Eis a “diversidade” da lei de mídia da Venezuela: Maduro sugere trocar CNN em espanhol por Zum TV

6
54

Nicolas-Maduro

Já não bastasse a Venezuela ser  um país que se orgulha de censurar sua mídia, agora eles também são referência em implantação de canais e programas de TV tão ridículos que até parecem coisa de filmes de paródia sobre republiquetas. Veja abaixo a notícia “Maduro sugere trocar CNN em espanhol por novo canal de televisão”:

Zum TV, um canal de televisão voltado para o público jovem, deve substituir o sinal da CNN em espanhol na Venezuela, de acordo com o presidente Nicolás Maduro. Nesta terça-feira (25/02), o chefe de Estado anunciou o projeto, que está em fase de testes e pode ser visto no canal 2502, e sugeriu a substituição dos canais.

“Muito em breve [a Zum TV] estará em todas as empresas de TV a cabo. Estava pensando, como há um processo administrativo contra as táticas ilegais que auspicia a CNN, de repente (…) podemos substituir a CNN pela Zum TV, de repente. Uma muito boa ideia, vamos pensar, porque substitui um canal de violência, terrorista, que mentindo quer trazer a guerra civil e justificar a intervenção estrangeira, e damos ao mundo um canal de paz”, afirmou.

Nesta domingo (24/02), Maduro criticou a programação do canal de notícia internacional, na versão em língua hispânica. “Se vocês vêem a programação da CNN, todos os dias é para justificar que me matem ou que haja um golpe de Estado na Venezuela, todos os dias. A CNN o que quer é que a Venezuela se incendeie e se destrua para tirar nosso petróleo”.

Sobre a Zum TV, Maduro afirmou se tratar do “primeiro canal das juventudes venezuelanas”, que chegou “para abrir espaços alternativos, livres, espontâneos com estilo único e irreverente (..) Em Zum estaremos atentos ao futuro, mas olhando e desfrutando do presente com entretenimento inteligente”, disse, durante encontro com trabalhadores da Cantv, empresa prestadora de serviços de telecomunicação venezuelana).

Além disso, o presidente anunciou a inauguração da rádio comunitária “Radio Favela” na comunidade de El 70 em El Valle e adiantou que as próximas televisões a serem inauguradas são a TV Obrera e a TV Comunas.

Agora veja o nível da programação da TV Zum, de Maduro:

Dificil imaginar algo tão ridículo. Só em republiquetas de bananas um tirano inaugura um canal com uma produção de quinta categoria, digna de vergonha alheia, e ainda aparece em sua inauguração junto a um bando de zumbis, enquanto apregoa fraudes tão pífias e manjadas como dizer que “oponentes do regime são fascistas”.

Como se o nível de patetice não fosse o suficiente, o próprio nome do novo canal é escroto: TV Zum. No mesmo nível de TV Pimba, TV Bingola ou TV Plumct Plact Zum. É claro que Maduro está tirando uma onda na cara de seus militantes.

Ele sabe que pode fazer tratar toda população do país como se fossem retardados por um único motivo: ele controla a mídia do país. É exatamente este o objetivo do PT com as leis de mídia. Assistir as insanidades cometidas no país de Maduro deve sempre servir-nos de alerta contra toda e qualquer iniciativa petista para controlar a mídia ou Internet.

É importante lutarmos contra essas iniciativas de censura a mídia em tempo. Antes de vermos nascer uma TV Zum Brasil, na qual teremos que aturar Lula e Dilma gritando “quem não gosta da gente é fascista, fascista!”.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Caracas! Então é isso que se chama “verguenza alheia”?
    Preciso falar algo meio óbvio: Motoristas de caminhão devem dirigir caminhões, não um país.
    Torneiros mecânicos devem lidar com canos, tubos e afins, não governar um país!
    Terroristas (ex é só pra quem se arrependeu) que não conseguem completar uma frase sem estar lendo deve explodir coisas e NUNCA governar um país!
    Entenderam?

  2. ” No mesmo nível de TV Pimba, TV Bingola ou TV Plumct Plact Zum”
    Porra Luciano, ri alto quando li isto.

    Este canal Zum Tv, é a MTV dos 80, 90 e anos 2000.
    Recordando que Mtv foi das grandes difusoras do modernismo gramsciniano e a razão de pelo menos 2 gerações de acéfalos.

Deixe uma resposta