Depois de censura bolivariana do PT, consultoria Empiricus dobra o número de clientes

10
136

Dilma-Rousseff-20130828-01-size-598

Vocês se lembram quando eu disse para a direita não desanimar com as tentativas de censura praticadas pelo PT? Na época, eu disse para que as tentativas de censura petista funcionassem como um estímulo a mais e, depois se aplicadas, se tornarem uma credencial daquele que foi censurado. Falei isso no post Como transformar a censura do MAV-PT em uma credencial, em março deste ano.

Pois bem, agora o blog Implicante publicou um post sardonicamente memorável. Título: Depois da censura petista, consultoria dobra o número de clientes. Leia:

Na semana passada, a consultoria Empiricus se viu obrigada a retirar dois anúncios do Google que continham análises que previam um cenário econômico ruim em caso de reeleição de Dilma Rousseff. O tiro do PT saiu pela culatra, quando  o número de investidores que assinam o serviço quase duplicou. Os anúncios que foram alvo de representação no TSE tiveram cerca de 40.000 cliques, sendo que apenas 5% dessa cifra se converteu em assinantes do mailing que distribui boletins gratuitos. Nesse universo de cerca de 2.400 interessados que, de fato, leram o texto tachado pelos petistas de ‘terrorismo eleitoral’, nenhum se tornou cliente dos pacotes pagos — cujos preços variam de 10 reais a 200 reais ao mês. Ou seja, até a representação ser protocolada, a divulgação dos anúncios ainda não havia garantido qualquer retorno.

É isso aí! Censura do PT não é algo que devemos temer, mas esperar. E, se eles fizerem, ostentarmos como uma credencial, pois quem foi censurado pelo PT é por que tem algo a dizer. Elementar…

Anúncios

10 COMMENTS

  1. Isto é o que se chama na internet de Efeito Barbra Streisand.

    “um fenômeno da Internet onde uma tentativa de censurar ou remover algum tipo de informação se volta contra o censor, resultando na vasta replicação da informação. Exemplos de tais tentativas incluem censurar uma fotografia, um número,um vídeo,um arquivo ou um site. Ao invés de serem suprimidas, as informações rapidamente recebem uma extensiva publicidade, sendo largamente publicadas em diversos outras fontes e sites de relacionamentos, intensamente procurada em buscadores (como o Google) ou distribuídas em sites de partilha de arquivos.”

  2. Excelente Luciano. Me lembro de quando você disse isso.

    Esquerdistas adoram se gabar disso da época da ditadura. Está na hora de ostentarmos nossa opressão da censura da ditadura do PT, igual eles fazem.

  3. ENGOLE, PT. Chupa essa manga.
    Tiro no próprio pé.
    Se enforcando nas próprias armadilhas.
    Me dá água na boca ver notícias como essa, ver petista se fudendo com as próprias artimanhas.

    Se eu fosse eles ficaria bem quietinho, bem quietinho até as eleições… mas felizmente eles não farão isso, continuarão saindo gritando CENSURA ISSO! pra tudo e nos alegrando com esse show de ridicularidade.

    Estou amando ver a queda do PT, da primeira fila.

    E você que tá lendo esse comentário, já divulgou no facebook algum link que ridicularize a vermelhada hoje?

  4. Luciano, duas que irão interessar para hoje:

    1) Diz o Tuminha que estaria para ser preso pela Polícia Federal em seu escritório de advocacia, assunto esse que já foi publicado pelo Rodrigo Constantino e pela própria Veja. Alguns inclusive já pensam que irão disparar as vendas de Assassinato de Reputações. Por ora, ainda temos esta e esta outra postagem do Face, mas fica difícil saber o que de fato está ocorrendo. Queria saber mais detalhes;

    2) Juiz chama black blocs de “esquerda caviar” e nega liberdade a Rafael Lusvarghi e Fábio Hideki Harano, enquanto Luiz Eduardo Greenhalgh já desce acusações de que a manifestação do juiz foi absolutamente ideológica. De fato, o material que estava com os dois na ocasião em que foram presos não era explosivo, mas diz Reinaldo Azevedo que isso só os inocenta de acusação de porte de explosivos, pesando ainda as acusações de incitação criminosa, associação criminosa, resistência e desobediência (Artigos 286, 288, 329 e 330, respectivamente). O assunto também já foi constantinizado.

  5. Os caras da consultoria mandaram muito bem … e pra completar o estrago poderiam contratar a consultora do Satãnder.

    Ficou a dica:

    Na republica do Partido Torpe, a verdade é um artigo raro, escasso, por isso quem ainda possui é tão desejado!

  6. Luciano, este é um momento que me lembra aquela rotina que você dissecou: a Folha lançou o comercial em que mostra pessoas sendo contra ou a favor de determinadas posições do jornal. Eis que em uma altura do vídeo aparece a atriz Carol Prazeres, cuja aparência mostra claramente sua ancestralidade africana, falando que também é contra cotas raciais, tal qual o jornal:

    http://www.youtube.com/watch?v=e8zXwfVgEv4

    O resultado: feministas negras enchendo o saco e dizendo que a Folha privilegia quem é contra a igualdade racial. Ué, mas não é ser partidário da igualdade permitir que pessoas bem preparadas, independente de seu pano de fundo, entrem em um curso ou emprego público por mérito e capacidade próprios, sem pisar em ninguém e sendo senhores de seus futuros, sem dever favor a ninguém?
    Eu creio que puseram uma mulher, e não um homem, justamente para não deixar penduricalhos aos quais os marxistas-humanistas-neoateístas possam se prender, mas ainda assim você verá que eles conseguiram inventar uma quadratura do círculo. Tudo isso acaba sendo um fogo amigo daqueles, pois o jornal dos Frias tem tido posicionamento altamente MHN nos últimos anos. Porém, como se nota, MHNs não aceitam discordâncias até mesmo de outros MHNs.

    Caso olhe os comentários, você verá novamente um monte de coitadista dizendo que precisa haver cotas, que alguém que não é negro (ou mesmo quem tem ancestraldiade africana, mas aparência mais europeizada) não pode falar nada a respeito porque não sabe o que é ser negro, praticando mestiçofobia e outras tantas mostras de que o marxismo-humanismo-neoateísmo é mais preconceituoso e discriminador do que aqueles a quem chama de tais epítetos.

  7. Luciano, depois do marxismo, do humanismo e do neoateísmo, agora Sakamoto usa o bagnismo e embarca naquela onda de dizer que alertar alguém que escreve ou diz algo errado estaria exercendo preconceito linguístico. Claro que já recebeu a devida sarrafada nos comentários:

    Károly Ferenc Bahri Halász 35 minutos atrás

    Na verdade você está errado Sakamoto. As normas da língua portuguesa servem justamente para incluir, pois como você disse a língua é dinâmica, muda com o tempo, e acaba fazendo com que se necessite de regras comuns para que as pessoas se entendam, ou senão a comunicação vai se tornando cada dia mais difícil. A linguagem formal tem justamente esse caráter de inclusão, fazer com que todos os falantes de um idioma se entendam. Acho que o seu texto foi muito infeliz ignorando a importância das normas da nossa língua.

    Enquanto isso, no Facebook, também já há alguns comentários, em que pese por lá haver uma maioria de sakamotetes. Temos este:

    Tales Garcia Dos Santos

    Pqp, levantar estas conversas e’ o puro ” Complexo do Coitadinho”
    A evolução deve ser o objetivo de todos!
    Alfabetizado , escolarizado, pós graduado, mestrado, doutorado , pós doutorado etc
    Agora apologia a má escrita e sua justificação é coisa de coitadinho

    Este:

    Sergio Maidana

    Bom! neste texto vou discordar. Existe uma prática da esquerda brasileira de menosprezar quem escreve errado ou fala errado em debate, menos o Lula. Bom, este é um debate longo, mas, geralmente quem não lê direito, mal fala, mal ouve, mal vê, e dificilmente assimila alguma idéia concreta do que seja sociedade, eleição e poder. Eu já trabalhei em inúmeras campanhas,e cada dia fica pior, as pessoas ficaram menos criticas e mais exibicionista e ligadas a futilidades. Antes, existiam ao menos o senso de patriotismo, hoje a ignorância prospera. Ninguém debate que o filho chegou a faculdade mesmo não sabendo ler ou escrever e não coordena nenhuma idéia concreta, mas batem palmas para os sistema do PT que criou o ENEM dos analfabetos, pois basta estudar em escola pública para entrar numa faculdade. Daqui uns anos estaremos criando médicos, dentistas, engenheiros, advogados e demais profissionais com diploma e sem competência, pois, o que manda no apis é a ostentação: ostente um diploma, filho! mesmo que vc não passe no exame da OAB, ou não ou conseguiu terminar a faculdade carregado de dependência. O analfabetismo funcional deve atingir hoje 60% da população, tanto é, que garanto, muito irão criticar esta mensagem, mesmo não entendo nada. Falar errado ou escrever não passa a ser um problema, é a decretação da falência do ensino nacional.

    Este:

    Rô Santos

    O aprendizado da língua portuguesa padrão torna todos os usuários da língua iguais. Cada um que fale do seu modo, mas, infelizmente, o desconhecimento da língua padrão, na minha humilde opinião, faz com que algumas pessoas se aproveitem dos que não a dominam.

    Este:

    Maria Lucia Kaiser

    Mas quem se diz jornalista ,como uma certa apresentadora loira da Globo afirma ser, pode assassinar Nossa LÍNGUA PORTUGUESA? Quem faz redações que fariam a estátua de Fernando Pessoa chorar , deve ser qualificado como ?Talvez parar de desculpar quem diz -“não preciso saber tudo” e incentivar quem se esforça p/ aprender e melhorar , seja um bom caminho p/ maior inclusão .

    E este:

    Ana Ribeiro

    O difícil é gente que se recusa a estudar (por ser programa social do PT) e fica cobrando educação. Hahahaha

    Logo, como não colou aquela história da gordofobia e do fat shaming, de repente pode ser uma sinalização de que a partir de agora irão usar um misto de Jacques Derrida e Marcos Bagno e irão dizer que há uma ignorantofobia e um lazy shaming. Observe-se que a mecânica é igualzinha: encontra-se um segmento qualquer da população que sofre um certo tanto de críticas por fazer o que faz ou ter-se deixado chegar aonde chegou, diz-se para esse segmento que o que eles fazem ou o ponto aonde chegaram é lindo, maravilhoso e isento de críticas e dizem que quem critica, mesmo que com a melhor das intenções (como uma mãe que não quer que o filho fique gordo ou fale errado faria) estaria praticando ações de opressão e, como tal, precisa ser jogado na espiral do silêncio. Depois acharão estranho que comecem a surgir dialetos em um país no qual se consegue ser entendido falando um mesmo idioma do Caboraí ao Chuí e irão se perguntar por que se chegou a esse ponto e o porquê de termos grupos que se fecham em si e falam algo completamente incompreensível sem que seja de propósito, mas porque não têm como aprender o que está certo pelo fato de alguém dizer que “nós pega o pexe” não estaria errado.
    E, como sabemos, dialetos constituem-se em versões empobrecidas de um idioma, de maneira que seus falantes ficam dificultados de acessar conhecimento escrito em norma culta e, portanto, ficam mais propensos a ficarem presos em um determinado status justamente por não conseguirem intercâmbio de conhecimentos e ampliação de redes sociais.

  8. Essa falsa afetação de pudor virginal ofendido, simulado pela Sapatona de Brasília quando da publicação da análise econômica pelo Santander, me lembrou o antigo caso do jornalista
    Larry Rother, do New York Times, expulso pelo Apedeuta de Brasília por ter ousado comentar seus excessos alcoólicos.

    A ânsia censória do PT coaduna-se com o inviolável período eleitoral, onde não se pode emitir a mais anódina e trivial crítica ao Partido e seus asseclas. Uma simples análise conjuntural foi suficiente para exacerbar a Petralhada, revelando, uma vez mais, sua índole totalitária.

    Infelizmente muitos ingênuos eleitores se sensibilizam com esse discurso piegas e compartilham do sentimento de auto-complacência petista.

Deixe uma resposta