Aécio diz: “Não vamos fazer como o PT: afrontar a Justiça”. Falou como gente grande!

11
65

aecioneves

Segundo o Brasil247, Aécio Neves usou uma instância excelente de polarização ao tratar a postura do PT em relação aos mensaleiros. Leia abaixo o artigo “Não vamos fazer como o PT: afrontar a Justiça”:

Durante visita ao Recife, o senador mineiro e presidenciável pelo PSDB, Aécio Neves, afirmou que, durante o processo de investigação do ex-deputado federal Eduardo Azeredo, o partido terá uma postura diferente da tomada pelo PT, que, segundo o presidenciável, “afrontou a Justiça” no processo do ‘mensalão’.

Durante encontro com prefeitos, deputados e vereadores tucanos na capital de Pernambuco, Aécio defendeu a investigação das suspeitas de desvios de dinheiro no governo de Minas Gerais em 1998, quando Azeredo era governador, e disparou pesadamente contra o governo federal. Dentre as críticas, o tucano afirmou que o Brasil se tornou um “cemitério de coisas inacabadas”, e que o governo deve ao País “em todas as áreas”.

“Nós não vamos fazer o que fez o PT, que afrontou a Justiça. Nós respeitamos as vontades do Supremo Tribunal Federal”, afirmou Aécio. Azeredo foi acusado pela Procuradoria Geral da República de desviar recursos de empresas de Minas e usar doações ilegais para financiar a campanha de reeleição ao Palácio da Liberdade. Como renunciou ao mandado de deputado, na última quarta-feira, seu caso pode deixar o STF para ser julgado na Justiça Federal de Minas.

O presidente do PSDB disse que a visita que fez a Azeredo nesta quinta-feira, na casa do ex-deputado, foi “cortesia”. Tucanos próximos a Azeredo têm dito nos corredores que o ex-parlamentar se sentiu abandonado pelo partido e pelos amigos e que isso pesou na decisão para que ele renunciasse. Aécio já chegou a dizer, anteriormente, que o ‘mensalão’ tucano “não é uma questão do partido”.

Em entrevista no início da semana, Fernando Henrique disse confiar na “imparcialidade” do Supremo Tribunal. “Se o STF acha que tem culpa, tem culpa”, afirmou FHC, depois de uma palestra proferida na região do ABC Paulista (leia aqui). As palavras teriam mexido bastante com Azeredo, segundo parlamentares do PSDB. A cúpula tucana garante, porém, que não houve qualquer pressão do partido para que Aécio renunciasse.

Em política, devemos polarizar todas as questões nas quais estamos em posição oposta a de nosso oponente. Apaziguamento, diante desse tipo de questão, é uma escolha pusilânime e injustificada. Note que não estou propondo a polarização injustificada, mas a polarização efetiva em todos os pontos onde realmente nos diferenciamos de nossos adversários.

Mesmo que o PSDB seja um partido de esquerda moderada, existem vários pontos onde eles podem polarizar o debate, e este é apenas um deles: o PT é um partido que não dá a mínima para as decisões da Justiça, portanto é perigoso em termos sociais e democráticos. Se hoje vemos as milícias de Maduro baleando pessoas na Venezuela, estamos vendo a consequência de um comportamento de afronta às leis. O PSDB, ao rejeitar o mesmo endosso a Azeredo que o PT deu aos mensaleiros, mostra que, neste caso, estão em lados opostos. Eis a polarização.

Há outras polarizações que o PSDB deveria fazer para as batalhas políticas de 2014. Por exemplo, o PT e seus partidos aliados privilegiam os criminosos violentos em detrimento dos civis. Um partido que se oponha a eles pode definir-se como o exato oposto do PT nesta questão, ou seja, privilegiando os civis em detrimento dos criminosos violentos.

Na questão dos escravos cubanos, o PT decididamente é a favor da escravidão, e, portanto, é um partido inimigo da civilização. Em oposição, pode-se rejeitar de maneira radical qualquer iniciativa de escravidão.

Quanto a liberdade de imprensa, o PT faz de tudo para censurar a mídia. Uma oposição digna e lúcida deveria expor todos os truques contidos nas propostas de “leis de mídia” e “marcos governamentais de Internet” do governo. É uma polarização entre tirania e liberdade.

Na questão de manifestações violentas, o PT dá endosso a manifestantes que quebrem a lei, como o MST, enquanto seus amiguinhos obscuros do PSOL chegam a apoiar publicamente os Black Blocs (que os petistas apoiam apenas discretamente). Uma oposição clara deveria posicionar-se a favor das manifestações, mas somente se elas não tiverem alianças com promotores de crime. (Pode-se questionar se o PSDB pode realmente polarizar esta questão, já que políticos do PSDB apoiaram manifestações criminosas, como aquela que resultou na invasão do Instituto Royal)

E ainda temos o PT enviando dinheiro e apoio para ditaduras sanguinárias como Venezuela e Cuba. Uma oposição deveria afirmar taxativamente que posturas desse tipo deveriam causar a denúncia dessas ditaduras para o Tribunal de Haia. E o governo do PT deveria ser posicionado para o público como um que também deveria responder pelo que fez lá nos tribunais internacionais.

Estes são apenas alguns exemplos de polarizações que o PSDB pode realizar contra o PT. Claro que se o  PSDB fosse um partido de direita, ao invés de esquerda moderada, poderia polarizar muitas outras questões. Mas isso já dá para o gasto.

Anúncios

11 COMMENTS

  1. Acho que toda vez que você citar o tal brasil247, deveria colocar entre parênteses (brasil171, minúsculo mesmo), assim como vi num post do Felipe Moura. Faz sentido, né? 171 é o número mais representador deles!

  2. De fato, há uma sensível diferença entre o PSDB e PT, não necessariamente na virtude, mas sim no mérito, principalmente, no tocante ao Plano Real.

  3. Luciano, seria bom fazer algum comentário sobre o “Não Vai Ter Copa” de ontem em São Paulo, o primeiro em que a PM usou a “Tropa do Braço”, assim como a Civil usou com detidos em protestos anteriores a mesma estratégia que faria com torcedores violentos. O saldo foi de 230 presos e black blocs isolados. Seguem também vídeos do ocorrido:

    http://www.youtube.com/watch?v=Sr83tjVSqBk

    http://www.youtube.com/watch?v=154-V1CUHII

    http://www.youtube.com/watch?v=PzPU-Z9xMr4

    http://www.youtube.com/watch?v=Ip08o4IAFvY

    Como dá para ver, de alguma forma conseguiram desmoralizar os encapuzados daqui, porém ainda há o problema de a polícia estar prendendo jornalistas, fora o fato de o repórter fotográfico do Terra ter tido seu equipamento destruído pela polícia e foi hospitalizado devido aos golpes de cassetete. Parte do problema vem da postura dos manifestantes em relação à mídia, uma vez que se estiverem claramente identificados correm o risco de serem hostilizados e agredidos (vide repórteres da Globo indo com microfones sem a canopla com logo da emissora). Porém, quando a polícia bloqueia a mídia de poder registrar o que fizeram nesses cercos, também acaba gerando hostilidade contra si própria. Claro que há como se ver a cirandinha de cima, mas nada impediria que alguém mais esclarecido na corporação permitisse que se desse uma abridinha que permitisse à mídia registrar aqueles que estão dentro do cerco. Também há acusações de cerceamento de trabalho de advogados (vamos sempre levar com certa reserva a coisa por aqui haver o chamado “advogado ativista” declarando).
    O grande problema aqui é como a polícia deve agir para evitar o fornecimento de argumentos para que marxistas-humanistas-neoateístas caiam em cima dela. Pareceu-me adequado o uso de policiais versados em artes marciais, mas ainda assim acho que acabaram indo para além de uma linha tênue em alguns pontos.

    Olhando também o protesto, parece-me que os black blocs de alguma forma já estão acusando o descarte sistemático que os MHNs mais graúdos estão promovendo. Houve protesto contra petistas (OK, podem ser só da boca pra fora) assim como quebra-quebra de uma agência da Caixa Econômica Federal (quem for correntista de lá saberá o motivo de alguma tarifa ter aumentado), o que me faz crer que estejam atacando estruturas do Estado meio que como aviso de que não aceitarão a fritura a que estão sendo submetidos pelos próprios MHNs após esses verem o quanto que está se revelando do que por trás há nos protestos. É algo que devemos acompanhar pelos próximos dias e meses.

    • Cidadão, eu não sou o Luciano, mas gostaria de fazer um breve comentário sobre o seu texto. Em primeiro aspecto, você comete o mesmo erro da imprensa, que é chamar esse grupo de manifestante. Não é manifestante coisa alguma, é tudo bate-paus de esquerda – vide as bandeiras de partidos políticos e movimentos ‘sociais’ de esquerda -, que tem essa característica, convocar os ‘filiados’, para protestar em cidades e estados onde o PT é oposição. Eles provocam, junto com os blacks blocs – vide a greve dos professores do RJ no ano passado – a polícia que vai lá para ser agente coibidor de baderna e vandalismo.
      Quanto aos jornalistas, eu não consigo entender, como podem atrapalhar uma operação policial. Eu sou jornalista, jamais pediria para dar “uma abridinha’ e atrapalhar o trabalho dos ‘tiras’. Há outras oportunidades para registrar, quem estava dentro. E mais: tem muito jornalista – esquerdista – que é muito sensível. Qualquer coisa, vira truculência policial.

  4. Hangout do Lobão denunciando TRÁFICO de ÓRGÃOS HUMANOS.

    Políticos do PSDB envolvidos chantagearam José Serra, que como bom COVARDE calou a boca, enquanto Ministro da Saúde.

    O coronelismo Neves (família do Aécio Neves) domina Minas Gerais como o coronelismo Sarney no Maranhão.

    Muitas outras informações terríveis que mostram a verdadeira barbárie que é o Brasil.

    E isso já vem de muito longe e é anterior ao PT.

    Assistam e PASMEM.

    https://www.youtube.com/watch?v=dgDMaL3mXm4&list=UUib3fNpUIzXBML9fyskIUxQ&feature=c4-overview

    Abraços.

Deixe uma resposta