Conhecimento é poder: AMB faz cartilha para escravos cubanos desertarem

7
24

2014-685993606-2014020571674.jpg_20140205

O Brasil247 está fulo da vida com a AMB (Associação dos Médicos Brasileiros). Tudo por que a organização criou uma cartilha para facilitar a vida dos médicos cubanos que querem desertar. Até agora cinco deles conseguiram sua liberdade, pois fugiram e não voltaram para Cuba. Veja o que eles escreveram:

A Associação Médica Brasileira (AMB) deu seu tiro de misericórdia contra o programa Mais Médicos e o governo brasileiro. Em comunicado divulgado nesta quinta-feira 13, a entidade anuncia criar um programa de apoio a médicos estrangeiros que atuam no programa, mas que estejam insatisfeitos. O plano consiste em divulgar uma cartilha com o passo a passo de como agir para abandonar o programa e oferecer assessoria jurídica para quem quiser pedir refúgio/asilo político.

Se existe um conhecimento disponível (e que pode ser organizado e distribuído) para qualquer um que atue como escravo e queira buscar sua liberdade, a única ação moralmente aceitável é aquela que faça esse conhecimento fluir entre aqueles que não suportam mais a servidão. Assim, quem quer continuar escravo que não vá atrás desse conhecimento. Quem quiser a alforria, que busque a tal cartilha.

Enquanto isso, os blogueiros petistas dizem que a distribuição desse conhecimento (em tempo: parabéns à AMB por ter feito sua obrigação moral) pode acabar com o programa Mais Médicos.

Claro que a falsidade impera no discurso governista, pois eles poderiam ter mantido o registro dos desertores e permitir que eles continuassem no programa Mais Médicos, mas foi o governo brasileiro que, por exemplo, cancelou o registro de Ramona, a primeira escrava a ter fugido.

Parece que definitivamente o governo brasileiro decidiu bater o pézinho, dizendo: “se o dinheiro não for para Cuba, não vai poder trabalhar sem ter o diploma Revalidado”, o que definitivamente mostra o que há por trás das intenções do PT.

A lógica é clara: se o PT realmente se interessasse pelo programa Mais Médicos, iria convidar Ramona para seguir em seu trabalho por todo o tempo de contrato que o governo tinha com o governo cubano, com a diferença de que pagaria o valor diretamente a ela, ao invés de ao governo cubano.

Por outro lado, se o governo só aceita que cubanos trabalhem se for em regime de escravidão, então são eles que criaram a restrição ao programa.

Essa é a verdade dos fatos: ninguém faz nada contra o programa Mais Médicos, a não ser o próprio PT. Tudo por causa de sua aliança nefasta com uma ditadura monstruosa como a de Cuba.

Advertisements
Anúncios

7 COMMENTS

  1. Quanto mais eles espumam de raiva mais eles confirmam que os médicos cubanos são escravos.

    Ora, nenhum empresário espuma de raiva quando um empregado pede demissão, o empresário
    apenas tenta oferecer uma contraproposta, e se não colar ele contrata outra pessoa.

    Mas como o custo para formar novos médicos escravos é bem alto eles ficam fulos quando alguns
    “pedem demissão”. Pois terão que pegar mais algumas pessoas do repositório de 11 milhões de
    escravos e custear um curso de medicina para que esta pessoa passe de escravo para médico escravo.
    Daí, se depois de todo esse gasto o médico escravo “pede demissão” “é até compreensível”
    (© Rachel Sheherazade) que eles fiquem com raivinha.

    Obrigado Brasil247 por espumar de raiva só porque alguns médicos decidiram sair do programa,
    isso confirma que eles eram escravos de forma clara e cristalina.
    Afinal de contas, se não eram escravos seria só contratar outros, ora essa!

Deixe uma resposta