O que há por trás da pressão desonesta lançada pela BLOSTA contra a imprensa livre?

8
37

patricia-bonner1

No dia em que a direita (ou ao menos a oposição, que nem é de direita) começar a pensar estrategicamente em termos políticos, teremos ótimas chances de fugir do totalitarismo bolivariano.

Mas a verdade é dura: precisamos tirar o chapéu para o desempenho petista em termos de guerra política. Eles simplesmente são o clone do Partido Democrata norte-americano por aqui, não em termos de propostas políticas mas em termos de estratégias e táticas.

Uma das táticas do momento é pressionar a mídia ao limite do absurdo. Quais os dividendos? São dois: (a) reforço da ideia de que a mídia é um problema e precisa ser regulada, (b) constrangimento dos jornalistas a atuarem em favor do PT.

Um dos novos recursos utilizados por eles nesse sentido é o site Manchetômetro, que publica análises ultra-suspeita alegando investigar um “viés” da mídia, mas sempre com um resultado óbvio: “a mídia bate demais no governo”. Uma matéria recente do site mostra as mesmas fraudes intelectuais que eu já havia apontado no texto Site pró-governista que diz investigar a mídia já começa com fraudes intelectuais escandalosas.

Vejamos a alegação:  “Entre janeiro e agosto de 2014, o JN dedicou 224 minutos à Dilma, dos quais 137 foram neutros, 4 favoráveis e 83 contrários. No mesmo período, o JN dedicou 43 minutos a Aécio, dos quais 29 neutros, 8 favoráveis e 6 contrários. Prova-se com isso que nas matérias Economia e Política, Dilma é muito mais criticada que Aécio, que, por sua vez, tem mais menções positivas. Há viés em favor de Aécio.”

Só que mais uma vez temos o famoso caro de mentira com estatísticas, ou pelo menos estatísticas deliberadamente incompletas para enganar a patuleia.

Trataremos aqui de três hipóteses:

  • Hipótese 1: Há viés na mídia contra o governo
  • Hipótese 2: Há viés na análise de indicadores do Manchetômetro
  • Hipótese 3: Nem um nem outro, e os eventos do período mostram que a mídia atuou de forma imparcial
  • Hipótese 4: Nem um nem outro, e os eventos do período mostram que a mídia atuou de forma parcial em favor do governo
  • Hipótese 5: Há viés na análise de indicadores do Manchetômetro, e mesmo assim isso não esconde que a mídia atuou de forma parcial em favor do governo

A primeira hipótese se sustentaria se o Manchetômetro tivesse uma análise valendo ao menos uma pataca. Como já mostrei anteriormente, isso não acontece. As hipóteses 2, 3, 4 e 5 devem ser avaliadas.

Consideremos, por exemplo, o eterno problema da extrema-esquerda em julgar os fatos do mundo. Assim, quando você os elogia, eles dizem que sua avaliação é neutra, e quando você é neutro em relação a eles, eles dizem que você está se posicionando de forma contrária. Da mesma forma, quando você é neutro em relação aos oponentes deles, eles dizem que você está elogiando. E quando você critica seus oponentes, dizem que você age de forma neutra. A extrema-esquerda sempre julgou as coisas assim, por que agora seria diferente?

Tendo isso em mente, considere os dados do gráfico divulgado pelo Manchetômetro para Aécio e Dilma, onde “NE = Neutro”, “FA = Favorável” e “CO = Contra”:

  • Dilma: NE (137), FA (4), CO (83)
  • Aécio: NE (29), FA (8), CO (6)

Observação: eu arredondei todos os números para cima, para facilitar as coisas para o leitor.

Porém, se considerarmos a regra anterior, esses números de neutros (NE), favoráveis (FA) e contrários (CO) estariam todos distorcidos. Levando em conta que a pesquisa é feita por um petista, precisamos criar um quadro alternativo.

Por caridade, eu não usarei minha regra a risca. Por isso, ao invés de dizer que, por exemplo, sempre que um petista encontra alguém neutro em relação a eles diz que está contra, direi que em 75% das vezes isso ocorre. Apenas por caridade, como já disse.

Sendo assim, precisamos fazer os seguintes ajustes nos números:

  • Para Dilma, 75% dos minutos neutros viram positivos e 75% dos minutos negativos viram neutros
  • Para Aécio, 75% dos minutos positivos viram neutros e 75% dos minutos negativos viram negativos

Estes seriam os novos números:

  • Dilma: NE (97), FA (107), CO (21)
  • Aécio: NE (7), FA (8), CO (28)

Ei, espere aí, pois alguém com certeza fará esta pergunta: “você criou novos números a partir de uma hipótese não-provada?”

Não é bem isso: eu forneci novos números considerando uma mudança de análise, levando em conta um tradicional perfil demonstrado pelos petistas. O que estou dizendo é que  tanto meus números como aqueles apresentados pela turma de João Feres Jr. podem ser verdadeiros.

E como ele provaria que eu estou errado? Simples: para cada barra no gráfico ele necessariamente teria que nos mostrar um link nos levando para todos os eventos geradores da somatória. Assim, para uma barra do gráfico dizendo “Aécio –contrário: 5:35”, veríamos uma lista com os seguintes dados:

  • Evento
  • Dia
  • Duração
  • Descrição da mensagem avaliada
  • Avaliador
  • Duração

O problema é que todos os dados foram escondidos, como sempre eles fazem, o que invalida obviamente os gráficos.

Por isso, precisamos ir para as hipóteses 3, 4 e 5, considerando que os gráficos pudessem estar corretos, o que duvido muito.

Pois bem, a mera suposta correção do gráfico ainda não serve para provar que existe um viés do JN contra Dilma, exatamente por que tivemos vários fatores, como, por exemplo, o desconhecimento do público em relação a Aécio (ou seja, ele ainda não era notícia), assim como uma lista longa de escândalos envolvendo os governistas.

Entre os escândalos do governo Dilma, tivemos a fraude na CPI da Petrobrás, o Mensalão (que sempre tem desdobramentos), o Porto de Mariel em Cuba, a questão dos escravos cubanos, e agora o Wikipediagate. Enquanto isso, em termos de escândalos para o outro lado, tivemos a questão do aeroporto de Cláudio. E só. Para piorar a imagem do governo, este é um ano de recessão.

Ou seja, considerando, a título de caridade, que os gráficos do Manchetômetro sejam verdadeiros, ainda assim eles não provam viés da mídia contra Dilma. Pelo contrário, com um ano tão desastroso, a existência de mais minutos neutros do que contrários já é um indicativo de que há viés na mídia… a favor de Dilma.

Mesmo assim, os próprios gráficos do Manchetômetro não estão validados, pois omitiram todos os registros que levaram aos seus números. Isso quer dizer que os números do Manchetômetro ainda não tem nenhum valor de evidência. Em outras palavras, o viés na mídia a favor de Dilma pode ser muito pior. Podemos tanto apontar para a hipótese 4 como a hipótese 5.

Mesmo assim, como de costume, a BLOSTA tem induzindo seus leitores a continuar achando que há um viés da mídia contra Dilma e o PT. Foi o suficiente para um petista lançar uma denúncia ao Ministério Público.

Veja, conforme matéria do Brasil247:

por Osvaldo Ferrera

Ilmo(a) Sr.(a),

Sua manifestação foi cadastrada com sucesso!

Numero da manifestação: 62413

Data da manifestação: 10/08/2014

Descrição:

Douto Ministério Público Federal,

A Rede Globo de Televisão no ano de de 2014, ano de eleições gerais, conforme pesquisa do Manchetômetro, que é um website de acompanhamento diário da cobertura das eleições de 2014 na grande mídia, especificamente nos jornais Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo, e no Jornal Nacional, da TV Globo e produzido pelo Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP), grupo de pesquisas com registro no CNPq, sediado no Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), instituição sem qualquer filiação partidária ou com grupo econômico, vem produzindo de forma sistemática noticiário amplamente desfavorável, tendencioso eleitoralmente, partidário e desequilibrado em desfavor do Partido dos Trabalhadores e da candidata à reeleição à Presidência da República Dilma Rousseff do Partido dos Trabalhadores em seu jornal diário televisivo denominado Jornal Nacional, de grande alcance por todo o país e capaz de influenciar eleitoralmente a opinião de parcelas majoritárias dos brasileiros, em todos os rincões do país, um função de sua audiência.

Como o espectro eletromagnético de transmissão televisiva pela CF/88 é de propriedade da União, quero dizer público, podendo ser concedido pela União à iniciativa privada, como é o caso da Rede Globo de Televisão, a sua regulação, mesmo sob concessão, deve seguir os parâmetros legais vigentes para todo serviço público sob concessão ou não, quais sejam, o da supremacia do interesse público, da transparência, do controle e como as agências reguladoras que deveriam exercer a fiscalização, controle e, sobretudo, o poder regulador incidente sobre serviços delegados a terceiros não têm se mostrado competentes para coibir o uso evidentemente partidário do Jornal Nacional da Rede Globo, cuja evidência se encontra na pesquisa supra mencionada que vem sendo realizada pelo Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP), grupo de pesquisas com registro no CNPq, sediado no Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), venho em nome da minha prerrogativa sagrada pela CF/88 (Direito de petição), como cidadão solicitar que o MPF atue neste caso, salvo melhor juízo, de flagrante violação da legislação das concessões públicas no espectro eletromagnético que pertence à totalidade dos cidadãos, sendo portanto Rés Publica e não domínio privado, procedimento que adotado pela Rede Globo de Televisão no seu Jornal Nacional, pode influenciar a opinião e a consciência do eleitor brasileiro em um ano de intensa disputa eleitoral e democrática. Não é possível que tamanha disparidade na orientação dos noticiários possa ser entendida como algo normal, haja vista a pesquisa da Universidade Estadual do Rio de Janeiro e ainda mais em um ano eleitoral.

Também venho por intermédio desta petição ao Douto MPF solicitar a notificação do MPE (Ministério Público Eleitoral) em âmbito federal, bem como à ANATEL e ao Ministério das Comunicações.

Certo de que as providências legais ao caso relatado serão tomadas sem demora, tendo em vista a celeridade do processo eleitoral, instruo a presente manifestação com o link do site Manchetômetro, que tem causado alvoroço nas redes sociais e já é de domínio e conhecimento de centenas de milhares de brasileiros eleitores.

http://www.manchetometro.com.br/

Sobre o Jornal Nacional no Manchetômetro:

http://www.manchetometro.com.br/analises/jornal-nacional/

São Paulo, 10 de agosto de 2014.

Osvaldo Ferreira

Solicitação:

Que o MPF apure mediante as provas juntadas, desvio de função da Rede Globo de Televisão, como concessionária do espectro eletromagnético nas transmissões televisivas em desfavor de um partido político, “in casu” o PT, Partido dos Trabalhadores, justamente em um ano eleitoral.

O que isso quer nos dizer? Que os petistas estão trabalhando arduamente junto aos seus militantes no intuito de para pressionar a mídia livre a fim de que esta “afrouxe” para Dilma.

Claro que a denúncia ao MPF é uma falsa denúncia, a ser encarada na base da piada por qualquer pessoa séria.  Mas há um detalhe: há um elemento de pressão. É claro que tudo não passa de um blefe com objetivos claros.

Comportamentos assim são feitos para incitar o ódio da massa petista contra a imprensa e motivá-los a fazer movimentos soviéticos para implementar a censura de mídia. Isso com certeza pode servir como uma ameaça para os jornalistas.

Ontem todos puderam assistir o comportamento até anti-ético dos jornalistas da Globo diante de Aécio, comprovando o viés do programa em favor de Dilma. Muito provavelmente essa pressão toda feita pelos petistas agora é para que amanhã (13/08)  tanto William Bonner como Patrícia Poeta façam apenas rasgação de seda para a presidente.

Se é assim que o jogo está sendo jogado, após a entrevista de Dilma, trarei neste blog uma análise de frames não dos entrevistados, mas dos entrevistadores. Cada frase será desconstruída de forma metodológica mostrando quantos frames positivos/negativos foram usados pelos entrevistadores contra cada um dos candidatos.

E tudo será feito de forma diametralmetne oposta à forma como o Manchetômetro trabalha.  Nenhum evento sob análise será escondido, mas exibido para ser questionado e disputado.

E, para tornar tudo mais interessante, sugiro que se mandem e-mails para a Rede Globo antecipando as suspeitas sobre o que vai acontecer na entrevista de amanhã. William Bonner e Patrícia Poeta vão facilitar a vida de Dilma? Se fizerem isso, terei acertado. A análise dos frames será feita na quinta ou na sexta.

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Luciano, o que acha de tratar de páginas com memes desonestos que a esquerda tem criado. Olha esse que fala que o Homestead Act que existiu nos EUA era uma reforma agrária americana. O meme só esquece de dizer que que ele foi criado pelo partido republicano e que funcionava como a lei de usucapião e não reforma agrária.

    https://www.facebook.com/unicornios.satanicos/photos/a.239612116240480.1073741827.239180916283600/293313684203656/?type=1&theater

  2. a Globo tem em sua linha editorial pedido que todas as entrevistas com candidatos sejam duras.
    aqui em Goias jah ha anos vem sendo dura com qualquer candidato.
    espero que continue assim.
    entrevistas duras com todos.
    duvido que vc acerte.
    o mais provavel, na minha visao, eh que Dilma vai levar uma surra tb.
    assim como todos.
    eu vou assistir rindo. e lembrando de vc…

  3. Boa análise, mas o pensamento canhoto da sinistra não perde tempo com números, eles já definiram seus dogmas e se dedicam apenas a repetir suas ideias pre-concebidas sobre qualquer tema em discussão.

    A essência da análise sobre a impressa está frase de um socialista que eles não gostam de ler, George Orwell que definiu: “Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.”

    E veja que se fosse por figuras como lula ou franklin martins, o problema da imprensa estaria resolvido à moda cubana ou venezuelana: fecha esse desperdiço de papel e vamos todos cantar os mantras e elogios ao ditador de turno. Então, argumentar é bom, mas o importante é defender a necessidade da imprensa livre contra os ataques bolivarianos, deixar claro que o Brasil é um pais com imprensa livre, gostem eles ou não.

  4. Coitado do Fernandinho Beira Mar. Nunca vi um único minuto favorável a ele. Tento buscar aqui na memória, mas acho que nem um minuto neutro foi dedicado a esse cidadão brasileiro, que é, diga-se de passagem, uma vítima da sociedade. Acho que vou enviar um e-mail ao MPF pedindo investigação da mídia por conta das notícias tendenciosas que têm sido veiculadas sobre o cidadão em questão.

  5. Luciano, mais meios marxistas-humanistas-neoateístas fomentando a briga. Agora é a vez do Viomundo e o Pregmatismo Político reclamarem do Roger do Ultraje a Rigor por ele ter brigado com o Marcelo Rubens Paiva. Tudo começa com o Marcelo declarando o seguinte na Flip:

    “Vou falar de um amigo, que não vai gostar. O Roger (do Ultraje a Rigor). Ele escreveu musicas ícones da campanha da Diretas Já, os versos ‘somos inútil, a gente não sabemos escolher presidente’. Hoje, ele acusa a Dilma de terrorista. Se até pessoas que participaram da redemocratização tem posições confusas, imagina as crianças da nova geração que moram na periferia das grandes cidades.”

    Fica a pergunta ao escritor: por acaso alguém que apoiasse o fim da ditadura militar teria de obrigatoriamente apoiar marxistas-humanistas-neoateístas? E por acaso o Roger não tem o direito de se desiludir com o marxismo-humanismo-neoateísmo? Por acaso alguém que apoiasse o fim da ditadura teria de obrigatoriamente apoiar guerrilheiros cujo objetivo era a implantação de uma ditadura comunista clássica? Segue o vídeo que deu margem à troca de tweets com farpas:

Deixe uma resposta