Analista do banco Fator fez análise que somente um mês depois foi utilizada pelo Santander. E agora, petralhas, vão estrebuchar contra ele também?

3
95

paulogala

Se mandaram a executiva do Santander para o olho da rua por causa de pressão bolivariana, o que o banco Fator fará com seu analista? Leia a notícia Informe do Santander reproduziu relatório de outra instituição, publicada pela Folha de São Paulo:

O informe econômico do Santander que criou uma saia justa com o governo Dilma Rousseff, irritou o PT e provocou a demissão de quatro funcionários do banco, reproduziu frases inteiras do relatório de um outro banco, o Fator, que já circulava no mercado há mais de um mês.

O texto produzido pelo Fator no dia 3 de junho é do economista Paulo Gala, professor da FGV. A análise do Santander ficou pronta mais de um mês depois.

Questionado pela Folha, Gala não quis dizer se considerava ter sofrido plágio e se recusou a comentar o assunto. As semelhanças entre os textos foi apontada nesta quinta (7) pelo Valor PRO, serviço em tempo real do Valor.

Enviado no final de julho aos clientes vips do Santander, o texto tratava a reeleição de Dilma como uma ameaça à economia. Os pontos mais críticos eram quase iguais aos publicados pelo Fator.

“A quebra de confiança e o pessimismo crescente em relação ao Brasil em derrubar ainda mais a popularidade da presidente, que vem caindo nas últimas pesquisas”, dizia o texto do Santander.

O texto do Fator destacava: “A quebra de confiança e pessimismo crescente em relação ao Brasil pode derrubar ainda mais a popularidade da presidente nas pesquisas”.

Noutro ponto, o informe do Santander dizia: “Se a presidente se estabilizar ou voltar a subir nas pesquisas, um cenário de reversão pode surgir”. O texto do Fator era: “Se Dilma se estabilizar ou voltar a subir nas pesquisas um cenário de reversão pode surgir”.

Diferente da análise do Santander, a do Fator, com conteúdo semelhante ao que vários outros bancos distribuíram no mercado, não chamou a atenção.

Agora criou-se uma baita saia justa para o PT, pois o banco Fator não poderá demitir Paulo Gala alegando “quebra de decoro”, até por que seu informe tem mais de 2 meses. Assim, se ele for demitido, eles vão ter que se explicar. Mas se o PT pressionar o banco Fator da mesma forma que fez contra o Santander, poderá ser questionado por não estar julgando o mérito de uma questão, mas apenas sua repercussão. Também temos mais uma evidência (como se ainda fosse necessário) de que a analista do banco Santander não fez nada demais, ou seja, não há justificativa moral para a demissão de nenhum dos profissionais do Santander.

Em toda essa questão do ódio do PT às análises bancárias apontando nada mais que os fatos, o estatuto moral do partido está mais feio que encoxar a mãe no tanque.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. “Antes beneficiada com crédito, classe C se desespera para pagar as dívidas”

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/08/05/internas_economia,440731/antes-beneficiada-com-credito-classe-c-se-desespera-para-pagar-as-dividas.shtml

    “Tuma Jr. exige que senador Aloysio Nunes Ferreira venha a público explicar porque mandou PF enquadrá-lo”

    https://br.noticias.yahoo.com/blogs/claudio-tognolli/tuma-jr-exige-que-senador-aloysio-nunes-ferreira-013423030.html

    “Três empresas bancam 65 % da arrecadação de presidenciáveis”
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/08/1496943-tres-empresas-bancam-65-da-arrecadacao-de-presidenciaveis.shtml

  2. Meu caro blogueiro.
    O comentário é off topic. Apenas um pedido para que você não utilize estas fontes sombreadas de pouco contraste. Depois de uma certa idade, requerem um esforço visual maior para se ler o texto que você cita.
    Abraço,
    Ronaldo.

Deixe uma resposta