Dilma, decida-se: acredita em Deus ou Deusa? Ou vários deuses? Ou na “força superior”?

25
175

dilma-rousseff

Como vemos no blog Transparência Política, Dilma utilizou-se da tradicional sabonetada para discursar em direção a eleitores religiosos. Observe:

Com a constante queda em pesquisas e assistindo à ascensão do adversário Aécio Neves (PSDB), a presidente Dilma Rousseff (PT) está em busca do voto dos evangélicos, numa eleição que tem um pastor como candidato à Presidência. Em evento na Igreja Assembleia de Deus nesta sexta-feira (8) que, a petista disse que, embora o Brasil seja um Estado laico, “feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”.

Dilma Rousseff disse que seu governo foi aquele que mais trabalhou pelo fortalecimento da família no País, e citou programas sociais de sua administração, como o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec.

“O Brasil é um Estado laico, mas, citando um salmo de Davi, eu queria dizer que feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”, disse a presidente ao iniciar o seu discurso .

Só que há alguns anos ela disse algo bem diferente a Datena:

Ela começa falando de “força superior”, o que é o deísmo. Depois fala em Deusa mulher, que lembra a religião celta, ou seja, o paganismo. Em seguida, fala não só em uma deusa, mas em múltiplas deusas, retornando ao tempo do politeísmo. Só esqueceu-se de nós, ateus.

É vergonhosa essa adaptação de discurso por quem com certeza não dá a mínima para coisas como religião. E ninguém deveria ser exposto duramente apenas por por crer ou não crer. Mas mentir dessa forma, usando explicações sobre “o que é deus” que constrangeriam qualquer pessoa que já assistiu a duelos intelectuais sobre variações da religião, é simplesmente desrespeitoso. É muita cara de pau!

Quando ela falou em “cujo Deus é o Senhor” (antes, para ela, era a Virgem Maria, lembre-se) bem que me merecia tomar uma vaia em pleno púlpito.

Anúncios

25 COMMENTS

  1. O evangélico que votar em Dilma está assinando o atestado de óbito da sua igreja. Mais cedo ou mais tarde, as igrejas serão alvo de perseguição desse partido. Boa sorte para todos!

  2. Dilma comete um erro tático ao ferir a segunda regra de Alinsky.
    “RULE 2: “Never go outside the expertise of your people.” It results in confusion, fear and retreat. Feeling secure adds to the backbone of anyone.

  3. Esse pessoal é tão safado que é capaz de justificar isso como exemplo de sincretismo religioso..
    O que eu sei é que essa senhora afirmou que em época de eleição eles fazem o Diabo.

    Ayan, vamos reclamar com a atea e exigir da “presidenta” nossa cota de puxa-saquismo 😀

  4. “Quando os justos se engrandecem, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo geme.” (Provérbios 29:2)

    Pois eu acredito no diabo, ele assenta-se como chefe de Estado. Um cristão votar em comunista é como um judeu votar em nazista. Por acaso não conhecem os cristãos a história? Nem nos tempos de Átila e Nero eles foram tão perseguidos; na URSS, na Guerra Civil espanhola – onde os comunistas censuraram a religião e assassinaram mais de 6.000 clérigos, destruindo igrejas e pilhando-as -, e por onde vigorava essa praga, essa seita política diabólica. Os comunistas, imitando os carbonários, à época saíram nas ruas de Portugal com uma faixa com os dizeres: “Sem Deus.” Não é muito diferente dos profanadores gayzistas e feministas, dos quais a vadia da Dilma (quem apóia a marcha das vadias vadia é) apóia e que proliferaram como joio nesses quadriênios do PT. A família nunca foi tão impingida nesses anos, houve até quem quisesse mudar a seus caprichos a definição de família. “Diga-me com quem andas que eu direi quem tu és”. Não existe provérbio mais certo do que esse. É insano que haja padre esquerdista, bispo liberal, pastor abortista, mulher crente feminista e puritano hedonista. Não precisa ser religioso ou deísta para apontar as incongruências e sentir nojo desses santarrões, como Betto et caterva (que não é frei!), amigo de Fidel Castro, o assassino de jovens católicos que proclamavam: ¡Viva Cristo Rey! ¡Abajo el comunismo! Basta ser honesto. O Salmo da Dilma e dos esquerdistas é “A Internacional”, que discorre assim: “Messias, Deus, chefes supremos,/ Nada esperamos de nenhum!” Sinceramente, eu não posso acreditar que os cristãos se deixem levar por esses fingidos, verdeiros lobos em pele de cordeiros. Valha-me Deus!

    Não podemos saber em quem ou em quê a Dilma acredita, mas disso eu não duvido, eles se inspiram no primeiro rebelde – quiçá seja ele o seu senhor -, o próprio satã: http://www.youtube.com/watch?v=IY8jYFNZoGA. O Padre Rodrigo Maria também deu o recado: http://www.youtube.com/watch?v=msowDNm7rfQ. Vade retro!

    • Meu prezado, não se espante. Alinsky em “Regras para os radicais” uma espécie de Bíblia de estratégia dos esquerdistas, dedica seu livro ao primeiro grande contestador que foi bem sucedido em seu protesto, pois recebeu um reino como prêmio. Literalmente, Satanás, o Diabo.

      A mim, que não creio, não afeta nem espanta nada, mas a um religioso cristão, ou mesmo judeu? E ainda vem um pastor evangélico e/ou um padre melancia incentivar seus rebanhos a votar nessa escumalha?

      • Um cara se dizer cristão e ao mesmo tempo apoiar partidos que se baseiam na ideologia socialista é algo tão coerente quanto um judeu nazista.

      • Meu caro, acreditando ou não – o que não vem ao caso aqui -, eu acho que é de se espantar sim, pois isso afetará a todos nós, porquanto ela governa. Além desse coisa ruim, Dilma tem como mentores Fidel Castro, Hugo Chávez, Lula, Marighella… Vê se isso não é temeroso? Mas a dedicatória de Alinski a satã não me surpreende porque é bem esse o caráter da extrema-esquerda: diabólico. Todos hemos de convir que o mal existe. E eu reitero: eu acredito no diabo, ele assenta-se como chefe de Estado! Vide a própria Dilma. Diz se não é o capeta, diz se não faz diabruras? 🙂 Ou em outras palavras, para convirmos, é o próprio mal.

        Por conveniência, até um ateu vira teólogo – e tem ateus (não os militantes) que conhecem mais de teologia do que esses crentes esquerdistas (aberrações cognitivas, como diria a xeroxona). É preciso desfazer as rotinas esquerdistas, apontar a hipocrisia deles, como essa da Dilma de, segundo as palavras do Ayan, “adaptação de discurso por quem com certeza não dá a mínima para coisas como religião.” Para quem não crê não faz diferença, há, aliás, indiferença, mas quando é no espectro político.

        Esses post são muito assertivos: 1) http://lucianoayan.com/2014/07/28/ariano-suassuna-um-esquerdismo-transitando-entre-a-safadeza-e-a-loucura/.

        2) http://lucianoayan.com/2013/06/04/rotina-esquerdista-jesus-e-seus-apostolos-viviam-em-comunidade-onde-repartiam-bens-logo-o-cristianismo-e-marxista/.

        Todos estamos, crendo ou não, credenciados a desmascarar esses fingidos que em época de eleição se dizem capazes de fazer o diabo. E fazem.

        Até.

      • Concordo com você, mas a dedicatória de Alinsky ao Diabo me ofendeu pessoalmente, mesmo não sendo um crente, foi isso que eu quis dizer mas não disse.

      • PS: Para quem não crê não faz diferença, há, aliás, indiferença, mas quando é no espectro político é preciso e é válido tomar para si a causa. Basta ver dos esquerdistas, que não crendo, mesmo assim cooptam os incautos a se filiarem e votarem em seus respectivos políticos, o que por si só já demonstra a incongruência.

      • P.S. 2: Se quisermos vencer o inimigo, temos que conhecer as suas armas e como ela atua em tais campos, como o gramcismo e a Teologia da Libertação atuam na religião. Crendo ou não, é um dever de todo direitista desmascarar e conscientizar contra esses embustes.

  5. Luciano, lembra-se daquilo que chamo de “engenharia reversa do gramscismo”, que suspeito já estar sendo promovido pelo papa Francisco (campo religioso e político) e por outros. Pois bem, eis que faltava alguém que fizesse algo pela cultura (no caso mais específico a música). Achei os vídeos de um cara chamado Nando Moura, que é professor de música e fala com bom grau de abalizamento sobre coisas de seu ramo (além de dar uns bons pitacos em outros ramos):

    http://www.youtube.com/watch?v=EoYoUQxu8SM

    http://www.youtube.com/watch?v=Wuh02HUaP5s

    http://www.youtube.com/watch?v=aVNmA5oOjOE

    http://www.youtube.com/watch?v=0C8igTTmLsg

    http://www.youtube.com/watch?v=mIfODxD-8nw

    http://www.youtube.com/watch?v=hOozIqYl8V0

    http://www.youtube.com/watch?v=ewiwuEztUGQ

    http://www.youtube.com/watch?v=e2Vj3yrtHRM

    http://www.youtube.com/watch?v=GjE0RMErr08

    O que achei interessante nele é que o mesmo, apesar de ser roqueiro, também corta legal na própria carne quando critica roqueiros. Achei também interessante a análise que ele faz em relação à pobreza rítmica e de letras do funk carioca e do sertanejo universitário, bem como fala o que pode ter acontecido para alguns artistas medíocres terem subido nas paradas de sucesso.
    Aliás, sequer dá para os marxistas-humanistas-neoateístas acusarem de elitismo e racismo alguém que critica o funk carioca, principalmente se esse mesmo alguém gostar de samba (que era e é feito por pessoas tão humildes como os funkeiros), forró pé-de-serra (mesma situação) ou mesmo cantarolar que uma mulher é “divina e graciosa, estátua majestosa”, canção que foi consagrada por Pixinguinha, mas escrita por um mecânico chamado Otávio de Souza, que provavelmente era mais pobre e com menos acesso ao conhecimento do que a maioria absoluta dos moradores de áreas humildes dos dias de hoje.

    E como sabemos que o gramscismo também atua com empobrecimento cultural com a finalidade de tornar um povo mais suscetível a ser cordeirinho de poderosos que usam as estruturas estatais, logo podemos considerar que os MHNs fazendo grita contra quem não gosta de funk (além de terem adotado esse ritmo em seus gritos de guerra) são sinal de interesse no uso disso para trampolim ideológico.
    Somemos aí também os caras que acertadamente fazem críticas a certas obras de arte como urinóis expostos em galerias e outras coisas, ainda que esses últimos não me pareçam tão bem calibrados como o Nando Moura (vide as críticas sem sentido que eles fazem às pinturas abstratas, pondo-as no mesmo rol dos tais objetos de uso normal expostos em galerias).

    • Até que enfim um músico corajoso para falar sobre Música de verdade, Música com “M” maiúsculo. É mais uma linha de conhecimento que até pouco tempo estava como que “acorrentada” pelo pensamento único que há décadas se impõe na cultura brasileira. O politicamente correto que se apressa em acusar de elitistas os que discordam da pobreza musical, cultural e intelectual em que se transformou a maltratada música popular brasileira.

  6. Luciano, tenho uma duvida e nunca tive a oportunidade de trata-la de uma forma analítica: eu costumo dizer que não tenho preocupação com os dogmas dessa ou daquela religião, embora eu reconheça ter sido profundamente influenciado pelo cristianismo, como todo brasileiro, pois eu acredito que independentemente do que eu faça, pense, deixe de fazer ou de pensar, Deus já saberia antecipadamente todo curso da minha vida, do início até o fim, todas as minhas escolhas e o resultado delas muito antes de eu nascer, muito antes do planeta Terra ter esfriado e deixado de ser uma bola de magma. Logo, nada do que eu fizer poderia surpreender Deus, pegá-lo desprevenido ou ser usado como motivo para uma “punição”, pois isso seria o mesmo que um programador desenvolver um software para um robô e depois jogar o robô em uma fogueira infernal pelo simples fato do robô ter se comportado exatamente como havia sido programado.

    Eu não sei identificar as falhas desse argumento, se é que existem, e nem sei dizer quais seriam as “argumentações” do cristianismo quanto a essa forma de abordagem que eu faço para mim mesmo a respeito da onisciência do divino, e, principalmente, não sei dizer a que categoria do pensamento isso se inclui, pois tenho intuitivamente o conhecimento de que o raciocínio não é genuíno e com certeza já deve ter sido tema de profundos debates dentro da teologia.

    Se você puder jogar uma luz sobre isso, eu agradeço desde já!

  7. O EGOISMO
    Irmão de Jornadda:
    Você sabe qual é o pior sentimento do homem, aquele que é a raiz de todos os males que o infelicitam?

    Se você ainda não sabia, então preste atenção na resposta dada pelos Sábios Espíritos, a Allan Kardec: Temo-lo dito muitas vezes:o egoísmo. Daí deriva todo mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos há egoísmo.

    Quem quiser, desde esta vida, ir aproximando-se da perfeição moral, deve expurgar o seu coração de todo sentimento de egoísmo, visto ser o egoísmo incompatível com a justiça, o amor e a caridade. Ele neutraliza todas as outras qualidades.

    Como dizem os Espíritos superiores, o egoísmo é incompatível com a justiça, o amor e a caridade. E isso se percebe, com clareza, nas mais variadas situações de um povo ou de uma nação.

    Quando analisamos, com isenção de ânimo, as injustiças sociais vigentes em qualquer país do mundo, detectaremos homens, classes sociais, partidos políticos ou religiosos, defendendo seus interesses, em detrimento da justiça.

    O egoísta pensa somente em si. Quer seus direitos respeitados, mas não cogita de respeitar os direitos alheios. Sua visão de justiça é unilateral.

    É por essa razão que a Humanidade anda a braços com a violência, com a corrupção, com a supremacia dos interesses pessoais sobre o que é justo.
    É por causa do egoísmo que eclodem as guerras, desde os pequenos conflitos familiares às guerras religiosas, até as grandes guerras de alcance mundial.

    Mas, quando existe o sentimento de fraternidade, de solidariedade, de altruísmo nos corações dos homens, esses abrem mão dos interesses pessoais a favor da justiça e do bem-estar comum.

    Numa sociedade civilizada, todo cidadão tem direito ao necessário, que é o direito à alimentação, moradia, saúde e escola.

    A violência só se cala diante da justiça e do amor. Mas, de uma justiça que saia do papel e das palavras para se tornar realidade em todos os campos da sociedade.

    Enquanto houver egoísmo, não haverá amor nem justiça.

    Por tudo isso, é necessário erradicar essa ferida social chamada egoísmo, de uma vez por todas, para que possamos vislumbrar a possibilidade de uma sociedade em que a justiça e a fraternidade sejam uma realidade.

    E esse câncer só será extirpado do coração do homem quando o bisturi da educação for manipulado com sabedoria.

    Quando o germe do amor for implantado no coração da criança, ele florescerá e dará frutos capazes de neutralizar o ódio e a injustiça.

    E isso se dará pela educação. Uma educação baseada no exemplo e na máxima evangélica que estabelece fazer ao outro o que gostaríamos que o outro nos fizesse.
    Amedida que os homens se instruem acerca das coisas espirituais, menos valor dão às coisas materiais.

    Depois, necessário é que se reformem as instituições humanas que excitam o egoísmo e o mantêm vivo. Isso depende da educação.

    Não da educação que faz homens instruídos, mas daquela que forma homens de bem.
    Pense nisso!

    Redação do Momento Espírita, com base nos itens
    913 e 914 de O livro dos Espíritos, de
    Allan Kardec, ed. Feb ADDE – -17-01-2016

Deixe uma resposta