Haja saco! Um feminista diz que a mordida de Suárez incomodou por ferir ‘ética’ machista das brigas

24
158

Group D - Italy vs Uruguay

Vejam o nível dos textos que o UOL anda publicando. Escrito por Marcos Augusto Gonçalvez, o artigo “Análise: Mordida perturba por ferir ética machista das brigas” parece ter saído do blog de Joselito Muller, famoso por criar sátiras em forma de notícias falsas. Mas não: o post é sério. Leia:

Temos visto nesta Copa atos bem mais violentos e perigosos do que a dentada de Suárez no ombro do zagueiro italiano Chiellini. Entradas com pé alto na tíbia do adversário, pisões impiedosos no tornozelo, cotoveladas, carrinhos criminosos.

A mordida, porém, é perturbadora. Desestabiliza o repertório da violência futebolística codificada e consentida. Evoca pulsões primais, fundadoras, psicanalíticas. A formação do ódio e da inveja. O canibalismo. Deve ser interditada como recurso ofensivo.

O que se julgou agora e nas investidas anteriores (é a terceira vez que o rapaz é flagrado com a boca na botija) não foi o “conteúdo” da agressão, mas a forma. Não foi só a violência, mas sobretudo a maneira como ela se expressou.

Há um substrato machista em cena? Impossível desconsiderá-lo. Na “ética” das brigas de meninos não vale morder, beliscar e puxar cabelo. São golpes de meninas. Elas são mais “fracas”, podem recorrer a esses expedientes. Os garotos não.

Talvez tudo isso ajude a explicar um pouco essa fúria punitiva contra a mordida.

Marcos Augusto é mais um exemplo da perda total do senso de realidade da extrema-esquerda.

Não ocorreu à esta figurinha que todos os lances que ele citou são lances do futebol executados de forma leviana: carrinhos, jogos de corpo, pé alto, etc. O mesmo não se aplica à mordidas, pois não existe uma forma legal de se jogar usando os dentes. É claro que a punição deve ser diferenciada.

Também não ocorreu ao infeliz o fato de que Suárez era bi-reincidente. Se ele tivesse sido bi-reincidente em chutar o cu de outro atleta sem disputar a bola, provavelmente teria a mesma suspensão.

Além do mais, onde ele viu “fúria punitiva”? Pelo que se notou, a punição da FIFA foi aplicada de forma bem calma, bem ao contrário da postura de Suárez mordendo o seu colega de profissão em campo.

Ademais, se Suárez tivesse comemorado um gol como uma cheerleader (o que seria um comportamento de menina), dificilmente seria punido. No máximo, daríamos muita risada dele.

Outro delírio de Marcos: segundo ele, na “ética” das brigas de meninos existem certas regras. Será que ele não percebeu que estávamos falando de um jogo de futebol, e não de uma briga de meninos ou meninas?

Como se vê, a lucidez e o texto de Marcos são inimigos mortais. O feminismo não se cansa de nos dar momentos dignos de vergonha alheia.

Anúncios

24 COMMENTS

  1. Muito bom, Luciano.

    Minha nossa, feministas realmente não cansam de passar vergonha com seus “arjumentos”.

    Se o Suárez estivesse de frente para Chiellini e tivesse dado um soco proposital em Chiellini a punição da FIFA seria praticamente a mesma, pois dentes e mãos NÃO FAZEM PARTE DE UM JOGO DE FUTEBOL.

    Zidane levou uma punição mais leve de ter que pagar 5 mil euros, pois já estava aposentado. Se não estivesse aposentado teria uma punição parecida.
    Maradona, como ainda estava em carreira, teve 15 meses de suspensão por ter sido pego no exame anti-dopping pelo uso de efedrina.

    Agressão proposital e agressão maldosa que não seja devido a disputa de bola NÃO FAZEM PARTE DE UM JOGO DE FUTEBOL.

    Será que precisaremos ensinar regras de futebol para homens feministas?

  2. Mordida não é permitida nem em UFC ou MMA. Muitas agressões no futebol decorrem da própria disputa de bola, mesmo com risco de lesões graves ou até óbito.

    Mordidas, ao contrário, não possuem a menor justificativa. São pura traição, vileza, indignidade. Se o articulista critica que homens não aceitem essa atitude infame, na verdade ele rebaixa as mulheres, que, segundo ele, por contraste, não veriam nenhum problema.

    Esse pusilânime, por subserviência, deve, provavelmente, urinar sentado. Deveria se mandar de saia e cuia pra Suécia. Lixo.

  3. Acho que esse cara queria ver este tipo de briga:

    http://www.youtube.com/watch?v=xKDzhfC-etc

    http://www.youtube.com/watch?v=PJiRQsyrBoI

    Porém, como sabemos por aquilo que Sakamoto diz, homens são programados para serem agressivos e que expor sua sensibilidade seria coisa de menina ou de bicha. Logo, você só viu homens nos dois vídeos acima, por mais que seus olhos digam o oposto.

    PS: Luciano, continue com essa série de postagem com a Copa por temática na qual se apoiam os assuntos referentes ao combate ao marxismo-humanismo-neoateísmo, pois estão ficando legais. Sugiro inclusive que você ponha alguma tag de Copa do Mundo até para facilitar a localização dos textos pelos mecanismos de busca e assim conseguir uns pageviews das pessoas que estiverem procurando notícias sobre o maior evento esportivo do mundo.

    • O Sakamoto nunca deve ter tido uma namorada.
      Mulheres são até mais agressivas do que homens, a diferença é que homens são mais fortes do que mulheres. Por isso mulheres apanham mais de homens e homens batem mais em mulheres.

      Quem mais provoca os outros e mais agride “de leve” os outros são as mulheres, mas quem arrebenta a cara dos outros e fica como vilão da história são os homens.

    • Eu até pensei nisso de as mordidas ferirem a ética heterossexual.

      O problema desse meu raciocínio é que as mulheres também não brigam se dando dentadas.

      Elas se arranham, puxam os cabelos, tentam dar porradas e algumas, até voadoras.

      Oras, se morder uma pessoa é ferir a ética heterossexual isso se aplica tanto a mulheres, feministas ou não, como a homens, machistas ou não.

      Nesse ponto, pelo menos, estamos empatados e já que deu empate, não há o que se discutir sobre o assunto.

      O que interessa é que uma mordida dói em quem a recebe e pode, inclusive, transmitir doenças do mordedor para o mordido como do mordido para o mordedor.

      Talvez seja essa questão de higiene que realmente impeça tanto homens como mulheres de se morderem uns aos outros.

  4. Ayan, não tem nada a ver com esse assunto, mas sim com a questão da população carcerária brasileira. Bem, nós com certeza já ouvimos um monte de gente dizendo que a divisão da população carcerária mostra o quanto o Brasil é “preconceituoso, vai atrás apenas de minorias, etc.”
    Procure o seguinte texto no Google, é um link que baixa um arquivo em PDF:
    A seletividade do sistema prisional brasileiro e o perfil da …
    Acho que se botar só isso, você encontra. Neste arquivo, há um gráfico que mostra a divisão das etnias nas cadeias brasileiras. Os negros são maioria, com 60% . Os brancos vem logo atrás, com 37%, eu acho. Já os Amarelos tem 1%, e os índios tem 0%, outras etnias formam 2%. Conclusão:
    A elite dominante no Braisl é na verdade formada por índios e nipônicos !!!!!! Meu Deus, vai avisar isso pros esquerdistas rápido Luciano, eles estão sendo enganados por essas classes pra pensar que também são minorias!!!!!

  5. Eu concordo com o Marcos Augusto.

    Os jogadores não estão sendo politicamente corretos. O zagueiro deveria chegar no atacante com um bilhete em mãos, dizendo: “você se importa se eu tocar com o pé na bola que você está dominando? Aguardo resposta por escrito. Enquanto isso, estou pedindo ao juiz para paralisar o jogo”.

    Bora, né? Os jogos vão começar as 8 da manhã e terminar as 5 da tarde, isso se contarem com uma dose de sorte melhor do que aquela do Julio Cesar teve com a trave, no último jogo.

    Falando sério: é assim que a m____ na cabeça dessa gente trabalha: se agarrar na tábula rasa eventual para justificar o injustificável. E isso acontece em inúmeros aspectos.

  6. Homens feministas são as criaturas mais patéticas que existem. São milhões de vezes mais patéticos que as mulheres feministas, pois vestem a camisa da castração moral e do ódio contra si próprio, que o leva a travestir sua personalidade para se portar como uma tiazona feiosa dos peitos caídos que sai na marcha das vadias com “sexo anal contra o capital” rabiscado com batom no peito.

  7. Tenho a impressão que toda esta avalanche de insanidades mentais da extrema-esquerda, tem como único objetivo saturar as pessoas normais, ao ponto de enlouquecer as pessoas ou tirá-las do sério. E então os acusar de intolerantes.

  8. Pera, pera! Pera ai! Pode parar!

    Esse tal Marcos Augusto Gonçalvez é uma figurinha carimbada mesmo.

    O Bobalhão assinou um atestado de esquerdista “Kururú Xuxuka Fricassê”.

    Quando eu era moleque nunca soube dessa veadagem de “ética machista em brigas de rua”.

    A única “porra de ética” que havia no meu tempo era:
    “DAR A PRIMEIRA PORRADA RAPIDAMENTE E OUTRAS MAIS SUBSEQUENTES”, para que o infeliz oponente não tivesse tempo de reagir com sobriedade mental. Era muito eficiente!
    Hehehe!

    Esse Kururú Xuxuka Fricassê (vulgo Marcos Augusto) se verá em maus lençóis ao ser abordado numa quebrada escurinha da vida.
    Bastará apenas que seja ameaçado com uma voz bem grave, e ai… JÁ ERA!
    Hehehe!

    Essa canalha esquerdalha do tipo “Kururú Xuxuka Fricassê”, já virou uma COMÉDIA.
    Hehehe!
    ———-

  9. Mordida não pode e pronto! Nem em vale-tudo! Será que é preciso desenhar?
    Ah, mas a culpa é dos Estados Unidos, o rapaz está sendo perseguido por ser latino-americano…
    Me poupem!

  10. Tenho achado ridiculas essas criticas a opinião de Ann Coulter sobre futebol . Para mim nacionalismo rasteiro que não podem criticar o futebol , a religião brasileira .Não sei o que tanto gente vem falar mal da Ann Coulter aqui num blog de política.

    • Hannoy, o problema não é a Ann Coulter não gostar (ou fazer que não gosta) de futebol. Se ela simplesmente dissesse “não gosto de futebol”, seria única e exclusivamente a expressão de um gosto, assim como você pode dizer que te agrada ou não um determinado ritmo, um determinado tipo de alimento, um determinado tipo de mulher, um determinado tamanho de cidade ou outras coisas sem que precise explicar muito. Ficasse nisso, tudo bem.
      Porém, o problema dela foi querer arrasar com o futebol sendo que ela demonstrou claramente não entender patavinas daquilo que criticou. E aí ela meteu os pés pelas mãos legal e acabou sendo a combatente do marxismo-humanismo-neoateísmo que todo marxista-humanista-neoateísta adoraria ter pela frente. E quando raciocinamos um pouquinho como um MHN raciocinaria, o referido texto também deixou um monte de penduricalhos aos quais eles podem se agarrar e fazer a festa, tantas as brechas que ela deixou para que a chamassem daquilo que MHNs normalmente chamam aqueles que não comungam de seu credo.

      Eu mesmo já rebati uma por uma cada alínea que ela escreveu e, como poderá ver, até mesmo na Fox News fizeram troça das bobagens por ela escritas. É aquela velha coisa de criticar algo de que não sabe nada por simplesmente criticar. Se alguém vai escrever sobre um determinado assunto em tom crítico, tem de obrigatoriamente saber daquilo que está falando, sob risco de pagar comédia. E foi o que Ann fez, ainda mais quando temos de considerar que a imensa maioria dos conservadores e liberais clássicos do mundo adora futebol e acha extremamente prático o sistema métrico, duas das coisas que ela criticou no tal artigo. Sobre a repercussão do tal artigo, teve quem a chamasse de “troll de si própria”, tão com os burros n’água que ela deu com as tais linhas.

Deixe uma resposta