Canta, Alice, canta: Alberto Cantalice tenta defender vaquinhas para os mensaleiros e confessa a moral psicopática da esquerda

4
41

albertocantalice

Auditores de fraudes aprendem uma técnica muito interessante: o estímulo para que seus investigados façam “discursos de defesa”. Esses discursos ocorrem quando as pessoas estão sob investigação e precisam se defender. Durante essas defesas, muitos acabam, sem querer, dando mais informações para provarmos não apenas a sua culpabilidade, como também encontrar mais fraudadores.

Me lembro de uma vez em que um gerente de projetos estava sendo investigado por submeter projetos sem termos de aprovação assinados. Após ter sido pego em um crivo, ele comentou coisas interessantíssimas como “vários outros fazem” e até “isso se tornou um padrão aqui na organização”. Foi quando descobrimos que o chefe desse gerente de projetos precisava tomar uns puxões de orelha também.

Essas informações valiosíssimas, no entanto, vieram praticamente de forma acidental, durante os “discursos de defesa” que ele fez para tentar se livrar de seus atos.

Com Alberto Cantalice, blogueiro petista, acontece exatamente a mesma coisa. Qualquer pessoa com uma base moral mínima sabe que as vaquinhas feitas para os mensaleiros são vergonhosas. Não passam de contribuições para ajudar a bandidos que foram presos por um ato de corrupção inaceitável. Não é preciso ser liberal ou conservador para notar que as vaquinhas serviram como uma confissão de que petistas apoiam bandidos, desde que sejam do seu grupo.

Cantalice, em seu texto “O espanto conservador com a solidariedade aos petistas”, publicado no Brasil247, faz seu “discurso de defesa”:

A solidariedade entre companheiros sempre foi uma das boas práticas das esquerdas. Quem não é solidário não é de esquerda na essência. Por isso o sucesso da chamada “vaquinha solidária”.

Aha. Ele foi pego com a boca na botija. A informação não apenas está anotada, como deve ser lembrada sempre pelos adversários da extrema-esquerda a partir de agora.

O que ele está confessando aqui é exatamente o seguinte: faça o que quiser, independentemente do que for, que seus pares de esquerda o apoiarão. Em suma, se você for esquerdista e for pego por corrupção de menores, seus aliados de partido o apoiarão. E se você resolver matar vários estudantes em manifestações, seus aliados de ideologia esquerdista também o apoiarão – é exatamente este apoio que o PT tem fornecido à ditadura de Nicolas Maduro. Se for mais ambicioso e resolver matar milhões de pessoas em campos de concentração, seus aliados da esquerda também o apoiarão.

É isso, de maneira incontestável, que Cantalice confessou: “quem não é solidário não é de esquerda na essência”. Este é o problema do esquerdismo, que os faz perder toda e qualquer noção de moral e ética enquanto são solidários a qualquer barbárie cometida por aqueles que estão ao seu lado.

O resto do texto de Cantalice nem me interessa. São as fraudes típicas de sempre, professando a agenda de costume, como pedir financiamento público de campanha (para beneficiar o PT, evidentemente, como denunciou Eduardo Cunha, de sua base aliada), dizer que a mídia está contra o PT (quando na verdade está a favor, como mostrei aqui), afirmar que o Mensalão não existiu e o  blá blá blá de sempre.

O que mais me importa é vê-lo confessar em público que esquerdistas são solidários a tudo que seus aliados fazem. É exatamente por isso, colocando a solidariedade a bandidos acima de qualquer princípio moral, que eles são moralmente deformados.

Não se espante mais quando vir um esquerdista apoiando genocídios. Ele está sendo apenas “solidário”. E, como disse Cantalice, se ele não fizer isso, não é um verdadeiro esquerdista.

Caso encerrado. Obrigado pela confissão, Cantalice!

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Luciano, e mais uma coisa sobre essas vaquinhas, é a forma MAIS FACIL de lavar dinheiro.

    Pensa, se o mensaleiro tem 500 mil em dinheiro sujo, e recebe 100 mil de doações, quanto tu acha que vai aparecer no site de doações? Obvio que 600 mil, assim ele acaba de lavar 500 mil de uma forma muito simples. Não sei se é isso que está ocorrendo, mas seria muito fácil fazer.

    abraços

Deixe uma resposta