PT e censura II: PCdoB quer suspender verba estatal para o SBT por declarações de Sheherazade

36
157

jandira-feghali

Segundo o site Congresso em Foco, o PT e o PCdoB (cachorrinho de estimação do primeiro) estão tentando executar outra instância de “soft censorship” contra o SBT.  O discurso é a mesma farofa de sempre: rancor absoluto pela âncora Rachel Sheherazade por ela ter achado compreensível a reação do cidadão civil contra criminosos.

Alguns pontos da matéria são bastante pertinentes, como este abaixo:

O governo federal estuda suspender a verba publicitária que repassa à terceira maior emissora de TV do país, o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). O caso é examinado pela equipe do ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, a pedido da líder do PCdoB na Câmara, Jandira Feghali (RJ).

Esta é a confissão do crime: ameaça de retirada de verba publicitária (dinheiro público, diga-se, de passagem, para quem não percebeu) para forçar com que emissoras de TV e jornais deixem de publicar conteúdo que os desagrade. Não há como negar mais. Oficialmente, os amigos do PT reconhecem a prática de censura, ou, ao menos, sua ameaça. O que já é uma forma de coagir a imprensa livre.

A deputada acusa a emissora de ter praticado apologia e incitação ao crime, à tortura e ao linchamento ao exibir comentários da apresentadora Rachel Sheherazade que, segundo a parlamentar, exaltavam a ação de chamados “justiceiros” no Rio de Janeiro contra um jovem de 16 anos, acusado de furto. “A Secom me deu um primeiro retorno dizendo que concorda com o conteúdo do nosso pedido e que estuda quais providências tomar”, disse Jandira Feghali ao Congresso em Foco.

Como de costume, Jandira Feghali (foto) pratica difamações e denunciações caluniosas, usando o mesmo recurso do PSOL (o que prova o alinhamento entre o PT e o PSOL). Isso não é novidade alguma. O importante é ela afirmar que o Secom (parte do aparelho petista) concordou com esse tipo de estratégia.

Em 2012, o SBT recebeu R$ 153,5 milhões em publicidade de verba publicitária do governo federal. Ficou atrás apenas da Globo (R$ 495 milhões) e da Record (R$ 174 milhões). O valor destinado à TV de Silvio Santos corresponde a 13,64% do bolo publicitário das emissoras. “Como o governo pode subsidiar um canal que tem uma editorialista que incita à violência e à justiça com as próprias mãos?”, questiona Jandira Feghali.

O que Jandira quer dizer é o seguinte: aquele que disser qualquer opinião que desagrade os criminosos violentos deve parar de receber dinheiro estatal. Alias, já passou do momento de tentarmos entender qual o motivo pelo qual apoiar os criminosos violentos é tão vital para PT, PCdoB e PSOL.

A explicação é simples até demais. O fato é que o apoio ao criminoso violento é apenas uma crença de suporte para ajudar a manter enraizada no sistema límbico profundo de uma boa parte da opinião pública a noção de que o criminoso violento é sempre uma “vítima” da sociedade. Portanto, a sociedade deve financiar inchaços estatais, que seguirão dando a promessa de “corrigir a sociedade”. Assim, a crença que leva a sustentação do apoio ao criminoso violento, criada pela esquerda, é sustentáculo para um baita de um negócio.

Em síntese: apoiar criminosos violentos ajuda a manter um grande negócio (inchar o estado). E para manter esse negócio em alta, basta usar o próprio estado inchado para promover censura contra aqueles que ataquem esse sustentáculo. Simples assim.

A líder do PCdoB na Câmara trabalha em duas frentes contra o SBT. Além do ofício enviado diretamente à Secom, no dia 20 de fevereiro, ela também apresentou um requerimento à Procuradoria-Geral da República (PGR) em que pede a abertura de inquérito contra a TV e Rachel Sheherazade e o corte da verba enquanto durarem as investigações. Como mostrou o Congresso em Foco, em caso de condenação, Jandira solicita que o SBT perca até o direito à concessão pública. Caberá ao procurador-geral, Rodrigo Janot, dar andamento ou não aos pedidos.

É claro que o SBT não vai perder concessão pública. E dificilmente perderá a verba federal. Tudo iria ficar muito ridículo e acintoso. O que importa é a propaganda gerada.  Neste sentido, a principal técnica usada pelos governistas e seus aliados é o método de influência chamado “porta na cara”, onde se pede uma proposta acintosa, para que posteriormente o senso comum aceite como normal propostas de menor escala.

E falando em propaganda, até mesmo a abertura de inquérito já é uma instância da tradicional guerra de processos, onde o lançamento de um processo, por si só, já serve como propaganda para a causa. Mesmo que não dê em nada.

Em artigo publicado em 11 de fevereiro, na Folha de S. Paulo, a apresentadora diz que apenas expressou sua opinião e que não defendeu os chamados “justiceiros”. “Em meu espaço de opinião no jornal SBT Brasil, afirmei compreender (e não aceitar, que fique bem claro!) a atitude desesperada dos justiceiros do Rio”, escreveu Rachel. Em nota divulgada à época, o SBT alegou que a opinião da apresentadora era de responsabilidade dela, e não da emissora.

Jandira não concorda. Para ela, como concessão pública, a TV tem total responsabilidade em relação ao que leva ao ar. “A emissora vai ter de assumir. Não estamos provocando a Rachel Sheherazade, é o SBT que está em questão. Não é uma questão dela especificamente, mas dela vinculada ao canal. A gente espera que isso sirva de parâmetro para outras TVs”, disse a deputada.

Em 2000, o SBT chegou a ficar com 20% do “bolo” publicitário do governo entre as emissoras de TV. Naquele ano, ainda na gestão Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a emissora recebeu R$ 135 milhões para divulgar ações do governo federal. Na época, era vice-líder de audiência, posto que perdeu, de lá para cá, para a Record, de Edir Macedo.

Note que Jandira disse que a ação deve “servir de parâmetro” para as outras TVs. Isto é, ela diz que nenhuma expressão de repreensão ao criminoso violento, ou até mesmo a compreensão da dura situação das vítimas do crime, será tolerada.

O recurso da extrema-esquerda é tradicional: lançar a ameaça não contra Rachel Sheherazade, mas contra o contratante dela. O intuito é tentar forçar sua demissão. Outro objetivo é lançar uma mensagem clara ao SBT, dizendo que opiniões que desagradam a extrema-esquerda não serão toleradas.

Enfim, existem vários métodos para a guerra política que defendo como úteis para a direita: a arte da guerra política, de Horowitz, a contra-estratégia gramsciana, as regras para radicais (de Saul Alinsky) e o controle de frame lakoffiano. Nada menos que um combo. Mas também uso um método pouco tradicional: o template neo-ateu. (Usar este template significa usar a mesma assertividade que autores como Richard Dawkins e Sam Harris usam contra a religião, mas agora contra a religião política, ou seja, o esquerdismo)

Por exemplo: imagine que um grupo religioso decidisse banir da televisão um comediante por este criticar a crença em Deus. Como reagiriam os neo-ateus? Será que eles ficariam apenas tristes? Se limitariam a resmungar, conformados? Será que diriam “ó ceus, ó vida, que censura ruim”? Ou será que eles denunciariam em público (e em larga escala), nos termos mais fortes possíveis, o quanto é nociva a crença do oponente por tentarem censurar o seu lado?

Com certeza, eles tentariam essa última opção, pois capitalizariam em cima da tentativa de censura do outro lado. É o momento da direita fazer exatamente o mesmo com os cães de guarda do PT. Eu não sou otimista como o Políbio Braga no vídeo abaixo, mas com certeza devemos agir nas redes sociais como um exército, nos moldes do que ele afirma. Assista:

É imperativo criarmos uma consciência pública mostrando o quanto é abjeto o comportamento da extrema-esquerda na tentativa de censurar seus opositores apenas por nós discordarmos de ideias tão torpes quanto a apologia de criminosos. A reação à tentativa de aplicação do “soft censorship” contra o SBT deve ser tratada de forma assertiva, no mesmo nível que tratamos casos de pedofilia e crises de tomada de reféns. 

Ademais, também podemos aprender com Gene Sharp. Uma das formas com que devemos tratar a situação é o lançamento de uma campanha de larga escala propondo boicote aos anunciantes do SBT caso eles cedam ao jogo governista. Se os esquerdistas querem atacar Rachel ameaçando o SBT podemos ameaçar os anunciantes do SBT caso a emissora resolva ceder às suas ameaças.

Enfim, se não formos capaz de expor eficientemente mais essa baixeza governista, eles vencerão.

Anúncios

36 COMMENTS

  1. Eis o vídeo da referida deputada, que “anseia pela liberdade de expressão”, tolhendo a alheia:

    https://www.youtube.com/watch?v=1H_ajcpO71Q

    Será que ela está com medo da Direita quando ela diz deste surgimento ULTRA-Reacionária???

    Pior foi ela DESinformar que os comunistas não tem nada a ver com os Ditadores e Déspotas no mundo.
    No fim, o Dep. Ricardo Berzoini (PT-SP) presta-lhe uma solidariedade. Foro de São Paulo in action!

    Tal video recebeu um tanto de unlike que deu dó. E os comentários? ÓTIMO!!!!

      • Corrigindo (eu sempre faço isso) 🙁

        “Muito boa a reação do público que comentou. Uma excelente maneira de deixar claro a essa gente que somos contra a censura.”

    • Ainda existe isso? Um partido comunista !!!!! Como sempre afirmo, a partir de um certo argumento do maior epistemólogo que já passou por esse mundo, Karl Popper (e desafio qualquer socialista/comunista a me provar o contrário). Comunista: ou possui QI de ameba; ou é VIGARISTA; ou possui QI de ameba e é vigarista.

      Quanto a essa Jandira Feghali: pode ser uma médica, de direito. Mas, DE FATO????? Eu é que não tiraria qualquer dúvida, na área médica, com ela. Sendo comunista, ENTÃO…

  2. Não é possível encontrar uma reação dela, e dos asseclas partidários, e da base comprada uma frase de contestação sobre os blogs financiados por dinheiro público e que incita o ódio aos demais brasileiros.

    Não se viu uma reação aos erros administrativos e aos atos e fatos administrativos de Dilma na PB etc e etc. Um bando! É isto que eles são!

  3. Não sei se tens idade para saber disso, mas o magrelo da propaganda do Bombril e que foi afastado,voltou por demanda popular. As donas de casa boicotaram o produto e avisaram pelos meios da época que só voltariam a comprar Bombril se o ator voltasse a fazer as campanhas. Voltou rapidinho! Claro que nesse caso o público é muito mais diluído, mas não é impossível fazer algo semelhante, e com FOCO!
    Só precisamos descobrir qual é o Bombril em questão.

  4. Luciano,

    Acabo de ver no jornal do SBT, considerado o “mais independente e reaçionário” da TV aberta, o novo contratado (o jornalista Kennedy Alencar, pau-mandado do governo petista) direto de Brasília falando sobre a Marcha da Família. Pra variar ‘um tantinho’ ele distorce a natureza do evento, falsifica a História e ainda recebe o apoio do âncora do jornal dizendo que “[…] pois é, vivemos numa época onde a imprensa é livre e atuante nos assuntos da política, onde existe o Ministério Público para atuar nos abusos do poder e onde é até possível fazer uma marcha contra a democracia”…

    A Rachel? Nessa pauta, ficou muda.

    Eu ti disse! Eu ti disse! Mas eu ti disse! Eu ti disse… |¬)

    Alguém aí quer comprar um título de “capitalização” do seu Silvio?

    • Vou postar aqui também pra manter a coisa atualizada….

      http://www.youtube.com/watch?v=8QSzgamAWv4

      Veja como a coisa toda já começa tendenciosa:

      “Como a presidente que foi presa e torturada está vendo essa marcha?”
      – A história já começa quebrada — esse é o frame esquedista pra demonizar a ditadura — lembra-se que a presidente foi presa e torturada, mas não se fala JAMAIS no motivo pelo qual ela foi presa ,não se fala nos atos terroristas provocados pela VAR Palmares.
      Isso corresponde ao que eu disse acima a respeito da propaganda de demonização e ostracismo aos militares.

      “Governo Dilma avalia que militares…estimulam a marcha porque estão contrariados com o trabalho…da comissão da verdade…que vem expondo abusos e crimes”

      Parece que até idealizarem a marcha, os militares não estavam sob ataque, mas agora — os esquerdistas vão capitalizar através da marcha — para acabar de vez com a imagem dos militares.

      “Sobre a marcha a presidente não pode fazer nada….mas pediu ao ministro da defesa que PROIBISSE os militares da ativa de comemorar os 50 anos do golpe”.

      Essa é a ação típica de mídia, que diz algo, e depois na mesma frase apresenta o seu exato oposto. Se dilma não pode fazer nada, COMO PÔDE PROIBIR através de um pau mandado, que outras pessoas tenham a liberdade de participar da marcha????
      Nota-se que Dilma, não proíbe — apenas manda os outros proíbirem. O resultado da ação é o mesmo, porém ela passa como a tolerante.

      “Em PLENA democracia os organizadores da marcha pedem a volta dos militares”
      Não falei, que eles colocariam os organizadores da marcha como opositores da democracia???? Percebeu a enfâse que o jornalista deu na palavra “PLENA” !? 🙂

      (Sobre PT, PSDB e PMDB…)
      “Todos eles lembram que apesar dos graves problemas o país é melhor”
      Eis aí uma frase tremendamente questionável. Melhor em que critério?? Já logo nota-se o malabarismo — os políticos vão se apegar a um fator econômico — e então bolar uma fraude intelectual em cima deste fator…

      “Na época da ditadura havia uma inflação alta”
      E daí? O aspecto mais relevante da intervenção militar foi o seu contexto histórico e CULTURAL. Chega a ser hilário apresentar uma argumentação baseada em um único fator econômico, desconsiderando outros contextos. Um simples levantamento em taxa de crimes de homícidio já destruiria qualquer argumentação comparativa que dê ao governo atual a vitória sobre o governo na época da ditadura. Militares não sabiam administrar um país…mas sabiam que comunistas além de saber menos, tinham intenções funestas.

      Isso sem contar, que o plano real não foi um plano do governo atual — de fato os representantes do atual governo ERAM CONTRA O PLANO REAL

      http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/economia/20-anos-de-plano-real-o-avanco-social-que-o-pt-tentou-barrar/

      “Hoje a gente tem programas sociais elogiados e uma nova classe média”
      Elogiar programa social é o ápice da demência nacional.
      http://ultimosegundo.ig.com.br/bolsa-familia/2013-10-17/bolsa-familia-em-numeros-confira-resultados-de-dez-anos-do-programa.html

      Percebe-se no link acima que o número de beneficiários entre 2004 e 2014 DOBROU. O governo é claro faz propaganda disso, informando que atualmente existem por volta de 13 milhões de pessoas beneficiadas pelo bolsa família….

      SÓ TEM UM PROBLEMINHA:

      http://www.youtube.com/watch?v=J2VklFgYl7g

      A presidente disse que acabaria com a probreza, mas o número daqueles que DEPENDEM dop bolsa família, e portanto SÃO POBRES….DOBROU. A conclusão lógica é que invez de acabar com a probreza, o governo a aumentou. Não existe a criação de uma nova classe média, foi a média do brasileiro comum que empobreceu, junto com o fato de que o imposto aumentou vertiginosamente.

      “Na época da ditadura os escândalos eram varridos para debaixo do tapete”
      Coitado do brasileiro….esta fodido mesmo….alguém aqui acredita que atualmente os escândalos NÃO são varridos pra debaixo do tapete???

      “Hoje temos uma imprensa e um ministério público independentes e vigilantes.”
      A existência de Romeu Tuma e os eventos que ele relata, bem como o programa governamental denominado como “mais médicos” (que ainda hoje se utiliza de trabalho escravo) são a prova de que a imprensa é vendida, e o ministério público aparelhado. Isso só pra citar 2 eventos.

      “E hoje há liberdade até para uma marcha contra a democracia…Na época da ditadura…toda uma geração foi perseguida, presa, torturada e morta por se opor ao regime “

      Rachel Sheherazade tem muito o que aprender com o seu colega Kennedy Alencar, O trabalho de propaganda pró governo socialista dele foi exemplar:

      Ele reaproveita o gancho dado pelo âncora, e repete que a marcha é contra a democracia, faz isso simplesmente porque a “repetição é a mãe da retenção”. É interessante notar que mesmo que ditaduras sejam reprováveis e abjetas, o sujeito usa o termo “toda uma geração” e não o faz descuidadamente, mas com o único propósito de teatralizar os eventos pós 64, e através dessa retórica criar na mente do ouvinte a imagem de “milhares, ou milhões de pessoas” perseguidas,torturadas ou mortas.
      Ele usa o termo “geração” para tentar transformar a ditadura em um “holocausto brasileiro” — uma clara ampliação indevida, pois o maior número de mortos na ditura militar era de GUERRILHEIROS — um grupo que nem chega perto da sugestão de “geração”.

      http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-mortos-ditadura-mito-realidade/

      A ironia, é que sobre os mortos da Venezuela (que são civis), nada se fala.

      • Gratíssimo por fazer esse dever de casa pra gente aqui, Pecador. 😉

        Parecia um jogo de peteca entre meninos grandes com uma menininha muda no meio fazendo papel de “café-com-leite”.

        Aliás, alguém aí está surpreso com a TOTAL (ou quase?) falta de cobertura midiática e jornalística na TV (até agora 23:15) sobre o evento da Marcha da Família? Não, né?!… Bom sinal… Seu trabalho então, caro Luciano (e de alguns esforçados comentaristas, sejamos justos), tá dando certo. |¬)

    • Ou o Sìlvio aceitava essa imposição petralha de contratar um jornalista alinhado com eles no SBT , ou teria sérios problemas na concessão , além de ser boicotado com ausência de anúncios governistas , portanto , sem essa fonte de grana .

  5. Luciano, você viu a Jandira dizendo que a coisa não é contra a Sheherazade, mas sim contra o SBT? Não vou tirar a razão dela, pois aqui é o tal lance de praticar censura branca contra a empresa de Silvio Santos e a Sheherazade foi só o meio para tal. Não teria a mesma publicidade e seria visto como perseguição a hipossuficiente se a perseguição fosse contra o Paulo Eduardo Martins, uma vez que o mesmo é contratado da Rede Massa de Televisão, que é retransmissora do SBT e, portanto, bem mais pobre que a empresa cuja programação retransmite (em que pese provavelmente receber um bom grau de autofinanciamento de outras empresas do Ratinho, como a Foster e outras). Além disso, ao menos em minha opinião o Paulo constrói seu discurso de maneira a não deixar penduricalhos que possam ser usados por marxistas-humanistas-neoateístas para desqualificar o oponente e fugir do conteúdo que ele está passando sem o responder. A Sheherazade poderia também prestar atenção ao colega de profissão, pois discurso sem penduricalho acaba sendo mais efetivo.
    No caso da Jandira Feghali, o fato de quem ter dito o que deu polêmica ter sido uma mulher acabou por dificultar a vida dela. Se mulheres são oprimidas a princípio como diz o feminismo, como lidar quando quem disse algo é… uma mulher? Claro que aí foi o lance de transferir tudo para uma entidade abstrata (machismo que faria mulheres serem machistas, patriarcalismo que faria mulheres acreditarem em algo que lhes é externo, entre outras alegações que conhecemos), mas aí tudo iria ficar perdido e a própria Rachel da polêmica poderia dar uma retrucada das boas. Aí sobrou para o SBT e tal ímpeto poderia ser usado para a tal censura branca que se está tentando via corte de verba.

    Porém, parece-me que o SBT está preparado. Não apenas temos a questão da moral conseguida e da possibilidade de portas se fecharem ao governo, mas também a acusação de censura (observe-se que já estão malhando a Jandira nas redes sociais). Além disso, parece-me que o SBT tem capacidade de se autofinanciar via outras empresas do grupo Silvio Santos (vide programas patrocinados pela Jequiti, fora o hotel Jequitimar e a construtura Sisan). Logo, ele mantém muito dinheiro circulando dentro de casa, o que ajuda a manter uma robustez (em que pese o problema que forçou a venda do Panamericano). Logo, é possível que essa coisa se esvaia com o passar dos anos.

  6. Luciano, você viu que, segundo o Lula disse a empresários, Dilma sofre na Presidência por ser mulher e, por isso, ela não pode falar palavrão ou contar uma piada e que ele, por ser homem, matava muita coisa no peito? Até aqui você iria achar que é só uma terceirização de vitimismo praticada pelo ex-presidente, bem como lembraria que Dilma é totalmente búlgara no que tange a senso de humor, bem como iria lembrar que não é conveniente a quem está em cargo presidencial que fale palavrões. Porém, o buraco é mais embaixo e, como diria David Horowitz, “the issue is never the issue”. Continuando a ler a postagem do blog de Fernando Rodrigues, vemos Lula dizer que não irá se candidatar, ainda que deixe a coisa em aberto para 2018. Porém, diz ele que é ruim o sistema americano por proibir que um reeleito possa ser presidente de novo em sua vida.
    Imagino que tenha notado o pulo do gato na coisa e muito provavelmente já pensou no sistema russo, em que ora Putin é presidente, ora primeiro-ministro, o mesmo ocorrendo com Dmitri Medvedev. Por fim, vemos o Lula criticar a própria Dilma, em que pese falar a verdade de que ela não dialoga (ainda que aqui pareça verdade do tipo “você não dialoga e eu dialogarei).

    E tudo isso fica parecendo muito com uma tentativa de adiantar para cá o mesmo que já ocorreu na Venezuela (reeleição infinita e sequencial). Por fim, nos perguntaremos: se é sofrimento alguém ser mulher, que grande privilégio um homem tem por ser homem? Ter de se alistar é um privilégio? Ser visto como estuprador que precisa ser ensinado a não estuprar é também um grande privilégio? E por que uma mulher não pode falar palavrão ou contar piada? Acho que ele não conheceu a Dercy Gonçalves (quer dizer, até conheceu, mas acho que está se fazendo de esquecido).
    De brinde, segue mais esta notícia sobre a Crimeia.

    • “(…)E tudo isso fica parecendo muito com uma tentativa de adiantar para cá o mesmo que já ocorreu na Venezuela (reeleição infinita e sequencial). Por fim, nos perguntaremos: se é sofrimento alguém ser mulher, que grande privilégio um homem tem por ser homem? Ter de se alistar é um privilégio? Ser visto como estuprador que precisa ser ensinado a não estuprar é também um grande privilégio? E por que uma mulher não pode falar palavrão ou contar piada? Acho que ele não conheceu a Dercy Gonçalves (quer dizer, até conheceu, mas acho que está se fazendo de esquecido).(…)”

  7. Vale lembrar que até mesmo a Jandira Feghali, que se diz uma militante do direito de liberdade de expressão; Não permite comentários em sua página do facebook…
    Esse pessoal é assim mesmo: Defendem o direito de liberdade de expressão, desde que esse direito seja exclusivo deles.

  8. Eu coloquei a seguinte pergunta no site e facebook desta deputada:
    Se preza tanto pelos direitos humanos; por que nunca entrou com algum processo contra a Supervia, atual concessionária que administra os trens do Rio de Janeiro? Esta concessionária que tem como objetivo único o lucro sem dar a mínima importância para o bem estar ou conforto de seus clientes, que todos os dias atrasa seus trens fazendo com que um trem onde caberia 2000 pessoas confortavelmente, com seus atrasos coloca cerca de 6000 de modo que as pessoas fiquem prensadas e incômodas, que volta e meia acontece acidentes devido a péssima conservação das ferrovias ou pelo fato de estarem usando trens com mais de 50 anos?
    Claro que até agora não fui respondido. No mínimo, para ela um menor infrator é muito mais importante que milhões de pessoas que tem que pegar trem para trabalhar e ainda pagam por isso…
    Ou será que ela está apenas com medo da Sheherazade?

  9. “A explicação é simples até demais. O fato é que o apoio ao criminoso violento é apenas uma crença de suporte para ajudar a manter enraizada no sistema límbico profundo”

    Sua explicação não tem nada de simples. A realidade, sim, é muito mais simples: PT e PCdoB são sócios de bandidos em uma infinidade de negócios ilegais. A Jandira apenas está cumprindo seu papel de porta-voz da bandidagem.

  10. Vi uma postagem dessas na fan page do Paulo Lopes defendendo a censura da Rachel Sheherazade e desmascarei o falso argumento e ainda denunciei a intenção de censura da Jandireca. Não deu outra: apareceu um professor de história esquerdista me xingando de reaça, olavette, fascista e não debateu comigo de forma civilizada. É só ir direto à raiz do problema que a esquerdalha não refuta e ainda mostra seu viés totalitário.

  11. Luciano, duas notícias que podem interessar:

    1) Você viu o Conexão Roberto D’Ávila em sua recente estreia no Globonews entrevistando o Joaquim Barbosa? Temos também esta e esta outra noticia sobre o ocorrido. E, como já dito, ele avisou que vai processar o Ricardo Noblat por racismo, o que talvez dê um medo em outros que vieram descendo a lenha nele dizendo que a cor dele impõe um determinado modo de agir;

    2) Está meio com cara de factoide, mas diz o Blog do Paulinho que o PC do B estaria organizando “fan fests piratas” que teriam como lugar, entre outros, a Casa de Portugal, para entre outras coisas recepcionar africanos vindo ao Brasil. Segundo o dono do blog, essas “fan fests piratas” estariam usando o logotipo da Fifa sem autorização, mas não há qualquer explicação.
    Por que estou achando meio factoide a coisa toda? Porque não há nada que impeça alguém de juntar várias pessoas e ir ver um jogo de Copa (que será transmitido pela TV aberta) em um lugar qualquer, isso valendo tanto para marxistas-humanistas-neoateístas quanto para quem combate o marxismo-humanismo-neoateísmo. E nada impede também que se junte um dinheiro para, por exemplo, rachar a despesa da cerveja e dos espetinhos. O que temos de prestar atenção é sobre quem são esses africanos que estão vindo para cá. É praticamente certo que sejam comunistas africanos, provavelmente dos países que se classificaram para cá (ainda que isso não impeça que, por exemplo, venha gente de Angola ou Zimbábue, só para pegarmos exemplos mais extremos de marxismo-humanismo-neoateísmo na parte mais austral do Velho Mundo). Logo, teríamos de ver se há gente da Argélia (Miguel Arraes esteve exilado lá), Camarões, Costa do Marfim, Gana e Nigéria, uma vez que esses são os países classificados e de onde viria provavelmente o maior fluxo de africanos.

    Nada impediria que se fizesse na África algo parecido com o Foro de São Paulo, ainda mais que o PC do B é integrante da referida instituição. De repente poderia ser uma ampliação do Foro para além da América Latina ou então a criação de um “Foro de Lagos”, “Foro de Iaundé”, “Foro de Argel”, “Foro de Luanda” ou que outro nome possa haver na história toda.

  12. O PCdoB… Perdão, o treinador do PCdoB não faz mais do que ajudar a quem é de direita se libertar do vício Estatal. Depois de tudo, o dinheiro do Estado poderia estar levando ao SBT a não se esforçar o suficiente e não tirar o maior proveito do seu potencial no mercado.

    Viva la libre iniciativa!

  13. Galera, só pra exercício de raciocínio:
    E se, por emenda constitucional fosse completamente banida qualquer transferência de dinheiro do poder público à qualquer tipo de veículo de mídia, seja concedida ou não, pública ou de acesso pago..
    Nada! Secou a teta!
    Que será que aconteceria em nossa Terra Brasilis?

  14. Luciano, mais notícias que sobraram:

    1) Lembra daquele cara que trollou o Itamaraty e entrou pelas cotas para negros ao se autodeclarar como tal? Pois bem, eis que outros tiveram a mesma ideia e a puseram em prática. Em relação a cota racial, vale a autodeclaração, fora que pelo raciocínio marxista-humanista-neoateísta brasileiro de fraudar a demografia ao inventar a categoria “negros” pela soma das categorias “preto” e “pardo” do IBGE (essa última significando “mestiços” e também abrangendo pessoas sem qualquer ancestralidade africana), se alguém de aparência caucasiana prova ter antepassados africanos, acaba jogando com o livro de regras dos gramscistas em mãos e os gramscistas não podem falar nada, uma vez que foram eles os que estabeleceram tal regra. Logo, essa pessoa de aparência caucasiana e ancestralidade africana em momento algum estaria mentindo e poderia muito bem inclusive processar quem dele duvidou. Como MHNs pensam de forma estratégica, irão preferir essa pessoa de aparência branca reforçando a categoria “negros” que eles inventaram e seguem querendo impor ao brasileiro;

    2) Mais uma suspeita de que oposição e situação estejam sendo financiadas pelas mesmas pessoas. Lembra-se do protesto Não Vai Ter Copa, eivado de partidos e instituições MHNs? Pois bem, eis que a CUT vai às ruas dizer que vai ter Copa sim. Logo, estamos falando de MHN protestando contra MHN, em algo muito parecido àqueles protestos de junho do Passe Livre, que apoiou o Haddad para prefeito e cujo domínio de internet pertencia a um beneficiário da Lei Rouanet;

    3) Por fim, segue artigo do Vladmir Safatle que parece ser feito sob medida para reforçar a luta de MHNs dentro da USP e também de trampolim para sua candidatura pessolista ao governo paulista.

  15. Na Polônia, na Romênia, na República Tcheca você toma porrada na rua se disser que faz parte de partido comunista. Em Banânia não, claro. Em Banânia as pessoas ainda acreditam em comunismo, Papai Noel, Coelho da Páscoa etc.

Deixe uma resposta