Usurpar méritos e inventar falsas culpas: o método do vice-presidente nacional do PT para vender estatização do futebol e censura de mídia

41
183

cantalicegoebbels

Em termos de honestidade intelectual e ética, no discurso petista uma coisa é certa: o que está ruim sempre pode ficar pior.

Parece que eles fazem uma competição interna para vem quem bate o recorde de delírio, cretinice e afronta, o que, pelo fenômeno da histeria, acaba sendo propagado de forma acrítica por uma legião de zumbis.

Só isso explica a postagem abaixo no Twitter de Alberto Cantalice, vice-presidente nacional do PT, postagem esta que tem sido bem recebida pelos militantes do partido:

canalhice

O  discurso, fraudulento e insano até dizer chega, se divide em duas partes:

  1. Dizer que há uma parte ruim da Copa (o fracasso da seleção), e a culpa é da Rede Globo, que é “dona do futebol brasileiro” – e aqui tem a agenda da censura de mídia, pois eles sempre precisam culpar uma grande empresa de mídia
  2. Dizer que há uma parte boa da Copa (o sucesso do torneio) e isso ocorreu por causa do governo petista

Com certeza, os líderes petistas devem cair rolando de rir depois desse tipo de raciocínio. Mas enquanto sua multidão de funcionais não notar, tudo bem para eles.

Quanto ao primeiro ponto, a Rede Globo  não é “dona do futebol brasileiro”. Os jogos são transmitidos por mais de uma emissora aberta, e por duas emissoras pagas. De fato a Globo investe mais em futebol do que as demais emissoras e tornou o esporte um de seus carros-chefes, mas a relação de “propriedade do futebol” inventada por Cantalice é mentira deslavada. É como se a Rede Globo comprasse 70% do catálogo dos filmes da Warner feitos em 2013 para exibição em 2014, e Cantalice afirmasse que “A Rede Globo é dona do cinema”. Não existe “sociedade” neste caso. Os lucros com a venda dos direitos dos filmes ficam com a Warner, não com a Globo.

Alias, se a Globo paga os direitos televisivos para a CBF, significa que é a melhor opção em termos de retorno financeiro. Se a Band pagasse mais, ótimo. Seria melhor ainda para os clubes. Ora, quem paga pelos direitos de transmissão não pode se associar a um “fracasso”, até por que se não fosse o dinheiro investido, aí é que teríamos fracasso de fato.

Mas é aquele negócio: o PT, que quer estatizar o futebol, mais uma vez mostra que não sabe absolutamente nada do riscado. Os clubes dependem dos direitos de transmissão, e sem esse valor, iriam à falência. É assim em qualquer lugar do mundo.

Enfim, a culpa pela escalação de Felipão é da CBF, e não de quem compra os direitos de transmissão dos jogos dos clubes brasileiros. É inacreditável ter que explicar isso por causa de um sujeito cujo partido quer estatizar o futebol a partir de discursos tão mentirosos.

Agora vamos ao que Cantalice chama de “sucesso da Copa”:

  • Estádios entregues: Foram entregues em cima da hora, mas seria o cúmulo se não fosse. E nenhuma construtora era do governo. E se não fosse a pressão da FIFA…
  • Não existiu caos aéreo: Qualquer pessoa que vivenciou o mundo corporativo sabe que existe algo chamado “gestão anti-colapso”. Simplesmente diante de uma iminência de colapso, às vezes existe um “overkill”, onde uma grande preparação é feita para evitar um dano desastroso – presenciei isso há alguns meses, quando vi 40 pessoas sendo alocadas em um projeto que normalmente requeria 15, mas que estava atrasado, com algo risco de perda de um cliente importante. Essas ações extremas evitam o colapso. Foi isso o que ocorreu com as companhias aéreas, que colocaram força máxima de atendimento e planejamento dos vôos. Mérito das companhias aéreas, que são da iniciativa privada.
  • O brasileiro recebeu bem os estrangeiros: E recebeu mesmo! Mas só em Cuba as pessoas são escravas do governo. Aqui, se elas fazem qualquer ação voluntária, esse é um mérito destas pessoas, jamais do governo.
  • Os jogos foram emocionantes, com muitos gols: Sim, mas aí temos o mérito das seleções de cada país. E a seleção brasileira não contribuiu para esses “jogos emocionantes”, a não ser pelo fato de tomar muitos gols na fase final. Mas mesmo se fosse bem, os méritos não seriam do governo. (Aliás, a maior parte dos elogios vindos da imprensa estrangeira falam deste último fator, isto é, do mérito das seleções envolvidas no torneio)

Sendo assim, o PT está comemorando o quê? A Copa 2014 foi o sucesso que foi fora do campo por causa da iniciativa privada corporativa (empresas aéreas, seleções de futebol) e iniciativa individual (cidadãos).

Na parte que tange ao governo, continuamos com as tradicionais altas taxas de violência, péssimo atendimento hospitalar e um trânsito vergonhoso, devido a seríssimos problemas de mobilidade. Alias, os estrangeiros não viram o horror de nosso trãnsito, pois os jogos começaram as 17:00 horas, o que é suficiente para que as pessoas chegando ao estádio não fossem vítimas de um trânsito caótico. Mas quem agendou o horário dos jogos foi a FIFA, e não o governo…

Basta apontarmos os fatos para calarmos a boca de enganadores governistas que queiram vender a ideia de que “a Copa das Copas foi um sucesso fora do campo, por causa do governo”. Esse tipo de discurso governista transcende a escala da mentira comum. É praticamente um recurso típico de Goebbels: uma mentira tão absurda e repetida com tanta constância que muitos passam a tomá-la como verdade.

Em suma, tivemos uma ótima Copa do Mundo, cujo maior ponto negativo foi a Seleção Brasileira. Esse sucesso se deve à iniciativa privada e ao cidadão brasileiro. O governo não conseguiu nos atrapalhar nisso.

[Editado às 20:57 de 14/07]

Anúncios

41 COMMENTS

  1. Luciano, a edição da a impressão de que o Boateng não cumprimentou a Dilma, mas na verdade ele se adiantou é a comprimentou antes de estar de frente para ela. Eu vi o vídeo completo e ele apertou a mão dela sim: da pra ver a manha verde da Dilma e a tala azul na mão direita do jogador.

  2. Aproveitando, Luciano, olhe só o que está “jornalista” argentina escreveu:

    Lejos de los intentos de regionalización comercial y política, y la insistencia de los líderes latinoamericanos en hablar de la Patria Grande, el brasileño medio mutó en un mezquino mercenario.

    Segundo ela, o “brasileiro médio” é mesquinho por torcer contra Alemanha, apesar dos esforços dos governos de se aproximarem (União das Repúblicas Socialistas Latinas?). Mesquinho é um governo que acha que as populações devem deixar de lado suas preferências para se alinhar com suas ideologias políticas. A mídia Argentina já está tão controlada que um comentário como esse é corriqueiro por lá, onde existem centenas de Jucas.

    http://442.perfil.com/2014-07-13-298015-brasil-argentina-te-dice-que-siente/

    Abraços.

      • Oi Luciano.

        Não liga não!

        Eu também cometi esse mesmo “fatídico” deslize, inadvertidamente, naquele “maledeto” post no qual indiquei aquela fotomontagem da Dilma, com as mão erguidas e os dedos médios estendidos para o alto.

        Lembra-se da palhaçada resultante daquilo?

        Pois é! Não liga não!

        Abs.

        Apolo.

  3. Que cara de imbecil tem esse manolo. Discurso antigo de colegial que quer se aparecer como revoltado esse de culpar a Globo pelo que ocorre de errado.

  4. Ai Luciano.

    Nada como fortalecer o espírito e levantar o “moral da tropa”.

    Vai ai um vídeo que considero uma mensagem otimista, um alento de verdadeira esperança, aquela fundamentada nas possibilidades da realidade e embasadas na razão, na lógica e na intuição mais pura e iluminadora.

    FIAT LUX!

    ———-

    Muda agora Brasil – Muda Mesmo.

    http://www.youtube.com/watch?v=1JKE8qeuYOA
    ———-

    • Caro Luciano.

      Se estivermos de fato empenhados em combater os monstros psicopatas do esquerdismo, não apenas no Brasil, devemos direcionar nossa artilharia também e/ou principalmente à ONU.

      A ONU revelou-se uma organização instrumentada por monstros psicopatas para servir de instrumento poderoso aos grupos de intenções tirânicas da “nova ordem mundial”.

      A ONU revelou-se INIMIGA do Brasil e é necessário advertirmos e abrirmos os olhos, não apenas do povo brasileiro, mas também, e principalmente, de nossos “honrados” congressistas, que em sua maior parte são apedeutas estúpidos e bossais, focados apenas em seu mundinho jurássico de politicagens tupiniquin-jabuticabas.

      Para o próximo dia 24/07/2014 será votada no Congresso Nacional matéria de lei para tentar instituir a independência de territórios indígenas, tornando os territórios indígenas como que Estados independentes do Brasil, e solapando vergonhosamente, desse modo, a nossa Soberania Nacional.

      TEMOS QUE PRESSIONAR OS NOSSOS “honrados” CONGRESSISTAS.

      AÇÃO POLÍTICA inserida na PONEROMAQUIA !

      Abs.

      Apolo.

    • Caro Luciano.

      Você que está inserido em processos de formação de novas estruturas partidárias brasileiras, por favor, faça uma avaliação/análise e dê-nos sua opinião quanto a esse novo Partido Federalista. Se possível, e caso você tenha mais informações, então forneça-nos, por favor, mais dados sobre esse novo Partido Político.

      Vai ai, para sua apreciação, um texto de pronunciamento e conclamação do Partido Federalista.

      Antecipadamente grato.

      Abs.

      Apolo.

      ———-

      Decreto 8243: Crime de Prevaricação e Improbidade.

      http://www.alertatotal.net/2014/07/decreto-8243-crime-de-prevaricacao-e.html

      ———-

      Decreto 8243: Crime de Prevaricação e Improbidade.

      Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
      Por Thomas Korontai

      O FEDERALISTAS, partido político em formação, na defesa inarredável da Liberdade, dos Direitos Civis e Naturais, nos quais se inclui o da Propriedade, da Ordem Institucional e pela Descentralização plena dos poderes, com a autonomia aos estados e municípios, diante das ameaças que rondam as instituições nacionais, em especial a inacreditável ousadia da assinatura do Decreto Lei nº 8243/14 pela Sra. Presidente da República, vem a público se pronunciar e conclamar:

      1. O decreto nº 8243/14 firmado pelo Governo Federal impõe duro golpe à democracia e ao que dispõe a Constituição Federal no que tange ao equilíbrio entre os Três Poderes da República – Legislativo, Executivo e Judiciário – com o propósito de neutralizar dois deles: o Legislativo e o Judiciário.
      2. A assinatura deste documento pela Sra. Presidente da República é completamente inconstitucional, em face da vedação imposta pelo Art. 84, incisos IV e VI, alínea “a”, mais o art. 3º e vários outros dispositivos que tratam da Organização do Estado Brasileiro na Constituição Federal. Ou seja, além de o Poder Executivo não poder legislar por se tratar de atribuição exclusiva do Poder Legislativo, um “decreto” deve apenas detalhar lei já existente. Nunca criar nova lei, ou novo regramento. Mesmo as Medidas Provisórias só tem valor jurídico permanente se forem aprovadas pelo Legislativo Federal.
      3. Tal decreto, ao instituir uma Política Nacional de Participação Social com “o objetivo de fortalecer e articular os mecanismos e as instâncias democráticas de diálogo e a atuação conjunta entre a administração pública federal e a sociedade civil” (como descrito no art. 1º do citado documento) impõe a conexão da Presidência da República diretamente com o que denomina de “sociedade civil”, ou seja, a pretensão de “governar com a “sociedade civil organizada” à margem do Poder Legislativo e também do Judiciário. Independentemente das interpretações que se possam dar à tal expressão – que pode até mesmo incluir líderes sindicais, inúmeros “movimentos sociais” e até integrantes de grupos terroristas como MST e outros, mesmo à margem da legalidade existencial – o fato é que o tal decreto presidencial se caracteriza como uma afronta à Sociedade Brasileira e às Instituições. Não pode, um ato complementar à legislação pertinente se sobrepor à própria Instituição Legislativa.
      O Poder Legislativo é soberano e exclusivo exatamente por representar a Sociedade Brasileira, nos termos da Constituição e das leis dela originárias, com base em eleições democráticas. Ou seja, nenhuma das pessoas que integram tais “movimentos”, mesmo eleitas dentro de suas associações, possui qualquer representatividade legitimada na forma da Lei diante da Sociedade Brasileira. Podem sugerir, propor e até fazer campanha por suas ideias, como qualquer cidadão, mas não podem, em hipótese nenhuma, serem guindadas diretamente à condição de representantes da Sociedade Brasileira ligadas diretamente ao Poder Executivo. Isso se caracteriza como uma medida de mais concentração de poderes e um golpe às Instituições com a reprodução conceitual dos “soviets” no início do Século passado, dos quais se originou a extinta URSS.
      4. O Decreto traz inúmeras aberrações jurídicas e pretende ferir de morte a ainda incipiente democracia brasileira. Trata-se de ato absolutamente ilegal e sequer deve ser tratado pelo Congresso Nacional e sim pelo Ministério Público Federal, cujo papel é a defesa das instituições nacionais. Por sua clara inconstitucionalidade, pois fere também o artigo 60, Inciso III § 4º, que veda qualquer medida tendente a extinguir a forma federativa do Estado Brasileiro, bem como, o voto direto, secreto e universal, e a separação dos Poderes, os Federalistas conclamam para os seguintes pontos:

      a) Que o Ministério Público Federal, no cumprimento de suas funções, ingresse imediatamente com uma medida judicial no Supremo Tribunal Federal, suspendendo em caráter liminar a eficácia de tal Decreto, “in totum”,

      b) Que o Senado Federal instaure, na forma da Lei, o impeachment da Sra. Presidente da República, por improbidade e prevaricação, perfeitamente definidos em lei, uma vez que o Decreto nº 8243/14, assinado pela Presidente, é ato de detalhamento de lei já existente, como define a norma constitucional, e jamais a substituição e/ou sobreposição de lei, muito menos ainda, com a ousada pretensão de desorganizar os Três Poderes instituídos. À Presidência da República é permitido propor leis ao Congresso, jamais substituí-lo!

      c) Que os cidadãos brasileiros se movimentem firmemente das mais diversas formas, seja acionando seus representantes no Congresso Nacional e das demais Casas Legislativas em todo o País, seja por meio de suas entidades de classe, explicitando clara e objetivamente a contrariedade a tal ato precursor de um governo totalitário.

      Thomas Korontai é Presidente do Partido Federalista.

      ———-

      • Grato Luciano, pelo retorno.

        Eu também gostei da ideia deles.

        Mas fiz questão de indagá-lo exatamente porque você se dedica bastante a esse ramo de estudos políticos e ciência política. E, desse modo, nada melhor que a opinião de quem esteja se dedicando e estudando a fundo uma particular conjuntura, para podermos ter uma avaliação melhor da realidade, sabermos o que está em curso no momento, ou como dizem os americanos: “To Know what’s going on”.

        Abs.

        Apolo.

    • Ai Luciano.

      Pondé mata a cobra e mostra o pau.

      ———-

      Amarelou.

      http://www1.folha.uol.com.br/colunas/luizfelipeponde/2014/07/1485431-amarelou.shtml

      ———-

      Amarelou.

      Acho excessiva a ideia de que a derrota (merecida) do Brasil para a Alemanha demande cuidados especiais para com as crianças ou os adultos. Afinal, “é só futebol”. Parece-me um tanto ridícula toda essa frescura com o “Mineiraço”. Mas vivemos mesmo num mundo meio ridículo em que todo mundo precisa de “cuidados”.

      A inflação do afeto tornou-se valor. Esses exageros têm um valor evidente: escondem, como todo mundo sabe, o medo. Isso nunca dá certo na vida real. E a seleção amarelou mesmo. Não aguentou a pressão. E o povo esperava apenas uma coisa: sucesso. Não se perdoa o fracasso, ainda que um monte de gente diga o contrário, e diga isso por mau-caratismo ou porque quer vender autoestima.

      Por outro lado, sim, precisamos de cuidados psicológicos para viver. A vida moderna nos brinda com incertezas, ambivalências, dúvidas quanto aos afetos, aos valores, aos horizontes, aos comportamentos. Os modos antigos de vida não servem mais porque (supostamente) não dão conta da complexidade da vida. Já disse nesta coluna algumas vezes que duvido dessa história de que o mundo mudou muito. Acho que tem muito papo furado nessa história de “as novas gerações têm uma outra cabeça” (a frase é ridícula por si só). Mudou o cenário, o enredo continua sendo escrito pelo bobo de “Macbeth”.

      Mas, sem dúvida, “futebol é mais do que apenas futebol”. Não, não estou me contradizendo. O esporte é parte da cultura e, portanto, futebol é, num certo sentido, mais do que futebol. Mesmo que não tenha uma relação direta com o resultado das urnas ou com as decisões de consumo, a seleção é parte do universo de representações culturais que os brasileiros têm de si mesmos. E esse 7 X 1 é mais uma crise de representação num mar de crises de representações no Brasil desde o ano passado.

      E nesse sentido, o futebol, como o grande Nelson Rodrigues dizia, é uma tragédia grega. Cai bem chamar os estádios de arenas, já que os jogares são um pouco como gladiadores. E o comportamento da torcida é um pouco como o da torcida que assistia aos gladiadores na antiga Roma: o povo podia passar do desprezo à misericórdia, ou o inverso, em segundos, caso julgasse que um gladiador ou outro merecia uma das duas atitudes. Um dia a seleção brasileira é inspiração para os jovens, outro dia é alvo de laranja podre. O fã é um infiel por excelência.

      O povo, ao contrário do que a esquerda mentirosa e os marqueteiros dizem (ambos dizem isso por interesses comerciais, só que os marqueteiros são honestos e confessam), nunca foi de confiança.
      Quer um exemplo de que, apesar de todo o blablabá emocional e “psi” ao redor do fracasso da seleção, o mundo não mudou? Vejamos:

      Nas antigas arenas romanas, o povo podia ser misericordioso ou cruel segundo alguns critérios, um deles se o gladiador resistia ou não à pressão da luta. Uma velha virtude em jogo: a coragem.

      Infelizmente, a seleção brasileira não resistiu à pressão. Amarelou. Claro, não jogava bem, bons jogares sem conjunto e tudo aquilo que os especialistas já falaram. Mas, além disso, ficou clara a dificuldade de suportar a enorme pressão de um povo com uma expectativa excessiva em relação à Copa em casa.

      Podemos apontar a diferença entre, por exemplo, holandeses e alemães e seu futebol “científico”, por oposição ao nosso latino-americano, o futebol-arte. Mas tudo isso é passado. Não existe futebol-arte, assim como não existem mais vovôs e vovós (estão todos na academia querendo se parecer com os netos). Mas temo que o problema foi além disso.

      A seleção foi bem representativa da cultura brasileira dos últimos tempos. Chorona, ressentida, delirante, sem resultados.

      Com a era Lula, muitos acreditaram mesmo que sairíamos do buraco com a “bolsa-voto”, casas de graça, carros sem impostos e outras invenções baratas.

      A palavra “autoestima” foi muito ouvida nos últimos tempos, principalmente na Copa. É comum hoje as pessoas acharem que todo mundo (e a mídia também) deve se preocupar antes de tudo com a autoestima das pessoas. Discordo. É este mundo da autoestima que forma os amarelões.

      Luiz Felipe Pondé

      ———-
      Luiz Felipe Pondé, pernambucano, filósofo, escritor e ensaísta, doutor pela USP, pós-doutorado em epistemologia pela Universidade de Tel Aviv, professor da PUC-SP e da Faap, discute temas como comportamento contemporâneo, religião, niilismo, ciência. Autor de vários títulos, entre eles, ‘Contra um mundo melhor’ (Ed. LeYa). Escreve às segundas.
      ———-

    • Ai Luciano.

      Outra “porrada” bem dada pelo Rodrigo Constantino, com palavras de Mario Vargas Llosa.

      ———-

      O Brasil vivia uma ficção dentro e fora do campo, diz Vargas Llosa.

      http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/democracia/o-brasil-vivia-uma-ficcao-dentro-e-fora-do-campo-diz-vargas-llosa/

      ———-

      14/07/2014 às 10:26 \ Democracia, Economia, Política

      O Brasil vivia uma ficção dentro e fora do campo, diz Vargas Llosa

      Nem preciso dizer o quanto admiro Mario Vargas Llosa. Não só o escritor, que é um dos meus favoritos, mas o pensador liberal, incansável defensor da democracia e do livre mercado. Fiquei muito feliz, portanto, ao ver que o Prêmio Nobel de Literatura escreveu em El País um texto que vai exatamente ao encontro daquilo que disse em minha coluna da Veja esta semana. Recomendo veementemente a leitura na íntegra. Seguem alguns trechos:

      […] eu acredito que a culpa de Scolari não é somente sua, mas, talvez, uma manifestação no âmbito esportivo de um fenômeno que, já há algum tempo, representa todo o Brasil: viver uma ficção que é brutalmente desmentida por uma realidade profunda.

      Tudo nasce com o governo de Luis Inácio ‘Lula’ da Silva (2003-2010), que, segundo o mito universalmente aceito, deu o impulso decisivo para o desenvolvimento econômico do Brasil, despertando assim esse gigante adormecido e posicionando-o na direção das grandes potências.

      […] Agora que quer se reeleger e a verdade sobre a condição da economia brasileira parece assumir o lugar do mito, muitos a responsabilizam pelo declínio veloz e pedem uma volta ao lulismo, o governo que semeou, com suas políticas mercantilistas e corruptas, as sementes da catástrofe.

      A verdade é que não houve nenhum milagre naqueles anos, e sim uma miragem que só agora começa a se esvair, como ocorreu com o futebol brasileiro. Uma política populista como a que Lula praticou durante seus governos pôde produzir a ilusão de um progresso social e econômico que nada mais era do que um fugaz fogo de artifício. O endividamento que financiava os custosos programas sociais era, com frequência, uma cortina de fumaça para tráficos delituosos que levaram muitos ministros e altos funcionários daqueles anos (e dos atuais) à prisão e ao banco dos réus.

      […] As obras em si constituíam um caso flagrante de delírio messiânico e fantástica irresponsabilidade. Dos 12 estádios preparados, só oito seriam necessários, segundo alertou a própria FIFA, e o planejamento foi tão tosco que a metade das reformas da infraestrutura urbana e de transportes teve de ser cancelada ou só será concluída depois do campeonato. Não é de se estranhar que o protesto popular diante de semelhante esbanjamento, motivado por razões publicitárias e eleitoreiras, levasse milhares e milhares de brasileiros às ruas e mexesse com todo o Brasil.

      […] Apesar de um horizonte tão preocupante, o Estado continua crescendo de maneira imoderada – já gasta 40% do produto bruto – e multiplica os impostos ao mesmo tempo que as “correções” do mercado, o que fez com que se espalhasse a insegurança entre empresários e investidores. Apesar disso, segundo as pesquisas, Dilma Rousseff ganhará as próximas eleições de outubro, e continuará governando inspirada nas realizações e logros de Lula.

      Se assim é, não só o povo brasileiro estará lavrando a própria ruína, e mais cedo do que tarde descobrirá que o mito sobre o qual está fundado o modelo brasileiro é uma ficção tão pouco séria como a da equipe de futebol que a Alemanha aniquilou. E descobrirá também que é muito mais difícil reconstruir um país do que destruí-lo. E que, em todos esses anos, primeiro com Lula e depois com Dilma, viveu uma mentira que seus filhos e seus netos irão pagar, quando tiverem de começar a reedificar a partir das raízes uma sociedade que aquelas políticas afundaram ainda mais no subdesenvolvimento.

      […] Por isso, quanto mais cedo cair a máscara desse suposto gigante no qual Lula transformou o Brasil, melhor para os brasileiros. O mito da seleção Canarinho nos fazia sonhar belos sonhos. Mas no futebol, como na política, é ruim viver sonhando, e sempre é preferível – embora seja doloroso – ater-se à verdade.

      Acorda, Brasil!

      Rodrigo Constantino

      ———-

    • Blog Vide Versus — Jornalista Vitor Vieira.

      ( http://poncheverde.blogspot.com.br/ )

      ———-

      TUMA JR. PROMETE LANÇAMENTO DO LIVRO “ASSASSINATO DE REPUTAÇÕES II” ANTES DAS ELEIÇÕES.

      http://poncheverde.blogspot.com.br/2014/07/tuma-jr-promete-lancamento-do-livro.html

      ———-

      Vide Versus

      segunda-feira, 14 de julho de 2014

      TUMA JR. PROMETE LANÇAMENTO DO LIVRO “ASSASSINATO DE REPUTAÇÕES II” ANTES DAS ELEIÇÕES

      Depois de vender 100 mil livros, o ex-secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, resolveu escrever “Assassinato de Reputações II”. Ele quer fazer o lançamento às vésperas das eleições de outubro. Ele prometeu revelações ainda mais bombásticas sobre os bastidores do governo Lula. Como não foi processado por ninguém e como também Câmara e Senado não quiseram ouvir suas revelações, ele avisou que o que reservava para Justiça e Congresso irá para o novo livro. De fato, seu primeiro livro só tem de mais significativo, embora mortal, a revelação de que Lula era um alcaguete da ditadura militar, que delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, enquanto seu pai chefiava o órgão e ele próprio era um investigador de polícia em começo de carreira. A revelação fez tremer os petistas, principalmente a chamada esquerda universitária. Ninguém ousou aumentar a voz para fazer a defesa de Lula. Na verdade, a esquerda sempre desconfiou de Lula, desde o começo de sua carreira sindical. Pelo tempo que conviveu com os petistas, e pelo cargo estratégico que ocupou, Tuma Jr. teria muito mais a contar, o suficiente para fazer balançar e cair a chamada “república petista”. Por exemplo, ele poderia falar, e bastante, sobre a Operação Rodin, da Polícia Federal. E outras operações que funcionaram como espionagem política a serviço do PT. Mas não deu qualquer indicativo disso no primeiro livro. Para chamar atenção para o segundo livro, ele precisará mesmo abrir muito mais o seu baú. E, efetivamente, lançar o livro antes das eleições de 5 de outubro, porque depois dela as suas “memórias” não valerão nada. Tuma Júnior também desistiu de disputar uma cadeira de deputado Federal pelo PTN, mas prometeu apoiar que se comprometer a apoiar a proposta de acabar com o uso da polícia em atos de perseguição política.

      Postado por Vitor Vieira às 7/14/2014 03:36:00 PM

      ———-

    • Blog Vide Versus.

      HENRIQUE EDUARDO ALVES PRETENDE COLOCAR EM VOTAÇÃO NESTA TERÇA-FEIRA O DECRETO BOLIVARIANO DE DILMA ROUSSEF QUE PRETENDE INSTITUIR A DITADURA SOCIALISTA NO BRASIL.

      O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse esperar um bom quórum nesta terça-feira para dar início à semana do esforço concentrado antes do início do recesso parlamentar de julho. Mas, as expectativas não são boas, já que a sessão extraordinária marcada para a noite desta segunda-feira começou com o baixíssimo quórum de 97 deputados na Casa, quando são necessários 257 parlamentares em plenário para deliberar. Após semanas de baixa produtividade em razão da Copa do Mundo, Henrique Eduardo Alves avisou que a Câmara retomará os trabalhos com a votação da Medida Provisória (MP) 641, que altera regras de comercialização de energia, e do decreto legislativo que visa barrar os conselhos populares bolivarianos criados pela presidente Dilma Rousseff. Ele disse que o decreto não é mais uma bandeira da oposição e sim um desejo da Casa de colocar para apreciação do plenário. “Não é a oposição, a Casa quer votar. É a Casa que quer se manifestar sobre o decreto e o fará”, declarou. Uma sessão extraordinária já foi convocada para as 12 horas desta terça-feira na tentativa de votar os projetos que seguem na pauta. Às 19 horas está marcada sessão conjunta do Congresso Nacional para apreciação dos vetos presidenciais.

      Postado por Vitor Vieira às 7/14/2014 08:35:00 PM

      http://poncheverde.blogspot.com.br/2014/07/henrique-eduardo-alves-pretende-colocar.html

      ———-

  5. Só uma observação sobre esta frase: “os líderes petistas devem cair rolando de rir depois desse tipo de raciocínio” – Penso que este tipo de pensamento para eles é coisa séria, é tema, é meta, é uma maneira de alimentar os amestrados que repetem isto à exaustão e não motivo de cair rolando de rir.

    É, exatamente este tipo de raciocínio que a petezada declama Brasil a fora, e aqui no Nordeste, é bem isto ai: A Globo é a mesmerizadora do povo.

      • Falando no blogueiro em questão, agora o mesmo vem dizer que seus últimos escritos são irônicos e que os outros é que seriam burros (aliás, bem que o Luciano poderia desmontar essa rotina, ainda que a mesma não seja especificamente marxista-humanista-neoateísta, mas muito usada quando a água bate na bunda de quem começou com os petardos e os mesmos são rebatidos). No afã de dizer isso, contradiz-se ao dizer que não é porque alguém leu Harry Potter que vai se jogar de uma janela montado em uma vassoura, sendo que disse anteriormente que exibir imagens de violência geraria aumento de violência:

        Mas imagens de homossexuais e transexuais apanhando na rua levam a mais homossexuais e transexuais apanhando na rua, de fogo em ônibus levam a mais fogo em ônibus e de gente sendo amarrada em postes levam a mais gente amarrada em postes. O que não é legal.

        Observe-se também que ele aproveita a viagem para também fazer uma pregação versando no N de MHN, só para não deixar o costume. Porém, reclama também de ser feiticeiro atingido pelo feitiço do desconstrucionismo quando diz que os leitores entendem o que quiser de seus textos. E para manter a tônica, vamos aos comentários que detonam o texto:

        PaGG 7 horas atrás

        Um dia o Sakamoto atravessou a rua na minha frente. Meu carro morreu de preguiça… ZZZZZZzzzzzzzz

        CALAMARX 7 horas atrás

        Eu sei:…FICÇÃO : comunismo e socialismo….REALIDADE: capitalismo e liberalismo

        Abraão Soares 5 horas atrás

        Por um mundo onde as pessoas não tenham a pretensão de dizer como a “sociedade” deve ser.

        _L.C_ 2 horas atrás

        Traduzindo o desabafo: Para o colunista todo mundo que discorda dele ou pensa de forma diferente tem “visão limitada” do mundo e são pessoas burras que só assistem novelas e nem sequer leem livros ou assistem filmes………Na psicologia esse comportamento é conhecido como Narcisismo e leva a pessoa a essa visão inflada de si próprio e ao menosprezo pelos outros que são sempre menos para eles.

        A.Lupin 1 hora atrás

        Sakamoto, vou te falar uma coisa: Tem velhinho que gosta de sacanear, fingindo que acredita em bobagens, e deixa o interlocutor perdido, sem saber o que responder. Acho que você encontrou um velhinho desses, por aí…

  6. Prezado Luciano,
    esta foi tão boa, que enviei para o Joselito Muller também….

    Vou contar uma história (hilária)
    e o pior… baseada em fatos reais!!!!

    Aconteceu, este bate-papo, e, comigo!!!!
    Vamos lá….

    Estava bebendo uma cerveja,
    em meu apartamento,
    quando surge um parente,
    que toca a campainha,
    minha esposa abre a porta,
    e convido-o a tomar uma cerveja também.

    Conversando pergunto para este
    (funcionário / vendedor da Casas Bahia)
    Tá uma merd@… é hora de acabar com esta quadrilha do PT,
    eles não podem ser reeleitos,
    pois o país vai de mal a pior….

    Ele responde:
    Que nada,
    todos estão contentes,
    todos conseguem fazer uma carninha, e tomar uma cervejinha no domingo!

    Respondo:
    Há 15 ou 20 anos atrás,
    o povo não comia carne e bebia cerveja aos domingos????

    Ele responde:
    Acabei de vender uma máquina de lavar/secar roupa
    que custa 2.300,00 para uma cliente,
    ela comprou, porque vai pagar com o bolsa família,
    ela fez em 15x no carnê!!!! Se não tivesse o bolsa família,
    não compraria a máquina….

    Respondo:
    Se ela comprou a máquina com o bolsa família,
    significa,
    que ela não precisa do bolsa família!!!!

    Ele retruca:
    Você não tem noção de nada mesmo….

    Encerrei:
    Pelo visto, além de você realmente não ter noção,
    ainda é BURRO!!!!

    Ele responde ofendido:
    O que você falou????

    Termino:
    Pqp, não sabia que você era burro!!!!!!!!

    Ele levanta,
    quase quebra o copo em cima da mesa,
    querendo mostrar-se ofendido,
    e vai embora!!!!!

    Fico feliz,
    pois não receberei visita sem avisar,
    de pessoas que são burras!!!!
    O melhor parente,
    é sempre aquele que mora mais longe….

    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    “Aconteceu comigo… pode acontecer com você…” kkkkkkkkkk

  7. Para quem diz que a copa foi um sucesso, a copa das copas:

    “Jogos da Copa registram 197 detidos por tumultos e crimes nos estádios:
    Chilenos, argentinos e alemães são maioria, aponta levantamento do G1.
    Houve briga, drogas e cadeiras quebradas; francês jogou sapato no campo.”

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/07/jogos-da-copa-registram-197-detidos-por-tumultos-e-crimes-nos-estadios.html

    Dez problemas da copa do mundo:

    http://espn.uol.com.br/fotos/425154_copa-2014-sofre-com-erros-de-organizacao-saiba-os-problemas-que-aconteceram

Deixe uma resposta