Cynara Menezes acusa seus oponentes daquilo que ela faz

36
88

maxresdefault

Há poucos dias atrás, a página de Facebook Meu Professor de História Mentiu pra Mim foi novamente derrubada pelas militâncias virtuais da extrema-esquerda. Não foi a primeira vez.

O estopim foi a divulgação do post “O professor de História da articulista da Carta Capital mentiu pra ela”, onde Cynara Menezes é refutada sem dó nem piedade. A quantidade de desmascaramentos feitos em relação aos embustes de Cynara é tão completa e assertiva que chegou a superar (em termos de completude e abrangência) os tratamentos que fiz à rotina “nazismo é de direita” aqui neste blog.

Indignados diante de tamanha humilhação (é, como eu digo: a verdade e o esquerdismo são inimigos mortais), a solução foi derrubar a página do refutador, a quem me referirei pela alcunha Aluno de História, mesmo nick utilizado por ele no Twitter. (Outro ótimo texto dele nessa questão é A esquerda brasileira treme diante da disseminação da verdade sobre o nazismo, feito há um ano atrás)

A derrubada da página é mais uma vergonha moral para a extrema-esquerda, que pode ser acusada novamente de censura diante de quem aponta os fatos contra eles. Também é bem interessante que o movimento de derrubada da página surgiu após a publicação do post citado no início deste artigo, em 29 de junho.

Diante destes novos fatos, os esquerdistas deveriam morrer de vergonha, certo? Errado, pois Cynara resolveu usar o truque de se fingir de vítima, simulando que a identificação de um fato (esquerdistas derrubaram a página depois da publicação do post refutando o truque “nazismo é de direita”) seria uma acusação contra a própria Cynara. Primeiro, veja o que o Aluno de História escreveu.

cinic1

Observe que não havia acusação nenhuma contra Cynara, mas sim contra pessoas que não gostaram do conteúdo (sejam eles seguidores da Cynara ou não, ou até a própria Cynara). Dona de um cinismo apavorante, Cynara finge que a acusação foi contra ela. Tudo para fazer a encenação abaixo:

cinic2

Fica evidente que ela fingiu que a identificação dos fatos – lembre-se que após um post do Aluno de História refutando o nazismo ter sido divulgado na página dele de Facebook, isso causou revolta entre os esquerdistas, e a consequente derrubada da página – era uma acusação contra ela. Aquilo que comumente se chama de falácia do espantalho aqui é vista na instância da simulação de falso entendimento com o único intento de obter um dividendo político.

Agora, veja este tweet de Cynara, publicado um minuto antes:

cinic3

Prestem atenção neste padrão comportamental: ela não tinha nenhuma evidência contra o Aluno de História, de forma que precisou inventar uma mentira, a de que havia sido acusada de derrubar a página Meu Professor de História Mentiu para Mim. Mas logo em seguida, ela inventou um factóide: a de que os responsáveis pela página derrubada estavam comandando supostos ataques contra ela. E sem nenhuma evidência para isso. Ou seja, ela é a única praticante de calúnia e difamação nesta história. Repare também que aqui ela pratica um crime (calúnia e difamação) e acusa seu oponente do mesmo crime, mesmo sendo este último inocente. Isto é, Cynara usa o jogo “Acuse-os do que fazemos”.

Veja abaixo a repetição do crime de Cynara, 15 minutos depois:

cinic4

Agora ela já começa a praticar a máxima de Goebbels: contar uma mentira várias vezes até ela ser percebida como verdade.

Torço para que a página Meu Professor de História Mentiu Pra Mim seja recuperada. Mas se não for, torço para que seja criada uma nova página. Mas se isso não ocorrer, ao menos um grande serviço ele fez: conseguir extrair de Cynara Menezes um comportamento baseado em mentiras contadas de forma cínica, assim como faziam os melhores propagandistas de gente como Stalin e Hitler. Ela demonstrou simplesmente o padrão nazista/maxista de comportamento político.

Nazistas e marxistas sempre foram parceiros de postura moral. Por isso, foi tão fácil prever que Cynara se comportaria com um cinismo tão monstruoso, demonstrando o motivo pelo qual os países legitimamente marxistas e nazistas conseguiram cometer tanto barbarismo: a partir do momento em que uma ética baseada em cinismo e mentira (usadas como se fossem parte de um método) se estabelece, é só esperar para que as atrocidades em larga escala ocorram.

Anúncios

36 COMMENTS

  1. Cynara Menezes é o pior tipo de anta que existe, aquela que se julga intelectual. Não fala coisa com coisa, em um país sério estaria invariavelmente condenada ao ostracismo…

  2. Ela deve ter um grande público que é sua imagem e semelhança. Eu estava assistindo a “A queda”, um filme alemão sobre os últimos dias de Hitler. Não pude deixar de prestar atenção no cinismo de suas falas: “Os alemães é que escolheram isso, nós não impusemos nada a eles.” Essa gentalha tem um padrão de comportamento absolutamente previsível. É lixo atômico.

  3. Sobre a questão do financiamento de ditaduras por capitalistas eis um ótimo vídeo….

    http://www.youtube.com/watch?v=pIdw87y-oGQ

    O interessante é que desde 1917 os Bolcheviques já vinham recebendo dinheiro do Ocidente, e mais tarde Tecnologia.

    A série Western Technology and Soviet Economic Development composta por três livros é pra matar qualquer chance de algum Socialista-Toddynho restringir o apoio capitalismo apenas ao Nazismo.

  4. Por essa e outras que cada vez mais eu acho que o TIO REI é um imbecil completo de criticar o Snowden e apoiar as tentativas de controle e espionagem da internet pela NSA, ora, se com a internet ‘livre’ isso já acontece imaginem o que os governos fariam com o poder de controlar ela

    • Do que você esta falando cara? Esta usando o mesmo artificio que o Luciano tanto critica dos esquerdistas aqui no blog… Se o “Tio REI” de quem você esta falando é o Reinaldo Azevedo, ele NUNCA defendeu a espionagem da NSA. O posicionamento dele é o de que TODOS os países espionam (inclusive o Brasil) não só os EUA e Snowden é sim um criminoso e traidor do seu próprio país e merece ser julgado e condenado pelas leis americanas. Se fosse um espião Chinês ou Russo a trair seu país que tipo de tratamento ele iria ter? Você por acaso já leu o Livro “Morte de um Dissidente” que conta a história da morte do ex-espião Russo Alexander Litvinenko que após desertar foi perseguido e MORTO por envenenamento radioativo na Inglaterra? A espionagem da NSA impôs algum tipo de controle a internet? me diga qual por favor…

  5. Resposta que eu queria ver ao segundo twíte dela: “@cinaramenezes não promovo ataques pessoais. Vc e a carta capital são insignificantes. prove o que diz ou a processarei por calúnia e difamação. ficou o aviso.”

  6. Caro Luciano.

    Se possível, então por favor, forneça alguns esclarecimentos adicionais, para meu melhor entendimento.

    Essa senhora, ou senhorita, ou outra coisa qualquer, sei lá, essa tal Cynara Menezes é uma personalidade relevante como intelectual e/ou formadora de opinião em grande escala na nossa sociedade? Representa ela algum perigo estratégico concreto? Essa pobre idiota é perigosa?

    Pergunto isso, pois tendo analisado seu texto (dela) e seus argumentos estupidamente pífios, e observando as ameaças estapafúrdias, improcedentes e inócuas de processo que ela fez ao “Aluno de História”, fico imaginando por que devemos nos ocupar de uma imbecil como essa pobre coitada?

    As ameaças que ela fez ao “Aluno de História” são totalmente inócuas do ponto de vista jurídico. E consequentemente não “pegarão” nada para o rapaz. E acredito que o “Aluno de História” esteja gargalhando da enormidade da imbecilidade arrogante dela.

    A impressão que tenho é que ela é apenas uma pobre e estupida mulherzinha inútil, consciente de já estar na triste condição existencial de mera “frutona passada do ponto”, e tentando desesperadamente aparecer, ao menos um pouco mais, antes de seu inexorável, circundante e breve suspiro final. Afinal o maior inimigo dela a essa altura de sua vidinha inútil é, com certeza, a Lei da Gravidade, e ela sabe disso ao constatar, todos os dias no espelho, que suas coisas obsoletas estão “caindo” cada vez mais.

    Meu ponto, Luciano, é:
    Ficar direcionando muitas atenções e energias, com argumentações sérias que propiciam destaque e visibilidade de autoridade intelectual, a vagabundos e vagabundas vigaristas esquerdistas pela internet afora, pode ser considerado como uma estratégia eficiente contra o esquerdismo em nossa guerra política, meu caro Luciano?

    Hey Man! I want to know Man! What do you think about that, Man? Please Man!

    Abs.

    Apolo.

    • Post Scriptum.

      Penso que a denúncia dos ataques virtuais à página do “Aluno de História”, ai sim!, é um procedimento de combate necessário para prover o Fiat Lux à galera da internet.

      Mas perder tempo argumentando com a pobre jumenta…, ai não!

      Abs.

      Apolo.

    • Apolo,

      Ela realmente é insignificante, mas é uma participante da extrema-esquerda.

      Eu não considero este post um ataque a ela, mas uma nova denúncia de um padrão de um jornalista da extrema-esquerda, e a oportunidade para que eu demonstre mais uma vez a ocorrência de um jogo. Neste caso, o post tem fins didáticos.

      A meu ver, na guerra política, o importante é o aprendizado, e este post permite ver a identificação de um padrão.

      Abs,

      LH

      • Também considero este post apenas como uma amostra do modus operandi deles, e como refuta-los sem muito trabalho.

      • Tem um detalhe muito importante, pelo menos para mim e em minha opinião. Não fosse este “post” do Luciano eu jamais teria sabido do ataque feito à página cuja existência, infelizmente, nem era do meu conhecimento. Acredito que eu não tenha sido o único a tirar proveito desta matéria neste sentido e talvez outras pessoas também tenham sido beneficiadas.

        Mais ainda, a resposta que “meu professor de história mentiu para mim” deu à Socialista Maluca, a que tive acesso apenas por causa deste “post” do Luciano, foi, para mim, uma baita lição de História, com referências preciosas e esclarecimentos que nunca vi tão cristalinos sobre um dos motivos porque o nazismo e o fascismo tinham tanto apoio.

        Finalmente, “quod abundat non nocet” – o que abunda não prejudica – o material disponibilizado aqui municia com informação a qualquer um que precise desconstruir as falácias esquerdistas. mesmo não sendo totalmente inovador, sob o ponto de vista da comunidade que frequenta esta página, porque repete argumentos já bastante considerados por aqui, agrega valor, ao reforçar com exemplos a linha de raciocínio que deve ser seguida para desmascarar os esquerdistas.

  7. Minha pergunta: eu, ou qualquer um não envolvido, poderia acusar esta mulher de calúnia e difamação? Saberia dizer isso, Luciano? Eu me proporia a fazer isso, já que há tantos indícios (pra não dizer evidências).

  8. Ayan, não sei se você sabe, mas o “pai” da negação do holocausto era um comunista trotskista (Paul Rassinier)

    http://www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/conpeex/mestrado/trabalhos-mestrado/mestrado-makchwell-coimbra.pdf

    A propósito, o anti-semitismo chegou a ser uma forma de propaganda da antiga União Soviética (sionologia), se apresentando como ciência.Vale lembrar que,o sionismo chegou a ser rotulado como forma de racismo pela ONU graças a URSS (“curiosamente” essa resolução só foi anulada quando a URSS já estava indo para o vinagre).
    Outro fato um tanto curioso.Mahmoud Abbas (um dos queridinhos da extrema-esquerda) fez tese de doutorado em uma universidade da Rússia, defendendo que existou uma relação de apoio entre nazistas e sionistas.
    Claro que Abbas não vai tocar no assunto da 13ª Divisão da Waffen-SS, onde havia soldados muçulmanos.

    http://www.beth-shalom.com.br/artigos/isla_nazismo.html

  9. esquerdista sendo esquerdista, como sempre, pior ainda vindo da cartacapital. valeu pelo texto, espero que mais pessoas se conscientizem o quão ruim das ‘ideias’ são essas pessoas esquerdistas.

  10. Devemos concordar com tudo que ela diz, ou ela chama a POLÍCIA!!! Sim, ela mesma! A PM truculenta, malvada, que bate nos blac blocs!
    PQP!!!

  11. Olá Luciano, na resposta do Professor de História ele desmonta um jogo de esquerda do qual eu também já me deparei várias vezes, o qual chamo de “Dedução de falsa culpa”, que consiste em fazer associações nebulosas, muitas vezes estratosféricas, fazendo jogos de palavras tentando levar a vítima a concluir algo totalmente errado ou incompleto.

    Esse jogo dá certo, por que a essência dele é exatamente como todos os outros jogos de esquerda. Ele tem como premissa que você não tem conhecimento suficiente e que reage as palavras como um cachorro de Pavlov (capitalismo e ruim, empresários são maus, etc). E claro, tem vergonha de ser exposto. Em suma é assim que funciona:

    1) Empresas são parte do capitalismo
    2) O nazismo recebeu apoio de empresas
    3) Logo, só podemos concluir que o nazismo é parceiro do capitalismo e vice-versa.

    É um joguinho bem ridículo dizer “Os nazistas receberam apoio de empresas capitalistas, por isso eles são produtos dos mesmos e logo são de direita”, é a mesma coisa que dizer “A Localiza é culpada por que alugou um carro antes do assassino cometer o crime”. Basta ler a resposta do professor para perceber que o truquezinho deles é ridículo mesmo. Eles adoram dizer que a IBM forneceu maquinário aos nazistas, tentando dar a entender que “fornecer”, é no sentido de dar material mesmo, e não que foi vendido como qualquer outro produto, e que a IBM não vai ficar fiscalizando para que servirão as máquinas compradas. E tem outro detalhe, as máquinas podem ter sido compradas anos antes dos nazistas pensar em utilizá-las para o assassinar judeus. A IBM vende computadores, não bolas de cristal.

    Outro dia debatendo com um esquerdista que insiste em dizer que nazismo é de direita, aplicou essa mesma jogada da “”Dedução de falsa culpa”, afirmando que Mises era fascista, colocando no post somente um trecho que falava que o fascismo tinha salvo a Europa da brutalidade socialista. Como eu tinha lido esse trecho eu colei todo o capítulo como resposta, demonstrando que Mises não era fascista, e sim disse que naquele momento histórico o fascismo representou uma barreira contra a maior ameaça que a civilização européia se defrontava, o comunismo russo, mas que embora aceitando uma margem de liberalismo, o fascismo, ainda padecia dos mesmos erros, como a violência como instrumento de luta política, no lugar do combate de idéias e o controle estatal de todos. Quem lê o capítulo inteiro não consegue concluir que Mises era facista. Ele simplesmente prefiriu um monstro

    Por outro lado, quando você mostra os trechos que Karl Marx sugere a destruição de povos inteiros para implantar o comunismo eles praticam aquele teatrinho: “Hãã”, “Em que contexto?”, “Vc está distorcendo tudo”. Mas lendo os capítulos que contém tais afirmações vc conclui que é exatamente isso que ele quis dizer. Cada vez mais penso que aquela frase “Acuse-os do que vc faz, xingue-os do que vc é”, resume bem a essência dessa gente. E é por isso que adoram controlar mídias, se não fosse blogs como o seu, eles ainda estariam fingindo possuir um conhecimento secreto e que vc não entendeu nada e não teriam que se darem ao trabalho de responder aos seus detratores. Eles preferem apenas calar a boca dos outros, enquanto gritam “diversidade”.

    • Completando a frase inacabada: Ele simplesmente prefiriu um monstro que estava enfrantando outro mais destrutivo. Mas sabia muito bem que não era a melhor solućão a longo prazo.

Deixe uma resposta