Felipe Neto faz papel de pateta diante de feministas

79
441

felipeneto

Precisamos dos comentários de Felipe Neto da mesma forma que precisamos de um chute nas bolas. Ele simplesmente nunca foi capaz de fazer um vídeo abordando qualquer assunto que seja de forma relevante.

O problema não são as opiniões em si, mas a mistura de generalismo e superficialidade falando daquilo que não sabe. Quem opina sobre o que não conhece, sempre faz papel de palhaço. Como exemplo recente deste tipo de atitude, tivemos o tal do Pirulla tratando a questão do conflito Hamas X Israel como se fosse uma jogada de WAR.

No fenômeno dos vlogueiros generalistas, Felipe Neto realmente se destacou como mestre na arte de falar bobagem. Pelo menos ele anda ganhando muito dinheiro com isso (provavelmente mais do que qualquer outro no Brasil nesse ramo), morrendo de rir do bando de pascácios que o seguem. Nunca se ganhou dinheiro tão fácil.

Mesmo assim, a ignorância dele em relação a todos assuntos que aborda nos oferece alguns momentos cômicos, como este tweet, no qual ele tenta definir o que é ou não é o feminismo:

felipe1

Tudo o que ele sabe o feminismo é isso: o frame “feminismo” parece bonitinho (mesmo que ele talvez nem saiba o que é frame), capaz de dar uma imagem de “moderno” a quem o usa, e, portanto, deve ser legal… e bacana.

Tivesse ele estudado sobre o histórico do feminismo, saberia que desde o começo o movimento foi uma emulação do discurso marxista dividindo as pessoas em classes, com a geração de ódio artificial da “classe oprimida” contra a “classe opressora”, o qual é essencial para a obtenção de dividendos políticos. Se tivesse estudado o iluminismo britânico, também saberia que não precisamos do feminismo para a conquista de direitos iguais, pois desde aquela época já se defendia a igualdade de direitos.

Em resumo: basta estudar de forma intelectualmente honesta o que significa o feminismo para saber que ele sempre foi um embuste desde o início. Mas como Felipe Neto jamais estudou os assuntos que abordou (como já disse, a meta dele é o generalismo e a superficialidade), o resultado não poderia ser outro que não esse:

felip2

Divertidíssimo! Em um instante, ele falava o que o feminismo representava ou não representava, e no instante seguinte era enquadrado por feministas usando expressões politicamente bem treinadas como “quem é vocé para X?”.

Claro que se alguém for explicar a Felipe o que significa retórica de guerra de classes, ele não vai entender nada. Restou a ele apelar ao emocional, questionando “me odeia também por que sou homem?”. Uma ingenuidade tão grande que nem foi respondida.

A vida de Felipe Neto sempre foi se dar bem falando bobagem para um bando de patetas. Mas neste dia ele fez o papel de pateta.

Anúncios

79 COMMENTS

      • Joane,

        Ué… o que tem o cu a ver com as calças?

        Uma coisa é um filósofo dizer que as mulheres são irracionais, OUTRA COISA COMPLETAMENTE DIFERENTE é eles estipularem um sistema de pensamento que permitiu que as mulheres pudessem contradizer este discurso, ou mesmo escrever outro discurso em retorno dizendo que IRRACIONAL é quem afirma (x).

        Ou seja, o iluminismo te permitiu isso. É só ao feminismo que as conquistas femininas devem.

        Abs,

        LH

    • “Precisamos odiar. O ódio é a base do comunismo. As crianças devem ser ensinadas a odiar seus pais se eles não são comunistas.”
      (Lenin)

    • Essa doença permitiu que você votasse, fizesse faculdade, casasse com quem escolheu, tivesse acesso ao mercado de trabalho protegida pela lei (mulheres negras e pobres sempre trabalharam, mas era trabalho informal), licença maternidade…

      E hoje o feminismo luta contra a violência contra a mulher, por direitos reprodutivos, contra a exploração.

      Vai cuspir no prato onde comeu, coleguinha?

      • Laura,

        Vamos parar com essa conversinha de dizer que “conquistas são devidas ao feminismo”, pois direitos iguais já eram discutidos desde o iluminismo.

        Aqui este truque não cola, ok?

        Não precisamos de feminismo para absolutamente nada.

        Abs,

        LH

      • Laura, eu vou aceitar a priori que foi o movimento feminista que conseguiu o direito ao voto para as mulheres e que não foram as suffragettes que conseguiram isso.
        Lembrando que as suffragettes, que foram as primeiras mulheres a reivindicarem a direito ao voto para a mulher, não eram “feministas” exatamente porque o “movimento feminista” não existia nessa época.
        A Wikipédia distorceu essa parte da História (porque provavelmente foi escrito por uma feminista ortodoxa) dizendo que o sufragismo foi a “primeira onda” e as feministas norte-americanas foram “segunda onda”, mas isso é mentira porque o movimento feminista dos anos 60 não tinham NADA a ver com o sufragismo praticado a mais de 30 anos atrás da década de 60 no Ocidente.
        O sufragismo depois de ter conseguido seu objetivo, se desintegrou. Não virou um “movimento” igual as feministas querem que seja. Ele ficou “morto” por 30 anos na história até virem as feministas frankfurtianas dos anos 60 e disserem que o sufragismo “faz parte do movimento feminista”.
        Quem usurpou os méritos das suffragettes e distorceu o que é “sufragismo” e “movimento feminista” foram as feministas do anos 60, e ainda hoje existem pessoas que tomam isso como um fato histórico.

        Escrevi esse texto para você perceber como o Feminismo é inútil, igual o Abolicionismo.

        Engraçada a demagogia das feministas: Se você apoia direitos iguais, então você é feminista.
        Será que elas não percebem que “direitos iguais entre sexos” remetem a “humanismo”, “isonomismo” e “iluminismo”, mas não em “masculinismo” ou “feminismo”?

        O Feminismo foi um movimento (FOI, pois é inútil atualmente) que pode muito bem ser comparado ao Abolicionismo (mesmo as mulheres não tendo sofrido nem perto o que os escravos sofreram) que conseguiu o seu objetivo de conseguir direitos iguais entre os sexos HÁ MUITO TEMPO.

        Se um branco hoje é a favor de direitos iguais para brancos e negros, ele não é “abolicionista”, ele é um cidadão que segue a Constituição e pode ser chamado de “humanista” ou até “igualitarista” (se é que isso existe), mas não “abolicionista”.

        Mesma coisa hoje, se um homem ou uma mulher são a favor de direitos iguais para homens e mulheres, eles não são “feministas” ou “masculinistas”, eles são cidadãos que seguem a Constituição e podem ser chamados de “humanistas” ou “iluministas”, mas é estúpido chamarem os dois de “feministas”, pois o feminismo lutou pelos direitos DAS MULHERES, não pelos direitos dos homens (direitos esses que os homens conquistaram com revoluções violentas e derrubadas sangrentas de aristocracias).

        Ou seja, são movimentos que já possuem seu objetivo completo que foi equilibrar a balança dos direitos dos homens e mulheres e dos brancos e negros lutando por apenas um lado (o das mulheres e o dos negros), mas se continuarem a existir irão fomentar ódio contra certo grupo. Dando a impressão que esses grupos AINDA te oprimem. O que não é verdade.

        Feminismo e Abolicionismo foram movimentos importantes do passado que merecem sua devida atenção nos livros de história, em documentários e em algum dia do ano, mas criarem centenas de páginas, centenas de sites para ficar louvando QUASE UM SÉCULO (sim mulheres votam desde a década de 30 aqui no Brasil) depois das mulheres poderem votar, isso é complexo de inferioridade e retórica de guerra de classes.

        Para uma mulher ter sucesso, ela não precisa do feminismo, ela precisa de esforço próprio e da Legislação Brasileira. Se o movimento feminista acabar HOJE, não se preocupe com nada, o governo brasileiro assegurará todos os seus direitos como cidadã por causa da Constituição.
        E outra, mulheres já trabalhava fora antes mesmo do feminismo sequer existir.

        Para um negro ter sucesso, ele não precisa mais do abolicionismo, ele precisa de esforço próprio e da Legislação Brasileira. O governo brasileiro assegura todos os direitos dele como cidadão por causa da Constituição.

        A luta contra o racismo possui mão dupla, não se chama “negrismo” ou “branquismo”.

        A luta contra o sexismo NÃO possui mão dupla, sempre vai se chamar feminismo e o movimento se foca 99% da militância apenas no grupo das mulheres. Se feminismo fosse o mesmo que “igualdade”, se chamaria “isonomismo”.

        Feministas precisam atualizar suas cabecinhas ao pensar que vivem 90 anos atrás e pensar que ainda precisam de um movimento que se foca em apenas um grupo e que esse movimento luta pela “igualdade”.

        Falam bastante da “conquista histórica do voto pelo feminismo” (repetindo, mulheres já trabalhavam fora antes mesmo do feminismo sequer existir), agora como os Homens COMUNS conseguiram o direito ao voto?
        Homens COMUNS (não reis, rainhas, príncipes, princesas, burgueses amigos do rei) adquiriram o direito ao voto com revoluções violentas, milhões de mortes contra seus opressores e derrubadas do poder aristocrático inúmeras vezes.
        Como pode ver, a luta para o homem COMUM conseguir o direito ao voto foi muito mais difícil, mais longa, muito mais exaustiva e muito mais sangrenta do que a luta para a mulher conseguir o voto. (Eu estou contando do ínicio das lutas até o fim das mesmas, perceba).
        O direito ao voto para o Homem deveria SER MUITO MAIS COMEMORADO do que o direito ao voto para a mulher, afinal o direito ao voto para a mulher foi uma luta muito mais curta e muito mais fácil do que o direito ao voto do homem.
        Em poucas décadas de pressão e passeatas SEGURAS para cederem o direito ao voto, já foi consedido esse direito.
        Já o direito ao voto para o homem COMUM foram SÉCULOS de lutas intelectuais e de lutas físicas para conseguirem esse direito.
        Até nisso, as lutas masculinas foram esquecidas. Dá-se a impressão que sempre o homem COMUM sempre foi favorecido e privilegiado.

        Espero que tenha aprendido que o “Feminismo”, “Masculinismo” e qualquer coisa parecida é simplesmente inútil.

        E como o Luciano disse: direitos iguais já eram discutidos desde o iluminismo e principalmente por HOMENS iluministas.

        Aqui este truque não cola, ok?

        Não precisamos de feminismo para absolutamente nada.

      • ‘E hoje o feminismo luta contra a violência contra a mulher, por direitos reprodutivos, contra a exploração.’

        Nope, esse é só o marketing pra enganar otári@s, basta prestar um pouco mais de atenção nesse pessoal pra ver que a coisa é muito diferente.’Direitos reprodutivos’ por ex, é aborto, opressão…opressão por ex é o otário do Felipe Neto tentando AJUDAR el@s. E por aí vai.

      • O feminismo permitiu a mulher votar? Kkkkkkk. Engraçado: pelo que sei foi UM HOMEM quem concedeu esse direito. Estude mais e vai sabe r mais viu. Feminismo é um movimento que visa unicamente a luta de classes. Só isso. E por isso não significa nada para a VERDADEIRA mulher.

      • “Você é macho baby esse movimento não é seu” garota do scan

        Um movimento horizontal como elas chamam não tem líder e pertence ao coletivo.

        Logo se você faz parte desse coletivo/movimento você não é macho ou você é macho e o feminismo não lhe cabe.

        Culminando em “Homem feminista não é homem. Sem mais”

      • Olha, sinceramente, você acabou de falar baboseira. Se mulheres podem ser machistas, pq homens não podem ser feministas?
        E outras, femininos NÃO É elevação do sexo feminino, muito menos odiar homens. Feminismo é querer ter igualdade entre os dois sexos. Eu quero ter igualdade entre os dois sexos, logo, sou feminista.
        E aliás, estou pouco me importando pelo o que a garota do scan disse. A partir do momento em que ela elevou o sexo feminino, ela deixou de ser feminista. A definição de feminismo no dicionário Michaelis é “Movimento iniciado na Europa com o intuito de conquistar a equiparação dos direitos políticos e sociais de ambos os sexos.”, ou seja, a partir do momento em que você se desvia disso, você não é feminista.

      • Pare de fazer papel de otário.
        Igualdade de direitos, independente do sexo, é ideia iluminista, não feminista.
        Você não conhece o feminismo, não sabe do que fala e está usando o rótulo apenas para parecer “muderrno”. Apenas soa caricato e infantil.

        Abs,

        LH

      • Biel, eu vou aceitar a priori que foi o movimento feminista que conseguiu o direito ao voto para as mulheres e que não foram as suffragettes que conseguiram isso.
        Lembrando que as suffragettes, que foram as primeiras mulheres a reivindicarem a direito ao voto para a mulher, não eram “feministas” exatamente porque o “movimento feminista” não existia nessa época.
        A Wikipédia distorceu essa parte da História (porque provavelmente foi escrito por uma feminista ortodoxa) dizendo que o sufragismo foi a “primeira onda” e as feministas norte-americanas foram “segunda onda”, mas isso é mentira porque o movimento feminista dos anos 60 não tinham NADA a ver com o sufragismo praticado a mais de 30 anos atrás da década de 60 no Ocidente.
        O sufragismo depois de ter conseguido seu objetivo, se desintegrou. Não virou um “movimento” igual as feministas querem que seja. Ele ficou “morto” por 30 anos na história até virem as feministas frankfurtianas dos anos 60 e disserem que o sufragismo “faz parte do movimento feminista”.
        Quem usurpou os méritos das suffragettes e distorceu o que é “sufragismo” e “movimento feminista” foram as feministas do anos 60, e ainda hoje existem pessoas que tomam isso como um fato histórico.

        Escrevi esse texto para você perceber como o Feminismo é inútil, igual o Abolicionismo.

        Engraçada a demagogia das feministas: Se você apoia direitos iguais, então você é feminista.
        Será que elas não percebem que “direitos iguais entre sexos” remetem a “humanismo”, “isonomismo” e “iluminismo”, mas não em “masculinismo” ou “feminismo”?

        O Feminismo foi um movimento (FOI, pois é inútil atualmente) que pode muito bem ser comparado ao Abolicionismo (mesmo as mulheres não tendo sofrido nem perto o que os escravos sofreram) que conseguiu o seu objetivo de conseguir direitos iguais entre os sexos HÁ MUITO TEMPO.

        Se um branco hoje é a favor de direitos iguais para brancos e negros, ele não é “abolicionista”, ele é um cidadão que segue a Constituição e pode ser chamado de “humanista” ou até “igualitarista” (se é que isso existe), mas não “abolicionista”.

        Mesma coisa hoje, se um homem ou uma mulher são a favor de direitos iguais para homens e mulheres, eles não são “feministas” ou “masculinistas”, eles são cidadãos que seguem a Constituição e podem ser chamados de “humanistas” ou “iluministas”, mas é estúpido chamarem os dois de “feministas”, pois o feminismo lutou pelos direitos DAS MULHERES, não pelos direitos dos homens (direitos esses que os homens conquistaram com revoluções violentas e derrubadas sangrentas de aristocracias).

        Ou seja, são movimentos que já possuem seu objetivo completo que foi equilibrar a balança dos direitos dos homens e mulheres e dos brancos e negros lutando por apenas um lado (o das mulheres e o dos negros), mas se continuarem a existir irão fomentar ódio contra certo grupo. Dando a impressão que esses grupos AINDA te oprimem. O que não é verdade.

        Feminismo e Abolicionismo foram movimentos importantes do passado que merecem sua devida atenção nos livros de história, em documentários e em algum dia do ano, mas criarem centenas de páginas, centenas de sites para ficar louvando QUASE UM SÉCULO (sim mulheres votam desde a década de 30 aqui no Brasil) depois das mulheres poderem votar, isso é complexo de inferioridade e retórica de guerra de classes.

        Para uma mulher ter sucesso, ela não precisa do feminismo, ela precisa de esforço próprio e da Legislação Brasileira. Se o movimento feminista acabar HOJE, não se preocupe com nada, o governo brasileiro assegurará todos os seus direitos como cidadã por causa da Constituição.
        E outra, mulheres já trabalhava fora antes mesmo do feminismo sequer existir.

        Para um negro ter sucesso, ele não precisa mais do abolicionismo, ele precisa de esforço próprio e da Legislação Brasileira. O governo brasileiro assegura todos os direitos dele como cidadão por causa da Constituição.

        A luta contra o racismo possui mão dupla, não se chama “negrismo” ou “branquismo”.

        A luta contra o sexismo NÃO possui mão dupla, sempre vai se chamar feminismo e o movimento se foca 99% da militância apenas no grupo das mulheres. Se feminismo fosse o mesmo que “igualdade”, se chamaria “isonomismo”.

        Feministas precisam atualizar suas cabecinhas ao pensar que vivem 90 anos atrás e pensar que ainda precisam de um movimento que se foca em apenas um grupo e que esse movimento luta pela “igualdade”.

        Falam bastante da “conquista histórica do voto pelo feminismo” (repetindo, mulheres já trabalhavam fora antes mesmo do feminismo sequer existir), agora como os Homens COMUNS conseguiram o direito ao voto?
        Homens COMUNS (não reis, rainhas, príncipes, princesas, burgueses amigos do rei) adquiriram o direito ao voto com revoluções violentas, milhões de mortes contra seus opressores e derrubadas do poder aristocrático inúmeras vezes.
        Como pode ver, a luta para o homem COMUM conseguir o direito ao voto foi muito mais difícil, mais longa, muito mais exaustiva e muito mais sangrenta do que a luta para a mulher conseguir o voto. (Eu estou contando do ínicio das lutas até o fim das mesmas, perceba).
        O direito ao voto para o Homem deveria SER MUITO MAIS COMEMORADO do que o direito ao voto para a mulher, afinal o direito ao voto para a mulher foi uma luta muito mais curta e muito mais fácil do que o direito ao voto do homem.
        Em poucas décadas de pressão e passeatas SEGURAS para cederem o direito ao voto, já foi consedido esse direito.
        Já o direito ao voto para o homem COMUM foram SÉCULOS de lutas intelectuais e de lutas físicas para conseguirem esse direito.
        Até nisso, as lutas masculinas foram esquecidas. Dá-se a impressão que sempre o homem COMUM sempre foi favorecido e privilegiado.

        Espero que tenha aprendido que o “Feminismo”, “Masculinismo” e qualquer coisa parecida é simplesmente inútil.

      • ‘Feminismo é querer ter igualdade entre os dois sexos. Eu quero ter igualdade entre os dois sexos, logo, sou feminista.’

        (facepalm) mais um que engole tudo que é propaganda sem pensar…
        Ò meu fi, vc acha que quem quer vender um carro com motor batido vai falar que ta com o motor batido? Vc acha que quem quer vender o feminismo vai falar que o feminismo é um movimento de ódio, um movimento planejado pela escumalha esquerdista, (socialistas fabianos, escola de Frankfurt etc) com o objetivo de separar as pessoas, criar uma nova divisão de classes e em última instância, dar poder pro governo?
        Ou que essa história de ‘gênero é construção social’ é mentira e eles sabem disso?
        Olhe em 8:20
        https://www.youtube.com/watch?v=YTOFXLl7eh4

        É CLARO que el@s não vão falar nada disso, é claro que vão falar essa merda de luta por igualdade, e é claro que sempre vai ter um ou outro coitado que vai acreditar.

      • Cara. Se feminismo é o movimento que prega a igualdade entre homens e mulheres, como se chama o movimento que prega que as mulheres são superiores? E mais, O que é o humanismo?

      • Femismo.
        Humanismo é a ideia de que o ser humano é superior, sendo comparável a um “deus” (ou algo assim. SInto muito, humanistas, se disse besteira, mas até onde eu sei, não é conceito de igualdade. Se minhas fontes estiverem erradas, a culpa não é minha)

    • Putz Biel… vai estudar cara… essas ondas feministas sao todas marxistas heterodoxas… logicamente, sao humanistas porque o marxismo é humanista ou melhor ‘neo-humanista’;

  1. O sonho de vida do Felipe Neto sempre foi trabalhar no PROJAC. Convenhamos que não se pode esperar muito de uma pessoa cujo norte profissional é a Rede Globo.

  2. Pra deixar de ser idiota – feministo tem é que se ferrar.

    É bom que fica cada dia mais claro que feminismo é sim misandria, psicopatia, insanidade esquerdismo e que quem defende isso tinha que ganhar uma passagem pra Arábia Saudita.

  3. Apanhou feito mala velha. Isso acontece sempre que alguém tenta tratar animal selvagem como domesticado. Exemplo: afagar um tigre como se fosse o Mimi.

    • Veio-me à memória uma fábula de Esopo/La Fontaine, de um homem muito caridoso que abriga em casa uma “pobre” cobra abandonada ao relento. Mal o ofídio recobre as forças investe num bote contra seu “amado” salvador.

  4. Mesmo depois dessa resposta: “Misandira representa sim, e vá a merda.”.
    Ele continua achando que feminismo é coisa de gente “boazinha”.
    É um completo pateta.

    • Mesmo depois dessa resposta: “Misandria representa sim, e vá a merda.”.
      Ele continua achando que feminismo é coisa de gente “boazinha”.
      É um completo pateta.

      • “Misandria representa sim, e vá a merda.”

        Se depois de uma afirmação desta, o sujeito não perceber que “feministo” ou “homem feminista” é a mulher de malandro com sinal invertido. O ideal é que ele vá a merda mesmo.

  5. Como Felipe Neto é inocente, meu Deus!

    Esse discurso generalista, ignorante e mal articulado é tudo o que as feminazis querem! É esse tipo de situação que reforça o “ideal” delas, alavancando que o feminismo é X e você não é ninguém para comentar sobre X e ACABOU! Espero que alguém abra os olhos deste cara e o mostre que não se trata apenas de divergências de opinião, mas sim, de uma inversão de valores e “censura” a qualquer tipo de debate.

    Ademais, sobre o mesmo feminismo, um programa global chamado “Na Moral”, apresentado nessa última quinta feira, fez um debate entorno deste mesmo tema. Não assisto esse tipo de programa e imagino que você também não os veja, Luciano, e gostaria até de uma análise sua sobre o assunto, pois me surpreendeu positivamente a performance da Talyta Carvalho. A moça (que me encantou aos olhos pela beleza) utilizou os frames da melhor maneira possível, argumentou de maneira calculada toda e qualquer falácia feminista e calou a boca de pessoas como Anitta (que se diz adepta ao feminismo, mas que não me surpreenderia a nada, se a mesma mostrasse total ignorância sobre o assunto).

    Não sei se você tem conta no globo.com para poder assistir, mas deixo a minha sugestão aqui para você dar os seus pitacos e analisar com a sua sensatez de sempre.

    http://globotv.globo.com/rede-globo/na-moral/v/na-moral-programa-do-dia-14082014-na-integra/3565194/

    • Putz, assisti esse programa e fiquei surpreso como essas feministas são previsíveis.

      Na hora que em puseram a Talyta Cardoso e a Feminista doutora em Ciência Política pra debatarem, na hora que a Talyta abriu a boca, a outra destilou um olhar FURIOSO pra ela. FURIOSO. Sangue nos olhos, só por notar que o discurso que viria seria desmerecendo o deus feminismo.
      Manteve a pose, mas sempre com raiva na voz, ÓDIO na voz, fúria. “Não está comigo, então está contra mim. Não discorde de nada do que eu fale, senão…”

      E quanto a Anitta, SOCORRO, primeiro por ser uma “artista” ridícula, e segundo por nem notar o quanto estava sendo ridicularizada na mente dos convidados.

      Foi ridicularizada, inclusive, pela própria Clara Averbuck (escritora e feminista mau humorada também, cheia de olhares de fúrias, que participou só do último bloco). Foi ridicularizada no palco quando Averbuck disse para Anitta, “Anitta, fala mais, to adorando as coisas que vc tá falando sobre feminismo” com a maior ironia do mundo,

      e depois em um texto que a Averbuck publicou no site dela, contando trechos do programa que foram cortados, como um em que a Anitta disse que homens héteros são “homens do sexo masculino” (ou seja, gays não são),
      também supôs que as lésbicas NÃO são parte do feminismo (vishmaria, deixa elas saberem…),
      e refutou que a música “sucesso” da Anitta é completamente antifeminista, afinal diz “expulso as invejosas”, fala de recalque e etc etc, propondo uma guerra entre mulheres. Anitta lixo…

      Pobre Anitta… mais tonta do que esse Felipe Neto. E além de feia pra caralho, BURRA.

      Segue abaixo link para o texto em que a Averbuck detona Anitta:

      http://lugardemulher.com.br/querida-anitta/

    • É fácil entender a fórmula do sucesso do Felipe Neto. A única coisa que acharam de “engraçado” nele é que ele fala mal de coisas que todo mundo gosta. Em 2010 só dava Justin Bieber e Restart na mídia, ele chegava descendo o cacete neles (ok, exagerei, “descer o cacete” é muito forte, ele só ficava falando bobeira de moleque de escola do tipo “Restart é banda de viado”, “Justin Bieber parece um viadinho”, nhé nhé nhé, bobeira) e aí o povo ia e dava risada.

      Afinal, é o que brasileiro mais gosta: dar risada.

      E eu, como bom brasileiro, estou dando muita risada de ver o tiro no próprio pé que ele deu querendo defender as feministas e sendo devorado por elas em seguida.

  6. O cara está levando um monte de táticas de constrangimento e ele usa a pior forma de revidar, quando se preocupar com os sentimentos do constrangedor.

    Dei uma vasculhada no twitter dessa Priscila Bellini e vejam só o que essa garota diz:

    “Misandria como sistema opressor não existe, tá? Não apelem pra falsa simetria na hora de comparar com misoginia.”

    Quer dizer, para essa garota o preocurante não é se há ódio contra mulheres ou contra homens, mas sim se algum deles esta no tal sistema opressor.
    Isso é praticamente o mesmo que dizer que o terrorismo islâmico esta certo porque ele luta contra o opressor ocidental (apesar de nesse caso existir uma falsa simetria).

    Ah sim, no twitter da garota tinha um link de um twitter do pstu.Que “novidade”.

    • TODOS que militam pelo Feminismo na Internet são socialistas e apoiam partidos de esquerda.

      Não existe UMA ÚNICA MULHER que milite pelo Feminismo na Internet que não seja esquerdista.

      Se duvida do que estou dizendo, entre em qualquer página sobre feminismo no facebook (ou em blogs pela internet) e clique no perfil das pessoas dessa página (tanto os seguidores tanto os administradores/editores da página). Verá que todos que curtem páginas feministas também curtem páginas esquerdistas, socialistas e progressistas.
      Se você encontrar algum que não curta isso, nenhum desses estará apoiando o livre mercado ou curtirá páginas libertárias.

      Primeiro misândria não era feminismo, agora é algo “justificável” e “necessário” para acabar com os indivíduos da classe do Patriarcado.
      Qualquer movimento revolucionário que usa discurso marxista é essa aberração contraditória mesmo.

  7. É interessante essa mania delas acharem que os “feministos” vão tomar o protagonismo e destruir o movimento delas, lembra muito bem as paranoias do Josef Stalin com os seus próprios correligionários. Elas realmente fazem jus ao seu berço: o marxismo.

    Alias, ver um grupo se vender como oprimido, ao mesmo tempo em que desfruta da liberdade de mandar a merda os seus próprios apoiadores – É digno de uma boa piada.

  8. Me desculpem, mas contra “argumentos” como “misandria representa sim, e vá à merda”, não há muito o que fazer se não se estiver segurando um porrete e frente a frente com o “debatedor”.

    • Eu acho o fim da picada essa galera que se diz feminista, que seria alguém que luta por direitos iguais, mas acha que homem não tem direito nem de opinar, nem de oferecer ajuda ao movimento. Algumas vertentes do feminismo passaram realmente dos limites. É como se todos os homens fossem monstros que não têm nenhum problema na vida. Infelizmente são essas moças que as pessoas acham que representam o feminismo. ‘Quem é você para. ..’ só demonstra que a pessoa não tem argumentos de verdade.

      • Luisa,

        É só estudar a dinâmica da retórica de guerra de classes para saber que elas executam uma estratégia à risca. Esse é definitivamente o problema.

        Você não precisa de feminismo para absolutamente nada. Para qualquer demanda de direitos iguais, você tem o iluminismo.

        Abs,

        LH

  9. A patetada de Felipe Neto foi muito útil para esclarecer pessoas que, por ignorância ou ingenuidade, enxergam alguma legitimidade naquilo que entendem por feminismo. Bom deixar claro que esse não é o caso dele. Neto é ignorante (não ingênuo), mas tem certeza do contrário. Portanto, ele julga prescindir de esclarecimentos. O que ele quis com a defesa do feminismo foi apenas bancar o bacana, o ‘cool’, o descolado, o enturmado com todas as tribos. Resumindo: o bananão. Diferentemente dele, há pessoas de boa fé que são simpáticas ao feminismo apenas em função da construção bem feita do termo ao longo das últimas décadas. Vitória da esquerda nas batalhas cultural e política: pessoas cruas tiveram seus equipamentos mentais programados para associar feminismo com defesa dos direitos da mulher e nada além disso. Estas não estão atrás da aprovação de tribos, logo, serão receptivas ao esclarecimento. Felipe Neto bancando o trouxa nos forneceu uma importante ferramenta para ser utilizada quando estivermos diante dessas pessoas.

    • O mais irônico é que a feminista acusa o Felipe Neto de “expor” a mulher.Tal acusação não tem lógica, já que a garota se apresentou em um programa da tv aberta, da maior emissora do país, por livre vontade.Ora, qualquer sujeito que faça uma exposição pública de idéias não pode reclamar de está sendo “perseguido” (leia-se sendo criticado) por suas convicções.
      E para completar o ridículo ela distorçe tudo e só diz que isso acontece porque a tal moça é mulher e negra.
      Como sempre a extrema-esquerda não consegue criar um texto onde deixe de lado a classe, cor, gênero ou nacionalidade de determinado grupo.

    • Excelente apanhado! Nada pode descrever melhor o comportamento psicótico deste grupo de malucas. Se uma feminista sofre retaliações pelas merdas que costumeiramente falam, a culpa é de quem divulga o comportamento dela! É a típica mentalidade do bandidinho de morro: A culpa é do X9 e não do traficante.

      “vc tá expondo uma mulher negra e lésbica e ainda quer pagar de bom moço q luta pelas mulheres”

      Ou seja, segundo essa feminista, você só pode apoia-las caso você passe panos quentes nas suas aberrações morais. É por isso que elas odeiam “feministos” ou “esquerdo-machos”, pois elas não esperam que os homens simplesmente as apoiem, mas que eles sejam lacaios de sua gang/religião.

      • Maxwell, e essas mesmas que não admitem que “exponha” um lixo de mulher desses, são exatamente as mesmas a colocarem seu perfil e foto por toda a Internet para todos verem seu rosto porque fez um comentário que PARA ELAS é “machista”.

  10. Cliquei num link outro dia e acabei me deparando com uma situação semelhante a essa do Felipe Neto, no pentelhíssimo site neo-ateísta/humanista Bule Voador.

    Um cara, indignado com a misandria das feminazis, postou um artigo, com alguns melindres politicamente corretinhos, defendendo o “verdadeiro” feminismo, e começou a ser atacado por umas dementes lá:

    bulevoador.com.br/2014/07/o-odio-indiscriminado-contra-homens-nao-constroi-uma-sociedade-melhor/

    E toma discurso feminista-misândrico-androfóbico sobre “patriarcado”, “gênero”, blablablá, com carteirada exigindo que o cara se cale ou se retrate… Afinal ele é homem, né? Tem de se recolher à sua insignificância ou culpa masculina… (ver, por exemplo, a longa discussão que se segue a um comentário de uma androfóbica que diz “quanto chorume, tinha que ser macho escrevendo”).

    • Primeiro misândria não era feminismo, agora é algo “justificável” e “necessário” para acabar com os indivíduos da classe do Patriarcado.

      Qualquer movimento revolucionário que usa discurso marxista é essa aberração contraditória mesmo.

  11. “Tivesse ele estudado sobre o histórico do feminismo, saberia que desde o começo o movimento foi uma emulação do discurso marxista dividindo as pessoas em classes, com a geração de ódio artificial da “classe oprimida” contra a “classe opressora”, o qual é essencial para a obtenção de dividendos políticos. Se tivesse estudado o iluminismo britânico, também saberia que não precisamos do feminismo para a conquista de direitos iguais, pois desde aquela época já se defendia a igualdade de direitos.”

    Excelente Luciano.

    Eu pensei que só eu tivesse estudado isso.

    Os primeiros intelectuais a defenderem o direito ao voto feminino (não ao trabalho feminino, pois este já existia) foram homens iluministas.
    E as próprias suffragettes que foram as primeiras mulheres a reivindicarem a direito ao voto para a mulher, não eram “feministas” exatamente porque o “movimento feminista” não existia nessa época.

    O “movimento feminista” começou nos anos 60 quando as mulheres JÁ TINHAM direitos iguais aos homens no mundo ocidental.
    Esse movimento foi criado intelectualmente pela Escola de Frankfurt para desestabilizar as famílias dos EUA. E usou exatamente o que você disse no texto: retórica de guerra de classes.

    Quem se advogou o que as suffragettes conseguiram (que nem mesmo eram feministas) foram as feministas dos anos 60. Se você ler qualquer coisa dessas feministas dos anos 60 perceberá que: TODAS são socialistas ou são marxistas ortodoxas. TODAS fazem discursos abertamente misândricos. E TODAS são contra a Família. E NENHUMA lança críticas a sociedade soviética, que mesmo sendo uma economia marxista, no quesito social era bastante sexista, podendo ser comparada aos EUA da época.

    O interessante notar também que na URSS, mesmo sendo socialmente sexista, não existia nenhum “movimento feminista” dentro de seu território. O que existia era o Dia da Mulher, o Dia do Trabalhador e o Dia do Homem.
    Esse fato mostra exatamente o porquê do movimento ainda existir aqui no Ocidente.

    • A maneira mais eficaz de se destruir uma sociedade é justamente minando os alicerces culturais da mesma, o que no caso do Ocidente significa destruir toda a influência judaico-cristã. Não é por menos que a Rússia e os países islâmicos não permitem a penetração desses movimentos progressistas em seus territórios.

    • “O “movimento feminista” começou nos anos 60 quando as mulheres JÁ TINHAM direitos iguais aos homens no mundo ocidental.”

      Até hoje quem faz todo o trabalho de casa (ou quase todo), além de trabalhar fora, é a mulher. Até hoje a maior parte das pessoas pensa que esse trabalho cabe à mulher. Só um exemplo de que ainda não temos direitos iguais. Melhorou muito já, mas não temos. Agora, não acho que para alcançar a igualdade devamos odiar ninguém. Esse tipo de discurso misândrico só afasta as pessoas do movimento. Afasta tanto homens quanto mulheres. Sempre ouço por aí, de mulheres, não sou feminista, gosto de homem. Poxa vida, eu sou, também gosto de homem. Mas o que as pessoas têm como exemplo de feminismo são essas mulheres que responderam o Felipe sem nenhum argumento e nenhuma educação. A misandria pode até representar o feminismo pra essas pessoas, mas não me representa como feminista.

      • Luisa,

        Seus critérios de julgamento estão distorcidos. O fato da mulher fazer mais o trabalho caseiro é geralmente uma OPÇÃO dela própria.

        E não tem nada a ver com DIREITOS.

        Fico imaginando um sujeito processando a esposa dizendo “Minha mulher não lava a louça. Esse é meu DIREITO!”. Todo mundo vai rir na cara dele.

        Em relação ao discurso misândrico, ele está na raiz do feminismo, pois o discurso de ódio é o COMBUSTÍVEL da extrema-esquerda. Sempre foi. Pq agora seria diferente?

        Um pouco de seu erro pode ser visto aqui:

      • ‘Mas o que as pessoas têm como exemplo de feminismo são essas mulheres que responderam o Felipe sem nenhum argumento e nenhuma educação.’

        A culpa continua sendo desse movimento de vcs, que não sabe passar a mensagem direito.

        ‘A misandria pode até representar o feminismo pra essas pessoas’

        Tá vendo? Nem vc sabe. Nenhum discurso de ódio pode representar nada, pra ninguém que tenha vergonha na cara.

      • Os homens noruegueses devem ser mais machos, no sentido de virilidade. Então, não há porque as mulheres de lá preencherem as vagas deles. Os salários também não devem ser uma vergonha se a pessoa não tiver a capacidade de um Eisntein. Massa, né?

      • “Até hoje quem faz todo o trabalho de casa (ou quase todo), além de trabalhar fora, é a mulher.Até hoje a maior parte das pessoas pensa que esse trabalho cabe à mulher. Só um exemplo de que ainda não temos direitos iguais.”

        Até hoje,quem tem que pagar pensão para os filhos e a ex-esposa é o homem,mesmo os filhos ficando com a ex-esposa,porque a maior parte das pessoas pensa que o sustento da família cabe ao homem. E as feministas não parecem muito interessadas em mudar essa situação,nem outras como o tempo de aposentadoria mais cedo para mulheres,mesmo os homens tendo uma expectativa de vida menor.
        Só alguns exemplos de que ainda não temos direitos iguais,e que as feministas não lutam por igualdade.

  12. Feminismo esta certo em muitas coisas, mas tb errado em muitas. Mulheres não são melhores q homens, ele muito ja defendeu a causa das mulheres mas algumas são tão fanaticas e tão doentes q dão ate nojo. Parem de pregar o odio gratuito, tem que pregar liberdade e direitos iguais.

  13. A baixo, mais uma EEEE (Esquerdista esquerdoroso esquerdando esquerdices):

    “O macho é um acidente biológico: o gene Y (masculino) não é outra coisa mais que um gene X (feminino) incompleto, ou seja, possui uma série incompleta de cromossomos. Por outras palavras, o macho é uma fêmea incompleta, um aborto ambulante, abortado na fase de gene. Ser macho é ser deficiente; um deficiente com a sensibilidade limitada. A masculinidade é uma deficiência orgânica, uma doença; e os machos são aleijados emocionais.

    O macho é um egocêntrico total, um prisioneiro de si mesmo incapaz de empatizar ou de identificar-se com os outros, incapaz de sentir amor, amizade, afeto ou ternura. É um elemento absolutamente isolado, inepto para relacionar-se com os outros, suas reações não são cerebrais, mas viscerais; sua inteligência só lhe serve como instrumento para satisfazer seus impulsos e suas necessidades. Não pode experimentar as paixões da mente, as interações mentais, somente lhe interessam suas próprias sensações físicas. É um morto vivo, uma excrescência insensível impossibilitada de dar, ou receber, prazer ou felicidade. Consequentemente, e no melhor dos casos, é o cúmulo do tédio; é apenas uma bolha inofensiva, pois somente quem é capaz de absorver-se nos outros possui encanto. Preso a meio caminho numa zona crepuscular entre os seres humanos e os macacos, sua posição é muito mais desvantajosa que a dos macacos: ao contrário destes, apresenta um conjunto de sentimentos negativos – ódio, ciúmes, desprezo, asco, culpa, vergonha, incerteza – e, o que é pior: tem plena consciência do que ele é e do que não é.”

    (SOLANAS – SCUM Manifesto)

  14. Feminismo SEMPRE pregou pela igualdade. Qualquer ideia que lute pela superioridade feminina é “femista” e não feminista. E homens podem sim ser feministas!!!!!!!!!!!! Conheço muitos homens que são. Porque, afinal, da mesma forma que não preciso ser negra para lutar contra o racismo, ninguém precisa ser mulher para lutar pelo feminismo. Eu sou feminista, e defendo que o alistamento obrigatório deve ser para as mulheres tb! E existem muitas mulheres que lutam por isso. E é ridículo os machistas usarem o argumente de q, “qro ver uma mulher em campo de batalha, isso elas n qrem”, pq essa conclusões foram tiradas de ideias machistas, afinal, o machismo q defende esse tipo de coisa.
    E tem mais, qro q qm acha q cada pessoa já nasce cm o papel certo na sociedade, cumpra o seu papel então, mas n fica brigando cm as mulheres q qrem ser independentes, q n qrem ficar em casa trabalhando, q qrem trabalhar e ter o mesmo salário que os homens. Qro q essas pessoas parem de dizer q estamos lutando contra a nossa natureza, pq cada um tem a sua própria natureza e não são vcs q vão dizer ql é!
    Qro q os ricos(eu sei que não tds) e qm n vive no meio de uma sociedade machista pare tb cm esse mimimi d q Maria da Penha não é importante. Eu conheço mts mulheres vítimas d violência vindas d homens, mas não conheço nenhum que é violentado por mulheres. É claro que existem homens q sofrem nas mãos das mulheres, e acho q tb deveria tb ter uma lei para protegê-los, mas com certeza, o número de mulheres violentadas é maior.

  15. Velho , pelo amor de deus , ele vai la e da a opinião dele sobre isso , e ele sempre fala que ele não representa o feminismo , só apoia o movimento , e essas escrotas querem é pagar de ” nunca precisaremos de homens e caralhos a 4 ” , a gente coexiste numa sociedade , homens e mulheres , precisamos de ambos , ambos são importantes , ser independente é bom mas não tem a necessidade de simplesmente atacar qualquer ser humano que tiver órgão sexual masculino . RESUMIDAMENTE MANDO UM RECADINHO PRA PESSOAS DESSE TIPO , VÃO TOMAR NO MEIO DO CU DE VOCÊS , ESCROTAS ARROMBADAS DE MERDA.

  16. Nunca levei o Felipe Neto a sério, mas, sinceramente, quem pagou mico nessa história foram as tais feministas misândricas, que também desconhecem as raízes da ideologia machista/feminista que apoiam. Pra falar com orgulho que “misandria representa sim o movimento feminista e vá a merda”, aonde que vocês querem ser consideradas superiores? Vá a merda você e a sua burrice! Até porque não esqueça que você só existe por causa de um homem.

Deixe uma resposta