Quem chora pelas 160 crianças mortas ao escavar túneis para o Hamas?

22
109

Military Ceremony in Gaza

A patota anti-sionista deve ter chorado tanto pelas “criancinhas mortas por Israel” que as lágrimas devem ter secado. Ao essa seria a explicação mais caridosa (para eles) diante do absoluto silêncio de quem andou enrolando o povo com apelos emocionais baratos e gritarias contra Israel nos últimos dias.

Na última segunda-feira, 28, foi divulgado um relatório do Instituto de Estudos Palestinos, de 2012. De acordo com o relatório, pelo menos 160 crianças morreram durante as escavações de vários túneis contruídos pelo Hamas. Alias, aqueles que lutam contra o trabalho infantil andam muito quietos também. Será que estão em estado de choque? Ou estão fingindo não saber de nada?

Leia mais:

O informe “O fenômeno túnel de Gaza: A dinâmica involuntária do cerco de Israel” revela que o grupo militante islâmico não agiu para acabar com o trabalho infantil. Para o autor do documento, Nicolas Pelham, “nada foi feito para impedir o uso de crianças nos túneis”.

Desde o início da operação Limite Protetor contra o Hamas, há 21 dias, o Exército israelense descobriu 31 ​​túneis do Hamas que levam até Israel.

A coisa não muda mesmo: sempre com indignação seletiva, mas com o clamor “em defesa das criancinhas” só aparecendo quando aparecem supostas vítimas como efeitos colaterais de ataques israelenses. Ou seja, enquanto o Hamas tem licença para matar deliberadamente, Israel é demonizado quando erra em seus ataques.

O problema não é o pesar pelas vítimas inocentes, muito pelo contrário. A empatia é um sentimento inerente aos seres humanos normais. O mais perturbador é perceber a incapacidade da esquerda em sentir o menor traço de compaixão quando existem pessoas vitimadas pelas mãos do Hamas, mas “sentir um pesar” desproporcional quando as vítimas estão entre os inimigos de Israel.

Hillel C. Neuer, diretor executivo da UN Watch (Organização de Direitos Humanos com sede em Genebra, na Suiça) mostrou uma postura assertiva, ideal para tratar este tipo de gente em uma sessão de emergência sobre Gaza na ONU. Observe como um pessoal “gente fina” (de Cuba, Venezuela e Síria) tenta bloquear seu direito de falar. Quem não tem argumentos, tenta agir sempre assim: calando quem tem os fatos a seu favor. Assista o ótimo desempenho de Hillel, falando no tom adequado diante dessa turminha:

Esse outro vídeo a seguir mostra a declaração do representante palestino na ONU, que havia sido citado por Hillel:

Mais árabes descascando o Hamas:

E enquanto isso, do lado de nossa extrema-esquerda, só se ouve o barulho do grilo. É ou não é de dar nojo desse tipo de duplo padrão?

Anúncios

22 COMMENTS

    • Andei estudando o fenômeno do neonazismo por conta própria e entendo que esses caras usam a palavra “sionismo” não apenas para a ideologia da criação de um Estado judeu no Levante, mas também para a suposta conspiração judaica para destruir as soberanias nacionais, criar um governo mundial e colocar o mundo inteiro a serviço dos “interesses judaicos.” Proponentes dessa teoria conspiratória acreditam que “os sionistas” controlam vários governos do mundo, dos EUA à Rússia, e são responsáveis tanto pelo capitalismo quanto pelo comunismo. Daí o fato de esses neonazistas se declararem “terceira via.” O termo “sionismo” nesse sentido provavelmente vem da fraude russa “Os Protocolos dos Sábios do Sião,” que continua bastante popular entre antissemitas neonazistas e islâmicos.
      Meus cinco centavos: isso não passa de propaganda nazista velha e muito mal disfarçada. Tudo o que eles repetem sobre a “conspiração sionista” já estava no Mein Kampf do Hitler, e não é surpresa que o Adolfinho seja um ícone desses caras. O objetivo deles é restaurar o mito da “conspiração sionista” na tentativa de tornar o nazismo uma ideologia política aceitável ao público.

      • Nazismo e filho bastardo do socialismo (não marxista).
        Usam os mesmos métodos dos comunistas ou seja a extrema esquerda, tem os mesmos objetivos dos revolucionários, eles se dizem também revolucionários.
        Se justificam pela causa futura.

      • E quem, em sã consciência, vai ficar do lado de nazistas? Pode ficar do lado de neocomunanazipetralhas, mas de nazistas puros? Nunca!

  1. O engraçado é que os esquerdopatas vivem acusando os cristãos de tentar acabar com estado laico(sendo que o modelo de estado laico foi pioneirismo de povos cristãos)mas se esquecem que Israel é o único país do Oriente Médio que respeita o direito dos gays,trata as mulheres com igualdade e não tratam ateus como aberração.
    Os terroristas do Hamas escondem armas em escolas e mesquitas.Vai Israel colocar suas crianças em local de risco pra tu ver o que a mídia esquerdista vai falar.
    Israel é,literal e figurativamente,um oásis no deserto do Oriente Médio

  2. Luciano,me que vc escreveu,certa vez,que podemos usar as armas dos neo-ateus(Sam Harris,Richard Dawkins,entre outros)como recursos contra esquerdistas na guerra intelectual.
    Pois bem,eu vi um ótimo vídeo do Sam Harris no Youtube chamado “Por que não critico Israel?”.O vídeo é muito bom e;dá pra usar contra qualquer esquerdista que acusar Israel de monstruosidade
    Israel pode acabar com seus inimigos num piscar de olhos,pois tem recursos pra isso,e não o faz.Já o Hamas,se tivesse 50% do arsenal de Israel,acabaria com meio-mundo.

  3. Sempre comentei sobre esta questão de Israel: a esquerda o odeia (Israel) pelo singelo motivo de ser uma prova viva de que a democracia funciona. E o pior: uma democracia religiosa que funciona!! No Knesset (parlamento) Israelense tem árabes, por exemplo.

    Por isso eu digo: A ‘comoção’ com as crianças palestinas é cortina de fumaça: a questão aqui é que a esquerda é totalmente anti-Israel, e não pró-palestina.

  4. Luciano, acho melhor termos cuidado com essa notícia, eu tenho procurado por ela no Google, e não achei menção a ela em nenhum grande jornal (isso não significa que seja verdade ou mentira, afinal grandes jornais reproduziram a notícia da Coréia do Norte ganhando a Copa do Mundo, que eu também acreditei e só agora me lembrei que ainda não me retratei por isso :S ), mas acho melhor irmos atrás dela primeiro, alguém tem o link do Instituto de Estudos Palestinos?

  5. E o antissemitismo do PSTU?Não vai escrever a respeito?

    http://www.pstu.org.br/node/6315

    “Porém, neste artigo, queremos abordar um tema muito mais profundo que, certamente, é um divisor de águas entre os que hoje realizam manifestações conjuntas: a necessidade de destruir o Estado de Israel como condição para que haja paz na Palestina e no Oriente Médio.”

    https://pt-br.facebook.com/pstu16/photos/a.211192882304683.49939.207518726005432/668702606553706/?type=1&permPage=1

    Curioso que eles querem destruir uma democracia e defendem uma ditadura:

    http://www.pstu.org.br/node/8316

    Será que o pstu vai fazer manifestação?

    http://www.dw.de/a-dif%C3%ADcil-vida-dos-crist%C3%A3os-na-coreia-do-norte-e-na-china/a-17445180

      • Luciano, eu acho que eles não conseguem vencer o PCO (também prega o fim de Israel):

        http://www.pco.org.br/internacional/candidata-do-psol-sai-em-defesa-do-sionismo-na-internet/ajzz,a.html

        “Esse é o resultado natural de um partido que é contra a centralização. Em um dia aparece um Babá queimando uma bandeira do Estado genocida de Israel, no outro dia aparece uma Heloísa Pacheco para chamar o Hamas de “terrorista”, em coro com o imperialismo. O pretexto para a esquizofrenia política do partido é a “liberdade”. Liberdade para estar em um partido que defende, por meio de seus candidatos, o sionismo, a “intervenção militar já”, a criminalização do aborto. A liberdade para defender o programa da burguesia.”

        O apoio ao grupo terrorista (que eles colocam entre aspas) Hamas é confirmado por um dos simpatizantes do partido, na parte de comentários:

        “Alejandro Acosta · Quem mais comentou · Redator na empresa Jornal Causa Operária

        O PCO apoia o Hamas, de maneira INCONDICIONAL, na LUTA CONTRA ISRAEL”

        Também na mesma parte de comentários, tem a explicação de um militante do psol que, no final das contas, só mostra que liberdade só tem na sigla:

        “Mario Medina · Universidade Federal de São Paulo

        Sou da Resistência Popular Revolucionária – RPR, corrente da esquerda do Psol e estou candidato a deputado federal pelo partido em SP. Já soltamos uma nota de repúdio ao discurso sionista e reacionário de Solange, além de defendermos a imediata impugnacao de sua candidatura.”

        Quanta liberdade…hehehehehehe!!!

        chegou a virar “ciência” na extina URSS:

        http://en.wikipedia.org/wiki/Soviet_Anti-Zionism

      • É claro q tais partidos defendem a liberdade… desde q todos tenham um mesmo pensamento e não tentem tecer algum argumento contrário, claro.

        E o mais irônico disso tudo: apoiam grupos fundamentalistas islâmicos ao mesmo tempo q alegam defender os direitos de homossexuais e mulheres. Mas a pérola é quando chamam os direitistas de golpistas, sendo q os ídolos deles chegaram ao poder justamente por meio de golpes.

Deixe uma resposta