Paulo Nogueira usa frames bizarros para validar Sininho, ultrapassando as raias do humor involuntário

34
30

sininho

Me amarrem um braço às costas que assim já está fácil demais! Provar o alinhamento dos Black Blocs com o PT se tornou uma moleza, principalmente nos últimos dias.

Ontem publiquei um texto mostrando que os Black Blocs estavam grudados ao PT com Durepox. Eis que hoje chega às minhas mãos um texto de Paulo Nogueira, jornalista da BLOSTA (blogosfera estatal, que só serve para escrever em favor do PT), usando um sem número de recursos bizarros para validar Sininho e os Black Blocs.

Título da peça que será destrinchada aqui: Sininhomania.

Comecemos:

Fazia muito tempo que o Brasil não tinha uma fixação tão forte por uma mulher. Sininho, aos 28 anos, se tornou uma mania nacional. Antes, as mulheres que fascinavam o país eram de outra natureza. Uma das últimas delas foi, por exemplo, Tiazinha. Era um caso de caráter erótico e sexual.

É inacreditável que nesta altura do campeonato Nogueira tente um truque tão infantil.

Para compreender a artimanha, realize a situação na qual você seja um auditor de fraudes, terminando por descobrir uma fraudadora. No curso da investigação, ela diz que você está com “fixação por ela”, usando um reframing no qual tentará tratar sua fixação como se fosse “fixação sexual”. Como ela não é lá essas coisas e politicamente não vale a pena ter sua imagem associada a esse tipo de acusação, se você não desmascarar esse truque pode correr o risco de abandonar a investigação, deixando a fraudadora livre. Não dá para um colunista descer mais baixo que isso…

Mudou o mundo, e as mulheres que arrebatavam os brasileiros foram escasseando. As novelas da Globo, que produziam divas, micharam. A revista Playboy, que consagrava as deusas em capas que vendiam 1 milhão de exemplares e geravam correrias frenéticas em bancas, hoje não é nada.

É algo impressionante a falta de noção desse senhor. Na teoria dele, o conceito de “símbolo sexual” foi modificado e as “mulheres que arrebatavam os brasileiros foram escasseando”, tudo por que as novelas da Globo “micharam” e o resultado final é a queda de vendas da Playboy.

Esse discurso ultrapassa as raias da insanidade tradicional dos fanáticos.

Primeiro: não há uma evidência de que as mulheres que arrebatavam os brasileiros estão “escasseando”. Segundo: se as novelas da Globo “micharam”, elas não são as únicas fontes de beldades que virem “símbolos sexuais”. Lembre-se das Panicats e das ex-BBB’s, só para citar dois exemplos. Ou seja, a “produção” de beldades brasileiras vai indo muito bem, obrigado. Terceiro: a queda de vendas da Playboy não tem nada a ver com “escassez de beldades”, mas com o advento da Internet, onde todos baixam as fotos de graça no mesmo dia em que a revista chega as bancas. Essa é a explicação racional para a queda de vendas das revistas masculinas.

Se Nogueira escreveu esse texto livre do efeito de substâncias alucinógenas, então já estamos diante de um caso de internação.

Sininho marca um novo tempo. Ela é fruto não do show business, mas da política, do ativismo. O Brasil se politizou – e se polarizou, se dividiu.

Ah, a tradicional tática de propaganda “antes de, depois de”. Só que não…

Decerto hoje existe mais conscientização política por parte da direita, o que tira parte do poder hegemônico da esquerda, mas não há um “novo tempo” pelo fato dos holofotes terem sido lançados sob uma mulher que tenha cometido crimes.

No Brasil, já tivemos Lili Carabina, a Fera da Penha, e Suzane Richthofen, dentre várias outras que receberam holofotes. Ou seja, Sininho não é nenhuma novidade e não “marca novo tempo” coisíssima nenhuma.

Parte da Sininhomania deriva das reações fortes que ela desperta na direita e em parte da esquerda. Para os conservadores, ela é uma terrorista. Para muitos esquerdistas ligados ao PT, ela é uma radical que fez e faz o jogo da direita ao liderar protestos que podem atrapalhar a reeleição de Dilma.

Não existe isso de “conservadores acham que”. Ou o colunista é capaz de definir racionalmente os fatos ou não é. O fato é que o Black Bloc, grupo liderado por pessoas como Sininho, é terrorista. Se ele quiser, que argumente em contrário. Duvido que ele consiga.

Em relação ao discurso dos “esquerdistas ligados ao PT”, sabemos que ele é mais encenado que telecatch. Volte ao link mencionado logo no começo do segundo parágrafo para tirar as dúvidas.

Para a mãe, num depoimento prestado nesta semana, é apenas uma menina que luta por um país melhor. Um pedaço da obsessão da mídia com ela deriva do fato de que Sininho é jovem, bonita e atraente – e fotogênica. Editores procuram todos os dias, loucamente, fotos de mulheres que embelezem jornais, revistas, sites e o que for.

Quase todas as mães de marginais clamam inocência de seus filhos. Até aí, nada de mais. Colocar “validação de mãe” é jogar todas as fichas mesmo, sem nenhum vestígio de vergonha na cara. No máximo, é comédia involuntária.

Mas nada é pior do que vê-lo eleger Sininho como “jovem, bonita e atraente”, além de “fotogênica”. Mas de jeito nenhum essa Sininho é bonita. Ela tem a cara do ator que fez o filme Pixote. Se fossem apresentados um do lado do outro, muitos pensariam ser irmãos. Claro que socialistas tem a mania de fantasiar as virtudes daqueles que alinham com eles, mas daí a ver beleza em Sininho é demais! Se ela quisesse vender o corpo, não valeria R$ 20,00.

Então, não alimente ilusões, Sr. Nogueira: sua amiguinha de ideologia está nas fotos de jornais ocupando mesmo espaço que os mísseis do Hamas, ou os escombros do avião da Malaysian Airlines. São fotos de notícia, sem nenhum intuito de levantar o barraco de ninguém. Esse Nogueira…

Mas, muito mais que uma mera embalagem, Sininho tem conteúdo. Ela tem a têmpera dos líderes. Pelos relatos dos que a cercam, quando ela fala, os demais param e ouvem. Em geral, acatam e obedecem.

É, verdade, Sininho tem conteúdo… similar ao que se vê nas mochilas de fundamentalistas islâmicos. Melhor não olhar esse “conteúdo” pois algumas coisas emocionantes podem ocorrer.

Em relação a “falar” enquanto outros “param e ouvem”, só se for em um mundo de fantasia criado por Nogueira. Alias, se militantes de extrema-esquerda endeusam os discursos dessa aí, é sinal de que os socialistas foram tão doutrinados que perderam qualquer forma de senso crítico.

Seja lá como for, Sininho não conseguiu fazer seus “discursos politizados” enquanto seus amiguinhos ameaçaram jornalistas de morte, como podemos ver abaixo, na época em que os Black Blocs mataram o cinegrafista Santiago:

Ou mesmo quando ela tomou um pito em rede nacional de Ratinho:

Enfim, só devemos deixar a Sininho falar o tempo suficiente para ela dizer suas pérolas socialistas/terroristas para que nós a ridicularizemos (com extrema facilidade) logo em seguida.

Se ela decidir seguir carreira na política convencional, terá boas chances de se eleger. Mas, hoje, é difícil vê-la na política estabelecida. Deputada Sininho? Parece que são duas palavras que não combinam. Ela é, ou parece ser, da contracorrente, da rua, e não dos gabinetes.

Esse truque ele aprendeu com Chaves. É o famoso “nem queria, nem queria”, para tentar explicar o fato de que Sininho não vai ser candidata pois está fugindo do Brasil (vai para Inglaterra, mas não para Cuba – e por que eu não estou surpreso?), para não terminar detrás das grades.

Mais recentemente, a celebridade de Sininho se alimentou de paixões, de homens alucinados por ela. Nesta semana, um jovem ativista que atende por Coringa, que é como ele se fantasia nas manifestações, gravou um vídeo em que declarava amor por ela. Coringa disse que a amava “desde sempre”, ou “desde agosto”, como ele precisou depois no vídeo. E pediu perdão por ter falado mal dela para a polícia. Os brasileiros também ficaram sabendo, nestes dias, que um ativista conhecido como Game Over largou a mulher, Anne, para ficar com Sininho. Ao ver numa foto o marido com Sininho, Anne fez uma série de acusações na polícia contra a rival. Segundo Anne, Sininho quis colocar fogo na Câmara do Rio. Verdade? Mentira nascida da traição? Vingança, apenas?

Vamos fazer assim: se vocês quiserem dar risada, recomendo entrarem no YouTube e realizarem as seguintes pesquisas: “Game Over Sininho” e “Coringa Sininho”. Vocês vão morrer de rir! Dá até dó…

Enfim, Nogueira começou seu texto dizendo que “estava todo mundo tarado pela Sininho” (que é mais feia que encoxar a mãe no tanque) e depois apresenta dois coitados, patéticos, ridículos fazendo declarações de amor para ela. Aí a coisa fica no nível de comédias de Ben Stiller.

Seja o que for, a história aumenta o mistério em torno de Sininho e, com isso, o fascínio por ela. Fazia muitos anos que os brasileiros não concentravam sua atenção para uma mulher.

Não tem mistério. Coringa e Game Over não representam os “brasileiros”. São duas figurinhas da extrema-esquerda ligadas a partidos como PSOL e PCdoB que perderam o senso de realidade, além de serem lamentáveis ao estágio da vergonha alheia. Eles não são “o Brasil”. O resto do Brasil vê Sininho e seus amiguinhos Black Blocs da mesma maneira que veríamos uma maluca do Hamas com bombas presas no corpo. Nada além disso.

No futuro, quem quiser entender os tempos que vivemos, terá que se debruçar sobre o impacto desta mulher de aparência frágil e atitudes intrépidas sobre todos nós.

Não. Basta ler Antonio Gramsci, assim como entender as técnicas de estimulação contraditória, bem como entender a fuga do senso de realidade de ultra-esquerdistas para saber que textos delirantes como esse de Nogueira vão surgir, vez por outra.

Nogueira é tão patético que seu texto corre o risco de ficarmos com tanta vergonha alheia dele que desistiríamos de refutá-lo, mas não podemos lhe dar essa vitória. Ele não pode vencer por que ficamos com pena dele. O impacto de Sininho sobre coitados como Game Over, Coringa e ele não nem nada a ver com o “impacto” que ela causa em pessoas decentes, como aquelas que se revoltaram com a morte do cinegrafista Santiago.

Enquanto para Nogueira, Sininho virou uma Nicole Bahls, para nós ela está próxima da categoria de gente como Suzane Richthofen. Não passa de uma mocréia envolvida com atos ilícitos. O que deve causar ereção na extrema-esquerda, o que mostra que essa gente tem muitos problemas.

Anúncios

34 COMMENTS

  1. Luciano, você esculhambou os dois: Trequinho e Paulo Nojeira. KKKKKKKKKKKKkk Gente, eu tenho medo de emburrecer lendo textos dessas lesmas.

  2. Oi Luciano.

    Em primeiro lugar parabéns!, por mais um excelente artigo.

    Agora quero realçar um aspecto interessante: veja-se a arrogância desavergonhada de certos tipos que auto denominam-se de “intelectuais”.

    Esse site da BLOSTA é denominado: “Diário do Centro do Mundo”. E vemos ai a arrogância desses tipinhos achando-se os reis da bagaça, auto proclamando-se como “Centro do Mundo”, mas são apenas anõezinhos na imprensa, assim como o nosso Itamaraty é um anãozinho na diplomacia.
    ……….

    Abraços.

    • VIDE VERSUS — Vitor Vieira.

      ( http://poncheverde.blogspot.com.br/ )
      ……….

      INQUÉRITO POLICIAL MOSTRA QUE A BLACK BLOC SININHO QUERIA SE “EXILAR” NA INGLATERRA.

      http://poncheverde.blogspot.com.br/2014/07/inquerito-policial-mostra-que-black.html
      ……….

      INQUÉRITO POLICIAL MOSTRA QUE A BLACK BLOC SININHO QUERIA SE “EXILAR” NA INGLATERRA

      A advogada Eloísa Samy, que pediu asilo político ao Uruguai, na segunda-feira, 21, não foi a primeira a cogitar sair do País. A black bloc Elisa Quadros Sanzi, a Sininho, tinha a intenção de se “exilar” na Inglaterra depois da Copa do Mundo. O tema foi discutido com advogados e com outros manifestantes, como mostram ligações telefônicas interceptadas pela polícia, em inquérito que fundamentou a denúncia por associação criminosa contra 23 militantes. Em uma das conversas, em 24 de junho, a black bloc Elisa diz a um homem chamado Igor (provavelmente Igor D’Icarahy, que também deixou a prisão na noite desta quinta-feira), que está “pensando em exílio”. “Acho que vou aceitar ir para Inglaterra com Mohamed para fazer as denúncias do que está acontecendo aqui. Porque ia ser uma espécie de caos, né? Eu me exilar agora, depois da Copa, antes das eleições”, diz a black bloc Elisa. Ela ressalta que ouviu advogados em São Paulo e no Rio de Janeiro, que não concordaram com a idéia. Igor também discorda e diz que prefere esperar para saber do que se trata o inquérito policial, que vinha sendo tocado em sigilo pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática. Ele chega a falar que não se confirmaram “prognósticos alarmistas de prisão em massa”. “Esperar é meio burrice. Mohamed naquela época falou isso, inclusive na frente do Marino. É melhor eu solta, fazendo as coisas. E exílio tem poder político muito forte. Imagina uma pessoa ser exilada agora, se a gente fizesse uma boa campanha, um escarcéu internacional. A perseguição que eu estou vivendo não vai acabar, Igor. Tinha um policial na porta da minha casa”, reagiu a black bloc. Ela completou: “O que é esse inquérito, ele vai até onde? Minha vida está virando uma espécie de inferno. Não estou conseguindo trabalhar, militar, fazer nada. É ameaça em cima de ameaça, ameaça de milícia, ameaça de policial. Se eu não for assassinada por um policial, eu vou ser presa, e aí?”

      Postado por Vitor Vieira às 7/27/2014 05:30:00 PM
      ……….

      • VIDE VERSUS — Vitor Vieira.

        ( http://poncheverde.blogspot.com.br/ )
        ……….

        http://poncheverde.blogspot.com.br/2014/07/policia-liga-os-black-blocs-de-rio-de.html

        POLÍCIA LIGA OS BLACK BLOCS DE RIO DE JANEIRO E DE SÃO PAULO

        O inquérito da Polícia Civil do Rio de Janeiro que investigou vândalos e resultou na decretação de prisão preventiva de 23 pessoas – medida revogada nesta quinta-feira, 24, pelo desembargador Siro Darlan – também reuniu indícios de que black blocs de São Paulo e do Rio de Janeiro trocam informações frequentemente e atuam juntos em pelo menos algumas manifestações. Uma ligação telefônica interceptada com autorização judicial às 12h31 do dia 2 de julho indica que Camila Jourdan procurou uma pessoa de São Paulo chamada Priscila pedindo informações sobre “a vinda de pessoas de São Paulo para as manifestações do dia 13 de julho, final da Copa no Rio de Janeiro”. Também é citado um homem identificado apenas como Feijão, até agora não identificado pela polícia. No mesmo dia, às 16h38, Camila pede a outro ativista, Igor D”Icarahy, que confirme a existência de área para hospedar “as pessoas que vêm de São Paulo”. A viagem dos ativistas de São Paulo foi descartada devido à prisão de ativistas, no dia 12 de julho.

        Postado por Vitor Vieira às 7/27/2014 05:05:00 PM
        ……….

      • Apolo, agora o importante é saber qual a estrutura do Black Bloc paulista (ou mais especificamente paulistano, pois não estamos vendo ações fora da capital do estado, assim como não vimos ações do Black Bloc fluminense fora da capital de lá, podendo chamá-lo sossegadamente de carioca). Tenho cá minha impressão de que, em que pese o papinho de que “Black Bloc não é grupo, mas tática” ter sido constatado como mentira (não que não soubéssemos que o era, mas sim houve uma investigação a fundo), aquela história de que seria um movimento horizontal e sem liderança pode ter algum fundamento, não na ingênua crença de que eles seriam desprovidos de uma cabeça comandando a coisa, mas sim no sentido de que podem ter uma organização em células, à moda de uma Al Qaeda, em que se uma é afetada, a outra não o é. Logo, é preciso ver quem são os cabeças daqui, ainda mais que já foi constatada uma comunicação entre Rio e São Paulo, e ver o que motivou os ataques daqui (que já vimos terem sido mais centrados em concessionárias de veículos e bancos).
        Enquanto isso, continuando a história do Rio, temos este artigo em que Siro Darlan acusa a prisão dos black blocs como uma tentativa de saciar uma vingança do que ele chama de “setores raivosos”, enquanto uma das acusadas diz que o inquérito é uma peça de ficção.

      • Cidadão.

        Gostei dessa sua perspectiva. Excelente!

        A ideia de células é perfeitamente plausível.

        Vamos aguardar, então, a sequência das investigações de inteligência policial.

        Abraços.

    • Quando se afirma que a tal “Sininho” é uma ordinária vagabunda, isso não constitui uma ofensa, propriamente dita, pois é fato que a, como direi?… “moçoilaa” não tem emprego ou trabalho. A ordinária vagabunda, então, vive sustentada apenas por recursos oriundos do PSOL para suporte à bandidagem black-bloc.

      Sabe-se que, e a informação é de domínio público divulgada pelo O Globo, por intermédio dos relatórios da investigação policial originadora da operação “firewall”, que essa ordinária vagabunda, Sininho, foi delatada à polícia durante os inquéritos, como consequência de um sentimento de vingança, por uma sua “coleguinha esquerdosa” do grupo black-bloc ao qual elas pertencem. A “coleguinha” fez questão de delatá-la para vingar-se do “adultério” praticado pelo seu “maridinho”, o tal pulha “Game Over”, com a ordinária vagabunda, Sininho. A “coleguinha” delatora, de 21 anos de idade, tem um filho de 2 anos de idade com o pulha, e foi moralmente assediada no grupo pela ordinária vagabunda Sininho, que tem 28 anos de idade, mas não trabalha e não quer saber de trabalhar, pois é uma ordinária vagabunda.

      O busílis que rola é que a ordinária vagabunda Sininho atua no grupo como uma pretensa “fêmea alfa”, pretensa rainha e senhora da “munição” e das “pistolas”, se me entendem…, entre os integrantes. Desse modo a ordinária vagabunda Sininho assediou moralmente a “coleguinha” para que ela não interferisse nos “assuntos internos hierárquicos superiores” [sic] (palavras da vagabunda) do grupo, aproveitando-se da ingenuidade da “coleguinha” para dar um “trato revolucionário” no “maridinho” da “coleguinha”, o tal pulha “Game Over”. E quando a “coleguinha” ficou sabendo de tudo, então a ordinária vagabunda Sininho explicou cinicamente à moçoila que aquilo era uma consequência da luta pela causa, era um “romance revolucionário” [sic] (palavras da vagabunda).

      É mole? Hehehe…
      E essa enormidade toda é praticada em nome da “nobreza” da “elevada” causa.
      Capicce belo? Hehehe…

      Que vagabunda (fiota) gulosa essa tal Sininho, né? O que ela realmente quer, não é mole!
      ……….

      Esse é o nível geral da imoralidade dessa esquerdalha promíscua e histérico-psicopática.

      Essa “gente” vale menos que aquilo, que o gato enterra.
      ……….

  3. Por favor, me corrijam se eu estiver errado.
    O que eu acho, é que o governo está usando ferramentas para desviar as atenções de diversos escândalos diretamente ligado ao PT ou qualquer coisa do gênero, até a queda do avião na Ucrânia e o conflito Israel x Hamas está servindo como ferramenta.
    Quem tem memória curta, acaba realmente “esquecendo” as notícias de roubalheira, seja as antigas ou recentes…
    Querem fazer de tudo para desviarem as atenções, pois as eleições estão aí.

    • Concordo em parte com você.

      Concordo que está sendo jogada distração na mídia, mas discordo do quê estão tentando nos distrair, embora a apologia do Hamas contra Israel e o silêncio sobre o avião que foi abatido com as armas russas, estejam no mesmo pacote, mas, em minha opinião, perto do que o PT está preparando para nós, roubalheira é, com perdão da má palavra, pinto!

      Além do citado, o que eles querem que despercebamos é que o tal do Plebiscito Constituinte está andando de vento em popa! Nada se faz, ou fala, para impedi-lo, enquanto as esquerdas divulgam o evento pelas redes sociais e em cartazes na via pública. O Decreto 8243 está em pleno vigor, aguardando alguma ação paquidérmica dos nossos congressistas. A “democratização dos meios de comunicação” ainda está no cardápio do pêtê, que sempre que pode, culpa a imprensa por algo publicado que o expõe ou desagrada.

  4. Olha, não vou dizer que não comeria até porque já comi piores (e melhores também), mas daí dizer que ela é bonita e atraente já é demais. Com conteúdo é pior ainda.

  5. Paulo Nogueira é um caso perdido, se o assunto for jornalismo sério. Só mesmo seus fregueses (ou seus mestres) para levar à sério as coisas que saem no DCM. E transformar uma pessoa com claros sinais de sociopatia, como é o caso desta Elisa Quadros, em um modelo de cidadania é o tipo de trabalho sujo que somente alguém como Paulo Nogueira pode levar à frente.

  6. Pô Luciano você não percebeu? O que o Paulo Nojeira quer é traçar a menina com esse texto. Nem ela mesma acredita que ela tá com essa bola toda, mas na cabeça do velho gagá ela vai se derreter toda depois que souber que ele a acha o Sex Symbol da década de 10. Não dou dois meses pra esse triângulo amoroso virar quadrado com a entrada do Nojeira na disputa pela Sininho.

    Tá vendo como no fim o Pondé estava certo sobre a esquerda querer pegar mulher….? 😀

  7. Paulo Nogueira é, de longe, a figura mais ridícula de toda a BLOSTA. Os outros jornalistas de aluguel do governo (Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, etc.) pelo menos não tentam fingir isenção e imparcialidade: assumem que são vendidos e não parecem fazer questão de ser levados a sério. Já Paulo Nogueira sempre tenta aparentar equilíbrio e bom senso, meio que se apresentando como a voz da razão, o único lúcido de todos. O Reinaldo Azevedo já mapeou esse truque barato desse vigarista antes.
    Eu diria que, entre as prostitutas da BLOSTA, Paulo Nogueira é a prostituta que prega a castidade.

  8. Já disse algumas vezes aqui e digo pra todos que conheço: esse Paulo Nogueira, além de louco, é um criminoso. Sei de histórias assombrosas e é um dos nomes que temos que cuspir com muito nojo em cima. Cretino filho de vagabunda. Ele e aquele bando de assassino, que deveriam estar na cadeia ou no hospício, daquele site porco dele. Paulo Nogueira, c fica esperto, fica esperto… sua batata tá assando e vc vai terminar vítima do ódio que vcs esquerdistas adoram defender, filho da puta.

    O que ele escreveu sobre a Sininho-Siririca é a coisa mais ridícula que li esse ano. Supera PC Siqueira e seus vômitos, Eliane Brum e suas siriricas pensando em marginal que fazia rolezinho de shopis centis, todo esse povo, todo… ele perde a moral até como criminoso falando tanta merda, esse texto que é praticamente uma punheta redigida, e de um alvo de péssimo gosto.

    E achei ótimo, Luciano, humilhar as palavras dele e humilhar essa Sininho, pois basta de gentilezas e bons mocinhos e bons modos à mesa com esse povo. É xingar, é falar palavras que ofendam, é humilhar, é discurso de muita raiva, é desejar coisas más (eu desejo, tudo de ruim pra esses, tudo mesmo, as piores coisas possíveis a eles inclusive a essa mãe vagabunda chocadeira filha de uma outra puta que é a mãe da Sininho, VÁ PRO INFERNO VELHA VAGABUNDA). Basta de bom mocismo.

  9. Vale lembrar que esse ator que fez Pixote, ao qual a comparou (realmente, a mesma cara feia ambos) era criminoso antes de fazer o filme e, mesmo após as filmagens, voltou ao crime. Tanto que morreu enquanto praticava um. Sininho, aguarda mais uns dias e estará deitada na tua lápida. PIXada.

  10. O truque da fixação sexual poderia ser voltado contra ele e todos os outros esquediotas que massacraram Rachel Sheherezade nas redes sociais (um “filósofo”, inclusive, desejando que ela fosse estuprada).

    Quanto à “beleza” de Sininho … Bem … Considere o rol de “beldades” esquerdistas, com suas erenices, marias do rosário, graças foster, eleonoras menicucci etc, e aí você entenderá porque na cabeça deles a aludida ativista deve ser uma arrasadora Vênus tupiniquim (rs).

  11. Parei de ler quando o cara (who is he?) escreveu que “Sininho tem conteúdo”.

    Na verdade, ele parecer ter-se apaixonado por Sininho, tal o exagero dos elogios, mas claramente não tem peito para flertá-la (deve ser receio de que alguma bomba exploda no colo, ou outro lugar, dele) .

    For him, the game is over.

  12. Luciano, você viu o que este aprendiz de Paulo Nogueira escreveu em favor da Sininho? Sim, como você pode ver, eles não se conformam que um chifre tenha sido decisivo para desmoralizar um grupo marxista-humanista-neoateísta dos mais brabos. Agora estão acusando o pessoal que noticiou a água fora da bacia de… machista!
    E, como sabemos, “machista” é uma daquelas palavras que pertence ao marxismo-humanismo-neoateísmo e à qual um MHN atribui o significado que quiser. Tudo isso para mim está lembrando isto aqui:

    http://www.youtube.com/watch?v=9i3Xyf-rSGI

    Considere Seu Madruga como o pessoal que agora ri à toa de ver que se constatou o óbvio (Black Bloc é grupo e não tática), a Dona Florinda batendo no Kiko como os MHNs batendo cabeça sem ver que combatem o MHN ao se desentenderem, Dona Florinda falando para não se misturar com gentalha como o artigo que te passei o link e o Kiko repetindo “gentalha” como os MHNs influenciados pelo artigo em questão repetindo o adjetivo que lhes foi dito para falar sobre quem falar a respeito das prisões de black blocs.
    As the treta has been planted, o discurso sequer está repercutindo tanto assim, pois você verá que os comentaristas majoritariamente não estão engolindo a tese que foi passada.

Deixe uma resposta