Por que a censura sutil é muito mais grave do que a censura formal?

30
138

de-olho

Na caixa de comentários, um amigo me mandou o link de um blog chamado Direitismo, que fez uma crítica àqueles que protestam contra a censura lançada contra Rachel Sheherazade, no SBT. O texto é A direita está exagerando. Na refutação a este texto, aproveitarei para explicar por que a censura sutil é muito mais perigosa do que a censura formal.

No texto, dois parágrafos saltaram aos meus olhos, tamanho o teor da insanidade. A coisa é digna de ânsia de vômito. Vejam abaixo:

A começar, esse papo de censura contra Rachel Sheherazade e Paulo Martins está um pouco além da realidade. É certo que o governo, bem como sua base aliada e membros da esquerda realmente queiram calar esses jornalistas. Isso é evidente. Mas ainda não o fizeram. O que ocorre é que, chamar de censura o fato do governo ameaçar retirar o subsídio que dá ao SBT é no mínimo um grande exagero.

Para começar, é válido dizer que todas as emissoras de TV e rádio do país ganham algum subsídio do governo. Se estas empresas fossem independentes, se arcassem sozinhas com as próprias despesas e receitas, não precisariam se preocupar com chantagem estatal. O SBT decidiu tirar do ar os comentários desses jornalistas por não querer perder uma boquinha de verba pública… ninguém quer, né? Sinceramente, não considero que isso seja censura. Considero, no máximo, que seja uma articulação política. E aposto que a oposição faria o mesmo se estivesse no poder.

Pude “debater” (como se isso fosse possível) com o lançador dessas pérolas acima no Facebook. Foi quando descobri que a mente dele trabalha com um silogismo tão simplório que só seria aplicável a crianças. A coisa é mais ou menos assim:

  1. Eu sou liberal, e a melhor solução seria que o governo não gastasse nenhum dinheiro com anúncios públicos. (Aqui neste ponto eu concordo em gênero, número e grau com ele, diga-se de passagem)
  2. Mas já que gasta, a culpa é do SBT por receber este dinheiro de anúncios.
  3. Como o SBT poderia recusar esse dinheiro, então não há censura.
  4. Mas se é assim, o SBT “tem mais é que se foder mesmo”.
  5. Então, não há censura de forma alguma.

A mente desta figura provavelmente tem algum transtorno que o faz tratar pessoas jurídicas como se fossem pessoas físicas. Pensando dessa forma, é claro que é impossível sequer entender o que está acontecendo. Alguém que diz “o SBT tem mais é que se foder mesmo” provavelmente acha que o SBT é igual a ele, a mim ou mesmo o Silvio Santos. O SBT, para ele, é uma pessoa com emoções.

Tivesse ele olhado para o mundo como ele é, perceberia que “empresas não se ferram”, mas sim pessoas que estão nessas empresas. E, em muitos casos, não são os sócios da empresa. Estes ganham dinheiro conforme necessário e, se não for mais conveniente, eles fecham ou vendem a empresa.

Enquanto alguém achar que o SBT é uma pessoa com a qual podemos ir assistir a um jogo de futebol, tomar uma Coca-Cola ou mesmo discutir sobre o tempo é claro que não há nem como começar a discutir. Para “quebrar” as falhas da argumentação desse argumentador leniente com a censura, temos que eliminar as falhas mentais que o impedem até mesmo de interpretar a realidade.

Basta fazermos uma ação didática. Veja:

  • Não estamos discutindo SBT aqui. O SBT não passa de uma empresa.
  • A liberdade de expressão afeta muito mais os jornalistas que trabalham nas empresas como também o público, que fica privado de conhecer opiniões que contradigam o governo.
  • Para o SBT, isso não muda muita coisa, pois o dinheiro de anúncios continuará entrando.
  • Mas ao mesmo tempo, os jornalistas dissidentes e toda a população perde.
  • A melhor forma de se implementar censura atualmente é pela pressão econômica sobre essas empresas, bloqueando dinheiro de anúncios estatais e limitando outras formas de anúncio, como a proibição de anúncios infantis.
  • Outras formas de cerceamento da publicidade livre ocorrem, como proibição do anúncio de cigarros ou mesmo de cervejas.
  • Essas ações de proibição partem do governo, com o único intuito de tornar as empresas mais vulneráveis à publicidade estatal.
  • Aliás, é pelo mesmo princípio que eles tentam implementar suas leis de mídia. Não é diferente do que ocorre na Venezuela e Argentina.
  • É claro que devemos lutar para eliminar os anúncios estatais. Deveria ser criado um projeto de lei para isso.
  • Mas, enquanto isso não ocorre, infelizmente o governo continuar a ter o poder de usar os anúncios estatais para pressionar as empresas a omitir conteúdo que o partido governista não quer.
  • Ainda que as empresas pudessem rejeitar o anúncio estatal, para elas tudo não passa de verba, que, é claro, estão disputando.
  • Além da pressão focada em cortar anúncios estatais, os governistas ameaçam com o corte de consessão pública, o que inviabiliza a atividade comercial da empresa.
  • Quem quer que não perceba que isso é censura com certeza está sendo desonesto.

Outro ponto importante é o erro de percepção do sujeito ao achar que a censura depende de uma ameaça de morte ou ameaça de prisão. Ledo engano.

Qualquer pessoa interessada em estudar o fenômeno da censura sutil, notará que existem várias formas pelas quais o estado pode censurar conteúdo. Veja só:

  • Ameaça de dar um tiro na cabeça de quem publicar o conteúdo.
  • Ameaça de prender quem publicar o conteúdo.
  • Ameaça de cortar concessão pública de quem publicar o conteúdo.
  • Ameaça de cortar verbas previamente destinadas a quem publicar o conteúdo.

Talvez o espertinho queira dizer que o último item “não é censura, pois a empresa pode rejeitar os anúncios estatais”. Sim, claro que pode, mas no fundo temos apenas empresas olhando dinheiro pela frente. Essas empresas, em geral, não possuem emoções.

As empresas tomam (a partir de seu corpo diretivo) as melhores decisões em termos econômicos. O que estamos criticando aqui é que o estado usa seu poder de distribuir verbas para influenciar essas decisões.

É preciso ser muito ingênuo ou desonesto para dizer que “a culpa está com o SBT, por aceitar a chantagem”, quando na verdade o SBT apenas está olhando se vai lucrar ou não com anúncios. Esse é o erro cognitivo de julgar as coisas olhando apenas para o SBT como se este fosse a única parte atingida. Na verdade, desde o início a ameaça foi sobre o SBT para que Rachel fosse censurada. Ninguém estava pensando em atingir o SBT, mas à Raquel e seu público.

O tal argumentador ainda teve a pachorra de me dizer o seguinte: “Você fez uso do conceito de fins que justificam meios, pois parte da premissa de que se há a verba pública para empresas privadas, em vez de lutarmos para que ela não exista devemos lutar para que o governo não a corte.”

Essa é a falácia do falso dilema, quando ele tentou enganar o leitor fingindo que eu tomei uma das duas opções, quando na verdade (1) eu defendo que o governo não gaste mais em anúncios, (2) mas, enquanto gasta (ou seja, não conseguimos implementar uma lei vetando o anúncio estatal), que ele não seja usado para pressionar emissoras a esconder conteúdo que o governo não queira.

Esse é um dos problemas mais graves da censura sutil: ela é podre, imunda, sórdida e canalha até dizer chega. O maior problema advém desses fatores, pois com essa dissimulação toda até alguns (poucos, felizmente) dentre os opositores do governo não conseguem entender que está sendo vítima de censura apenas por que não viu um agente do governo armado visitar as redações. Haja cegueira!

Mas esse é o grande truque da censura sutil: tentar passar desapercebida. É por isso que ela é muito, mas muito mais perigosa que a censura formal.

Anúncios

30 COMMENTS

  1. O texto é muito bom, Luciano. Além do que voce trouxe nele a respeito da censura sutil, considero importante pensar sobre a origem do dinhero para a propaganda Estatal. Boa parte dele são tomadas sob ameaça de coerção das próprias empresas de comunicação e de todas as empresas que fornecem material para estas empresas através dos impostos e restrições ao livre comércio(caso semelhante acontece na Venezuela, onde se limita a compra de papel). Na verdade, as empresas não escolhem ceder a chantagem ou não, elas escolhem se vão reaver parte do que tiveram que pagar através dos impostos diretamente ou indiretamente(através da elevação de custos de materiais para o trabalho). O que o autor do texto que diz que a direita está exagerando não percebe, está ocorrendo um processo de estatização da mídia, algo que deveria o verdadeiro horror de qualquer um que se considera liberal.

    A censura sutil ela não é perigosa por ser mais difícil de ser percebida(até por que é uma forma pouco discutida), mas por que ela ao invés de censurar do modo mais conhecido de rejeitar determinadas matérias ou partes da matéria, ela vai moldando o que vai sendo dito pela mídia de forma progressiva e cada vez mais dominadora, é um caminho totalitário. Acho importante essa distinção entre ditadura e totalitarismo, no primeiro caso a censura é apenas corte de materia, no segundo a própria pauta é criada ou tem sua origem controlada pelo Estado.

  2. O tal blogue do textiumcuparaconferirlo já não mais existe. Foi apagado. O autor correu; todo borrado, certamente. Como todo socialista, um covarde!
    Meus pitacos:
    Em pleno ano eleitoral, o governo pode dar-se ao luxo de não propagandear sua falácias na segunda ou terceira maior emissora do país? Na minha opinião, não. E cassar a concessão seria um escândalo de proporções internacionais. Em ano eleitoral? Eu duvido que os peTRALHAS quisessem pagar o preço. Não ainda, pelo menos. E não precisaram! Tanto que nada foi feito, na realidade. Apenas ameaçaram. E, como sabemos, você não precise ter poder, de fato. É apenas necessário que o adversário acredite que você tenha.
    Mas junte isso ao que é conhecido e notório: O S.B.T. tem entre seus executivos um escravo petista com longa ficha-corrida por subserviência à esquerTRALHA. Marcelo Parada. E que a Rachel foi escolha pessoal do Senor Abravanel, para quem o prestígio é tudo, mas que nunca foi afamado pela sua resistência ao galinho-garnisé sentado no trono do planalto central. Bastou um tirinho com festim para justificar a censura atuando impunemente no S.B.T. e o Senor ficar quietinho.
    A mesma estratégia não parece ter funcionado tão bem com o Ratinho. O Paulo Eduardo Martins voltou a plenos pulmões, se não me engano. Vantagem de ter um filho político? Ou porque a emissora é apenas estadual?
    Em tempo. No caso da Rachel, a censura não foi sutil. Foi evidente, já que não pode ser negada. Nem como ato, nem como fato. No máximo algo como (parafraseando Lobão) “Censurei, mas não fui eu.”

  3. O problema de quem acha que o governo não praticou censura nesse caso é de achar que a questão foi meramente um acordo comercial entre SBT e governo. NÃO FOI!

    SBT e governo não estão em pé de igualdade para se ter um acordo comercial. O governo pode vetar verbas para o SBT mas o SBT não pode exigir uma sonegação em contrapartida.
    Ou seja, que raios de acordo comercial é esse? A empresa ainda é obrigada a pagar seus impostos.

    Como todo mundo, pessoa física e jurídica, pagam IMPOSTO o governo tem como REGRA a prática da isonomia, ou seja, ele não tem o direito de vetar recursos de nada, ele não tem direito nenhum de fazer pressão econômica (com o nosso dinheiro).

    Resumindo. É CENSURA sim.

  4. O governo chantageia escancaradamente e vem um sujeito colocar a culpa no chantageado! Jandira Feghali na cadeia, e expropriaçao de seu restaurante que vende coca a r$ 8,90 para o *povo* que eles tanto dizem defender. (a segunda parte ë brincadeira, que venda o restaurante para pagar os advogados, viva a liberdade!).

  5. Já dá pra começar a cogitar uma ofensiva (em vários frontes) para acabar com os anúncios estatais. É evidente que qualquer indivíduo com sede de poder, descaso pela justiça e igualdade, tentará usar esse recurso em benefício próprio à sua corja. Olhando por um ângulo correto e considerando a desonestidade de boa parte dos “poderosos”, tais propagandas não são diferentes de crimes terríveis, é só questão de ligar os pontos e apresentar os fatos.
    O que pode ser feito? Dê-em idéias, espalhem-as…

  6. Luciano, um esquerdista fez um vídeo (interessante até), contendo alguns dados e informações legislativas sobre o caso da censura da Rachel. Porém, do início ao fim do vídeo, ele usa a expressão “censura criminosa e ditatorial” para se referir à “censura” que está sendo criticada pelas pessoas. Isso não seria um espantalho criado por ele? E atenção ao tempo 11:50, onde ele cita 2 requisitos para se enquadrar no seu termo “censura criminosa e ditatorial”.

    • O cara é mentiroso e desonesto, pois ele criou uma definição particular de censura para fingir que não existiu censura contra Rachel. A censura estatal e ditatorial é baseada no CONTROLE DO FLUXO DE INFORMAÇÕES A PARTIR DO GOVERNO. Simples assim.

      A expressão “censura criminosa” também não faz sentido, pois crime é o que está fora da lei. Mas se censuras são exercidas pelos governos, elas são PARTE DA LEI.

      O termo “censura criminosa e ditatorial” é imbecil, portanto.

      O que temos que questionar é a imoralidade de toda censura que é sempre em essência ditatorial.

      Se a Rachel pode falar em outros meios, perdeu seu espaço em um meio de larga escala, e essa era a INTENÇÃO DO GOVERNO no controle do fluxo de informações.

      Apontar isso não é “guerrinha ideológica”, mas observar os fatos.

      Abs,

      LH

  7. Coloquei o texto abaixo em outro post e acho válido coloca-lo aqui também pela pertinência:
    “http://entretenimento.br.msn.com/famosos/com-medo-de-perder-rachel-sheherazade-sbt-oferece-novo-programa-%C3%A0-jornalista
    É engodo!!!
    Para diminuir a crescente crítica contra o aparelhamento da censura posta em prática pela ditadura comunista, provavelmente os vermelhos fizeram um acordo com a SBT para diminuir a pressão cada vez maior dos “reacionários” como eles nos chamam, a artimanha é simples, tiram a moça do jornal de grande audiência e em horário nobre e a colocam em um programinha chulé 1 x por semana em horário não nobre e de pouca audiência; resumindo o SBT continua com sua concessão ativa e embolsando seus 150 milhões/ano, acaba essa história de censura e amordaçamento da Rachel, todo mundo feliz: o SBT com dinheiro no bolso, a Rachel com seu espaço para criticar esses vermelhos corruptos, o governo protegido das críticas de querer censurar tudo mas censurando do mesmo jeito, e o povo mergulhado no circo.
    Só um alienado não consegue ver como a censura foi sutil mas muito eficiente, pela astúcia e sagacidade parabenizo esses comunas censuradores pela sua inteligência, se usassem toda essa inteligência para o bem do País seríamos o País mais desenvolvido do mundo.”

    Sobre o texto do direitista que acredita que não teve censura, existem algumas hipóteses:
    1- O cara pode ser um esquerdista se fazendo passar por um direitista, seria um infiltrado tentando injetar sementes de opinião divergente no meio direitista.
    2- O cara pode ainda ser muito inocente para entender a sutileza e sordidez das ações dos esquerdistas censuradores.
    3- Ele pode acreditar que 150 milhões a menos em uma empresa capitalista seja um valor irrisório, é não viu!
    4- Ele pode ser somente um louco, cego, surdo e mudo tudo ao mesmo tempo; já que somente uma pessoa com todos esses problemas não perceberia a censura nos atos do governo nesse caso.
    Falamos sobre censura tosca x censura sutil, mas posso dizer que essa tal censura sutil não se encaixa nesse caso do SBT, o troço foi escancarado ao quadrado, quem viu o discurso da Jandira deve ter achado que morava em Cuba ou na Rússia de Stalin, de sutil não teve nada, apontaram o dedo e obrigaram o SBT a gelar a Rachel, nos últimos 20 anos eu nunca tinha visto coisa semelhante no Brasil, amordaçaram um ser humano só por ser divergente do politicamente correto.
    OBS: se esse cara for direitista mesmo talvez ao invés de ser combatido possa ser resgatado para o mundo da lucidez, precisamos de todos nessa brigada antiesquerdista.

    Só mais uma pérola encontrada no site comuna IG na coluna do comunista Luis Nassif, tão caçando o JB:
    http://jornalggn.com.br/noticia/as-suspeitas-sobre-barbosa-no-episodio-de-espionagem#comment-289515

  8. Assisti o vídeo desse careca e só posso dizer uma coisa, os petralhas estão recrutando gente perigosa para os quadros da suas MAVs; o cara fez um bom vídeo, muito explicativo, recheado de “em cima do murismo ético”, cheio de mensagens anti-direitistas( não mostrou um petista como dono de empresa televisiva), cria um conceito extremo de censura( tenta induzir que só existe censura à ferro e fogo), desconsidera a censura sutil indireta, passa sua mensagem e tenta se colocar no centro( é óbvio que quando se passa uma mensagem e se coloca no centro, o grupo que está sendo criticado leva vantagem), faz crítica indireta a Rachel, não questiona em nada o fato de redes televisivas serem concessão estatal( ao meu ver ranço de censura controladora ditatorial), usa a técnica de crítica de grupos divergentes( mas na falação nota-se seu posicionamento de esquerda).
    Comuna perigoso esse aí, na sexta-feira ele vai buscar o cache dele lá covil das MAVs vermelhas.

    • Falando em MAV, eis que vi este texto que é uma pérola do “acuse-os do que você é”. Acusam os comentários antipetistas que estamos vendo na parte brasileira da internet de seguirem um padrão que teria sido seguido antes no Egito, na Turquia e na Ucrânia, bem como falar a velha história de americanos por trás de tudo. E aqui também o autor dá uma eurasianada ao dizer que o ocorrido na Ucrânia teria sido armado por instituições dos Estados Unidos e que teria sido um golpe para que se pusesse um governo neofascista (aquela acusação já derrubada pelo rabinato-chefe de Kiev de que a derrubada de Viktor Yanokovitch teria sido obra do partido neonazista local Svoboda e não teria o todo dos ucranianos na jogada). Observe-se que ele inclusive fala de 3 mil mortos por fascistas no país do Leste Europeu. Ué, mas não foram as tropas governamentais que fizeram uma verdadeira chacina contra os ucranianos? Além disso, sempre temos de lembrar que o eurasianismo direciona várias forças contra tudo aquilo que for tipicamente ocidental, significando aqui que também neonazistas servem para o propósito.
      Voltando ao Brasil, o “acuse-os do que você é” fica bem naquela base que já conhecemos: comentários padronizados e atacando. Diz o texto que são comentários que vêm do nada atacando PT e governo atual mesmo em notícias que nada têm a ver com política, como aquelas sobre ciência e esporte. Porém, vejo esses comentários em número bem menor do que aqueles que têm a marca da MAV petista, que está fazendo seu camping virtual neste feriado.

      • E já que falei sobre desinformação acusando os rebeldes ucranianos de serem nazistas e o rabinato-chefe de Kiev desmontando a coisa toda, eis que temos esta mostra de que estão usando o nazifascismo em áreas de interesse da Rússia para desestabilizar a população judaica local e os tártaros muçulmanos, que nos últimos anos viveram em harmonia com a maioria cristã ucraniana. Os judeus, como verão no vídeo, estão desconfiados da Rússia nessa coisa toda (e aqui podendo se entender como uma transferência do know-how comunista de usar o neonazismo contra o Ocidente, como a Stasi fez, para as hostes eurasianistas). Falando em eurasianismo, finalmente a grande imprensa brasileira começa a falar dele. Porém, o Estadão falhou miseravelmente em alguns aspectos, como se pode ver aqui:

        Aliou-se também ao escritor dissidente Eduard Limonov na fundação do Partido Nacional-Bolchevique, cujo nome e bandeira não deixavam dúvidas sobre sua proximidade com o nazismo.

        Sim, a programação visual e o nome deixam clara a proximidade com o nazismo, mas o nome “bolchevique” e a programação visual da bandeira, vemos semelhança com a bandeira nazista devido ao fundo vermelho com círculo branco e figura central preta, mas também vemos a evidente semelhança com a bandeira comunista pelo fato de o símbolo em preto ser uma foice e um martelo. Fica parecendo que quem escreveu essa matéria é marxista-humanista-neoateísta e não quis deixar clara a incômoda lembrança que é a de o eurasianismo também beber na fonte da qual beberam Lenin, Stalin e seus sucessores, ainda que no fim da matéria deixe claro que o comunismo é uma das fontes da tal corrente de pensamento (soando como a famosa manobra de que tudo de ruim na visão de um MHN ser nazismo ou fascismo). Ao menos serviu para quebrar a espiral de silêncio que se fazia em relação ao que estava por trás de Putin.

  9. A estrategia do governo para estrangular fontes de faturamento por anuncios vem sendo colocada em pratica de modo sistemático.

    Sem Sorteios
    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/televisao/globo-nao-fara-sorteios-durante-a-copa-2014/

    Uma das idéias, a mais obvia, é aumentar o percentual da verba estatal no “bolo” publicitário das emissoras causando assim uma dependência passível de chantagem.

    Não consigo entender, com as informações disponiveis, porque a empresa cedeu tão rápido algo tão importante para ela, a liberdade de expressão.

    Ainda vejo este episódio como “um ataque” (censura), sem nenhuma sustentação lógica, moral ou legal, que deveria ser rebatido via ação judicial direta a quem fez o ataque.

  10. Por falar em Rachel, vocês já leram a “novidade” que o bostinha teen escreveu sobre ela?

    https://www.facebook.com/felipenetodeverdade/posts/707656922630757?stream_ref=10

    “Se nosso país fosse comandado por pessoas com essa cabeça imbecil da Sheherazade, viveríamos numa Ditadura, com tortura (vale lembrar que ela defende jogar produtos químicos nos pênis de marginais), sem falar na imposição regressa e mongolóide das regras religiosas comandando a política.”

    Curioso é que o mesmo chegou a dizer em um vídeo (que eu tive a felicidade de não ver e soube sobre o ocorrido por este site) isto:

    “É você utilizar suas palavras, e sua filosofia de vida pra simplesmente não aceitar determinadas pessoas”.

    http://lucianoayan.com/2013/05/02/felipe-neto-e-a-argumentacao-que-vem-do-hospicio-finalmente-uma-analise-de-seus-argumentos-contra-a-homofobia-e-nao-faz-sentido-mesmo/

    Como é gostoso ver esquerdista provando do próprio veneno (fora o fato dele está sendo malhando no post que mandou -a exceção, como sempre, são os fãs-).

    Isso fora o fato do sujeito ser inocente (ou idiota mesmo).Lembro-me que ele lançou uma campanha grotesca pedindo preço justo ao lado do Brasil 247(só aí já é motivo para cair na gargalhada).Será que ele é tolo a ponto de acreditar que este governo vai reduzir os impostos por causa de um abaixo assinado?E ainda usando um site estatal para isso?que recebe dinheiro público (vindo dos imposto que ele reclama)?

    Para quem quiser ver a pérola (um vídeo cheio de palavrões -para agradar o público-) o link é esse:

    http://uniaoinfo.blogspot.com.br/2011/04/movimento-preco-justo-ja-felipe-neto-e.html

  11. ACERVO, vi o texto da “paixão do Dirceu”, a que ponto esses imbecis chegaram, é o ápice do absurdo fazer tal comparação, o que me dá medo é saber que vivo em uma sociedade cheia desses tipos de psicopatas doentios, essa gente é perigosa não só por suas opiniões mas também pelo que são capazes de fazer.

  12. “O relator do projeto do Marco Civil da Internet na Câmara, deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), disse que a oposição ao governo no Senado não pode ser “mesquinha” e que o texto deve ser aprovado amanhã. A fala ocorreu no evento Camping Digital, que faz parte da campanha de Alexandre Padilha ao governo paulista e é dirigido à militância petista na Internet. ”

    “Votação do Marco Civil da Internet deverá ocorrer amanhã no Senado”

    http://www.opovo.com.br/app/opovo/politica/2014/04/21/noticiasjornalpolitica,3239174/votacao-do-marco-civil-da-internet-devera-ocorrer-amanha-no-senado.shtml

  13. Luciano, após expulsarem os marxistas-humanistas-canabistas da reitoria da UFSC, os catarinenses vêm se mostrando altamente contrários ao marxismo-humanismo-neoateísmo e mostrando não terem qualquer problema de fazer isso. Veja o que os moradores da região da ocupação Amarildo (esse mártir dos marxistas-humanistas-neoateístas brasileiros que rendeu grana ao PSOL carioca, mas pouca grana para sua própria família), no norte de Florianópolis, fizeram com os invasores. É importante também mostrar o texto, que inclusive desnuda toda a estratégia MHN no ramo fundiário-urbano:

    A nova tentativa de ocupação dos Amarildos no Norte da Ilha e a consequente disputa por terras e moradia foram apenas os álibis para trazer à tona o embate político ideológico em ano eleitoral. A provocação do grupo identificado com organizações de esquerda e doutrina bolivariana foi mais uma tentativa de ganhar visibilidade. O que eles não contavam nesta “luta de classes contra a burguesia” era a insurreição da população local (na foto queimando a bandeira do acampamento após a desocupação).

    A estratégia dos invasores seguiu um rito determinado pela organização: invadir área que dê repercussão, adotar o discurso de vítimas do sistema e, por fim, elevar ao máximo a tensão até aceitar sair do local. Só que imediata reação dos moradores do Rio Vermelho, que mobilizaram-se contra a presença dos ocupantes até com o uso da força, não estava nos planos. Vai ver não constava em nenhum dos manuais de guerrilha urbana.

    Segue também o que falou o Jornal do Brasil, sendo que antes já havia acontecido hostilidade dos moradores locais, ainda que alguns tenham se excedido e jogado uma pedra na cabeça de um dos “amarildos”. Segue tambémexplicação detalhada do fato de os moradores em questão serem inclusive os habitantes tradicionais daquela área e jamais terem visto os tais invasores.
    E esse sentimento anti-MHN está bem forte em Santa Catarina, com a possibilidade de haver um transbordo mais ou menos parecido com o que vemos em revoltas na Europa, ainda que por aqui as coisas acabem indo mais para a diplomacia do que para a ação nas ruas.

    • E já que Santa Catarina vem se mostrando um importante polo contrário ao marxismo-humanismo-neoateísmo no país, eis que temos a notícia de que no dia 20 foram colados cartazes felicitando o aniversário de Adolf Hitler na cidade de Itajaí, notícia essa que havia sido dada ontem neste blog e imediatamente reproduzida aqui. A população, por sinal, já rasgou os cartazes. Pelo que está escrito nos cartazes, o mesmos seriam de autoria de uma organização neonazista chamada White Front e tudo está sendo investigado pela polícia.
      É aqui que a coisa fica estranha, pois digitando-se “White Front” no Google só se vê links sobre o ocorrido em questão ou de uma loja de departamentos americana que hoje não mais existe. Logo, pode ser sim que exista uma organização neonazista de tal nome em Santa Catarina, mas também podemos pensar na hipótese de ataque de falsa bandeira com o objetivo de tentar desmoralizar o sentimento contrário ao MHN que vigora naquele estado.

      Santa Catarina apresenta ambiente adequado para que se atribua algo a uma organização neonazista, como maioria da população de origem europeia e cidades nas quais a maioria absoluta da população não só é de origem europeia como também tendo ancestralidade que remete a uma única origem nacional. Além disso, é coerente com a tática típica de neonazistas brasileiros pregar cartazes preto e branco em postes. Porém, a coisa toda fica muito estranha se pensarmos que o aniversário de Hitler é coincidentemente dois dias antes do aniversário de Lenin, que é comemorado hoje. Lenin é de 1870 e Hitler, de 1889, o que significa que o primeiro não completaria data redonda, mas o segundo completaria 125 anos de nascido.
      E 125, convenhamos, não é uma data com a força simbólica de 120 ou 130. Não me lembro de em 2009 ter havido no Brasil alguma onda de neonazistas colando cartazes em alusão aos 120 anos do criador do nazismo, sendo que temos de lembrar que aquele ano foi até relativamente calmo na política do país e os marxistas-humanistas-neoateístas sentiam-se em céu de brigadeiro. Porém, no contexto atual, é de interesse dos MHNs que surja algum nazifascista para que joguem no colo da esfera dos conservadores e liberais clássicos, uma vez que estes vêm ganhando força, ainda que inicialmente no campo intelectual.

      Por isso, não podemos descartar a hipótese de esses cartazes de Itajaí terem sido obra de MHNs para gerar alarme e comoção dentro do estado que vem se mostrando o mais anti-MHN do Brasil atual. Como já disse, não encontrei menção a uma associação neonazista brasileira chamada White Front além dessa história dos cartazes colados. E também temos de lembrar que já houve vez em que MHNs criaram falsos cartazes nazistas para gerar o clima de comoção do qual iriam se aproveitar a posteriori, isso sem falar de no passado a Stasi ter financiado neonazistas no lado oeste do Muro para que gerassem clima de confusão adequado à propagação do MHN. Logo, há uma certa experiência acumulada em usar o fascismo para chamar de fascista quem não o é, mas se opõe ao MHN, mais elementos que favorecem a impressão de algo estar esquisito nisso tudo.
      Como estamos em um momento crucial para o MHN brasileiro, em que o mesmo não só se encontra acossado intelectualmente como também não terá eleições tão fáceis quanto outrora, esses cartazes acabam caindo muito como uma luva para que se comece uma pregação no estado que demonstrou, tanto na UFSC quanto em bairro do norte de sua capital, ser possível desmascarar MHNs e evitar que eles avancem a agenda maior de seu movimento. Por isso, fica interessante pela ótica de quem tem esse espectro da esquerda como seu norte imputar que o catarinense comum teria um pé no nazifascismo por estar indo contra o gramscismo.

      Claro que pode ser que exista mesmo um grupo neonazista chamado White Front que tenha feito isso e, se o fez e sem qualquer financiamento à Stasi, seria um daqueles aproveitamentos circunstanciais de elementos externos que os MHNs fazem. Provavelmente esses cartazes não foram feitos em gráfica, uma vez que isso geraria rastros que o uso de uma impressora caseira não geraria. Por serem preto e branco, são impressos mais rapidamente que os coloridos, o que significa que podem ter sido feitos poucas horas antes do ato de colagem. Parecem também cartazes feitos em papel A4, que é mais fácil de carregar que um A3 ou maior. Teoricamente quem os colou poderia usar até mesmo a embalagem do A4 como disfarce. Aqui também fica favorecida a hipótese de uma ação de pequeno porte que pode ser também de neonazistas. Porém, quem olhar o blog do Marcos Espíndola notará que já há gente estranhando a coisa ter sido feita especificamente em Itajaí. E, como já disse aqui, também estou estranhando que isso tenha sido feito em uma Santa Catarina que recentemente pôs MHNs para correr duas vezes, a mais recente nesta semana.

Deixe uma resposta