Óbvio ululante: crimes cometidos na Coreia do Norte evocam era nazista, diz ONU

17
153

jong un hacked

Elementar, caro leitor. Se tanto os nazistas como os marxistas usam os mesmos paradigmas (embora com propagandas diferentes), o resultado é claro que tende a dar no mesmo. Segundo a ONU, os crimes cometidos na Coreia do Norte são uma repetição do que os nazistas faziam no tempo de Hitler:

Chefes de segurança da Coreia do Norte e, possivelmente, até mesmo o líder supremo Kim Jong-un devem ser levados à Justiça internacional por ordenarem a tortura sistemática, a morte pela fome e assassinatos comparáveis ​​às atrocidades da era nazista, disseram investigadores da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira (17).

Os investigadores afirmaram a Kim em uma carta que estavam aconselhando a ONU a levar a Coreia do Norte ao Tribunal Penal Internacional (TPI) para se certificar de que quaisquer culpados, “incluindo, possivelmente, o senhor mesmo”, sejam responsabilizados.

A repreensão pública e a advertência sem precedentes a um chefe de Estado por um inquérito da ONU provavelmente antagonizará ainda mais Kim e complicará os esforços para persuadi-lo a limitar o programa de armas nucleares do país isolado e os confrontos bélicos com a Coreia do Sul e o Ocidente.

A Coreia do Norte rejeitou “categoricamente e totalmente” as acusações de um relatório de 372 páginas, dizendo que foram baseadas em material falsificado por forças hostis apoiadas por Estados Unidos, União Europeia e Japão.

O presidente da Comissão de Inquérito da ONU, Michael Kirby, disse que espera que as descobertas de seu grupo “estimulem uma ação por parte da comunidade internacional.”

“Estes não são erros ocasionais que podem ser cometidos por autoridades em todo o mundo, são males contra a humanidade, são erros que chocam a consciência da humanidade”, afirmou Kirby, um ex-chefe de Justiça da Austrália, a jornalistas.

Levar o país comunista ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, pode ser improvável por causa do eventual poder de veto da China a qualquer iniciativa no Conselho de Segurança da ONU, disseram diplomatas à Reuters.

“Outra possibilidade é o estabelecimento de um tribunal ad hoc, como o tribunal sobre a ex-Iugoslávia”, disse Kirby.

Os investigadores da ONU também disseram à China, principal país aliado de Kim, de que pode estar “sendo cúmplice de crimes contra a humanidade” ao enviar imigrantes e desertores de volta à Coreia do Norte para enfrentar a tortura ou execução, uma acusação que as autoridades chinesas rejeitaram.

“ERA NAZISTA”

As conclusões são resultado de uma investigação que durou um ano, envolvendo testemunho público de desertores, incluindo ex-guardas de campos penitenciários, em audiências na Coreia do Sul, Japão, Grã-Bretanha e Estados Unidos.

Kirby disse que os crimes que sua equipe catalogou lembravam aqueles cometidos pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. “Alguns deles são muito semelhantes”, disse à Reuters.

“O testemunho foi dado… em relação aos campos de prisões políticas de um grande número de pessoas que estavam desnutridas, que efetivamente morreram de fome e, então, foram eliminadas em valas, queimadas e depois enterradas… Era dever de outros prisioneiros eliminá-las”, disse ele.

O número de autoridades norte-coreanas potencialmente culpadas dos piores crimes está “ultrapassando as centenas”, disse ele. O relatório dos investigadores independentes citou crimes incluindo assassinato, tortura, estupro, sequestros, fome e execuções.

“A gravidade, a escala e a natureza dessas violações revelam um estado que não tem paralelo no mundo contemporâneo”, afirmou.

A missão diplomática da Coreia do Norte, em Genebra, rejeitou as conclusões. “Vamos continuar respondendo fortemente até o fim qualquer tentativa de mudança de regime e pressão sob o pretexto de ‘proteção dos direitos humanos'”, disse.

A declaração de duas páginas da Coreia do Norte, em inglês, afirmou que o relatório era “instrumento de um complô político destinado a sabotar o sistema socialista” e difamar o país.

Violações listadas no documento e enviadas a Pyongyang para que fossem respondidas há várias semanas “não existem no nosso país”.

Por que campos de concentração são um padrão dos regimes socialistas que alcançaram sua plenitude? Simples: eles são uma forma eficiente de extermínio de opositores. Assim como ocorreu na Alemanha Nazista, ocorre na Coréia do Norte, e ocorria na China, Cambodja e Rússia. Esses países apenas conseguem usar a força do estado para destruir seus oponentes por que possuem poder concentrado suficiente para tal. A isso chamamos de esquerdismo pleno.

E por que é tão fácil para líderes desses países conseguirem iniciar banhos de sangue com tanta facilidade? Novamente, a resposta é óbvia: eles baseiam toda sua defesa em campanhas de demonização de oponentes. Mesmo  agora para se defenderem do relatório da ONU, dizem que “são vítimas de conspiração para destrui-los”.

Se Hitler conseguiu implementar câmaras de gás com tamanha proficiência (e apoio popular) é por que este tipo de regime político faz parte de um fenômeno cultural, que se manifesta de forma equânime quando assistimos o que ocorre hoje em dia na Coreia do Norte.

Os argumentos mostrando que o nazismo, marxismo e fascismo são crias da mesma cadela são irrefutáveis, mas, mesmo que esses argumentos nem sequer existissem, bastaria olharmos os efeitos causados por um tipo específico de discurso que chegaríamos a conclusão óbvia de que marxismo e nazismo são doutrinas gêmeas.

Por isso mesmo, o relatório da ONU é apenas a exibição do óbvio.

Anúncios

17 COMMENTS

      • Eu gostaria de ver uma refutação item a item do que é dito ali, embora, se não me engano, alguma coisa já li aqui, neste site, como o exemplo do bandido que comete um crime e é preso 99% das vezes com castigo x o que é “reabilitado”.

    • Artigo muito “água com açúcar”. Ele apenas tenta falar obviedades e se mantém em cima do muro com relação às origens da criminalidade. A escolha de cada um está naquilo que ele aprende VENDO-SE em cada situação. Portanto, não posso culpar “a sociedade” pelo crime individual de alguém, embora possa reconhecer que certas situações forçam o caráter dos indivíduos, e que, assim, nem todos passam no teste. A hipótese de que o que faz o ladrão é a situação, é uma meia verdade, pois ignora a própria assimilação que o indivíduo tem a partir das experiências concretas que exijam moralidade. Se você adotar mesmo a linha de autores como Vigotsky, poderá perceber que o indivíduo tem essa capacidade de “empatia” nata, mas que, não treinada, pode ser ignorada no momento da consecução de um crime. Enfim… o artigo é simplório e só fala de clichês sem querer abraçar de pronto os clichês da própria esquerda.

      • Sinceramente, acho que eu vi poucos textos com viés político esquerdista falarem de forma tão comedida e (até) racional. Tenho que admitir que o cara ganhou minha simpatia com esse texto. Sim, concordo que a abordagem é ligeiramente superficial e não deixa de ter suas doses de Foucault (quando fala da “estrutura social” e da “maneira de punir”), mas ainda assim achei o texto aproveitável.

  1. Luciano, Boa Noite, é a primeira vez que comento em seu blog, embora saiba da existência já algum tempo, mas eu tenho uma questão: O que passa na cabeça de gente que defende isso? Você vai me dizer que por conveniência ideológica, mas é algo que transcende isso, é algo muito maior. Não é possível tanto absurdo asqueroso!E o que dizer de Cuba, Venezuela e afins!

    • O que passa na cabeça destas pessoas é: NADA!
      Simplesmente porque estas pessoas possuem nada na cabeça. O que elas possuem são sentimentos e vontades. Pessoas como um Gregório Duvivier, Caetano Veloso, Tico Santa Cruz e etc querem parece melhores que as outras pessoas, tanto é que o discurso destes quando está no objeto de fato é distorcido nem que seja para algo completamente imbecil para aparentarem ser mais inteligentes (Hey! Está vendo! Estou pensando nisso aqui que não passou pela sua cabeça) e depois fazem ataques pessoais às pessoas que são contra aquilo como se estivessem sendo heróis destruindo um vilão.

    • E, como a ONU é a mãe de todas as ongs esquerdistas, falou o óbvio livrando a cara da cambada marxista: cita Hitler, enquanto silencia sobre o fato do regime ser comunista (socialista, marxista).

  2. Prezado Luciano, cumprimentos pelos sempre oportunos e excelentes artigos.
    Veja esta no Estadão: Os defensores do comunismo não desistem mesmo.
    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,horror-na-coreia-do-norte,1132778,0.htm
    “…A investigação indica ainda que o princípio da igualdade, que está na essência da ideologia comunista, é uma farsa na Coreia do Norte…”
    O editorialista dá a entender que o “princípio da igualdade do comunismo” só é uma farsa na Coreia do Norte. Então em outros lugares seria uma realidade? Seria um idiota útil ou mal caráter mesmo?
    Quanto a “investigação” da ONU, está só agora descobriu que o regime da Coreia do Norte é um horror. Quanto a Cuba, Venezuela e outros países comunistas ainda não fizeram nenhuma pesquisa?
    Saudações. José Luiz de Sanctis

Deixe uma resposta