Rachel Sheherazade no programa de Eliana OU Por que alguns jornalistas da direita ainda estão em sua infância política

63
351

rachel-sheherazade-no-programa-eliana-1400247673971_615x300

Quem lê este blog, sabe que eu sou um defensor de boa parte das ideias de Rachel Sheherazade e de sua postura no jornal do SBT. Mas como este blog também é focado em estratégia política, não posso deixar de comentar erros cometidos por pessoas que admiro. (Espero que isto não seja um problema, já que o espaço aqui sempre está aberto para aqueles que quiserem comentar supostos erros estratégicos que eu cometa também)

O fato é que no programa de Eliana, neste domingo, 18/5, Rachel pôde comentar sobre algumas pessoas que praticaram verdadeiras diatribes contra ela, inclusive Ricardo Boechat e Ana Paula Padrão. Veja o que Rachel disse a respeito de Boechat:

Eu acho o Boechat um tremendo jornalista, sempre o ouço na rádio Bandnews FM, mas acho que ele foi muito infeliz. Às vezes ele escorrega mesmo, mas não sou fascista. Ele sabe o significado da palavra. Não sei o que ele tem contra mim nessa perseguição […] Gostaria de conversar com ele. Talvez até possa mudar de opinião sobre mim.

Espere aí. O Boechat disse que a opinião dela era “uma bosta”, chamou-a de “fascista” e Rachel ainda o chama de “tremendo jornalista”? Sem querer, ela acabou de sub-comunicar para a plateia que tudo que Boechat disse estava certo. Para piorar, ela cometeu o maior erro possível em política: se defender. A frase “não sou fascista” chega a ser constrangedora. Bem. Essa opinião de Rachel sobre Boechat é de fato “uma bosta”.

A única palavra acertada nesse discurso foi quando ela disse que praticou perseguição contra ela. Mas aí o leite já estava derramado.

O que ela deveria ter dito? Basicamente, deveria ter demonstrado Boechat como o verdadeiro fascista da história, por defender o uso da violência de grupos contra civis. As evidências para isso são claras, com nesta declaração aqui:

Por causa do discurso acima, Rachel deveria posicionar Boechat como fascista, apologista do crime e corresponsável pela morte do jornalista Santiago. Daí, por causa disso, ela deveria sentenciar algo como: “Uma pessoa com uma ficha tão suja naturalmente tenta atacar pessoas que jamais teriam um passado tão macabro como o dele.”

Mas, infelizmente, ela perdeu a oportunidade.

Sobre Ana Paula Padrão, o comentário de Rachel também foi de uma pusilanimidade de dar agonia. Observe:

O engraçado é que antes eu tinha Ricardo Boechat e Ana Paula Padrão como ícones. Quando a gente se aproxima, percebe que não é tudo aquilo que imaginávamos. Outra, que também não me conhece e se sente no direito de julgar.

Mais outra declaração sem sal que não explica nada. Ana Paula Padrão atacou Rachel com um frame poderoso, chamando-a de “perigosa” para a sociedade. Rachel deveria ter rebatido com um frame rotulando Ana Paula como perigosa, de volta, mas por sua sanha censória. Em seguida, deveria demonstrar a incapacidade de aceitar a opinião divergente de ambos.

Em tempo: Boechat e Padrão são “ícones” por que? Por que proferem discursos desonestíssimos de esquerda usando sua posição como jornalistas? Rachel deve uma explicação aos seus expectadores. Agora, ela tem que se justificar por que elogiou pessoas de tão baixo nível moral…

Enfim, um verdadeiro show de horror em termos de estratégia política. Ao que parece, ela terá um programa “solo” depois do meio do ano. Em um programa com mais tempo, erros como esse se constituirão em presentes ainda maiores para a esquerda. Exatamente por isso, está na hora de indicarem a leitura de David Horowitz e Saul Alinsky para ela urgentemente.

Creio que muitas pessoas que gastaram um bom tempo defendendo Rachel nas redes sociais estão no mínimo decepcionadas.

Anúncios

63 COMMENTS

  1. De um lado, aqueles que pensam que a jornalista é política e deve se comportar como a “voz do povo”. De outro, aqueles que pensam existir isenção jornalística. Agora essa, de “ter estratégia” e dizer na televisão uma “resposta a altura”. Ah que saco, viu. Deixa a mulher em paz, não gosta da opinião, troque de canal. Gosta da opinião, assista e mude de assunto. A notícia está ficando menos importante que aqueles que a noticia.

    • Rodrigo,

      Estou apenas apontando um fato. De um lado, ela não tem estratégia alguma. Do outro, Boechat planeja estrategicamente cada linha de seu discurso.

      Se não somos nós da direita que devemos dar esse toque, qual o sentido de uma análise crítica da política?

      Abs,

      LH

      • ow Luciano ,…o Rodrigo deve não entender de guerra politica, talvez não saiba, que qualquer palavra dela poderá e será usada e manipulada contra ela…..a esquerda é especialista nisso

  2. Excelente análise, Luciano.

    Também estranhei a atuação dela no programa da Eliana.

    Teve uma outra parte que ela até que se saiu bem: mais no final em que ela disse que não escolheria o Porchat como amigo e que como humorista ele tem muito o que aprender, fora isso, atuação dela, infelizmente foi ruim dessa vez.

  3. Estrategicamente, ela desceu do andar da dureza e se deixou mostrar humana/sentimental. Acredito que não pode ser tão ruim quanto vc sugere. Pode ter decepcionado pq dela ficaram esperando pancadas, mas ela sorriu e chorou de tudo isso. Pena que ela não fez o que você faria.

    • Eu não fiz nenhuma crítica ao fato dela mostrar seu lado humano/sentimental.

      Critiquei um ponto específico do que ela disse sobre Boechat/Ana Paula Padrão, em que esses dois últimos usaram táticas políticas contra ela, e ela não soube reagir.

      Abs,

      LH

  4. Concordo com a sua análise, Luciano. Também pude perceber algumas falhas nos discurso da jornalista quando a assistia na íntegra.
    Bom, não gostei da atuação dela, com exceção de alguns posicionamentos. Entretanto, não podemos exigir um posição ferrenha e estratégica, pois temos de compreender que ali ela poderia não estar em seu melhor dia ou que poderia não ter se preparado para tal.
    Acredito que ela tenha sido muito “diplomata”, e ficou em cima do muro. Eu no lugar dela desmascararia o Boechat e Ana Paula Padrão sem medo de ser feliz, já que ambos são pseudo intelectuais charlatões, fáceis de serem ridicularizados.
    Minha admiração pela Rachel permanece, mas ressalvo essa trágica participação no programa.

  5. Ela talvez esteja decepcionada por descobrir que o tal “grande jornalista” que ela admirava, não é tanto assim.

    Sei como é admirar alguém e depois ser perseguido por esta pessoa. As vezes ficamos sem saber como reagir. Neste caso, talvez, não quer o confronto com o “ídolo”!

  6. Esse é um dos grandes problemas de alguns direitistas: tratar certos (a maioria) esquerdistas como pessoas que apenas tem ideias divergentes das nossas. Não é isso. São psicopatas da pior espécie e devem ser tratados nos termos mais pesados possíveis.

    • Tem esquerdistas que debato que são abertos e não são psicopatas, mas vale ressaltar que eles não são militantes. Não conheço esquerdista militante que não tenha declarado guerra politicamente.

  7. Pois é…
    como eu havia lhe dito no comentário do tópico anterior:

    Ora, ora….enquanto os esquerdistas com histórico comunista atiram mísseis em seus adversários políticos e ideológicos, ditos conservadores ou liberais como rachel sheherazade em vez de responderem a altura, querem apenas “os conhecer melhor”.

    Ao que parece, ela terá um programa “solo” depois do meio do ano

    Confirmada esta informação, sou capaz de fazer uma aposta…de que esse programa NÃO VAI ACONTECER…muita água corre em 3 ou 4 meses, e é óbvio que a tática para calar / censurar em época de eleição FUNCIONOU… de qualquer modo mesmo que o tal programa se concretize, tenho dúvidas se TERÁ A MESMA FORÇA de opinião que ela dá como âncora de jornal, vinculada a uma notícia específica.

    “Em um programa com mais tempo, erros como esse se constituirão em presentes ainda maiores para a esquerda. Exatamente por isso, está na hora de indicarem a leitura de David Horowitz e Saul Alinsky para ela urgentemente

    Engraçado é que em televisão não existe mais surpresa alguma. Colocaram só foto de DESAFETO ideológico dela….ela NUNCA MAIS terá uma oportunidade como esta — a de responder a TODOS ELES JUNTOS E AO MESMO TEMPO.

    Creio que muitas pessoas que gastaram um bom tempo defendendo Rachel nas redes sociais estão no mínimo decepcionadas.

    Já citei uma situação hipotética aqui:
    Você está em uma guerra em situação de fogo cruzado, seu companheiro está sendo alvejado, você toma medidas para protegê-lo, de repente, seu companheiro joga a arma carregada para os adversários.
    Hoje, rachel deu a oportunidade e incentivo para o comportamento de pessoas que querem (e vão continuar a ) arrastar a reputação dela NA LAMA.

    • Excelente comentário. O problema é que temos direitistas – poucos – na mídia que não estão preparados para a guerra política. Defendem as ideias da direita, mas no contra-ataque, permanecem na lei da boa vizinhança. A questão é que, esquerdistas não estão aí para brincadeira. Esquerdistas baixam o nível do debate, destilam fraudes, mentem feito psicopatas e, não se arrependem, apenas mantêm o mesmo mau caratismo de sempre. Precisamos de combatentes dignos no que defendem, que não passem a munição para adversário.

  8. tá… mas esqueceu da parte em que ela diz:” acho que ele foi muito infeliz. Às vezes ele escorrega mesmo,” e no mais ter classe não é pra qualquer um né? cada um dá o que tem . e quem dá pedrada é invejoso. e ela teria inveja desses infelizes por que???

  9. Sindicalista faz breve histórico do movimento trabalhista no Brasil e algumas limitações, como a submissão dos sindicatos ao ministério do trabalho:

  10. Pode-se dizer que pela primeira vez a Rachel fez apologia à barbárie ao dizer que o Boechat é um “tremendo jornalista”. Isso pode induzir o telespectador a levar a sério as bostas que esse fascista solta pela boca. Seria uma barbaridade…

    • Sobre a Rachel ter feito apologia à barbárie, obviamente é brincadeira.

      Enfim, talvez ela entenda que esse tipo de comportamento apontando o dedo para o Boechat chamando-o de fascista entrará em conflito com seus valores cristãos.

      ”O homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta.”
      Provérbios 15:18

      Ps: Não estou dizendo que sejam questões conflitantes, mas que talvez ela entenda dessa maneira.

  11. Talvez ela tivesse que ser mais dura contra eles, mas talvez não naquele lugar…o publico da Eliana não é um publico que goste de politica e que influencie outras pessoas. É um publico mais passional e que talvez se assustasse se ela fosse mais incisiva e critica com quem a fez mal. Eu vi a parte em que ela falou do Boechat, nesse ponto do programa ela já estava muito emocionada com as homenagens que ela havia recebido, ela já estava minada emocionalmente, então acho que ela até que foi bem ao mostrar que mantém sua posição firme mas não abre mão de um Debate contra ele.
    Ela é muito mais incisiva no Twitter, onde ela tem a liberdade de escrever o que pensa. Além disso, eu acho que nenhum dos representantes públicos da Direita no país possui uma formação completa para enfrentar a Guerra politica de fato. A não ser alguns blogueiros como Reinaldo Azevedo, Felipe Moura Brasil e você.

    • Entendo o que você falou, e de fato ela tem esse atenuante.

      Mas em um momento de emoção, se ela tivesse em seu DNA os princípios da guerra política poderia enfim fazer Boechat se arrepender do que falou.

  12. Concordo contigo.Ela pegou muito leve com esses dois depois do peso dos ataques que sofreu .Talvez ela tenha temido a repercussão e os contra ataques esquerdistas e deixou de ver o lado positivo disso.Sou inscrito no canal dela no youtube e vou deixar o link dessa postagem lá se alguém já não tiver feito isso.

  13. Concordo contigo.Ela pegou muito leve com esses dois depois do peso dos ataques que sofreu .Talvez ela tenha temido a repercussão e os contra ataques esquerdistas e deixou de ver o lado positivo disso.Sou inscrito no canal dela no youtube e vou deixar o link dessa postagem lá se alguém já não tiver feito isso.

  14. “O Boechat disse que a opinião dela era “uma bosta”, chamou-a de “fascista” e Rachel ainda o chama de “tremendo jornalista”? Sem querer, ela acabou de sub-comunicar para a plateia que tudo que Boechat disse estava certo.”

    R: Ao chamar Boechat de “tremendo jornalista”, a Rachel se referiu ao profissional jornalista como um todo, e não somente ao indivíduo que contrariou sua opinião. Ela também não sub-comunicou à plateia que as opiniões de Boechat a respeito dela estavam certas. É claro que, provavelmente, alguns da plateia e uma parte dos telespectadores poderiam ter entendido o elogio da Rachel ao jornalista da seguinte maneira: a Rachel chamou Boechat de tremendo jornalista, logo, Boechat estava certo em suas opiniões a respeito da Rachel. Mas essa forma de julgar distorcida, ao meu ver, seria feita por pessoas com baixo grau de instrução ou por esquerdistas-ptistas-comunistas-socialistas-militantes que já não iam com a cara da Rachel antes.

    • Rafael, a sub-comunicação é avaliada de acordo com seu público. Se o público de Eliana é de baixo grau de instrução, ela deveria ter TOMADO AINDA MAIS CUIDADO. Como ela elogiou ardorosamente um sujeito que a criticou, a maioria deste público entendeu que o vagabundo estava certo. Essa é a mensagem sub-comunicada. Aliás, uma mensagem sub-comunicada não tem nada a ver com a intenção da pessoa. A comunicação é avaliada pelo resultado, não pela intenção.

  15. Nota-se a diferença dela para o Paulo Eduardo Martins por exemplo.Tenho simpatia por ela, mas acho que no contexto da guerra política, não podemos ficar nos ligando a ela.Particularmente, passei verdadeiras “guerras” tentando defender as posições dela,este tipo de resposta me desanima um pouco.

  16. Nunca jogue na defensiva.
    Nunca peça desculpas por ser de direita.
    Qual é o sentido de se envergonhar qnd eles falam em cima de uma pilha de 150.000.000 de cadáveres?

    Ótima análise Luciano. Todos os seus posts sobre frames e indicações de Alinsky, Horowitz e outros são de grande ajuda.

    Como diziam os antigos: “À mulher de César não basta ser honesta, tem que parecer honesta.”

    Não adianta termos a superioridade de valores morais se agirmos como se fôssemos Mussolinis pedindo desculpas o tempo todo.

  17. Concordo plenamente com o comentário do Luciano. E digo mais: Não foi apenas neste momento que ela deslizou. Na hora de comentar a respeito do bandidinho amarrado ao poste, ela também ficou totalmente na defensiva, se explicando demais e não apresentou a grande diferença entre os casos dele e da mulher justiçada pela súcia do Guarujá: Ele era comprovadamente culpado, está vivo, foi solto e voltou a delinquir. Ela era INOCENTE. De fato, ela precisa de treinamento urgente, em que pese o trabalho fantástico que tem feito como âncora no jornal. Tomara que tenha humildade para reconhecer.

    O mesmo vale para alguns dos nossos novos nomes e foi o que comentei aqui a respeito do debate do Flavio Morgenstern que, repito, não foi tão mal quanto Sheherazade, mas perdeu a chance de arrasar com um “acadêmico” petralha, fato reconhecido (de maneira bastante polida) pelo Olavo de Carvalho. Vejam, por exemplo, a diferença deles para o Ben Shapiro e para o próprio Olavo. A assertividade, a segurança etc. A guerra política é feita em camadas e temos que jogar com os melhores em cada posição. Se a pessoa escreve bem, tem conhecimento, mas falha na oratória, que não se apresente para o debate público enquanto não estiver devidamente preparado.

    E nós, como soldados da batalha, temos que reconhecer quando deslizamos ou quando os nossos deslizam. Nosso compromisso é com a verdade e com a nobreza de propósitos.

  18. Luciano,

    Vc usou o termo exato do que senti ao assistir a entrevista da Rachel: decepção. Alguns companheiros chegaram a justificar a postura tão comedida de Rachel ante ao publico do programa da Eliana, carga emocional pós homenagens, tentativa de mostrar lado mais humano e etc. Concordo com isso tudo, agora, é bem diferente o “mostrar uma postura menos incisiva” do que ficar rasgando elogios a quem semanas atrás dedicou seu espaço na mídia e influência na tentativa de triturar a reputação dela mesma. A resposta poderia sim, ser dada a altura, porém claro, com a prudência que o ambiente requeria. Só o fato de não elogiar o par de jornalistas cínicos já ajudaria muito.
    Vale ressaltar que a montagem do quadro mostrava bem a malevolência da coisa. Comparo a um campo minado: um passo em falso, uma frase mais forte e mal interpretada poderia levar a uma nova onda de ataques, e por um público ainda maior e menos instruído tembém. Como claro exemplo disso posso citar a associação ao rol de “amigos ou não” figuras tão grotescas como Valeska e Catra.

  19. Achei que ela foi bem, qualquer emcimadomurista nota que o ‘grande jornalista’ dela, era só fazendo política.
    E tem isso do público também, e não só isso, acho que essa parte mais dócil é realmente quem ela é.Afinal ela é cristã.
    E no final ela foi bem incisiva, quando mo assunto foi o moleque do poste. Então ela foi bem digna, de ser meiga na hora certa e depois que já tinha conquistado o apoio da platéia, foi mais forte

  20. Ela não é militante e possivelmente não sabe nada sobre militância profissional. É só uma profissional conservadora que dá sua opinião.

    Esperar que ela aja com estratégia é ingenuidade. Ela era uma profissional que trabalhava no Judiciário e decidiu tentar a vida em São Paulo. Ninguém parou para pensar que ela – provavelmente, só ela poderia afirmar – só quer consolidar uma carreira na televisão?

    Quem atua na política de forma consciente e estratégica normalmente está ligado a alguma organização política – tal como um partido político – e, como tal, com um projeto de poder. Até aonde sabemos, ela não possui filiação partidária nem tem histórico de militância política.

    Acho que o que acontece no Brasil é que como não temos nenhuma organização política conservadora, que defenda os pilares fundamentais da Civilização, tais como a família, a propriedade, a liberdade individual etc., QUALQUER UM QUE APAREÇA SE TORNA, NA CABEÇA DO POVO, UMA OPÇÃO REAL DE ENFRENTAMENTO DESSA REALIDADE QUE VIVEMOS ATUALMENTE.

    O problema é que para uma pessoa iniciar uma carreira política séria, é necessário dedicar toda uma vida pela construção de um projeto de sociedade e, gente, sinceramente, ela só é uma jornalista de opinião. Já pararam para pensar que é SÓ ISSO e não passará disso?

    As pessoas estão completamente iludidas. E se decepcionam porque criam falsas expectativas. Uma coisa é um profissional de mídia que se posiciona de forma conservadora, outra é um profissional que quer se dedicar a um projeto específico de sociedade, se organiza e trabalha durante toda a vida para isso.

    Ela não é uma militante organizada. É apenas uma profissional do jornalismo. Se ela quiser atuar de politicamente, terá de ser em outro espaço, afinal, as pessoas, no ambiente de trabalho devem exercer sua profissão, e não fazer militância política: é a esquerda revolucionária que faz isso.

    Portanto, é necessário enxergar a realidade como ela é, não superestimar as pessoas e nem imaginar que uma pessoa é o que na verdade não é. Querem que ela aja como uma militante de direita, mas vocês já se perguntaram se ela algum momento de sua vida, pensou nisso? Eu já li uma entrevista dela e isso nunca foi mencionado: parece-me que é só uma pessoa que quer uma carreira de sucesso, como qualquer ser humano, e não que quer lutar contra o comunismo.

    É a minha humilde opinião.

    Cristiane

  21. Legal ter postado a respeito disso, Luciano.
    Fiquei assistindo boa parte do programa só aguardando a Rachel. Também esperava muito mais. Os ataques ao inimigo foram fraquinhos demais e ela é muito boazinha, as pessoas a difamam de várias formas, culpam ela por crimes como o do Guarujá, e ela deixa por isso mesmo. Já havia notado tal pacifismo no The Noite.

    Ainda assim, gostei do que ela falou no final, de que nenhum dos esquerdistas de Facebook, jornalistas e governantes que encheram a boca para criticá-la sobre o “adote um bandido” se solidazaram de verdade com o bandido, sendo que é isso que eles sugerem como o ideal a fazer. Todos estão cagando para o meliante e só aproveitaram a chance para fazê-la de bode expiatório, artimanhas de um nojento jogo político.

    Aquele discurso dela na Câmara (acho que foi na Câmara), que você postou há um tempo, me fez concretizar a admiração que já tinha por ela. Lindo, lindo demais. Citou a incitação ao crime que sofreu, falou da censura, dos colegas de profissão dando tiro no pé ao defender censura, estava inspirada, pronta pra porrada, atirando pra todo lado. Mas aquilo foi visto só por quem tem interesse. Na Eliana, cujo qual alcance para a grande massa é muito maior (massa essa que é contaminada por propaganda esquerdista diariamente e adere tais ideias sem perceber), era uma chance de chamar os bois de bois e, quem sabe, modificar a mentalidade de quem ao ouvir vosso nome diz “ah, aquela do SBT que fala bosta?”. Pena não ter aproveitado a chance completamente.

    Mas assim como os demais comentaristas daqui, minha admiração e apoio a ela permanecem.

    Abraço!

  22. Os cristãos confundem duas atitudes que devem ser bem compreendidas:

    DAR A OUTRA FACE para irmãos cristãos.

    CHICOTADAS nos “cambistas”.

    Boechat e Padrão são “cambistas”, verdade?

  23. A entrevista gera preocupação porque demonstra que sua postura não mudou após o gravissimo epsodio de “soft censorship”.

    Essa mania de distribuir elogios gratuítos, sem nenhuma necessidade e, pior, sem nenhum merecimento, pode gerar também uma “imagem de falsa humildade”.

    Rachel tambem esqueceu outro ponto importante que aprendi nesse video:

    Silvio Medeiros e “A Arte da Guerra Política”, de David Horowitz

    http://lucianoayan.com/2013/09/07/silvio-medeiros-e-a-arte-da-guerra-politica-de-david-horowitz/

    “Deve-se saber, s-e-m-p-r-e, para qual publico você está falando e para qual você não está.

    Para treinar assertividade, abaixo 2 exemplos recentes:

    “O programa ‘Altas Horas’ exibido ontem (18/05/14) trouxe uma matéria
    enaltecendo os autointitulados “pichadores revolucionários”.

    E o que era pra ser uma matéria “COOL” (daquelas para agradar a esquerda caviar)
    acabou indignando (com razão) o vocalista do Jota Quest, que disse em alto e bom som:

    ” Esse vídeo aí NÃO me acrescentou absolutamente NADA! “.

    Serginho Groisman ficou na maior saia justa.”

    Fonte: Canal da Direita Facebok (ver a partir de 08:05)

    https://www.facebook.com/photo.php?v=445682128909657

    Jornal da Massa SBT – Paulo Eduardo Martins X Ratinho

  24. Quem mandou bem foi o Rogério Fausino do J. Quest ao chamar de imbecis, com todas as letras, os pichadores entrevistados pelo Serginho Groismann. Não se rebate pedradas com flores. Tem que chamar esses filhos da p*ta pelo nome. Isso é uma guerra cultural, p¨%rra!
    Escolha um lado, claramente. Não tente ficar “bem na foto” com a esquerdalhada. Não vai conseguir, e ainda vai colocar azeitona na empada dessa escória. Pô, Scherazade, cadê o seu cenho franzido, indignado, dizendo o que tanta gente traz entalado na garganta mas não aparece para milhões de pessoas?

    • Não sabia desse caso do Flausino. Muito bom saber. Lembro de uma vez que estava no Altas Horas um tal de Afroreggae, que nem conhecia mas na parte que peguei da entrevista um dos membros dizia que fez parte do crime, “estava indo para um assalto, quando me chamaram pro Afroreggae, e eu não queria ir pois achei que era coisa de viado, mas fui e não era e to lá até hoje”. Então, um cara que fazia assaltos, declarando claramente seu preconceito como “viados”, foi aplaudido pela plateia, inclusive pela banda NxZero que estava no palco no momento. Frouxos. Frouxos demais.
      Perderam pro Flausino. Espero que esse seja mais um aliado, esperança faz bem.

  25. Ayan, como você acha que deveria ser a campanha contra o PSB, pela sua participação no Foro de São Paulo? A campanha contra o PT na internet é até visível, mas a vitória de Campos traria os mesmos efeitos práticos, com a ressalva de este partido não ter um Mensalão como legado. #ForaForo #ForaCampos #OposiçãodeFachada #OposiçãodeCamaradas

    • E já temos quem defenda pichador e use o expediente proposital de confundir com grafite:

      http://www.youtube.com/watch?v=WTPkEocPGuw

      Sim, ele vem querer dizer que vandalismo seria uma canção do Jota Quest, usando aquela lógica de black bloc de que vandalismo seria o que o governo faz. E nessa, que protejam seus muros, plantem trepadeiras e tomem outras medidas, pois agora estamos vendo o advento dos pichadores com um discurso supostamente intelectual para justificar a besteira que fazem e, pior, também com amiguinhos caviarescos que nunca pintaram uma parede na vida.

  26. Luciano é como diz Olavo temos que estudar muito senão seremos a direita que a esquerda deseja.Olavo foi feliz muito feliz ;Para que serve a direita?

    Olavo de Carvalho
    Diário do Comércio, 6 de fevereiro de 2013

    Os dados da situação são bastante claros. Quando o mesmo governo que prepara, estimula e financia arruaças emite um decreto que lhe permite usar as Forças Armadas para reprimi-las, e quando, ao mesmo tempo, as autoridades e os arruaceiros se acusam mutuamente de “direitistas”, está na hora de o cidadão avisado lembrar-se, caso já os conheça, dos versos de Antonio Machado:
    “A distinguir me paro
    las voces de los ecos,
    y escucho solamente,
    entre las voces, una.”
    Essa voz única é a da esquerda nacional – o único movimento político que existe, o único que tem um projeto, ainda que confuso, e os meios de ação para executá-lo. A “direita”, de tanto esvaziar-se ideologicamente, de tanto renunciar a toda identidade própria, de tanto se amoldar servilmente aos valores, critérios e conveniências de seus inimigos, parece ter alcançado finalmente o seu ideal: desmaterializou-se por completo e hoje não tem mais substancialidade que a de um mero nome feio, um xingamento usado nas discussões internas da esquerda.
    Essa condição só não equivale à perfeita inexistência porque esse nome feio tem uma função histórica a cumprir, e a tem cumprido de maneira exemplar. Sem ele, a esquerda, que domina praticamente sem oposição o Estado, a cultura, a mídia, a educação e a mente da sociedade, tendo mesmo a seus pés todos os antigos oligarcas regionais que um dia personificaram a “direita”, não teria como explicar para si mesma e para a opinião pública por que ainda não conseguiu, com tantos recursos e defrontando-se com tão pouca ou nula resistência organizada, criar neste país o paraíso de paz e prosperidade socialistas que ela promete há sete décadas. Não teria como explicar os setenta mil homicídios anuais, a distribuição orgiástica de favores milionários aos altos funcionários e amigos do governo, a corrupção ampliada até à escala do indescritível, o crescimento galopante do consumo de drogas, a desordem e o medo generalizados, os horrores e abjeções da educação nacional e o endividamento-monstro de um povo a quem todos os dias se diz que não deve se preocupar, porque tem todas as contas pagas (ver aqui).
    Eis a função histórica que cabe à palavra “direita”. Direi que é a de um bode expiatório? Não, porque para sacrificar um bode expiatório é preciso um bode, não apenas a palavra que o designa. Na medida em que xingam uma à outra de direitistas, a esquerda “de cima” e a esquerda “de baixo” — personificadas simbolicamente pela presidente Dilma e pelos Black Blocks –, sem sacrificar nada mais que um verbete de dicionário, se absolvem e se isentam da obrigação de enxergar a miséria e a vergonha que, em nome de um socialismo que nem sabem dizer qual seja, têm espalhado por toda parte. O que quer que ambas façam de errado, de torpe, de criminoso, vai para a conta de uma “direita” que, não existindo, também nada paga pelos crimes que lhe imputam.
    Mas o apelo a essa prestidigitação vocabular não funcionaria, não teria credibilidade nem mesmo para esses artistas do auto-engano que são os militantes de esquerda, se não houvesse no quadro nacional algumas coisas que, sem ser a direita política, podem fazer as vezes dela ad hoc.
    A primeira dessas coisas é a burguesia. Ela existe e, como dizia Marx, tem interesses objetivos a defender. O fato de que essa classe só se relacione com as autoridades na base dos afagos e beijinhos, de que portanto veja com horror a mera sugestão de combatê-lo no campo político, deve, nesse quadro, ser negligenciado para que se possa proclamar, com o sr. Leonardo Boff, que “os atores da direita estão bem posicionados institucionalmente e politicamente” e que para desalojá-los é preciso dar todo apoio à sra. Dilma Rousseff, ou, com o deputado psolista Ivan Valente, que pela mesmíssima razão é preciso denunciar a presidente como uma reencarnação do general Médici. As duas hipóteses funcionam igualmente bem: a única força política existente se absolve dos seus pecados, e a inexistente, é claro, também nada paga por eles.
    A segunda coisa que se parece vagamente com uma direita política são os jornalistas e blogueiros que criticam ao mesmo tempo o governo e os arruaceiros, a esquerda oficial e a oficiosa. Sem nenhuma conexão partidária, sem subsídios de qualquer espécie e sem nenhum plano nem mesmo hipotético de tomada do poder, eles são uma oposição meramente cultural sem meios nem desejo de ação política. Mas, como dizem o que pensam, e o que pensam ecoa alguma insatisfação popular difusa, é claro que as duas esquerdas apontam neles a arma polêmica do interesse capitalista e advertem que são “uma ameaça às liberdades civis”. Dessa maneira a esquerda governante é dispensada de explicar sua aliança promíscua com a burguesia, a esquerda arruaceira dispensada de explicar sua aliança promiscua com o governo, e a burguesia assegurada de que tudo o que faça de ruim em parceria com o governo será debitado na conta de jornalistas sem um tostão furado no bolso, que desprezam tanto a ela quanto ao governo. Ficam assim tranqüilizadas as consciências esquerdistas de cima e de baixo, bem como as de seus aliados burgueses, felizes de que aqueles que não a representam de maneira alguma sejam apontados como seus representantes e castigados no lugar dela sob esse pretexto. Esse é o único papel histórico da “direita” hoje em dia: ser o nome do mal e isentar de culpas aqueles que o praticam. A indústria brasileira de alucinógenos verbais é uma das maravilhas da tecnologia moderna.

    • Impressionante como não constatamos, no cenário intelectual nacional, a existência de verdadeiros estrategistas políticos argumentando de maneira tão clara e límpida como o Olavo nesse texto.

      E observem que a praia de Olavo é muito mais filosofia que ciência/estratégia política, e mesmo assim ele tem a competência de aplicar um verdadeiro banho de ensinamentos estratégicos em muitos pretensos “mestres” estrategistas políticos que se apresentam por ai.

      Qualquer semelhança é mera coincidência.

  27. Esse trecho do teu artigo sintetizou meu sentimento: “Creio que muitas pessoas que gastaram um bom tempo defendendo Rachel nas redes sociais estão no mínimo decepcionadas.”

  28. Luciano, estou rindo do Pedro (dono da verdade absoluta, canal AteuInforma) te chamando de maluco. Dizendo que não irá fazer um vídeo refutando o seu artigo, apenas escrever nos comentários. Eu pergunto, o que ele tem a refutar do seu artigo? Ele sabe que não tem. Pedro é apenas um garoto que não sabe nada da vida, que apenas lê um livrinho ou outro, e acha que detém a verdade. É influenciado por seus professores marxistas da particulixo e acha que descobriu a roda. O cara é muito boçal mesmo. O pior é que o ego dele infla a cada elogio dos otários que o seguem no YouTube.

    • Pedrinho inho inho… ficou com medinho….. está todo muchinho, agarrando seu Toddynho 🙂

      Era de se esperar, deve ter lido um ou dois artigos do blog, ido para a página de rotinas e ali percebeu que se tornaria “rato de laboratório”.

      LARISSA, só um adendo….

      “Particulixo” — este termo generalizado, como você usou não acrescenta nada à sua crítica. Alías os “professores marxistas” obtém suas graduações em universidades PÚBLICAS, e os grupinhos políticos são maiores por lá.
      Logo, o lixo é Pedrinho e seus professores marxistas…não necessariamente a faculdade particular, onde pelo menos a incidência desta ideologia é menor.

      Existem diversas pessoas formadas em universidades públicas ou privadas que não foram contaminadas pelo marxismo, logo elas discordarão do termo “particulixo” se considerado somente pelo viés ideológico.

      • Meu comentário de hoje possui um tema:

        “TENHA MEDO, TENHA MUITO MEDO”…… 🙂

        Falando-se em Pedrinho inho inho…olha o que ele anda falando por lá:
        ———

        um tal de Luiz Jordão escreveu:

        “Concordo 100%. Mas quem seriam esse “eles” “essas pessoas” que colocam tanta coisa na cabeça da população? Não seria a mesma coisa que acreditar em comunistas, illuminatis, etc?”
        —–
        a resposta de pedrinho, acreditem ou não é EXCELENTE……

        “”Eles” têm nome, não são secretos, e têm a defesa da religião cristã como uma das principais bandeiras na conquista política que calcam a olhos vistos.

        Aí acho que ele não quis REFUTAR o Luciano (UAUAUAUKSUSKSUAKU), porque ele não podendo chamar o Luciano de cristão, reacionário e conservador, ia perder a graça. Ora, se o pessoal “defende” a religião cristã, é porque ela está sob ataque. “A bandeira” do cristianismo (qual será a cor dela?) servindo como base de consquista política não é surpresa alguma desde Roma. Mas pedrinho não vê isso com bons olhos, porque ele milita que o NEO ATEÍSMO (ateismo militante) seja a bandeira da nova política em um estado ateu, que ele (e outros como ele) ressignificam como “Laico”.

        —-
        Mas é evidente que eu vou ter que fazer um vídeo colocando em panos limpos as pessoas(…) aí ele coloca alguns links falando de RACHEL OLAVO E BOLSONARO… Há um destaque aqui que particularmente me atinge: ateu que critica religião é para eles neo-ateu (esquerda-extrema).

        Pedinho inho inho e seu fingimento. Neo ateus não meramente criticam religião. Eles NÃO RARO, como COMUMENTE, baseiam suas críticas em fatos distorcidos, mentiras, falácias, apelos emocionais infantis e uma desonestidade intelectual GIGANTESCA com adicional de dissimulação, digna de psicopatas em ações de delitos “menores” como furto, 171, entre outras ações de dano. E isso os DISTINGUE DE ATEUS COMUNS, que criticam religião com não sendo boa pra eles, mas não saem por aí espalhando mentiras e se comportando como fanáticos.

        Obviamente que existem pessoas que são atéias e não esquerdistas. O FATO é que na maioria dos MILITANTES ATEUS, é encontrado (e é facilmente verificável) um conjunto de idéias que são por princípio esquerdistas, como o enchimento do estado, o comportamento rotulador e o comportamento histérico, tão presente no vídeo de pedrinho inho inho.

        ——

        Mas uma coisa interessante do pequeno texto é o seguinte:
        tem ateu que se deixa levar por esse jogo pra não ficar estigmatizado

        É luciano….ELES ESTÃO COM MEDO…..MUITO MEDO….KKKKKKK
        Pedrinho inho inho, não entende a pluralidade de pessoas que discordam das merdas que ele fala e escreve.

        http://lucianoayan.com/2013/03/13/esquerdista-tenha-medo-tenha-muito-medo-da-nova-pluralidade-anti-esquerdista/

        —-

        O sr. Olavo adora sempre que pode dizer que “não é político, apenas um pobre homem querendo compreender o mundo”. São articulações políticas com interesses de propagação de convicção própria frente à República, isso não é conspiração, é manifestação legítima de política.

        Luciano, procuraí aí em seus textos…acho que terá um caso de plágio em suas mãos.
        Ora, Pedrinho aponta um suposto fingimento de Olavo, mas ele o pedrinho, é um rapazinho insento, apartidário, e bom moço….que está denunciando a conspiração da opus Dei e a religião cristã que tem seus expoentes em Bolsonaro, Olavo e rachel sheherazade. E Pedrinho faz isso de graça, porque ele não tem nenhum interesse em política, somente o interesse de que cristãos não participem dela…
        #sqn.

        —-

        “As instituições religiosas são instituições políticas e os indivíduos têm interesse de propagar e manter as instituições nas quais creem. É normal e esperado.”
        Não Pedrinho inho inho, para Neo ateus como você isso não é normal, dada a situação política de antes da atuação de Neo ateus na internet. A reação fanática sua e de seus apoiadores como o “clarion” e o “merda das Trevas” só demonstram que vocês não esperavam a atuação de pessoas capazes de desmembrar não só as fraudes, como o componente moral do comportamentamento de vocês, que é por vezes INEXISTENTE, e quando existente é corrupto.

        É exatamente por isso que vocês gravam vídeos, com olhos esbugalhados, teatro, voz estriônica e dissimulando uma indignação a respeito das coisas….para “propagar e manter as crenças nas quais creem”. E note que fiz questão de alterar a frase de Pedrinho, pois pedrinho pretendeu demonstrar que combate a “instituição religiosa” quando de fato COMBATE O CRISTIANISMO, como crença.

        —-

        Aí um tal de Daniel de Brito respondeu o seguinte:

        “Hoje mesmo o Olavo participou de um hangout em que declarou não crer na candidatura do Bolsonaro, e que, ainda que ele consiga se candidatar, a Denise Abreu possui mais experiência administrativa e que, portanto, é mais indicada para o cargo de presidente. É bom lembrar que ele já era amigo do Bolsonaro há muito tempo antes de se tornar escritor, ou seja, daí decorrem três coisas:

        1. Ninguém critica publicamente um amigo, ainda que vc duvide da capacidade desse amigo. Logo, a opinião de um amigo sobre outro é suspeita.

        2. Se ele não aponta o Bolsonaro como o melhor, mesmo sendo seu conhecido, é indício de falta de credibilidade.

        3. Mostrar contatos virtuais entre eles como prova inequívoca duma estratégia política de convencimento é bem forçado.

        Outra resposta excelente de Pedrinho…

        1., 2., 3., – Ótimo que isso aconteceu. Pensar em outro nome para a Presidência não significa bosta nenhuma no sentido de não haver estratégia política, e isso é mais do que óbvio.

        Ora, pedrinho gosta de INVENTAR REGRAS nos debates políticos. Olavo é mau, por que mesmo que não apoie bolsonaro para a presidência, ainda é cristão e tem uma estratégia política. 🙂

        NOTEM QUE PEDRINHO INHO INHO DESCOBRIU MAIS UM DE NOSSO AGENTES…

        ” Sabemos das proximidades de Lobão, nessas articulações”

        KKKKKKK, gente avise o lobão que ele foi descoberto…….fujam para as montanhas!!!!!

        Não ter o Bolsonaro como foco para a Presidência é uma puta coisa boa, mas isso nem de longe anula que estão a todo vapor fazendo política. 
        Ou seja…..o pecado de Rachel, Reinaldo, Lobão, Bolsonaro, Olavo, e todos nós é fazer política À TODO VAPOR!!!!!

        —–

        É incrível com em pequenas palavras de um comentário, podemos descobrir tanta coisa sobre o componente emocional de nossos adversários:

        1 – Será que ficou claro o valor da atuação e assertividade nas redes sociais???

        2 – Entenderam como nós fazermos política “A TODO VAPOR”, é um TEMOR para eles??

        3- Percebem como eles estão lutando contra o cristianismo, implicando-o em uma teoria de conspiração para poder de ganho político???

        4 – Percebem como eles manipulam semanticamente para afirmar que seus adversários são sujos, espúrios e maldosos por fazer política, enquanto eles são santos preocupados com teorias sociais e apartidários???

  29. Gostaria de deixar aqui minha opinião a respeito do comentário feito pelo Arthur – RJ, referente às manipulações na Internet.

    Por que será que o Glen Greenwald não fala sobre as manipulações realizadas pelos governos orientais, como o da Rússia e o da China?

    Em 2004, o governo chinês criou a operação “50 Cent Party”, em que pessoas são contratadas para fazer comentários positivos a respeito do Partido Comunista Chinês e para manipular a opinião pública nas redes sociais, a fim de favorecer o governo. Na internet chinesa, esse tipo de operação é conhecida por “Internet Water Army”, semelhante à militância virtual do PT, a MAV.
    http://en.wikipedia.org/wiki/50_Cent_Party
    http://en.wikipedia.org/wiki/Internet_Water_Army

    A Rússia também tem a sua própria operação de manipulação virtual, a “Web brigades”, criada por grupos ligados ao Serviço de Segurança Federal Russo (FSB). Essa operação visa fazer propaganda pró-Rússia e antiamericana nas redes sociais. E, como de praxe, os russos se defenderam negando a existência desse tipo de operação e tratando-a como teoria da conspiração.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Web_brigades

    Será que a companheirada da KGB vai alegar que o canal “dialplus” do Youtube é teoria da conspiração também? Um canal que vive fazendo propaganda antiamericana e pró-Rússia explicitamente?
    https://www.youtube.com/user/dialplus/videos
    E quanto ao site da rádio Voice of Russia que vive falando mal dos EUA e defendendo a Rússia?

    Atenção para este detalhe agora!

    A página da Wikipedia que lista os casos de manipulação na internet feitos pelos governos é:
    http://en.wikipedia.org/wiki/State-sponsored_internet_sockpuppetry

    Como se pode verificar, a página em inglês acima cita os casos da Rússia e China, e também dos EUA e Reino Unido. Mas, se você checar a página em português (link logo abaixo), verá que ela só cita os casos dos EUA e Reino Unido. Ou seja, a página em português omite, descaradamente, os casos de manipulação da China e dos EUA!
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Internet_sockpuppetry_patrocinada_pelo_Estado

    Pelo histórico da página em inglês, ela foi criada em 3 de Março de 2014:
    http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=State-sponsored_Internet_sockpuppetry&action=history

    Na primeira versão dessa página já existia a lista dos casos desses 4 países:
    http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=State-sponsored_Internet_sockpuppetry&oldid=597933014

    A página em portugês foi criada em 7 de abril (um mês depois da primeira em inglês!):
    http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Internet_sockpuppetry_patrocinada_pelo_Estado&action=history

    Assim, não se pode afirmar que essa página em português fora criada sem qualquer vínculo ideológico. É pura desonestidade ou propaganda esquerdista!

  30. Luciano, não sei se valeria a pena falar sobre a greve dos motoristas de ônibus paulistanos, que já dura dois dias, é promovida por uma dissidência que parece não estar satisfeita com o que o sindicato conseguiu e resolveu inclusive obrigar motoristas que queriam trabalhar (usando o expediente de roubar a chave dos veículos ou mesmo danificar o motor dos coletivos). Ficaram ônibus parados em avenidas sem ter como sair de lá e trancando o trânsito, isso sem falar daqueles que foram atravessados nas entradas e saídas de terminais e também imobilizados. Um dos destaques foi o Datena descendo a lenha no Haddad ao vivo e praticamente mostrando por A mais B que o prefeito paulistano é mesmo poste do Lula:

    http://www.youtube.com/watch?v=kEbxf8zHDhk

    Também deixo este comentário de um desses motovloggers do YouTube que achei interessante:

    http://www.youtube.com/watch?v=N_SUeJUinSU

    Também temos comentários do Reinaldo Azevedo, o mais recente sendo este e ontem este outro envolvendo o Jilmar Tatto. Creio ser este episódio um termômetro dos bons.

  31. Luciano vc já pensou que ficar trocando ofensas e acusações pode NÃO ser a melhor estratégia? Que o encima do murista pode olhar o que o Boechar disse dela, o que ela disse do boechat e concluir que ela é muito mais decente?
    E isso não é nem uma questão de estratégia, ela está sendo verdadeira, se for pra atuar mais cedo ou mais tarde todo mundo nota que ela ta fingindo

    • Veja o que você disse… “o emcima do murista pode”.

      Mas baseado em que?

      Aqueles que obtem os melhores resultados políticos são os mais COMBATIVOS e ASSERTIVOS na rotulação de seus inimigos. Isso é que a ciência política nos diz.

      Abs,

      LH

  32. Luciano vc já pensou que ficar trocando golpes e tiros com o adversário poderia não ser a melhor estratégia? ??

    Que os indecisos poderiam olhar para O INIMIGO, que disparou sua metralhadora, e também olhar pra ELA, que entregou flores pra ele, e concluir que ela (embora metralhada e morta (RIP)) é muito mais decente?

    E isto não é uma questão de estratégia (até porque ela já foi metralhada mesmo, pior que isso não dá pra ficar, ou dá?), ela está sendo verdadeira (embora apanhe muito mais do que bate) se for pra atuar, mais cedo ou mais tarde todo mundo nota que ela ta fingindo- se (de morta?).

    ——————-

    Defender-se, ser enfático, assertivo e demonstrar a baixíssima moral dos adversários não é fingimento, nem um ato de violência, muito menos falta de amor cristão. Se uma pessoa se comporta de forma imoral como ROTINA, existe ali um padrão SEM QUALQUER TRAÇO de arrependimento, sem qualquer consideração com o alvo da ação imoral. Não responder com justiça a este comportamento é compactuar com ele, e elogiar o agente do comportamento é dar sanção moral ao seu comportamento imoral e propositalmente perpretado.

    Se os “em cima muristas” não conseguem nem entender isto….continuarão batendo cabeça e servindo de “inocentes e idiotas” úteis para a esquerda.

Deixe uma resposta