Mais um peixe morrendo pela boca: Emir Sader e suas confissões censórias

40
165

Emir2

Em um texto na Carta maior (initulado “A democratização da mídia: a mãe de todas as reformas”), Emir Sader entregou a rapadura: em um discurso misturando um sem número de contradições e várias instâncias da novilíngua, ele nos deu mais uma confirmação (como se isso fosse necessário) de que todo discurso dos petistas em prol de “democratização de mídia” não passa de uma proposição pelo pior tipo de ditadura. Aquela ditadura definida pelo cinismo.

Comecemos:

A maior disputa política na sociedade brasileira se dá no processo de formação da opinião pública. Atualmente se dá entre o governo e a mídia privada – assumida como partido político da oposição.

Assumida por quem, cara pálida? Não por pessoas intelectualmente honestas. Quem chama a mídia de “partido de oposição” é o próprio governo. E isso não significa absolutamente nada em termos de validar a alegação de que existe uma mídia “direcionada contra o governo”. Conforme já mostrei antes, é o oposto: a mídia tende a favor do PT. Os petralhas só estão irritados por que a grande mídia se limita a puxar a sardinha para o lado petista. O que eles querem mesmo é devoção…

O Brasil retomou a democracia política no final da ditadura e passa por um processo de profunda democratização social desde o começo do governo Lula. Mas esse processo não chegou aos meios de comunicação, que seguem controlados pelos mesmos grupos monopolistas da época da ditadura.

O termo “democratização social” é vazio e não tem o menor sentido. É apenas um frame lançado à esmo. É como se um traficante começasse a gritar “saúde, saúde para todos” enquanto vende seus papelotes.

Outro ponto grotesco é quando ele diz que os meios de comunicação “seguem controlados pelos mesmos grupos monopolistas da época da ditadura”.

Quem ele quer enganar com esses truques? Nenhuma das emissoras de TV foi criada na época da ditadura militar, à exceção da Rede Bandeirantes. Alias, esta é a emissora que mais apoia o governo petista. No caso dos grandes jornais, todos eles foram criados muitas décadas antes da ditadura. Talvez faltou revisão de texto por parte de Emir. Ou faltou caráter mesmo.

E não haverá democracia no Brasil enquanto não houver democratização dos meios de comunicação, enquanto não houver um processo democrático e pluralista de formação da opinião publica.

O engraçado é que hoje temos um país plenamente democrático (à contragosto do PT, que tenta acabar com a democracia), enquanto Sader diz que “ainda precisa surgir a democracia no Brasil”.

O detalhe é que democracia é um termo que se aplica ao estado: é a participação dos cidadãos nas decisões sobre o estado, não no que deve ser publicado nos meios de comunicação. O termo “democratização dos meios de comunicação” não faz o menor sentido além do uso de um frame para chamar ditadura de democracia.

Outro truque sujo no discurso dessa gente é dizer que é preciso “aprimorar a democracia”. “Aprimorar a democracia”, nos termos do PT, é o mesmo que “aprimorar a virgindade”.

É um fato incontestável: a cada vez que um petista usar termos como “democracia” ou “democratização”, é só prestar atenção para rastrear o embuste.

Não houvesse essa ação anti-democratica da mídia privada, a disputa eleitoral teria um desenlace abertamente favorável ao governo, de tal forma as realizações dos três mandatos do PT superam amplamente as dos governos tucanos. Mas as pessoas decidem pela opinião que se formam e a mídia influencia, pelo menos a amplos setores da classe média.

Vamos supor, a título de argumento, que realmente a mídia privada tivesse um viés anti-PT. Não tem, como já mostrei. Mas vamos supor que tivesse… No que isso conspiraria contra a democracia? Nos Estados Unidos, a maioria das emissoras apoia o Obama, enquanto a Fox News é pró-republicana. Isso não tem absolutamente a ver com existir ou não democracia.

De novo: democracia só tem a ver com a participação do cidadão em relação as questões do estado, e não em relação aos meios de comunicação.

Na verdade, a única forma pela qual o termo “democratização dos meios de comunicação” poderia ter qualquer sentido seria pela eliminação completa do estado no que diz respeito à distribuição de concessões, que não poderiam mais ser públicas.

A confissão de Emir Sader também é clara: uma mídia “democrática” é aquela que apoia o governo. Uma dica de um investigador de fraudes para um fraudador intelectual: não cometa deslizes e atos falhos tão explícitos como esse, pois as vezes prefiro que minha investigação seja mais desafiadora. Mas com uma confissão dessas, tudo fica mais fácil para mim…

Porém, nenhum desses objetivos [do PT] poderá ser conseguido se não se conseguir conquistar mentes e corações das pessoas, se não se democratizar os meios de comunicação, para que todos os pontos de vista tenham espaços de maneira equilibrada.

Conforme já mostrei antes, a grande mídia possui um viés petista, embora ainda consiga permitir opiniões de adversários do PT. O que Sader chama de “espaços de maneira equilibrada” é a proibição absoluta de qualquer dissidência poder se expressar por esses meios.

Como ele mesmo disse, é preciso “conquistar mentes e corações”. Ditaduras não conseguem fazer isso se não censurarem a mídia.

Por exemplo, no debate sobre financiamento público de campanha, já sabemos, por colunistas da velha mídia, que vai tratar de desvirtuar o debate com a interpelação: vocês querem que o imposto financie a campanha dos políticos e dos partidos?

Observe como pensa um censor. O questionamento sobre o uso de nossos impostos para financiamento de campanhas de políticos é tanto um questionamento legítimo como um apontamento dos fatos. A não ser que Sader queira nos tentar provar que o dinheiro público das campanhas cai do céu. Como ele não é cara de pau a ponto de fazer esta alegação, chama o apontamento dos fatos de “desvirtuamento do debate”. A ética dele, de fato, é a ética de um censor totalitário.

Por isso a democratização dos meios de comunicação é a mãe de todas as reformas, porque só através dela é possível alterar a luta das ideias, convencer a maioria da sociedade de que é preciso democratizar radicalmente a nossa sociedade, superando a preponderância do poder do dinheiro, existente hoje. O governo tem um substancial apoio popular, especialmente por suas politicas sociais. Mas para que se consiga hegemonia é indispensável construí-la através do convencimento, da persuasão, da consciência das pessoas, o que só se consegue mediante espaços democratização de informação e de debate.

Traduzindo: por tudo isso, nada é mais importante para o PT do que censurar a mídia, pois só a partir desta censura é possível que  o partidão consiga modificar radicalmente o senso comum da população a seu favor (mesmo com uma crise de larga escala à porta), fazendo uso do poder do dinheiro estatal para definir o que pode ou não ser divulgado. O governo enfrenta seu pior momento em termos de popularidade, especialmente por usar tão mal o dinheiro público. Para que eles consigam a hegemonia é indispensável que façam mão das técnicas de reforma do pensamento em larga escala, o que só é possível, na atual situação grave em que se encontra nossa economia, a partir da implementação da ditadura, o que o governo tenta fazer a partir da censura sutil aos meios de comunicação.

É para propor esse tipo de canalhice que Emir Sader criou um texto com tantos estratagemas desonestos.

Anúncios

40 COMMENTS

  1. Eu ainda tento entender o que significa “democracia” na cabeça de um esquerdista quando ele fica repetindo ad nauseam isso em seus textos sobre o Marco Civil.
    “Democracia” para o asno do Emir Sader deve ser todo mundo pensar o mesmo, sem oposições ideológicas e nem oposições administrativas ao governo em vigência.
    “Democracia” para esse asno deve ser quando grupos histéricos que não representam nem 10% da sociedade brasileira são nomeados pelo próprio partido que os criou e os alimenta com verbas públicas para representar a “voz do povo” igualzinho os sovietes na antiga URSS.

    Muito bom, Luciano.

    • Pensei algo similar.
      Devemos ensinar ao povo. Quando um petralha fala em “Democracia” ele fala na verdade de “Controle Estatal”. Substitua, aplicando a devida correção contextual, democracia por controle / controle estatal e o texto do petista simplesmente assume todo o seu sentido.
      É de se considerar, também, que o termo “monopolistas” se traduz como “eles não querem NOS dar o controle”.
      Vendo por esse ângulo, um petralha enxerga que democracia é o grupo DELE dizer como as coisas tem que andar, quando pela própria etimologia da palavra o povo deveria ter todo o direito de falar o que quiser.

      Os petralhas já não conseguem mais segurar seus dedos. São como cachorros presos pela coleira, pouco distantes do tão sonhado osso, e que simplesmente não conseguem parar de latir. Eles simplesmente estão entregando todas as suas intenções com esses textos.

      É uma pena que o índice de analfabetismo funcional, no Brasil, é de no mínimo 50%.

    • Douglas, para esses carcinomas sociais, o termo “democracia” tem o mesmo significado do contido em nomes de estados comunistas ANTIdemocráticos, caso da Coréia da Norte, caso da ex-Alemanha Oriental. Ou seja: mentirinha, pessoal …

  2. Dá-me calafrios sempre quando escuto, da boca de um comunista, a palavra Democracia.
    Essa gente não tem noção do que se trata democracia. Só sabem destruí-la na prática.
    Nada do que eles propõe é baseado na experiência, ou, nos costumes.
    O controle sempre de seu grupo sobre tudo sempre é a finalidade, nunca foge dessa regra.

  3. [OFF]
    Luciano, poderia me dar uma opinião? Teve essa greve de professores do RJ (que inclusive se deram muito mal – receberam salário com desconto de todos os dias parados). Está tendo MUITA greve desse grupo de trabalhadores. Eu estava pensando em ficar do lado deles, mas aí eu lembrei que estamos no Brasil, e temos um dos piores índices educacionais, é risível. Alguns poderiam culpar a infra estrutura, mas isso é educação e não medicina, DÁ pra fazer o negócio andar mesmo com estrutura precária. Usar a infra pra justificar o baixíssimo rendimento do brasileiro é simplesmente uma desculpa.
    Vendo por esse lado, fica difícil dar crédito a esses professores: fazem um trabalho horrível, porém exigem melhores salários e condições de trabalho. Óbvio que ninguém deve ser mal tratado e ficar quieto, mas não seria muito mais louvável se os professores entregassem alunos capacitados para então pedir ajustes? Obviamente excluo do comentário professores dedicados, conheço alguns que fazem milagres com seus alunos.
    Há de se ponderar que do ponto de vista político, os professores CUMPREM seu papel de alienar a população para que a esquerda lance seus discursos sem ser replicada; sendo assim, do ponto de vista político não há razão para aumentar gastos com professores, são idiotas úteis que cumprem seu papel.

    • Assim como ocorre com os professores, ocorreria com qualquer organização.

      A partir do momento em que os professores não são AVALIADOS por seu desempenho, a tendência é que caiam mesmo. E eles tendem a seguir um currículo que valida a doutrinação.

      Acho que deveríamos exigir critérios de validação (por parte do estado) dos professores antes de julgá-los como merecedores ou não de algo.

      • Como avaliar o desempenho do professor ? pela aprendizagem do aluno? números de alunos aprovados na serie escolar? projetos educacionais e culturais durante o ano ( projetos para doutrinação da esquerda )? O governo do Rio de janeiro faz avaliação coletiva dos professores , a avaliação depende de quantos alunos a escola passa de series\(fluxo escolar) , o projeto politico da escola e o resultado das provas externas(saerj,) feita pelo governo( usando questões para doutrinação de esquerda),dessa forma professor bem avaliado é quando passa os alunos sem méritos , essa é meritocracia que Reinaldo Azevedo e outros da direita defende? acredito se estivesse dando aula no estado do Rio de janeiro não concordariam com meritocracia que governo pratica . Vou nas assembleias do sindicato dos professores e vejo que 99,9999% é da esquerda, é grupo feminista , de revolucionário . Eles pensão ou fingem que a meritocracia feita pelo Estado é por ordem do banco mundial ( neoliberalismo na mente deles) . o sindicado é controlado pela esquerda isso é fato, mas um professor de direita pode frequentar as assembleias para marcar posição e até para entender eles?por isso vejo que os dois lados estão errados nessa questão.o sindicato é contra a meritocracia que o governo pratica, que na realidades eles deviam ser a favor porque e feita para doutrinação da esquerda, valoriza projetos de cidadania voltados para politica de gêneros, meio ambiente e outros temas da agenda esquerdalha . e os jornalistas de direita é a favor da meritocracia que governo pratica que na realidade era para ser contra.

      • Ao “Professor de Matemática”.

        Caro Professor de Matemática, eu fico, cá com meus botões, tristemente imaginando o grande e deprimente conflito que se instala na alma de um matemático com essa monstruosa palhaçada do marxismo cultural. Pois no meu tempo de escola e universidade tive a esplendorosa sorte de escapar dessa arapuca.

        Como pode, nesse ambiente, um matemático íntegro ensinar a seus alunos os limites da razão e da lógica, que foram magistralmente demonstrados por Kurt Gödel nos famosos Teoremas da Incompletude ou Indecidibilidade, e que por sua vez fundamentam o famoso Paradoxo de Gödel?

        Como poderão as futuras gerações de brasileiros abordarem a problemática conjunta do Paradoxo de Gödel e do Indeterminismo Quântico, se nem ao menos saberão formular intelectualmente tais questões?

        O “Brasil novo” da “nova era”, do “progressismo socialista” e da “igualdade social” será povoado por uma turba estúpida de militantes marxistas produzida nas “universidades-fábricas” de imbecis ideologizados.

        Os pensadores, matemáticos, cientistas, engenheiros, políticos e afins serão, então, convocados a vir pra cá de fora, de outros países, mas como eles são inteligentes, então certamente não virão.

        E o tal “Brasil Varonil” que já se tornou um imenso canil, tornar-se-á, subsequente e consequentemente, o maior chiqueiro de porcos comunistas do mundo inteiro.

        O Brasil é o país do futuro sim! Do tenebroso, “chiqueiroso” e fétido mau futuro!

        PS.: O meu neologismo “chiqueiroso”, se me permitem, foi introduzido no texto graças ao meu bom humor, que ainda esmero-me muito por mantê-lo.
        ———-

      • Ao Professor de Matemática.

        Por favor professor, dedique um pouco mais de seu tempo ao estudo e ao aprimoramento da linguagem e em especial da Língua Portuguesa, afinal o senhor deu evidências de estar muito carente nesse quesito, pois como professor de matemática o senhor deveria saber que é absolutamente necessário dominar a linguagem como condição precípua, ou a priori, para outros aprendizados posteriores, e a matemática inclusive.

        Abs.

        Apolo.

    • Algumas semanas atrás, saiu na CNN uma discussão semelhante, sob o título “Students win, tenure loses” em livre tradução: “estudantes vencem, estabilidade perde”, onde estudantes da Califórnia ganharam processo contra o governo estadual, contra a estabilidade dos professores, questionando justamente a qualidade de ensino.

      eis o link (texto em inglês):

      http://us.cnn.com/2014/06/12/opinion/robbins-california-teachers-tenure/index.html?hpt=hp_t4

      • No caso do Brasil, boa parcela da culpa é do Professor. É normal esperar uma percentagem de alunos atrasados, mas no Brasil isso é regra geral, escapando geralmente alunos dedicados ao estudo, que normalmente conseguem bom desempenho mesmo sem auxílio de professor. Se é regra geral então o professor não está fazendo o trabalho direito.

        Agora essa tua conclusão sobre o texto… -.-”

      • e se considerar que greves de professores que prejudicam estudantes menores de idade violam o Estatuto da Criança e Adolescente, pode-se sim culpa do professor.

  4. Só de o Prof. Emir usar o termo hegemonia em seu texto, ele já deixa claríssimo que quer a dominação dos meios de comunicação ao PT.

  5. Esse sujeito é completo: erra de forma ridícula tanto no conteúdo quanto na forma. A redação ruim (péssima, na verdade) só fica em segundo plano porque o conteúdo consegue ser ainda pior. Patético como sempre.

  6. Luciano, tens como fazer um artigo sobre esse candidato a vice-presidente, o Sr Aloysio Nunes, que vai concorrer junto com o Aécio Neves. O que você acha do fato do cidadão ter sido ‘camarada’ ou ‘cumpanheiro’ de Marighela? Já ando ouvindo o ranger de dentes de muita gente da direita (pelo fato da direita ter em Aécio a única opção de bloquear o PT). Será que havia escolhas melhores? Ellen Gracie, por exemplo?

    • No momento, vou me abster um pouco de comentar as cagadas estratégicas do PSDB. Eles já se atrapalham suficientemente, não sou eu que vou atrapalhá-los mais. Mas realmente a Ellen Gracie seria melhor.

      • Jac…

        A grande maioria dos que lêem essa porcaria são analfabetos, não gostam de ler nem escrever, a não sr que tenha alguém dircordando, pra eles poderem fazer um copy/paste de “coxinha, facista, mimimi”, ninguém vai se dar ao trabalho de (tentar) escrever nada…

  7. Quando ele diz DEMOCRACIA, leio CONTROLE.
    É muita confissão para um texto só. Me dá ora sono ora náuseas.

    “A ânsia de salvar a humanidade é quase sempre uma desculpa para a ânsia de governá-la.” [ H.L. Mencken ]

    Controle, Poder. Só isso.
    Vamos torcer para não terem êxito em mais esse golpe.

  8. O comunismo é como um buraco negro querendo engolir a tudo e a todos. E o pior é que muita gente ainda acha que é com boas intenções.

  9. A esquerda se apropria dos termos e dão significados absolutamente descolados da realidade. Um grupo de extremistas quando vai à rua e depreda patrimônio público, privado, fecham ruas, fecham o metrô e promovem todo o tipo de desordem, está, no fundo, apenas impondo seus desejos particulares a margem da lei e da democracia, impedindo pessoas de circularem nas ruas, de irem para casa, de irem para seus empregos, de cumprirem seus compromissos, de preservarem seus bens, sua integridade física, e, eventualmente, até sua vida. Pois a esquerda tem o cinismo de chamar estas ações proibitivas, que paralisam a vida de milhões cerceando o direito de ir e vir livremente, por meio da força e violência, de “livre” manifestação. Não, isso não é liberdade, é apenas mais um caso de distorção do significado desta palavra, no fundo, ações como essa são apenas casos de “ditadura da minoria”. Quando algum esquerdista falar em liberdade, substitua a palavra imediatamente por este termo. O mesmo vale para “democracia” e “igualdade”.

  10. Toda vez que alguém fala em “monopólio da mídia”, me da vontade de ensopapar quem falou. Monopólio, de onde eu venho, quer dizer UM. SÓ UM! Isso existe em Cuba.
    Aqui temos Globo, Record, SBT, Band, fora as nanicas. E ainda tem a TV Brasil, um dos maiores cabides de emprego do país. Centenas de revistas. Dezenas de jornais. Cadê o “monopólio”?
    Ah, vão se catar! Ou melhor, vão tomar no c*!

  11. Ótimo hangout com Olavo de Carvalho, Alexandre Borges, moderadores do liberalismo da zoeira e bolsonaro zueiro e uma breve participação do Danilo Gentili:

  12. O PT persegue a hegemonia desde a sua fundação. Se vai conseguir alcançá-la, só depende de nós. Do nosso voto.
    Emir Sader é um dos mais refinados representantes da miséria intelectual que devasta o Brasil.

  13. Sou professor de Geografia de escola pública e reconheço que boa parte dos professores, especialmente os das séries iniciais do ensino fundamental, tem grande parcela de cupa pelo péssimo ensino e deficiente aprendizagem que temos no Brasil, independentemente de salário e condições físicas das escolas públicas. Muita gente que não é do meio pensa que a maioria das escolas públicas no Brasil está caindo aos pedaços, que não tem as mínimas condições para se ministrar uma boa aula. Isto não é verdade. A maioria oferece boas condições de infraestrutura aos professores e alunos. O principal problema é a precária formação intelectual ou acadêmica da GRANDE MAIORIA dos professores da rede pública do Brasil aliado ao desinteresse de boa dos alunos em querer estudar e aprender alguma coisa seja de que disciplina for.Quanto a salário, conheço professores de escolas públicas que ganham mais de 6 mil por mês e nem por isso são ótimos professores ou dão uma boa aula. Não relação de causa e efeito entre salário alto do professor e elevada qualidade de ensino.

  14. Aqui no Pará onde moro, um professor da rede estadual de ensino, em inicio de carreira e apenas com graduação, trabalhando menos de 6 horas por dia de segunda à sexta, ganha 3.500 reais por mês já descontados imposto de renda e contribuição previdenciária. Muitos tem dois empregos e auferem algo próximo de 7 mil por mês trabalhando em escolas estaduais e municipais com infraestrutura melhor do que as de escolas particulares. Agora verifiquem o ranking nacional sobre qualidade de ensino de escolas públicas e vejam em que posição se encontra o Pará.

Deixe uma resposta