A esquerda que se vangloria por nada: desconstruindo as fraudes de Frei Betto em prol da impunidade de menores

24
196

freibetto

Conforme já mostrei no texto “Por que a apologia aos criminosos praticada pelos esquerdistas não passa de um grande negócio?”, toda vez que virmos um esquerdista defendendo a impunidade dos criminosos violentos devemos tratá-los da mesma forma que tratamos fraudadores da pior espécie, pois temos pessoas com falhas de caráter defendendo um dos negócios mais sujos possíveis.

No blog Pragmatismo Político, Frei Betto usa uma série de truques para seguir protegendo este negócio. O texto que será desconstruído aqui é “Todos os países que reduziram maioridade penal não diminuiram violência”.

É natural que a defesa de marginais violentos resulte em muitos benefícios financeiros para a elite dos beneficiários da esquerda. A turma funcional que os segue propaga o discurso sem ganhar nada com isso. Mas não importa, pois o processo vicário tira qualquer escolha destes últimos: eles seguem empolgados propagando fraudes para proteger seus líderes. Fraudes estas criadas por estes líderes.

No texto, Betto usa uma técnica pífia que eu já havia desconstruído no texto “Ceticismo político nível ‘hard’: Quando um esquerdista diz usar fatos decisivos para defender impunidade a criminosos violentos”. Usar percentuais de reincidência maiores ou menores não configura nada se não for feita uma análise temporal de um impacto. Ou seja, algo que qualquer pessoa intelectualmente honesta deveria saber.

Por exemplo. Suponha que estamos executando testes de software em um aplicativo e há 20% de chances dele ficar indisponível. Esse valor em si não significa absolutamente nada se não dimensionarmos o impacto da indisponibilidade. Suponha que por outra alternativa temos 70% de chances do aplicativo ficar indisponível. Se a indisponibilidade neste caso durar 2 horas (enquanto no primeiro durar 40 dias), citar que temos “20% ao invés de 70%” não significa absolutamente nada em termos de benefício ou malefício.

Se a reincidência de menores é de 30% nos sistemas socioeducativos (e não 20%, como Betto citou) e de 60% (e não 70%, como mais uma vez o esquerdista maquiou – e ambos os números foram referenciados por Frank Jaava no primeiro artigo linkado neste texto) no sistema prisional, isso ainda não muda o fato de que um sujeito saindo depois de três semanas após ter estuprado uma mulher pode estuprar uma outra um mês depois. Sendo assim, qual o benefício dos “30% de reincidência” se o impacto para os civis é muito maior? Em suma, sempre que um esquerdista jogar percentuais a esmo, é claro que ele esconde a variável mais importante: impacto. Quem quiser consultar o PMBOK, saberá que qualquer análise de risco que ignore um de dois fatores (probabilidade e impacto) é desonesto.

Para além desta fraude intelectual evidente, há outra fundamental: falsificar a intenção de uma proposta para criticá-la por essa intenção inventada. Ou seja, é a falácia do espantalho.

Por exemplo, imagine que você lance uma campanha promocional para aumentar a venda de empadas e esfirras s em uma lanchonete. Um oponente pode lhe criticar por causa de sua campanha não ter aumentado a venda de energéticos. Mas quem disse que sua intenção era aumentar a venda de energéticos? Simples: o seu opositor inventou essa intenção desonestamente para dizer que sua proposta “não funcionou”. Sempre que vir isso acontecer, desmascare o fraudador de imediato.

É o que temos que fazer com Betto quando ele diz que países que reduziram a maioridade penal não registraram redução da violência. Mas observe as fontes dele:

Nos 54 países que reduziram a maioridade penal não se registrou redução da violência. A Espanha e a Alemanha voltaram atrás na decisão de criminalizar menores de 18 anos. Hoje, 70% dos países estabelecem 18 anos como idade penal mínima.

Ué, cadê as fontes? O gato comeu? Qual era a taxa anterior às leis? Qual a taxa posterior? Como Betto não apresentou essas fontes, sua alegação vale o mesmo que um peido.

Mas, a título de argumento, vamos fingir que ele possa ter evidências do que fala. Antes de tudo, temos que eliminar a falácia do apelo à autoridade: quem disse que Espanha e Alemanha são autoridades na questão da justiça? Assim como a maioria da Europa, o esquerdismo é muito influente por lá, o que pode fazer com que todas as leis (mesmo as de redução de maioridade penal) sejam ineficientes.

É melhor, portanto, tratamos a fraude principal: a implementação de falsas intenções na proposta do outro.

O fato é que redução da maioridade penal não é medida pela redução ou aumento dos crimes em níveis gerais, pois são vários os fatores que levam os crimes a ocorrer. De nada adianta reduzir a maioridade penal e manter um sistema cada vez mais leniente com o crime. Por exemplo, do jeito que a esquerda é, se reduzirem a maioridade penal vão exigir que nenhum estuprador passe mais de 3 anos na cadeia. Como os esquerdistas dedicam sua vida à impunidade, é claro que temos que reduzir a influência dos discípulos de Marx para implementarmos leis de fato eficientes para combater o crime. Isso não muda o fato de que a redução da maioridade penal é um imperativo moral e técnico.

Vejamos o caso do adolescente que estuprou uma passageira de ônibus na frente dos demais passageiros. Esse monstro já havia sido pego por outros crimes que deveriam tê-lo levado a um bom tempo de prisão antes. Mas por causa da lei de impunidade de menores, ele estava livre, pronto para poder estuprar aquela mulher na frente de todos os demais passageiros do ônibus. Qual o nível de humilhação essa mulher sofreu? Será que algum dia ela vai se recuperar do trauma? Muito provavelmente não.

Em suma, ao aceitar plenamente o impacto de dar a uma classe privilegiada (os menores infratores) licença total para matar, estuprar e torturar, o estado assume um impacto absurdo pelo qual se torna responsável. Podemos logicamente afirmar que manipular percentuais para promover esse tipo de licença para matar é uma ideia psicopática. (Não estou afirmando que Frei Betto é um psicopata. Ele pode ser apenas psicótico. Ou histérico. Mas eu foco em quem inventou esse argumento defendido por ele. Claramente é um psicopata).

Betto também omite o fato de que aqueles que defendem a redução da maioridade penal também defendem penas justas para criminosos. Por exemplo, um estuprador não pode ficar menos de 10 a 15 anos na cadeia. O mesmo vale para assaltantes, estupradores, sequestradores e latrocidas. Alguns desses casos mereceriam inclusive prisão perpétua. Do jeito que as demais leis de impunidade existem para favorecer criminosos bárbaros, é claro que nós sabemos que apenas reduzir a maioridade penal em um sistema leniente não vai gerar resultados mesmo.

Quando Betto omite que a redução da maioridade penal é apenas uma das propostas para redução do crime defendidas pelos cidadãos decentes, comete aqui sua terceira fraude intelectual. Do jeito que Betto trata a questão, parece que os direitistas dizem que “redução da maioridade penal é a solução do problema”. Mentira. A direita propõe que várias medidas sejam tomadas para evitar a conivência do estado com o crime. Uma dessas medidas mais importantes e urgentes é a redução da maioridade penal.

Tivéssemos a redução da maioridade penal, teríamos salvo aquela mulher carioca de ser estuprada em um ônibus em plena luz do dia. Também teríamos salvo a vida de um dentista que morreu ao ser queimado por assaltantes. Todos criminosos com licença para matar, por causa de uma lei psicopática que lhes garante a impunidade.

Não há um argumento lógico que justifique dar licença para matar para os menores de idade, tanto que Betto precisou recorrer a pelo menos três fraudes intelectuais grotescas para continuar promovendo sua proposta imunda.

Se este texto de Betto é considerado “um pilar da argumentação da esquerda contra a redução da maioridade penal” é sinal de que temos um problema a resolver na direita: a falta de combatividade à essas fraudes. Pois desmascará-las é fácil até demais.

Anúncios

24 COMMENTS

  1. Luciano, combatividade não é algo que caracterize o brasileiro médio. Fica mais confortável no acomodamento, sempre achando que a água não vai bater na bunda. E, quando a dita bate, diz que não está tão fria.
    Vamos ao combate! Quem quiser seguir o exemplo, que venha. Há cabeças esquerTRALHAS para serem cortadas suficientes para todos e mais. Mas tem de assinar embaixo de frases como “Consideramos estas verdades como auto-evidentes, que todos os homens são criados iguais, que são dotados pelo Criador de certos direitos inalienáveis, que entre estes são vida, liberdade e busca da felicidade.” Ou “… em apoio desta declaração, plenos de firme confiança na protecção da Divina Providência, empenhamos mutuamente nossas vidas, nossas fortunas e nossa sagrada honra.” Eu assinei.

  2. “Ninguém nasce delinquente ou criminoso. Um jovem ingressa no crime devido à falta de escolaridade […]
    Enfim, o menor infrator é resultado do descaso do Estado, que não garante a tantas crianças creches e educação de qualidade; áreas de esporte, arte e lazer; e a seus pais trabalho decente ou uma renda mínima para que possam subsistir com dignidade em caso de desemprego.”

    De boas aqui, observando suas fraudes intelectuais hehe

    • você JÁ OUVIU FALAR EM ESCOLHAS,POIS É quando você diz uma barbaridade dessas você matou a essência humana ,a capacidade de escolher e se tornou escravo dos idiotas sendo mais idiota que eles

  3. Além dos motivos clássicos da esquerda apoiar a impunidade já amplamente discutidas, acredito em uma máquina de corrupção que torna tudo um belo negócio, tudo é ditado na regra da propina, a redução da maioridade penal além de diminuir o caos social( desvantajoso para um estado inchado) ainda implicaria em construção de mais presídios que por sua natureza implicam em dose única de corrupção já que uma vez construídos geram um % do valor de sua construção embolsado pelo corrupto apenas uma vez, ora é muito melhor ficar fazendo obras e mais obras mal feitas para que tenham que ser refeitas para a teta ficar sempre cheia de “leite”( vide alguns estádios da copa); outra coisa, fazer presídio não gera voto é muito melhor pegar esse dinheiro e “investir” em assistencialismo populista que são garantia de voto.
    Mas a podridão que emana dessa esquerda midiática financiada pelo governo vermelho, é algo que deve ser diuturnamente combatido já que para uma grande maioria da população esses conceitos deturpados podem colher seguidores desavisados.

  4. Quer dizer então que o jovem criminoso não é necessariamente um monstro, às vezes ele não teve oportunidades, não conhece outra coisa além da violência, e talvez possa ser recuperado. Isso é verdade.

    Muito legal, muito bonito. Aí eu leio esse outro texto dele:

    http://amaivos.uol.com.br/amaivos09/noticia/noticia.asp?cod_Canal=53&cod_noticia=22160

    Aqui, ele defende a descriminalização do consumo da maconha. E pergunta: “Mas como evitar que o consumo não anabolize a assombrosa fortuna dos traficantes? Ainda que se mantenha a proibição das chamadas drogas pesadas, em geral caras, como estancar a disseminação do crack, mais barato e tão devastador?”

    Ele não responde. Em vez disso, se pergunta por que as pessoas usam drogas, e chega à conclusão: “A droga é um falso sucedâneo para quem carrega um buraco no peito. Esse buraco resulta do desamor e das frustrações frequentes numa sociedade tão egocêntrica e competitiva.”

    Mas e a questão do aumento do poder dos traficantes? Não é importante?

    Mais ainda: o jovem que usa drogas não está entrando em contato com traficantes, e não pode acabar recrutado por eles? Não é a droga (qualquer uma) uma ponte para o crime?

    Como pode esse senhor sentir compaixão dos jovens criminosos que se corrompem por motivos externos, sociais, econômicos, e ao mesmo tempo defender que um desses fatores continue a acontecer?

    A resposta é óbvia. Frei Betto é amiguinho de Lula e do PT, que por sua vez são parte do Foro de São Paulo, e lá todos querem a descriminalização do consumo de drogas para que seus braços armados – como as FARC – continuem com suas atividades.

    Isso sem falar em argumentos bobos como: “A Espanha e a Alemanha voltaram atrás na decisão de criminalizar menores de 18 anos. Hoje, 70% dos países estabelecem 18 anos como idade penal mínima.”

    Uai, e daí? Eles fizeram, então nos temos que fazer também? E ele é desses que abominam o “imperialismo americano”…

    Não confio numa palavra que esse cara diz.

  5. “Ninguém nasce delinquente ou criminoso[…]”

    Mentira!

    “Comunicação On-line: Uma pessoa que possui um perfil de psicopata nasce com essas características, ou pode adquiri-las?

    Araujo: O psicopata já o é desde o nascimento. Mais cedo ou mais tarde, o transtorno pode ser deflagrado, em maior ou menor grau. Estudos demonstram que filhos de psicopatas têm cinco vezes mais chances de desenvolver o mesmo transtorno. Sabemos que todo transtorno mental tem causas biológicas, psíquicas e sociais. Uma criança filha de psicopata, que sofreu abuso e violência, tem ainda mais chances de desenvolver o transtorno. Um jovem pode desde cedo começar a demonstrar os primeiros sinais de que há algo errado. Por volta dos 15 anos pode apresentar os primeiros sinais de transtorno de conduta e se não tratado, pode evoluir para a psicopatia. ”

    “…Um jovem ingressa no crime devido à falta de escolaridade[…]”

    Não necessariamente:

    “Comunicação On-line: O que pode levar um indivíduo a cometer atitudes de psicopatas?

    Araujo: A psicopatia tem causa multifatorial. Há estudos que demonstram que psicopatas que tiveram uma infância repleta de violência e com uma família desestruturada, podem chegar a cometer crimes graves contra a vida. Ou seja, podem se tornar verdadeiros predadores sociais, causando sérios prejuízos à sociedade. Há também fatores genéticos, fatores próprios de cada indivíduo e fatores de ordem social que quando somados, podem levar à psicopatia. ”

    Fonte:http://www.psicopatia.com.br/mentecruel.php

    Essa idéia de que eles só praticam crimes por serem “vítimas da sociedade” pode ser refutada com leituras de psiquiatra e psicologioa.
    Um bom exemplo é o caso do psicopata “Champinha” (que, diga-se de passagem, foi até defendido, de forma indireta, por muitos esquerdistas na época), que está “preso” até hoje (mesmo cometendo um crime quando era “di menor”):

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/12/10/stj-decide-manter-champinha-internado-em-unidade-de-saude.htm

  6. Luciano, nestes tempos tenho observado que você falou do psicopata que influencia o histérico e esses formam um conjunto que dá força ao marxismo-humanismo-neoateísmo. Agora vejo que você acrescentou o psicótico, que por vez pode ser alguém que também fica totalmente alheio do mundo. Nestes últimos tempos, fico pensando que falta mais um componente nessa história: os narcisistas. A exemplo da psicopatia, são pessoas que só veem a si próprios e pensam nos próximos enquanto aquilo que eles podem lhes oferecer. Também não conseguem se pôr no lugar dos outros e muitas vezes são capazes de constranger os próximos sem hesitar, caso estejam em uma situação que não de protagonismo. Não são de todo pessoas danosas ao ambiente que as cerca, concentrando-se mais nas pessoas próximas. Fazem um jogo duplo, de maneira a que os próximos deles não consigam fazer com que os mais distantes creiam nos relatos de coisas ruins que os tais narcisistas cometem, narcisistas esses que sempre passarão ao mundo a impressão de que são pessoas irrepreensíveis.

    Narcisistas também são pessoas que se consideram superiores às pessoas que estão perto, bem como possuem sensibilidade exarcebada (talvez aí podendo cair no quadro de histeria, mas também podendo seguir um caminho diferente, podendo um narcisista ser histérico, mas um histérico não obrigatoriamente narcisista) e são extremamente carentes da atenção e da admiração alheias. Dificilmente aceitam críticas e as veem como uma ofensa pessoal na maioria das vezes, só aceitando aquelas que vêm de alguém que eles consideram a eles superiores. São pessoas que normalmente se sentem vazias por dentro e tentam preencher esse oco de alguma forma. Logo, é possível que tenhamos narcisistas que conduzam muito bem obras de caridade, ainda que na prática tentem tirar os olhos do trabalho que está sendo feito para que as pessoas vejam quem está conduzindo a coisa. Também há boas possibilidades de muitos craques do futebol serem narcisistas, especialmente aqueles que sequer aceitam que podem jogar mal um dia ou outro ou passarem por uma fase ruim, por exemplo. E esse tipo de gente é difícil inclusive de ser tratada psicoterapeuticamente falando, por também desdenharem do profissional que os trata.
    Imagino eu que você tenha notado aí algumas semelhanças com boa parte dos esquerdistas caviar e de repente considere esse comportamento como uma espécie de narcisismo direcionado e turbinado por técnicas criadas por psicopatas. Talvez aí pudéssemos considerar o porquê de eles fazerem uma grita por, por exemplo, um restaurante lotado que demorou para atender um cliente que por acaso era homossexual (e que estaria esperando há tanto tempo quanto um heterossexual no mesmo recinto) e nada falarem sobre homossexuais sendo enforcados no Oriente Médio pelo simples fato de serem homossexuais, uma vez que desse último ato, até pela distância e impossibilidade logística de se fazer algo, não dá para extrair a aprovação das pessoas próximas. Poderíamos aí considerar narcisista o marxista-humanista-neoateísta que tem um monte de aparelhos da Apple e diz não ver problema nisso. Digo isso tudo por de alguma forma ter delimitado dentro da esfera MHN gente que não é psicopata nem age na histeria, mas que também tem sua cota de dano ao mundo ao redor.

    E também aqui podemos entrar em uma autocrítica válida para o combate ao MHN, pois por vezes penso em que tipo de anti-MHN podemos botar fé e qual anti-MHN devemos descartar por ser psicopata, histérico, psicótico ou narcisista. Claro que aqui deixo de lado a possibilidade de pegarmos de algumas dessas parreiras o único cacho de uvas bom que forneceram no meio de um monte de podres (tal qual se faz ao se pegar da esfera MHN a compreensão do pensamento gramscista e as estratégias de Saul Alinsky), mas também fico aqui pensando sobre como evitar que o combate ao MHN possa se contaminar pelos vícios de que o MHN é repleto (já se está combatendo de alguma forma o que você chamou de direitismo depressivo e isso já é algo importante, ainda mais com vitórias recentes).

  7. Luciano, ainda dentro da Igreja Católica, mas mudando o foco e o estado, você viu que este ano não teve o Auto da Paixão de Cristo no Rio de Janeiro? O motivo era estarem acampados na frente da Catedral Metropolitana os integrantes da invasão do terreno da Oi, o que inclusive impediu os serviços normais do templo em questão.
    Uma coisa importante é que desta vez nenhum marxista-humanista-neoateísta pode falar que foi maltratado pelos malvados cristãos, pois o pessoal da Catedral inclusive deu café e comida para os caras, dentro da tradição de ajudar os próximos. E também dentro dessa mesma tradição, estão buscando alguma forma de solucionar o problema dessas pessoas.

    Porém, o problema todo era que os tais 50 caras recusavam-se a se separar e abrir espaço para a encenação pascal, o que pode nos fazer suspeitar que isso tenha sido de propósito (e se o foi, pode ser passível de punição pelo artigo 208 do Código Penal). Desde aquela Jornada Mundial da Juventude em que a Marcha das Vadias desmoralizou a si própria (e, um pouco antes, quando a Diocese de Guarulhos seguiu rigorosamente o livro de regras da lei laica e o livro da lei canônica e promoveu missa a céu aberto, encobrindo o som de uma Marcha das Vadias local), podemos considerar que os MHNs estão especialmente furiosos com o surgimento de uma Igreja que não só enfrenta o marxismo-humanismo-neoateísmo como também o faz naquela base do “eles passarão, eu passarinho” (Mário Quintana), de maneira a que a raiva do lado religioso político não consegue bater sobre o religioso revelado sem que gere hostilidade contra o lado religioso político.
    E por que raios esses 50 sem-teto pós-reintegração de posse não quiseram ao menos por um tempo deixar a frente da Metropolitana para que houvesse a encenação (sendo que poderiam até mesmo ficar praticamente de camarote vendo o Auto)? Aí é que suspeitaremos de serem inocentes úteis que também estavam lá para bagunçar também o coreto dos católicos. Porém, considero que no geral a ação da Arquidiocese foi correta, justamente por não dar margem para que MHNs tivessem algum pretexto para acusar os comandados de Francisco como opressores responsáveis por todo o mal no mundo.

    • Falando em Marcha das Vadias, parece que os caras entraram naquela fase de não terem o que perder após a total desmoralização com o ocorrido na Jornada, adivinha o que acabei de ver programado para 24 de maio? Parece ser uma postura de pisar no brejo aos poucos, pois haverá uma Marcha porto-alegrense em 27 de abril e olhando no calendário de eventos do Face, vê-se mais reuniões de preparação do que eventos prontos em si, o que significa que podem estar preparando um “salto qualitativo” (usando termo maoísta).
      Porém, como já dito antes, há o fato de estarem na tal desmoralização, mesmo tendo tentado “transferência de ativos” (como o tal Toplessaço fracassado), e aí resolverem agir como o tal velho sem-vergonha que balança o badalo por aí. E o problema da desmoralização acaba residindo na dificuldade de arregimentar novas prosélitas (afinal, acho que mesmo uma marxista-humanista-neoateísta com um mínimo de autoimagem não quer ser comparada com gente que profana imagens sagradas e as introduz nas cavidades anais, que dirá uma propagadora inconsciente de gramscismo). Tenho a impressão de que teremos Marchas bem pequenas neste ano, podendo significar a última força de um moribundo.

  8. Luciano, tu é muito inteligente. Tenho que ler seus textos mais devagar para absorver os detalhes. Essa da falácia do espantalho é muito interessante. Devemos nos informar para estarmos prontos para rebater ideias cretinas.

  9. Esse frei Beto é um horror. O tal do Ariovaldo Ramos também é da mesma laia. Nós cristãos estamos muito mal de liderança. Todo mundo contaminado ou com a ganância por dinheiro (teologia da prosperidade e afins) ou pela sede de poder( teologias marxistas infiltradas). Fiquei sabendo que a Teologia da Missão Integral é a versão evangélica da Teologia da Libertação católica. Aff!!!

    • Sobre isso recomendo acompanhar o blog do Fábio Blanco e ouvir os Boletins da Rádio Vox sobre Teologia da Missão Integral (TMI), ele é um dos poucos aplicados em conhecer e atacar essa outra praga.

    • O Júlio Severo é também outro ferrenho crítico do Ariovaldo Ramos e da TMI, bem como do movimento LGBT. Vale a pena ler os artigos dele também.

  10. http://entretenimento.br.msn.com/famosos/com-medo-de-perder-rachel-sheherazade-sbt-oferece-novo-programa-%C3%A0-jornalista

    É engodo!!!

    Para diminuir a crescente crítica contra o aparelhamento da censura posta em prática pela ditadura comunista, provavelmente os vermelhos fizeram um acordo com a SBT para diminuir a pressão cada vez maior dos “reacionários” como eles nos chamam, a artimanha é simples, tiram a moça do jornal de grande audiência e em horário nobre e a colocam em um programinha chulé 1 x por semana em horário não nobre e de pouca audiência; resumindo o SBT continua com sua concessão ativa e embolsando seus 150 milhões/ano, acaba essa história de censura e amordaçamento da Rachel, todo mundo feliz: o SBT com dinheiro no bolso, a Rachel com seu espaço para criticar esses vermelhos corruptos, o governo protegido das críticas de querer censurar tudo mas censurando do mesmo jeito, e o povo mergulhado no circo.

    Só um alienado não consegue ver como a censura foi sutil mas muito eficiente, pela astúcia e sagacidade parabenizo esses comunas censuradores pela sua inteligência, se usassem toda essa inteligência para o bem do País seríamos o País mais desenvolvido do mundo.

  11. Primeiramente, desejo boa Páscoa a todos que aqui se encontram. Porém, aviso que se alguém comeu bacalhau ou já pegou o ovo de Páscoa, que espere um pouquinho antes de ler Sakamoto reduzindo esse momento à simples troca de ovos de chocolate e neoateizando a coisa toda. Observem a grosseria com que ele trata a ocasião:

    A Páscoa, como todos sabemos, é o dia em que celebramos o surgimento do primeiro espécime ovíparo de coelho que metaboliza cenoura em chocolate.

    Dizem que judeus e cristãos deram outros significados para a data, provavelmente querendo pegar uma onda na milenar tradição criada pelo comércio. Alguma coisa sobre uma fuga da escravidão no Egito e outra sobre celebrar a ressurreição de alguém no terceiro dia.

    Mas dada a quantidade de ovos pendurados nos mercados desde fevereiro, do lado dos iogurtes que é para não derreter, quem acreditaria que a data significa algo mais? No Coelho é que está a verdade e a vida – e não nessa versão religiosa de Walking Dead que querem nos enfiar goela abaixo.

    Sim, exatamente isso que você leu: a exploração comercial da Páscoa é que teria criado o Pessach judaico. Ele sequer notou (ou fez que não notou) que ovos de Páscoa são tradição eminentemente cristã. Judeus comemoram o Pessach com outro cardápio, que inclui carne de cordeiro e pães ázimos (sem fermento). Porém, é óbvio que quando se está usando o lado neoateísta do ser marxista-humanista-neoateísta, eles acabam por se permitir a jogar tudo em um mesmo balaio. E, claro, já que o contexto do Ocidente é judaico-cristão e Marx era antissemita, logo também está liberado falar mal dos judeus.
    E claro que o uso de palavras em contexto pejorativo iria continuar, seja por dizer que seria “alguma coisa sobre”, seja por neoateizar agora com os cristãos, em que fala sobre “celebrar a ressurreição de alguém no terceiro dia” ou mesmo dizer que “No Coelho é que está a verdade e a vida – e não nessa versão religiosa de Walking Dead que querem nos enfiar goela abaixo”.
    Provavelmente ele não reparou que ao neoateizar a coisa toda, acabou por na prática tirar a atenção àquele que deveria ser o assunto principal da postagem: a libertação de 150 pessoas, entre elas 30 crianças, em uma fazenda de cacau na cidade paraense de Placas. Sim, uma coisa tão grave quanto a que ele relata acaba sendo apenas um detalhe no texto todo, isso sem falar que no decorrer do mesmo texto há a tentativa de se associar grandes cacauicultores a toda sorte de abusos que não existiriam no cultivo da planta por pequenos produtores (aqui obviamente pensando que pequenos produtores não têm o mesmo grau de poder contra o Estado que possuem grandes produtores). Além disso, também é imputado aos grandes cacauicultores como um todo a morte da irmã Dorothy Stang, que sabemos ter sido feita a mando de Vitalmiro Moura.

    E como de costume, a galera já comentou para desmontar o texto do blogueiro em questão:

    billy bones 12 minutos atrás

    resumindo: quem come chocolate é do mal, burguês e coxinha também. quem é produtor rural, e não é do MST, também é do mal; na verdade, não todos, só uns 95%. sugestão: vamos colocar os 20 mil comissionados do PT no governo para fazer a fiscalização, não é possivel que esse partideco esteja 12 anos no poder, e não consigam fiscalizar o trabalho infantil e escravo!

    • na verdade o que esse FDP fez foi agredir toda uma cultura celta com o cinismo sobre “milenar tradição criada pelo comércio.”

      que tal se eu disser que os japoneses são todos macumbeiros que criaram uma religião na qual até um galho de arvore é um ser divino??? (no xintoismo isso é real)… provavelmente esse corno sentiria um ódio em seu genes mestiços por eu estar atacando sua “cultura étnica de origem” e me chamaria de xenofobico,racista e preconceituoso…

      vá estudar de onde surgiu e porque existe o tal “coelho” da pascoa, sr. sakabosta. parece que fala mais merda do que a lola aronovich kkkkkkk.

  12. Luciano, mais uma entrevista do Pablo Capilé em relação à qual devemos monitorar atentamente aquilo que ele diz, uma vez que o mesmo anda bastante pelas beiradas para conseguir o que quer e acaba tornando seu Fora do Eixo uma plataforma de lançamento de estratégias marxistas-humanistas-neoateístas. Nessa entrevista ele novamente fala de tentar pleitear a adoção de crianças por uma organização (em vez de por pessoas físicas, como é atualmente), o que pode dar margem a pensarmos na possibilidade de se criar um exército de prosélitos (mais ou menos como os otomanos faziam ao sequestrar crianças europeias e fazê-las seus soldados) ou algo parecido com o filme O Show de Truman, bem como tenta rebater aquelas acusações de ter formado uma seita MHN. Outra coisa a prestar atenção é em relação ao quanto ele é evasivo ao se falar de dinheiro, além de dar a entender que a Mídia Ninja já está altamente abastecida com dinheiro de financiadores típicos do marxismo-humanismo-neoateísmo, além do anúncio de uma tal de “República da Cinelândia”, que teria uma constituição própria e maconha liberada. Também é bom vermos o quanto que ele poupa o PT em sua pregação.

  13. Antes de mais nada, os comunistas são satanistas por terem odio a Deus e a todas as religiões, pior contra a Igreja católica!
    O que se sabe é que os partidos comunistas, como o PT, por meio do MARXISMO CULTURAL, dentro do esquema de Gramsci, vai aos poucos, a partir das escolas infantis, fazendo lavagem cerebral nas crianças para chegarem à idade adulta robotizadas, pois dizia Lênin: “Uma mentira sempre contada e insistida, com o tempo se transforma em verdade”, e é fato.
    Também, na prática dos 10 mandamentos do DECÁLOGO DE LÊNIN, os 10 mandamentos dos comunistas, diz o 1º: “Infiltre e depois controle todos os meios de comunicação em massa”, justamente para dar no que idem disse Stálin: “Não se tem que dar notícias, mas educar as massas”.
    Não é isso a estratégia desde que entrou no poder do PT: colorir de cor de rosa, escamotear seus malfeitos direto e reto, enganar a população com falsas promessas e mentiras de manhã à noite acusando e atribuindo os erros só aos outros?
    Chame os outros do que v é,
    Acuse os outros do que v faz! – Lênin.

Deixe uma resposta