Chega uma teoria da conspiração BLOSTA: Eduardo Guimarães afirma que Wikipediagate pode ser armação contra Dilma

11
129

edu-tvt

É aflitivo o esforço do blogueiro Eduardo Guimarães, um dos mais prolíficos geradores de conteúdo para a BLOSTA (Blogosfera Estatal) em arrumar desculpas esfarrapadas para as presepadas em que o governo se embreta. Seu texto “E se o caso Wikipedia for armação contra Dilma?” é uma peça digna de vergonha alheia.

Como todos sabem, depois do escândalo do uso de computadores do Planalto para manipular perfis de jornalistas como Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardemberg, a situação moral do governo ficou mais feia que cabeçada em colméia. A coisa é digna de impeachment. Por acusações semelhantes Richard Nixon renunciou ao seu mandato nos Estados Unidos.

Claro que o PT jamais largará o osso por algum tipo de pudor. É quando seus cães da BLOSTA entram em ação, sem o menor soslaio de noção, como se não tivessem nada a perder. Muitos deles parecem agir como se a manutenção do PT no governo fosse sua última oportunidade de não ser obrigado a arrumar um trabalho decente. Eduardo diz que é empresário, e eu acredito. Ele também afirma não mamar no estado. Pode ser. Mas que há uma multidão de seus amigos doidos para receber anúncios estatais, quanto a isso não há dúvidas.

Eduardo começa seu texto se irritando com a dimensão a que as coisas chegaram. Daí ele culpa todo mundo: jornalistas reclamões, sindicatos pentelhos, associações de imprensa mesquinhas, “a turma de jornalistas tucanos” e demais jornalistas dissimulados, todos fazendo “oposição cerrada ao governo federal e ao Partido dos Trabalhadores”. Na ótica de Guimarães, apontar os fatos é “fazer oposição”. Como sempre, a sanha censória aparece em atos falhos aqui e acolá.

Vamos abrir a Caixa de Pandora, mas já aviso que não há esperança lá dentro:

Alguém acredita que se o alvo da inserção de críticas na enciclopédia eletrônica fosse um petista ou um jornalista simpático ao PT – assim como Leitão e Sardemberg são simpáticos ao PSDB – esse caso seria tratado como está sendo? No mínimo, se o presidente da República fosse tucano e um jornalista simpático a ele fosse alvo de ataque igual, Globos, Folhas, Vejas e Estadões diriam que aquele governo foi alvo de armação do PT.

provei aqui que todo o discurso de “desproporcionalidade” e “viés contra Dilma”, alegado pelos governistas, é mais falso que promessa de cobra cascavel. Então, sair dizendo que “se fosse com o PSDB, a imprensa não falaria nada” (o que é papo furado dele e nada mais) não serve para provar a inocência do PT ou transferir a culpa para o PSDB.

Em primeiro lugar, é preciso lembrar que a iniciativa de inserir as críticas contra os jornalistas nos perfis deles na Wikipédia é tão estúpida e tão inútil que jamais poderia partir de alguém com um mínimo discernimento.

Mais um ponto para suspeitarmos de petistas. Ao que parece os picaretas que manipularam a Wikipedia não tem muito discernimento mesmo. Mas Guimarães também não tem, pelo que vemos em seu repertório de desculpas, mais furado que ralador de que queijo.

Como qualquer um pode modificar a Wikipédia, se o autor das alterações fosse alguém com um mínimo de inteligência ele se daria conta de que o que estava fazendo pode ser feito contra qualquer um, inclusive contra os políticos que eventualmente estivessem por trás dessa ação destrambelhada. Imaginem só uma guerra de adulteração de perfis na Wikipédia. Um faz contra Lula, outro faz contra Fernando Henrique Cardoso e, ao fim e ao cabo, a mesma Wikipédia acabaria deletando tudo, pois as modificações são submetidas a comitês que avaliam sua veracidade.

Bullshit! Ele quer nos vender a premissa de que os outros partidos possuem um MAV tão disposto à guerra virtual como o PT. Somente assim haveria essa “guerra de adulterações”. Nesse cenário, o PT sempre atuou com a expectativa de que suas mentiras superarão a dos adversários por maior investimento de esforço, de forma que a desculpa de Guimarães está sumariamente descartada. É, meu chapa, não colou. Simples assim.

Em segundo lugar, portanto, se quem promoveu a alteração na enciclopédia eletrônica tivesse o mínimo de conhecimento de como ela funciona saberia que aquela alteração seria rapidamente desfeita.

Bullshit ao quadrado! Não há uma previsão de “velocidade de alterações sendo desfeitas” no Wikipedia. Na verdade, Guimarães refutará a si próprio a seguir.

Em terceiro lugar, está o alcance político-eleitoral da Wikipédia. Ainda que fosse um site muito consultado por eleitores, as críticas inseridas não foram contra políticos. Quantos consultam os perfis de jornalistas – mesmo de renome – naquele site? Por que alguém iria consultar os verbetes sobre Leitão e Sardemberg? Bastará verificar a quantidade de acessos que os perfis dos dois jornalistas receberam desde maio do ano passado – quando foi feita a adulteração – para constatar que muito pouca gente deve ter visto as críticas a eles.

Mas não é a própria BLOSTA que define a mídia como um “partido de oposição”? Pois agora ele muda o discurso dizendo que “as críticas inseridas não foram contra políticos”. Porém, quando Míriam Leitão fez críticas econômicas ao governo Dilma, foi alvo da fúria da matilha petralha.

Outro problema: se ele diz que “ninguém consulta os verbetes desses jornalistas”, então o índice de “velocidade de alterações sendo desfeitas” (que ele disse ser alto) não serve para safá-lo. Em outras palavras: ele afirmou que qualquer pessoa saberia que “as alterações seriam rapidamente desfeitas”, mas para isso as páginas precisam ser constantemente consultadas, o que aumentaria a chance de alguém de oposição ao PT fazer a reedição. Porém, ele disse que “ninguém consulta esses perfis”, o que refutaria sua alegação de que “as alterações seriam rapidamente desfeitas”. Essa alegação, lembre-se, serviria como um argumento para que nenhum petista estivesse motivado a fazer manipulações no Wikipedia.

Dá para notar que ele vai inventando desculpas em ritmo de metralhadora. Só que uma desculpa aniquila a outra, no mínimo. Mas a coisa é pior: não é verdade que “o alto potencial de reedição” serve para desanimar alguém (até por que esta pessoa pode estar disposta a entrar em “guerra de Wiki”), assim como não há evidências de que “ninguém acessa” os perfis desses jornalistas. Nada disso serve para tornar improvável o fato de um petista manipular posts da Wikipedia.

Só alguém muito estúpido acharia “eficiente” fazer um ataque político como esse. Não falta gente estúpida, por aí. Mas afirmar que essa seria uma estratégia de um partido ou de um governo é uma completa palhaçada, para dizer o mínimo.

Esse é o risco que o PT optou por correr de forma deliberada ao usar a estratégia de militância de guerrilha, onde as ações são difusas assim mesmo. É por isso que pessoas como Eduardo precisam se esforçar tanto para criar desculpas inconvincentes.

Não existe uma lógica em o governo ou o PT promoverem uma fraude contra esses dois jornalistas. Mas essa não é a maior evidência lógica a desmontar as acusações explícitas e veladas contra a própria presidente da República, seu governo e seu partido.

Até agora as únicas evidências que tivemos é que Eduardo está desesperado arrumando desculpas furadas. A coisa chega ao nível da fanfarronice.

Mas existe uma lógica na campanha de difamação do PT contra jornalistas da grande mídia (que não pertençam à BLOSTA, é claro): vender a ideia de censura de mídia, o qual é um projeto que trará muitos dividendos ao partido, caso seja implementado. Alias, Eduardo é um dos líderes dessa estratégia. Quer enganar a quem, Eduardo?

O momento abaixo é hilário:

Este blogueiro mesmo já usou a rede de internet sem fio do Palácio do Planalto. Em novembro de 2010, participei de entrevista que o então presidente Lula concedeu a blogueiros e conectei meu notebook à rede palaciana.

Para vermos o nível de gente que usa a rede Wireless do Planalto. Tudo que faz parte dos objetivos do PT faz parte dos objetivos de Eduardo Guimarães. Mas o nome dele vai para a lista dos suspeitos…

A rede de internet sem fio do Planalto ou de qualquer outra sede do Executivo, seja federal, estadual, municipal ou mesmo do Legislativo ou do Judiciário, pode ser acessada sem problemas por visitantes.

Ai meu saco…

Falamos de visitantes ou hóspedes, Eduardo? Nós não estamos falando de uma alteração fortuita, mas de 170 (cento e setenta) alterações ao longo de três anos e meio, sempre em uma direção específica. A defesa dele é tão absurda e sem qualquer traço de desconfiômetro que parece até paródia de petistas. Mas lamentavelmente ele fala a sério.

Nas empresas privadas, nos shoppings, nos aeroportos, enfim, em qualquer local, público ou privado, há redes de internet sem fio franqueadas a visitantes. Desse modo, seria fácil a algum adversário político de Dilma, de Lula ou do PT fazer essa modificação na Wikipédia usando a rede do Planalto.

Adversários de Dilma entrando lá 170 vezes em três anos postando coisas que ajudem o PT? Eduardo deve estar querendo levar algum troféu de honra ao mérito da BLOSTA. Chega a ser cômico.

Para que? Para incriminar a presidente, seu governo, seu partido ou a campanha dela à reeleição.

Enfim, ele apela à  famosa teoria da conspiração. Só tem um problema que a implode por completo: todas as alterações na Wikipedia demoraram para ser descobertas, gerando capitalização para a esquerda por muito tempo. E só foram descobertas agora por sorte. Seria burrice apostar nisso.

Ademais, temos o histórico de “guerra virtual” por parte do PT, através dos MAV’s, enquanto os demais não tem tais tipos de tática. Qualquer um que estudar a formação de batalhões virtuais por parte do PT encontrará provas fartas, mas nada disso em relação aos outros partidos.

Alias, observe o nível do MAV:

Clique para ampliar
Clique para ampliar

Isso não é uma exceção, mas a regra. Sempre é nesse baixo nível a interação dessa gente. A alteração dos perfis de Míriam Leitão e Carlos Sardemberg possuem esse DNA. O DNA da baixaria levada ao limite da falta de honra, ética e dignidade.

Também o fato de existirem 170 alterações em vários períodos do tempo apontam para pessoas alinhadas ao PT, que estejam lá dentro o tempo todo, ao invés de pessoas “que vão visitar”.

Em suma, a hipótese de “armação contra Dilma” é mais inverossímil que final de filme de James Bond.

Restam as hipóteses de petralhas mesmo. Aí pode ser um bajulador, como Eduardo diz, mas também alguém do MAV, ou mesmo um funcionário do governo. Para qualquer uma dessas hipóteses, a ação pode ter ocorrido a mando do governo ou não. Todas as hipóteses estão em aberto.

Ao menos um fato já temos: jornalistas da BLOSTA, como Eduardo Guimarães, estão desesperados tentando falsificar a realidade. Quais os motivos? Fique de olho nessa gente…

Anúncios

11 COMMENTS

  1. Imagino que o cineasta a soldo do PT Jorge Furtado irá fazer um documentário sobre isso e um dos convidados a debater será esse caricato defensor de José Dirceu

  2. A burrice dele na parte de comentários ta,mbém é hilária:

    “O tal “dossiê dos aloprados”, se existiu, teve uma elaboração mínima e, supostamente, teria sido feito contra adversários políticos e em período eleitoral. Manipular perfis de 2 jornalistas na Wikipédia não tem finalidade nenhuma e pouquíssimos iriam ler. Acusar o governo ou seu partido disso é ridículo. E pode ter sido armação. Qualquer visitante poderia ter feito. Acusar alguém sem investigação alguma é uma leviandade”

    O mais irônico é o cara dizer que pertence a um “movimento dos sem mídia” tendo site próprio.

      • LH
        Se acha que a situação estava difícil agora,olhe a wiki da Leitão depois desse escândalo:

        “As Organizações Globo foram criticadas por divulgar alterações das biografias de seus contratados na Wikipédia, ferramenta de caráter colaborativo e aberta à edição de todos e que, segundo seu próprio criador, Jimmy Wales, não deve ser usada como fonte primária de informação.16

        Também foram criticadas por só terem noticiado as alterações em plena campanha eleitoral de 2014.16 ”
        Note essa ultima parte,pelo que parece,ficou em evidência mais a suposta crítica a divulgação do fato,do que o próprio escândalo por si só.

        E se acha isso demais,a fonte para a alegação da crítica,é o site vermelho.org.
        http://pt.wikipedia.org/wiki/Miriam_Leit%C3%A3o
        Aqui vai a wiki
        Para ter uma noção do que fizeram agora,o famoso morde e assopra.

  3. “Só alguém muito estúpido acharia “eficiente” fazer um ataque político como esse.”.

    Com essa frase ele parece estar acusando a própria Dilma de ter feito as edições.

  4. Alguém precisa explicar para Eduardo Guimarães que é nisso que dá quando um partido se dedica por décadas a fazer dossiês criminosos e falsos sobre os outros. E não é só que as pessoas terminem culpando o pt por essas manipulações toscas, elas vão culpar com toda razão, mas o pior é que o próprio pt não sabe mais fazer outra coisa: mentir sobre os outros de forma sorrateira vira vicio e método.

    Por outro lado, reconhecer o baixo nível intelectual de quem faz esse tipo de coisa é praticamente uma confissão de culpa contra o pt. Se quer saber, é fácil imaginar a própria governanta batendo furiosamente no teclado do super-computador presidencial enquanto fazia as alterações. Não estou dizendo que ela fez desta vez, apenas que ela faria com o maior prazer, já fez coisas piores, como o dossiê contra Dona Ruth Cardoso, uma das pessoas mais distintas e honestas que passaram por Brasília.

  5. A mensagem para esse cidadão Eduardo Guimarães, sobre o qual felizmente nunca havia ouvido falar, é a mesma para o Paulo Caganeira: você pode enganar uma meia dúzia de babacas que lêem teu blogzinho de merda lixo, agora, a mim, aos demais leitores do Luciano, aos leitores da (doam-se e esperneiem, tapados) VEJA, e até quem não lê nada disso mas passa longe desses blogs petistas, NÃO. A ESSES VOCÊ E SEUS AMIGOS NÃO CONSEGUEM ENGANAR, INFELIZES DO CARALHO.

    PETISTAS NÃO PASSARÃO.

Deixe uma resposta