suas ações, ou seja, toda a culpa é sempre da polícia?

Seria injusto deixarmos de citar o apoio irrestrito ao quebra-quebra dado por intelectuais orgânicos da mídia, certo? (relembremos aqui o apoio incondicional dado por Ricardo Boechat ao barbarismo Black Bloc)

Que tal os tradicionais eufemismos usados pelos novos bárbaros para justificar quaisquer atrocidades que queiram cometer, como dizerem que “estão caminhando na marcha da história” ou “fazendo poesia concreta”? Nessa lógica, aliás, ninguém matou Santiago. Foi apenas “poesia concreta”…

Por que não incluirmos na lista uma cultura de covardia, baseada em incitações ao ódio de massa, conforme vemos abaixo na ameaça feita por um bando de moleques Black Bloc a outro cinegrafista? (Aqui chegam a dizer que “ele será o próximo”, mas, desta vez, o cinegrafista deu uns cascudos nos vândalos)

Claro que tentar atribuir a culpa a um destes fatores em isolado seria uma análise superficial. Todos estes elementos constituem, no entanto, o cerne do sistema moral da esquerda, baseado na justificação de quaisquer barbáries, a partir do momento em que um ou mais deles convence seus pares de que a causa justifica toda e qualquer atrocidade.

A partir de agora, eles tendem a se sentir motivados para atos de violência cada vez mais monstruosos. Grupos terroristas, aliás, nascem assim. Não podemos deixar de reconhecer que os Black Blocs são um grupo terrorista.

Engana-se quem acha que o PT rejeita os Black Blocs por uma questão ética. O único fator pelo qual o partido rejeita o barbarismo Black Bloc (e somente hoje, diga-se de passagem) é por medo de perderem popularidade no ano da Copa do Mundo. Mas o MST é tão ou mais bárbaro e cruel do que os Black Blocs, e o PT os ama de paixão…

A análise crua dos fatos nos leva à constatação de que Santiago foi morto por que no Brasil há muito esquerdismo e pouco direitismo, este último o único responsável por qualquer forma de combate intelectual e moral aos atos insanos da esquerda.

Ou a direita se torna cada vez mais assertiva na denunciação das aberrações morais praticadas pela esquerda, ou então teremos que acompanhar nosso retorno ladeira abaixo em direção às eras tribais dentro de um carrinho de mão sem freio.

É chegado o momento de aceitarmos o fato de que não há outra opção que não um levante de direita para conter o comportamento antissocial da esquerda enquanto esta age à vontade. Qualquer noção de desistência de direita neste sentido é um passo adiante em direção à barbárie.

Se não conseguimos proteger Santiago, que lutemos para proteger os próximos, sempre amparados pela denunciação moral e conscientização pública. Que seja a polícia aquela a combater o instinto assassino deles. À nós, cabe usarmos as palavras para denunciarmos o atual estado de coisas.

Anúncios

17 COMMENTS

  1. Luciano, leia este artigo do Brasil 24/7 assinado por Davis Sena Filho sobre o assassinato do Santiago Trindade. Já aviso uma coisa: os marxistas-humanistas-neoateístas brasileiros estão tão viciados em coxinha que são fortes candidatos a vencer o desafio aqui postado. Na cabeça do cara, é uma pessoa não é normal se não se expuser a tomar porrada de policial ou de algum pedestre qualquer, e isso já diz muito. Há também o clichê “pobre e negro”, bem como passeia pelo caso em que prenderam o adolescente infrator no poste. A culpa da morte do cinegrafista? Claro, da imprensa burguesa…
    E já que é para pôr a culpa na imprensa, temos Marcus Vinícius chamando a Globo de black bloc e falando daquela falha imperdoável da emissora do Jardim Botânico em não ter noticiado as Diretas Já desde seu começo (falha essa pela qual paga até hoje e pagará para todo o sempre). Sem querer o cara acaba levantando uma lebre criada por Gene Sharp ao lembrar que o movimento do começo dos anos 1980 ocorreu de maneira pacífica.

  2. Ha! Ha! Ha!

    Essa eu gostei! Gostei mesmo!

    Aquele cinegrafista é da minha turma. Vou convidá-lo para treinar no tatâmi da academia onde eu treino. Tenho certeza que a galera da academia vai gostar dele.

    Ha! Ha! Ha!

    Tem que fazer isso mesmo. Pegar esses bundinhas leles e encher de porrada na cara, mas tomando o devido cuidado de não bater muito forte, só de mansinho, do contrário pode-se até causar um traumatismo craniano no bundinha filhote de CU, e ai o trouxa vai acabar numa UTI da vida por ai afora. Isso resultaria num processo bem cabuloso, e não valeria o custo, só por um filhote de verme como esse ai.

    Gostei desse cinegrafista! O cara é SUJEITO! É da minha turma.

    Abraços.

  3. Agora é só aguardar o DESCARTE dos blacks blocks pela esquerda (dos partidos).
    É claro que esse descarte só ocorrerá em discurso, pois em prática continuarão servindo aos machos alpha benificiários, mesmo sendo “oficialmente” rejeitados — comportamento típico de amante devassa, e burra.
    Prevejo até uma campanha de desvinculação, visto Marcelo Freixo ter sido implicado.

    E enquanto isso a direita se comporta como gasparzinho, o fantasminha otário, perdendo o momento de capitalizar em cima de TODOS os partidos e sindicatos que apoiaram os blacks blocks desde o ínicio == é lamentável.

  4. Luciano, vejo só que interessante estes dois artigos escritos por um militante do PSOL do RJ. Um é sobre a ligação umbilical da base do PSOL com os black blocs, que parece ter sido refreada pela cúpula apenas por uma questão estratégica, não de princípios. Naturalmente ele está chateado com o rumo das coisas, mas expõe bastante a natureza do partido.

    http://natransversaldotempo.wordpress.com/2013/10/19/a-centralidade-da-questao-black-bloc-para-a-esquerda/

    No outro podemos ver a inversão típica e os “culpados” pela morte de Santiago Andrade na visão de um militante esquerdista que não precisa vestir uma máscara para enganar incautos e passar uma áurea de credibilidade, como faz seu chefe Marcelo Freixo.

    https://natransversaldotempo.wordpress.com/2014/02/10/quem-matou-santiago/

  5. Ja li, entre outras insanidades, que a culpa da morte do cinegrafista foi da Band, que ‘nao forneceu ao trabalhador os equipamentos de proteçao individual necessarios. Eu diria que o principal perigo que a Band teria causado seria a fala de Ricardo Boechat.

  6. Só para relembrar, no dia do aniversário de São Paulo os encapuzados invadiram um baile black de rua, mas o pessoal do baile black mostrou que não é nada bloc:

    http://www.youtube.com/watch?v=nMZ7YEr0KNs

    Pelo contrário, eles dão block em quem bagunça o baile e não fornecem quaisquer argumentos para que marxista-humanista-neoateísta venha acusar quem agrediu o black bloc de branco-rico, uma vez que na cabeça do MHN só existe branco-rico e negro-pobre, inexistindo mulatos, cafuzos, mamelucos, mestiços das três ancestralidades principais e outras etnias ou interetnias, bem como inexistindo classe média propriamente dita, salvo se para ser saco de pancada filosófico e tributário.
    Logo, o câmera já deu o segundo sinal do que o povo comum pode sim sossegadamente combater os encapuzados.

    • A moral da história que todo BLACK BLOC precisa URGENTEMENTE apreender:

      NÃO MEXA COM OS CLÁSSICOS DA BLACK MUSIC. 😉

    • As pessoas que estavam no baile black são das elites porque todo “popular” é ativista do PSOL e PSTU ou é marginal. Ou seja, para a esquerda, eles estariam militando na rua ou eles estariam roubando e matando, Eles não estariam ouvindo música e se divertindo, isto é incompatível para a definição da pobreza segundo a engenharia social esquerdista.

  7. Uma dúvida: eu também vi o argumento sobre o culpado ter sido a Band por não fornecer EPI para o cinegrafista (no argumento, também, dizia que isto era necessário, pois tratava-se de um “ambiente de guerra”). Mesmo já sendo sabida a estratégia de inversão sujeito-objeto feita por eles, gostaria de saber se há como refutar isto por completo.

    Obrigado.

  8. Luciano, segue mais uma cachoeira de notícias sobre o assunto:

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/02/11/suspeito-de-acender-rojao-tem-2-passagens-por-trafico-diz-policia-do-rio.htm

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/02/11/governo-federal-cria-grupo-para-seguranca-de-jornalistas-e-marca-reuniao.htm

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/02/11/ativista-depoe-sobre-suposta-ajuda-de-freixo-a-suspeito-de-ferir-camera.htm

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/02/sininho-presta-depoimento-em-inquerito-sobre-morte-de-cinegrafista.html

    http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,eu-sou-a-continuacao-da-vida-dele-afirma-filha-do-cinegrafista-morto,1128828,0.htm

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/02/policia-divulga-nova-foto-de-suspeito-de-lancar-rojao-em-cinegrafista-no-rio.html

    http://jovempan.uol.com.br/opiniao-jovem-pan/comentaristas/reinaldo-azevedo/azevedo-se-revolta-com-morte-de-cinegrafista-e-alerta-outras-acontecerao.html

    http://cbn.globoradio.globo.com/programas/cbn-rio/2014/02/11/FREIXO-DIZ-QUE-ASSESSOR-QUE-PRESTA-ASSISTENCIA-A-PRESOS-EM-PROTESTOS-E-INDEPENDENTE.htm

    http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/arnaldo-jabor/2014/02/11/MORTE-DE-SANTIAGO-DEVE-SERVIR-AO-MENOS-PARA-MUDAR-OS-RUMOS-DOS-FATOS.htm

    http://cbn.globoradio.globo.com/rio-de-janeiro/2014/02/11/BELTRAME-DEFENDE-LEI-QUE-TIPIFICA-CRIME-DE-DESORDEM-EM-LOCAL-PUBLICO.htm

    http://www.blogdokennedy.com.br/e-preciso-defender-a-civilizacao/

    http://jorgedacunhalima.ig.com.br/index.php/2014/02/10/quando-voce-for-a-rua/

    http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-02-11/cpi-dos-black-blocs.html

    http://noticias.terra.com.br/brasil/policia/rj-policia-divulga-imagem-de-homem-acusado-de-matar-cinegrafista,03f16212ef024410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

    Bem como mais comentários reinaldianos:

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/video-cinegrafista-da-band-apenas-se-defende-valentao-que-faz-ameaca-se-esconde-atras-de-mulher-coragem-mesmo-so-em-bando-e-com-mascara-na-cara/

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-que-ponto-chega-a-degradacao-profissional-ou-paulo-henrique-amorim-debocha-do-cadaver-do-cinegrafista-santiago-andrade-e-nojento/

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/terrorismo-pt-quer-votar-lei-contra-o-terror-que-exclua-de-punicao-os-petistas-e-seus-amigos-e-uma-farsa-grotesca/

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ou-empresas-da-area-de-comunicacao-poem-o-dedo-na-ferida-ou-encontro-com-cardozo-da-justica-e-inutil-o-governo-federal-continuara-a-financiar-os-linchadores-da-imprensa-ja-temos-um-morto/

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/servidao-voluntaria-a-categoria-que-enfrentou-a-ditadura-para-participar-de-um-culto-ecumenico-em-protesto-contra-o-assassinato-de-herzog-e-hoje-obrigada-a-se-esconder-de-black-blocs-e-infelizment/

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/marcelo-freixo-do-psol-este-homem-a-cada-dia-mais-santo-ou-assessor-de-deputado-ajuda-presos-em-badernas/

    Bem como três constantinianos:

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/cultura/se-eu-fosse-sensacionalista-e-cinico-como-a-esquerda/

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/lei-e-ordem/quando-a-coragem-so-vem-em-bando/

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/liberdade-de-imprensa/a-suposta-isencao-pode-ser-apenas-covardia-ou-vies-disfarcado/

  9. Há pelo menos dez anos venho espalhando que deveríamos ficar uns seis meses direto sem recolher imposto, taxa ou qualquer outra coisa para o governo. Todo empresário para quem eu disse vinha com o papo que isso não adiantaria nada.

    Fico imaginando como o governo faria para manter suas contas (e o poder) sem essa grana. Seis meses não dá tempo de ir cobrança de divida ativa e sendo uma atitude geral, não teriam moral para cobrar juros e multa. Se bobear rolaria uma anistia parcial.

    É fácil prender um Thoreau, queria ver prender milhões dele.

Deixe uma resposta