Gilberto Carvalho veste a fantasia de defensor da democracia e inimigo da ditadura, para defender propostas ditatoriais e tentar destruir a democracia

37
74

gilberto

Quando eu digo que algumas pessoas da direita ainda estão na infância política quando pedem “intervenção militar” (e pelo fracasso da Marcha da Família, são pouquíssimos os que pensam assim), eu não estou brincando. Os marchistas (termo que uso para definir aqueles direitistas que ainda sonham com uma intervenção militar, como em 1964, o que jamais vai ocorrer) falam aquilo que sentem, quase como um desabafo, mas sem qualquer traço de estratégia política. É somente na infância que as pessoas tem o direito de se limitar a dizer o que sentem, especialmente quando pensam ideias erradas, tanto em termos morais como estratégicos.

Enquanto isso, Gilberto Carvalho tem um plano para implementar um programa ditatorial e sabe que seu partido, o PT, tem arquitetados diversos projetos para tentar solidificar uma ditadura no estilo da Venezuela por aqui. Porém, como podemos ver em uma entrevista que ele deu à última edição da Carta Capital (nas bancas), o discurso dele jamais fala em implementação de uma ditadura, mas de mais democratização. Ou você acha que ele vai falar o que sente? Estratégia política, meu filho…

Para mostrar que eu não estou exagerando, veja este momento, quando ele defende o decreto ditatorial de Dilma Rousseff:

O decreto de certa forma antecipa o debate eleitoral radicalizado. Além disso, há um papel hoje desempenhado muito fortemente na mídia por um setor organizado de direita que combate qualquer forma de democratização, de aproximação de setores populares com o governo.

Deu para notar o padrão, não? Para ele, a proposta ditatorial de Dilma é uma “democratização”. Mas o que existe de “aumento de democratização” em um decreto que permite o aparelhamento estatal com organizações sociais já vinculadas ao governo? Qualquer pessoa intelectualmente honesta sabe que a democratização já existe de forma plena, com o direito ao voto para todos. Já a implementação de “conselhos” cria uma “tropa de elite” que nem de longe representa todos os cidadãos. Não passa do truque dos sovietes, quando grupos de cidadãos são eleitos para servirem de fachada para o governo. Quando estes grupos atuam (sempre escolhidos e financiados pelo próprio governo), os governantes totalitários dizem: “Vejam, é a sociedade participando”.

Para termos uma ideia da dimensão do truque (e já que estamos em ritmo de Copa do Mundo), imagine que a CBF resolva criar três conselhos de pessoas, pagas pela própria entidade, e com uma única finalidade: validar tudo que a CBF fizer. A partir daí, se alguém reclamar, o presidente da CBF dirá: “Ei, não falem mais nada, pois a sociedade civil participou das decisões”. Em suma, esse é o truque dos sovietes e o decreto de Dilma não passa disso: um truque sujo para implementar uma ditadura.

Mesmo sabendo ser praticamente um líder de implementações totalitárias, Carvalho imputa essa culpa aos direitistas. Veja o nível da cara de pau:

Temos um fenômeno novo no Brasil: uma direita militante que se expõe, diferentemente de um passado recente, quando ainda como rescaldo da ditadura estes setores envergonhavam-se.

Observe a tentativa de associar a direita à ditadura. É obvio que ele sabe que nenhum dos colunistas de direita apoia ações ditatoriais, mas para ele isso não importa. A propaganda dele é tão repetitiva quanto falsa: ele diz defender democracia, e garante que seus oponentes querem ditadura.

Agora leia isso, onde ele se repete quanto ao quesito “defensor da democracia”:

[…] independentemente da disputa eleitoral, há uma vigilância permanente contra qualquer forma de avanço da democracia. Taxa-se de inconstitucional tudo aquilo que pode representar uma partilha do poder.

Na ótica dele, a criação de sovietes é “avanço da democracia”. Duro é ele explicar como a estipulação de conselhos (criados pelo próprio governo, para que estes conselhos finjam representar toda a sociedade) vai significar “mais democracia”.

Veja abaixo um truque do qual já falamos ontem:

O que mais me preocupa é uma certa pregação do ódio. Quando você usa adjetivos como “petralhas”, você planta o ódio. Tenho receio de que a eleição vá além do debate político e que se tente criar uma divisão na sociedade. Eles nos acusam de dividir a sociedade, mas quem planta essa divisão é quem prega o ódio.

O jogo aqui é Imputação de Ódio no Discurso Dialético do Oponente. Ou seja, qualquer coisa que o oponente disser contra os petralhas, é chamado de “discurso de ódio”. Mas será que ele reconheceria que chamar direitistas de “coxinhas” seria também “discurso de ódio”? Claro que ele jamais reconhecerá isso, pois o jogo que ele joga só deve ser jogado contra direitistas.

Esse é Gilberto Carvalho, um sujeito incapaz de falar algo sem usar um estratagema vergonhoso e desonesto. Mas é como já disse: para essa gente, a linguagem não é uma ferramenta, mas uma arma.

Anúncios

37 COMMENTS

  1. Luciano, democratização, sustentabilidade, regulação da mídia, marco civil, internacionalização são termos vagos que buscam anular o efeito prático das coisas, anula também o sentido das palavras e dos objetivos dessa gente.

    Eles querem a ditadura, eles farão tudo pra implementar a ditadura.
    Se vão conseguir ou não é que está em discussão, os planos eles tem todos bem feitos, desde os anos 90 …

    • Sim.

      A questão que levanto é: por que eles querendo tanto a ditadura chamam-na de “democracia”? É por que pensam estrategicamente.

      E a crítica que faço é que a direita, pensando muito mais em democracia, ainda as vezes cai no deslize de pedir “intervenção militar”.

      Ou seja, opta-se por perder o duelo de frame de forma deliberada.

      Abs,

      LH

  2. A cara de pau e a hipocrisia assemelham-se aos nomes designados para governos ditatoriais de esquerda, como “República Popular Democrática da Coréia do Norte” ou “República Popular da China”, lugares onde não há forma alguma de democracia, porém utilizam-se da mesma prática dos sovietes para argumentar que seus governos são democráticos. Não é possível que estes extremistas acreditem em seus discursos, eles sabem da fraude, sabem que querem ditadura e isso torna o PT e sua militância a maior aglomeração de psicopatas do Brasil, superando qualquer clínica psiquiátrica aqui existente.

  3. Luciano, segue o mais recente texto do Pondé falando de maneira bem aberta sobre o tal decreto da Dilma. Eu achei que ele foi bem direto no ponto e falou com um linguajar bastante compreensível e pouco possível de ser distorcido por um marxista-humanista-neoateísta.
    Segue também a escalada que pode acontecer com o “coxinha”, que pode se tornar um equivalente ao “gusano” cubano ou às “baratas” proferidas pelos hutus ao se referirem aos tútsis (neste caso uma divisão racial tão inventada quanto dizer que mestiços, conhecidos por “pardos” pelo IBGE, seriam “negros”):

    http://www.youtube.com/watch?v=pW7i48fSCZ4

    Observe-se também episódios de racismo e xenofobia por parte daqueles que se dizem internacionalistas e contrários a toda forma de discriminação.

  4. Perfeito, Luciano. Sempre que eu vou postar uma mensagem pela net e tiver o nome de Dilma no meio a mensagem vai ser assim: “…. Dilma (que defende o ditador genocida comunista Fidel Castro) …. ” . Não importa qual seja o tema, Tem que queimar o filme desse pessoal o máximo possível.

  5. Gilberto Carvalho é o coordenador-geral do caos, a personificação de toda a anarquia que acomete este Brasil petista. Não creio que em toda a história deste país tenha havido figura tão sorrateira e abjeta quanto esse senhor.

  6. Esse é o mais cínico de todos. O cara beira a sociopatia. Sem contar seu envolvimento no acobertamento da morte de Celso Daniel. Quem já leu um pouco mais sobre o caso, incluindo o Prefeito morto do PT de Campinas, Toninho do PT, fica realmente assustado com esses caras: Carvalho, Dirceu, Lula et caterva. A bronca é alta.

  7. Esse individuo e a especie mais abjeta que navega entre os poderes da republica. Por que eles chamam Comunismo de Democracia? Ora usando os ensinamentos de Gramsci! E condicionando as pessoas a imaginar o contrario daquilo que se quer. Eles estao pouco se lixando com democracia, meritocracia, livre mercado. Eles querem o divisao de bens do povo que trabalha para a cupula do poder e ao mesmo tempo comprando com migalhas os votos da populacao alienada que nao tem conhecimento de abssolutamente nada e vai mansamente em direcao ao abismo da escravidao que mais tarde terao. Enquanto houver possibilidades dessa corja usufruir dos bens de empresarios, proprietarios de terras e bens possiveis de serem confiscados eles farao o seu papel de “DEMOCRATAS, JUSTOS E DISTRIBUIDORES DE RENDA” e para conseguir isso esses cidadaos deverao ser expulsos do pais ou mesmo assassinados para que seus bens passem para as maos imundas desses malditos vermelho. Depois que conseguirem ai e outra historia: execussoes sumarias, assassinatos em massa, justicamentos pelas suas milicias MST, PCC, milicias armadas e outros meios ja formados e em atuacao.

  8. Luciano.

    Realmente é uma total ingenuidade, e até mesmo imbecilidade, de certa direita, ficar clamando por intervenção militar e pedindo um papaizão disciplinador. Mas eu tenho certas dúvidas, que por isso mesmo são terríveis.

    E se esses “movimentos sociais” terroristas, sob comando do Foro de São Paulo, radicalizarem de vez, não querendo largar o osso, conduzindo o Brasil a um status de rompimentos institucionais e ingovernabilidade? A possibilidade de ocorrência desse desastre parece a cada dia mais real. E eu tenho muito receio disso.

    Independentemente de quaisquer outras considerações temos de admitir que é um DEVER CONSTITUCIONAL das Forças Armadas garantirem a ordem e a governabilidade da Nação.

    É claro que não queremos isso, mas qual seria a outra solução pragmática plausível ???

    O QUE FAZER NUMA TRISTE E INFELIZ SITUAÇÃO COMO DESCRITA EM MINHA HIPÓTESE ???

    ———-

    • Temos também um risco adicional. E se o PT definir o que é “ordem e governabilidade da Nação”? Lembremos que hoje em dia eles podem usa os Black Blocs para falar da necessidade de uma intervenção.

      Eu diria que se existir uma intervenção, ela será por parte do PT.

      O contra-golpe de 1964 ocorreu pq a esquerda foi com mta sede ao pote. Hoje eles estão mais estrategistas. Não há sequer “timing” para uma intervenção contra o PT.

      Por isso acho perigoso fazer um discurso pedindo algo que não vai acontecer, e que só potencializa as chances de ocorrer em favor do PT.

      Abs,

      LH

    • Sem dúvida que os petralhas estão aparelhando as instituições para em caso de emergência endurecerem o discurso autoritário em prol da governabilidade, rumores de um possível golpe de direita só iria servir para eles terem motivo para fazerem isso; as forças armadas foram desmanteladas pelos governos de 1985 para cá, tudo sucateado e as altas patentes de comando todas comendo na mão dos bandidos governistas, vejam o caso da comissão da “verdade” onde já se abriu a temporada de caça aos militares e nada se fala dos terroristas comunas, aonde estão as forças armadas para exigirem um tratamento igualitário; as forças armadas no Brasil são só um amontoado de ferro velho comandados por burocratas. O melhor é só endurecer o discurso democrático sem dar pseudomotivos para a canalhada colocar um¨AI5 por aqui.

    • Luciano.

      Estamos esquecendo um ponto importantíssimo que deve ser tratado.

      O Gilberto Carvalho é um mero jagunço do Barba-X9 Apedeuta incrustado do Executivo. Dizem nos bastidores que a Dilma teve de engolir sua presença espectral por determinação direta do chefe, do Barba-X9.

      Devemos concentrar as análises céticas e os argumentos assertivos na própria pessoa do Barba-X9 Apedeuta. Devemos descascar ao máximo possível esse molusco pusilânime. Devemos expô-lo ao público como o verdadeiro canalha e cafajeste que ele é.

      O Barba-X9 Apedeuta é o principal e mais importante elemento no âmago do poder revolucionário petista. Portanto ele deve ser o alvo estratégico principal de bombardeio para minarmos o poderio organizado dos psicopatas.

      JÁ DEMORAMOS DEMAIS PARA INICIARMOS UM PROCESSO SISTEMÁTICO CONTÍNUO DE AÇÕES TÁTICAS PERTINENTES A UMA ESTRATÉGICA DE GUERRA FOCADA NO ÂMAGO DO PODER REVOLUCIONÁRIO PSICOPÁTICO, OU SEJA: NO BARBA-X9 APEDEUTA.

      Abs.

      Apolo.

  9. Este é o pior!! dele se espera qualquer coisa, quando um ministro paga blak blok para incendiar e fazer badernas na frente do planalto, talvez para prejudicar a própria presidanta, vamos esperar o que???temos que ficar de olho encima dele isso sim!!

  10. Um dos maiores bandidos da história do nosso país. Responsável direto pelo aumento da violência, da desordem, pela destruição do patrimônio cultural brasileiro. Esse daí tinha que estar na cadeia junto de Dirceu e Genoínio. Quando conseguirmos isso saberemos que o país está evoluindo.

    • A lei só chega até certo ponto, para prender Ministros que tem foro privilegiado, só por ordem de tribunais superiores que são totalmente aparelhados pelo PT, hoje o JB largou a execução penal do mensalão e está na mão do Barroso, não dou 1 semana para todos os “heróis da pátria” estarem soltos por aí, ou melhor no comitê eleitoral da Dilma.

  11. Luciano, eis que um jornalista propagador de marxismo-humanismo-neoateísmo foi desarmado em seu próprio espaço e de maneira rápida quando quis falar de algumas coisas da Copa (algumas dela de fato legais, como alemães e japoneses recolhendo o lixo do estádio e da praia, ganeses fazendo fuzuê saudável no shopping, holandeses trocando camisa com garis e outras). Vamos aos comentários que mandam o MHN pedir arrego:

    Alisson Santana há uma hora

    “11) Torcedores de Gana deram um rolezinho num shopping de Natal e os brasileiros não exerceram seu preconceito diário, não saíram correndo pensando que era assalto.” Fale por você. Eu não exerço preconceito racial diário. E parece que o pessoal dos shoppings em Natal também não.

    E estava bem óbvio que a festinha dos ganeses em Natal era totalmente diferente dos rolezinhos aos quais os marxistas-humanistas-neoateístas querem associar. Podemos ver abaixo:

    http://www.youtube.com/watch?v=jSJxq9Dw8K8

    http://www.youtube.com/watch?v=5Fx9iGXHr10

    Será que um rolezinho tem um começo tão franco e aberto quanto a cantoria ganesa no shopping Midway? Pelo que me lembro, os praticantes de rolezinho entram no shopping agindo à paisana e depois, do nada, começam uma cantoria com letras exaltando drogas e bandidagem. Também não me lembro de um rolezinho ser inclusivo em relação às pessoas que estão fora do ambiente, como podemos ver na dança de rua dos ganeses ao som de uma batida que lembra a de Fela Kuti. Observe-se que o trenzinho tinha tanto ganeses quanto brasileiros, todos eles numa boa. E também está claro pela linguagem corporal dos ganeses que eles sentiram-se muito bem recepcionados neste país supostamente racista e classista, essas duas acusações que usam contra aqueles que são contrários ao rolezinho.

    Augusto Pinto há 32 minutos

    O colunista é o mais preconceituoso. Os natalenses são racistas segundo ele. O hino dos “coxinhas” é cantado pelo povão a muitos anos, mas “nós” brasileiros teríamos que nos curvar a hipocrisia e render homenagem a representante da maior quadrilha que já foi montada neste país, que agora domina até o STF. Ainda bem que o povo se rebelou, não se vendeu nem se rendeu, quando a agressão é grande a resposta tem que ser dura e contundente. Essa é a língua que eles entendem, e para que fique bem claro quem começou, basta lembrar que Mário Covas foi agredido fisicamente por essa turma “da paz”

    Mais uma lapada no colunista, e essa é das boas. Aqui passamos a saber que para ser chamado de “coxinha”, basta você cantar “eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor”, grito esse surgido espontaneamente nos jogos da Seleção e, como já dito, existente muito antes de MHNs quererem ressignificar “coxinha” de gíria paulistana para policial militar para uma suposta gíria nacional que designaria pessoas de classe alta, mas que na realidade pode ser interpretada como “todo aquele que criar obstáculo ao avanço de nossa agenda”. Logo, podemos entender que o que menos querem aqueles que dizem representar o povo brasileiro é que esse povo faça coisas de maneira espontânea e distante das esferas de influência cultural MHNs, como esse simples e inocente grito que é uma síntese daquilo que é o Brasil, que consegue ter uma unidade em seu povo mesmo com ele sendo tão diverso (esse mistério para outros países).
    Outra lapada boa foi a de mostrar que MHNs hoje em dia reclamando do VTNC para Dilma e insinuando que aqui haveria uma luta étnica-classista na realidade estão apenas reclamando do contrafluxo em relação àquilo que já fizeram e sequer podem dizer qualquer coisa, ainda mais quando vemos Lula chamando Itamar de “filho da puta” (sendo que naquela ocasião o falecido ex-presidente deu uma resposta que calou o ex-operário). Segue agora uma lapada simplesinha e bonitinha:

    Ernesto Castro há 40 minutos

    Estes esquerdopatas só enxergam coxinhas e cores de pele.

    Aqui a coisa é preciosa porque mostra que MHNs acabam vendo as pessoas por apenas uma característica das mesmas, enquanto a maioria vê as outras como um conjunto complexo de características, podendo ter mais ou menos afinidade com as mesmas. Sem querer o tal Ernesto mostra a mecânica dessa ideologia de duas formas: atribuindo epítetos a quem a ela se opõe (“coxinha” no Brasil, “gusano” em Cuba e outros em outros lugares) e querendo agrupar seres humanos em caixinhas, mesmo que estes não queiram isso (como no lance de inventar “negros” ao somar as categorias demográficas “preto” e “pardo” do IBGE, sendo que a última é sinônimo de mestiço e inclui grande contingente de pessoas sem qualquer ancestralidade africana).
    Estou cada vez mais convicto de que os MHNs correm cada vez mais risco de serem deixados falando ao léu e, quando virem, estarão abandonados também por aqueles que apresentam características que seriam inocente-utilizáveis, como já podemos provar por fatos que estamos vendo.

  12. Segundo o próprio Gilberto Carvalho, aquele papo de “elite branca” era pura bobagem. Diz ele que estava vendo o jogo em uma escola pública perto do estádio e também por lá ouviu xingamentos. Logo, ele acaba contradizendo certa parte dos altos escalões do PT e deixa patente que aquele volume todo de notícias que começaram com jornalistas esportivos e depois passaram para o noticiário não esportivo era apenas uma forma de tentar avançar agenda via uso de mídia.

  13. Luciano, você viu que novamente o Sakamoto evocou o Coxeco, mascote da vergolha alheia que conhecemos de outras ocasiões? Agora ele vem querer novamente vender aquela versão de que “coxinha” seria uma gíria paulistana “para definir pessoas individualistas, conservadoras, convencionais e que fazem de tudo para se diferenciar da massa”, quando na realidade é uma gíria paulistana para policial militar e cujo significado marxista-humanista-neoateísta foi inventado por marxistas-humanistas-neoateístas para desmerecer aqueles que são contrários ao marxismo-humanismo-neoateísmo. Diz ele também que a tal ressignificação MHN “não tem a ver com caráter. É um rótulo e, como todos os rótulos, tende a ser bobo e simplista”. Sim, como se pode observar, o próprio blogueiro assume que “coxinha” é equivalente ao “gusano” cubano, mas não podemos dizer que seja um rótulo bobo e simplista, mas sim um estigma que querem porque querem colar nas pessoas contrárias ao pensamento deles.
    Sintomáticos são os últimos parágrafos do texto, que deixam patente o que se está querendo dizer:

    Com a ajuda do excelente estúdio de criação Pingado, ele surgiu. E tem sido resgatado toda vez que o coxismo grassa pela rede, uma espécie de Gorpo, do He-Man, sempre pronto a trazer lições para as novas gerações de coxinhas.

    O Coxeco ficou muito feliz quando conheceu o “Rei do Camarote” no ano passado, a partir da sensacional reportagem da Veja Sao Paulo sobre os “sultões dos camarotes” das baladas de São Paulo, que gastam dezenas de milhares de reais no intuito de se exibir e conseguir companhia. Sentiu-se acalentado pela sentimento de pertencimento a um grupo.

    O Coxeco também ficou muito feliz quando viu a Polícia Civil lançando bombas de efeito moral em pessoas com dependência química, na região da Cracolândia, Centro de São Paulo, no ano passado. Ele acha que a prisão de traficantes foi uma excelente justificativa para a operação. Afinal de contas, dar trabalho e moradia para vagabundo não resolve nada. Só a porrada resolve.

    E o Coxeco ficou radiante depois que shopping center chiques em bairros nobres da capital paulista conseguiram liminares judiciais para garantir que rolezinhos não ocorressem em suas partes interna e externa, mas pouco se importam com estudantes de importantes faculdades da capital que vêm fazer seus flash mobs comemorativos em suas dependências. E entrou em estado de graça, com um sorriso que não mais saiu de seu delicioso rosto empanado, quando soube que seguranças, advogados e até um oficial de Justiça plantaram-se nas portas para selecionar as pessoas com menos de 18 anos que poderiam entrar no prédio.

    Neste post, o Coxeco canta seu amor ao Brasil – um Brasil, a bem da verdade, menor, mais exclusivo e menos plural.

    O que viria a ser “coxismo”? Obviamente tudo aquilo que se opõe ao MHN. Veja ao que o Sakamoto se refere quando fala do que deixaria o mascote da vergonha alheia, como os problemas na Cracolândia (vide traficantes com crachá da prefeitura), shoppings com liminares antirrolezinho. Agora usam o tal desenhinho para ir contra o grito de “eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”, que querem atribuir a um bando de ricaços em estádios, quando na realidade é um grito surgido espontaneamente na torcida brasileira quando dos jogos da Seleção e vem de muito antes de os MHNs não conseguirem guinar os protestos de junho do ano passado contra seus próprios inimigos (vide a expulsão de PT, PSTU e outros partidos). Como de costume, os comentários são o ponto alto da coisa:

    menosvalia ontem

    Dá-lhe esquerda caviar, hehehehehe

    CWB ontem

    Que tal um mascote chamado Comuneco? Aquele que assiste à Copa do seu apartamento em Paris e fala só haver a elite branca nos estádios do mundial.

    billy bones 22 horas atrás

    nunca trabalhou, o maior sonho dele é morar em uma universidade pública, e virar peter pan…rs

    Fleur Adoriabelle ontem

    Aaah então todos q estavam na arquibancada são coxinhas e pensam tds essas coisas horríveis? Essa insinuação me soou preconceituosa, com o perdão das minhas palavras. Vc poderia estar lá na arquibancada, isso te tornaria um coxinha? As pessoas que mereceriam ouvir umas são aquelas que estabeleceram esses preços exorbitantes, que impediram que pessoas de média ou baixa renda pudessem ter a chance de assistir aos jogos da Copa. A culpa é delas, e não das pessoas que compraram os ingressos, pelo simples fato de poderem comprar.

    Cururumirim 17 horas atrás

    Só se vende por um determinado valor por que alguém está disposto a pagar. Essa é a magia do livre mercado. Muitos outros poderiam pagar mas não se sujeitaram. Agora pagar quinhentão pra vaiar o organizador da festa é no mínimo excêntrico!!! E quem tava lá e não se identificou até compreende o ridículo da situação.

    Jedi20 ontem

    Se algum “blogueiro” disse que a pobraiada parda gosta da Dilma, o Sakamoto seria o 1º a pedir a cabeça do cara…….qual seria o mascote de quem posta reclamando do capitalismo, digitando de um mac book air ?

    PaGG ontem

    Ai ai, essa esquerda caviar…

    SimoneTh Pereira ontem

    Aiaiaiaii, essa esquerda caviar, mesmo que seja da marca Gomes da Costa, hahahahaaaaa. Chore não Tetê, pro seu “zóinho” não arder!!

    Celso XML 23 horas atrás

    Nessa turma de advogados desqualificados não tem nenhum que defende mensaleiro, tem? E jornalista engajado, que faz de seu note (marca da Maçã, claro, porque esquerda que sobe em carro de som morreu), um apêndice governamental tem muitos? De boa, se era pra rir, não vi graça e se era para ler e pensar, não fiz. Seu texto ultimamente anda cansativo, repetitivo,…… Agora precisamos mandar o Coxeco dar um rolezinho de onde vem alguns “rolezeiros” (só pra ele tomar um banho de gente) e ver se ele consegue voltar com o celular (melhor se for o da maçã também) e a carteira intactos.

    billy bones 22 horas atrás

    tem também o “revoltadeco”; ele tem quase 30, mas continua fazendo Humanas em qualquer universidade pública brasileira; ele nunca trabalhou na vida, mas bate ponto em todos os movimentos e ocupações que tem por aí, afinal é bom pra conhecer umas mina, e descolar um rango. sua perspectiva é se formar até 2018, continuar na universidade dando aulas, criar uma ONG de qualquer coisa, tipo, “ajudar os haitianos desamparados no brasil”, descolar um bom financiamento público, e, quem sabe??, botar os alunos dele pra escrever um blog.

    Wilhelm H 14 horas atrás

    rsrsrsrsrs seu comentário sobre a esquerdinha caviar beirou a perfeição !!!!!

    billy bones 19 horas atrás

    lembrei outra qualidade! ele não tem opinião, é a favor do que o PT mandar: liberação da maconha, aborto, fim das PM, etc…

    billy bones 20 horas atrás

    mas o cara com mais de 40, vivendo do “bolsa intelectual”, “bolsa invasão”, “bolsa blog”, aí, meu amigo…dói lá no buraco do pano, como dizia o moreira da silva, láááá no bolso do contribuinte…

    Cioraneto 16 horas atrás

    Esse coxeco é onipresente? Está em todos os lugares, show do rappa, estádio, rua, aqui em casa..

    shadowcrazy 5 horas atrás

    Nada como apelidos pejorativos mas então, pelo exposto no texto, poderíamos inserir como “novos coxinhas” o prefeito de São Paulo por ter expedido a reintegração de posse do ex hotel Othon da praça da Sé, desalojando inúmeras famílias sem teto que ali viviam ? A dona Marta, ministra da Cultura, por ter promovido às expensas do seu, do meu, do nosso dinheiro um desfile de moda em Paris ? O ex-presidente que nunca deixou de fato o cargo, pela sua garrafa de vinho de 1.500,00 ? E os pobres habitantes da Papuda que nunca souberam de nada e foram injustiçados pelo ameaçado de morte Ministro do STF ? Se sim então, viva o Coxeco…

    Jeferson Romão 4 horas atrás

    Achei o coxeco no show do Rappa

    Como poderá observar no link, foram apenas 16 comentários, a maioria deles sendo contrários e desmoralizando legal a tal animação (aliás, a simples publicação de tal animação já é uma desmoralização a quem a publica). O que o blogueiro fez após tomar tanta lapada? Aquilo que conhecemos de costume: publicou rapidamente duas outras postagens e está tentando soterrar a que o fez passar vergonha. E nós aqui continuamos crentes naquela história de que ele está tal qual aquele velhinho que exibe os órgãos genitais a quem quiser ver e segue fazendo isso porque já foi tão desmoralizado que nada mais tem a perder.
    Segue também o que rolou no Face e também é uma paulada atrás da outra.

  14. Luciano, valeria a pena falar do protesto do Passe Livre hoje em São Paulo bem na hora do jogo entre Uruguai e Inglaterra:

    1) Fechou a Marginal Pinheiros. Logo, podemos dizer que foi feito sob medida para não incomodar os turistas que se dirigiram ao outro lado da cidade;

    2) Teve um veículo da TV Gazeta depredado, mas que foi retirado a tempo de não ser destruído. E aqui podemos considerar que há ódio também contra a imprensa em geral. Duvido que alguém da Mídia Ninja ou assemelhado tenha tido qualquer problema maior;

    3) Houve quebra-quebra em uma concessionária Mercedes/Smart, com prejuízos estimados em R$ 2 milhões (ainda mais quando levamos em conta que esses veículos têm peças bem caras). Fala-se também de um banco depredado, entrando aqui no rotineiro de protestos com black blocs. Diz o Passe Livre que não tem nada a ver com os black blocs, algo que fica estranho se pensarmos que os mascarados estão sempre nos protestos deles e o movimento em questão nunca falou uma palavra contra.

    Pode ser que o PT tenha perdido o controle sobre os movimentos sociais dos quais se utiliza, pois havia um boneco contra o Haddad, mas aqui também pode ser operação de falsa bandeira (vide o começo dos protestos de junho do ano passado, em que também havia o prefeito paulistano sendo chamado de Malddad para subitamente desaparecer dos protestos seguintes, guinados contra o Alckmin. Falando em Alckmin, a pauta dos protestos parece ser mais antitucana do que antipetista, pois se pede a readmissão dos metroviários demitidos após a greve.

Deixe uma resposta