Por que precisamos ser pragmáticos no apoio à TV Revolta?

47
168

tvrevolta

No momento em que muitos usam o paradigma do “inimigo do meu inimigo é meu amigo”, é natural que me perguntem sobre a celeuma causada pela página de Facebook do TV Revolta, que também possui um canal do YouTube.

A celeuma em questão surgiu por que de uma hora para outra todos os blogs governistas começaram a chamar o canal de “difusor de ódio”. Tudo por que, de forma apartidária, o internauta João Revolta (personagem criado pelo radialista profissional João Almeida Lima) fala várias coisas que os petralhas não gostam.

Se eu tenho qualquer forma de alinhamento político com João Revolta? Dificilmente. Já o vi defendendo várias coisas a que me oponho, como a eterna solicitação por aumento do tamanho do estado – enquanto isso, tudo que vocês me verão fazer aqui é pedir redução do estado.

Sendo assim, qual o sentido em meu apoio a João Revolta? A resposta é simples: em uma questão fundamental como a liberdade de imprensa, eu e ele estamos do mesmo lado. E que fique bem claro: não há questão mais importante para um direitista, centrista ou qualquer adepto da liberdade do que essa. É uma questão que ultrapassa as ideologias. A esquerda legítima, no entanto, só pensa em censura dia e noite. Como podemos notar na página de João Revolta, ele é especialista em atacar a censura.

Mesmo que ele não seja da mesma linhagem politica que eu, se opõe às vontades da linhagem política que devemos tratar como inimiga. Estes são os esquerdistas adeptos da censura, totalitarismo e escravidão.

Alguns direitistas poderão até pensar em rejeitar qualquer forma de apoio à TV Revolta, dizendo “discordar dele em alguns pontos”. Entretanto, devemos ser mais pragmáticos neste momento, e encarar o apoio à TV Revolta como a junção de aliados contra Hitler.

Neste momento, existe um mal absoluto em política, residindo nos membros no PT, PCdoB e PSOL. Se o TV Revolta, que hoje alcança mais de três milhões de “likes” (está aí o motivo para a fúria petralha), conseguir atrapalhar os planos totalitários da extrema-esquerda, já fez valer qualquer apoio recebido.

Que ao menos o trabalho de João Revolta sirva como exemplo de como direitistas devem denunciar as barbáries do PT com contundência (especialmente as tentativas de censurar a opinião divergente) e indignação no tom adequado.

Anúncios

47 COMMENTS

  1. Pois é eu mesmo fiquei um tanto incomodado pela chuva de compartilhamentos do TV Revolta no Facebook, mas um fato inegável é que as críticas começaram especificamente por causa do posicionamento anti-PT e congêneres. Mas é bastante útil isso, e um termômetro que mostra que há um grau de insatisfação grande com o governo atual.

    • E pode ser visto um aumento expressivo no ultimo mês, pode ser o povo que está com nojo de tanta mentiras do governo, especialmente em propagandas na TV, que aumentaram muito, ou pode ser em parte petistas e até seus fakes criados na web que clicaram em “gostar” para receber as atualizações e poder disseminar seus spam, o que eu tenho visto muito, o número de spam aumentou, apesar de muitos dos comentários irem para o final da lista, mesmo assim eu vejo muitos com certo destaque, e, são textos repetidos.
      Por mais que não concordemos com todos os posts de Tv Revolta, devemos pensar em dar um apoio, até comentando, ou deixaremos esse terreno preparado para o inimigo colocar apenas suas tropas de guerrilheiros virtuais, não concordar com todas as ideias de alguém é normal, mas se a maioria das ideias dele estão de acordo com as nossas, devemos ver seu valor.

  2. Vi muitos posts que concordo com ele, porém já vi um vídeo em que ele fala umas atrocidades sobre ICAR, que já foi desmentido até mesmo por você no outro (e talvez até neste) blog. O que me faz ficar em dúvida com relação a esse apoio.

      • Posso expor uma discordância sobre um ponto da direita brasileira?Não consigo explicar, mas eu não concordo com uma ideia de que todo direitista tem que virar um intelectual para entrar na guerra política.Eu fui excluído de um grupo de direita por isso(parece mimimi, e talvez seja), porque não li sobre lógica aristotélica, não sabia o que era paralaxe e não lembrava definições de falácias.Eu não acho que as pessoa sejam obrigadas a ler definições extremamente complexas sobre direita para debater com o público comum.

        Eu não acho necessário despertar em mim um Flavio Morgenstern para participar disto, não preciso ser um Olavo, nem ler o seu livro para saber sobre ideias de direita.Caramba, será que toda a direita precisa seguir o mesmo padrão.Gosto de suas idéias, não porque sou um fanático, mas sim porque você apresenta as coisas de uma forma mais pragmática e menos intelectual.Podem me chamar de preguiçoso, não ligo.Acho que o pessoal que distribuiu flyers e panfletos nas ruas do Rio fez mais pela direita do que a grande maioria dos pensadores.Este é meu ponto, nem todo mundo é intelectual, eu não sou e não quero ser.Eu sou pragmático e simples, ponto.Quando a direita vai produzir armas para que gente como eu posso lutar nesta guerra?

      • André Castro,
        Fique tranquilo e aguarde, os materiais estão em produção. Materiais com linguagens mais simples, e conceitos empacotados para combater as fraudes mais comuns dos esquerdistas.

      • Não generalize. A Igreja Católica no Brasil é dividida quando o assunto é política. Clérigos da linha do Padre Paulo Ricardo, por exemplo, são radicalmente antiesquerda. É certo, por outro lado, que há uma ala dita “progressista”, carregada de maus exemplos da chamada “teologia da libertação”, que no fundo é marxismo infiltrado, no “melhor” estilo gramsciano. A CNBB pende para esse lado, junto com excrescências tipo frei Betto.

        Interessante: para combater essa distorção, urge que se apoie a Igreja Católica, i.e., a que de fato corresponde à religião, não à súcia política de esquerda que a contamina.

      • Calma, JS. Alguns padres e bispos são partidários da Teologia da Libertação e aliados ao PT, sim, mas colocar toda a Igreja Católica como aliada ao PT é ledo engano. Tá aí o Padre Paulo Ricardo que opositor ferrenho do PT, do progressismo e de toda esta esquerdalha. E ele está muito longe de ser o único.

      • Qualquer coisa que é marxista não é católica. ‘Teologia da libertação’, ‘Frei Betto’ e congêneres não são católicos. A Igreja Católica é anti-petista. Todo mundo que for petista e se disser católico é só um marxista disfarçado

  3. Quem curte o canal revolta em geral são pessoas incomodadas com a situação mas que em geral não se dão ao trabalho de realmente estudar os problemas do país. Mas na últimas semanas vejo que esse canal tem crescido rapidamente, por dia 3-4 pessoas divulgam alguma coisa dele…. diga mais para a galera, aproveitem e mandem coisas para ele que vocês queiram divulgar.

    • Não generalize,
      “Quem curte o canal revolta em geral são pessoas incomodadas com a situação mas que em geral não se dão ao trabalho de realmente estudar os problemas do país”
      No momento, talvez parte das pessoas que curtem a TV Revolta são pessoas incomodadas sim, mas, que não se focaram apenas em “estudar os problemas do país”, mas pessoas que acharam um meio de protestar contra muito que vê de errado, estamos numa guerra contra a corrupção petista, num momento que parar para estudar o problema já pode não ser mais a saída, pode ser a derrota, é preciso agora combatê-lo, de forma ofensiva, mas com respeito a leis, claro. Antes que viremos uma Venezuela.

      • Lizandro, dizer que a Copa é um absurdo e que os recursos deveriam ter ido para outro lugar é óbvio! Fazer protesto pela internet é válido para conscientizar as pessoas e para o Brasil se unir. Mas esse pessoal que divulga esse material:

        – Eles reclamam da educação ruim mas não sabem porque ela está ruim
        – Falam que a segurança está péssima e que a violência vem aumentando mas não sabem que o PT, PSDB e outros tem ligações com o crime organizado e que a lei brasileira dificulta o trabalho da polícia, o mesmo bandido as vezes tem mais de 80 PASSAGENS PELA POLÍCIA.
        – Reclamam do Bolsa Família (que eu também sou contra) mas não estudam para ver que o Brasil gasta mais da metade do que arrecada nos juros da dívida. (Gastos com FFAA 2-3% – para se colocar em proporção)
        – Reclamam da falta de inovação e tecnologia no Brasil mas não sabem que os atuais governantes obrigam os empresários à sonegar e gastar vastos recursos com regulamentações e que o governo não protege o empreendedor brasileiro das grandes corporações estrangeiras, impedidndo assim um mercado livre e impedindo que a indústria nacional possa crescer.

        Ou seja, foram por esses e outros motivos que eu disse que esse pessoal é preguiçoso. Mas talvez seja um equívoco meu, talvez realmente alguns foram feitos para liderar e os outros para seguir…

    • Talvez porque boa parte da população vê a política como algo ruim, e, muitos que se atentam a política, como telespectadores ativos, não querem e nem concordam com direita e esquerda, e, muitas acabam pendendo para esquerda por dar a ilusão que ajuda os pobres.
      Mas acho que deveríamos sim apoiar TV Revolta, e, até incentivar as pessoas a ajudarem, pedindo que sigam, que compartilhem, que comentem e combatam o spam da esquerda. podemos fazer isso escrevendo artigos que demonstre como esses spammers agem, eu vi, um caso que um deles ia em cada post da TV Revolta e acusava de apagar comentários opostos, apagar comentários até pode ocorrer em caso de spam, mas, o que acontece é que muitos usuários podem não entendem que seus comentários vão para o final e acham que foi removido, e, os spams petistas tiram proveito até dessa situação, se conseguisse-nos usar isso como exemplo revoltaria nossos amigos e aqueles com tempo poderiam ir lá responder a esses comentários de spams, mostrando que é uma mentira e até os desestimulando, deixando-os deprimidos com seu fracasso.
      Temos que começar uma batalha virtual, que, além de nos atermos a postar, devemos incentivar pessoas a combater as falácias dos inimigos, e assim desincentivar alguns deles, ou se conseguirmos, mostrar-lhes que estão sendo enganados por ideias falsas da esquerda, sempre tendo o cuidado de sermos cordeais com aqueles que percebemos não serem muito ignorantes e que realmente estão favorecendo o inimigo por inocência, e, quanto aos inimigos sem ética, esses devemos mesmo esculachar suas falácias, com a verdade e até humilhando, mas, sempre com um bom grau de educação, pois, grosserias trás poucos amigos e cria muita repulsa.
      Desculpe se fugi muito ao assunto do post ou não fui tão claro, mas, já que estamos falando de “combate virtual”

  4. Compreendido. Liberdade de imprensa. E bom para mostrar ao PT que muitos não ficam com água na boca ao falar o nome do partido, a não ser que seja espuma de raiva.

  5. Paulo Eduardo Martins comenta sobre a censura e a patrulha da mídia, sobre o caso da Sheherazade e o afastamento e retorno ao jornal da massa:

  6. O pessoal tem que aprender a se movimentar de forma estratégica. Dificilmente encontraremos algum grupo ou partido que siga 100% nossas próprias ideias. É necessário pensar programaticamente. Gosta de livre mercado? Ok. E você tem chance de negociar isso com os tucanos ou com o PT? E por aí vai. A questão da TV Revolta é simples: eles são anti-petistas. E, no estado alarmante das coisas, seja economia, seja o controle estatal sobre tudo na vida do cidadão, é preciso defender pessoas que estão atacando o PT. Claro, desde que não sejam mais estatistas que eles. É necessário sermos pragmáticos nesse momento e lutarmos contra o inimigo comum. Muito certa a postura do Luciano Henrique.

  7. Bem observado, Luciano; é uma oportunidade de colocar a celeuma num “frame” de liberdade e enfatizar o caráter censor totalitário da esquerda.

    Porém, você deve saber e não se esqueça, essa gente das esquerdas briga internamente e comem uns aos outros a todo o momento. Veja esse vídeo, onde um militante “anarquista” de esquerda é calado por uma platéia de esquerdistas, na faculdade esquerdista da cidade esquerdista de Portland: http://www.youtube.com/watch?v=4r7cwWegXCU

    http://www.thecollegefix.com/post/17420/

    Dizem, por causa desse texto que ele escreveu, que tem trechos muito bons mesmo: http://towardfreedom.com/29-archives/activism/3455-the-politics-of-denunciation

    A esquerda militante histérica pode ser representada por uma Hidra enlouquecida que de quando em quando ataca uma de suas próprias cabeças, por falta de alvos verdadeiros para atacar.

    O pior é que essa gente não se corrige. A reação do militante foi mais vitimismo e esquerdismo, não há uma palavra forte de recriminação ao vandalismo sofrido, e isso porque essa gente só fala em violência e opressão: http://www.kristianwilliams.com/2014/05/11/at-law-and-disorder-may-2014/

    Eu acho que os esquerdistas todos estão tão acostumados com o discurso vitimista que no fundo gostam quando sofrem opressão, mesmo que pela mão do resto da esquerda, porque isso valida pessoalmente pelo menos uma vez na vida o discurso de oprimido, é só botar a culpa no patriarcado.

    Então seria assim: parte da esquerda está sempre desejosa de ser oprimida para validar a sua cosmovisão vitimista. A outra parte está louca para sair tiranizando tudo, impondo a sua vontade, perseguindo dissidentes, silenciando opositores. De vez em quando uma parte entra em choque com a outra, e se uma está louca para dar e a outra louca para meter, o coito anal é inevitável.

  8. Até vi algumas postagem dele que concordei, mais a quantidade de mentiras que esse cara posta que as pessoas compartilham sem nem ter certeza da informação é muito grande (nem tudo que ele posta é mentira), por isso tenho minha opinião que a maioria veem a publicação sem nem saber do que se trata apenas pessoas que não tem informações mais que acessam suas contas do facebook por que não tem o que fazer, vem aquilo e simplismente compartilham, eu daria mais credito se fossem pessoas que realmente soubessem o que estão compartilhando…

  9. Quando comecei a ver posts de repúdio a essa página e ao dono dela, fui procurar a origem e…
    Tah-dah! Eram de páginas pró PT e PSOL, só para começar. E já vi que o negócio está ficando brabo.

  10. Se o cara defende o estado grande ele é tão nocivo quanto PCdoB, PSOL etc
    Alias, muitos desses idiotas que vão pra rua protestar são assim também, criticam o PT não porque querem capitalismo mas sim porque querem um governo de esquerda que não roube e faça algo

    • O Facebook e o Twitter foram muito úteis para o Obama, não foram?
      Sobre o pragmatismo do Luciano: vou direto ao ponto, o Luciano é um anti-esquerdista que consegue pensar como um esquerdista beneficiário 😉 Sendo isto aliás UM dos motivos pelos quais grande parte dos direitistas lusófonos fareja segundas intenções nos escritos dele 🙂

  11. dáh pra alguém falar pra esse João Revolta, que um governo grande só faz sentido se for para querer controlar mais e mais coisas, e que nesse caso abre oportunidade para um ministério da comunicação que controle mais e mais comunicação, facilitando a censura….. já que ele é contra a censura, ele não deveria querer um governo grande que controle tudo…..

  12. Alguém critica Churchill por se aliar a Stálin para derrotar Hitler ? Viraram inimigos depois , mas naquele momento , a união era necessária . Pragmatismo é isso .

  13. Luciano, só para manter aquele olhar atento sobre o marxismo-humanismo-neoateísmo brasileiro, amanhã as vadias marcham em São Paulo. De minha parte não acho que vá haver muita gente, até porque o referido evento já está bem desmoralizado (ainda mais após o ocorrido na Jornada Mundial da Juventude), mas é sempre bom manter um olho na coisa. A apresentação do evento, como observará, é um primor de contradições:

    Após um ano de intensa mobilização feminista, com atos contra o Estatuto do Nascituro, pelo Fora Feliciano, contra a “Cura Gay”, em comemoração ao Dia Internacional de Luta das Mulheres, pelo parto humanizado e por tantas outras causas, o coletivo Marcha das Vadias de São Paulo tem o prazer de convidar a todxs para a 4ª edição de seu ato de rua.

    Este ano levamos às ruas mais uma vez o combate à cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual.

    Além disso, queremos destacar que toda prática sexual sem consentimento é estupro. E muitas vezes o não consentimento não é verbal, não é explícito. Muitas vezes nos calamos diante de uma violência. Nos calamos por medo, vergonha, dor, estado alterado de consciência, doença ou enfermidade, dúvida, baixa auto estima, nos calamos por estarmos sob ameaça ou chantagem.

    Se você não conseguiu dizer não, não significa que você consentiu. Vamos às ruas para gritar que QUEM CALA NÃO CONSENTE!

    Precisamos combater a cultura do silenciamento, da naturalização da violência contra as mulheres, da culpabilização das sobreviventes de violência de gênero. Vamos construir uma cultura do diálogo, do respeito, da humanização.

    Venha se juntar a nós, no dia 24 de maio de 2014, no vão livre do Masp!

    Programação (sujeita a alterações):
    11h: oficinas de cartazes, stencil e bateria
    12h: início da concentração
    13h: apresentação teatral (coletivo Segunda Opinião)
    13h30: microfone aberto e jogral
    14h: saída em marcha
    16h: previsão de horário da dispersão

    Pergunte-se a essas particulares formas marxistas-humanistas-neoateístas sobre como se pode ser contra o Estatuto do Nascituro (que prevê que uma pessoa deve ser protegida inclusive quando no ventre e, portanto, contra as previsões aborteiras das feministas) e a favor do parto humanizado (sendo que em alguns casos se está fazendo inclusive chacrinha, como naquela história da Justiça ter determinado uma cesariana em uma mulher em que, ao que me consta, o bebê dela não estava na posição correta para sair naturalmente). Claro que não vão responder.
    Claro que aquele primeiro parágrafo foi apenas um preâmbulo para os reais motivos da tal marcha, mas não podemos deixar de notar que o Fora Feliciano tanto não deu certo como inclusive reforçou as pretensões eleitorais do referido político, bem como as vadias marchantes não poderão ficar falando tanto assim do que elas chamam de “cura gay”, pois acabará por estimular que as pessoas olhem ainda mais o projeto.

    Porém, já que elas falaram de “cultura do estupro”, aqui também elas acabam se dando mal, ainda mais que vimos recentemente pessoas do povo fazendo justiça com as próprias mãos também contra estupradores. Logo, sequer podem falar que o povo estaria responsabilizando as mulheres pela violência que elas sofrem. Observe-se agora também que estão na base de dizer que é “cultura do estupro” também a responsabilização por violências de caráter não sexual. Logo, podemos aqui considerar uma inversão revolucionária básica.
    E aqui também elas querem insinuar que toda relação sexual seria estupro caso uma mulher não verbalize claramente que quer ser penetrada. Se o não-consentimento muitas vezes (quantas?) não é verbal e não é explícito, como é que um homem desejoso de praticar uma cópula conseguirá saber que a mulher está consentindo? Teria ele de ter capacidade telepática? Observe-se também a marotice de dizer que estupro não é aquela relação contra a vontade que se processa sob violência ou grave ameaça (como a lei diz). Fala-se de “estado alterado de consciência”, o que pressupõe uso de álcool ou drogas. E se o cara que pratica o sexo também estiver alcoolizado ou drogado, podendo até mesmo ter consumido tais expedientes junto com a alterada? Claro que na cabeça das feministas isso também seria estupro, mas não entraremos em consideração, uma vez que a lei é bem clara e também tem a figura do estupro de vulnerável, ainda que neste caso um bom delegado saiba a diferença entre alguém se aproveitar de uma entorpecida e dois entorpecidos terem relação sexual.

    Também vemos aqui novamente aquela história de querer uma definição elástica para algo, ainda mais que “cultura do estupro” é mais uma daquelas coisas que as feministas criaram e que retroalimenta o movimento das mesmas. Vamos também levar em consideração que, pelas ditas pensadoras feministas, toda relação sexual entre um homem e uma mulher é um estupro.
    Aqui pode ser na parte do involuntário, mas essa Marcha das Vadias acaba por terminar uma semana em que São Paulo foi posta de pernas para o ar com manifestações muito suspeitas de motoristas de ônibus e integrantes do MTST. Não creio em uma articulação específica entre esses movimentos, mas a tal Marcha acaba caindo em um contexto diferente. Eu tenho a impressão de que veremos uma Marcha bem mixuruca e que isso pode acabar desmoralizando de vez a insistência em fazer esse tipo de manifestação (ainda mais após não terem conseguido “transferir os ativos”). Porém, ainda que a tal Marcha das Vadias já estivesse marcada há um belo tempo, para amanhã também haverá o oitavo ato Não Vai Ter Copa, programado para a Praça da Sé. E quem olhar para o mapa paulistano notará que a Marcha partirá do Masp, enquanto o Não Vai Ter Copa, da Praça da Sé

    E como já disse antes, vamos estimular as feministas a fazerem mais e mais funks, pois cada um que elas fizerem é uma desmoralização e vergonha alheia a mais para elas. Depois daquelas que queriam cortar a pica de quem votasse no Bolsonaro e das Putinhas Aborteiras, vem do Ceará outra vergonha alheia daquelas:

    • Luciano, parece mesmo que a Marcha das Vadias vai implodir por si só: apenas 300 foram ao Masp e pelo que dá a entender o texto, passaram em brancas nuvens mesmo com toda a agressividade que conhecemos. Pelo visto começamos a ver marxistas-humanistas-neoateístas de matiz inocente útil receberem um tratamento parecido com aquele que vemos com criancinhas birrentas que fazem showzinho em shopping, em que basta o pai ou a mãe ir andando e deixando a mesma para trás que logo a coisa para.

      • Luciano, uma coisa que me chamou a atenção na Marcha malograda: na quarta foto do álbum do UOL, vemos escrito “Juntas” com aquele rabicho embaixo que lembra um pouco logotipo da Nike das antigas. Sim, o movimento que se diz horizontal e sem lideranças tem PSOL na jogada. Logo, não acho que seja tão horizontalizado assim quanto querem fazer supor e pode ser que a Marcha até tenha sido cooptada pelo referido partido. Vemos onze mulheres no enquadramento da foto e, portanto, podemos considerar uma quantia significativa para uma passeata que teve apenas de 300 a 500 manifestantes.
        Outra coisa que me chamou a atenção foi a camiseta delas, com um rosto humano com uma pintura de uma boca gigantesca que desce até a altura da clavícula. Essa pintura foi vista anteriormente em outras edições da Marcha e não apenas em São Paulo. Podemos suspeitar que o PSOL estivesse entranhado na tal Marcha desde sempre, ainda mais que era só o transplante de algo ocorrido no Canadá (ou que foi usado como estopim de algo que já estava pronto e formatado e esperando apenas por um pretexto para ser disparado).

      • Luciano, mais uma das vadias marchantes paulistanas está nesta foto:

        http://www.facebook.com/photo.php?fbid=543527622422521&set=a.434591669982784.1073741828.434587683316516

        Sim, se alguém ainda achava que o feminismo também pensava nos homens, só vai continuar achando isso se for muito ingênuo ou mesmo possuidor de retardo mental dos mais graves.
        Vejam as frases que estão nesse enquadramento:

        Ei, “feministo”, você não é bem-vindo

        Feministo (sic) aqui não. A luta é nossa.

        Esquerdomachos não passarão.

        Não fecho com esquerdomacho.

        Mate seu estuprador.

        Logo, qualquer homem, independente de ser ou não marxista-humanista-neoateísta (ou, no jargão das vadias, “esquerdomacho” ou “feministo”) está sendo declarado abertamente por elas como persona non grata, alguém indigno de aliança ou mesmo um estuprador digno de morte. Ao menos aqui estamos vendo algo mais sincero do que “não ensine sua filha a não ser estuprada. Ensine seu filho a não estuprar”, pois aqui se fala abertamente o que elas pensam daqueles que por um acaso da vida nasceram com cromossomo Y (podendo aqui incluir o pai, o avô, o bisavô, todos os homens que colaboraram no passado para que cada uma dessas fosse gerada e pudesse estar neste sábado protestando, assim como outros parentes que estejam vivos e sejam da mesma geração ou uma antes, como tios e primos de diversos graus).
        Agora se “esquerdomachos não passarão”, ao menos a história diz que passarão sim, muitas vezes passando tanques de guerra em cima de mulheres (e também homens, sem distinção e aqui sendo totalmente igualitário em relação a esmagar alguém sob esteiras, em que pese aí também morrerem bem mais homens do que mulheres). Os tais “esquerdomachos”, quando em posição de poder e com alto grau beneficiário, também passam por cima das “esquerdofêmeas” quando estas não mais servem de inocentes úteis, seja passando propriamente por cima, seja cortando o financiamento que permite uma passeata. Observe-se como a Marcha das Vadias paulistana deste ano foi um fiasco daqueles, com seus apenas de 300 (estimativa da polícia) a 500 (estimativa das organizadoras, número esse surpreendentemente baixo para ser declarado por alguém que costumaria pelo menos dizer que é um milharzinho).

        E já que é para termos mais contradição na coisa, que se observe a camisa da moça aparentemente oriental com cabelos arrepiados e descoloridos. Se estou lendo certo, está escrito “Pink Floyd” e é o prisma triangular da capa de The Dark Side of the Moon. Ué, Pink Floyd não é uma banda só de homens? Tudo bem que o famoso conjunto inglês vez ou outra tinha uma backing vocal para dar uns agudos dos bons, mas ainda assim surpreende-me a falta de solidariedade com a tal “sororidade”. Cadê a camisa de L7, The Bangles e outras bandas exclusivamente de mulheres? OK, fica difícil camisa de banda porque pode calhar de haver uma banda na qual haja pelo menos um homem (por isso que descartei o Hole). Poderia ser então uma camisa de cantora, como Joan Jett ou Janis Joplin, só para ficarmos no rock. Porém, ela deve concordar que é mesmo difícil ser coerente quando se sabe que o marxismo-humanismo-neoateísmo tem dois pesos e duas medidas para tudo. E cá ficamos a ver uma mulher com um cartaz de “Feministo aqui não. A luta é nossa” e com uma camisa do Pink Floyd.
        E já que “feministos” e “esquerdomachos” não são bem-vindos, mesmo sendo eles exemplares machos da mesma espécie Homo sapiens a que pertencem as vadias marchantes, talvez alguns acabem notando da pior forma possível que até hoje só foram feitos de inocentes úteis e se desiludam do MHN. E ponha bastante talvez nisso, pois não duvidarei que houve algum homem por lá vestindo sutiãzinho achando que isso o faria ser cogitado pelas mulheres de lá. Eu sei, vendo as fotos do iG, que havia um em cujas costas estava escrito “Eu também sou vadia” e outro batucando.

        De brinde, segue também o que ocorreu na versão manezinha do evento, com direito a estas fotos em que estão queimando retratos de quem elas chamam de “machistas” na “foqueira feminista” (sic). Pois é, não basta agora só cortar a pica. Porém, que ninguém se esqueça que Florianópolis tem se mostrado a cidade mais anti-MHN do Brasil (vide retomada da reitoria da UFSC, expulsão dos integrantes da Ocupação Amarildo no bairro do Rio Vermelho e o mais recente protesto antiprotesto quando da greve local dos motoristas de ônibus), o que significa que estão em um ambiente no quão não são bem-vindas (aliás, foi preciso um cordão de isolamento por causa de religiosos, uma vez que a saída da marcha foi em frente à Catedral Metropolitana). Infelizmente não falaram um número oficial de participantes (falam números vagos como “centenas”, o que significa que também foi pouca gente, em que pese o tempo bem melhor que o paulistano).
        Tenho a impressão de que, como as vadias protestam contra coisas abstratas (“machismo”, “cultura do estupro” e “discriminação de gênero”, além do fato de “violência contra a mulher” ter uma boa dose de abstração, uma vez que “a mulher” pode ser qualquer uma, em vez de Maria, Ana ou Marcela, bem como não é “as mulheres”, o que denotaria um ódio específico e visível), os conterrâneos de Gustavo Kuerten que sejam anti-MHNs olharam para as mesmas como se estivessem protestando contra o Papai Noel entregar presentes melhores para crianças mais ricas.

  14. Luciano, achei uma boa para você debulhar: para Jean Wyllys, quem abandonou o cinema ao ver cenas de relação homossexual em Praia do Futuro, o mais recente filme de Wagner Moura, é…

    a) Homofóbico!

    b) Preconceituoso!

    c) Recalcado!

    d) Obtuso!

    e) Todas as opções acima

    Logo, fica comprovado que para o deputado do PSOL não basta que uma pessoa trate bem um homossexual na sociedade e respeite também aquilo que ele faz em quatro paredes com outros a ele iguais, mas sim que veja e não tenha qualquer reação ao ver aquilo que ele faz em quatro paredes. E como marxismo-humanismo-neoateísmo de matiz gramscista é um combo de coisas, tem de também achar lindo vadias marchando, maconheiros maconhando, gordas engordando (afinal, a “gordofobia” é a última moda no MHN, desde que só mulheres), neoateus neoateizando, e outros (inocente útil potencial dos marxistas-humanistas-neoateístas) XXXXndo.

    PS: Surpreendo-me de Jean não ter usado o termo “fundamentalista” para se referir aos evangélicos, ao menos desta vez.

  15. Luciano, mais uma envolvendo MAVs: da prefeitura de Guarulhos surgiram algumas ofensas a Aécio Neves, prefeitura essa que é do PT. E como a notícia vinda diretamente de onde ocorreu costuma ser mais completa, eis que temos esta reportagem mais detalhada do Guarulhosweb falando toda a parte pregressa da história, mostrando que os ataques vindos de Guarulhos são na prática um transbordo de algo que já estava acontecendo na esfera municipal de poder, envolvendo o filho de um vereador petista. Há também comentários do Reinaldo para a coisa toda.

  16. Luciano, você viu a propaganda de internet que fez o Greenhalgh surtar?

    http://twitter.com/Greenhalgh_/status/470748425714421762

    Diz ele que a tal Empiricus (da qual só ouvi falar agora) estaria gastando milhões no que ele chama de “propaganda terrorista” na internet. Porém, pelo que sei, propaganda de internet é bem mais barata que propaganda em TV ou rádio, nas quais se gasta de fato milhões.
    Enquanto isso, na mesma página de Twitter vejo mais troca de farpas intra-Foro:

    http://twitter.com/Greenhalgh_/status/470730844173516800

    E nessa de dois membros da entidade latino-americana se digladiando, histórias vão surgindo, como os 5 mil robôs tuiteiros que seriam da campanha de Eduardo Campos. Também sobrou para fora do Foro, como esta acusação contra Aécio Neves de também usar robôs. E aqui nos perguntamos sobre quantos robôs possui a famosa MAV.

  17. Boa noite.
    Eu costumo acompanhar o seu blog e gostaria que visse essa conta do twitter:

    https://twitter.com/YosmanyMayeta

    Ele diz ser ativista de uma organização chamada UNPACU (União Patriótica de Cuba) que luta contra as violações dos direitos humanos protagonizadas pelo governo.

    http://www.unpacu.org/acerca-de/sobre-unpacu/

    Conhece? Caso sim, seriam eles uma oposição falsa? Caso não, faça, se possível, passar essas informações para outras páginas de pessoas influentes que venham a dar uma esclarecida sobre esse grupo e/ou de cada pessoa envolvida nele.

    Yosmany Mayeta (YosmanyMayeta) on Twitter
    twitter.com
    http://www.unpacu.org/acerca-de/sobre-unpacu/

Deixe uma resposta