Augusto Nunes: “Dilma fingiu luto para fugir da verdade”

11
104

Leão

Que essa fuga de Dilma da entrevista do JN já pode ser grudada na testa deles como uma das grandes vergonhas dessa campanha petista (e não são poucas, diga-se), quanto a isso não há dúvida alguma. O texto abaixo, intitulado A candidata à reeleição fingiu que estava de luto para fugir da luta contra contra a verdade, de Augusto Nunes, só nos ajuda a reforçar a noção do nível de oportunismo de baixo nível nessa fuga:

No começo da tarde de 13 de agosto, o alto comando da campanha de Dilma Rousseff reuniu-se com a candidata à reeleição para tratar da morte de Eduardo Campos. Em poucos minutos, ficou definida a trinca de urgências urgentíssimas.

1. Num pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, Dilma derramaria elogios ao adversário morto, caprichando na cara de viúva inconsolável, e decretaria três dias de luto oficial.

2. Na mesma discurseira, a presidente pegaria uma carona no luto oficial para decretar três dias de luto particular e suspender por 72 horas todas as atividades eleitorais.

3. Invocando o luto eleitoral, Dilma adiaria a entrevista ao Jornal Nacional marcada para a mesma noite. Um gol de placa: a mulher que fala dilmês escaparia de puxar mais um desfile de explicações que nada explicam, falatórios sem pé nem cabeça, álibis de punguista em começo de carreira, contas aritméticas de 171, obras invisíveis a olho nu, escândalos impunes e vigarices de variado calibre.

Encerrada a reunião, um dos Altos Companheiros comunicou à TV Globo que Dilma estava enlutada demais para usar a voz por 15 minutos. Conversa fiada, atesta o vídeo acima. Na véspera, horas antes do acidente aéreo, Dilma havia desmarcado o encontro com Renata Lo Prete no Jornal das Dez, da Globonews, que nos dias anteriores recebera os principais adversários da presidente. Nem perdeu tempo com justificativas.

Dilma cancelou a aparição no Jornal Nacional não em sinal de respeito a Eduardo Campos. Fingiu que estava de luto para fugir da luta contra a verdade.

Em tempo: veja o vídeo mencionado pelo colunista:

Este tipo de oportunismo não pode ficar barato. Ela tem que se exposta por mais esta indignidade. Nada mais, nada menos ela usou a morte de Eduardo Campos como uma bela de uma oportunidade de não responder às perguntas difíceis que os outros candidatos (inclusive Campos) estavam respondendo.

Dá para alguém descer mais baixo que isso?

Anúncios

11 COMMENTS

  1. Bem, se a entrevista ia ser um desfile de rapapés, é melhor economizar o dinheiro de nossos impostos com combustível de avião. A Globo é muito amena com governantes.

  2. Eu tenho uma dúvida. A legislação eleitoral não diz que o chefe do executivo deve renunciar até 6 meses antes da eleição?
    Por qual motivo a Dilma não renunciou?

  3. Sinceramente acredito que será melhor se não houver entrevista.

    Motivo?

    Simples: veríamos mais uma baixaria da mídia globeleza estatizada, derramando ‘mimos’ e ‘elogios’ à ‘chefa’ em poder. Seria um vexame e humilhação para nós, mas somente mais um dia na vida de uma petista enlouquecida.

  4. Luciano, a morte de Eduardo Campos pode ter sido ruim para o PT. Segundo o Datafolha Marina ganha de Dilma, levando 47% dos votos contra 43% da presidentA, no segundo turno.

  5. Espero que estejam todos espalhando MUITO essa notícia, MUITO. Taquem na cara de todos seus amigos de facebook, falem a respeito, mandem por e-mail, não sosseguemos enquanto todos não estiverem sabendo dessa falácia, essa fingida, essa vagabundazinha de esquina que ocupa a cadeira presidencial mas será chutada de lá como uma bola, rolando pra lama de onde nunca devia ter saído.

    EXPONHAM ELA AO RIDÍCULO (motivos ela sempre dá)

    MOSTREM COMO É MENTIROSA, FALSA, SANGUINÁRIA

    EI, DILMA, VAI TOMAR NO CU

    SEM ACORDO

Deixe uma resposta