Isabela Raposeiras, um exemplo de dignidade diante da escória moral da espécie humana

27
155

isabella-coffee-lab

Tomei um merecido puxão de orelha de um leitor por ter demorado a falar do caso de Iabela Raposeiras, empresária e dona do Coffee Lab, um laboratório de torra, desgustação e preparo de cafés.

O fato é que após as declarações canalhas de Juca Kfouri e José Trajano atacando a “elite branca” que vaiou Dilma no jogo de estréia da Copa no Itaquerão, muitos se pronunciaram diante de tamanha afronta dos jornalistas petralhas. Isabela Raposeiras foi uma delas. Veja o texto publicado em 16 de junho na página do Coffee Lab no Facebook, que até o momento já teve 19,800 compartilhamentos e 29,000 curtidas:

Descobri na semana passada que faço parte de uma minoria que sofre preconceito e discriminação: a elite branco-europeia nascida no Brasil. Sim, sou branca e, pelo jeito, elite. Tenho uma empresa que emprega (e paga acima do mercado) há 10 anos. Pago TODOS os impostos (motivo de incredulidade e chacota por parte de familiares). Pago no mínimo 3 vezes mais aos meus fornecedores de café, podendo chegar a 5. Poderia ter comprado os caríssimos ingressos para a abertura da copa brasileira. Apenas não o fiz por não apoiá-la desde seu anúncio, anos atrás. Conquistei, trabalhando honesta e enlouquecidamente, cada vitória e crescimento, da empresa e na minha vida pessoal. Não sentirei vergonha pelas minhas conquistas, pelo meu status social, pela minha pele branca. E minha empresa, certamente, faz muito do que o governo deixa de fazer, ajudando famílias, fazendo doações e, especialmente, pagando dignamente – fornecedores e funcionários. Sou parte desta nação, tanto quanto aqueles que têm outro tipo de ascendência ou que sofrem exatamente pela negligência dos que me discriminam. Discriminação é crime e minha voz é representativa, sim.

Acho que já passou da hora de começarmos a empreender boa parte de nosso esforço dialético naquilo que defino como a revisão do estatuto ético do esquerdismo. Em suma, muitos esquerdistas se acham os arautos da moralidade, quando na verdade são verdadeiros criminosos morais.

Um desses crimes morais se encontra no fato deles odiarem o empreendedorismo, mas criarem uma situação onde não se produz qualquer forma de riqueza. Ou seja, todos aqueles que produzem qualquer forma de riqueza passam a ser odiados por pessoas que fingem defender os pobres. Essa postura, representando o cúmulo da depravação humana, é proferida por radicais de esquerda, que deveriam se envergonhar de suas declarações. O problema é que eles se orgulham do que dizem. Costumo dizer que temos parte de responsabilidade nisso, principalmente por não termos sido extremamente contundentes ao denunciar a imoralidade deste tipo de comportamento.

Já vi pelas redes sociais esquerdistas satirizando Isabela por ela ter reclamado de preconceito. Na ótica destes esquerdistas, quem é da “elite branca” não pode reclamar de nenhuma forma de tratamento desigual ou ofensivo. Só que isso encerra mais outro crime moral: a proposta deliberada por tratamento discriminatório. Qualquer pessoa com o menor traço de ética sabe que se um negro não pode ser desqualificado por ser negro, um branco também não pode ser desqualificado por ser branco. Assim como se um pobre não pode ser desqualificado por ser pobre, um rico também não pode ser desqualificado por ser rico. Mas novamente, isto é ética básica, que a extrema-esquerda não compreende.

É hora de compararmos o abismo moral que separa Isabela da extrema-esquerda:

  • Isabela obtem seu dinheiro a partir de seu esforço e talento, radicais de esquerda apenas promovem a usurpação do dinheiro de pessoas que se esforçaram e/ou possuem talento
  • Isabela valoriza o mérito, radicais de esquerda odeiam
  • Isabela pertence a uma moral que diz “se quero algo, corro atrás”, radicais de esquerda cultuam um mindset baseado em inveja destrutiva; isto é, se o outro tem, que este seja odiado pelo que tem
  • Somente as pessoas que geram valor, como Isabela, são capazes de fazer um país ficar mais rico (e, consequentemente, melhorando a vida dos pobres); enquanto isso, os radicais de esquerda só tomam ações que fazem um país ficar mais pobre (como resultado, a vida dos pobres piora – basta analisar a vida dos venezuelanos, cubanos e chineses para notar esta verdade incontestável)
  • Isabela gera valor, os radicais de esquerda destróem valor
  • Isabela valoriza um Brasil para todos, enquanto os radicais de esquerda promovem ódio racial, seguindo ipsis literis o modelo nazista

Lembro, inclusive, que Isabela apenas se comporta como a maioria dos brasileiros. E, é claro, ela recebe menções especiais por ter conquistado sucesso. Mas, em termos morais, ela é igual a boa parte dos brasileiros. E nos mesmos termos morais, completamente oposta aos esquerdistas.

Enfim, quem devia se envergonhar é o esquerdista. É nosso papel demonstrar a imoralidade de qualquer um deles que venha com esse discurso de “elite branca”, promovido por Trajano e Kfouri, e aproveitado pelos líderes petistas.

Estamos moralmente legitimados a excluir de nosso círculo de amizades qualquer um que venha com esse papinho criado por Trajano e Kfouri. Pessoas que usam esse tipo de discurso constituem a escória moral de nossa espécie. Eles não tem absolutamente nada a agregar de valor, e suas ideias, quando implementadas a risca, só trazem destruição, selvageria e barbarismo.

Em um papo reto: quem esse pessoal acha que é para se achar no direito de patrulhar pessoas dignas como Isabela Raposeiras? A reação em favor de Isabela, vista nas redes sociais, é um exemplo de que a moral de uma sociedade civilizada é capaz de vencer o ódio da extrema-esquerda.

Anúncios

27 COMMENTS

  1. Pior que um esquerdista reclamando da “elite branca” é um esquerdista caviar reclamando da “elite branca”. O sr. Juca Kfouri é branco e ganha muito mais dinheiro que a média nacional, situando-o, exatamente, no “grupo” que ele alega existir, e situando com precisão cirúrgica. Que outra prova mais contundente que esta pode existir que mostre mais claramente que esquerdismo é uma patologia mental séria e grave?

  2. Quem é o PT para reclamar ? Esquerda caviar, da roubalheira, do mensalão !! Liberdade de expressão e falar a verdade fazem parte da democracia !!!!!

  3. Quem mora em São Paulo, inclusive, não pode se esquecer de passar a frequentar o estabelecimento dela.

    O Coffee Lab fica na Vila Madalena, um antro de “artistas” e intelectuais de extrema esquerda. Essa é a hora da estratégia de ocupação de espaços. A dona do estabelecimento irá sofrer represálias de alguma forma, não duvidem disso.

    Esse pessoal sabe montar seus locais próprios e ocupá-los. Tá na hora da gente mostrar que sabe valorizar quem se esforça, acredita em meritocracia e não sente vergonha de ser empreendedora.

  4. Grande homenagem Luciano.

    A Isabela Raposeiras poderá ser qualificada como a nossa grande “Rapunzel” da direita.

    Quero vê-la de tranças. Aposto que ficará muito bem na foto.

    ———-

  5. O texto passa dos 6 mil comentários, mas há algumas coisas a se destacar em sua repercussão:

    1) Alguém, possivelmente MAV, criou este Tumblr difamatório. Aliás, essa ferramenta tem sido muito usada pelos marxistas-humanistas-neoateístas contra os que a eles se opõem, como temos visto nos últimos tempos;

    2) Há um perfil MAV chamado Roberto Petralha Urbano que basicamente só escreve os clichês básicos dos MHNs (“vai pra Miami”, “coxinha” e outros). Caso algum dono de página no Face quiser se prevenir dos comentários desse perfil falso, pode até mesmo ignorá-lo de maneira preventiva;

    3) Claro que a maioria dos perfis não é falsa (MAV), porém dá para notar que os MHNs mobilizaram seus otários que fazem o servicinho sujo (também conhecidos por “inocentes úteis”) para ir em peso à postagem da Isabela Raposeiras;

    4) Há uma tônica básica nos comentários desses inocentes úteis, como a de dizer que alguém pagar todos os impostos nada mais é do que obrigação e que isso é o que se espera das pessoas (claro que sem falar de qualquer contrapartida que um governo deva dar para o dinheiro que recebe), bem como dizer que não é mérito nenhum alguém dar emprego a outrem e haver ameaças de boicote ao Coffee Lab. Houve gente que fez coisa pior e comparou a empresária a um escravocrata, além de um enorme grau de racismo antibranco (inclusive oriundo de brancos, dentro daquela otarice normal de se achar culpado por algo que não fez nem teria como fazer). Pode ser que haja um orquestramento em níveis mais próximos dos diretivos e isso tenha gerado o transbordo para os tais inocentes úteis que fazem a coisa toda sem saber por que raios a estão fazendo;

    5) Falando em MAV, o Jefferson Monteiro, responsável pelo Dilma Bolada e cooptado pelo PT (a ponto de falar no Camping Digital do partido) deu uma de militante virtual:

    http://twitter.com/midiacrucis/status/478642827623424000/photo/1

    6) Seria uma boa oportunidade para os anti-MHNs que gostam de café irem frequentar o tal lugar, a exemplo do que os americanos contrários ao marxismo-humanismo-neoateísmo fizeram no Chick-Fil-A.

    É preciso perguntar o quanto desses revoltadinhos online são da conta do pseudoativismo (fakectivism) e quantos são otários que foram na onda dos pseudoativistas. Falo isso porque o tal Coffee Lab não é empresa grande o suficiente para frequentar conversas corriqueiras como seriam empresas maiores (Café do Ponto, Starbucks e outras) e seu escopo geográfico de influência é limitado (só tem uma loja, que fica na Vila Madalena, e periga de muitos paulistanos sequer terem ouvido falar). Logo, poderia ser a aplicação daquela técnica tipicamente totalitária de fazer pessoas agirem de maneira indiferente a injustiças agindo-se pesadamente, a título de exemplo para quem estiver ao redor, contra uma pessoa ou empresa que não tem tanta relevância assim e gerar o medo do que pode acontecer com outros que agirem contrários ao MHN.

      • Resumo do que foi dito pelo Jefferson:

        “Se você é empresário mas não paga pau para o governo, você merece sofrer todo tipo de humilhação e xingamento.”

    • Quando a empresária faz mais do que o necessário (pagar acima do piso salarial, como ela mesmo diz que faz), ela apenas “cumpre com a sua obrigação”. Quando um politiqueiro populista não cumpre metade do que alegou na campanha: Herói do povo incompreendido, libertador dos oprimidos e etc.

      A tecla repetida incessantemente se prova verdade mais uma vez: Esquerdistas são psicopatas. Pessoas moralmente doentes que devem ser abordadas pela perspectiva psicológica e não sob o debate lógico.

      Eles são capazes de retratarem como “escravocratas” mulheres que, corajosamente saem das suas casas para enfrentar um dos piores locais do mundo para empreender (nenhuma feminista para reconhecer isto! Que surpresa! Reclamam da desigualdade salarial homem/mulher, mas quando surge uma empresária, achincalham-na até ela decidir virar uma professora de sociologia mal paga, que não gera riqueza nenhuma e ainda vive de puxar saco do governo/sindicato). Ou seja, o calo dos esquerdistas não é o fato de mulheres sofrerem desigualdade salarial, mas sim, o delas serem livres para repudiar o seu chorume ideológico.

      Quanto mais eu conheço esse esgoto, mais eu entendo que as suas agendas são justamente o oposto do que são propagandeadas.

      • “Quem nasce para ser Coffe Lab jamais será Magazine Luiza.”

        Ou seja, você faz parte da “elite branca paulistana” quando abre uma porra de uma cafeteria, paga bem seus funcionários, reclama do governo atual e “infelizmente” nasce com a pele branca. Por outro lado, você faz parte do “povo” quando puxa saco de um governo comprovadamente corrupto e recebe milhões de financiamento do BNDES.

        Fazia tempo que alguém não me brindava com um discurso tão hipócrita, o sujeito reclama “das elites” ao mesmo tempo em que puxa saco de uma elite mais poderosa ainda! Chamar um sujeito assim de “idiota útil” já tem se tornado extremamente inapropriado, Yuri Bezmenov e seus amigos do politburo que sabiam dar a eles a definição mais certeira: Prostitutas.

  6. Luciano, voltando um pouco à celeuma Reinaldo vs. Trajano, uma semana atrás o indefectível Paulo Nogueira escreveu um de seus textos chapa-branca e, com aquele pretenso ar imparcial e equilibrado, apoiou José Trajano. Pois bem, hoje o Viomundo reproduziu esse texto e, ao final, acrescentou um dos PS mais nojentos já vistos, apoiando a nota oficial em que Alberto Cantalice pede a cabeça dos jornalistas independentes.
    Deixando aqui só pra constar. É inacreditável como, neste Brasil petista, jornalistas alugados se unam para apoiar tentativas de censura e intimidação a colegas de profissão. Espero que no futuro os brasileiros se lembrem de que houve uma época em que aqueles que exercem a opinião pediram o cerceamento da opinião alheia em troca anúncios estatais:

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/os-que-promoveram-caca-as-bruxas-agora-reclamam-de-lista-negra.html

  7. Republicou isso em brasil, um país de Merdae comentado:
    Eu ia escrever sobre a Isabela Raposeiras, mas não vai mais ser preciso. É bom que os brasilóides (essencialmente os mais retardados, que odeiam empresários) leiam e tomem uma consciência mais decente sobre o direito de insatisfação, independente de classe social ou cor de pele.

  8. A esquerdalha grunhe tanto essa de ”elite branca”, que Isabela Raposeiras, indignada, sendo branca, decerto deve ter assimilado essa expressão depreciativa do Lula, pelo tanto que se ouve. Isso mostra o poder hipnótico da repetição. Um MAV a ridicularizou por causa disso. É o bullying politicamente correto. O PT vive contendendo classes e ”raças”, num mutualismo nazicomunofascistas – redundantemente é isso que o PT é. Os ”camicie nere” estão por todos os lados. Alguns outros internautas escreveram que ela havia perdido clientes, que a boicotariam. Quanta intolerância! Dizer a verdade pode custar caro a uma pessoa.

    Se fulano não gosta do serviço de uma loja, ou restaurante, ou açougue, ou mecânico, é normal quando um beltrano chega para ele e diz que usufruirá ou precisará de um desses serviços; e ele, o fulano, reclama de um determinado serviço, dito pelo beltrano, e alerta-o contra. Até aí normal. Mas a coisa torna-se – como num Estado policialesco – o mais sorrateiro denuncismo, reforçado pelo politicamente correto e falso moralismo. Quantas vezes já não se viu certos grupos anunciarem boicotes a empresas ou produtos simplesmente por um motivo ideológico!

    Não lhes basta só boicotar, têm que destruir e defenestrar a pessoa, tem que acionar a justiça, tudo isso para ferrar com a pessoa, cassando-a, e talvez retirando-lhe direitos, como não conseguir mais um emprego e discriminá-la, a discriminação politicamente correta. Isso é absurdo! Se um turco tem uma excelente cafeteria, porque um grego desavisado, depois de degustar um bom café e tomar conhecimento do dono da cafeteria, ou de suas idéias (como acontece), lhe anunciaria boicote? Em caso de racismo, alguém que faz pouco de uma ”raça”, ou faz uma piadinha – o que afeta a muitos -, a pessoa certamente se sentiria mal vinda. Mas como racismo é crime e dá cadeia… Mas em outros casos menores quer-se fazer o mesmo, sujeito é rejeitado ou despedido, por exemplo, por apoiar e torcer pelo Corinthians e coisa e tal, como da idéia do Sakamoto de desclassificar as seleções por causa do ”racismo” ou dos chistes ”homofóbicos” da torcida.

    Os gayzistas já se utilizam disso, boicotando cristãos que não os atenderem. Mas invertamos a coisa; como ficaria se um cristão decidisse, como no filme gay do Wagner Moura, ignorar, usar o pescoço, ou se ignorado por um gayzista – vale lembar que um gayzista na Câmara dos deputados bradou que ”todos os evangélicos devem ser queimados” -, ao menos reclamasse? Certamente que eles usariam o duplo padrão de sempre.

    O Brasil, nesses últimos anos de PT, nunca foi um Estado tão policialesco. Aonde chegaremos com isso? Ah, e essa desse Jeferson Monteiro, hein? Que cínico! Eles odeiam o empreendedorismo, mas não sabem criar riquezas. Se Isabela Monteiro emprega 50 trabalhadores, até que ela mereceria o Nobel, o Nobel do empreendedorismo, tão desestimulado e burocrático, enquanto Lula e Dilma empregam 20 milhões não sei aonde, só se for na China ou em Cuba, quando as empresas daqui não aguentam competir e pedem o penico. Outrora eu assisti ao Guilherme Boulos, com aquele jeito revolucionário histriônico, dizendo do Armínio Fraga, que seria a volta do neoliberalismo e da recessão. A economia brasileira já é uma das mais fechadas do mundo esse um louco vem falar isso.

  9. Certamente aqui a esquerda politico-partidaria não adere à centro-esquerda européia: o melhor socialismo é aquele usufruído por toda a população, ou seja, a democratização do capital economico, financeiro, cultural, artistico …

Deixe uma resposta